Você está na página 1de 4

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ

SETOR DE CIÊNCIAS HUMANAS, LETRAS E ARTES – SCHLA


COORDENAÇÃO DO CURSO DE CIÊNCIAS SOCIAIS

PROGRAMA DE DISCIPLINA
Código HCS 004 Carga Horária
Disciplina PENSAMENTO SOCIAL BRASILEIRO Teóricas Práticas Estágio Total
Análise da produção intelectual em contextos históricos prévios 60 - - 60
Ementa ao processo de institucionalização das Ciências Sociais no Brasil. Pré-Requ Quanto houver
O curso está dividido em três módulos, a saber: Curso
1. Módulo de Antropologia e Arqueologia: Diversidade e Nação.
Teorias da raça e teorias da cultura. Etnicidade e Identidade.
2. Módulo de Sociologia: Intérpretes e Interpretações do Brasil.
Tradição e Modernidade. Matrizes teóricas e estilos de
pensamento.
3. Módulo de Ciência Política: Intérpretes da política brasileira.
Pensamento político brasileiro conservador, de esquerda e a
partir da periferia.
DOCENTE(S)
Professor(a) ALEXSANDRO EUGENIO PEREIRA
MARCOS SILVA DA SILVEIRA
RODRIGO CZAJKA
Assist/Monitor
VALIDADE
Validade 2º semestre / 2018 Horário Terça-feira Quinta-feira
07h30 – 09h30 07h30 – 09h30
09h30 – 11h30 09h30 – 11h30

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
Objetivo 1) Módulo de Antropologia e Arqueologia:
Unidade I – A constituição de uma concepção da identidade nacional
Programa Unidade II – Principais pensadores sobre Nação, raça e cultura

2) Módulo de Sociologia:
Unidade I – Do pensamento social à sociologia acadêmica;
Unidade II – Os diferentes projetos intelectuais em torno da formação do Estado e da nação;
Unidade III – As interpretações do Brasil: de 1930 a 1960.

3) Módulo de Ciência Política:


Unidade I – O papel do grupo Saquarema na construção do Estado no Segundo Império;
Unidade II – Estado e sociedade no pensamento de Alberto Torres e Oliveira Vianna;
Unidade III – O coronelismo na política brasileira na interpretação de Victor Nunes Leal;
Unidade IV – Ordem privada e poder público no pensamento de Nestor Duarte;
Unidade V – A construção histórica do Estado no Brasil: o patrimonialismo segundo Raymundo Faoro.
Cronograma 1) Módulo de Antropologia e Arqueologia: Prof. Marcos Silva da Silveira
das aulas: 31/07 – ABCP
02/08 – ABCP
Bibliografia
Básica por 07/08 – Semana Acadêmica de Ciências Sociais
módulo: 09/08 – Semana Acadêmica de Ciências Sociais

Bibliografia Os estudantes devem aproveitar essas duas semanas sem aulas para assistir ao filme:
complementar: Macunaíma: https://www.youtube.com/watch?v=igjfnGVSANA
Os alunos devem ir para a primeira aula do Módulo de antropologia com a seguinte Leitura feita:
Cronograma “O MANIFESTO ANTROPOFÁGICO” de Oswald de Andrade.
dos módulos: http://www.ufrgs.br/cdrom/oandrade/oandrade.pdf

14/08 – Apresentação do programa da disciplina.


Discussão do “Manifesto antropofágico”

16/08 –Apresentação dos documentários: “MACUNAÏMA” e “Terra Tupinambá”


https://vimeo.com/69919258
https://vimeo.com/126566470
UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ
SETOR DE CIÊNCIAS HUMANAS, LETRAS E ARTES – SCHLA
COORDENAÇÃO DO CURSO DE CIÊNCIAS SOCIAIS

Nas próximas seis aulas: 21/08, 23/08, 28/08, 30/08, 04/09, 06/09 serão discutidos os seguintes textos:
. O eu e os outros – O ideário modernista em questão – Yvonne Maggie
http://www.scielo.br/pdf/rbcsoc/v20n58/25626.pdf

VELHO, Otávio. 2007. "A cata das cotas". Insight Inteligência, Rio de Janeiro, nº 38.
pgs 125-134.

