Você está na página 1de 3

FILIPENSES 2.

5-11, 13-16
05
De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, 06que, sendo em forma de Deus, não
teve por usurpação ser igual a Deus, 07mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos
homens; 08e, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz.
09
Por isso, também Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu um nome que é sobre todo o nome; 10para que ao nome de Jesus
se dobre todo o joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra, 11e toda a língua confesse que Jesus Cristo é o
Senhor, para glória de Deus Pai...
13
Porque Deus é o que opera em vós tanto o querer como o efetuar, segundo a sua boa vontade.
14
Fazei todas as coisas sem murmurações nem contendas; 15para que sejais irrepreensíveis e sinceros, filhos de Deus
inculpáveis, no meio de uma geração corrompida e perversa, entre a qual resplandeceis como astros no mundo; 16retendo a
palavra da vida, para que no dia de Cristo possa gloriar-me de não ter corrido nem trabalhado em vão.

5 Jesus Cristo era HUMILDE, DISPOSTO A NEGAR SEUS DIREITOS, a fim de obedecer a Deus e servir ao próximo.
Como Cristo, devemos ter uma atitude de servo e servir por amor a Deus e aos outros, não por temor ou
sentimento de culpa. Você pode escolher sua atitude: 1. Pode aproximar-se de Deus e das pessoas esperando
ser servido, receber uma benção; ou 2. pode procurar a oportunidade de servir e ser benção para os outros.
Mc 10:45 nos ajuda à aprofundar mais na atitude de servo.
Mc 10:45Porque o Filho do homem também não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate de
muitos.
No contexto desse texto de Marcos, Tiago e João queriam posições elevadas no Reino do Jesus. Mas Jesus
lhes disse que a verdadeira grandeza está em servir ao próximo.
Pedro, um dos discípulos que ouviu a mensagem, desenvolveu este pensamento em 1Pe_5:1-4 1Aos presbíteros,
que estão entre vós, admoesto eu, que sou também presbítero com eles, e testemunha das aflições de Cristo, e participante
da glória que se há de revelar: 2apascentai o rebanho de Deus, que está entre vós, tendo cuidado dele, não por força, mas
voluntariamente; nem por torpe ganância, mas de ânimo pronto; 3nem como tendo domínio sobre a herança de Deus, mas
servindo de exemplo ao rebanho. 4E, quando aparecer o Sumo Pastor, alcançareis a incorruptível coroa da glória.
Muitas organizações, instituições e até mesmo algumas igrejas em nosso mundo medem a sua grandeza
apenas pelo número de pessoas ou pelos altos lucros. No Reino de Cristo a grandeza é demonstrada pelo serviço
ao próximo. O desejo de estar no topo pode ser um impedimento e não uma ajuda.
EM VEZ DE PROCURAR A SATISFAÇÃO DE SUAS NECESSIDADES, PROCURE MANEIRAS DE MINISTRAR AS
NECESSIDADES DE OUTROS.
45 Este versículo não só revela o motivo do ministério de Jesus (servir), mas também o fundamento de nossa
salvação(dar a sua vida em resgate).
Resgate era o preço a pagar pela liberdade de um escravo. Jesus pagou o resgate por nós, já que não podíamos
pagá-lo. Sua morte nos libertou da escravidão do pecado. Os discípulos acreditavam que a vida e o poder de Jesus
os salvaria de Roma; Jesus disse que sua morte os salvaria do pecado, uma escravidão maior que a de Roma. Em
1Pe 1:18-19 se fala mais sobre o resgate que Jesus pagou por nós. 18Sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como
prata ou ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver que por tradição recebestes dos vossos pais, 19mas com o
precioso sangue de Cristo, como de um cordeiro imaculado e incontaminado...
1Pe 1.18,19 Um escravo era "redimido" quando alguém pagava o preço da sua liberdade. Deus pagou, através
do sacrifício de Cristo por nosso resgate, afim de nos libertar da tirania do pecado. Esse pagamento não foi feito
com dinheiro, mas com o sangue precioso de seu Filho Jesus Cristo (Rm6:6-7; 1Co6:20; Cl2:13-14; Hb9:12). Não
podemos escapar do pecado por nossos próprios meios; somente a vida do Filho de Deus pode nos libertar.

