Você está na página 1de 1

Mediação nos casos de assédio moral no ambiente de trabalho

A saúde do trabalhador é um direito fundamental garantido pela Constituição


Federal Brasileira, não somente a integridade física deve se enquadrar como direito, mas
também a saúde mental. Entre vários problemas desta área, o assédio moral no ambiente de
trabalho é um dos que mais preocupam, pois afeta profundamente a saúde e o bem-estar da
vítima.

O assédio tem como característica atitudes desrespeitosas habituais, como por


exemplo: interromper constantemente a fala da vítima, espalhar boatos, críticas deslocadas e
incoerentes, ridicularizar diante dos colegas, humilhações e ameaças. Dessa forma, o agressor
impede o pleno desempenho das atividades do ofendido. Causando à vítima ansiedade, baixa
autoestima, depressão, entre outros.

Como supracitado, a saúde mental no trabalho é um direito fundamental. Por isso, os


órgãos e empresas devem se comprometer com a harmonia no trabalho, evitando o assédio
moral no ambiente laboral. Porém, essa ainda é uma realidade distante. Apesar da visível
preocupação com o assunto, não há prevenção e fiscalização concretas.

Sendo assim, resta às vítimas buscarem formas de se defenderem. As maneiras mais


comuns são a vítima recorrer a processo disciplinar em sua instituição ou ao Poder Judiciário.
Contudo, essas opções têm se mostrado pouco efetivas, como foi relatado em diversos casos
no seminário. Desse modo, a mediação é uma alternativa para a resolução desses casos: a
depender do caso, seriam feitas reuniões individuais e, após esse procedimento, mediar em
conjunto.

Em vista disso, é possível concluir que, todo trabalhador tem o direito de um


ambiente de trabalho sadio e harmônico. Para garantir isso, é necessário que os órgãos e
empresas assegurem a saúde física e mental do trabalhador no desempenho de suas
atividades. Além disso, devido a pouca efetividade dos processos disciplinares e judiciais, a
mediação é uma solução para os casos de assédio moral no trabalho.