LAMBERT, Jacques. 1970. Os dois brasis. São Paulo: Companhia editora nacional, Série Brasiliana, vol. 335. Caps IV
e V. pgs 85-126.

SACHS, Viola. 1988. (org) Brasil & EUA: Religião e Identidade nacional. Rio de Janeiro: GRAAL,.Introdução e
capitulo 3.

DA MATTA, Roberto. 1983. Relativizando: Uma Introdução à Antropologia social. Petrópolis: Vozes,. 3ª Ed. Pgs 58-
85.

Os textos poderão ser encontrados no Xerox da Reitoria, Pasta Pensamento Social Brasileiro – Marcos Silveira

11/09 – Revisão do módulo

13/09 – Prova em sala

18/09 e 20/09: Semana de Antropologia 2018.

2) Módulo de Sociologia:

25/09: Apresentação do conteúdo do módulo da disciplina.

27/09: CANDIDO, Antonio. A sociologia no Brasil. Tempo Social, revista de sociologia da USP. São Paulo, v. 18, nº
01, jun-2006, p. 271-301.

02/10: SIEPE: Semana Integrada de Ensino, Pesquisa e Extensão.

04/10: SIEPE: Semana Integrada de Ensino, Pesquisa e Extensão.

09/10: SCHWARZ, Roberto. As ideias fora do lugar. In: Ao vencedor as batatas. São Paulo: Editora34, 2007. Pag.
09-33.

11/12: BOTELHO, André. Um enigma chamado Brasil. São Paulo: Cia das Letras, 2009. P. 198-225. (Capítulos sobre
Gilberto Freyre e Sérgio Buarque de Holanda).

16/10: HOLANDA, Sergio Buarque de. Raízes do Brasil. São Paulo: Cia das Letras, 2004. Pag.41-65; 139-152.

18/10: PRADO JR. Caio. Formação do Brasil contemporâneo. São Paulo: Brasiliense, 1961. Pag. 05-112.

23/10: FERNANDES, Florestan. A integração do negro na sociedade de classes: ensaios de interpretação


sociológica. São Paulo: Globo, 2008. Livro I, p.09-118.

25/10: Avaliação do módulo de sociologia.

3) Módulo de Ciência Política:


LEITURAS OBRIGATÓRIAS: (seguindo a ordem dos conteúdos programáticos)
30/10 – Apresentação dos conteúdos do módulo; O papel do grupo Saquarema na construção do Estado no
Segundo Império.

01/11 – TORRES, Alberto. Segunda Seção: O governo e a política. I – Política empírica, política de força e política
racional; II – Política orgânica; III – Alcance e extensão dos poderes de governo; IV – Civilização, progresso e
política. In: A organização nacional. Brasília: Editora da UnB, 1982b, p. 151-183.

06/11 – OLIVEIRA VIANNA, Francisco José. Quarta Parte: Psicologia política, Caps. XVII – Gênese do sentimento
das liberdades políticas; XVIII – Psicologia das revoluções meridionais; e XIX Função política das populações
do centro-sul; Addendum. In: Populações meridionais do Brasil: História, organização, psicologia. Vol. 1. 3ª
UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ
SETOR DE CIÊNCIAS HUMANAS, LETRAS E ARTES – SCHLA
COORDENAÇÃO DO CURSO DE CIÊNCIAS SOCIAIS

edição. Belo Horizonte/Niterói: Itatiaia/Editora da Universidade Federal Fluminense, 1987, p. 251-284.

08/11 – Trabalho 1 sobre o texto de Oliveira Vianna com peso 10.

13/11 – DUARTE, Nestor. Capítulo IV – A família brasileira. In: A ordem privada e a organização política nacional.
São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1939, p. 64-89.

