Você está na página 1de 8

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL

AGRONOMIA

VINÍCIUS BRUM

METODOLOGIA CIENTIFICA

SÃO LUIZ GONZAGA - RS


2018
UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL
UNIDADE DE SÃO LUIZ GONZAGA – AGRONOMIA

PROJETO DE PESQUISA CIENTÍFICA

Relação do azevém (Lolium multiflorum L.) na germinação e no


desenvolvimento das plantas de soja (Glycine max L.) e milho (Zea mays
L.).

Resumo da proposta
Com o cultivo de espécies forrageiras no inverno, pode proporcionar uma
alta produção de palhada, que servira para manter o solo coberto durante o
verão, assim também protegendo o solo de uma possível erosão. As coberturas
de inverno, vem cada vez mais se mostrando ter um potencial para controlar
plantas invasoras, que atualmente são controladas com o uso indiscriminado de
herbicidas, que ocasionam em sérios prejuízos ao ambiente. A redução desses
produtos possibilita em uma redução de gastos na produção, onde essas
invasoras podem ser manejadas com o uso de medidas culturais, utilizando a
cobertura de solo no sistema de plantio direto, que apresenta ótimos resultados
para superar as plantas daninhas. Devido as plantas apresentarem potencial
alelopatico, o objetivo deste trabalho será avaliar o potencial do azevém como
cobertura de inverno, e se apresenta redução na germinação e desenvolvimento
da soja e do milho. Será utilizado o delineamento experimental inteiramente
casualizado, sendo feita três repetições. O experimento será instalado em
esquema fatorial 2x2, as parcelas experimentais terão proporções de 2x3 m.
Serão utilizados quatro tratamentos, utilizado sementes de azevém, soja e milho.
O delineamento experimental que será utilizado será o inteiramente casualizado,
utilizando de três repetições.
1 Referencial teórico

Importância
A agricultura no Estado do Rio Grande do Sul é caracterizada pela
predominância de culturas de primavera-verão, as quais respondem por mais de
90% da produção total de grãos do Estado. Soja e milho são as culturas de maior
expressão; juntas, representam 70% da área cultivada e mais de 60% da
produção total de grãos do Rio Grande do Sul (FONTANA & BERLATO, 1998).
A cultura da soja (Glycine max L.) por vários anos seguidos vem sendo o
grão mais produzido no país, com produção de 119,2 milhões de toneladas,
representando aproximadamente metade de todos os grãos produzidos no Brasil
em safra 17/18. O milho (Zea mays L.), por sua vez, tem importante papel entre
as culturas de interesse econômico no Brasil, seu cultivo em sucessão possibilita
a realização de uma segunda safra, 17/18 teve produção de 80.7 milhões de
toneladas (CONAB, 2018). O azevém anual (Lolium multiflorum Lam.) é uma
gramínea muito utilizada em ILP no Sul do Brasil, principalmente em razão da
possibilidade de ressemeadura natural, de sua capacidade de crescer nas
entrelinhas de soja ou milho, do alto valor nutricional e do alto potencial de
produção de forragem (Neto et al., 2013).
Uma das principais características do sistema plantio direto é a redução
significativa do revolvimento do solo e a formação de cobertura morta, a qual
pode ser constituída por restos vegetais das culturas, por forrageiras destinadas
ao pastoreio ou por culturas manejadas para essa finalidade, denominadas
adubos verdes (Araújo & Rodrigues, 2000). A cobertura morta sobre o solo
dificulta a emergência de várias espécies daninhas, em razão do efeito físico de
sombreamento e da consequente redução da amplitude térmica do solo
(Severino & Christoffoleti, 2001).
Com uma forte investida de tecnologia na agricultura, o Brasil se tornou
referência quando o assunto é produção de alimentos, exportando diversos
produtos, segundo maior produtor e líder em exportação de soja. O Brasil possui
um solo que além de variados são muitos férteis, onde tem um clima favorável e
com chuvas abundantes, assim é possível manejar duas safras por ano em
diversas regiões. Com a grande crescente de commodities tanto de soja quanto
de milho, a área agrícola do pais vem crescendo a cada ano, com expectativas
de crescentes na produção de grão nas próximas safras. O Brasil é um dos
principais fornecedores de carne bovinas do mercado internacional, possui o
maior rebanho de gado do mundo, sendo o líder em exportação de carne de boi
e de frango.

