Você está na página 1de 22





    
      


   !∀ # ∃∀ %%
3. INTRODUÇÃO: JUROS SIMPLES E COMPOSTOS
Juros é o termo utilizado para designar o “preço do dinheiro no tempo”.
Quando você pega certa quantia emprestada no banco, o banco te cobrará uma
remuneração em cima do valor que ele te emprestou, pelo fato de deixar você ficar
na posse desse dinheiro por um certo tempo. Esta remuneração é expressa pela
taxa de juros. Existem duas formas principais, ou regimes, de cobrança de juros:
juros simples e juros compostos. O seu edital exige que você conheça as duas,
saiba efetuar cálculos com cada uma delas, e saiba distinguir situações onde se
aplicam uma ou outra.

3.1 JUROS SIMPLES


Continuemos imaginando que você contratou um empréstimo junto ao banco.
Pode ser que fique combinado que será cobrada uma taxa de juros mensal apenas
sobre o valor emprestado inicialmente. Não serão cobrados “juros sobre juros”, isto
é, sobre o valor que vai sendo acrescido à dívida a cada mês. Neste caso, estamos
diante da cobrança de juros simples. Para ilustrar, imagine que você pegou um
montante de R$1000 emprestados com o banco a uma taxa de juros simples de
10% ao mês, para pagar após 5 meses. Quanto você deverá pagar ao banco ao
final dos 5 meses?
Como foi contratado um empréstimo a juros simples, ao final do primeiro
mês você deve aplicar a taxa de juros (10%) sobre o capital inicial (R$1000). Como
10% de 1000 é igual a 100, podemos dizer que ao final do primeiro mês a dívida
subiu para R$1100, onde R$1000 correspondem ao montante inicial e R$100
correspondem aos juros incorridos no período. Ao final do segundo mês, serão
devidos mais 10% de 1000, ou seja, mais 100 reais. Ao final do terceiro, quarto e
quinto meses serão devidos mais 100 reais por mês. Portanto, ao final de 5 meses
você deverá devolver ao banco o capital inicial acrescido de 5 parcelas de 100 reais,
totalizando R$1500. Deste valor, 500 reais referem-se aos juros (“preço” que você
paga por ter ficado com 1000 reais do banco durante 5 meses) e 1000 reais
referem-se ao Principal da dívida, que é outra forma muito comum de designar o
capital inicialmente obtido. Podemos usar simplesmente a fórmula abaixo:

M = C × (1 + j × t )

   !∀ 


   
 

    
      


   !∀ # ∃∀ %%

Nessa fórmula, C é o capital inicial (R$1000), j é a taxa de juros (10% ao


mês), t é o período analisado (5 meses), e M é o montante (valor total) devido ao
final dos “t” períodos. Observe que a taxa de juros e o período analisado devem
referir-se à mesma unidade temporal (neste caso, ambos referem-se a meses). Se
elas não estiverem na mesma unidade, o primeiro passo da resolução deve ser a
uniformização destas unidades, como veremos mais adiante neste curso.
A fórmula acima pode ser dividida em duas partes, tirando os parênteses:

M = C +C × j ×t

Nesta fórmula, C × j é o valor dos juros pagos a cada período (R$100), que é
sempre igual. Já C × j × t é o total pago na forma de juros (neste caso, R$500).
Portanto, o valor dos juros totais devidos é simplesmente:

J = C × j ×t

Veja ainda que o valor dos juros totais é igual à diferença entre o Montante e
o Capital inicial:

J=M–C

Veja que as fórmulas apresentadas possuem 4 variáveis (C, M, j e t). A


maioria dos exercícios envolvendo juros simples fornecerão 3 dessas variáveis e
perguntarão a quarta. O exercício poderia ter dito que João pegou R$1000
emprestados à taxa de juros simples de 10% ao mês, e perguntar quanto tempo
levaria para que o valor devido chegasse a R$1500. Assim, você teria C = 1000, j =
10% e M = 1500, faltando encontrar t:

   !∀ 


   
 

    
      


   !∀ # ∃∀ %%
M = C × (1 + j × t )

1500 = 1000 × (1 + 10% × t )

1500
= 1 + 0,1× t
1000
1,5 = 1 + 0,1× t

0,5 = 0,1× t

5=t
Como a taxa de juros refere-se a meses, então t = 5 meses.

