Você está na página 1de 6

Apostila de Teclado e Piano

1) As Notas
Existem, em princípio, sete notas musicais. São elas:

Dó – Ré – Mi – Fá – Sol – Lá – Si

Cada uma delas possui um som diferente da outra. Partindo da nota Dó, veremos
que ela é mais grave que as outras notas acima dela. A nota Si será mais aguda que as
outras notas abaixo dela.

2) O Teclado
O teclado do piano é formado por grupos sucessivos de notas, comumente
chamado de oitavas. A oitava é a distância de uma nota até a sua próxima repetição.

Dó – Ré – Mi – Fá – Sol – Lá – Si – Dó – Ré – Mi ...

Oitava

Em cada oitava, no teclado, existe um grupo de 2 e um grupo de 3 notas pretas.


A nota Dó é a tecla branca localizada imediatamente antes das 2 teclas pretas. A nota Fá
é a tecla branca localizada imediatamente antes do grupo de 3 teclas pretas. Encontra-se
o nome das outras teclas, partindo-se da nota Dó e refazendo a sequência acima. Pode-
se visualizar abaixo, a representação de parte de um teclado:

Os teclados eletrônicos possuem, em geral, 5 oitavas, ao passo que o piano


possui 7 oitavas. Para melhor compreensão deste método, numeramos os grupos (ou
oitavas) da esquerda para a direita: 1, 2, 3, 4, 5, 6 e 7. Cada grupo é composto de 12
teclas, sendo sete brancas e cinco pretas. Os grupos começam na nota Dó, indo até a
nota Si.
No piano, o primeiro grupo é o que se inicia no Dó mais grave, isto é, o primeiro
Dó à esquerda de quem se senta em frente ao piano, indo até à primeira nota si à direita.
O segundo grupo começará no Dó seguinte e assim por diante. No teclado de 5 oitavas,
o grupo mais à esquerda se identifica com o segundo grupo do piano.

5
Os números escritos à direita e um pouco acima das notas indicam o grupo em
que essa nota deverá ser tocada.

Exemplo: Do2, significa que esse Dó deverá ser tocado no segundo grupo.

O número que identifica o grupo não será repetido enquanto a sequência de


notas permanecer no mesmo grupo. Somente será colocado novo número na nota
quando ela for tocada em grupo diferente da nota anterior.
A escala musical sobe do mais grave para o mais agudo (da esquerda para a
direita) e desce do mais agudo para o mais grave (da direita para a esquerda).

3)Tom, Semitom e Acidentes


Um semitom, ou meio tom, é a menor distância entre duas notas, portanto, o
menor intervalo possível.
Um Tom é o intervalo de dois tons.
As teclas pretas do teclado representam uma alteração nos sons das teclas
brancas, aumentando ou diminuindo a sua tonalidade.
O sustenido aumenta a nota de um semitom, isto é, aumenta meio tom da
esquerda para a direita. Neste método usaremos o sinal “+” ao invés do sinal “#”,
tradicionalmente usado para representar o sustenido.

Exemplo: Dó+ = Dó sutenido.

O bemol diminui a nota em um semitom. Neste método não usaremos o bemol.


A visualização das teclas do piano facilita muito o entendimento e a fixação dos
acidentes bem como a contagem dos intervalos, como pode ser visto abaixo:

½ tom Dó+ Ré+ Fá+ Sol+ Lá+

4) Melodia, Harmonia e Ritmo


Numa divisão bem simples, a música pode ser dividida em três partes: Melodia,
Harmonia e Ritmo.
A Melodia é a parte principal da música. É aquela que nos fica no ouvido
podendo ser cantarolada. É uma sequência de sons sucessivos.
A Harmonia é o acompanhamento da melodia através de acodes. No piano, pode
ser composta pelos baixos e acordes da mão esquerda e pelos acordes da mão direita.

6
O Ritmo é a variação da duração dos sons com o tempo. É a combinação de sons
dentro de um compasso, que junto com a harmonia, irá dar sustentação à harmonia.
Pode ser entendido também como a marcação própria de cada música.

5) O Instrumento Teclado
O teclado é um dos instrumentos mais utilizados atualmente, por causa da sua
grande flexibilidade e diversas finalidades no mundo da música. Com um simples
teclado pode-se dispensar o acompanhamento básico de outros componentes de um
grupo musical (baterista, guitarrista, contrabaixista, etc.).

