Você está na página 1de 55

Universidade Estadual da Paraíba

Centro de Ciências Exatas e Sociais Aplicadas

INTRODUÇÃO À PSICOLOGIA

Prof. Dr. Layr tthon Carlos de O. Santos


OBJETIVOS DA AULA

 Distinguir psicologia de outras áreas do conhecimento.


 Definir psicologia.
 Apontar objeto e tópicos da psicologia.
 Principais campos e áreas de atuação.
 Discutir a perspectiva histórica desta disciplina.
 Apresentar as mais importantes abordagens e perspectivas da
psicologia.
 Exemplificar como se dá a pesquisa em psicologia e questões éticas
envolvidas.
PSIQUIATRIA, PSICANÁLISE E PSICOLOGIA

Psicanálise é Psicologia?

De psicólogo e louco todo


mundo tem um pouco?
PSIQUIATRIA

 É uma especialidade médica.

 Voltada para o tratamento (medicamentoso) de transtornos mentais.

 O psiquiatra é um médico que trata do cérebro.

 Possui conhecimento anatômico e funcional do cérebro.

 O cérebro possui funções orgânicas e psicológicas relacionadas.

 Mudanças estruturais e biológicas do cérebro afetam seu funcionamento.

 O psiquiatra intervém para tratar desse mau funcionamento a partir de substâncias


químicas.
PSICANÁLISE

 Fundada por Freud (que era neurologista) no século XIX.

 Método de investigação do inconsciente expresso nas


palavras, ações e produções imaginárias de um
indivíduo.

 Atua por meio da psicoterapia: O psicanalista escuta o


paciente e a partir de técnicas apropriadas faz com
chegue ao conhecimento das causas de seu desconforto
e assim reorganize suas ideias.
PSICANÁLISE

 Para a psicanálise a causa do sofrimento psicológico é inconsciente.

 Por meio da fala, pode-se conhecer a causa oculta desse sofrimento.

 Conhecendo a causa, o sujeito melhora o conhecimento de si (na psicanálise o


sujeito busca sua verdade).
PSICOLOGIA

 É uma ciência.

 Estuda o comportamento humano e processos mentais.

 Busca entender por que as pessoas pensam, sentem e agem da determinada forma.

 Utiliza diferentes métodos de pesquisa.

 Possui diferentes abordagens.


 Cada uma enfoca o comportamento humano de maneiras específicas, suas causas e como
atuar sobre ele.

 Os psicólogos podem trabalhar em diferentes campos e com diferentes tipos de


indivíduos.
COMO PODEMOS DEFINIR A PSICOLOGIA?

 “Psicologia” deriva de duas palavras gregas – psiché e lógos –


“estudo da alma/mente”.

 Nos dias de hoje: Psicologia é definida como a ciência que


estuda o comportamento e os processos mentais de todos os
animais.

 Comportamento: Condutas, formas de comunicação, emoções –


tudo o que pessoas e animais fazem.
 Processos mentais: Formas de cognição ou de conhecimento –
perceber, lembrar, raciocinar, resolver problemas, sonhar, etc.

Processos mentais são comportamentos?


OBJETO E TÓPICOS DA PSICOLOGIA

 O objeto da Psicologia é o comportamento humano expresso em uma


infinidade de fenômenos.
 Seu foco é sempre no ser humano como indivíduo.
 Enquanto ciência, parte de estudos amostrais focando o geral.

 Seu escopo é amplo:


 Funções básicas – pensamento e linguagem, memória, aprendizagem,
desenvolvimento, emoções, motivações.
 Tópicos sociais – preconceito, violência, valores, atitudes.
 Patologias, saúde mental, inclusão social, engajamento e ajustamento escolar,
bem-estar subjetivo, satisfação com o trabalho, etc.
 A psicologia tem relações estreitas com outras ciências como a
sociologia e a biologia, mas distingue-se a partir de seu enfoque.