3.2 JUROS COMPOSTOS


Em alguns casos, os juros não incidirão apenas sobre o capital inicial de um
empréstimo. Eles incidirão sobre o valor devido, que aumenta a cada período (pois
ao capital inicial vão sendo somados os juros devidos nos períodos anteriores). Por
isso, os juros devidos em um mês serão diferentes dos juros devidos no mês
seguinte. Vamos usar o mesmo exemplo: você contrata R$1000 de empréstimo
junto ao banco, por um período de 5 meses e taxa de juros compostos de 10% ao
mês. Qual é o valor devido ao final de 5 meses?
Ao final do primeiro mês, aplicaremos a taxa de 10% sobre todo o valor
devido, que neste caso é o próprio capital inicial (1000 reais), resultado em juros de
100 reais. Ou seja, ao fim deste mês você estará devendo 1100 reais. Ao final do
segundo mês, aplicaremos novamente a taxa de 10% sobre todo o valor devido, que
não é mais 1000 reais, e sim 1100 reais. Logo, os juros relativos ao segundo mês
somam R$110 reais (e não 100). A dívida total chegou a R$1210 (1100+110).
Portanto, ao final do terceiro mês serão devidos mais R$121 em juros, que resulta
da aplicação de 10% sobre R$1210. E assim sucessivamente. Veja que:
- ao final do primeiro período, o valor total devido é o mesmo que no caso dos
juros simples (R$1100). Essa propriedade é importantíssima: juros simples e juros
compostos são equivalentes para um único período.
- a partir do segundo período, o valor total devido é maior no caso de juros
compostos (R$1210) do que no caso de juros simples (R$1200). Ou seja, os juros
compostos são mais onerosos que os juros simples, a partir do segundo período!

   !∀ 


   
 

    

     


   !∀ # ∃∀ %%
Não vamos demonstrar aqui, mas é importante você gravar que, para
períodos fracionários (t entre 0 e 1), os juros simples são mais onerosos que os
juros compostos.
A fórmula para cálculo de juros compostos é:

M = C × (1 + j )t

As questões que versam a respeito de juros compostos costumam seguir a


mesma linha: apresentam 3 das 4 variáveis e pedem para você calcular a restante.
Como o tempo (“t”) está no expoente, será preciso trabalhar com potências e raízes.
Para facilitar as contas, em alguns casos a sua prova pode fornecer valores
específicos de (1 + j )t , ou apresentar tabelas, normalmente usando as letras (1 + i )n ,

para diferentes valores de i e diferentes valores de n. O termo (1 + i )n é chamado de


Fator de Acumulação de Capital (FAC). Basta você olhar na tabela qual o valor
correto da expressão (1 + i )n para a taxa de juros “i” e tempo “n” que você tiver em
seu exercício.

Vejamos alguns exercícios para você começar a praticar os cálculos de juros


simples e compostos. Ainda precisamos ver diversos conceitos relativos a
estes temas: taxas efetivas, equivalentes, reais, aparentes, etc. Estes temas serão
abordados oportunamente ao longo do curso, ok?

3.3 RESOLUÇÃO DE EXERCÍCIOS


1. FCC – Banco do Brasil – 2011) Um capital foi aplicado a juros simples, à taxa
anual de 36%. Para que seja possível resgatar-se o quádruplo da quantia aplicada,
esse capital deverá ficar aplicado por um período mínimo de:
(A) 7 anos, 6 meses e 8 dias.
(B) 8 anos e 4 meses.
(C) 8 anos, 10 meses e 3 dias.
(D) 11 anos e 8 meses.
(E) 11 anos, 1 mês e 10 dias.
RESOLUÇÃO:

   !∀ 


   
 

    
     


   !∀ # ∃∀ %%
Aqui temos um capital C que, aplicado à taxa de juros simples j = 36% ao
ano, por um período “t” desconhecido, atinge o montante M = 4C (quádruplo do
valor aplicado). Utilizando a fórmula de juros simples, podemos calcular o valor de t:

M = C × (1 + j × t )
4C = C × (1 + 0,36 × t )
4 = 1 + 0,36t
t = 3 / 0,36 = 300 / 36 = 25 / 3

Portanto, o tempo da aplicação deve ser de, no mínimo, 25/3 anos. Veja que:

25 24 1 1
= + =8+
3 3 3 3

Isto é, 25/3 anos correspondem a 8 anos e mais 1/3 de ano. Como 1 ano
tem 12 meses, 1/3 de ano tem 4 meses. Assim, o capital precisa ficar aplicado por 8
anos e 4 meses.
Resposta: B

2. FCC – Banco do Brasil – 2011) Faustino dispõe de R$ 22.500,00 e pretende


aplicar esta quantia a juros simples, do seguinte modo: 3/5 do total à taxa mensal de
2,5% e, na mesma ocasião, o restante à taxa de 1,8% ao mês. Supondo que
durante 8 meses sucessivos Faustino não faça qualquer retirada, ao término desse
período o montante que ele obterá das duas aplicações será igual, em R$, a

(A) 25 548,00.

