Você está na página 1de 166

Manual de Instruções

DH-65/65L S2

POR
POR v04.2 Agosto 2016
ÍNDICE i

ÍNDICE

1 NOÇÕES BÁSICAS 1

1.1 ESTRUTURA 1
1.2 DIREITOS 2
1.3 INSTRUÇÕES DE SEGURANÇA 3
1.4 DISPOSITIVOS DE SEGURANÇA 5

2 DADOS TÉCNICOS 7

2.1 CARACTERÍSTICAS 7
2.2 PLANTA BAIXA 8
2.3 LAYOUT DOS ELEMENTOS 11

3 COLOCAÇÃO EM FUNCIONAMENTO 13

3.1 DESEMBALAR E TRANSPORTAR 13


3.2 INSTALANDO O SISTEMA DE RETRAÇÃO (OPCIONAL) 15
3.3 POSICIONAMENTO 17
3.4 NIVELAMENTO 18
3.5 AJUSTE DE ALTURA 20
3.6 CENTRAGEM 21
3.7 INSTALANDO O MAGAZINE 22
3.8 CHUMBAMENTO 26
3.9 CONEXÕES 27

4 PARTE ELÉTRICA 29

4.1 DESCRIÇÃO GERAL 29


4.2 ALIMENTAÇÃO ELÉTRICA 31
4.3 ESQUEMAS 34
4.4 CLP (CONTROLADOR LÓGICO PROGRAMÁVEL) 36
4.5 PCI (PLACA DE CIRCUITO IMPRESSO – PLACA DE RELÉS) 40
4.6 INTERFACE 42
4.7 CHAVES DE SEGURANÇA (OPCIONAL) 46

DH-65 S2
ii ÍNDICE

5 PNEUMÁTICA 49

5.1 LAYOUT DOS ELEMENTOS 49


5.2 ESQUEMA PNEUMÁTICO 50
5.3 UNIDADE FRL 51
5.4 BLOCO DAS VÁLVULAS PNEUMÁTICAS 53
5.5 CILINDRO SEM HASTE, FUNCIONAMENTO E MANUTENÇÃO55
5.6 MANUTENÇÃO 56

6 DESCRIÇÃO GERAL 57

6.1 SISTEMA DE CARGA 57


6.2 SISTEMA DE ALIMENTAÇÃO 59
6.3 SISTEMA DO EMPURRADOR 60
6.4 TRANSMISSÃO 63
6.5 CONJUNTO DO CANAL DE GUIA EM V 65
6.6 REDUÇÃO DO EIXO ÁRVORE 68

7 OPERAÇÃO 71

7.1 CONTROLE REMOTO 71


7.2 IHM (INTERFACE HOMEM MÁQUINA) 74
7.3 ALIMENTAÇÃO E PARADA DE EMERGÊNCIA 77
7.4 SEQÜÊNCIA AUTOMATICO/MANUAL 79
7.5 PARÂMETROS DE OPERAÇÃO 84
7.6 PARÂMETROS DE SERVIÇO 91

8 GUIA DE SOLUÇÃO DE ALARMES 99

8.1 MENSAGENS DE ALERTA 99


8.2 MAPA DE ALARMES 100
8.3 DESCRIÇÃO DE ALARMES E GUIA DE SOLUÇÃO 102

DH-65 S2
1 NOÇÕES BÁSICAS 1

1 NOÇÕES BÁSICAS
1.1 ESTRUTURA
Este manual é composto de vários capítulos, cada um contendo vários pontos, parágrafos, listas,
etc. Listas podem estar contidas em parágrafos.

O número de página é indicado no canto superior direito da página.


O modelo do alimentador de barras é indicado no canto inferior direito da página.

Cada capítulo contém toda a informação relacionada com a descrição e as configurações dos
dispositivos e elementos representados nele.

Portanto, se um ajuste for feito quando você estiver lidando com o sistema, favor consultar o
respectivo capítulo.

Sempre que possível, os números das peças contidas no manual de instruções são mostrados
com o elemento indicado. Os compradores podem encomendar peças através desses números.
Os sinais abaixo servem como uma ferramenta de leitura deste manual:

Este sinal recomenda seguir as instruções atentamente, evitando


causar um incidente que poderia resultar em ferimentos, danos aos
equipamentos, ou perda de dados.

Este sinal indica que as medidas de segurança devem ser tomadas


para evitar possíveis choques elétricos ou contratempos.

Notas de pontos interessantes ou comentários. Fornecem conselhos


úteis para a operação adequada do sistema.

Este sinal serve para indicar a parte mencionada na descrição.

DH-65 S2
2 1 NOÇÕES BÁSICAS

1.2 DIREITOS
Todos os direitos reservados. Reprodução, gravação ou transmissão de todos ou qualquer parte
deste manual, de qualquer forma ou através de qualquer meio, seja mecânico, fotográfico,
sonoro ou multimídia, sem a expressa autorização por escrito da LNS Ásia, é proibido. A LNS
Ásia assume todas as responsabilidades por erros que possam estar contidos neste manual e
problemas que podem resultar, assim por diante.

Nós não nos responsabilizamos pelas dívidas, perdas, despesas ou danos incorridos, ou
sofridos pelo comprador do produto ou um terceiro se houver uso incorreto ou mau uso ou
decorrentes de modificações, reparos ou transformações não autorizadas pela LNS Ásia.

Nós não podemos ser responsabilizados por qualquer alteração feita pelo cliente ou terceiros.
Modificações do equipamento, adicionar ou excluir itens no alimentador de barras, alterar
funções, alterar quantidade de componentes no alimentador de barras, alterar material definindo
mudanças nos métodos, e qualquer modificação no software.

Nós não podemos ser responsabilizados por danos e problemas decorrentes do uso de itens e
produtos que não sejam da LNS, clientes ou terceiros, adicionar ou modificar componentes ou
produtos não aprovados pela LNS.

Este manual está em conformidade com o alimentador fornecido. Em virtude de


desenvolvimentos e inovações os manuais são atualizados periodicamente. Desenhos e
especificações estão sujeitos a mudanças sem aviso prévio.

Os nomes dos produtos indicados neste manual são marcas registradas.

A vida útil de itens como junta rotativa, pinça, empurrador, e outros acessórios depende das
condições de uso (como velocidade rotação e temperatura). Portanto, estes itens não serão
cobertos pela garantia.

Desenhos e especificações estão sujeitos a mudanças sem aviso prévio.

DH-65 S2
1 NOÇÕES BÁSICAS 3

1.3 INSTRUÇÕES DE SEGURANÇA


Não mova o equipamento sem ter conhecimento das instruções de segurança e as
instruções de utilização. Instruções de segurança para o alimentador, bem como o torno
CNC, devem ser estritamente observadas. Nós não nos responsabilizamos por possíveis
acidentes ou danos materiais causados por não seguir nossas instruções de segurança.
Este modelo de alimentador não pode ser ligado a um torno de cabeçote móvel (tipo suíço)
Quando o diâmetro da barra for menor que o diâmetro interno do eixo árvore, é
indispensável usar tubos de redução adequados. Toda vez que trocar de bitola de barra
verifique se está usando o tubo de redução adequado. Verifique o capítulo 6.3 para maiores
detalhes.
Não abra a pinça do torno manualmente enquanto o alimentador estiver em modo
automático
Não opere o equipamento sem ter conhecimento das instruções de segurança do
alimentador e do torno. As instruções de segurança tanto do alimentador quanto do torno
devem ser estritamente observadas
Pessoal não qualificado, crianças e pessoas sob a influência de álcool ou medicamentos
não devem manipular o equipamento.
Joias, cabelos longos e vestuário solto podem ser perigosos.
Não remova quaisquer tampas enquanto alimentador de barras ou a máquina estiverem
energizados.
Não realizar qualquer operação de manutenção durante o ciclo automático.
Não segure objetos em movimento ou próximos destes.
Se as tampas de segurança são removidas para realizar manutenção, devem ser
reinstaladas assim que o trabalho de manutenção for concluído.
Nenhuma manutenção deve ser efetuada na interface ou dentro do gabinete elétrico
enquanto o alimentador ou o torno estiver energizado.
É estritamente proibido transpor fios removendo circuitos disjuntores, interruptores
principais e especialmente chaves de segurança.
Para evitar qualquer dano às pessoas, ou danos a componentes, use apenas os pontos
indicados para levantar e mover o alimentador de barras. Ninguém deve estar próximo à
carga, ou dentro da área de funcionamento do guindaste, empilhadeira ou qualquer outro
meio usado para a elevação e transporte. Não bater o alimentador enquanto movê-lo, pois
isso poderia danificá-lo.
Não mover o alimentador de barras enquanto ele estiver energizado.
Por favor, use o alimentador de barras em um ambiente limpo.
Por favor, não use o alimentador de barras em condições extremas de calor ou umidade.
A área de trabalho que circunda o alimentador de barras sempre deve ser isenta de objetos
e bem iluminada. A presença de óleo no chão pode causar quedas; é importante manter o
chão limpo em uma base regular.
Não colocar a máquina em uma área úmida e certificar-se de que água ou óleo não entrem
em contato com o equipamento elétrico.
Não abrir o dispositivo de fixação (pinça) do torno manualmente quando o alimentador de
barras estiver em modo automático.
Cada vez que o diâmetro é alterado, também adaptar o tubo de redução. O uso de tubos de
redução é altamente recomendado para usinagem de barras com diâmetros menores do
que a capacidade máxima do eixo.
Não há nenhuma bateria dentro do CLP. Não tente recarregá-lo.
Para a utilização e manutenção do alimentador de barras, use apenas partes fornecidas ou
recomendadas por nós.

DH-65 S2
4 1 NOÇÕES BÁSICAS

Se for necessário mover o alimentador de barras depois que ele foi instalado originalmente,
não reinstalá-lo antes de contatar nosso representante.
A barra em rotação nunca deve estar muito próxima do eixo árvore do torno.
Nós não nos responsabilizamos por possíveis acidentes ou danos materiais causados
quando as instruções de segurança não são seguidas.

DH-65 S2
1 NOÇÕES BÁSICAS 5

1.4 DISPOSITIVOS DE SEGURANÇA


1.4.1 Descrição
O alimentador DH-65/65L foi projetado para oferecer máxima segurança de operação.

Tampas e coberturas impedem o acesso às partes móveis. Chaves de segurança param a


operação do alimentador quando estas proteções forem abertas.

Ao pressionar o botão de emergência do controle remoto ou da IHM ou desengatando o sistema


de retração, o alimentador e o torno são parados imediatamente (desde que a interface tenha
sido conectada corretamente).

1.4.2 Layout dos dispositivos de segurança do alimentador


D

SQ11

B
SQ10

SQ12

Item Descrição
A Botão de emergência do controle remoto
B Botão de emergência do painel elétrico
C Tampa principal
D Tampa do magazine (opcional)
SQ10 Chave de segurança da tampa principal (opcional)
SQ11 Chave de segurança da tampa do magazine (opcional)
SQ12 Chave de segurança do sistema de retração (opcional)

DH-65 S2
6 1 NOÇÕES BÁSICAS

Esta página foi intencionalmente deixada em branco

DH-65 S2
2 DADOS TÉCNICOS 7

2 DADOS TÉCNICOS
2.1 CARACTERÍSTICAS
DH-65 DH-65 L
Diâmetro de barra 5 mm ~ 65 mm
Max. 1200 mm Max. 1500 mm
Comprimento da barra
*depende do comprimento do eixo árvore do
torno
Peso máximo da barra 22 kg (teórico)
Altura de centro 897mm ~ 1250mm
Peso 298 kg 328 kg
Ar comprimido 6 kg/cm2
Consumo de ar 10 litros (ciclo de carga)
Alimentação elétrica 200/480 VAC - 0,4 A - 50/60 Hz
Capacidade do magazine 650 mm (10 barras Ø 65 mm)
Peso máximo no magazine 320 kg 400 kg

DH-65 S2
8 2 DADOS TÉCNICOS

2.2 PLANTA BAIXA


2.2.1 VERSÃO STANDARD (SEM RETRAÇÃO)

DH-65 S2
2 DADOS TÉCNICOS 9

2.2.2 COM RETRAÇÃO EIXO X

DH-65 S2
10 2 DADOS TÉCNICOS

2.2.3 COM RETRAÇÃO EIXO Z

DH-65 S2
2 DADOS TÉCNICOS 11

2.3 LAYOUT DOS ELEMENTOS

A
<Vista de trás> <Vista de frente>

H E

F
B

M
J D

L
K N

Item Descrição
A Tampa principal
B IHM
C Controle remoto
D Painel elétrico
E Empurrador
F Carro do empurrador
G Canal em V
H Grade de proteção (opcional)
I Magazine
J Ajuste da inclinação do magazine
K Sistema de retração (opcional)
L Cabo da interface
M Pé dianteiro
N Pé traseiro

DH-65 S2
12 2 DADOS TÉCNICOS

Esta página foi intencionalmente deixada em branco

DH-65 S2
3 COLOCAÇÃO EM FUNCIONAMENTO 13

3 COLOCAÇÃO EM FUNCIONAMENTO
O alimentador de barras pode ser fornecido num palete ou num engradado de madeira de
acordo com as exigências do cliente. As instruções de remover o alimentador da caixa e erguer
estão recomendadas abaixo a fim de prevenir contra acidentes e danos ao equipamento.
3.1 DESEMBALAR E TRANSPORTAR
3.1.1 Desembalar
Por razões de segurança e praticidade, o alimentador deve ser desembalado num local
espaçoso e bem iluminado.

3
2

1) Se o alimentador foi fornecido num engradado, remova primeiro a parte de cima.


2) Remova as partes frontais.
3) Remova as partes laterais.

O cabo de interface com o


respectivo conector está
enrolado junto com o cabo do
controle remoto. O esquema da
interface, manual de
instruções, controle remoto,
tubo de ar e chumbadores
estão acomodados dentro do
painel elétrico

DH-65 S2
14 3 COLOCAÇÃO EM FUNCIONAMENTO

3.1.2 Transportar
Insira duas barras nos furos das colunas;
posicione o guindaste verticalmente sobre o
alimentador.

Passe as cintas pelas extremidades das


barras e pendurá-las no guindaste. Levante
o guindaste para esticar as cordas

<Nota>
A capacidade de carga tanto do guindaste
quanto das cintas deve ser maior que 1 ton.

Remova os parafusos que prendem o


alimentador ao palete.

Erga o alimentador e remova o palete.


Verifique se o alimentador está balanceado.

DH-65 S2
3 COLOCAÇÃO EM FUNCIONAMENTO 15

3.2 INSTALANDO O SISTEMA DE RETRAÇÃO (OPCIONAL)

O alimentador desliza sobre as guias do sistema de retração. Antes de montar o


sistema se assegure que o piso esteja plano e nivelado.

O sistema de retração suporta o alimentador e permite que o mesmo seja movido por certo
curso, liberando um espaço atrás do eixo árvore do torno.
O sistema de retração é um opcional que pode ser integrado ao alimentador. O cliente pode
comprá-lo junto com o alimentador ou posteriormente. Se este opcional não foi adquirido, siga
direto para o capítulo 3.3.
3.2.1 Instalando o sistema de retração de eixo X
O sistema de retração em X permite que o alimentador seja movido transversalmente ao torno.
Este movimento dá maior espaço atrás do torno.

Proteção
do sensor Sensor

Para a instalação deste sistema siga os seguintes passos.


Erga o alimentador conforme capítulo 3.1.2
Remova a proteção do sensor e o sensor, nesta sequência.
Fixe o sistema de retração na base do alimentador. O sistema de
travamento deve estar posicionado no lado frontal do alimentador.
Mova o alimentador nas duas direções para ter certeza que foi
montado de maneira correta.
Monte o sensor e a proteção do sensor, nesta sequência.
Insira o cabo no painel elétrico. Assegure-se de que o cabo não
seja prensado ou esmagado no movimento de retração do
alimentador.
Insira fio 18 e 110 no contato 18 e 110 no terminal TB17
Mova o jumper do contato 18 e 110 para junto dos jumper reserva Jumper

Jumper reserva

DH-65 S2
16 3 COLOCAÇÃO EM FUNCIONAMENTO

3.2.2 Instalando o sistema de retração de eixo Z


O sistema de retração em Z permite que o alimentador seja movido ao longo do eixo do torno.
Permite a retração do alimentador quando há obstáculos no sentido transversal (painel do torno,
colunas...)

Proteção
do sensor

Sensor

Para a instalação deste sistema siga os seguintes passos.


