Você está na página 1de 3

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL

CONSELHO SECCIONAL DO DISTRITO FEDERAL


COMISSÃO DE ASSUNTOS CONSTITUCIONAIS

ATA DA TERCEIRA REUNIÃO ORDINÁRIA DA COMISSÃO DE ASSUNTOS


CONSTITUCIONAIS, REALIZADA NO DIA 02/05/2016, às 19h.

Aos dois dias do mês de maio do ano de dois mil e dezesseis, às dezenove horas e vinte
e cinco minutos, no Plenário do quinto andar do edifício-sede da Ordem dos Advogados
do Brasil, Conselho Seccional do Distrito Federal, sito ao SEPN 516, Bloco B, lote 07,
Asa Norte, Brasília, Distrito Federal, a Comissão de Assuntos Constitucionais reuniu-se
sob a presidência da Conselheira Janine Malta Massuda, com a presença dos Senhores
Membros: Alexander Diniz de Paula (Secretário-Geral), Aryna Martins Dias Rangel,
Camila Miranda Vidigal, Carlos Frederico de Oliveira Pereira, Cláudia Menezes de
Andrade, Flávia Costa Gomes Marangoni, João Carlos Banhos Velloso, Karla de Sousa
Máximo Gonçalves, Marconi Arani Melo Filho (Secretário-Geral Adjunto), Peter
Guimarães Stoimenof, Rafael Martins Estorílio, Rogers Cruciol de Sousa, Salomão
Taumartugo Marques e Victor Minervino Quintiere. Ausentes, justificadamente, os
Senhores Membros: Christiane Rodrigues Pantoja (Presidente), Daniel André
Magalhães da Silva, Eduardo Felipe da Costa Frade, Gustavo Henrique Dutra Dantas,
Mateus Rocha Tomaz e Miguel Junio de Alencar Bezerra.

1






ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL
CONSELHO SECCIONAL DO DISTRITO FEDERAL
COMISSÃO DE ASSUNTOS CONSTITUCIONAIS

Verificado o número legal de presenças, nos termos do art. 51 do RIOAB/DF, a Vice-


Presidente declarou aberta a sessão e colocou em discussão a ata da sessão anterior, que
foi lida pelo Secretário-Geral e aprovada à unanimidade. Foram chamados a
julgamentos os seguintes processos:
(1) Processo nº 07.0000.2016.009656-4. Relator: Miguel Junio de Alencar Bezerra.
Voto-vista: Alexander Diniz de Paula. Decisão: 1. Retomado o julgamento do
processo, o Dr. Alexander Diniz de Paula proferiu voto-vista e abriu divergência no
sentido de reconhecer a inconstitucionalidade formal – em razão de vício de iniciativa –
e material – em razão da violação aos princípios da separação e independência dos
poderes, supremacia do interesse público e coletivo, moralidade e razoabilidade e às
normas relativas à defesa e manutenção do meio ambiente e à preservação do
patrimônio urbanístico – da Lei Distrital nº 5.646, de 22 de março de 2016.
2. A Comissão, por maioria, reconheceu a inconstitucionalidade formal da Lei Distrital
nº 5.646, de 22 de março de 2016, nos termos do voto-vista (divergente) proferido pelo
Dr. Alexander Diniz de Paula, que foi acompanhado pelos Senhores Membros: Marconi
Arani Melo Filho, Aryna Martins Dias Rangel, Carlos Frederico de Oliveira Pereira,
Flávia Costa Gomes Marangoni, Peter Guimarães Stoimenof, Rogers Cruciol de Sousa,
Salomão Taumartugo Marques e Victor Minervino Quintiere; vencidos o relator, Dr.
Miguel Junio de Alencar Bezerra, que votou pelo reconhecimento da
constitucionalidade formal da norma analisada, e os Senhores Membros Camila
Miranda Vidigal, Cláudia Menezes de Andrade, Karla de Sousa Máximo
Gonçalves, Rafael Martins Estorílio e Janine Malta Massuda, que o acompanharam.
3. A Comissão, por maioria, reconheceu a inconstitucionalidade material da Lei Distrital
nº 5.646, de 22 de março de 2016, nos termos do voto-vista (divergente) proferido pelo
Dr. Alexander Diniz de Paula, que foi acompanhado pelos Senhores Membros: Marconi
Arani Melo Filho, Aryna Martins Dias Rangel, Carlos Frederico de Oliveira Pereira,
Flávia Costa Gomes Marangoni, Peter Guimarães Stoimenof, Rogers Cruciol de Sousa,
Salomão Taumartugo Marques e Victor Minervino Quintiere; vencidos o relator, Dr.
Miguel Junio de Alencar Bezerra, que votou no sentido de reconhecer a
constitucionalidade material da norma analisada, e o Dr. Rafael Martins Estorílio, que o
acompanhou; vencidas, também, a Dra. Janine Malta Massuda, que abriu a segunda
divergência para dar interpretação conforme à Lei Orgânica do Distrito Federal e
garantir o direito ao contraditório nos processos administrativos prévios às situações que
ensejam a demolição das edificações, nos termos do voto proferido, e as Senhoras
Membros Camila Miranda Vidigal, Cláudia Menezes de Andrade e Karla de Sousa
Máximo Gonçalves, que a acompanharam. 4. Os autos devem ser encaminhados ao
Conselho Pleno para a adoção das medidas que entender necessárias. (Ausente, neste
julgamento, o Dr. João Carlos Banhos Velloso)

2






ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL
CONSELHO SECCIONAL DO DISTRITO FEDERAL
COMISSÃO DE ASSUNTOS CONSTITUCIONAIS

(2) Processo nº 07.0000.2016.005266-1. Relator: Sérgio Lindoso Baumann das


Neves Pietroluongo. Voto-vista: Gustavo Henrique Dutra Dantas. Decisão: Adiado
para a próxima sessão.
(3) Processo nº 07.0000.2016.010810-3. Relator: João Carlos Banhos Velloso.
Revisor: Mateus Rocha Tomaz. Voto-vista: Janine Malta Massuda. Decisão:
Adiado para a próxima sessão.
Deliberações internas: (1) A Comissão, à unanimidade, acolheu a proposta de
agendamento de reunião extraordinária feita pela Dra. Janine Malta Massuda.
Nada mais havendo a ser noticiado e decidido, foi encerrada a presente sessão, às vinte
e uma horas e quinze minutos, da qual se lavrou a presente ata, que vai assinada pela
Vice-Presidente da Comissão Assuntos Constitucionais e por mim, Alexander Diniz de
Paula, Secretário-Geral da Comissão de Assuntos Constitucionais.

JANINE MALTA MASSUDA


Vice-Presidente da Comissão de Assuntos Constitucionais

ALEXANDER DINIZ DE PAULA


Secretário-Geral da Comissão de Assuntos Constitucionais