1.2 A cultura da soja


A soja teve seu início no Brasil, no estado de São Paulo, mais
precisamente na Estação Agropecuária de Campinas, no ano de 1901. O grão
se intensificou no ano 1908, mas só foi introduzida no Estado do Rio Grande do
Sul em 1914. Com a necessidade e o aumento da demanda das industrias de
óleo e do mercado internacional, a soja teve sua grande expansão no território
do Brasil nos anos 70 (A SOJA., 2007).
No senário mundial, a soja vem cada vez mais ganhando espaço devido seu
potencial para a fabricação de óleo e o aumento na demanda por alimentos, cada
vez mais aumenta a produção e a área cultivada com essa cultura. A cultura da
soja, no mercado mundial tem um importante potencial na fabricação de ração
animal, quanto também para alimentação do homem, um importante insumo
para a fabricação de óleo vegetal, e uma importante fonte de proteínas.

1.3 A cultura do milho


O milho (Zea mays L.) é o grão de maior relevância nacional dada a sua
importância econômica e social. Essencial para diversas cadeias produtivas
alimentares (humana e animal), com intenso efeito multiplicador na geração de
renda, congrega uma gama de produtores com níveis tecnológicos
completamente diversos. O milho, por suas características fisiológicas e pelo
manejo que vem sendo adotado em grande parte das propriedades, pode ser
muito beneficiado por um sistema adequado de rotação e sucessão de culturas
(Silva et al.,2007).
No Brasil, juntamente com a soja, a produção de milho corresponde a 80%
da produção de grão no pais. Devido a liquidez imediata que a soja possui a sua
produção na grande maioria vai parar no mercado internacional, enquanto que o
milho tem sua demanda voltada para o abastecimento interno. A produção
brasileira de milho em grãos tem dois destinos. Primeiro, o consumo no
estabelecimento rural, refere-se àquela parcela do milho que é produzida e
consumida no próprio estabelecimento, destinando-se ao consumo animal em
sua maior parte e também ao consumo humano; segundo, à oferta do produto
no mercado consumidor, onde se tem fluxos de comercialização direcionados
para fábricas de rações, indústrias químicas, mercado de consumo in natura e
exportações, quando é o caso (EMBRAPA, 2015).

1.4 A culura do azevém


O azevém (Lolium multiflorum Lam.) é amplamente utilizado como cultura
de cobertura de solo em áreas sob semeadura direta, para a formação de
pastagens, tornando a atividade pecuária uma alternativa economicamente
viável. A pecuária proporciona aumento na diversidade de atividades, permitindo
maior giro de capital e gerando maior renda por unidade de área, além de
possibilitar menor risco econômico às propriedades rurais (Terra Lopes et
al.,2009). O azevém anual (Lolium multiflorum Lam.) é uma gramínea muito
utilizada em ILP no Sul do Brasil, principalmente em razão da possibilidade de
ressemeadura natural, de sua capacidade de crescer nas entrelinhas de soja ou
milho, do alto valor nutricional e do alto potencial de produção de forragem (A.
Barth Neto et al., 2013).

2 Objetivos
Objetivos gerais
O objetivo deste trabalho será realizar uma avaliação de um possível
potencial de interferência do azevém na germinação e desenvolvimento das
plantas de soja e milho, quando semeadas em sucessão, assim podendo
concluir se o azevém tem potencial para cobertura em uma integração lavoura
pecuária, em um sistema de plantio direto.
3 Metodologia
O experimento será realizado na área experimenta da Universidade
Estadual do Rio Grande do Sul - UERGS, Campus de São Luiz Gonzaga, área
junto a Escola Técnica Estadual Cruzeiro Do Sul.
Para o experimento será utilizado quatro tratamentos, onde serão
utilizadas sementes de azevém (Lolium multiflorum Lam.), soja (Glycine max L.)
e milho (Zea mays L.). Utilizando O delineamento experimental inteiramente
casualizado, sendo usado três repetições, assim podendo avaliar a interferência
da cobertura de inverno (Lolium multiflorum Lam.) quando utilizado em sistema
de plantio direto com as culturas de soja e milho. A semeadura do azevém será
a lanço manual, onde o controle do volume do azevém será feito com uma
roçadeira, cortando a forrageira rente ao solo, assim evitando o rebrote da
mesma, após os resíduos serão incorporados ao solo com auxílio de uma
enxada. O experimento será instalado em esquema fatorial 2x2. As parcelas
experimentais terão proporções de 2x3 m, onde será área útil apenas as linhas
centrais. Nas testemunhas não se empregara nenhum tipo de cobertura do solo,
apenas será semeado a cultivar sem nenhum tipo de calagem. Após azevém
cortado e seco em condições de campo, será realizado o plantio da soja e do
milho, com espaçamento entre linhas de 0,45 m. Será realizada a avaliações
diárias para analisar a germinação e o desenvolvimento das plantas.