5-11 Estes versículos muito provavelmente era um hino que se cantava na igreja primitiva. A passagem apresenta
vários paralelos com a profecia do servo sofredor de Isaías 53. Como hino, não significa uma declaração completa
da natureza e obra de Cristo. Encontramos algumas características sobre quem é Jesus Cristo nesta passagem:
1) sempre existiu com Deus;

2) é igual a Deus porque Ele é o próprio Deus (Jo 1; Cl 1:15-19);


3) embora sendo Deus, se rebaixou tornando homem para cumprir o plano divino de salvação da humanidade;

4) Ele não tinha somente a aparência de homem, na realidade se tornou homem para identificar-se com nossos
pecados;
5) voluntariamente se despojou de seus direitos, privilégios e posição divina, em obediência ao Pai;

6) morreu na cruz por nossos pecados, para que não tivéssemos que enfrentar a morte eterna;

7) Deus o glorificou por sua obediência;

8) Deus o elevou à sua posição original ao lado direito do Pai, de onde reinará para sempre como nosso Senhor e
Juiz.
DIANTE DESSA VERDADE O QUE PODEMOS FAZER A NÃO SER LHE ADORAR E CONSAGRAR NOSSAS VIDAS A SEU
SERVIÇO?
5-11 Com frequência usamos como desculpa para o nosso egoísmo, orgulho ou maldade, os nossos "direitos".

Dizemos: "Posso colar neste exame, pois depois de todo o meu esforço mereço ter boas notas" ou "Posso gastar todo meu
dinheiro o que eu bem quiser, pois para isso é que trabalho", ou "Posso abortar, tenho direito a controlar meu próprio
corpo".

Todavia como filhos de Deus devemos ter uma atitude diferente, que nos permita pôr de lado nossos direitos
pelo bem dos outros, a fim de servir ao próximo em amor.
SE DISSERMOS QUE SEGUIMOS A CRISTO, TAMBÉM DEVEMOS VIVER COMO ELE VIVEU. Devemos desenvolver a mesma atitude
de humilde, mesmo que não recebamos (aqui na terra) reconhecimento por nosso esforço.
Você está preso a seus direitos de forma egoísta ou está disposto a abrir mão de seus direitos a fim de servir?
8 A morte na cruz (crucificação) era a forma de castigo capital que os romanos usavam contra os criminosos
notórios. Era extremamente dolorosa, humilhante. Os prisioneiros eram cravados ou atados à cruz e
abandonados até morrer. A morte podia prolongar-se por vários dias e de forma geral vinha por sufocação,
quando o peso do corpo debilitado tornava cada vez mais e mais dificultosa a respiração. Jesus morreu como um
maldito (Gl 3:13).
Que admirável é pensar que o homem perfeito deveu morrer na forma mais vergonhosa, para que não
tivéssemos que enfrentar o castigo eterno!
13 O que devemos fazer quando não sentimos vontade de obedecer?

Deus não nos deixou sozinhos em nossos conflitos entre fazer ou não a Sua vontade. Ele deseja estar ao nosso
lado e caminhar conosco para nos ajudar. Ele nos ajuda a querer lhe obedecer e nos dá o poder para fazê-lo. O
segredo para transformação de nossas vidas é nos submetermos ao Seu controle e permitir que Ele atue em nós.
Ore pedindo a Deus que lhe ajude a fazer sua vontade.
13 Para ser como Cristo, devemos nos condicionar a pensar como Ele. Para mudar os nossos desejos, a fim de
que sejamos como Cristo, necessitamos do poder da presença do Espírito (1.19), a influência de cristãos fiéis, a
obediência à Palavra de Deus (não só estar exposta a ela) e o serviço sacrificial. Com frequência, é no fazer a
vontade de Deus que recebemos o desejo fazê-la (veja 4.8, 9). Faça o que Ele deseja e confie que Ele mudará seus
desejos.
14-16 Nossas vidas devem se caracterizar por pureza, paciência e pacificação semelhante a Cristo, de maneira
que resplandeçamos como "estrelas" em um mundo de trevas e depravação. Uma vida transformada é um
testemunho efetivo do poder da Palavra de Deus. A luz de Cristo em você está brilhando ou está opacada pela
discussão e o lamento?

Você também pode gostar