 A sociologia foca nos grupos e processos grupais; A psicologia (social) se


preocupa em como os indivíduos são influenciados pelos grupos, sociedade e
pela mídia.

 Psicólogos fisiologistas ou Psicobiólogos buscam conhecer como o cérebro atua


em funções psicológicas como memória, linguagem, sono, atenção, percepção,
sexo, etc.
CAMPOS DA PSICOLOGIA

 A Psicologia é uma ciência única e ampla, mas que consiste em um conjunto de


diversas subáreas.

 Cada uma tem características próprias e profissionais especializado, porém o foco


principal é sempre o ser humano enquanto indivíduo.

Quantas você conhece?


Por que os psicólogos precisam se especializar?

 Grande abrangência da Psicologia.

 Impossível dominar sua totalidade.

 Difícil dominar até mesmo toda uma subárea.


 Geralmente ocorre especialização em uma temática dentro de uma
subárea.
 Ex: Psicologia Clínica e Psicologia Social.
Especialista/Área Atividades Principais
• Psicologia educacional / escolar Desenvolve e avalia materiais e procedimentos
para programas educacionais – foco na
aprendizagem / Faz pesquisa no ambiente escolar,
faz programas e consultas com os estudantes, trata
jovens problemáticos.
• Psicologia organizacional / do trabalho Volta-se para a eficiência do trabalhador na
empresa / volta-se para as condições de trabalho e
saúde do trabalhador.
• Psicologia clínica Avalia e trata indivíduos com problemas
psicológicos.
• Psicologia do desenvolvimento Estuda as mudanças de comportamento ao longo
do tempo.
• Psicologia social Estuda como as pessoas influenciam-se
mutuamente.
• Engenheiro psicólogo Busca melhorar a relação entre indivíduo e
ambiente – avalia e planeja ambientes, máquinas
e sistemas.
E OUTRAS...

 Psicologia experimental
 Psicometria
 Psicologia da personalidade
 Psicologia comunitária
 Psicologia ambiental
 Psicologia política
 Psicologia positiva
 Psicologia da Saúde
 ETC...
PERSPECTIVAS HISTÓRICAS DA PSICOLOGIA

 Grécia antiga:
 As raízes da psicologia remontam aos grandes filósofos como Sócrates, Platão e
Aristóteles.
 Aristóteles (384-332 a.C.) é considerado por alguns como o “pai da Psicologia”.

 Porém, mesmo séculos antes, os primeiros filósofos dos quais se tem notícia se
questionavam sobre a natureza do comportamento humano.

 Refletiam sobre questões fundamentais da mente:


 “O que é consciência?”
 “As pessoas são inerentemente racionais ou irracionais?”
 “Existe livre-arbítrio ou nossas ações são programadas?”
NATUREZA VS AMBIENTE

As capacidades humanas são inatas ou adquiridas com a experiência?


 Um dos debates mais antigos e ainda atuante sobre a Psicologia Humana.

 Visão da natureza:
 Já nascemos com determinados conhecimentos e compreensão da realidade.
 Descartes (séc. XVIII) – algumas ideias como Deus, self, perfeição e infinito
são inatas.

 Visão da criação:
 O conhecimento é adquirido por meio de experiências e interações com o
mundo.
 Jhon Locke (séc. XVII) – no nascimento, a mente é um “quadro em branco”,
uma “tábula rasa” na qual a experiência escreve o conhecimento e a
compreensão à medida que o indivíduo amadurece.
...MAS AFINAL?

 A maioria dos psicólogos assume uma abordagem integrada.

 Reconhecem que processos biológicos e hereditários afetam pensamentos,


sentimentos e comportamentos, mas que a experiência, o ambiente, também
exercem influência.

 Ex: Psicopatia

 Assim, a questão não é se a natureza ou o ambiente determinam a psicologia


humana, mas como interagem para fazê-lo.
A PSICOLOGIA CIENTÍFICA

 Séc. XIX:
 Os fisiologistas começavam a aplicar os métodos científicos para o estudo do
cérebro, dos nervos e dos órgão de sentido.