Erga o alimentador conforme capítulo 3.1.2
Remova a proteção do sensor e o sensor, nesta sequência.
Fixe o sistema de retração na base do alimentador. O sistema
de travamento deve estar posicionado no lado frontal do
alimentador.
Mova o alimentador nas duas direções para ter certeza que foi
montado de maneira correta.
Monte o sensor e a proteção do sensor, nesta sequência.
Insira o cabo no painel elétrico. Assegure-se de que o cabo
não seja prensado ou esmagado no movimento de retração do
alimentador. Jumper
Insira fio 18 e 110 no contato 18 e 110 no terminal TB17
Mova o jumper do contato 18 e 110 para junto dos jumper Jumper reserva
reserva

DH-65 S2
3 COLOCAÇÃO EM FUNCIONAMENTO 17

3.3 POSICIONAMENTO
O alimentador deve ser posicionado o mais próximo possível atrás do torno. A distância entre o
alimentador e o torno não deve ser maior que 100 mm. Portanto o comprimento da barra não
deve ser maior que o eixo árvore.

<Alimentador sem sistema de retração>

<Alimentador com sistema de retração>

Se o alimentador está equipado com um


sistema de retração, posicione o alimentador
com o sistema de retração travado.

DH-65 S2
18 3 COLOCAÇÃO EM FUNCIONAMENTO

3.4 NIVELAMENTO
Antes de fazer o nivelamento do alimentador, tenha certeza que o torno está nivelado.
Para alimentadores sem sistema de retração:
Coloque um nível de bolha nas
posições C e D da base do
alimentador.

Solte as oito porcas A.

Nivele o alimentador por meio dos


oito parafusos de nivelamento B.
B
Para levantar o alimentador gire o
parafuso no sentido horário até que A
ele toque o piso e continue girando;
para abaixar, gire o parafuso no
sentido anti-horário

Trave as porcas A depois de


terminar o nivelamento.

DH-65 S2
3 COLOCAÇÃO EM FUNCIONAMENTO 19

Para alimentadores com sistema de


retração eixo X:
Coloque um nível de bolha nas
posições C e D da base do E
alimentador.
Solte as porcas A da base B
Nivele o alimentador por meio dos
parafusos de nivelamento B em cada
apoio.
Gire o parafuso B em sentido horário
para levantar e no sentido
anti-horário para abaixar.
Trave as porcas A depois de terminar
o nivelamento. C A
D

Para alimentadores com sistema de


retração eixo Z:
Coloque um nível de bolha nas posições C e
D da base do alimentador.
Solte as porcas A da base
Nivele o alimentador por meio dos parafusos
de nivelamento B em cada apoio
Gire o parafuso B em sentido horário para
E levantar e no sentido anti-horário para
abaixar.

Não ajuste os parafusos E


B
Trave as porcas A depois de terminar o
nivelamento.

DH-65 S2
20 3 COLOCAÇÃO EM FUNCIONAMENTO

3.5 AJUSTE DE ALTURA


Remova as tampas laterais da base. Assegure que a porca B está em contato firme com a
placa C
Abra o painel elétrico e solte as porcas A dos dois lados (total 6 porcas).
Ajuste a altura do alimentador girando as porcas B dos dois suportes. É importante notar que
a porca D deve estar sempre travada e não deve ser ajustada.
Depois que terminar todos ajustes, trave as porcas A e feche as duas tampas laterais.

A D
A

C
A

DH-65 S2
3 COLOCAÇÃO EM FUNCIONAMENTO 21

3.6 CENTRAGEM
• Verifique a posição do empurrador em relação ao centro do eixo árvore com cuidado e ajuste
a posição do alimentador movimentando os parafusos B até o empurrador esteja
perfeitamente centrado no eixo árvore do torno.
• Em função do peso do empurrador, este pode abaixar ao se mover para fora do alimentador,
ajuste o centro tanto na parte de trás quanto na parte da frente do eixo árvore.
• Quando terminar o alinhamento trave as porcas A.

Eixo árvore

<Lado de trás do eixo árvore> <Lado da frente do eixo árvore>

Empurrador

B
A
B

DH-65 S2
22 3 COLOCAÇÃO EM FUNCIONAMENTO

3.7 INSTALANDO O MAGAZINE


O magazine é fornecido desinstalado. O usuário deve instalar o magazine instalar o magazine.
Para a instalação do magazine siga os seguintes passos, de acordo com o seu modelo de

Peças do magazine
para alimentadores Peças do magazine
sem retração para alimentadores
com retração

3.7.1 Alimentador padrão (sem sistema de retração)


1. Destrave os braços do magazine soltando os parafusos indicados.

DH-65 S2
3 COLOCAÇÃO EM FUNCIONAMENTO 23

2. Monte o corpo do magazine A, o braço central B e monte-os nos braços.


3. Monte os pés do magazine C, como indicado.
B

4. Solte a porca D. Incline o magazine por meio da porca E. Trave a porca D depois que
terminar o ajuste. Note que não existe um ângulo absolutamente correto. Ele deve ser
ajustado de acordo com a bitola da barra.

15°
B

Mantenha o
apoio vertical

E
5. Trave os braços do magazine apertando os parafusos indicados.

DH-65 S2
24 3 COLOCAÇÃO EM FUNCIONAMENTO

3.7.2 Alimentadores com sistema de retração


1. Destrave os braços do magazine soltando os parafusos
indicados.

2. Monte o corpo do magazine A, o braço central B


e monte-os nos braços.
3. Monte a base dos pés do magazine C, como
indicado
4. Monte os pés do magazine D, como indicado.
B
A

DH-65 S2
3 COLOCAÇÃO EM FUNCIONAMENTO 25

5. Ajuste a porca E de tal maneira que as placas F estejam paralelas com as placas da base
do alimentador. Ajuste a porca G de tal maneira que os roletes da base do magazine
toquem o piso. Trave a porca H.

F H
F H

E
E

G
G J
J H
H

6. Solte a porca K. Incline o magazine por meio da porca L. Trave a porca K depois que
terminar o ajuste. Note que não existe um ângulo absolutamente correto. Ele deve ser
ajustado de acordo com a bitola da barra.

15°

A
A

7. Trave os braços do magazine apertando os parafusos indicados.

DH-65 S2
26 3 COLOCAÇÃO EM FUNCIONAMENTO

3.8 CHUMBAMENTO
Depois que o alimentador foi posicionado, nivelado, alinhado e o magazine instalado. O
alimentador deve ser chumbado ao piso. Os desenhos abaixo indicam os pontos de
chumbamento dos diferentes modelos. Siga as instruções pertinentes e chumbe o alimentador
de acordo.
3.8.1 Alimentador sem sistema de retração
Chumbe o alimentador pela posição A da base do alimentador e pela posição B do magazine
(total 6 pontos de chumbamento).

A
B

A A

3.8.2 Alimentador com retração eixo X


Chumbe o alimentador nos pontos A dos trilhos do sistema de retração (total 4 pontos de
chumbamento).
A A

A A
A

3.8.3 Alimentador com retração eixo Z


Chumbe o alimentador nos pontos A dos trilhos do sistema de retração (total 4 pontos de
chumbamento).
A
A

A
A A

DH-65 S2
3 COLOCAÇÃO EM FUNCIONAMENTO 27

3.9 CONEXÕES
Uma vez alinhado e chumbado, o alimentador precisa ser conectado na interface do torno e o ar
comprimido precisa ser conectado.
Para conexões elétricas, veja capítulo 4, ELÉTRICA.
Para conexões pneumáticas, veja capítulo5, PNEUMÁTICA.

DH-65 S2
28 3 COLOCAÇÃO EM FUNCIONAMENTO

Esta página foi intencionalmente deixada em branco

DH-65 S2
4 PARTE ELÉTRICA 29

4 PARTE ELÉTRICA
4.1 DESCRIÇÃO GERAL
4.1.1 Layout dos elementos

SR3

E
SR
1

D CS SQ11
1
BZ LS1
STP1
HM
SQ10 I
F STP2
A
SQ12

Item Descrição
A Controle remoto
B Cabo do controle remoto (invisível)
C Painel elétrico
D Cabo da Interface
E Encoder
F Lâmpada indicadora de energização
BZ Alarme sonoro
IHM Interface homem máquina
SQ10 Chave de segurança da tampa principal (opcional)
SQ11 Chave de segurança da tampa do magazine (opcional)
SQ12 Chave de segurança do sistema de retração (opcional)
CS1 Chave geral
LS1 Sensor de medição do faceamento
SR1 Sensor de canal em posição de pré alimentação (0°)
SR2 Sensor de canal em posição de alimentação (15°) (invisível)
SR3 Sensor de posição de origem do empurrador
STP1 Botão de emergência do painel elétrico
STP2 Botão de emergência do controle remoto

DH-65 S2
30 4 PARTE ELÉTRICA

4.1.2 Painel elétrico

QF2 CLP
A

PCI

Item Descrição
A Transformador
B Aterramento
PCI PCI (Placa de circuito impresso – placa de relés)
CLP Comando lógico programável
QF2 Disjuntor de alimentação 24VCC

DH-65 S2
4 PARTE ELÉTRICA 31

4.2 ALIMENTAÇÃO ELÉTRICA


A alimentação elétrica é fornecida pelo cabo da interface. Antes de conectar o cabo da interface
ao torno, certifique-se que a ligação do transformador corresponde à tensão do torno

Circuito CA Circuito CC

110VCA CLP +24 / M

Torno QS1 Transformador


Ponte
20VCA P/-
retificadora

Direção da alimentação

4.2.1 Chave geral QS1

Desligado Ligado

Antes de abrir o painel elétrico, certifique-se que o alimentador esteja desligado.

DH-65 S2
32 4 PARTE ELÉTRICA

4.2.2 Disjuntor QF2


O disjuntor QF2 protege uma fase de 110VCA que alimenta o CLP. Se a corrente desta fase
exceder 4 Ampéres, o disjuntor é ativado e interrompe as duas fases.
Depois de solucionar o problema reative o disjuntor ativando o acionador B.

Item Descrição
A Pólos de entrada
B Acionador liga/desliga
C Pólos de saída B

DH-65 S2
4 PARTE ELÉTRICA 33

4.2.3 Transformador (Opcional)

O transformador fornece as tensões de 20VCA e 110VCA para o alimentador de barras

A fiação de entrada deve ser conectada a bloco primário. Use os contatos de acordo com a
tensão fornecida (200VCA até n480VCA; veja desenho abaixo)
O bloco secundário tem duas saídas independentes. A unidade A fornece 110VCA. A unidade B
tem diversas alternativas de tensão, mas deve estar conectada SEMPRE em 0V/20V

NUNCA conecte a unidade B em 0V/24V.

Bloco secundário

Unidade A Unidade B

Bloco primário
4.2.4 Alimentação de 24VCC

Uma ponte retificadora converte a tensão CA do transformador em 24VCC para os sensores de


proximidade, sinais de interface, controle remoto, válvulas solenóides e alarme sonoro.

DH-65 S2
34 4 PARTE ELÉTRICA

4.3 ESQUEMAS
4.3.1 Símbolos

Item Símbolo Código Descrição

1 AS1 Chave de pressão

2 C1 Capacitor

3 CS1 Chave geral

4 DE Ponte retificadora

5 F2 Fusível

6 LED0, LED13 Diodo emissor de luz

7 QF2 Disjuntor

8 R1 ~ R5 Relé

9 S1~S7 Botão

Sensor de
10 SR1, SR2, SR3
proximidade

11 STP1 / STP2 Botão de emergência

DH-65 S2
4 PARTE ELÉTRICA 35

4.3.2 Esquema elétrico

DH-65 S2
36 4 PARTE ELÉTRICA

4.4 CLP (Controlador Lógico Programável)


4.4.1 Módulo primário

O CLP processa os sinais da interface, dos sensores e do controle remoto, e comanda as


saídas de acordo com a lógica do programa. O CLP também alimenta a IHM com 24 VCC.

C
F
D
E

Item Descrição
A Contatos de entrada. Todos os fios ligados estão identificados
B Nomes dos contatos de entrada.
Indicador dos sinais de entrada. Indica o status das entradas
C
X0 a X27.
D Indicador de status do CLP.
Indicador dos sinais de entrada. Indica o status das saídas Y0
E
a Y17.
F Porta de comunicação.
G Nomes dos contatos de saída.
H Contatos de saída. Todos os fios ligados estão identificados.

DH-65 S2
4 PARTE ELÉTRICA 37

4.4.2 Diagrama de entradas e saídas do CLP

DH-65 S2
38 4 PARTE ELÉTRICA

4.4.3 Sinais de entrada

Contato Indicador Descrição Contato com Observação


L -- Fase 110V entrada Contator Q2
PE -- Terra Torno
N -- Fase 0V entrada Contator Q2
S/S -- Comum Alimentação 0V
X00 0 Fase A Encoder
Sinais do encoder
X01 1 Fase B Encoder
X02 2 Posição de origem SR3(TB23) Sensor
X03 3 Canal em posição 0° SR1 Sensor
X04 4 Canal em posição 15° SR2 Sensor
X05 5 Dispositivo de faceamento LS1 Sensor
X06 6 vazio -- --
X07 7 vazio -- --
Circuito de
X10 10 Circuito principal ligado
emergência
X11 11 Sinal da pinça do torno A1
X12 12 Alarme do torno A2
Sinais de interface
X13 13 Função M A3
X14 14 vazio A4
X15 15 vazio -- --
X16 16 Alimentador em modo manual S1
Alimentador preparado para
X17 17 S2
modo automático
Alimentador em modo
X20 20 S3
automático
Botões do controle
Avançar empurrador em
X21 21 S4 remoto
manual
Recuar empurrador em modo
X22 22 S5
manual
X23 23 Mover canal para posição 0° S6
X24 22 Mover canal para posição 15° S7
X25 23 vazio -- --
X26 26 vazio -- --
X27 27 vazio -- --

DH-65 S2
4 PARTE ELÉTRICA 39

4.4.4 Sinais de saída

Contato Indicador Descrição Contato com Observação


24V -- Alimentação CC
Saída 24VCC IHM
0V -- independente para IHM
Entrada 24VCC para terminal --
COM0 -- --
Y00
Y00 0 vazio -- --
Entrada 24VCC para terminal --
COM1 -- --
Y01
Y01 1 vazio -- --
Entrada 24VCC para terminais
COM2 -- -- --
Y02 e Y03
Y02 2 Alimentador em automático Controle remoto LED de botão
Empurrador em pré
Y03 3 Controle remoto LED de botão
alimentação
-- Contato vazio -- --
Entrada 24VCC para terminais
COM3 -- -- --
Y04, Y05, Y06 e Y07
Y04 4 Alarme do alimentador Relé R1 Sinal de interface
Y05 5 Sinal de INICIAR Relé R2 Sinal de interface
Y06 6 Sinal de fim de barra Relé R3 Sinal de interface
Y07 7 Alimentador em automático Relé R4 Sinal de interface
-- Contato vazio -- --
Entrada 24VCC para terminais
COM4 -- -- --
Y10, Y11, Y12 e Y13
Y10 10 Alimentação de perfil Relé R5 Sinal de interface
Y11 11 vazio -- --
Y12 12 vazio -- --
Y13 13 Empurrador para trás VAL1 Válvula solenóide
-- Contato vazio -- --
Entrada 24VCC para terminais
COM5 -- -- --
Y14, Y15, Y16 e Y17
Y14 14 Empurrador para frente VAL2 Válvula solenóide
Y15 15 Mover canal para posição 0° VAL3 Válvula solenóide
Y16 16 Mover canal para posição 15° VAL4 Válvula solenóide
Y17 17 Alarme sonoro --

DH-65 S2
40 4 PARTE ELÉTRICA

4.5 PCI (Placa de circuito impresso – placa de relés)


PCI é uma placa de circuito impresso com componentes soldados. Nele se encontram terminais
para ligação de elementos elétricos como relés, cabos e fusíveis. Consulte a tabela abaixo para
a função de cada terminal

Terminal Conexões Função


Negativo de 24VCC, fornecidos
TB1 Terminal com 5 conexões
pela fonte retificadora
017, 010, 007, 004, 006, 005, P, Conecta alarme sonoro e sinais de
TB2
P, P interface R1 ~ R5 do CLP.
TB3 -, 017 Alimentação do alarme sonoro
TB4 +24, +24, M, 002, 003 Alimentação LED3 e LED13.
TB5 114, 113, 112, 111 Sinais de interface do torno
Lâmpada sinalizadora de energia
TB6 -, P
ligada
102, +24, M (SR1) Sinais dos sensores de
TB7 103, +24, M (SR2) proximidade
104, +24, M (SR3)
TB8 0, 20 Tensão da ponte retificadora
TB9 18, XT9 (AS1) Chave AS1
TB10 100, 101, 103, 102, 104, M Encoder e chaves SR1 ~ SR3
TB11 M, +24, 100, 101 Alimentação do encoder
120, 117, 122, 124, 123, 121,
TB12 Botões S1 ~ S7 do controle remoto
116
TB13 EM2, EM2, EM1, K5, +24 Botão de emergência STP1
TB14 105, +24, M Alimentação da chave LS1
M, +24, A4, A3, A2, A1, EM2,
TB15 Sinais de interface do torno
EM2, EM1, EM1, XT8, XT9
Contatos de saída 004 e 007 do CLP
TB16 007, 004, -, P, M, +24 Dois contatos reserva de 24VCA.

