Você está na página 1de 7

TEM00193 – Transmissão de calor

Docente: Fabio Toshio Kanizawa

Lista 02 –Resistência térmica, trocadores de calor, aletas, condução em regime


transiente

• Questões Conceituais:

1. Derive a equação da efetividade para trocador de calor contracorrente.

• Questões Aplicadas:
1. Considere uma tubulação de cobre com raio interno ri e espessura δt na qual escoa
vapor saturado a Tsat. A tubulação conta com isolante térmico com espessura de
δiso. A superfície externa do isolamento é exposta ao ambiente a temperatura T∞
com coeficiente de transferência de calor por convecção médio de h̅ , e a
temperatura externa é Ts. Adicionalmente, considere que a vazão mássica de
condensado para um comprimento L de tubulação é igual a ṁcond.
a. Apresente o circuito térmico equivalente do problema.
b. Derive a relação para a resistência térmica de contato entre o isolante e a
superfície externa do tubo de cobre.
c. Considerando vapor saturado a 200 °C, temperatura ambiente de 20 °C,
coeficiente de transferência de calor de 20 W/m²K, raio interno de ½
polegada, parede de tubulação com espessura de 1/10 de polegada,
isolamento feito de lã de vidro com espessura de 5 mm e temperatura da
superfície exposta igual a 35 °C. Qual a resistência térmica de contato (em
K⋅m²/W) entre o tubo de cobre e o isolamento e a taxa de condensação por
unidade de metro?
2. A parede exterior de uma casa com estrutura em madeira é tipicamente composta
por camadas sucessivas (de fora para dentro) de cobertura de madeira, camada de
fibra de isolante térmico de lã de vidro, e camada de gesso. O isolamento de lã de
vidro tem usualmente 3,5 polegadas de espessura e condutividade térmica de
0,038 W/m⋅K. A camada de gesso é usualmente ½ polegadas de espessura com
condutividade térmica de 0,17 W/m⋅K. E a madeira de cobertura pode ser

1
considerada como sendo de uma polegada de espessura com condutividade
térmica de 0,10 W/m⋅K.
a. Determine a resistência térmica total da parede em (K/W) se a área é de
400 pés².
b. A transferência de calor por convecção e radiação entre os ambientes
externo e interno contribuem como resistências térmicas adicionais.
Assumindo que o coeficiente de transferência de calor efetivo (que inclui
as transferências de calor por convecção e radiação) entre a parede externa
e o ambiente é igual a h̅ e = 20 W/m²K, e da parede interna com o ambiente
interno é h̅ i = 10 W/m²K, determine a resistência térmica total do ambiente
interno para o ambiente externo. Também, determine o coeficiente global
de transferência de calor.
c. Se o interior está a 20 °C e o exterior a -5 °C, determine o fluxo de calor
em W/m².
d. Qual é a resistência térmica dominante?
3. Um fluido com calor especifico de 0,81 kJ/kg⋅K escoando a 2,4 kg/s em um
trocador de calor contracorrente entra a 0 °C e é aquecido até 400 °C por um fluido
quente escoando a 2 kg/s e com calor especifico de 0,96 kJ/kg⋅K, com temperatura
de entrada de 700 °C. Determine qual o incremento de área necessário para
aquecer o fluido frio até 500 °C, se as demais condições são mantidas sem
modificação. Faça pelo método das médias logarítmicas de diferença de
temperatura e da efetividade.
4. (Novo) Um trocador de calor tubo-e-tubo de correntes paralelas tem temperaturas
de entrada de 30 °C e 140 °C, com capacidades caloríficas de 20 W/K e 10 W/K,
respectivamente. A área de transferência de calor é de 20 m² e o coeficiente global
tem o valor de 600 W/m²K.
a. Quais são as temperaturas de saída dos fluidos e a efetividade do trocador?
b. Qual seria a redução de área caso o trocador operasse em contracorrente
para mesma taxa de transferência de calor?
c. Supondo que se deseja dimensionar o trocador (área desconhecida), com
objetivo de fluido quente saindo a 95 °C, qual sua nova efetividade e área
de transferência de calor necessária?
5. Um trocador de calor tubo-e-tubo condensa vapor a 1 atm no lado do casco e
aquece água que escoa no interior do tubo de 10 a 30 °C. O coeficiente global de

