Você está na página 1de 13

0

ESCOLA MUNICIPAL MARIA CRISTINA

PORTFÓLIO

de

CIÊNCIAS
Nome: Lucas Malfacini Fitelmam
Professora: Kênia Cristina
Série: 8º Ano Turma :804
1

SUMÁRIO

INTRODUÇÃO..........................................................................................1
CÉLULAS PROCARIONTES....................................................................3
CÉLULAS EUCARIONTES.......................................................................6
CÉLULAS EUCARIONTES ANIMAL........................................................8
CÉLULAS EUCARIONTES VEGETAL....................................................10
2

INTRODUÇÃO

Portfólios são documentos personalizados do percurso de aprendizagem, são


ricos e contextualizados. Contêm documentação organizada com propósito
específico que claramente demonstra conhecimentos, capacidades, disposições
e desempenhos específicos alcançados durante um período de tempo. Os
Portfolios representam ligações estabelecidas entre ações e crenças,
pensamento e ação, provas e critérios. São um meio de reflexão que possibilita
a construção de sentido, torna o processo de aprendizagem transparente e a
aprendizagem visível, cristaliza perspectivas e antecipa direções futuras.” (Jones
& Shelton)

O maior objetivo do portfólio é reunir em um único local toda a produção de cada


aluno, para que ao final, seja possível acompanhar como foi a evolução dele em
relação ao aprendizado daquele período. O portfólio permite, ainda, que o
educador trace um panorama geral da classe, uma vez que ele terá acesso ao
material de todos os estudantes.
3

CÉLULAS PROCARIONTES

As células procariontes ou procarióticas, também chamadas de protocélulas,


são muito diferentes das eucariontes. A sua principal característica é a ausência
de carioteca individualizando o núcleo celular, pela ausência de algumas
organelas e pelo pequeno tamanho que se acredita que se deve ao fato de não
possuírem compartimentos membranosos originados por evaginação ou
invaginação. Também possuem DNA na forma de um anel não-associado a
proteínas (como acontece nas células eucarióticas, nas quais o DNA se dispõe
em filamentos espiralados e associados às histonas).

Estas células são desprovidas de mitocôndrias, plastídeos, complexo


de Golgi, retículo endoplasmático e sobretudo cariomembrana o que faz com
que o DNA fique disperso no citoplasma.

CLASSIFICAÇÃO
As células procariontes podem ser bactérias ou Archaea. Estas protobactérias
ou protocélulas (Bactérias, Cianofitas e Micoplasmas) podem assumir a forma:
 espirilos (seres alongados e helicoidais);
 cocos, coccus e cocci (organismos relativamente esféricos);
 bacilos, bacillus e bacilli (levemente alongados);
 vibriões (dobrados em forma de arco ou de vírgula).

PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS

Exceto pelos micoplasmas, as bactérias possuem uma parede celular


e sua característica mais peculiar é a falta de carioteca para subdividir o núcleo
celular.
Dizemos que elas não possuem um núcleo verdadeiro, pois este é formado por
algumas membranas que constituem o “nucleoide”, ou seja, um núcleo não
separado.
4

A membrana plasmática possui permeabilidade, moléculas


antigênicas. Ela é capaz de permutar substâncias com o ambiente exterior, bem
como realizar a função de uma parede celular protetora.
Estas células se nutrem por meio de fontes de carbono e energia obtidas pelas
ações:
 ação fototrófica (empregam a luz solar como fonte de energia)
 ação quimiotrófica (aproveitam energia de compostos químicos)
Apesar de exibirem a mesma estrutura molecular que os eucariontes, os seres
procariontes não possuem algumas organelas, como:
 mitocôndrias
 retículo endoplasmático liso ou rugoso
 complexo de golgi
 plastídeos
 cariomembrana
 lisossomos
 vacúolos

Mesmo assim, os procariontes possuem DNA, o qual pode ser


observado como um anel sem proteínas (são destituídos de proteínas).
Este material genético é formado apenas por um filamento de DNA circular. Uma
vez que o seu núcleo está separado do resto do organismo por uma fina camada
protetora, aquele filamento encontra-se completamente misturado ao
hialoplasma celular.
Assim, como o seu núcleo (envoltório nuclear) carece de membrana
nuclear, todo o DNA se dispersa no citoplasma na forma de ribossomos, os quais
realizam a síntese proteica. Vale lembrar que somente o ribossomo pode ser
encontrado no citoplasma.
As células procariontes não se reproduzem por mitose. A fissão binária
assexuada recombina o material genético por transdução ou transformação. Ele
permite, inclusive, que uma espécie crie resistência antibiótica a partir daquela
obtida por outro organismo de espécie diferente.
5