TB17 18, 110 Segurança da retração SQ12


R5 C, R5 NO, R5 NC, Sinais de interface do torno
R4 C, R4 NO, R4 NC,
TB18 R1 C, R1 NO, R1 NC,
R3 C, R3 NO, R3 NC,
R2 C, R2 NO, R2 NC

DH-65 S2
4 PARTE ELÉTRICA 41

Terminal Conexões Função


Circuito de emergência e contato
TB19 110, 106, 105
de entrada LS1 do CLP
SQ10 : +24, 116, 16, 17 Segurança da tampa principal
TB20
SQ11 : 116, +24, 17, 117 SQ10 e da tampa do magazine
TB21 +24, M Alimentação da IHM

DH-65 S2
42 4 PARTE ELÉTRICA

4.6 INTERFACE

Cabo de interface
com plug macho

4.6.1 Descrição
A Interface é o ponto de passagem dos sinais trocados entre o torno e o alimentador. A tomada
macho com o seu cabo é fornecida com o alimentador. A tomada fêmea deve ser fornecida pelo
fabricante do torno.
Há uma variedade grande de configurações de cabos de interface, para atender as exigências
das diferentes marcas de torno. Antes de conectar o alimentador, assegure-se que a
configuração é compatível com o seu torno. Contato nos em caso de dúvida.
A interligação correta entre o torno e o alimentador é essencial para a operação
segura e confiável do sistema. Recomendamos contratar os nossos serviços para
a instalação.

4.6.2 Esquema de interface padrão


O esquema abaixo é chamado de interface padrão.
Se não houver definição de marca e modelo do torno, o alimentador será fornecido com esta
interface. A interface padrão mostra os sinais mais comuns a serem conectados. A interface real
pode variar em função do modelo do torno. Se a marca e modelo do torno forem especificados,
será preparada uma interface que melhor se adapta às necessidades do cliente.
Ao instalar a interface, os contatos da mesma devem ser ajustados de acordo com a interface
fornecida com o torno.
Recomendamos contratar os nossos serviços para a instalação.

DH-65 S2
4
Sinais de interface do Sinais de interface do torno
alimentador para o torno para o alimentador

PARTE ELÉTRICA
Cabo de
alimentação
Número do pino
do conector

Número do terminal Número do fio do cabo da interface do alimentador


DH-65 S2

Modelo de conector
da interface
Descrição dos sinais de interface

43
44 4 PARTE ELÉTRICA

4.6.3 Sinais do alimentador para o torno


Quando certo sinal do alimentador é ativado, o relé correspondente é energizado então envia
um sinal para o torno. O alimentador oferece fiação, tanto nos contatos NA quanto NF. Eles
devem ser conectados de acordo com a lógica do torno.
a) Alimentação 24Vcc
Todos os sinais do alimentador são alimentados por 24Vcc. Quando um relé é energizado no
alimentador, sinal de 24Vcc passa pelo contato correspondente indo para o CNC do torno.
b) R1 - Relé de alarme
Quando um alarme é ativado no alimentador o relé R1 é energizado. O contato correspondente
será ativado e o sinal será enviado/removido, de acordo com a lógica de fiação do torno.
Por motivos de segurança este sinal deve parar o eixo árvore do torno.
c) R2 – Relé de ciclo de alimentação terminado
Quando o empurrador para, baseado nos ajustes do servo amplificador, ele energiza o relé R2.
Geralmente este sinal confirma que a barra tocou o tope durante o ciclo de alimentação, e que a
pinça, portanto pode fechar.
d) R3 – Relé de fim de barra (FDB)
Quando o empurrador atinge a posição de fim de barra durante a alimentação, o relé R3 é
energizado. Este sinal é usado para indicar que o material restante não é suficiente para usinar
mais uma peça, de acordo com os parâmetros ajustados.
Veja o parâmetro P06 e parâmetros de serviço MODE11, 12 e 13 para mais informações.
e) R4 – Relé de modo automático
Este relé é energizado assim que o alimentador é comutado para modo automático.
(AUTOMÁTICO PRONTO + INICIAR AUTOMÁTICO)
f) R5 – Relé alimentação perfil
Este relé é energizado sob as seguintes condições:

Item Começa Termina

Quando o carro de pré avanço deixa a Quando o carro de pré avanço retorna
1 posição zero para executar a pré para a posição zero.
alimentação.
Quando o empurrador sai da posição zero Quando o empurrador para após atingir
2
para o faceamento. a posição de faceamento.
3 Quando a pinça do torno abre durante a Quando o empurrador para depois que
usinagem. tiver alimentado o comprimento de uma
peça.
Veja o parâmetro de serviço MODE16 para mais informações

DH-65 S2
4 PARTE ELÉTRICA 45

4.6.4 Sinais do torno para o alimentador


A lógica dos sinais da interface pode ser configurada. Contate-nos para suporte
técnico
a) Alimentação 24Vcc
Todos os sinais do torno são alimentados por 24Vcc. Quando um relé é energizado no
alimentador, sinal de 24Vcc passa pelo contato correspondente indo para o CLP do alimentador.
b) Sinal de emergência do torno
Os contatos XT8 e XT9 estão integrados no circuito de emergência do alimentador. Quando o
circuito é interrompido entre XT8 e XT9, o alimentador entra modo de parada de emergência,
aciona o alarme e01 e energiza o relé R1.
c) Sinais de pinça do torno (entrada X11) terminal A1
Sinais de pinça do torno confirmam o status da pinça do torno. Este sinal inicia ciclos de
alimentação e de troca de barra, sozinho ou em conjunto com outros sinais.
A lógica deste sinal pode ser invertida no parâmetro MODE2.
d) Alarme do torno (entrada X12), terminal A2
Este sinal indica a chegada de um alarme do torno.
A lógica deste sinal pode ser invertida no parâmetro MODE3.
e) Iniciar troca de barra (entrada X13), terminal A3
Este sinal é usado para o torno decidir o retardo o tempo até o empurrador retornar para a troca
de barra, depois que o sinal de fim de barra é enviado pelo alimentador.
A lógica deste sinal pode ser invertida no parâmetro MODE4.
f) Sinal reserva (entrada 14), terminal A4
Este sinal não está ligado na interface universal

4.6.5 Recapitulando instruções de segurança relativas à interface

O pedal de abrir e fechar a pinça deve estar desativado no ciclo automático do torno.
O pedal deve estar desativado enquanto o sinal de alimentar estiver presente.
Sempre que possível, é recomendado desabilitar a abertura manual da pinça enquanto o
sinal de alimentar estiver presente.
Quando o torno entrar em modo emergência também deve colocar o alimentador em
emergência e vice-versa.
Se o alimentador ativar um alarme o torno também deve entrar em alarme. O movimento do
empurrador deve ser desabilitado, e o eixo árvore deve parar de girar.

DH-65 S2
46 4 PARTE ELÉTRICA

4.7 CHAVES DE SEGURANÇA (OPCIONAL)


As opções descritas a seguir são chaves e sensores de segurança disponíveis para os
alimentadores. Podem ser acrescentados de acordo com a necessidade.
Sensor SQ11
Sensor SQ10, SQ12

Braço basculante

Lingüeta do sensor

Sensor de segurança da tampa principal (SQ10)


Este sensor deve ser montado no corpo do alimentador e a lingüeta na tampa móvel. Quando a
tampa principal estiver fechada com o micro
instalado, os fios 16 e 17 estarão conectados,
mas os fios 117 e +24 o fio desconectados, não
enviando nenhum sinal para o contato de
entrada X16 do CLP. O alimentador pode então
ser comutado para modo automático pronto. Fio17 Fio 16
Quando a tampa for aberta os fios 16 e 17
serão conectados e os fios 116 e +24
desconectados, enviando um sinal para o Fio +24
Fio 116
contato de entrada X16 do CLP. Se o
alimentador estiver em modo automático, será
comutado para modo manual.
Siga a figura ao lado para a conexão correta dos fios. Observe o diagrama de entradas e saídas
do CLP para ligar ao CLP
Sensor de segurança da tampa do magazine (SQ11)
Este sensor deve ser montado no corpo do alimentador e o braço basculante na tampa do
magazine.
Quando a tampa do magazine estiver
fechada com o micro instalado, os fios 117 e
17 estarão conectados, mas os fios 117 e
+24 o fio desconectados, não enviando
nenhum sinal para o contato de entrada X16
do CLP. O alimentador pode então ser Fio 117 Fio 17
comutado para modo automático pronto.
Quando a tampa for aberta os fios 117 e 17
serão conectados e os fios 116 e +24 Fio 116 Fio +24
desconectados, enviando um sinal para o
contato de entrada X16 do CLP. Se o
alimentador estiver em modo automático,
será comutado para modo manual.
Siga a figura ao lado para a conexão correta dos fios. Observe o diagrama de entradas e saídas
do CLP para ligar ao CLP

DH-65 S2
4 PARTE ELÉTRICA 47

Sensor de segurança do sistema de retração (SQ12)


O sensor deve ser montado na base do alimentador e a lingüeta no sistema de retração.
Quando o sistema de retração estiver travado com o sensor montado, os fios 3 e 4 estarão
conectados, mantendo o circuito de segurança fechado.

Fio 3 Fio 4

Fio 1 Fio 2

DH-65 S2
48 4 PARTE ELÉTRICA

DH-65 S2
5 PNEUMÁTICA 49

5 PNEUMÁTICA
5.1 LAYOUT DOS ELEMENTOS
Os movimentos do alimentador são comandados por elementos pneumáticos. Para o bom
funcionamento do sistema a pressão mínima de 6 bar é obrigatória.

<Vista de trás do alimentador> C

D G

E A

Item Descrição
A Cilindro de basculamento do canal/cilindro de carga da barra
B Cilindro de levantamento do canal (não visível)
C Cilindro de avanço e recuo do empurrador
D Válvulas solenóides (cobertas, não visíveis)
E Unidade FRL (filtro, regulagem e lubrificação)
F Ajuste de amortecimento de retorno do empurrador
G Ajuste de amortecimento de avanço do empurrador
H Ajuste da força do empurrador
AS1 Sensor de pressão (dentro do painel de comando, não visível)

DH-65 S2
50 5 PNEUMÁTICA

5.2 ESQUEMA PNEUMÁTICO

DH-65 S2
5 PNEUMÁTICA 51

5.3 UNIDADE FRL


A unidade FRL (Filtragem-Regulagem-Lubrificação) faz a filtragem e lubrificação do ar
comprimido e a regulagem da pressão, antes do sistema pneumático.
O ar deve ser fornecido limpo e seco com uma pressão de 6 kgf/cm2.
5.3.1 Layout dos elementos

B
A E
G

C
I

D
F

Item Descrição
A Entrada de ar
B Botão de ajuste de pressão
C Manômetro
D Coletor de condensado
E Lubrificador
F Copo para óleo
Saída de ar
G
8mm / G1/4 engate rápido
H Tampa para reabastecimento de óleo
I Abafador

DH-65 S2
52 5 PNEUMÁTICA

5.3.2 Conexão
Para conexão pneumática do alimentador fornecemos uma mangueira com engate rápido.

A pressão de ar da fábrica não pode ser maior que 8 bar (14 psi). Conecte a mangueira no
alimentador e na rede da fábrica, antes de abrir o ar comprimido.

5.3.3 Ajustes
Aumentar 1. Destrave o botão de ajuste puxando-o para cima.
pressão
Diminuir
pressão 2. Para aumentar a pressão, girar o botão em sentido
horário. Para diminuir a pressão, gire-o no sentido
anti-horário. A pressão de trabalho deve ser mantida
no valor de 6 bar.
Destravar

3. Quando terminar o ajuste trave o botão


Travar
empurrando-o para baixo.

DH-65 S2
5 PNEUMÁTICA 53

5.4 BLOCO DAS VÁLVULAS PNEUMÁTICAS


O bloco das válvulas solenóides tem a função de comandar os cilindros.
5.4.1 Layout dos elementos

VAL3

VAL4

A VAL1

VAL2
A
A

Item Descrição
A entrada de ar de Ø 8 mm (da unidade FRL)
B Saída de ar/abafador
VAL1 Move o empurrador para trás
VAL2 Move o empurrador para frente
VAL3 : Levanta o canal para posição 0°
VAL3 / VAL4
VAL4 : Abaixa o canal para a posição15°

DH-65 S2
54 5 PNEUMÁTICA

5.4.2 Válvula solenóide

Comandada pelo CLP, a válvula solenóide controla os cilindros.


Os cilindros podem ser ativados manualmente, pressionando o botão A. Para manter o cilindro
ativado o botão deve ser girado 90º no sentido horário. Para liberar o cilindro, o botão deve ser
girado 90º no sentido anti-horário.
Esta função é útil durante testes ou manutenção. Quando o botão é liberado a válvula retorna
para posição central (com exceção da válvula de duplo solenóide YV2)
5.4.3 Sensor de pressão
O sensor de pressão tem duas funções no DH-65/DH-65L
AS1
O sensor de pressão AS1 serve para assegurar que o ar
comprimido está sendo fornecido para o alimentador e que está
acima do valor mínimo necessário.
O sensor de pressão é ativado quando a pressão ultrapassa a
pressão 2 bar, desativando a emergência.
Quando a pressão cai 0,5 bar abaixo deste valor, o circuito de
emergência é ativado e o alarme e01 é enviado visor da IHM.

DH-65 S2
5 PNEUMÁTICA 55

5.5 CILINDRO SEM HASTE, FUNCIONAMENTO E MANUTENÇÃO

Corpo deslizante

Tubo do cilindro

Ponto de
abastecimento de óleo

O cilindro é composto pelo tubo, o pistão interno e o corpo deslizante. O pistão e o corpo
deslizante estão conectados por força magnética. Dentro do tubo se encontra o pistão que
permanece imóvel enquanto as pressões dos dois lados são iguais. Se houver um diferencial de
pressão, o pistão se moverá para o lado de menor pressão, arrastando o corpo deslizante, que
irá mover o empurrador para frente e para trás.
A superfície externa do tubo deve estar sempre limpa, isenta de poeira e cavacos e levemente
lubrificada. A falta de lubrificação, bem como a existência de poeira e cavacos vai tornar o
movimento menos suave, diminuindo a força de avanço e recou do empurrador. Em casos
extremos pode travar o cilindro.
Dependendo do local de instalação do alimentador, é necessário adicionar graxa no ponto de
lubrificação. Adicione graxa até que o óleo escuro tenha saído completamente, e comece a sair
lubrificante limpo. É necessário também limpar a superfície do tubo regularmente e colocar
alguma graxa em sua superfície.
.

DH-65 S2
56 5 PNEUMÁTICA

5.6 MANUTENÇÃO
O sistema pneumático deve ser verificado regularmente a fim de garantir de que o alimentador
recebe ar comprimido de qualidade. Recomendamos verificar a unidade FRL toda semana
como segue:
1. Verifique o coletor de condensado:
O coletor de condensado é também um meio de verificar a qualidade de ar comprimido
fornecido. Ar comprimido de qualidade não gera condensado dentro do coletor.

A unidade FRL não substitui o secador de ar !!!!!

O coletor tem um dreno automático. Quando não há pressão no interior da unidade FRL uma
mola abre o dreno e o condensado e liberado.
Quando o ar comprimido está sempre ligado o coletor de condensado deve ser drenado
manualmente. Quando há condensado acumulado no coletor esvazie-o empurrando o dreno
para cima e depois verifique o sistema de controle de umidade.
2. Verifique o lubrificador:
O consume de óleo varia de acordo com o uso do alimentador. O nível de óleo não deve
exceder a metade do copo. É recomendado o uso de óleo ISO VG 32 ou Shell Turbo T Oil #32.
Quando o nível está abaixo dos 30%, reabasteça conforme o seguinte procedimento.

Bocal de saída
do óleo
Diminui o fluxo
de óleo
Tampa para
abastecimento de óleo

Nível de óleo Aumenta o


recomendado fluxo de óleo

Desconecte o tubo de entrada de ar.