(B) 26 496,00.

(C) 26 864,00.

(D) 27 586,00.

(E) 26 648,00.

RESOLUÇÃO:

   !∀ 


   
 

    
      


   !∀ # ∃∀ %%
3
3/5 de 22500 corresponde a × 22500 = 13500 reais. Portanto, Faustino
5
aplicou o capital inicial C1 = 13500 reais à taxa j1 = 2,5% ao mês por t = 8 meses. E
aplicou o restante, ou seja, C2 = 9000 reais à taxa j2 = 1,8% ao mês por t = 8
meses. Calculando os montantes com a fórmula de juros simples, temos:

M1 = C1 × (1 + j1 × t )

M1 = 13500 × (1 + 0,025 × 8) = 16200

M2 = C2 × (1 + j 2 × t )

M2 = 9000 × (1 + 0,018 × 8) = 10296

Portanto, o montante que Faustino obterá é de 16200 + 10296 = 26496 reais.

Resposta: B

3. FCC – ISS/SP – 2007) Uma pessoa necessita efetuar dois pagamentos, um de


R$ 2.000,00 daqui a 6 meses e outro de R$ 2.382,88 daqui a 8 meses. Para tanto,
vai aplicar hoje a juros simples o capital C à taxa de 3% ao mês, de forma que:
− daqui a 6 meses possa retirar todo o montante, efetuar o pagamento de
R$2.000,00 e, nessa data, aplicar o restante a juros simples, à mesma taxa, pelo
resto do prazo;
− daqui a 8 meses possa retirar todo o montante da segunda aplicação e efetuar o
segundo pagamento, ficando com saldo nulo e sem sobras.
Nessas condições, o valor de C é igual a
(A) R$ 3.654,00
(B) R$ 3.648,00
(C) R$ 3.640,00
(D) R$ 3.620,00
(E) R$ 3.600,00
RESOLUÇÃO:
Vamos reproduzir todos os passos descritos no enunciado. Se aplicarmos o
capital inicial C à taxa simples de j = 3% ao mês por t = 6 meses, teremos ao final
deste período teremos:

   !∀ 


   
 

    
      


   !∀ # ∃∀ %%
M = C x (1 + j x t)
M = C x (1 + 0,03 x 6)
M = 1,18C

Após pagar 2000 reais, sobram 1,18C – 2000. Este será o capital inicial da
segunda aplicação, que tem a mesma taxa j = 3% ao mês e período t = 2 meses
(período entre o 6º e 8º meses). O montante M deverá ser igual a 2382,88 reais, que
é o valor do segundo título, pois o enunciado diz que após este segundo pagamento
não sobra nada (nem falta). Colocando todas essas informações na fórmula dos
juros simples, temos:
2382,88 = (1,18C – 2000) x (1 + 0,03 x 2)
2382,88 = (1,18C – 2000) x 1,06
1,18C – 2000 = 2382,88 / 1,06
1,18C – 2000 = 2248
1,18C = 2248 + 2000
1,18C = 4248
C = 4248 / 1,18
C = 3600

Portanto, o valor aplicado inicialmente foi C = 3600 reais.


Resposta: E

4. FCC – ICMS/SP – 2009) Uma pessoa aplicou um capital em um Banco que


remunera os depósitos de seus clientes a uma taxa de juros simples de 12% ao
ano. Completando 6 meses, ela retirou o montante correspondente a esta aplicação
e utilizou R$ 20.000,00 para liquidar uma dívida nesse valor. O restante do dinheiro,
aplicou em um outro Banco, durante um ano, a uma taxa de juros simples de 1,5%
ao mês. No final do período, o montante da segunda aplicação apresentou um valor
igual a R$ 28.933,60. A soma dos juros das duas aplicações é igual a

(A) R$ 10.080,00

(B) R$ 8.506,80

(C) R$ 7.204,40

   !∀ 


   
 

    
      