2
transferência de calor é 2500 W/m²K. O tubo tem parede fina, diâmetro de 5 cm,
e 2 metros de comprimento.
a. Seu chefe pergunta se o trocador de calor deve operar em condições de
correntes paralelas ou contrárias. Como você o aconselha?
b. Determine a MLDT.
c. Determine a vazão mássica de água.
d. Determine a efetividade.
6. Um trocador de calor correntes cruzadas opera com escoamento misturado em um
dos lados. Em condições novas e limpas, o coeficiente global de transferência de
calor é igual a 2000 W/m²K, e as temperaturas de entrada e saída do fluido frio
são respectivamente 25 e 80 °C. As temperaturas de entrada e saída do fluido
quente são respectivamente 160 e 70 °C. Depois de 6 meses de operação, o gerente
da planta lhe informa que o fluido quente está sendo resfriado somente até 90 °C
e que a taxa de transferência de calor caiu em 30 %. Qual a resistência térmica de
incrustação depois de 6 meses de operação.
7. Você deseja resfriar ar a pressão atmosférica de 150ºC para 60ºC. Para isso, há
um trocador de correntes cruzadas disponível, que previamente era utilizado para
resfriar 136 kg/min de amônia (superaquecida?) de 200ºC para 100ºC, fazendo
uso de 320 kg/min de água a 7ºC. Sabendo que U=480 W/m2K, qual quantidade
de ar é possível resfriar utilizando o mesmo suprimento de água?
8. Vapor em um sistema de aquecimento escoa em um duto com diâmetro externo
igual a 5 cm, cuja temperatura externa é mantida a 180 °C. Aletas circulares de
alumínio 2024-T6 com diâmetro externo de 6 cm e espessura constante de 1 mm
são instaladas na proporção de 250 aletas por metro. Calor é transferido para o
ambiente externo a T∞ = 25 °C, com um coeficiente de transferência de calor de
40 W/m²K. Determine o incremento da taxa de transferência de calor por unidade
de comprimento devido à instalação das aletas em W e em percentual.

3
9. Uma aleta triangular de 0,10 m de comprimento e 0,02 m de base (2⋅δ da Figura
abaixo) é usada em uma parede de aço carbono 1050. Se a parede está a 40ºC e ar
quente flui a uma temperatura de 200ºC, com coeficiente de transferência de calor
médio de h̅ =230 W/m2K, qual é a quantidade de calor removida pela aleta por
metro de largura?

10. Considere um sistema para medição de temperatura de um fluido escoando em


uma tubulação. Devido a incompatibilidade entre o fluido e o material do termopar,
a junta quente é instalada dentro de um duto com a extremidade fechada e a base
soldada na parede da tubulação, conforme esquematizado na figura abaixo.

4
Termopar

Parede da tubulação

D
Escoamento L

Considerando que a parede da tubulação na qual passa o escoamento encontra-se


a Tb, espessura do duto com o termopar igual a δ, condutividade térmica k, e que
cimento térmico foi inserido na ponta para reduzir a resistência térmica de contato,
pede-se:
a. O erro entre a temperatura indicada pela instrumentação e a temperatura
do fluido escoando.
b. Considerando dutos feitos de aço inoxidável AISI 304, diâmetro d de 5
mm, espessura δ de 0,2 mm, coeficiente de transferência de calor médio
de 100 W/m²K, comprimento L de 30 mm, estime o erro na estimativa de
temperatura.
c. Qual deve ser o comprimento para que o erro seja desprezível.
11. Considere uma junta esférica de termopar com diâmetro d de 1,2 mm, densidade
de 8500 kg/m³, condutividade térmica de 35 W/m⋅K, e calor específico de 320
J/kg⋅K, e coeficiente de transferência de calor igual a 90 W/m²K. O termopar está
inicialmente a temperatura Ti e é repentinamente imerso no fluido a temperatura
T∞. Determine o tempo necessário para que a diferença de temperatura do
termopar (T – T∞) seja igual a 1% da diferença inicial de temperatura (Ti – T∞).
12. Considere que você deseja temperar uma longa barra metálica com diâmetro d,
comprimento L, densidade ρ, condutividade térmica k, calor específico cp.
Aquece-se a barra até temperatura Ti e posteriormente a barra é imersa em líquido
a T∞. Caso a taxa de resfriamento inicial seja tal que ∂T/∂t|t=0 é uma restrição do
processo para obtenção da estrutura desejada, determine qual deve ser o