Retire a tampa e encha com óleo até o nível mostrado na figura abaixo.
Para otimizar o desempenho, o óleo deverá pingar a cada ciclo complete de Avanço/recuo
do empurrador. Se o ambiente for úmido esta freqüência pode ser maior. Ajuste a
quantidade de acordo com as condições de produção.
Conecte o tubo de entrada de ar

DH-65 S2
6 DESCRIÇÃO GERAL 57

6 DESCRIÇÃO GERAL
6.1 SISTEMA DE CARGA
O sistema de carga consiste de um magazine para barras, alavancas para elevação da barra,
encosto de parada e cilindros de carga. O sistema tem a função de estocar as barras e carregar
as mesmas no canal de guia. A fim de permitir uma carga precisa em modo automático, é
preciso observar o ajuste correto ao perfil e à dimensão da barra.

6.1.1 Descrição dos elementos


D
B

F
G

A
C
E

Item Descrição Função


A Magazine Estocar as barras
B Tampa do magazine Impedir o acesso ao interior do alimentador
Sensor de segurança Detectar a abertura da tampa
C da tampa do magazine
(opcional)
D Limitador do magazine Delimitar a área de posicionamento das barras
E Pés do magazine Suporte do magazine
F Alavancas de carga Carregar as barras no canal de guia
G Encosto de parada Posicionar a barra na posição de carga

DH-65 S2
58 6 DESCRIÇÃO GERAL

6.1.2 Ajuste do sistema de carga


6.1.2.1 Encosto de parada
Os encostos de para devem ser ajustados de tal maneira que apenas uma barra seja carregada
por ciclo.

Encosto de
parada
finger

6.1.2.2 Altura do magazine


Na maioria das aplicações, um ajuste de ângulo e altura é o suficiente. Apenas para barras
perfiladas (quadrada, hexagonal, octogonal..) ou de pequeno diâmetro requerem um ajuste de
ângulo que pode ser feito pelas porcas A e B.

15°

6.1.2.3 Reabastecendo o magazine


Ao reabastecer o magazine atentar que a ponta de trás da barra esteja encostada no limitador
traseiro do magazine.

DH-65 S2
6 DESCRIÇÃO GERAL 59

6.2 SISTEMA DE ALIMENTAÇÃO


O sistema de alimentação é composto pelo carro de pré-avanço, empurrador, cilindro
pneumático sem haste e dispositivo de faceamento. Este sistema é acionado por um cilindro
pneumático sem haste, que movimenta o empurrador para frente, alimentando a barra.

B
A
K
H

J F
D
I

C
E
K

Item Descrição
A Cilindro de avanço e recuo do empurrador
B Carro de pré avanço
C Encoder
D Haste guia
E Sistema de faceamento
F Ajuste de amortecimento de avanço do empurrador
G Ajuste de amortecimento de retorno do empurrador
H Canal de guia
I Ajuste da força do empurrador
J Ajuste da altura do canal de guia
K Trava do ajuste de altura

DH-65 S2
60 6 DESCRIÇÃO GERAL

6.3 SISTEMA DO EMPURRADOR


6.3.1 Descrição
O sistema do empurrador é composto pelo carro de pré-avanço e pelo empurrador.
Item Função Nota
Carro de Movimenta a barra dentro do
Pré-alimentação
pré-avanço alimentador
Faceamento
Alimentação durante a
Movimenta a barra fora do
Empurrador usinagem
alimentador
Ejeção da ponta
remanescente

Existem 3 diâmetros de empurrador disponíveis para o alimentador conforme tabela abaixo.

Diâmetro do Campo de aplicação


empurrador (Bitola de barra)
Ø6 Ø 5 ~ 15
Ø 12 Ø 15 ~ 25
Ø 20 acima de Ø 25
Unidade: mm

DH-65 S2
6 DESCRIÇÃO GERAL 61

6.3.2 Troca do empurrador


Passo Descrição
1
Mova o canal para posição 15º
2
Mova o empurrador até a metade do curso.
3 Remova o pino de travamento e o parafuso de travamento da bucha de plástico

4 Tenha cuidado com a mola comprimida atrás da haste do empurrador


Segure a haste antes de soltar o parafuso de travamento que fixa a haste no cilindro.
Depois de soltar o parafuso de travamento solte a haste com cuidado.
Com cuidado mova a haste para frente. Mova o carro para trás até remover a haste do
5
encaixe e também da bucha de plástico

3
4

DH-65 S2
62 6 DESCRIÇÃO GERAL

Passo Descrição
Monte a bucha de plástico. Insira a ponta da frente da haste na bucha de plástico.
6 Insira a mola no corpo da trava do empurrador. Insira a ponta de trás do empurrador no
corpo da trava.
Fixe o parafuso de travamento do empurrador.
7
Tome cuidado para que a cabeça do parafuso fique abaixo da superfície
do corpo da trava
8 Fixe o parafuso de travamento da bucha de plástico.
9 Mova o empurrador para a posição de origem.

Cabeça do parafuso de Superfície do


travamento está abaixo da corpo da trava
superfície do corpo da trava.

DH-65 S2
6 DESCRIÇÃO GERAL 63

6.4 TRANSMISSÃO

Cilindro sem haste

Encoder

A transmissão é composta pelo cilindro sem haste e um encoder . O carro de movimentação do


empurrador é acionado pelo cilindro sem haste. Como não há conexão mecânica entre o
empurrador e a barra, o empurrador deve ter uma distância de segurança da barra quando esta
estiver girando. Normalmente o sistema de transmissão avança quando a pinça abre e retorna
quando a pinça fecha. Para controlar o comprimento de alimentação, sempre é necessário o
uso de um tope no torno.

O encoder é ligado ao carro de avanço por meio de uma correia. Enquanto o empurrador estiver
em movimento a sua posição será calculada pelo encoder. O CLP lê a posição do empurrador
através dos pulsos enviados pelo encoder e envia os sinais de acordo. Se o empurrador não
parar em uma posição programada um alarme é ativado.
Para o correto posicionamento da barra sempre é necessário posicionar um tope dentro do
torno. Tanto em ciclo automático quanto em manual, quando a barra encosta no tope do torno e
não se movimenta mais o CLP ativa o contato de saída Y05 e enviar o sinal INICIAR ao torno,
para dar início ao próximo ciclo de usinagem.

DH-65 S2
64 6 DESCRIÇÃO GERAL

6.4.1 Ajuste da força de alimentação


A força de alimentação pode ser ajustada por uma válvula reguladora, de acordo com o
diâmetro da barra.
A força de alimentação é influenciada por diversos fatores, como arestas da barra, superfície da
barra, peso específico do material, condição de manutenção do cilindro sem haste, entre outros.
Por isto não existe um valor específico para cada bitola de barra. Abaixo indicamos valores de
referência que podem ser usados como ponto de partida para então fazer os ajustes finos de
acordo com o desempenho em produção.
Aumentar
Diâmetro da barra (mm) Pressão sugerida (bar) pressão
menor que 10 3
10 ~ 30 3~4
maior que 30 4~6 Diminuir
pressão
Gire o botão no sentido horário para aumentar a pressão e no
sentido anti-horário para diminuir a pressão.
Manômetro
6.4.2 Amortecendo a força ajustada
Com forças de alimentação maiores, o empurrador pode ter um impacto maior ao atingir a
posição limite anterior ou posterior.
Para evitar isto, o alimentador é equipado com válvulas de regulagem do lado da frente e de trás
do cilindro, que permitem amortecer o movimento, tanto de avanço quanto de recuo do
empurrador.
Gire o botão no sentido horário para aumentar o amortecimento e no sentido anti-horário para
diminuir o amortecimento.

Aumentar amortecimento

Diminuir amortecimento

Travar/Destravar
Lock/unlock

Lado traseiro Lado dianteiro

DH-65 S2
6 DESCRIÇÃO GERAL 65

6.5 CONJUNTO DO CANAL DE GUIA EM V


6.5.1 Descrição
O conjunto do canal de guia em V tem a função de guiar a barra durante o processo de troca de
barra e de pré-avanço. Ele tem duas posições. Cada posição permite a execução de funções
específicas.
Posição 15º
Esta posição permite a alimentação da peça, isto é, movimentar a barra quando esta se
encontra dentro do eixo árvore, por meio do empurrador longo.

Ao pressionar o botão , com o empurrador na posição de origem e sem material no canal


em V ocorre a seguinte seqüência de movimentos:
1. O canal desce para a posição inferior.
2. O canal bascula para a posição 15º, engata o empurrador longo com o cilindro sem haste,
posicionando o empurrador no centro de alimentação do alimentador.
3. As alavancas de carga movem para a posição inferior
4. O empurrador longo está na posição correta para ser movimentado, tanto no modo manual
quanto automático

Centro de
alimentação
do 3
alimentador

2
1

DH-65 S2
66 6 DESCRIÇÃO GERAL

Posição 0º
Esta posição permite a pré alimentação, isto é, movimentar uma barra nova para dentro do eixo
árvore do torno, por meio do carro de pré avanço.

Ao pressionar o botão , com o empurrador na posição de origem e sem material no canal


em V ocorre a seguinte seqüência de movimentos:
1. As alavancas de carga sobem e carregam uma nova barra no canal em V.
2. O canal bascula para a posição 0º e desengata o empurrador longo com o cilindro sem
haste.
3. O canal em V sobe posicionando a barra no centro de alimentação do alimentador.

A posição elevada do canal de guia em V precisa ser ajustada de acordo com a


bitola da barra, conforme instruções do capítulo 6.5.2.
4. O carro de pré-avanço está na posição correta para ser movimentado, tanto no modo manual
quanto automático

Centro de
alimentação
do
alimentador
3 4

1
2

DH-65 S2
6 DESCRIÇÃO GERAL 67

6.5.2 Ajuste de altura


A posição de canal guia elevado, precisa ser ajustada de acordo com a bitola da barra. A barra
deve estar alinhada com o centro do eixo árvore quando o canal de guia estiver na posição 0º.
Siga os procedimentos abaixo para ajustar esta posição.
Passo Procedimento
1 Solte as duas travas conforme mostrado abaixo.
Ajuste o diâmetro da barra por meio do manete. A régua superior é em polegadas e a
2 inferior em mm. Gire o manete no sentido horário para aumentar o diâmetro e no
sentido anti-horário para diminuir o diâmetro.
3 Fixe as duas travas depois que terminar o ajuste.

Travar Travar

Destravar
Destravar

1
2

Aumenta a
dimensão da barra
Alinhe este canto com o
diâmetro da barra
Diminui a
dimensão da barra

DH-65 S2
68 6 DESCRIÇÃO GERAL

6.6 REDUÇÃO DO EIXO ÁRVORE


A redução do eixo árvore é uma extensão do sistema de guia da barra. Ela preenche o espaço
vazio entre o empurrador/barra e o diâmetro interno do eixo árvore, reduzindo o espaço
disponível para oscilação da barra. A redução serve para guiar o empurrador/barra dentro do
eixo árvore do torno, quando o diâmetro interno do mesmo for maior que o diâmetro do
empurrador/barra.
O alimentador é fornecido sem a redução. O seu uso não é obrigatório, mas é fortemente
recomendado para diminuir vibrações durante a usinagem.
6.6.1 Desenho
O material pode ser aço ou plástico como Teflon ou PE. Podem ser tubos integrais ou
combinação de segmentos. O objetivo é reduzir o diâmetro alongo de todo o comprimento do
eixo árvore.
Segue abaixo exemplo para a versão de segmentos múltiplos. São necessários dois tipos de
segmentos:
Modelo B

“n” x Modelo A

a) Modelo A
O modelo A foi concebido para ter um comprimento que, usando
varias peças, cobra o comprimento do eixo árvore.
<Dimensões>
1. Comprimento total L : Obtido pela divisão do
comprimento do eixo árvore pela quantidade de segmentos
que o cliente pretende fabricar. Geralmente o comprimento
varia entre 50 ~ 100mm.

2. OD1: O diâmetro externo do segmento de redução. Geralmente até 1 mm menor que o


diâmetro interno do eixo árvore.
ID: O diâmetro interno do segmento de redução. Geralmente 1 mm maior que o diâmetro
da barra.
t: Espessura da parede. Apenas referência. Não deve ser menor que 5 mm.

DH-65 S2
6 DESCRIÇÃO GERAL 69

b) Modelo B
É o segmento que fecha a ponta de trás do eixo árvore. Existem três formas construtivas
diferentes. Escolha a que melhor se adapta ao eixo árvore da sua máquina ou consulte-nos.

Modelo B.1 Modelo B.2 Modelo B.3


Modelo B.1
Tem as dimensões são as mesmas que do modelo A, a menos de:
OD2: 1 ou 2 mm maior que o diâmetro interno do eixo árvore.
Chanfro de entrada C: C = 0.5 X t

Modelo B.2
Tem as dimensões são as mesmas que do modelo A, a menos de:
OD2 : 1 ou 2 mm maior que o diâmetro interno do eixo árvore com aplicação de
fita na superfície externa
Chanfro de entrada C: C = 0.5 X t

Modelo B.3
Este tipo pode ser usado quando há furos de fixação na parte traseira
do cilindro. Pode ser feito um anel pra travar os segmentos de redução.
O diâmetro interno do anel deve ser maior que o diâmetro interno do
segmento e menor que o diâmetro externo do mesmo.
Tem as dimensões são as mesmas que do modelo A, a menos de:
Chanfro de entrada C: C = 0.5 X t

DH-65 S2
70 6 DESCRIÇÃO GERAL

Esta página foi intencionalmente deixada em branco

DH-65 S2
7 OPERAÇÃO 71

7 OPERAÇÃO
7.1 CONTROLE REMOTO
O controle remoto inclui todos os botões (de operação manual e de emergência), indicadores de
sinal da interface, bem como todos os comandos e a tela da IHM.

Botão de
emergência

Área de sinais

Teclas função

7.1.1 Área de sinal

M code Indica se o sinal de código M do torno está ligado ou desligado


CHUCK Indica se a pinça do torno está aberta ou fechada
B.D.T. Indica se o sinal de FIM DE BARRA do alimentador está ligado
START Indica que o sinal de INICIAR está ligado
ALARM Indica se o sinal de ALARME do alimentador está ligado
* Esse sinal será ativado por ações do torno, independente da configuração dos parâmetros de serviço.

DH-65 S2
72 7 OPERAÇÃO

7.1.2 Botões e teclas

Parada de emergência
Pressionar o botão de emergência imediatamente interrompe o
alimentador de barras, p.ex. numa situação perigosa. O alimentador
de barras irá enviar um sinal de alarme para o torno e interromper o
torno se a interface estiver ligada corretamente. O alarme e01 será
exibido no visor da IHM.
Para cancelar o alarme, solte o botão, girando no sentido horário e
pressione a tecla de modo MANUAL.

Automático preparado
Coloca o alimentador na condição de automático preparado.
Quando estiver neste modo o LED da tecla estará ligado. O
alimentador está pronto para ser colocado em modo automático.
Para que se possa colocar o alimentador em modo automático
preparado, as seguintes condições devem estar cumpridas:
O canal em V está na posição 15º para movimentar o
empurrador longo

Iniciar Automático
Coloca o alimentador no modo automático. Quando estiver neste
modo o LED da tecla estará ligado. O alimentador está operando em
seqüência automática, comandado pelo torno.
Para que se possa colocar o alimentador em modo automático, as
seguintes condições devem estar cumpridas:
O alimentador está em modo Automático preparado e o canal
em V está na posição 15º para movimentar o empurrador longo

Manual
Coloca o alimentador de barras em modo MANUAL. No modo
MANUAL, o LED da tecla está aceso, e é possível operar o
alimentador através das teclas de função.
Cancela a mensagem de alarme depois de qualquer situação de
emergência.

Avançar
Move o empurrador para frente. Somente possível quando o
alimentador está em modo MANUAL.
Quando o carro atingir a posição P08 o LED da tecla acende

Recuar
Move o empurrador para trás. Somente possível quando o
alimentador está em modo MANUAL.
Quando o carro atingir a posição de origem o LED da tecla
acende

DH-65 S2
7 OPERAÇÃO 73

Posição 15º
Somente possível quando o alimentador está em modo
MANUAL e o empurrador está na posição de origem
Bascula o canal para a posição 15º e move o mesmo para baixo,
abaixa as alavancas de carga, para movimentar o empurrador
longo. Quando o canal atingir a posição 15º o LED da tecla
acende

Posição 0º
Somente possível quando o alimentador está em modo
MANUAL e o empurrador está na posição de origem.
Bascula o canal para a posição 0º e move o mesmo para cima,
levanta as alavancas de carga, para movimentar o carro de pré
avanço. Quando o canal atingir a posição 0º o LED da tecla
acende

DH-65 S2
74 7 OPERAÇÃO

7.2 IHM (Interface homem máquina)


A IHM permite ao operador ler mensagens e ajustar parâmetros. Área de indicação de status
Posição atual do empurrador
Tela de textos

Teclado numérico

Teclas de comando

7.2.1 Tela da IHM


A tela mostra parâmetros, informações de status e mensagens de erro:

Ao ligar o alimentador, é mostrada a tela da esquerda. Pressione a tecla para acessar a


tela de parâmetros, mostrada no lado direito.
Nessa tela, há 3 opções de seleção:

1. : Para acessar os parâmetros de OPERAÇÃO.