ILUSTRAÇÃO: CÉLULA PROCARIONTE


6

CÉLULAS EUCARIONTES

As células eucariontes ou eucarióticas, também chamadas de


eucélulas, são mais complexas que os procariontes. Possuem membrana
nuclear individualizada e vários tipos de organelas. A maioria dos animais e
plantas a que estamos habituados são dotados deste tipo de células. É altamente
provável que estas células tenham surgido por um processo de aperfeiçoamento
contínuo das células procariontes. Não é possível avaliar com precisão quanto
tempo a célula "primitiva" levou para sofrer aperfeiçoamentos na sua estrutura
até originar o modelo que hoje se repete na imensa maioria das células, mas é
provável que tenha demorado muitos milhões de anos. Acredita-se que a célula
"primitiva" tivesse sido bem pequena e para que sua fisiologia estivesse melhor
adequada à relação tamanho × funcionamento era necessário que crescesse.

Acredita-se que a membrana da célula "primitiva" tenha emitido


internamente prolongamentos ou invaginações da sua superfície, os quais se
multiplicaram, adquiriram complexidade crescente, conglomeraram-se ao redor
do bloco inicial até o ponto de formarem a intrincada malha do retículo
endoplasmático. Dali ela teria sofrido outros processos de dobramentos e
originou outras estruturas intracelulares como o complexo de Golgi, vacúolos,
lisossomos e outras.

Embora as células animais e vegetais sejam semelhantes, elas apresentam


algumas diferenças em relação a estrutura. Enquanto a célula vegetal possui
uma parede celular rija e a organela cloroplastos (responsáveis pela
fotossíntese), as células animais não apresentam essas estruturas.
7

Representação de Célula Animal e Vegetal

Note que os vacúolos estão presentes em ambas, no entanto eles são maiores
na célula vegetal. Isso porque as células vegetais desempenham atividades que
necessitam armazenar seiva e realizar o controle da entrada e saída de água.
Para isso, elas utilizam os vacúolos.
Importante destacar que na célula vegetal não encontramos flagelos e cílios, já
nas células animais essas estruturas podem estar presentes.

TABELA COM AS PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS DAS CÉLULAS


PROCARIONTES E EUCARIONTES
8

CÉLULAS EUCARIONTES ANIMAL

Estrutura, Partes e Funções:

As células animais apresentam uma estrutura organizada. Elas


possuem três partes básicas: a membrana plasmática, o citoplasma e o núcleo.
A célula animal é envolvida pela membrana plasmática que delimita o seu
conteúdo e controla a entrada e saída de substâncias. Envolta da membrana
plasmática existe o glicocálix, que confere proteção às células animais.
No citoplasma encontramos diversas organelas, como os ribossomos,
lisossomos, centríolos, mitocôndrias, etc.
O núcleo celular contém o material genético, na forma de cromossomos. Como
a célula animal é eucarionte, o núcleo é delimitado por membrana.
As células animais têm a função de originar tecidos e órgãos que
apresentam funcionalidades complementares. Cada organela presente na célula
desempenha uma função específica.

Confira as funções das principais estruturas presentes na célula


animal:

 Núcleo Celular: estrutura esférica onde se encontra o DNA.


 Nucléolo: estrutura presente no núcleo das células. Coordena os processos de
reprodução celular através da síntese de proteínas.
 Membrana Plasmática: estrutura celular fina que delimita a célula sendo
responsável pela saída e entrada de sustâncias. Assim, ela tem a função de
proteger as estruturas celulares internas.
 Citoplasma: região mais volumosa, onde se encontram o núcleo e as organelas
celulares.
 Ribossomos: estrutura responsável pela produção e síntese de proteínas.
 Retículo Endoplasmático Liso e Rugoso: responsáveis pelo transporte de
proteínas e a síntese de moléculas orgânicas.
9

 Complexo de Golgi: armazena, modifica e libera substâncias. Exporta proteínas


sintetizadas no retículo endoplasmático rugoso e, além disso, origina os
lisossomos.
 Lisossomos: estruturas responsáveis pela digestão celular.
 Mitocôndrias: estrutura responsável pela respiração celular e a produção de
energia.
 Centríolos: estrutura celular que auxilia na divisão celular (mitose e meiose).
 Peroxissomos: estrutura arredondada responsável pelo armazenamento de
enzimas.
 Vacúolos: responsáveis pela reserva energética e o armazenamento de
substâncias.