 Gustav Fechner (filósofo e físico) examinava como esses métodos poderiam ser
aplicados ao estudo dos processos mentais.
 Publicou seus achados em “Elementos da Psicofísica” (1860).
 Se interessava pela relação entre estímulo físico e sensação.

Quanto uma estrela deve brilhar pra ser vista?


Quão alto deve ser um ruído para ser ouvido?
WILHELM WUNDT
FUNDADOR DA PSICOLOGIA CIENTÍFICA

 Era médico fisiologista.

 Interessava-se pelo estudo dos processos mentais.

 Em sua época não existia psicologia, seu conteúdo ainda pertencia à


filosofia.

 Wundt buscava uma identidade independente para a Psicologia.

 Fundou em 1879 o primeiro laboratório de psicologia experimental


em Leipzig (Alemanha).
WILHELM WUNDT
FUNDADOR DA PSICOLOGIA CIENTÍFICA

 Wundt acreditava que os psicólogos deveriam investigar os “processos


elementares da consciência humana”. Suas combinações, relações e
interações.

 Desenvolveu a introspecção analítica – observar e registrar a natureza das


próprias percepções, pensamentos e sentimentos.

 Seu método foi chamado de Estruturalismo.

 A psicologia de Wundt espalhou-se pela Europa, Estados Unidos e Canadá.

 Seu laboratório inspirou esforços outros ao redor do mundo.


WILLIAM JAMES:
OBSERVADOR DA VIDA MENTAL

 Psicólogo americano, também com formação em


fisiologia.

 Formou um laboratório anterior ao de Wundt, mas


apenas para fins de ensino.

 James opôs-se à psicologia de Wundt: “limitada,


artificial e imprecisa”.

 Buscava uma psicologia mais prática, fora dos


laboratórios.
WILLIAM JAMES:
OBSERVADOR DA VIDA MENTAL

 James interessava-se pelo funcionamento da mente em atividades


cotidianas a partir de observações informais.

 Considerava a mente e a consciência como pessoal, única e em


contínua mudança.

 Seu método foi chamado de Funcionalismo.


EM SÍNTESE...

Estruturalismo Funcionalismo
• 1ª Escola de pensamento da Psicologia. • 1ª Escola americana de Psicologia.
• Buscava a estrutura da mente, os fatores que • Buscava entender como a mente funciona no
compõem a percepção (formas, cores e as cotidiano.
relações entre esses elementos). • A função da mente é dirigir o comportamento
e adaptar o indivíduo ao seu meio físico e
social.
• Foi mais básica (busca do conhecimento) do • Voltava a questões práticas, à aplicação da
que aplicada (prática). Psicologia.
PSICOLOGIA NO SÉCULO XX

 No início do século surgiram movimentos considerados “rivais” em


Psicologia.

 Embora influenciados pelas ideias do Estruturalismo ou


Funcionalismo, tornaram-se correntes independentes,
ultrapassando tais influências.

 Quatro perspectivas principais desenvolveram-se nesse período:


behaviorista, cognitivista, humanista e psicanalítica.
BEHAVIORISMO

 As ideias de Wundt e James dominavam a Psicologia americana no


início do século XX.

 A Psicologia era definida como a “Ciência da consciência”.

• John Watson (fundador do Behaviorismo) opôs-se à


psicologia com fundamentos filosóficos e à introspecção
usada nos métodos do funcionalismo e estruturalismo.

• Acreditava que percepções subjetivas não podem ser


testadas e reproduzidas – como exige a ciência.
BEHAVIORISMO

 Watson quis transformar a psicologia em uma ciência “respeitável”.