   !∀ # ∃∀ %%
(D) R$ 6.933,60

(E) R$ 6.432,00

RESOLUÇÃO:

Chamando de C o capital inicial, vemos que este valor foi aplicado por t = 6
meses à taxa de juros simples j = 12% ao ano, que corresponde a j =1% ao mês
(basta dividir 12% pelos 12 meses presentes em um ano). Assim, ao final deste
período temos o montante:

M = C x (1 + j x t)

M = C x (1 + 1% x 6)

M = 1,06C

Deste valor foram retirados 20000 reais para o pagamento de uma dívida,
restando 1,06C – 20000. Este restante foi aplicado à taxa simples j = 1,5% ao mês
durante t = 1 ano, ou melhor, t = 12 meses. O montante obtido ao fim deste período
é dado por:

M = (1,06C – 20000) x (1 + 1,5% x 12)

M = 1,2508C – 23600

O enunciado disse que o montante desta segunda aplicação foi


M = 28933,60. Logo:

28933,60 = 1,2508C – 23600

1,2508C = 52533,6

C = 42000 reais

Foi pedido o total de juros recebidos. Na primeira aplicação, este valor é:

J=Cxjxt

J = 42000 x 1% x 6

J = 2520 reais

   !∀ 


   
 

    
      


   !∀ # ∃∀ %%

Assim, ao final deste primeiro investimento o montante foi de 44520 reais,


dos quais foram retirados 20000, sobrando 24520 para o início da segunda
aplicação. Os juros desta segunda aplicação foram de:

J = 24520 x 1,5% x 12

J = 4413,6 reais

Ao todo, os juros somaram 2520 + 4413,6 = 6933,6 reais (letra D).


Alternativamente, você poderia ter obtido o valor dos juros subtraindo do montante
final (acrescido dos 20000 reais retirados no meio do exercício) o valor do capital
inicial:

J = (28933,60 + 20000) – 42000 = 6933,60 reais

Resposta: D

5. FCC – ICMS/SP – 2009) Uma programação de investimento consiste na


realização de três depósitos consecutivos de valores iguais efetuados no início de
cada ano. O resgate dos respectivos montantes será feito de uma só vez, três anos
após a data do primeiro depósito. Considerando uma taxa de juros compostos de
10% ao ano, e sabendo-se que a soma dos montantes no ato do resgate foi igual a
R$ 43.692,00, conclui-se que o valor de cada depósito é igual a

(A) R$ 10.000,00

(B) R$ 10.500,00

(C) R$ 11.000,00

(D) R$ 11.500,00

(E) R$ 12.000,00

RESOLUÇÃO:

Digamos que o valor inicial de cada depósito é C. Os três investimentos


contam com a taxa de juros composta j = 10% ao ano, e os períodos de duração de

   !∀ 


   
 

    

     


   !∀ # ∃∀ %%
cada um deles é de 3 anos, 2 anos e 1 ano. Portanto, a soma dos montantes no dia
do resgate é:

M = C x (1 + 10%)3 + C x (1 + 10%)2 + C x (1 + 10%)1

M = 1,331C + 1,21C + 1,1C

M = 3,641C

Como a soma dos montantes é 43692 reais, então:

43692 = 3,641C

C = 12000 reais

Resposta: E

6. FCC – DNOCS – 2010) Um capital é aplicado durante 8 meses a uma taxa de


juros simples de 1,5% ao mês, resultando em um montante no valor de R$
14.000,00 no final do período. Caso este mesmo capital tivesse sido aplicado, sob o
mesmo regime de capitalização, durante 1 ano a uma taxa de 2% ao mês, o valor
do montante, no final do ano, seria de
(A) R$ 15.000,00.
(B) R$ 15.500,00.
(C) R$ 16.000,00.
(D) R$ 17.360,00.
(E) R$ 18.000,00.
RESOLUÇÃO:
No primeiro investimento descrito no enunciado, vemos que t = 8 meses, j =
1,5% ao mês e M = 14.000. Com isso, podemos obter o valor do capital aplicado
inicialmente:

M = C × (1 + j × t )
14000 = C × (1 + 0,015 × 8) 
14000
C= = 12500
1 + 0,12

   !∀ 


   
 

    
      


   !∀ # ∃∀ %%
Já no segundo investimento descrito, temos t = 1 ano e j = 2% ao mês. O
capital inicial é o mesmo já calculado, isto é, C = 12500. Aqui, precisamos observar
que o prazo não está na mesma unidade de tempo que a taxa de juros. Devemos,
assim, utilizar t = 12 meses. Com isso, o montante final é:

