Você está na página 1de 2

Bibliografia Nome: Lurdes José Machava

Tema: As privatizações

O conceito de privatização: privatização é uma técnica pelo qual o Estado


WATY. reduz ou modifica a sua intervenção na economia em favor do sector Quanto as
Teodoro, privatizações penso
privado.
que são bem-vindas
Direito
para melhor
económico, Fundamento das privatizações - As privatizações são um fenómeno organização no
5ª edição. relativamente recente – que adquiriu impulso no final dos anos 70 e durante próprio sector

Coimbra a década de 80 – inserido num movimento de redução de papel do Estado económico, isto
porque haverá
Editora na vida económica e social. No campo ideológico, o movimento das
limitas em cada
privatizações foi acompanhado e estimulado pelo reviver das doutrinas sector.
neoliberais e neoindividualistas. No período referido, assistiu-se a uma
vaga de privatizações de empresas públicas em praticamente todos os
países ocidentais onde elas existiam.

Causas das privatizações - A aposta do Estado era tomar a agricultura


como base e a indústria como factor dinamizador e decisivo do
desenvolvimento económico do país. Assim, as privatizações surgem como
uma forma de encontrar soluções para tornar as empresas outras
pertencentes ao Estado mais competitivas e agressivas no mercado
modernizado as infra-estruturas, reduzindo a estrutura de custos fixos e
elevando a qualidade dos seres.

Procedimentos de alienação decorrentes da Lei n.o 15/91 de 3 agosto


Encontramos 5 modalidades das privatizações: Concurso público; Oferta
ou venda publica de acções; Negociação particular ou concurso
restrito; Realização de investimento de capital de alienação ou venda
de participações a gestores, técnicos e Trabalhadores nacionais.

Direitos especiais do Estado nas empresas privatizadas - Os direitos


especiais do Estado podem parecer incongruentes com a filosofia de
desregulação subjectiva à privatização da gestão e propriedades públicas.
A necessidade de permitir ao Governo o acompanhamento a evolução da
estrutura accionista das empresas privatizadas, justificou um outro limite a
liberdade de empresa: a submissão a autorização prévia do Ministério das
finanças da aquisição por uma só entidade de acções representativas de
mais de 10% do capital, subsequentemente a operação de privatização