 O psicólogo deveria estudar comportamento observáveis por métodos


objetivos.
Ex: Dar uma pontuação (reforço) a um estudante que cumpre uma atividade passada
pelo professor, reforça (torna mais frequente) tal conduta.
 Quase todo comportamento resulta de condicionamento e o ambiente
determina o comportamento a partir do reforço.

 O Behaviorismo dominou a Psicologia entre 1960 e 1990 e exerce forte


influência até hoje.
Premissas do Behaviorismo
 Os psicólogos devem estudar os eventos ambientais (estímulos) e
os comportamentos observáveis (respostas).

 A experiência é a principal influência sobre o comportamento.

“Dê-me meia dúzia de bebês (...) e garanto escolher qualquer um ao acaso e treiná-lo para
tornar-se qualquer especialista que eu escolher – médico, advogado, artista e até mesmo
mendigo e ladrão, independente de seus talentos, inclinações, tendências, habilidades,
vocações e de seus ancestrais”.

Watson (1925)
Premissas do Behaviorismo
 A introspecção deve ser substituída por métodos objetivos
(experimentação / observação).

 Os psicólogos devem ter objetivos científicos: descrever, explicar,


predizer e controlar fenômenos.

O comportamento de animais deve


ser investigado paralelamente ao de
humanos, pois os organismos
simples são mais fáceis de estudar e
entender do que os complexos.
...BEHAVIORISMO HOJE

 Atualmente, a o movimento behaviorista é muito mais flexível do


que na época de Watson.

 Os behavioristas ainda estudam estímulos e respostas


observáveis.

 Também estudam fenômenos que não são diretamente


observáveis (e.g., amor e empatia), porém com perguntas claras,
precisas e métodos objetivos – não há subjetividade!
PERSPECTIVA COGNITIVISTA

 Em contradição ao behaviorismo radical, alguns estudiosos


continuaram a se interessar pelo estudo do pensamento (não
observável diretamente).

 Demorou para que os psicólogos percebessem que poderiam


estudar temas como resolução de problemas, formação de
imagens de forma científica e ordenada.

 Influência da linguística:

 Um adulto de língua inglesa pode entender em torno de 10 20 sentenças em


inglês. Não há como aprender cada sentença e suas combinações, algo mais
geral deve ocorrer.
PERSPECTIVA COGNITIVISTA

 Anos de 1970 – muitos psicólogos rejeitaram o modelo estímulo-


resposta; o objetivo deveria ser entender o que ocorria dentro da “caixa-
preta”, as operações da mente.

 Os psicólogos cognitivistas não rejeitaram completamente as ideias


behavioristas – deveriam ser feitas perguntas precisas e pesquisas
objetivas.

 Mas também davam espaço à introspecção – do pesquisador e


comentários dos participantes sobre o que ocorria em suas mentes.
GESTALT

 Um dos principais movimentos que influenciou o cognitivismo.


 Gestalt = “forma” ou “configuração”.
 Seu maior interesse era a percepção.

• A percepção depende de padrões


formados por estímulos e características
(cor, forma, fundo).

• O todo é diferente da soma das partes,


pois depende da relação entre elas.
PREMISSAS DO COGNITIVISMO

 Os psicólogos devem se centrar em processos, estruturas e


funções mentais.
 É a mente que dá ao comportamento seu caráter humano.

 A introspecção e auto-avaliação são úteis, mas há uma tendência


para métodos objetivos.
...COGNITIVISMO HOJE

 Certamente é a abordagem predominante na Psicologia.

 Seus temas ocupam lugar de destaque em diversas áreas.


 Desenvolvimento do raciocínio
 Memória
 Percepção de faces
 Representações sociais
 Atitudes
ILUSTRAÇÕES COGNITIVISTAS
TESTE COGNITIVISTA

Diga as CORES não as palavras que aparecem a seguir:

PRETO
VERDE
VERMELHO
ROXO
AZUL
AMARELO
LARANJA
AMARELO
O que acontece?
O lado direito do cérebro insiste em dizer a cor, e o esquerdo em ler a palavra.
Processamento de informação.
PSICANÁLISE

“Freud explica”
Psicanálise
 O nome e as ideias de Freud são tão populares que se confundem com
a própria psicologia.