M = C × (1 + j × t )
M = 12500 × (1 + 0,02 × 12)
M = 15500
Resposta: B

7. FCC – COPERGÁS – 2011) Um capital aplicado a juros simples, a uma taxa de


7,5% ao ano, apresentou no final do período um montante de valor igual ao capital
inicial acrescido de 25% de seu valor. O tempo em que este capital ficou aplicado foi
de
(A) 40 meses.
(B) 32 meses.
(C) 30 meses.
(D) 24 meses.
(E) 20 meses.
RESOLUÇÃO:
Aqui temos um capital inicial C que, aplicado à taxa de juros simples j = 7,5%
ao ano, por um período t desconhecido, chegou a um montante M que é 25% maior
que C, isto é, M = 1,25C. Colocando essas informações na fórmula de juros simples,
temos:
M = C x (1 + j x t)
1,25C = C x (1 + 0,075 x t)
1,25 = 1 + 0,075 x t
t = 0,25 / 0,075 = 250 / 75 = 10 / 3

10 / 3 anos equivalem a 40 meses, de modo que o gabarito é a letra A.


Resposta: A
Obs.: a conversão de 10/3 anos para meses pode ser feita utilizando a regra
de três abaixo:

   !∀ 


   
 

    
      


   !∀ # ∃∀ %%
1 ano ----------------------------------- 12 meses
10 / 3 anos ----------------------------------- X
X = (10/3) x 12 = 40 meses

8. FCC – Banco do Brasil – 2006) Um televisor é vendido em uma loja onde o


comprador pode escolher uma das seguintes opções:
I. R$ 5 000,00, à vista sem desconto.
II. R$ 1 000,00 de entrada e um pagamento no valor de R$ 4 500,00 em 1 (um) mês
após a data da compra.
A taxa de juros mensal cobrada pela loja no pagamento da segunda opção, que
vence em 1 (um) mês após a data da compra, é de
(A) 30%
(B) 25%
(C) 20%
(D) 15%
(E) 12,5%
RESOLUÇÃO:
Dando uma entrada de 1000 reais, sobraria uma dívida inicial C = 4000 reais
(considerando o preço à vista de 5000 reais). Veja que esta dívida se transforma em
M = 4500 reais após t = 1 mês. Assim, a taxa de juros cobrada pela loja é de:
M = C x (1 + j)t
4500 = 4000 x (1 + j)
j = 0,125 = 12,5% ao mês
Resposta: E
Obs.: aqui você também poderia ter usado a fórmula de juros simples, afinal
temos t = 1 período.

9. FCC – Banco de Brasil – 2011) Um capital de R$ 10 500,00 foi aplicado a juros


simples. Sabendo que a taxa de juros contratada foi de 42% ao ano, então, não
tendo sido feito qualquer depósito ou retirada, o montante de R$ 11 725,00 estará
disponível a partir de quanto tempo da data de aplicação?
(A) 4 meses.
(B) 3 meses e 20 dias.
(C) 3 meses e 10 dias.

   !∀ 


   
 

    
      


   !∀ # ∃∀ %%
(D) 3 meses.
(E) 2 meses e 20 dias.
RESOLUÇÃO:
Temos um capital inicialmente aplicado de C = 10500 reais, taxa de juros
simples j = 42% ao ano e montante final M = 11725 reais. O prazo t pode ser obtido
assim:
M = C x (1 + j x t)
11725 = 10500 x (1 + 0,42 x t)
t = 0,2777 ano

Podemos multiplicar este prazo por 12 para obtê-lo em meses:


t = 12 x 0,2777 meses
t = 3,333 meses
t = 3 meses + 1/3 de mês
t = 3 meses e 10 dias
Resposta: C

10. FCC - ISS/SP - 2012) Em 05 de janeiro de certo ano, uma pessoa tomou
R$10.000,00 emprestados por 10 meses, a juros simples, com taxa de 6% ao mês.
Após certo tempo, encontrou um outro credor que cobrava taxa de 4% ao mês.
Tomou, então, R$13.000,00 emprestados do segundo credor pelo resto do prazo e,
no mesmo dia, liquidou a dívida com o primeiro. Em 05 de novembro desse ano, ao
liquidar a segunda dívida, havia pago um total de R$5.560,00 de juros aos dois
credores. O prazo do segundo empréstimo foi
a) 4 meses
b) meses e meio
c) 5 meses
d) 5 meses e meio
e) 6 meses
RESOLUÇÃO:
Veja que temos 10 meses entre o início do primeiro empréstimo (5 de janeiro)
e a liquidação do último (5 de novembro). Digamos que o segundo empréstimo foi
tomado “t” meses após o início do primeiro, ou seja, o primeiro empréstimo durou “t”
meses e o segundo durou “10 – t” meses.