As características a serem avaliadas são:


a) Potencial alelopático do azevém nas culturas de soja e milho;
b) Porcentagem de sementes germinadas em comparativo as sementes
testemunhas;
c) Comparativo do desenvolvimento entre os 4 tratamentos;
d) Produtividade de grãos de soja e milho, estimada pela colheita dos grãos
contidos na área útil das parcelas.
4 Resultados esperados
Esperasse que o azevém não apresente efeito alelopático sobre a
germinação e desenvolvimento das sementes de soja e milho, assim podendo
ser indicado como cultura antecessora de soja e milho.

5 Referências bibliográficas

A SOJA. História, tendências e virtudes. Revista Funcionais e Nutracêuticos, n. 0, p. 28-40,


2007. Disponível: https://www.agrolink.com.br/downloads/soja%20-
%20hist%C3%B3ria%2C%20tend%C3%AAncias%20e%20virtudes.pdf Acesso em: nov. 2018.

ARAÚJO, A. G.; RODRIGUES, Benedito N. Manejo mecânico e químico da aveia-preta e sua


influência sobre a taxa de decomposição e o controle de plantas daninhas em semeadura direta
de milho. Planta Daninha, v. 18, n. 1, p. 151-160, 2000.

BONATO, Emidio Rizzo; BONATO, Ana Lidia Variani. A soja no Brasil: história e
estatística. Embrapa Soja-Documentos (INFOTECA-E), 1987.

CONAB – COMPANHIA NACIONAL DE ABASTECIMENTO. Acompanhamento da Safra


Brasileira de Grãos. CONAB. Brasilia, v.6, n.2, p. 1-142. 2018.

EMBRAPA. Cultivo do Milho. Sistemas de Produção Embrapa. Disponivel em: <


https://www.spo.cnptia.embrapa.br/conteudo?p_p_id=conteudoportlet_WAR_sistemasdeproduc
aolf6_1ga1ceportlet&p_p_lifecycle=0&p_p_state=normal&p_p_mode=view&p_p_col_id=column
-1&p_p_col_count=1&p_r_p_-76293187_sistemaProducaoId=7905&p_r_p_-
996514994_topicoId=8668>. Acesso em: 11 Novembro 2018.

FONTANA, DENISE CYBIS; BERLATO, MOACIR ANTONIO. Modelo agrometeorológico-


espectral para a estimativa do rendimento de soja no Rio Grande do Sul: um estudo preliminar. IX
Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto, Santos. Anais, INPE. CD ROM, 1998.

LOPES, Marília Lazzarotto Terra et al. Sistema de integração lavoura-pecuária: efeito do manejo
da altura em pastagem de aveia preta e azevém anual sobre o rendimento da cultura da
soja. Ciência Rural, v. 39, n. 5, p. 1499-1506, 2009.

NETO, Armindo Barth et al. Perfilhamento em pastagens de azevém em sucessão a soja ou


milho, sob diferentes métodos e intensidades de pastejo. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v.
48, n. 3, p. 329-338, 2013.

SEVERINO, F. J.; CHISTOFFOLETI, P. J. Efeitos de quantidades de fitomassa de adubos verdes


na supressão de plantas daninhas Effects of cover crop biomass quantities on weed
suppression. Planta Daninha, v. 19, n. 2, p. 223-228, 2001.

SILVA, Adriano Alves da et al. Sistemas de coberturas de solo no inverno e seus efeitos sobre o
rendimento de grãos do milho em sucessão. Ciência rural, Santa Maria. Vol. 37, n. 4 (jul./ago.
2007), p. 928-935, 2007.
Recursos financeiros para custeio

1 Aquisição de materiais
MATERIAIS TOTAL
Roçadeira à Gasolina 1.000,00
Enxada 100,00

Gasolina 60L 300,00

Fita Para Demarcação 50,00

Tesoura de poda 150,00

SUB TOTAL 1.600,00

2 Publicação de artigos científicos


A ADQUIRIR (Discriminar) TOTAL

Artigo nacional 500,00


Artigo Internacional 700,00
Tradução 2.400,00
SUB TOTAL 3.600,00

TOTAL (1) + (2) 5.200,00