2. : Para acessar os parâmetros de SERVIÇO.

3. : Para acessar a versão de software. Ambos, IHM e CLP


possuem seus softwares próprios conforme indicado abaixo.
Essa informação é utilizada quando houver necessidade de
suporte técnico. Ao entrar em contato com a LNS, favor informar
as versões de software de IHM e CLP.

DH-65 S2
7 OPERAÇÃO 75

7.2.2 Teclas de comando


Aumentar / diminuir o valor numérico de um dígito específico.
Exemplo:

Se um número for “4”, aumentar para “5” apertando ou diminuir

para “3” apertando .


Mover o cursor para a esquerda / direita.
Exemplo:
Se o cursor estiver em ”4” no número “345”, mover para dígito “3”

apertando ou mover o cursor para “5” apertando .


Essa tecla serve para sair de um parâmetro, sem alterar os valores.

Essa tecla serve para validar um novo valor de parâmetro.

7.2.3 Teclas numéricas

São elas , , , , e . Servem para digitar números ou executar


funções atribuídas a elas.
1. Ao editar valores de parâmetros, as teclas numéricas podem ser utilizadas como alternativa
às teclas de comando. Números são digitados de acordo com a tabela abaixo:
Número 1 2 3 4 5 6 7 8 9

Combinação + + + + +
de tecla

2. Em algumas telas, funções são atribuídas às teclas. A função é


indicada através de um ícone acima da respectiva tecla.
Exemplo:

Na figura ao lado, a tecla pode ser usada para retornar à


tela anterior.

DH-65 S2
76 7 OPERAÇÃO

7.2.4 Área de indicação de status


Alarm (vermelho)
Esse LED estará aceso quando:
- o alimentador for ligado. Após a inicialização da IHM o LED se apagará.
- quando houver uma falha de comunicação entre CLP e IHM.
RS-232 (verde)
Se a interface RS-232 não for utilizada, o LED permanece desligado.
RS-485 (verde)
Esse LED indica atividade de comunicação pela interface RS-485 entre IHM e CLP.

DH-65 S2
7 OPERAÇÃO 77

7.3 ALIMENTAÇÃO E PARADA DE EMERGÊNCIA


7.3.1 Alimentação
O alimentador de barras está equipado com um encoder absoluto que lê a posição do
empurrador continuamente. Quando o alimentador está desligado, ou quando houver uma
queda de energia, essa posição é mantida na memória do CLP. Quando o alimentador de barras
estiver desligado, o encoder não funciona.
Quando se liga o alimentador, a posição do empurrador memorizada anteriormente é
considerada imediatamente, portanto nenhuma entrada é necessária no início. O CLP lê sinais
dos sensores e fornece apenas as operações permitidas de acordo.

Gire a chave no sentido horário


para ligar o alimentador

Desligado Ligado

Certifique-se que o alimentador esteja desligado antes de abrir o armário


elétrico.
Não movimente o empurrador quando o alimentador está desligado
porque a posição armazenada na memória não irá coincidir com a posição
real. Por exemplo, se o empurrador está na posição origem, mas a posição
no display não for 0, siga o procedimento abaixo para referenciar a
posição:
1. Mova o empurrador para a posição de origem. Desligue e ligue o
alimentador.
2. Mova o empurrador para a posição de origem e mantenha o botão
pressionado por 3 segundos.

DH-65 S2
78 7 OPERAÇÃO

7.3.2 Botões de emergência


Quando há uma situação perigosa, pressione um dos botões de emergência. As seguintes
ações serão iniciadas:
1. Saída Y04 do CLP será ligada.
2. Alarme e01 será mostrado na IHM.
3. Saídas Y13 a Y16 do CLP serão desligadas.
4. Saída Y17 do CLP será ligada.

Após eliminar a situação de emergência, solte o botão de emergência e aperte a tecla manual
no controle remoto para cancelar o alarme.

Botão de emergência no painel elétrico STP1


EMERGÊNCIA
CANCELAR

Botão de emergência no controle remoto STP2

EMERGÊNCIA
CANCELAR

DH-65 S2
7 OPERAÇÃO 79

7.4 SEQÜÊNCIA AUTOMATICO/MANUAL


7.4.1 Posicionar o canal de guia na posição 15º em manual
As condições abaixo devem ser satisfeitas:
Item Descrição
1 O torno não está em modo AUTOMÁTICO.
2 Canal de guia está na posição 0° (SQ5 LIGADO).
3 Sem material no eixo árvore.

Passos para abaixar o canal para a posição 15°:


Passo Descrição

1 Pressione a tecla para retornar o carro de pré avanço até a posição de


origem (SR3 LIGADO).

Pressione a tecla ; o alimentador irá executar os seguintes movimentos:


2 • O carro de pré avanço avança para garantir que não há barras no canal
em V
• O carro de pré avanço retorna para a posição de origem (SR3 LIGADO).
• O canal em V desce e bascula para a posição 15º SR2 LIGADO)

7.4.2 Posicionar o canal de guia na posição 0º em manual


As condições abaixo devem ser satisfeitas:
Item Descrição
1 O torno não está em modo AUTOMÁTICO.
2 Canal de guia está na posição 15° (SQ3 LIGADO).

Passos para levantar o canal para a posição 0°:


Passo Descrição

1 Pressione a tecla para retornar o carro de pré avanço até a posição de


origem (SR3 LIGADO).

2 Pressione a tecla para levantar o canal de guia para a posição 0°.(SR1


LIGADO)

DH-65 S2
80 7 OPERAÇÃO

7.4.3 Reiniciar um ciclo interrompido


As condições abaixo devem ser satisfeitas:
Item Descrição
1 O torno não está em modo AUTOMÁTICO.
2 A pinça do torno está aberta
3 O tope do torno está na posição do comprimento da peça
4 Barra está no eixo árvore.
5 Canal de guia está na posição 15° (SQ3 LIGADO).

Passos para colocar o alimentador em modo AUTOMÁTICO:


Passo Descrição

Movimente o empurrador para frente, pressionando a tecla , até que a


1
barra toque o tope. Em seguida feche a pinça do torno e solte a tecla

2 Pressione as teclas e na sequência para colocar o alimentador


em modo AUTOMÁTICO.
3 Coloque o torno em modo automático.

Nunca coloque o alimentador em modo AUTOMATICO se a pinça do torno


estiver aberta!
Nunca coloque o torno em AUTOMATICO sem antes colocar o alimentador
em modo AUTOMATICO.

DH-65 S2
7 OPERAÇÃO 81

7.4.4 Iniciar uma nova usinagem


As condições abaixo devem ser satisfeitas:
Item Descrição
1 O torno não está em modo AUTOMATICO.
2 A pinça está aberta.
3 O tope do torno está na posição de faceamento.
4 O programa de usinagem está preparado.
O alimentador de barras está instalado e chumbado no chão. As barras estão no
5
magazine.
6 Todos os parâmetros estão definidos corretamente.
O alimentador está corretamente ajustado na sua parte pneumática, elétrica e
7
mecânica para a barra e as condições de usinagem requeridas.
8 O canal em V está na posição 15º (SR2 LIGADO)

Passos para colocar o alimentador em modo AUTOMÁTICO:


Passo Ação no alimentador Ação no torno
Mova o tope manualmente para
1
a posição de faceamento

a. Pressione a tecla até que o empurrador


atingiu a posição de origem (SR3 LIGADO)

2 b. Pressione a tecla para levantar o canal


de guia e bascular para a posição 0º (SR1
LIGADO) e carregar uma nova barra.
c. Posiciona o carro de pré avanço na posição de
alimentação

3 Pressione a tecla , avançando o carro de pré


avanço, empurrando a barra para fora do
alimentador

4 Pressione a tecla até que o empurrador


atingiu a posição de origem (SR3 LIGADO)

a. Pressione a tecla para abaixar o canal de


5 guia e bascular para a posição 0º (SR3
LIGADO).
b. Posiciona o empurrador na posição de
alimentação

6 Pressione a tecla , movimentando o


empurrador até que a barra toque o tope do torno;
não solte o botão até fechar a pinça do torno
7 Feche a pinça do torno

DH-65 S2
82 7 OPERAÇÃO

Passo Ação no alimentador Ação no torno

8 Pressione as teclas e na seqüência


para colocar o alimentador em modo
AUTOMÁTICO. Os LED das teclas irão ligar
O empurrador retorna para a posição de origem Em modo manual corte a ponta
9
(SR3 LIGADO) da barra
Coloque o torno em modo
10
automático.

1. Nunca coloque o alimentador em modo AUTOMATICO se a pinça do torno


estiver aberta!
2. Nunca coloque o torno em AUTOMATICO sem antes colocar o alimentador
em modo AUTOMATICO.

7.4.5 Alimentador em modo automático


Passos depois da seqüencia inicial 7.4.4:
Passo Ação no alimentador Ação no torno
Ciclo automático – Produção
Verifica sinal FIM DE BARRA.
-Se estiver ligado, continua no passo
11 23
-Se não estiver ligado, continua
próximo passo.
12 Posiciona o tope na posição de peça.
13 Abre a pinça
O empurrador avança e movimenta a barra até
14 encostar-se ao tope. O sinal de INICIAR é
enviado ao torno.
Fecha a pinça de acordo com o sinal
15
de INICIAR.
O empurrador retorna de acordo com os cursos Afasta o tope.
16
programados em P2/P4.
17 Executa o ciclo de usinagem
18 Volta para passo 11.
Ciclo automático – troca de barra
Afasta o tope para que a ponta
19 remanescente seja descartada dentro
do torno.
20 Abre a pinça.
O empurrador ejeta a ponta remanescente
21 avançando o empurrador até a posição
programada em P7 e ativa o sinal INICIAR.
O empurrador retorna para a posição de Posiciona o tope na posição de
22
origem (SR3 LIGADO) faceamento após o sinal de INICIAR.
Levanta o canal de guia em V, báscula para a
23
posição 0º e carrega uma nova barra no canal.
O carro de pré avanço carrega a barra para
24
dentro do eixo árvore do torno.

DH-65 S2
7 OPERAÇÃO 83

Passo Ação no alimentador Ação no torno


O carro de pré avanço retorna para a posição
25 de origem (SR3 LIGADO)
Abaixa o canal de guia em V e bascula para a
26
posição 15º.
O empurrador avança e encosta a barra contra
27
o tope. O sinal de INICIAR é enviado ao torno.
Fecha a pinça depois de receber o
28
sinal INICIAR.
O empurrador retorna de acordo com os cursos
29
programados em P2/P4.
30 Inicia faceamento
31 Continua no passo 11

7.4.6 Colocar o alimentador em modo manual


As condições abaixo devem ser satisfeitas:
Item Descrição
1 O torno finaliza a usinagem e é interrompido.
2 A pinça está fechada.

Passos para colocar o alimentador em modo manual:


Passo Descrição
1
Coloque o alimentador em modo MANUAL pressionando a tecla
2 Coloque o torno em modo MANUAL.

1. Nunca coloque o alimentador em modo AUTOMATICO se a pinça do


torno estiver aberta!
2. Nunca coloque o torno em AUTOMATICO sem antes colocar o
alimentador em modo AUTOMATICO.

DH-65 S2
84 7 OPERAÇÃO

7.5 PARÂMETROS DE OPERAÇÃO


Os parâmetros de operação são parâmetros alterados freqüentemente para controlar o
alimentador de barras quando este está em modo AUTOMATICO. Todos os parâmetros podem
ser alterados de acordo com os requisitos de usinagem.
Para se obter um melhor desempenho, recomenda-se que o operador leia esse capítulo antes
de qualquer modificação.

7.5.1 Acesso
Depois de selecionar os parâmetros de operação através da função F0, a seguinte tela será
mostrada:

Navegação:
Page up / Page down para mudar a tela dos parâmetros.
Edição:
1. Aperte F0 para o 1º parâmetro mostrado.
a 2. Aperte F1 para o 2º parâmetro mostrado.
3. Aperte F2 para o 3º parâmetro mostrado.
Ao apertar F4 retorna-se à tela anterior.

Validação das modificações:


Após editar os valores, essa tecla deve ser pressionada para
gravar as alterações.

DH-65 S2
7 OPERAÇÃO 85

7.5.2 Descrição

1. Apenas os valores dentro do retângulo podem ser modificados.


2. Todos os parâmetros de comprimento, curso ou posição estão em mm.

A lógica do controle de posição


O alimentador DH 65 foi projetado para sempre ter a parada da barra contra um tope
dentro do torno. Sempre que o torno estiver em modo automático e a pinça do torno
abre o empurrador avança, até a barra encostar no tope, ou então até o fim de curso.

Quando o empurrador para, porque a barra encostou no tope, o encoder sente este
parada e manda um sinal para o CLP. O alimentador supõe que a barra encostou no
tope e envia o sinal INICIAR ao torno através da interface.

O torno nunca deve realizar alguma função; como por exemplo, iniciar o próximo
ciclo de usinagem; sem o sinal de iniciar.

MODIFICAR se o comprimento da
P01 Comprimento peça
peça for diferente.
Com este parâmetro podem ser atribuídos cursos de
Avanço mínimo e máximo do empurrador, no ciclo de
alimentação da peça.
Se a alimentação não ocorrer dentro dos limites
estabelecidos será ativado o respectivo alarme.

Comprimento da peça - Curta


O curso mínimo de alimentação para a peça. Será ativado
um alarme se o curso real de alimentação for menor que o
valor ajustado, quando a pinça do torno está aberta.
Comprimento da peça - Longa
O curso máximo de alimentação para a peça. Será ativado
um alarme se o curso real de alimentação for maior que o
valor ajustado, quando a pinça do torno está aberta.

P02 Segurança empurrador


Posição de retração do empurrador, para evitar que a ponta
do empurrador toque o eixo árvore em rotação.

Posição
Posição do empurrador medida da posição de origem SR3.
Segurança emp. - Posição
A posição para a qual o empurrador deve retornar a fim de
evitar o contato da ponta com o eixo árvore em rotação.

Posição de retorno

DH-65 S2
86 7 OPERAÇÃO

MODIFICAR se o comprimento da
P03 Ajuste peça
peça for diferente.
O comprimento de barra necessário para fazer uma peça.

Posição
Posição do empurrador medida da posição de origem SR3.

Comp. Peça
O comprimento necessário para fazer uma peça:
< comprimento da peça > + < largura do corte >

P04 Retorno empurrador


Curso de retração do empurrador, para evitar que a ponta do
empurrador toque na barra em rotação.

Curso emp.
A distância que o empurrador deve retornar para que a ponta
do empurrador não toque o fundo da pinça.

Distância P04

Pelo fato de que não há nenhuma união rotativa entre o empurrador e a barra em
rotação, a ponta do empurrador não pode tocar a ponta de trás da barra, quando
esta estiver em rotação. Segue abaixo um resume de duas situações distintas e suas
soluções:
Situação Solução Parâmetro
O empurrador toca na ponta Mantenha o empurrador afastado
de trás da barra em rotação. da ponta de trás da barra em P04
rotação.
Em virtude da queda da Retorne o empurrador até uma
ponta do empurrador, a posição na qual a ponta não toca no
P02
mesma toca no eixo árvore eixo árvore
em rotação.

DH-65 S2
7 OPERAÇÃO 87

P05 Posição faceamento


Posição
É o curso percorrido pela ponta de uma barra nova, após
passar o dispositivo de detecção da ponta da barra

Faceamento
A posição de parada da ponta da barra nova em ciclo
AUTOMÁTICO.

Faceamento

Faceamento
Faceamento é um processo que corta alguns milímetros da ponta da barra nova a
fim de criar uma referência de posicionamento precisa para a usinagem da primeira
peça. É o curso percorrido pela barra para estar posicionada na posição de
faceamento. Esta posição é controlada pelo tope do torno.