15/11 – Feriado.
20/11 – Dia da consciência negra.
22/11 – LEAL, Victor Nunes. Capítulo Primeiro: Indicações sobre a estrutura e o processo do “coronelismo”. In:
Coronelismo, enxada e voto: O município e o regime representativo no Brasil. 2ª edição. São Paulo: Alfa-
Omega, 1975, p. 19-57.

27/11 – FAORO, Raymundo. Capítulo Final – A viagem redonda: do patrimonialismo ao estamento. In: Os donos
do poder – Formação do patronato político brasileiro. Vol. 2. 10ª edição. São Paulo: Globo/Publifolha, 2000,
p. 361-382.

29/11 – Prova do módulo de Ciência Política com peso 90.

04/12 – Aplicação de provas em segunda chamada.

13/12 – Exames finais da disciplina.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

1) Módulo de Antropologia e Arqueologia:

RODRIGUES, Nina. O Animismo Fetichista dos Negros Baianos, Rio de Janeiro: Fundação Biblioteca Nacional
/ Editora UFRJ. 2006.
BASTIDE, Roger. As religiões africanas no Brasil. São Paulo: Universidade de São Paulo, 1971.
CANDIDO, Antonio. Dialética da Malandragem: caracterização das Memórias de um sargento de milícias. In:
Revista do Instituto de Estudos Brasileiros, nº 8, São Paulo, USP, 1970, p. 67-89.
RIO, João do. No mundo dos feitiços. In: A Religião no Rio, Rio de Janeiro: José Olympio, 2006.
CORRÊA, Mariza. Traficantes do Excêntrico: os antropólogos no Brasil dos anos 30 a 60. Revista Brasileira de
Ciências Sociais, vol. 3, n. 6, 1998, p.79-98.
RAMOS, Arthur. O folclore negro no Brasil. Rio de Janeiro: Editora da Casa do Estudante do Universitário do Brasil.
SHERER, Marta. ALMEIDA, Luiz Alberto. Silvio Romero, um crítico do século XX. Revista de Estudos Literários Terra
Roxa e Outras Terras, vol. 16, set. 2009.
DA Matta, Roberto. A casa e a Rua. Rio de Janeiro: Rocco, 2000.

2) Módulo de Sociologia:
ALONSO, Ângela. Idéias em Movimento: A geração 1870 na crise do Brasil‐Império. São Paulo: Paz e Terra, 2002.
BASTOS, Elide Rugai & MORAIS, João Quartim de (orgs.). O pensamento de Oliveira Vianna. Campinas: Editora da
Unicamp, 1993.
BASTOS, Élide Rugai. “Gilberto Freyre e a Questão Nacional”, in. MORAES, Reginaldo (et alli). Inteligência
Brasileira. São Paulo: Brasiliense, 1986.
BASTOS, Élide Rugai. “Gilberto Freyre e o mito da cultura brasileira”. Humanidades, Brassília, UnB, n. 15 (87).
BOTELHO, André e SCHWARCZ, Lilia M. (orgs). Um enigma chamado Brasil: 29 interpretes e um país. São Paulo:
Companhia das Letras, 2009.
D´INCAO, Maria Angela. (org.). História e Ideal: ensaios sobre Caio Prado Júnior. São Paulo: Brasiliense / Editora
da Unesp, 1989.
D´INCAO, Maria Angela. O Saber Militante. Ensaios sobre Florestan Fernandes. São Paulo: Editora da Unesp,
1987.
IANNI, Octávio. Florestan Fernandes e a formação da sociologia brasileira. In. IANNI, Octávio. (org.). Florestan
Fernandes. São Paulo: Ática, 1986.
IANNI, Octávio. Sociologia da Sociologia. O pensamento Sociológico Brasileiro. São Paulo: Ática, 1989.
MELLO E SOUZA, Antonio Candido. “Sérgio, o radical” In. Sérgio Buarque de Holanda. Vida e Obra. São Paulo:
Secretaria de Estado da Cultura / Universidade de São Paulo, 1988.
MICELI, Sérgio. (org.). O que ler na Ciência Social Brasileira (1970‐2002). Vol. 4. São Paulo: Editora Sumaré;
ANPOCS / Brasília: CAPES, 2002.
MOTA, Lourenço Dantas (org.) Introdução ao Brasil. Um Banquete no Trópico. 2 Vols. São Paulo: Editora Senac,
2004.
UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ
SETOR DE CIÊNCIAS HUMANAS, LETRAS E ARTES – SCHLA
COORDENAÇÃO DO CURSO DE CIÊNCIAS SOCIAIS