ILUSTRAÇÃO: CÉLULA EUCARIONTE ANIMAL


10

CÉLULAS EUCARIONTES VEGETAL

A célula vegetal, assim como a animal, é eucariótica, ou seja, possui


núcleo delimitado por membrana nuclear (carioteca). Além dessa característica,
essas células possuem membrana plasmática e citoplasma, estruturas comuns
a qualquer célula.
Algumas organelas e estruturas são compartilhadas com outros tipos celulares,
comoas mitocôndrias, complexogolgiense, retículo
endoplasmático, ribossomos e peroxissomos. Outras estruturas, no entanto, são
restritas à célula vegetal, isto é, são encontradas apenas nesse tipo de célula.
Essas estruturas são: parede celular, plastídios e vacúolo de suco celular.
PAREDE CELULAR
A parede celular é uma estrutura relativamente rígida que
está localizada externamente à membrana plasmática, restringe o tamanho da
célula e impede sua ruptura no momento em que ocorre a entrada de água. Além
disso, ela também atua na defesa contra organismos patogênicos, na junção de
células adjacentes, fornece resistência ao vegetal, entre outras funções.
A parede celular é formada basicamente por celulose, mas também
possui outros componentes, como a hemicelulose e substâncias pépticas. Em
alguns tecidos, a parede é impregnada de lignina, que funciona como um reforço
nas paredes celulares. A lignina é encontrada em paredes de células
do esclerênquima e xilema, por exemplo.
Além das substâncias citadas, ao observar uma parede celular, é
possível verificar a deposição de cutina, suberina e ceras. O principal papel
dessas substâncias é garantir que a perda de água não ocorra de maneira
exagerada.

PLASTÍDIOS
Os plastídios apresentam genoma próprio e capacidade de se
autoduplicar, o que sugere que essas estruturas surgiram
por endossimbiose. Eles são classificados em três tipos básicos: cloroplastos,
cromoplastos e leucoplastos.
11

Cloroplastos: são os plastídios mais conhecidos e também os mais


complexos. Estão relacionados com a fotossíntese e contêm como pigmento
principal a clorofila. Eles apresentam formato discoide, dupla membrana e, em
seu interior, uma complexa rede de membranas formada por sacos achatados
denominados de tilacoides.
Cromoplastos: armazenam principalmente carotenoides, pigmentos
responsáveis pela coloração que vai do amarelo ao vermelho. Essa organela é
encontrada em maior quantidade nas partes coloridas das plantas.
Leucoplastos: são plastídios que não possuem nenhum pigmento, mas
armazenam substâncias. Eles recebem nomes diferentes de acordo com a
substância armazenada. Aqueles que armazenam amido, por exemplo, são
chamados de amiloplastos, e aqueles que armazenam proteínas são chamados
de proteinoplastos.
VACÚOLO DE SUCO CELULAR
O vacúolo de suco celular é uma estrutura típica da célula vegetal que atua em
diversas atividades da célula, garantindo, por exemplo, o acúmulo de
substâncias, a manutenção do pH, a digestão de componentes celulares, a
degradação de macromoléculas, a manutenção da rigidez dos tecidos, o controle
osmótico, entre outras funções. Essa estrutura é delimitada por uma membrana
denominada de tonoplasto e apresenta em seu interior suco celular.
Os vacúolos em células meristemáticas apresentam-se numerosos e pequenos.
À medida que ocorre a diferenciação, os vacúolos iniciam um processo de fusão.
Em uma célula vegetal diferenciada, o vacúolo pode ocupar cerca de 90% do
espaço celular total.

GLIOXISSOMOS
Além das estruturas citadas, em algumas células vegetais,
principalmente em sementes oleaginosas, é possível observar a presença de
glioxissomos. Essa estrutura, classificada como microcorpo, participa do
processo de conversão de lipídios em açúcares.
Cromoplastos: armazenam principalmente carotenoides, pigmentos
responsáveis pela coloração que vai do amarelo ao vermelho. Essa organela é
encontrada em maior quantidade nas partes coloridas das plantas.
12

Leucoplastos: são plastídios que não possuem nenhum pigmento, mas


armazenam substâncias. Eles recebem nomes diferentes de acordo com a
substância armazenada. Aqueles que armazenam amido, por exemplo, são
chamados de amiloplastos, e aqueles que armazenam proteínas são chamados
de proteinoplastos.

ILUSTRAÇÃO: CÉLULA EUCARIONTE VEGETAL

Você também pode gostar