   !∀ 


   
 

    
      


   !∀ # ∃∀ %%
Após “t” meses, os juros devidos relativos ao primeiro empréstimo foram de:

J = C × j×t
J = 10000 × 0, 06 × t = 600t

Uma vez que este primeiro empréstimo foi liquidado, nos “10 – t” meses finais
apenas o segundo empréstimo, de 13000 reais, rendeu juros. Os juros devidos
relativos a este segundo empréstimo foram de:

J = C × j×t
J = 13000 × 0, 04 × (10 − t ) = 520 × (10 − t )

Portanto, o total de juros devidos nessa operação foi de:

600t + 520x(10-t) = 5200 + 80t

Como foi pago um total de R$5560,00 em juros, podemos dizer que:

5560 = 5200 + 80t


t = 4,5 meses

O segundo empréstimo teve prazo “10 – t” meses, isto é:

10 – t = 10 – 4,5 = 5,5 meses

Temos o resultado da letra D.


Resposta: D
***************************

Caro aluno, por hoje é só!! Como você pode perceber, questões exigindo os
conhecimentos básicos de juros simples e compostos são muito comuns em provas
da FCC. Trata-se de um assunto bastante simples, motivo pelo qual você não pode
se dar ao luxo de errar um item desses na prova, e, da mesma forma, não pode se
dar ao luxo de perder muito tempo resolvendo-o.

   !∀ 


   
 

    
      


   !∀ # ∃∀ %%
Vemo-nos na aula 01.

Abraço,

Prof. Arthur Lima

arthurlima@estrategiaconcursos.com.br

   !∀ 


   
 

    
      


   !∀ # ∃∀ %%
4. LISTA DAS QUESTÕES APRESENTADAS NA AULA
1. FCC – Banco do Brasil – 2011) Um capital foi aplicado a juros simples, à taxa
anual de 36%. Para que seja possível resgatar-se o quádruplo da quantia aplicada,
esse capital deverá ficar aplicado por um período mínimo de:
(A) 7 anos, 6 meses e 8 dias.
(B) 8 anos e 4 meses.
(C) 8 anos, 10 meses e 3 dias.
(D) 11 anos e 8 meses.
(E) 11 anos, 1 mês e 10 dias.

2. FCC – Banco do Brasil – 2011) Faustino dispõe de R$ 22.500,00 e pretende


aplicar esta quantia a juros simples, do seguinte modo: 3/5 do total à taxa mensal de
2,5% e, na mesma ocasião, o restante à taxa de 1,8% ao mês. Supondo que
durante 8 meses sucessivos Faustino não faça qualquer retirada, ao término desse
período o montante que ele obterá das duas aplicações será igual, em R$, a

(A) 25 548,00.

(B) 26 496,00.

(C) 26 864,00.

(D) 27 586,00.

(E) 26 648,00.

3. FCC – ISS/SP – 2007) Uma pessoa necessita efetuar dois pagamentos, um de


R$ 2.000,00 daqui a 6 meses e outro de R$ 2.382,88 daqui a 8 meses. Para tanto,
vai aplicar hoje a juros simples o capital C à taxa de 3% ao mês, de forma que:
− daqui a 6 meses possa retirar todo o montante, efetuar o pagamento de
R$2.000,00 e, nessa data, aplicar o restante a juros simples, à mesma taxa, pelo
resto do prazo;
− daqui a 8 meses possa retirar todo o montante da segunda aplicação e efetuar o
segundo pagamento, ficando com saldo nulo e sem sobras.
Nessas condições, o valor de C é igual a
(A) R$ 3.654,00
(B) R$ 3.648,00

   !∀ 


   
 

    
      


