Você está na página 1de 7

AVALIAÇÃO CARDIOLÓGICA

Diagnóstico Clínico: Sinais e sintomas das cardiopatias


Dispnéia: Mecanismos Cardiopatias
Aumento do Trabalho durante a respiração
ICC Esquerda

Ingurgitamento das Veias e Capilares Pulmonares

Menor Elasticidade Pulmonar = Aumento do Trabalho


Respiratório

Ortopnéia: dispnéia manifestada em decúbito


horizontal
Pacientes com Insuficiência Ventricular Esquerda
Aumento do RV na Diminuição da CV em
posição Horizontal = decúbito horizontal em
agrava a congestão decorrência do
da rede VENOSA POSICIONAMENTO DO
PULMONAR DIAFRAGMA ELEVADO
AVALIAÇÃO CARDIOLÓGICA

Dispnéia Paroxística: crises de dispnéia sem fator


desencadeante
Mecanismo semelhante a Ortopnéia
Comum durante o sono
(Dispnéia Paroxística Noturna)

rebaixamento sensório do sono


impede o paciente de corrigir a
situação sentando-se
despertar apavorante
melhora com o sentar e caminhar
até a janela
mas, pode levar a um EAP

Dor pré-cordial: ocorre devido a hipóxia do miocárdio


Causas: isquemia e pericardite
Isquemia: insuficiência coronariana passageira: angina
do peito ou pectoris.
irradiação principalmente para os MMSS
aumenta com o esforço físico ou taquicardia.
Taquicardia: tempo insuficiente de diástole e pouca
irrigação das artérias coronárias
Dor mais intensa: IAM
AVALIAÇÃO CARDIOLÓGICA
Palpitações
Batimentos cardíacos que se tornam conscientes
™ disparos da FC
™ sensação de murro dentro da caixa torácica
™ palpitações ao nível do pescoço
™ ansiedade e emoção: indivíduos não cardiopatas
™ cardiopatas: arritmias e taquicardia supraventricular
™ anomalias da ação cardíaca: insuficiência aórtica

Edema: acúmulo de líquido no tecido intersticial


™ Manifestação tardia da ICC
™ Aumento da P Venosa + retenção de Na e H2O
™ Precedido pelo aumento do peso corporal de 3 a 5
Kg
™ Extravasamento do líquido para os tecidos

Ascite: acúmulo de líquido no interior da cavidade


abdominal
manifestação tardia ao edema de periferia
mecanismo é semelhante ao periférico

Cianose central X Cianose periférica


AVALIAÇÃO CARDIOLÓGICA

Hemoptise: escarro sanguinolento


Eliminação de sangue através da tosse

Estenose mitral Infecção Pulmonar:


Ruptura de veias escarro purulento e cor de
pulmonares ou ferrugem
brônquicas EAP: espumoso, rosado
Infarto do Pulmão ou com estrias de sangue

Sincope: perda passageira da consciência

fluxo inadequado ou baixa pressão de perfusão dos tecidos


cerebrais;

FLUXO e PERFUSÃO dependem

Volume minuto do coração


Pressão arterial
Resistência circulação cerebral
AVALIAÇÃO CARDIOLÓGICA

Sincope: vasomotora ou vasopressora

mais comum MECANISMO


perda de sangue
DILATAÇÃO dos
emoção vasos arteriais de
fraqueza consecutiva a um resistência na
processo infeccioso ou de dor musculatura

QUEDA DA PA

Sincope: Cardiopatia

MECANISMO Freqüência Cardíaca

Taquicardia Extremamente
acima de Lenta
180bpm

Baixo
Não há tempo para o
Rendimento
enchimento adequado
Cardíaco
cavidades cardíacas
AVALIAÇÃO CARDIOLÓGICA
Capacidade funcional = Pacientes Portadores de
Cardiopatias
Grupo I: toleram atividade física sem apresentar sintomas
Grupo II: sintomas em resposta ao esforço moderado ou
intenso
Grupo III: sintomas a esforços leves
Grupo IV: incapazes de realizar atividade física sem
apresentar sofrimentos estes inclusive ao repouso

Pulso arterial
™ Freqüência: normal, diminuída ou aumentada

™ Ritmo: regular ou irregular (arritmia)


™Amplitude: depende da PA se baixa = amplitude
menor
™ Volume sistólico reduzido = IAM

Aferição: Palpação arterial radial direita ou esquerda


Carótica: melhor para verificação da amplitude
15 segundos x 4 = bpm

Pulso irregular: mensurar em 30 segundos


Valores normais
Adulto jovem: 60 a 100 bpm
Abaixo de 60: bradicardia sinusal ou bloqueio
Acima de 100: taquicardia sinusal (esforço e emoção)
Acima de 120 em repouso: verificar arritmia
AVALIAÇÃO CARDIOLÓGICA
Registro da PA
exatidão: cateterismo intra-arterial
esfigmomanômetro: suficiente e exatos para fins clínicos
manguito: aplicado 2 cm acima da dobra cubital
Manômetros
mercúrio: cuidados com oxidação
anaeróide: calibração permanente

Posicionamento Cuidados
semi sentado, sentado, Ambiente calmo
em pé ou deitado
Paciente 5 minutos na
braço na altura do mesma posição
coração e apoiado para
Checar equipamento
relaxamento

Técnica Surgimento dos sons na


arterias
Insuflar o manguito até
(sons de KOROTKOFF)
desaparecer o pulso
arterial insuflar mais 1° de baixo volume e se
tornando mais intensos
20 mmHg até desaparecerem
Desinsuflar o manguito 1°s sons: PAS
2 mmHg/s
Últimos: PAD