6) Acordes
Acorde é um conjunto de notas, tocadas juntas ou arpejadas (tocando uma nota
após a outra) seguindo alguns princípios para a sua formação.

6.1) Acordes Maiores (+4, +3)

São acordes de 3 notas, com contagem “+4, +3”, formados da seguinte maneira:

Exemplo: DoM (Lê-se Dó maior)


Toma-se a nota que dá nome ao acorde (Dó), conta-se 4 semitons à direita a
partir dela e encontra-se o Mi, conta-se 3 semitons à direita a partir do Mi e encontra-se
o Sol. O acorde de DoM será formado então pelas notas Dó – Mi - Sol.

Seguindo-se o mesmo raciocínio, pode-se encontrar todos os outros acordes


maiores. Seguem alguns exemplos:

FaM → Fá – Lá - Dó
SolM → Sol – Si - Ré
Ré+M → Ré+ - Sol - Si

6.2) Acordes Menores (+3, +4)

São acordes de 3 notas, com contagem “+3, +4”, formados da seguinte maneira:

Exemplo: Dom (Lê-se Dó menor)


Toma-se a nota que dá nome ao acorde (Dó), conta-se 3 semitons à direita a
partir dela e encontra-se o Ré+, conta-se 4 semitons à direita a partir do Ré+ e encontra-
se o Sol. O acorde de Dom será formado pelas notas Dó - Ré+ - Sol.

Seguindo-se o mesmo raciocínio, pode-se encontrar todos os outros acordes


menores. Seguem alguns exemplos:

Fam → Fá - Sol+ - Dó
Lam → Lá – Dó - Mi

7
6.3) Acordes de Sétima (+4, +3, +3)

São acordes de 4 notas, com contagem “+4, +3, +3”, formados da seguinte
maneira:

Exemplo: Do7 (Lê-se Dó sete ou Dó com sétima)


Tomamos a nota que dá nome ao acorde (Dó), conta-se 4 semitons à direita a
partir dele e encontra-se o Mi, conta-se 3 semitons à direita a partir do Mi e encontra-se
o Sol, conta-se 3 semitons à direita a partir do Sol e encontra-se o La+. O acorde de
Do7 será formado pelas notas Dó – Mi – Sol – Lá+.

Seguindo-se o mesmo raciocínio, pode-se encontrar todos os outros acordes de


sétima. Seguem alguns exemplos:

Lá7 → Lá – Dó+ - Mi – Sol


Mi7 → Mi – Sol+ - Si – Ré
Sol7 → Sol – Si – Ré – Fá

6.4) Inversão de Acordes

O acorde, quando iniciado pela nota que lhe dá nome, é tocado na sua posição
fundamental.

Exemplo: DoM → Dó – Mi – Sol (posição fundamental)

No entanto, para facilitar a execução de alguma música, ou por questão de estilo,


pode-se inverter a posição das notas do acorde.

Exemplo: DoM → Mi – Sol – Dó (1a inversão)


DoM → Sol – Dó – Mi (2a inversão)

Na música popular, as inversões dos acordes poderão ser utilizadas em quaisquer


acordes, segundo conveniência e estilo do executante.

6.5) Cifras

É um processo utilizado para representar os acordes em que se usa letras do


Alfabeto.

Dó Ré Mi Fá Sol Lá Si

C D E F G A B

Será fornecida, em seguida, uma tabela resumida, com a formação dos principais
acordes utilizados na música popular.