   !∀ # ∃∀ %%
(C) R$ 3.640,00
(D) R$ 3.620,00
(E) R$ 3.600,00

4. FCC – ICMS/SP – 2009) Uma pessoa aplicou um capital em um Banco que


remunera os depósitos de seus clientes a uma taxa de juros simples de 12% ao
ano. Completando 6 meses, ela retirou o montante correspondente a esta aplicação
e utilizou R$ 20.000,00 para liquidar uma dívida nesse valor. O restante do dinheiro,
aplicou em um outro Banco, durante um ano, a uma taxa de juros simples de 1,5%
ao mês. No final do período, o montante da segunda aplicação apresentou um valor
igual a R$ 28.933,60. A soma dos juros das duas aplicações é igual a

(A) R$ 10.080,00

(B) R$ 8.506,80

(C) R$ 7.204,40

(D) R$ 6.933,60

(E) R$ 6.432,00

5. FCC – ICMS/SP – 2009) Uma programação de investimento consiste na


realização de três depósitos consecutivos de valores iguais efetuados no início de
cada ano. O resgate dos respectivos montantes será feito de uma só vez, três anos
após a data do primeiro depósito. Considerando uma taxa de juros compostos de
10% ao ano, e sabendo-se que a soma dos montantes no ato do resgate foi igual a
R$ 43.692,00, conclui-se que o valor de cada depósito é igual a

(A) R$ 10.000,00

(B) R$ 10.500,00

(C) R$ 11.000,00

(D) R$ 11.500,00

(E) R$ 12.000,00

   !∀ 


   
 

    

     


   !∀ # ∃∀ %%
6. FCC – DNOCS – 2010) Um capital é aplicado durante 8 meses a uma taxa de
juros simples de 1,5% ao mês, resultando em um montante no valor de R$
14.000,00 no final do período. Caso este mesmo capital tivesse sido aplicado, sob o
mesmo regime de capitalização, durante 1 ano a uma taxa de 2% ao mês, o valor
do montante, no final do ano, seria de
(A) R$ 15.000,00.
(B) R$ 15.500,00.
(C) R$ 16.000,00.
(D) R$ 17.360,00.
(E) R$ 18.000,00.

7. FCC – COPERGÁS – 2011) Um capital aplicado a juros simples, a uma taxa de


7,5% ao ano, apresentou no final do período um montante de valor igual ao capital
inicial acrescido de 25% de seu valor. O tempo em que este capital ficou aplicado foi
de
(A) 40 meses.
(B) 32 meses.
(C) 30 meses.
(D) 24 meses.
(E) 20 meses.

8. FCC – Banco do Brasil – 2006) Um televisor é vendido em uma loja onde o


comprador pode escolher uma das seguintes opções:
I. R$ 5 000,00, à vista sem desconto.
II. R$ 1 000,00 de entrada e um pagamento no valor de R$ 4 500,00 em 1 (um) mês
após a data da compra.
A taxa de juros mensal cobrada pela loja no pagamento da segunda opção, que
vence em 1 (um) mês após a data da compra, é de
(A) 30%
(B) 25%
(C) 20%
(D) 15%
(E) 12,5%

   !∀ 


   
 

    
      


   !∀ # ∃∀ %%
9. FCC – Banco de Brasil – 2011) Um capital de R$ 10 500,00 foi aplicado a juros
simples. Sabendo que a taxa de juros contratada foi de 42% ao ano, então, não
tendo sido feito qualquer depósito ou retirada, o montante de R$ 11 725,00 estará
disponível a partir de quanto tempo da data de aplicação?
(A) 4 meses.
(B) 3 meses e 20 dias.
(C) 3 meses e 10 dias.
(D) 3 meses.
(E) 2 meses e 20 dias.

10. FCC - ISS/SP - 2012) Em 05 de janeiro de certo ano, uma pessoa tomou
R$10.000,00 emprestados por 10 meses, a juros simples, com taxa de 6% ao mês.
Após certo tempo, encontrou um outro credor que cobrava taxa de 4% ao mês.
Tomou, então, R$13.000,00 emprestados do segundo credor pelo resto do prazo e,
no mesmo dia, liquidou a dívida com o primeiro. Em 05 de novembro desse ano, ao
liquidar a segunda dívida, havia pago um total de R$5.560,00 de juros aos dois
credores. O prazo do segundo empréstimo foi
a) 4 meses
b) meses e meio
c) 5 meses
d) 5 meses e meio
e) 6 meses

   !∀ 


   
 

    
      


   !∀ # ∃∀ %%
5. GABARITO
01 B 02 B 03 E 04 D 05 E 06 B 07 A
08 E 09 C 10 D

   !∀