A posição de faceamento é medida a partir do sensor do dispositivo de faceamento


LS. O CLP monitora o curso percorrido pela barra, desde o momento que a ponta da
barra ativa o sensor LS1 e ativa o sinal INICIAR no momento que a barra encosta no
tope.

P06 Fim de barra


Posição
Posição do empurrador medida da posição de origem SR3.

Contador de ciclos
Conta a quantidade de sinais de fim de barra

Fim de barra
É a posição onde o resto de barra é inadequado para usinar
uma peça completa de acordo com P03.

<Procedimento de ajuste>
Use um pedaço de barra que é 10 mm mais longo que a
pinça do torno.
Alinhe a ponta com a face da pinça e feche a pinça7
Mova o empurrador até tocar o fundo da pinça; leia o
valor no campo referência e isira-o
Apenas em casos especiais o fim de barra deve
ser modificado. O empurrador NUNCA deve
entrar na pinça do torno.
Consultar a LNS ou seu representante autorizado
sobre a viabilidade da modificação.

DH-65 S2
88 7 OPERAÇÃO

FIM de barra
É a posição onde o resto de barra é inadequado para usinar uma peça completa de
acordo com P03. Quando o empurrador passar por esta posição durante o ciclo
automático, o alimentador ativa o sinal de fim de barra.

P07 Posição ejeção


Posição
Posição do empurrador medida da posição de origem SR3.
Posição de ejeção
Define a posição final do empurrador para ejetar a ponta
remanescente da barra.

Posição ejeção
Antes de iniciar o processo de troca de barra o eixo árvore precisa estar livre de
qualquer ponta. A posição para qual o empurrador avança para empurrar a ponta
para fora da pinça do torno é chamada de posição de ejeção.

P08 Préavanço
Posição
Posição do carro de pré avanço medida da posição de
origem SR3.
Limit. Préavanço
É a distância percorrida pelo carro de pré avanço para
introduzir a barra completamente dentro do eixo árvore,
também chamado de pré alimentação.
Este parâmetro deve ser ajustado conforme o valor abaixo e
nunca deve ser mudado.

Modelo P08
DH-65 1294
DH-65 L 1594

Pré avanço
O primeiro movimento da barra, depois que foi carregada dentro do canal de guia.
Tem como propósito introduzir a barra completamente dentro do eixo árvore.

DH-65 S2
7 OPERAÇÃO 89

P09 Retardo
Nesta tela o operador pode introduzir um tempo para
retardar um sinal ou ação.
A unidade é 1 segundo.
Start
Temporizador para retardar o envio do sinal de INICIAR

Pinça fechada
Temporizador para retardar o movimento de retração do
empurrador, depois de receber o sinal de pinça fechada.

P10 Seleção de programa


0: Barra
Programa padrão. O ciclo de troca de barra se inicia após a
ativação do sinal de fim de barra.
1. Pinça fecha
2. Empurrador recua; ciclo de usinagem
3. Pinça abre
4. Verifica sinal de fim de barra do alimentador
• Sinal de fim de barra→Troca barra
Procedimento de troca de barra:
Ciclo 1. Empurrador ejeta ponta para dentro do torno
(avança até posição definida em P07)
2. Empurrador retorna para posição de origem
para carga de nova barra
• Sem sinal de fim de barra
1. Alimenta barra contra tope
2. Pinça fecha produção continua
1: Peça
Se P010 estiver ajustado em 1, o empurrador retorna à
posição de origem para carga de nova barra sem sinal de
fim de barra
Se for selecionado o programa 1 o
alimentador repete o ciclo abaixo até
esvaziar o magazine
1. Pinça fecha
2. Empurrador retorna para posição de origem
3. Usinagem da peça
Ciclo 4. Carrega uma nova barra
5. Pinça abre
6. Pré alimentação (P08)
7. Carro de pré avanço recua para posição de
origem
8. Alimentação para posição de faceamento (P05)
9. Sinal de INICIAR

DH-65 S2
90 7 OPERAÇÃO

P11 Status simulação


O torno não funciona sem receber o sinal de modo
AUTOMÁTICO (R4) do alimentador.
No modo de simulação o torno receberá o sinal de modo
AUTOMÁTICO (R4) continuamente, sem a necessidade de
se pressionar qualquer tecla no controle remoto.
Esta função é útil quando se necessita usinar uma amostra
por exemplo.

Para ativar esta função devem ser observadas as seguintes


condições:
• Alimentador em modo MANUAL
• Canal em V na posição 0º
• Empurrador na posição de origem (SR3 LIGADO)
• Dispositivo de faceamento ativado

Ao mudar o parâmetro P11 para ON, o alimentador será


colocado em modo simulação, enviando o sinal de modo
AUTOMÁTICO (R4), continuamente para o torno.

Se o alimentador receber qualquer sinal de erro, o modo


simulação será desativado e o parâmetro P11 mudado para
OFF.

DH-65 S2
7 OPERAÇÃO 91

7.6 PARÂMETROS DE SERVIÇO


Os parâmetros de serviços só devem ser alterados por técnicos autorizados da LNS. O ajuste
incorreto destes parâmetros pode gerar erros de funcionamento causar danos ao alimentador
ou torno.
Favor contatar o agente LNS da sua região para obter suporte técnico.

7.6.1 Acesso
Depois de selecionar os parâmetros de operação através da função F0, a seguinte tela será
mostrada:

Navegação:
Page up / Page down para mudar a tela dos parâmetros.
Edição:
Aperte F0 para editar o parâmetro indicado (0 ou 1)
Ao apertar F4 retorna-se à tela anterior.

Validação das modificações:


Após editar os valores, essa tecla deve ser pressionada para
gravar as alterações.

DH-65 S2
92 7 OPERAÇÃO

7.6.2 Descrição

MODE 1 Simulação
Quando este parâmetro estiver LIGADO, o alimentador
executa ciclos de alimentação e troca de barra
automaticamente e não é controlado nem por sinais de
interface, nem por comandos manuais.
Este modo serve apenas para testes na fábrica ou em
exposições.

Conectado a um torno deve estar SEMPRE


desligado

0 – Desliga o modo simulação


1 – Liga o modo simulação

MODE 2 A1 – Pinça aberta


Define a lógica do sinal A1 do torno

0 – Sinal da pinça está ligado com a pinça aberta


1 – Sinal da pinça está desligado com a pinça aberta

MODE 3 A2 – Alarme torno


Define a lógica do sinal de alarme do torno.

0 – Sinal de alarme do torno está ligado quando há


alarme ativo.
1 – Sinal de alarme do torno está desligado quando há
alarme ativo.

MODE 4 A3 – Código M - lógica do sinal 1 de 2


“Código M”significa que o alimentador
aguarda um sinal adicional ao sinal de pinça
aberta ou fechada para realizar qualquer
função. (consulte MODE 7 para mais informações)
Define a lógica do sinal de Código M do torno.

0 – O sinal de código M está ativado, quando o torno


envia o código M.
1 – O sinal de código M está desativado, quando o torno
envia o código M.

DH-65 S2
7 OPERAÇÃO 93

MODE 5
Este parâmetro foi intencionalmente deixado em branco.

MODE 6
Este parâmetro foi intencionalmente deixado em branco

MODE 7 A3 – Código M - lógica do sinal 2 de 2


Define os sinais necessários para iniciar a troca de barra.

0 – O alimentador precisa receber apenas o sinal de


pinça aberta, para alimentar a barra.
1 – O alimentador precisa receber o sinal de pinça aberta
e o código M de abrir pinça, para alimentar a barra.

MODE 8 Faceamento
Este parâmetro foi intencionalmente deixado em branco

MODE 9 Controle segurança


Define se o alimentador executa um auto controle em
modo AUTOMÁTICO, usando como base três ciclos de
abertura e fechamento da pinça do torno.
Se o controle estiver ativado e o resultado da verificação
for negativo, o alimentador entrará em alarme e irá enviar
a mensagem de erro e11.

0 – Controle desativado.
1 – Controle ativado.

DH-65 S2
94 7 OPERAÇÃO

MODE 10 INICIAR Y05


Define as ações encadeadas pelo sinal INICIAR do
alimentador durante o ciclo de produção.

Troca de Última Troca de


Usinando Tope
barra alimentação barra
Sinal da
pinça
Faceamento
Mode 10 = 0

Mode 10 =1 Faceamento

Fim de barra
Y05 Ejeta
ponta

Ejeta ponta

DH-65 S2
7 OPERAÇÃO 95

MODE 11/12/13/22 Fim de barra Y06

Fecha
pinça
Abre
Alimentação pinça Troca
última peça de barra

Sinal da pinça

MODE

11 12 13 22

0 0 0 0
Sinal de
1 0 0 0
fim de barra
0 1 0 0

0 0 1 0

0 0 0 1

MODE 14 Sem start na ejeção


Define quando o sinal INICIAR é enviado, durante a
ejeção da ponta.

0 – O sinal é enviado depois que o empurrador atinge a


posição programada no parâmetro P07
1 – O sinal é enviado quando o empurrador atinge
qualquer obstáculo durante o movimento de ejeção

MODE 15 Língua
0 – Língua opcional.
1 – Português

DH-65 S2
96 7 OPERAÇÃO

MODE 16 Alimentação perfil


Este parâmetro define se o empurrador move para frente
ou para trás ou não. Independente do ajuste deste
parâmetro sempre será ativado o relé R5

0 – Ativa o movimento de avanço e recuo do empurrador.


1 – Desativa o movimento de avanço e recuo do
empurrador.

Alimentação perfil
Sem a preparação correta da ponta da barra, a introdução da barra na pinça do
torno de barras perfiladas (sextavado, quadrado…) é bastante difícil. Para
resolver este problema o alimentador possui a função alimentação perfil.

A função alimentação de barra oferece duas opções de ação:


1. Move o empurrador para frente e para trás repetidamente, até a barra atingir
a posição de faceamento.
2. Envia continuamente um comando externo de girar o eixo árvore do torno
lentamente. Este sinal foi criado para tornos que não permitem a rotação do
eixo árvore com a pinça aberta.

MODE 17 Desligar fim de barra


Este parâmetro define quando o sinal de fim de barra é
desativado

0 – Desativa o sinal de fim de barra quando a barra nova


atinge a posição de faceamento
1 – Desativa o sinal de fim de barra quando o carro de pré
avanço retornou à origem depois da pré alimentação

MODE 18 Após troca barra, retardo controle de comp.


Com este parâmetro pode ser definda a quantidade de
vezes que a verificação de comprimento de peça não é
feita, após a troca de barra.
Este valor pode variar de 1 a 5.

MODE 19 Unidade medidas


Define a unidade de medidas de todos os parâmetros
relacionados a cursos e posições na IHM.

0 – mm
1 – polegadas

DH-65 S2
7 OPERAÇÃO 97

MODE 20 Teste interface


Define se o modo de teste de interface está ativado.
Este modo de funcionamento deve ser usado apenas para
testar a interface. No funcionamento normal está função
deve estar sempre desativada.

Durante o teste as seguintes ações devem ser feitas:


• LED do botão AUTO piscando.
• Tela da IHM piscando.
• Desativa as seguintes verificações:
1. Peça curta / Peça longa
2. Verificação de ponta remanescente
3. Posição de faceamento
• Quando o alimentador estiver alimentando em modo
automático, o empurrador para ao atingir o comprimento
da peça, sem receber o sinal do encoder.
• O alimentador não executa a pré alimentação, até que a
tecla INICIAR AUTOMÁTICO seja acionada.

0 – Desativa esta função


1 – Ativa esta função

MODE 21 Limite superior P01


Este parâmetro é usado para ativar ou desativar o controle
de comprimento de peça longa P01.

0 – ativa controle de peça longa ajustado em P01


1 – desativa controle de peça longa ajustado em P01

MODE 22
Ver descrição junto com MODE11,12 e 13

DH-65 S2
98 7 OPERAÇÃO

Esta página foi intencionalmente deixada em branco

DH-65 S2
8 GUIA DE SOLUÇÕES E ALARMES 99

8 GUIA DE SOLUÇÃO DE ALARMES


Este capítulo lista todas as mensagens de erro e uma breve análise para solucionar o problema.
As mensagens de erro servem para lembrar o operador que provavelmente existe uma situação
anormal ou ela já aconteceu. Sempre que uma mensagem de erro aparecer, siga o guia de
análise do problema para verificar sua causa. Se necessário, entre em contato com a LNS para
suporte técnico.

8.1 MENSAGENS DE ALERTA


As mensagens de alerta foram criadas para informar o usuário do status do alimentador. Neste
caso será mostrada a mensagem de alerta mas o alarme Y04 continuará desligado. Siga as
informações do guia de soluções para eliminar as mensagens de alerta.

Mensagens de alerta
Descrição
Quando o sensor SR1 (posição 0º) e o sensor SR2
(posição 15º) estão desligados ou ligados ao mesmo
tempo será ativado o alarme e16.
Quando pressionar STOP no controle remoto esta
mensagem é ativada.
Solução
1. Verifique os sensores SR 1 e SR2 estão funcionando
corretamente
2. Verifique se as entradas X03 e X04 do CLP estão
conectadas corretamente

3. Segure a tecla ou do controle remoto


até que SR1 ou SR2 esteja ativado

DH-65 S2
100 8 GUIA DE SOLUÇÕES E ALARMES

8.2 MAPA DE ALARMES


A tabela mostra a sequência de procedimentos em modo AUTOMATICO do alimentador de
barras e do torno, e quando cada alarme pode aparecer. Note que a sequência automática do
torno é simplificada, só constam os passos principais. A tabela é apenas uma referência,
que pode não ser válida em todas as situações de clientes. O procedimento de usinagem
real irá depender do programa utilizado pelo usuário.

DH-65 S2
8 GUIA DE SOLUÇÕES E ALARMES 101

Ação do torno
Ação do alimentador
AUTO Continuar um ciclo
AUTO interrompido

Fecha pinça – A1
(e13 – e18 – e21)

Fim de
barra Enviar R3 ao torno
(R3)

Empurrador recua (P04, P02)

Usinando

Abrir pinça-A1
(e12, e17, e18, e20, e22)
Enviar R02 ao torno

Fim de
Alimentar contra tope AS2 barra
(e12, 17, 22) (R3)

Ejetar ponta P07


(e23)

Empurrador retorna origem


(e10, e18)

Carrega nova barra


(e15)

Pré alimentação P08


(e2, e7, e9, e10, e17, e25)

Enviar R5 para o torno (opcional)

Carro pré avanço para origem


(e14, e18)

Empurrador avança a barra


(e6, e10, e19)

Enviar R5 para o torno (opcional)

Faceamento P05

Enviar sinal start R02 ao torno


(e20, e26)

DH-65 S2
102 8 GUIA DE SOLUÇÕES E ALARMES

8.3 DESCRIÇÃO DE ALARMES E GUIA DE SOLUÇÃO


Um código de erro significa que ocorreram combinações de sinais de sensores que
correspondem a um erro, de acordo com o programa do CLP. Siga o guia de soluções para
resolver os problemas. Em seguida pressione a tecla MANUAL para sair da mensagem de erro.
e01 Parada de Emergência
Descrição
O circuito de emergência engloba os seguintes
componentes :
Botão de emergência do IHM
Botão de emergência do controle remoto
Circuito de parada de emergência do torno.
Chave de controle de pressão
Chave de segurança do sistema de retração

Solução
1. Verifique se o botão de emergência do controle remoto foi acionado. Se for o caso,
desacione o mesmo.
2. Verifique se o botão de emergência da IHM foi acionado. Se for o caso, desacione.
3. Verifique se o circuito de emergência do torno foi conectado ao circuito de emergência
do alimentador. Verifique se o circuito de emergência do torno está aberto. Se for o caso
feche-o.
4. Verifique se a pressão do ar comprimido está muito baixa. O sensor de pressão aciona
a emergência com pressão abaixo de 4 bar.
5. Verifique se o sistema de retração está travado.

DH-65 S2
8 GUIA DE SOLUÇÕES E ALARMES 103

e02 Verificar limite de pré avanço


Descrição
O carro de pré avanço ultrapassa a posição de
<P08+20mm>.
Solução
Verifique se o parâmetro P08 “Curso limite pré avanço” é
muito pequeno.

e03 Verificar fim de barra


Descrição
Quando o alimentador é colocado em modo automático a
posição atual é maior que a posição de fim de barra.
Solução
Verifique se o parâmetro P06 “fim de barra” é muito
pequeno

e04
Este alarme foi intencionalmente deixado em branco

e05
Este alarme foi intencionalmente deixado em branco

e06 Faceamento longo


Descrição
O empurrador ultrapassa a posição “fim de
barra” ,“Posição ejeção”, “Limite pré avanço” mas não
alcançou “Posição de faceamento”
Solução
1. Verifique se o parâmetro Faceamento está grande.
2. Verifique se os parâmetros Fim de Barra, Ejeção,
Pré Alimentação estão pequenos.