5
coeficiente de transferência de calor. Discuta quais critérios precisam ser
satisfeitos para adotar a sua abordagem de solução do problema.
13. (Novo) Um experimento de resistência de contato envolve pressionar duas placas
de diferentes materiais com espessura L uma contra a outra, fornecendo um fluxo
de calor conhecido através das placas, e medir as temperaturas em pontos
específicos de cada placa. Os materiais possuem condutividades térmicas k1 e k2,
e as respectivas temperaturas de superfície são T1 e T2. Escreva uma expressão
para o coeficiente de transferência de calor no contato hc em termos dos
parâmetros conhecidos, sendo que a expressão para a resistência de contato é 𝑅 =
1
𝐴 ⋅ ℎ' . Então calcule hc se as placas são de cobre e alumínio, com 20 mm de
espessura cada. O fluxo de calor fornecido é de 30 kW/m² e as temperaturas das
extremidades livres são 15,0 °C para o cobre e 22,1 °C para o alumínio.
14. (Novo) Um termopar fixado com resina epóxi em uma superfície de elevada
condutividade destina-se a medir a temperatura da mesma. O termopar consiste
de dois fios nus de Dw = 0,51 mm de diâmetro. Um fio é feito de Chromel (Ni-
10% Cr com k = 17W/m⋅K) e o outro de constantan (Ni- 45% Cu com k =
23W/m⋅K). As extremidades dos fios são soldadas para criar uma junção de
medição cilíndrica tendo dimensões de Dw de comprimento e 2⋅Dw de diâmetro.
Os fios prolongam-se perpendicularmente da superfície e não se tocam. Uma
camada de epóxi (k = 0,5 W/m⋅K) separa a junção do termopar da superfície em
0,2 mm. Ar a 20 ° C envolve os fios. O coeficiente de transferência de calor entre
cada fio e o ambiente é h = 28 W/m²K. Se o termopar lê 40°C, calcule a
temperatura real Ts da superfície.

• Questões Sugeridas:
1. Considere um condutor elétrico cilíndrico e maciço com diâmetro d e
comprimento L conectando duas placas a temperaturas T1 e T2. Assumindo
que Bi ≪ 1 (Bi = h̅ (A/P)/k), queda de tensão V e corrente elétrica I, derive
uma expressão para o perfil de temperatura ao longo do condutor.
2. Considere uma placa com a face esquerda isolada termicamente (isolante
ideal), com taxa de geração de calor ġ dada por C⋅x, onde x é a coordenada
cartesiana com a origem na face esquerda. A placa possui condutividade
térmica k e espessura L. Uma outra placa com espessura L2 e condutividade

6
térmica k2 é instalada sobre a face direita, com a face exposta ao ambiente com
temperatura T∞ e coeficiente de transferência de calor equivalente h̅ , sem
geração de calor. Considerando que a temperatura da superfície exposta é igual
a Ts, e a temperatura da superfície em contato com o isolamento é T0 (T (x=0)
= T0), derive uma expressão para a resistência térmica de contato.
3. Uma pessoa é encontrada morta às 17:00 em um quarto com ar-condicionado
e temperatura ajustada a 20 °C. A temperatura do corpo é medida e igual a
25 °C quando encontrado, e o coeficiente de transferência de calor é
aproximadamente 8 W/m²K. Modelando o corpo como um cilindro de 30 cm
de diâmetro e 170 cm de comprimento, estime a hora da morte (considerar
cilindro finito).
4. Dois fluidos escoando com capacidades caloríficas iguais a 156 W/K em um
trocador de calor tubo-e-tubo correntes paralelas, coeficiente global U de 327
W/m²K e área de transferência de calor igual a 0,5 m². O fluido quente entra a
140 °C e sai a 90 °C. O fluido frio entra a 40 °C. Se as duas capacidades
caloríficas são reduzidas pela metade sem alteração de geometria, qual a
temperatura de saída do fluido quente? E do fluido frio?
5. No lado direito de uma placa de condutividade térmica k1 e espessura L1 foram
instaladas aletas circulares maciças de comprimento L2, diâmetro d e
condutividade térmica k2, sendo n aletas por unidade de área e comprimento
tal que m⋅L2 é superior a 3. A parede esquerda da placa é mantida a uma
temperatura T1. Na instalação das aletas ocorreu um problema tal que surgiu
uma resistência de contato Rt na base de cada aleta. Determine a taxa de
transferência de calor se o sistema está exposto a um escoamento com
coeficiente de transferência de calor h e temperatura T∞.