OLIVEIRA, Lúcia Lippi. A Questão Nacional na Primeira República. São Paulo: Brasiliense, 1990.
RICÚPERO, Bernando. Caio Prado Júnior e a nacionalização do marxismo no Brasil. São Paulo: Editora 34, 2000.
RICÚPERO, Bernardo. Sete lições sobre as interpretações do Brasil. São Paulo: Alameda, 2008.
SALLES, Ricardo. Joaquim Nabuco: um pensador do Império. Rio de Janeiro: Topbooks, 2002.
SKIDMORE, Thomas. Preto no Branco. Raça e Nacionalidade no Pensamento Brasileiro. Rio de Janeiro: Paz e
Terra, 1989.

3) Módulo de Ciência Política:


BOTELHO, André. Sequencias de uma sociologia política brasileira. Dados, Rio de Janeiro, vol. 50, nº 1, 2007, pp.
49-82.
BRANDÃO, Gildo M. Linhagens do Pensamento Político Brasileiro. Dados, Rio de Janeiro, Vol. 48, nº2, 2005, pp:
231-269.
CARVALHO, José Murilo de. A construção da ordem – A elite imperial. Teatro de sombras: a política imperial. 3ª
edição. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2007.
CARVALHO, José Murilo de. Mandonismo, coronelismo, clientelismo: Uma discussão conceitual. Dados, Rio de
Janeiro, v. 40, n. 2, 1997.
DUARTE, Nestor. A ordem privada e a organização política nacional. São Paulo: Companhia Editora Nacional,
1939.
FAORO, Raymundo. Os donos do poder – Formação do patronato político brasileiro. 2 vols. 10ª edição. São Paulo:
Globo/Publifolha, 2000.
LEAL, Victor Nunes. Coronelismo, enxada e voto: O município e o regime representativo no Brasil. 2ª edição. São
Paulo: Alfa-Omega, 1975.
MATTOS, Ilmar Rohloff de. O Tempo Saquarema. São Paulo: Editora Hucitec, 1987.
NEEDELL, Jeffrey. The Party of Order: The Conservaties, the State, and Slavery in the Brazilian Monarchy, 1831-
1871. Stanford: Stanford University Press, 2006. 460 p.
VIANNA, Oliveira. Instituições políticas brasileiras. 2 vols. 2ª edição. Rio de Janeiro: Livraria José Olympio, 1955.
VIANNA, Oliveira. Populações meridionais do Brasil: História, organização, psicologia. 2 vols. 3ª edição. Belo
Horizonte/Niterói: Itatiaia/Editora da Universidade Federal Fluminense, 1987.
SALLES, Ricardo. Escravidão e política no império. Resenha de NEEDELL, Jeffrey. The Party of Order: The
Conservaties, the State, and Slavery in the Brazilian Monarchy, 1831-1871. História, Ciências, Saúde.
Manguinhos, v.15, n.1, p.231-235, jan.-mar. 2008.
SCHWARTZMAN, Simon. Bases do autoritarismo brasileiro. 4ª edição. Rio de Janeiro: Publit Soluções Editoriais,
2007.
TORRES, Alberto. O problema nacional brasileiro – Uma introdução a um programa de organização nacional. 4ª
edição. Brasília: Editora da UnB, 1982a.
TORRES, Alberto. A organização nacional. 4ª edição. Brasília: Editora da UnB, 1982b.