DH-65 S2
104 8 GUIA DE SOLUÇÕES E ALARMES

e07 Sem material no canal


Descrição
Carro de pré avanço alcançou a posição P08 durante o
processo de pré alimentação, mas o sensor de
faceamento não foi ativado.
Solução
1. Verifique se o magazine ainda tem barras, se estiver
vazio coloque barras.
2. Verifique se o sensor de faceamento está quebrado.

e08 Alarme do torno


Descrição
O alimentador recebeu um sinal de alarme do torno

Solução
Elimine a causa e reinicie o torno de acordo com o seu
manual de instruções

e09 Não iniciou a pré alimentação 1 de 2


Descrição
Apenas em processo com MODE 7 = 1.
Depois que o sinal de fim de barra e o sinal de pinça
aberta foram ativados, o código M não é recebido em 15
segundos.
Solução
1. Verifique se o sinal de código M está conectado na
tomada da interface. Se não estiver, conecte-o e
teste o sinal novamente.
2. Verifique se o torno está mandando o sinal de código
M. Se não estiver ative-o.

e10 Não iniciou a pré alimentação 2 de 2


Descrição
Apenas em processo com MODE 7 = 0.
Depois que o sinal de fim de barra foi ativado, o sinal de
pinça aberta não é recebido em 15 segundos.
Este alarme pode ter duas causas.
Solução
1. Verifique se a pinça está aberta.
2. Verifique se o sinal de pinça aberta foi enviado ao
alimentador
3. Verifique se o alimentador está recebendo o sinal de
pinça aberta.

DH-65 S2
8 GUIA DE SOLUÇÕES E ALARMES 105

e11 Alimentador não está em automático


Descrição
Depois que a pinça do torno abriu e fechou 3 vezes, o
alimentador continua em modo manual
Solução
Se o alimentador deveria estar em modo automático,
coloque-o em automático

e12 Movimento longo empurrador


Descrição
Com a pinça do torno aberta, o curso de alimentação da
peça ultrapassa o valor ajustado em P01 (Comprimento
da peça – Longa)
Solução
1. Verifique se o tope do torno está na posição correta.
2. Verifique se P01 (Comprimento da peça – Longa)
está ajustado corretamente.
3. Verifique se o empurrador não está passando por
cima da barra.

e13 Movimento curto empurrador


Descrição
Com a pinça do torno aberta, o curso de alimentação da
peça é menor que o valor ajustado em P01
(Comprimento da peça – Curta)
Solução
1. Verifique se o tope do torno está na posição correta.
2. Verifique se P01 (Comprimento da peça – Curta)
está ajustado corretamente.
3. Verifique se a pinça do torno não está muito justa.
4. Verifique se não há nenhuma obstrução no eixo
árvore do torno.

e14 Verificar SR2 posição 15°


Descrição
O alimentador não posicionou o canal de guia em V na
posição 15°
Solução
1. Se o canal está na posição correta, verifique se o
sensor SR2 está quebrado.
2. Se o canal não está na posição correta verifique se
há algo bloqueando o movimento.
3. Verifique se a pressão é suficiente para movimentar
o canal.
4. Verifique se há algum vazamento na linha de ar
comprimido.

DH-65 S2
106 8 GUIA DE SOLUÇÕES E ALARMES

e15 Verificar SR1 posição 0°


Descrição
O alimentador não posicionou o canal de guia em V na
posição 0°
Solução
1. Se o canal está na posição correta, verifique se o
sensor SQ5 está quebrado.
2. Se o canal não está na posição correta verifique se
há algo bloqueando o movimento.
3. Verifique se a pressão é suficiente para movimentar
o canal
4. Verifique se há algum vazamento na linha de ar
comprimido.

e16 Verificar SR1 e SR2


O sensor SR1 (posição 0º) e o sensor SR2 (posição 15º)
estão desligados ou ligados ao mesmo tempo
Solução
1. Verifique os sensores SR 1 e SR2 estão funcionando
corretamente
2. Verifique se as entradas X03 e X04 do CLP estão
conectadas corretamente

e17 Falha no avanço do empurrador


Descrição
Durante a troca da barra o alimentador não conseguiu
alcançar a posição de pré avanço ajustada no parâmetro
P08 em 10 seg.
Solução
1. Verifique se o canal de guia ou o eixo árvore estão
obstruídos
2. Verifique se a força do empurrador está baixa para
mover a barra. Verifique o capítulo 6.4.1 para ajuste.

e18 Empurrador não atingiu posição 0


Descrição
Depois de ejetar a ponta remanescente ou depois de
realizar a pré alimentação, o empurrador não atingiu a
posição de origem em 15 segundos.
Solução
1. Verifique se eixo árvore está obstruído.
2. Coloque o alimentador em modo manual. Mova o
empurrador para trás e para frente usando o teclado
manual, para testar o cilindro.
3. Se o empurrador atingiu a posição de origem,
verifique se o sensor SR3 está quebrado.
4. Verifique a válvula VAL1.

DH-65 S2
8 GUIA DE SOLUÇÕES E ALARMES 107

e19 Não alcançou faceamento


Descrição
Na troca da barra a barra nova não atingiu a posição de
faceamento em 120 segundos.
Solução
1. Verifique se a barra está travada no eixo árvore ou
na pinça do torno.
2. Verifique se a força do empurrador está baixa para
mover a barra. Verifique o capítulo 6.4.1 para ajuste
3. Verifique se o faceamento está ajustado
corretamente

e20 Pinça torno não fechou


Descrição
Depois de ter sido enviado o sinal INICIAR a pinça do
torno não fechou em 10 segundos.
Solução
1. Verifique se o torno recebeu o sinal de INICIAR do
alimentador.
2. Verifique se o torno fecha a pinça de acordo com o
sinal de INICIAR
3. Verifique se o alimentador recebeu o sinal de pinça
fechada do torno.

e21 Empurrador moveu com a pinça fechada


Descrição
O empurrador se move quando o sinal de pinça fechada
está ativado.
Solução
1. Verifique se o status da pinça na tela principal
(“#” pinça aberta e ”*” pinça fechada) coincide com a
situação real da pinça. Se não coincidir, ajuste o
parâmetro Mode2.

e22 Excedeu posição P07


Descrição
O alimentador atingiu a posição de ejeção antes de ativar
o fim de barra
Solução
1. Verifique se a posição do fim de barra está grande e
ajuste.
2. Verifique se a posição de ejeção está pequena e
ajuste.

DH-65 S2
108 8 GUIA DE SOLUÇÕES E ALARMES

e23 Falhou ejeção da ponta


Descrição
Depois que a pinça abriu o empurrador não alcançou a
posição de ejeção em 10 segundos.
Solução
1. Verifique se a ponta está travada na pinça do torno
ou no eixo árvore
2. Verifique se a posição de ejeção está pequena e
ajuste.

e24
Este alarme foi intencionalmente deixado em branco

e25 Faceamento curto


Descrição
O curso percorrido para atingir a posição de faceamento
é menor que o comprimento da barra
Solução
1. Verifique se o parâmetro de faceamento é pequeno.
2. Verifique se o sensor de faceamento é acionado
antes da chegada da ponta da barra.

e26 P05 errado ou tope em posição errada


Descrição
Na troca de barra o empurrador alcançou uma posição
acima de: posição de faceamento + comprimento da
peça + 50 mm, quando é ativado o sinal INICIAR
Solução
1. Verifique se a posição de faceamento está pequena
2. Verifique se o tope do torno está na posição correta.
3. Verifique se o sensor de faceamento foi acionado
antecipadamente.

e27 Erro em simulação


Descrição
O alimentador não estava preparado corretamente para o
ciclo de simulação.
Explicação
e27 é ativado 1 segundo depois que o parâmetro P11 for
ligado, e uma ou mais condições básicas, descritas no
parâmetro P11, não foi satisfeita.
Solução
Ajuste o alimentador para cumprir todas as condições

DH-65 S2
8 GUIA DE SOLUÇÕES E ALARMES 109

e28 Alimentador em modo simulação


Descrição
Foi pressionada alguma tecla do controle remoto
enquanto o alimentador estava em modo simulação
Explicação
Quando em modo simulação, não se deve pressionar
nenhuma tecla do controle remoto.
Solução
1. Para reativar o modo simulação

01 Pressione a tecla no controle remoto.


02 Ajuste o parâmetro P11 para 1

2. Para desativar o modo simulação

Pressione a tecla no controle remoto.

DH-65 S2
110 8 GUIA DE SOLUÇÕES E ALARMES

Esta página foi intencionalmente deixada em branco

DH-65 S2
ႈ‫ؾ‬ᒳᇆ ᑇၦ ሿٙᚾூ‫ټ‬ጠ ᎅࣔ
˄ ˄ ˗ˉ˄˄˃˃˃˃ ʻᑑᄷʼ
˄ ˄ ˗ˉ˄˄˃˃˃˃˟ ʻ‫ף‬९ʼ
˅ ˄ ˗ˉ˅˄˃˃˄˃ ʻᑑᄷʼ
˅ ˄ ˗ˉ˅˄˃˃˄˃˟ ʻ‫ף‬९ʼ
ˆ ˅ ˗ˉ˅˅˃˃˄˃
ˇ ˄ ˗ˉ˅ˈ˃˃˃˃ ʻᑑᄷʼ
ˇ ˄ ˗ˉ˅ˈ˃˃˃˃˟ ʻ‫ף‬९ʼ
ˈ ˄ ˗ˉˆ˅˃˃˃˃
ˉ ˄ ˗˔˜˥˃˃˃˃
ˊ ˄ ˗˛ˀ˞ˀ˃˃˄ ʻᑑᄷʼ
ˊ ˄ ˗˛˟ˀ˞ˀ˃˃˄ ʻ‫ף‬९ʼ
ˇ

ˊ
˄ ˗ˉ˄˅˃˃˃˄ʳʳʻᑑᄷʼ
˗ˉ˄˅˃˃˃˄˟ʻ‫ף‬९ʼ
ˈ
ˉ

˅
๻ʳ᧢ ˗˛ˀ˃ˉˆ
ˆ ठʳ‫ڻ‬ ˖˃
ֺʳࠏ ˄ˍ˄˄
ֲʳཚ ˅˃˃ˋˁ˃ˈˁ˄ˈ
ᢄʳቹ ‫ޕ‬ʳʳᚻʳʳ‫ܩ‬
ீʳኙ ࣥʳʳᆠʳʳጘ

গຏᖲሽैٝ‫ૻڶ‬ֆ‫׹‬
A-1
ႈ‫ؾ‬ᒳᇆ ᑇၦ ሿٙᚾூ‫ټ‬ጠ ᎅࣔ
˄ ˄ ˗ˉ˄˄˃˃˃˄
˅ ˄ ˗ˉ˅˄˃˃˄ˆ
ˆ ˄ ˗ˉ˅˅˃˃˄˃
ˇ ˄ ˗ˉ˅ˈ˃˃ˈ˃
ˈ ˄ ˗˖˄˄˃˃ˇ˃
ˉ ˄ ˗˛ˀ˞ˀ˃˃˄˟
˅

˗ˉ˄˅˃˃˄˄

˄
ˈ

๻ʳ᧢ ˗˛ˀ˃ˉˆ
ठʳ‫ڻ‬ ˕˃
ֺʳࠏ ˄ˍ˄˄ˁˈ
ˉ ֲʳཚ ˅˃˃ˋˁ˃ˈˁ˄ˈ
ᢄʳቹ ‫ޕ‬ʳʳᚻʳʳ‫ܩ‬
ீʳኙ ࣥʳʳᆠʳʳጘ
˗˛ˉˈؐ‫ٻ‬
গຏᖲሽैٝ‫ૻڶ‬ֆ‫ˈˉ˛˗ ׹‬ˀ˃˃˄˟
A-2
ႈ‫ؾ‬ᒳᇆ ᑇၦ ሿٙᚾூ‫ټ‬ጠ ᎅࣔ
˄ ˅ ˗ˉ˄˄˃˃ˆ˃
ˉ ˅ ˅ ˗ˉ˄˄˃˃ˇ˃
ˆ ˄ ˗ˉ˄˄˃˃ˈ˃
ˊ ˇ ˄ ˗ˉ˄˄˃ˊ˃˃
ˇ ˄ ˗ˉ˄˄˃ˊ˄ˆ ʻ‫ף‬९ʼ
ˈ ˄ ˗ˉ˄˄˃ˋ˃˃
ˉ ˇ փˠˉ̋˄ˈ
ˆ
ˊ ˇ ༐ˠˉ

ˇ ˅

ˉ ˄

๻ʳ᧢
ठʳ‫ڻ‬ ˔˃
ֺʳࠏ ˄ˍˇˁˈ
ֲʳཚ ˌˉˁ˃˅ˁ˃˄
ᢄʳቹ ࣥʳʳᆠʳʳጘ
ீʳኙ ާʳʳጆʳʳ‫܌‬
Հறิ
গຏᖲሽैٝ‫ૻڶ‬ֆ‫׹‬
A-3
ˈ ႈ‫ؾ‬ᒳᇆ ᑇၦ ሿٙᚾூ‫ټ‬ጠ ᎅࣔ
˄ ˅ ˗ˉ˄˄˃˃˄˄
˄ ˅ ˄ ˗ˉ˄˄˃˃˅˃
ˆ ˆ ˅ ˗ˉ˄˄˃˃ˆ˄
ˇ ˄ ˗ˉ˄˄˃ˊ˄˃
ˈ ˄ ˗ˉ˄˄˃ˋ˃˃
ˇ ˉ ˇ փˠˉ̋˄ˈ
ˊ ˇ ༐ˠˉ
˅
ˉ
ˊ

˄ˁ˅ˠ
๻ʳ᧢ ˗˛ˀ˃ˈ˄
ठʳ‫ڻ‬ ˔˃
ֺʳࠏ ˄ˍˇˁˈ
ֲʳཚ ˌˉˁ˃ˉˁ˅ˆ
ᢄʳቹ ๺ʳʳপʳʳ֮
ீʳኙ ࣥʳʳᆠʳʳጘ
Հறิʻؐ‫ٻ‬ʼ
গຏᖲሽैٝ‫ૻڶ‬ֆ‫˅˃˃˃˄˄ˉ˗ ׹‬
A-4
ႈ‫ؾ‬ᒳᇆ ᑇၦ ሿٙᚾூ‫ټ‬ጠ ᎅࣔ
˄ ˄ ˗ˉ˄˄˃˄˃˃
˅ ˄ ˗ˉ˄˄˃˄˃˄
ˆ ˄ ˗ˉ˄˄˃ˇ˃˃
ˇ ˄ ˗ˉ˄˄˃ˈ˃˃
ˈ ˄ ˗ˉ˄˄˃ˉ˃˃
ˉ ˆ ˦ˣ˪ˋ
ˊ ˇ ˪ˋʳʻ՛ীʼ
ˆ ˋ ˅ փˠˋ̋˅˃
ˈ
˄ ˌ ˌ ˄ փˠˋ̋˅ˈ
ˉ ˊ ˋ
˅ ˇ

๻ʳ᧢
ठʳ‫ڻ‬ ˔˃
ֺʳࠏ ˄ˍ˅ˁˈ
ֲʳཚ ˌˇˁ˄˄ˁ˃ˋ
ᢄʳቹ ‫ޕ‬ʳʳᚻʳʳ‫ܩ‬
ீʳኙ ࣥʳʳᆠʳʳጘ
ؐ‫ీ׳‬ᕻ
গຏᖲሽैٝ‫ૻڶ‬ֆ‫˃˄˃˃˄˄ˉ˗ ׹‬
A-5
ႈ‫ؾ‬ᒳᇆ ᑇၦ ሿٙᚾூ‫ټ‬ጠ ᎅࣔ
˄ ˄ ˗ˉ˄˄˃ˇ˃˃
˅ ˄ ˗ˉ˄˄˃ˈ˃˃
˄
ˆ ˄ ˗ˉ˄˄˃ˉ˃˃
ˇ ˄ ˗ˉ˄˄˃ˌ˃˃
ˈ ˅ ˦ˣ˪ˋ
ˆ
ˉ ˅ ˪ˋʳʻ՛ীʼ
ˇ ˊ ˅ փˠˋ̋˅˃
ˌ ˅ ؆‫ڬ‬ʳˀʳ˦ˆ˃