 Contudo, a psicanálise é apenas uma de muitas teorias psicológicas.

 A psicanálise é um conjunto de conhecimentos a partir das ideias


elaboradas por Freud sobre personalidade, anormalidade e tratamento.

 Aplicação clínica.
Psicanálise
 Freud, médico austríaco especializado em problemas do sistema
nervoso, interessava-se pelas desordens neuróticas (ansiedade
excessiva, depressão, fadiga, insônia, paralisia).

 Ao tratar desses problemas, concluiu que as práticas médicas


tradicionais, focadas nos sintomas físicos, eram inúteis.

 Percebeu que a hipnose, utilizada por seus colegas e por ele mesmo,
era insatisfatória.
 Era usada para os pacientes colocarem seus problemas “para fora”.
 Nem todos alcançavam o transe.
 Resultava em curas apenas temporárias.
Psicanálise
 Freud desenvolveu a técnica de associação livre
para tratar das neuroses.
 Os pacientes, relaxados no divã, eram solicitados a
dizer qualquer coisa que viesse à mente, até mesmo
relatar seus sonhos.

 Freud examinava todo o material em busca de


desejos, medos, conflitos, impulsos e memórias
que estavam além da consciência do paciente.
 Acreditava que trazer o inconsciente ao consciente era
o segredo para o sucesso do tratamento.
 Ao conhecer o antes oculto, as dificuldades dos
pacientes diminuíam.
Psicanálise
 Freud não tentou influenciar a psicologia acadêmica.

 “Mas psicanálise não é ciência, não vale nada!”

 Sua meta era, antes de tudo, ajudar as pessoas que sofriam.

 A teoria psicanalítica revolucionou a concepção e o tratamento de


problemas emocionais.

 Freud também deu contribuições para as áreas da personalidade,


desenvolvimento humano e avaliação psicológica.
PREMISSAS DA PSICANÁLISE

 Os psicólogos devem estudar a personalidade normal e anormal, suas


leis e determinantes, e tratar distúrbios mentais.

 O inconsciente é um elemento fundamental para entender a


personalidade.

 Trazer o inconsciente para o consciente é essencial para tratar


distúrbios neuróticos em terapia.

 A personalidade é melhor estudada a partir de um relacionamento


longo e intimo entre paciente e terapeuta.
HUMANISMO

 O humanismo surge como uma corrente psicológica que endossa a


filosofia da fenomenologia.

 Segundo esta, cada pessoa vê o mundo em uma perspectiva particular e


única.

 Assim, a interpretação subjetiva é central em toda atividade


humana e não pode ser ignorada.

 Tem aplicação clínica – Abordagem Centrada na Pessoa (ACP).


PREMISSAS DO HUMANISMO

 Assumem que as pessoas são essencialmente boas.

 O psicólogo deve buscar conhecimento, mas deve também oferecer


seus serviços, sua prática, a fim de ajudar as pessoas a se
desenvolverem e conhecerem a si próprias.

 As pessoas devem ser estudadas como um todo, não como


compartimentos (e.g., percepção, aprendizagem, motivação).
PREMISSAS DO HUMANISMO

 Enquanto os behavioristas, cognitivistas e psicanalistas buscam


descobrir leis gerais q se aplicam a todos, os humanistas enfatizam o
individual, o excepcional, o imprevisível.

 Métodos de pesquisa são secundários aos problemas estudados.

 Os humanistas usam a maior variedade de técnicas para estudar


fenômenos, inclusive a intuição.
ABRAHAM MASLOW

O porta-voz líder da psicologia


humanista.

 Chamava o humanismo como “a terceira


força” (psicanálise e behaviorismo).

 Teoria das Necessidades Humanas.


RESUMO DA ÓPERA!