8
6.6) Tabela de Acordes

TIPO CONTAGEM NOME NOTAS LEITURA


Maior +4 +3 DoM Do Mi Sol Dó maior
Menor +3 +4 Dom Dó Ré+ Sol Dó menor
4 (justa) +5 +2 Do4 Dó Fá Sol Dó com quarta
m-5 +3 +3 Dom-5 Dó Ré+ Fá+ Dó menor com 5a diminuta
-5
(M) +4 +2 Do-5 Dó Mi Fá+ Dó com 5a diminuta
+5
+4 +4 Do+5 Dó Mi Sol+ Dó com 5a aumentada
6 +4 +3 +2 Do6 Dó Mi Sol Lá Dó com sexta
7 (m) +4 +3 +3 Do7 Dó Mi Sol Lá+ Dó sete ou Dó com sétima
7M +4 +3 +4 Do7M Dó Mi Sol Si Dó com sétima maior
7O +3 +3 +3 DoO Dó Ré+ Fá+ Lá Dó com sétima diminuta
7Ø +3 +3 +4 DoØ Dó Ré+ Fá+ Lá+ Dó com meia diminuta
ou sétima sensível
9 (M) +4 +3 +3 +4 Do9 Dó Mi Sol Lá+ Ré Dó com nona
-9 +4 +3 +3 +3 Do-9 Dó Mi Sol Lá+ Dó+ Dó com nona menor
+9 +4 +3 +3 +5 Do+9 Dó Mi Sol Lá+ Ré+ Dó com nona aumentada
11 (j) +4 +3 +3 +4 +3 Do11 Dó Mi Sol Lá+ Ré Fá Dó com décima primeira
+11 +4 +3 +3 +4 +4 Do+11 Dó Mi Sol Lá+ Ré Fá+ Dó com décima primeira aumentada
13 (M) +4 +3 +3 +4 +3 +4 Do13 Dó Mi Sol Lá+ Ré Fá Lá Dó com décima terceira

Obs: As abreviaturas entre parênteses não são escritas e nem enunciadas. Aos acordes
maiores, menores, com 4a, +5, (M)-5, podem ser adicionadas, também, 6as, 7as, 9as e 13as.

7) Modo de Escrever as Músicas


As músicas, diferente do método tradicional, não serão escritas na Pauta
Musical. Serão usadas numa mesma folha, várias tabelas com 2 linhas e várias colunas.
Na linha inferior, serão escritas as notas que deverão ser tocadas com a mão esquerda.
Na linha superior serão escritas as notas que deverão ser tocadas com a mão direita.
As notas serão escritas em palavras: Dó – Ré – Mi – Fá – Sol – Lá – Si.
A leitura da música será feita, numa mesma tabela, da esquerda para a direita, e
as tabelas serão lidas de cima para baixo. Havendo notas, nas linhas da mão esquerda e
da mão direita, na mesma coluna, estas notas serão tocadas ao mesmo tempo.
Se numa coluna estiverem escritas várias notas, formando um acorde, estas notas
serão lidas de baixo para cima e serão tocadas ao mesmo tempo. Se houver repetição de
um acorde, este será representado na próxima coluna por um sinal de igual (=).
Como já foi dito anteriormente, os números escritos à direita e um pouco acima
das notas indicam o grupo em que essa nota deverá ser tocada.
O número que identifica o grupo não será repetido enquanto a sequência de
notas permanecer no mesmo grupo. Somente será colocado novo número na nota
quando ela for tocada em grupo diferente da nota anterior.

Exemplo:

md: Re4 Mi Fa Si Do5


me: Sol2 Sol7 = Do2

9
8) Ritmo
O ritmo de uma música é marcado por compassos. Os compassos são uma forma
de se dividir, em grupos de tempos, com base em pulsos e repousos, uma composição
musical. Os tempos são unidades nas quais são divididos os compassos. Os compassos
mais comuns são de 2, 3 e 4 tempos. Após o último tempo de um compasso, inicia-se o
1o tempo novamente.
O ritmo em cada música é o mesmo do princípio ao fim, e os tempos conservam
a mesma duração. Pode-se marcar o ritmo de uma música batendo com o pé no chão.
Cada batida corresponde a um tempo.
Daremos como exemplo a marcação do ritmo da Valsa. A Valsa tem três tempos
para cada compasso. No exemplo a seguir, o primeiro tempo corresponderá ao baixo e o
segundo e o terceiro tempos serão acordes. Os baixos serão tocados no grupo 2 e os
acordes no grupo 3.

Exemplo:

md:
me: Do2 DoM = Sol2 Sol7 = Do2
1 2 3 1 2 3 123

9) As Mãos

Ao tocar as teclas, as mãos devem estar levemente arredondadas como se


estivessem segurando uma bola. Os antebraços devem estar horizontais. As teclas
devem ser pressionadas, e não, batidas. Deve-se aproveitar o peso do braço sobre os
dedos para acionar as teclas. Para tocar notas sucessivas, o aluno deve pressionar a
primeira nota, sustentá-la pressionada e só soltá-la no exato instante em que pressionar a
próxima nota. Os dedos possuem uma numeração que facilita na hora de indicar com
qual dedo deve-se tocar cada nota da música ou exercício. À indicação dos números dos
dedos na partitura chama-se dedilhado.

10