Behaviorismo Cognitivismo Psicanálise Humanismo


Objeto Comportamento Funcionamento Personalidade, A pessoa como
da mente aspectos um todo,
inconscientes experiências
subjetivas
Objetivos Conhecimento, Conhecimento, Conhecimento e Conhecimento,
principais aplicação aplicação ajuda ajuda e
crescimento
Métodos de Objetivos Objetivos e Introspecção Diversos,
pesquisa introspectivos informal, científicos e não
associação livre científicos;
Intuição do
observador
População Todos os animais Principalmente Pessoas (adultos Pessoas
estudada pessoas em terapia)
POSTURA ECLÉTICA

 Os psicólogos atuais, em sua maioria, adotam uma abordagem eclética,


adotando ideias de diferentes abordagens.

 Podem não concordar com o método humanista (intuição) ou


psicanalítico (inconsciente, associação livre) mas concordam com
algumas de suas ideias (o ser humano é essencialmente bom / As
experiências da primeira infância modelam a personalidade).
PERSPECTIVAS PSICOLÓGICAS CONTEMPORÂNEAS

 Vimos os principais movimentos históricos da Psicologia.


 Estes influenciaram as perspectivas atuais que os psicólogos adotam.
 Uma perspectiva é um maneira de enxergar e estudar um fenômeno
dentro da psicologia.

 As principais perspectivas são:


 Biológica
 Comportamental
 Cognitiva
 Psicanalítica
 Subjetivista
PERSPECTIVAS PSICOLÓGICAS CONTEMPORÂNEAS

 Perspectiva biológica: Busca relacionar o comportamento humano e


animal manifesto a eventos elétricos e químicos que ocorrem no corpo.
Procura os processos neurobiológicos subjacentes ao comportamento e
aos processos mentais.

 Perspectiva comportamental: Considera que todo comportamento é


resultado de condicionamento e reforço. Foca em estímulos e respostas.

 Perspectiva cognitiva: Foca no funcionamento da mente, nos processos


mentais. O cognitivismo atualmente adota métodos mais objetivos, não
admite introspecção no estudo de percepção, memória, raciocínio, solução
de problemas, etc.
PERSPECTIVAS PSICOLÓGICAS CONTEMPORÂNEAS

 Perspectiva psicanalítica: Enfatiza os processos inconscientes que


determinam o comportamento humano; crenças, medos, desejos que as
pessoas não estão conscientes, mas que influenciam seu
comportamento. Personalidade normal e anormal, distúrbios mentais.

 Perspectiva subjetivista: O comportamento é função do mundo


percebido de maneira única por cada indivíduo, não do mundo objetivo.
As pessoas usam suas realidades subjetivas como representações fieis
do mundo objetivo (realismo ingênuo).
EXEMPLO

Vegeta insultou Goku e acabou levando um soco...


Da perspectiva biológica, o soco aconteceu porque uma área do
cérebro de Goku ativaram os músculos que movem seu braço.

Da perspectiva comportamental, o insulto de Vegeta foi um estímulo


para que Goku respondesse com um soco. Este comportamento
agressivo foi aprendido e reforçado no passado.

Da perspectiva cognitiva, a causa do soco de Goku tem base em


processo mentais, o objetivo era defender sua honra e o soco faz
parte do plano para alcança-lo.

Da perspectiva psicanalítica, o soco é Da perspectiva subjetivista, Goku deu o soco


explicado por um instinto agressivo porque interpretou as palavras de Vegeta
inconsciente. como um insulto pessoal.
ATIVIDADE

 Realizar um mapa mental sobre o conteúdo da aula.


REFERÊNCIAS UTILIZADAS

Davidoff, L. (2001). Introdução à Psicologia. São Paulo: Pearson.

Nolen-Hoeksema, S., Fredrickson, B. L., Loftus, G., & Wagenaar, W. A.


(2012). Introdução à Psicologia. São Paulo: Cengage Learning.