ˊ ˉ ˈ
˒
๻ʳ᧢
ठʳ‫ڻ‬ ˔˃
˒ ֺʳࠏ ˄ˍ˅
ֲʳཚ ˌˇˁ˄˄ˁ˃ˋ
ᢄʳቹ ‫ޕ‬ʳʳᚻʳʳ‫ܩ‬
ீʳኙ ࣥʳʳᆠʳʳጘ
խၴՀற
গຏᖲሽैٝ‫ૻڶ‬ֆ‫˃˅˃˃˄˄ˉ˗ ׹‬
A-6
ႈ‫ؾ‬ᒳᇆ ᑇၦ ሿٙᚾூ‫ټ‬ጠ ᎅࣔ
˄ ˄ ˗ˉ˄˄˃˅˃˃
˅ ˄ ˗ˉ˄˄˃ˆ˃˃
ˆ ˄ ˗ˉ˅ˆ˃ˉ˃˃
ˇ ˄ ˗ˉ˅ˆ˃ˊ˃˃
ˈ ˅ ˦ˣ˪ˋ
˅ ˉ ˅ ˪ˋʳʻ՛ীʼ
ˊ ˅ փˠˋ̋˅˃
ˌ ˅ ؆‫ڬ‬ʳˀʳ˦˄˃

ˊ ˉ ˈ

ˇ
˒
๻ʳ᧢
ठʳ‫ڻ‬ ˔˃
ֺʳࠏ ˄ˍ˅
ֲʳཚ ˌˇˁ˄˄ˁ˃ˊ
ᢄʳቹ ‫ޕ‬ʳʳᚻʳʳ‫ܩ‬
ீʳኙ ࣥʳʳᆠʳʳጘ
ؐ‫׳‬Հற
গຏᖲሽैٝ‫ૻڶ‬ֆ‫˃ˆ˃˃˄˄ˉ˗ ׹‬
A-7
ႈ‫ؾ‬ᒳᇆ ᑇၦ ሿٙᚾூ‫ټ‬ጠ ᎅࣔ
˄ ˅ ˗ˉ˄˅˃˃˄˃
˅ ˄ ˗ˉ˄˅˃˅˃˄
ˆ ˆ ˄ ˗ˉ˄˅˃ˈ˃˄
ˋ ˄˃ ˇ ˅ ˗ˉ˄ˆ˃˄˃˄
˄˃ ˌ ˋ ˈ ˄ ˗ˉ˄ˆ˃˅˃˅
ˉ ˄ ˗ˉ˄ˆ˃ˆ˃˃
˄˃ ˌ ˋ
ˊ ˅ ˗ˉ˄ˆ˃ˋ˃˃
ˋ ˉ ˦ˣ˪ˉ
ˈ ˉ
ˌ ˅ ˪ˉʳʻ՛ীʼ
˅ ˄˃ ˉ ؆ˠˉ̋˄ˈ
˄˄ ˈ ༐ˠˉ

˄˄

ˇ
ˊ

๻ʳ᧢ ˗˛ˀ˃ˊˉ
ठʳ‫ڻ‬ ʳ˕˃
ֺʳࠏ ˄ˍ˄˃
ֲʳཚ ˅˃˃ˌˁ˃˅ˁ˄ˉ
ᢄʳቹ ‫ޕ‬ʳʳᚻʳʳ‫ܩ‬
ீʳኙ ࣥʳʳᆠʳʳጘ
ᆜறਮิ
গຏᖲሽैٝ‫ૻڶ‬ֆ‫˄˃˃˃˅˄ˉ˗ ׹‬
A-8
ႈ‫ؾ‬ᒳᇆ ᑇၦ ሿٙᚾூ‫ټ‬ጠ ᎅࣔ
˄ ˅ ˗ˉ˄˅˃˃˄˃
˅ ˄ ˗ˉ˄˅˃˅˃˄
ˆ ˋ ˄˃
˄˄ ˆ ˄ ˗ˉ˄˅˃ˈ˃˄
˄˃ ˌ ˋ
ˇ ˅ ˗ˉ˄ˆ˃˄˃˄
ˈ ˄ ˗ˉ˄ˆ˃˅˃ˆ
˄˃ ˌ ˋ
ˉ ˄ ˗ˉ˄ˆ˃ˆ˃˄
ˊ ˅ ˗ˉ˄ˆ˃ˋ˃˃
ˋ ˉ ˦ˣ˪ˉ
˅ ˉ ˌ ˅ ˪ˉʳʻ՛ীʼ
˄˃ ˉ ؆ˠˉ̋˄ˈ
˄˄ ˈ ༐ˠˉ
˄˄ ˈ

ˇ
ˊ

๻ʳ᧢ ˗˛ˀ˃ˊˉ
ठʳ‫ڻ‬ ˕˃
ֺʳࠏ ˄ˍ˄˃
ֲʳཚ ˅˃˃ˌˁ˃˅ˁ˄ˉ
ᢄʳቹ ‫ޕ‬ʳʳᚻʳʳ‫ܩ‬
ீʳኙ ࣥʳʳᆠʳʳጘ
ᆜறਮิʻ‫ף‬९ʼ
গຏᖲሽैٝ‫ૻڶ‬ֆ‫˟˄˃˃˃˅˄ˉ˗ ׹‬
A-9
ႈ‫ؾ‬ᒳᇆ ᑇၦ ሿٙᚾூ‫ټ‬ጠ ᎅࣔ
˄ ˅ ˗ˉ˄˅˃˃˄˃
ˋ
˅ ˄ ˗ˉ˄˅˃˅˃˄
ˆ ˄ ˗ˉ˄˅˃ˈ˃˄
ˊ ˇ ˅ ˗ˉ˄ˆ˃˄˃˄
ˈ ˄ ˗ˉ˄ˆ˃˅˃˅
ˆ
ˌ ˉ ˅ ˗ˉ˄ˆ˃ˋ˃˃
˄ˆ ˊ ˄ ˗ˉ˄ˆ˃ˌ˃˃
˄ˆ ˌ ˄˄
ˋ ˇ ˗ˉ˄ˆ˄˃˃˃
ˌ ˉ ˦ˣ˪ˉ
˄˃ ˋ ˪ˇʳʻՕীʼ
˄˄ ˅ ˪ˉʳʻ՛ীʼ
˄˅ ˋ փˠˇ̋˄˃
˄ˆ ˉ ؆ˠˉ̋˄ˈ
˄ˇ ˈ ༐ˠˉ
˅ ˈ

˄˃
˄˅

๻ʳ᧢ ˗˛ˀ˃ˊˉ
ˉ ठʳ‫ڻ‬ ˕˃
ֺʳࠏ ˄ˍ˄˅
ֲʳཚ ˅˃˃ˌˁ˃˅ˁ˄ˉ
ᢄʳቹ ‫ޕ‬ʳʳᚻʳʳ‫ܩ‬
ீʳኙ ࣥʳʳᆠʳʳጘ
ᆜறࣨิʻᑑᄷʼ
গຏᖲሽैٝ‫ૻڶ‬ֆ‫ˇ˃˃˃˅˄ˉ˗ ׹‬
A-10
ႈ‫ؾ‬ᒳᇆ ᑇၦ ሿٙᚾூ‫ټ‬ጠ ᎅࣔ
˄ ˅ ˗ˉ˄˅˃˃˄˃
˅ ˄ ˗ˉ˄˅˃˅˃˄
ˊ
ˆ ˄ ˗ˉ˄˅˃ˈ˃˄
ˇ ˅ ˗ˉ˄ˆ˃˄˃˄
ˋ ˈ ˄ ˗ˉ˄ˆ˃˅˃ˆ
ˆ
ˉ ˅ ˗ˉ˄ˆ˃ˋ˃˃
˄ˆ ˊ ˄ ˗ˉ˄ˆ˃ˌ˃˄
ˌ
˄˄ ˌ ˄ˆ ˋ ˈ ˗ˉ˄ˆ˄˃˃˃
ˌ ˉ ˦ˣ˪ˉ
˅
˄˃ ˄˃ ˪ˇʳʻՕীʼ
˄˄ ˅ ˪ˉʳʻ՛ীʼ
˄˅ ˄˃ փˠˇ̋˄˃
ˈ
˄ˇ ˄ˆ ˉ ؆ˠˉ̋˄ˈ
ˇ ˄ˇ ˈ ༐ˠˉ

˄˅ ˄˃

๻ʳ᧢ ˗˛ˀ˃ˊˉ
ˉ ठʳ‫ڻ‬ ˕˃
ֺʳࠏ ˄ˍ˄˅
ֲʳཚ ˅˃˃ˌˁ˃˅ˁ˄ˉ
ᢄʳቹ ‫ޕ‬ʳʳᚻʳʳ‫ܩ‬
ீʳኙ ࣥʳʳᆠʳʳጘ
ᆜறࣨิʻ‫ף‬९ʼ
গຏᖲሽैٝ‫ૻڶ‬ֆ‫˟ˇ˃˃˃˅˄ˉ˗ ׹‬
A-11
ႈ‫ؾ‬ᒳᇆ ᑇၦ ሿٙᚾூ‫ټ‬ጠ ᎅࣔ
˄ ˅ ˗ˉ˄˅˃˃˄˃
˄˅ ˌ ˄˃ ˅ ˄ ˗ˉ˄˅˃˃ˆ˃
ˆ ˄ ˗ˉ˄˅˃˅˃˄
˄˅ ˌ ˄˃ ˇ ˄ ˗ˉ˄˅˃ˈ˃˄
ˇ ˊ
ˈ ˅ ˗ˉ˄ˆ˃˄˃˄
ˉ ˄ ˗ˉ˄ˆ˃˅˃˅
ˆ ˊ ˄ ˗ˉ˄ˆ˃ˆ˃˃
˄ˇ ˄˅ ˋ ˅ ˦ˣ˪˄˃
ˉ ˄ˇ ˌ ˌ ˉ ˦ˣ˪ˉ
˄ ˄˃ ˅ ˪ˉʳʻ՛ীʼ
ˈ ˄˄ ˅ ؆ˠ˄˃̋˄˃˃
˄˅ ˉ ؆ˠˉ̋˄ˈ
˄ˆ ˅ ༐ˠ˄˃
˄ˇ ˈ ༐ˠˉ

˄ˆ
˄˄
ˋ

˅
๻ʳ᧢
ठʳ‫ڻ‬ ˔˃
ֺʳࠏ ˄ˍˋ
ֲʳཚ ˌˇˁ˄˃ˁ˅˃
ᢄʳቹ ‫ޕ‬ʳʳᚻʳʳ‫ܩ‬
ீʳኙ ࣥʳʳᆠʳʳጘ
ฝ೯ᆬஆᆜறਮิ
গຏᖲሽैٝ‫ૻڶ‬ֆ‫˅˄˃˃˅˄ˉ˗ ׹‬
A-12
枭䚖䶐嘇 㔠慷 暞ẞ㨼㟰⎵䧙 婒㖶 枭䚖䶐嘇 㔠慷 暞ẞ㨼㟰⎵䧙 婒㖶 枭䚖䶐嘇 㔠慷 暞ẞ㨼㟰⎵䧙 婒㖶
IJ IJ ŅķijIJııIJIJ Ĺ IJ ŅķĴķıĶıı IJĸ ĵ ℏŎķŹIJij
ij IJ ŅķijIJııIJij ĺ IJ ŅķĴķıķıı IJĹ ķ ℏŎķŹIJķ
Ĵ IJ ŅķijijııĴı IJı IJij ŔőŘIJı IJĺ ĵ ℏŎķŹijı
ĵ ij ŅķijĴııIJı IJIJ IJij ŔőŘĶ ijı ij ℏŎķŹĴı
Ķ IJ ŅķijĶııIJı IJij IJij ŔőŘķ ijIJ IJij ⷥŎIJı
ķ IJ ŅķĴIJıĶIJIJ IJĴ IJij Řķġĩ⮷✳Ī ijij ij ⷥŎķ
ĸ IJ ŅķĴķııIJı IJĵ Ĺ ᷠ柕坢䴚ŎĹŹIJķ ijĴ ij 㬊Ẁ坢䴚ŎķŹijı
Ĺ IJ ŅķĴķııijı IJĶ IJij ℏŎIJıŹijĶ ijĵ IJ ŅķijIJııķı
ķ ij ŅķĴķıijıı IJķ ĵ ℏŎĶŹIJı

Ķ
ijĴ
ķ
ĸ Ĺ IJķ IJIJ ijĵ Ńı

IJĵ

IJĹ IJĴ IJij ĺ

IJĹ IJĴ IJij
IJĺ IJĴ IJij ij Ĵ

IJ
Ĺ
ijij ijı IJĴ IJij IJĸ IJIJ Ńı ľIJ
IJĹ IJĴ IJij
IJĺ IJĴ IJij 姕ġ嬲 ņńŏįŅʼnIJįijĶIJ
IJĶ IJı 䇰ġ㫉 Ńı
ķ
㭼ġἳ IJĻĹ
ijIJ 㖍ġ㛇 ijıIJĶįıĵįĴı
ĵ 丒ġ⚾ 㛶ġġⲘġġỹ
㟉ġ⮵ 㜿ġġ佑ġġ䡏

㨇㝞䳬
ⅈ忂㨇暣偉ấ㚱旸℔⎠ ŅķijIJııIJı
A-13
枭䚖䶐嘇 㔠慷 暞ẞ㨼㟰⎵䧙 婒㖶 枭䚖䶐嘇 㔠慷 暞ẞ㨼㟰⎵䧙 婒㖶 枭䚖䶐嘇 㔠慷 暞ẞ㨼㟰⎵䧙 婒㖶
IJ IJ ŅķijIJııIJIJō IJı IJ ŅķĴķıĶıı IJĺ ĵ ℏŎķŹIJij
ij IJ ŅķijIJııIJijō IJIJ IJ ŅķĴķıĸıı ijı ĵ ℏŎķŹIJķ
Ĵ IJ ŅķijijııĴıō IJij IJij ŔőŘIJı ijIJ ĵ ℏŎķŹijı
ĵ ij ŅķijĴııIJı IJĴ IJij ŔőŘĶ ijij ĵ ℏŎķŹĴı
Ķ IJ ŅķijĶııIJı IJĵ IJij ŔőŘķ ijĴ IJij ⷥŎIJı
ķ IJ ŅķĴIJıĶIJĵ IJĶ IJij Řķġĩ⮷✳Ī ijĵ ij ⷥŎķ
ĸ IJ ŅķĴķııIJı IJķ Ĺ ᷠ柕坢䴚ŎĹŹIJķ ijĶ ij 㬊Ẁ坢䴚ŎķŹijı
Ĺ IJ ŅķĴķııijı IJĸ IJij ℏŎIJıŹijĶ ijķ IJ ŅķijIJııķıō
ĺ ij ŅķĴķıijıı IJĹ ĵ ℏŎĶŹIJı
ĺ ijĶ Ķ ij
Ĵ
ĸ
ijķ Ńı
IJĹ IJĴ
IJı

ijij IJĶ IJĵ
IJIJ
ijı IJĶ IJĵ
ijIJ IJĶ IJĵ

IJ
Ĺ ijĵ ijij IJĶ IJĵ Ńı ľIJ
IJĺ IJĴ ijı IJĶ IJĵ
姕ġ嬲 ņńŏįŅʼnIJįijĶIJ
ijIJ IJĶ IJĵ
䇰ġ㫉 Ńı
ķ IJĸ IJij 㭼ġἳ IJĻĹįĶ

ijĴ 㖍ġ㛇 ijıIJĶįıĵįĴı

ĵ 丒ġ⚾ 㛶ġġⲘġġỹ
㟉ġ⮵ 㜿ġġ佑ġġ䡏

㨇㝞䳬ĩ≈攟Ī
ⅈ忂㨇暣偉ấ㚱旸℔⎠ ŅķijIJııIJıō
A-14
ႈ‫ؾ‬ᒳᇆ ᑇၦ ሿٙᚾூ‫ټ‬ጠ ᎅࣔ
˄ ˄ ˗ˉ˅˄˃˃ˆ˃
˅ ˅ ˗ˉ˅˄˃ˈ˃˃
ˆ ˅ ˗ˉ˅˄˃ˉ˃˃
ˇ ˄ ˗ˉ˅˄˃ˊ˃˃
ˈ ˅ ˗ˉ˅ˇ˃˄˃˃
ˉ ˅ ˗ˉ˅ˇ˃˅˃˃
ˊ ˄ ˗ˉ˅ˇ˃ˇ˃˃
ˇ ˋ ˅ ˗ˉ˅ˇ˃ˋ˃˃
ˌ ˅ ˗ˉ˅ˇ˃ˌ˃˃
˄˅
ˊ ˄˃ ˄ ˗ˉˆ˄˃˅˄ˇ
˄˄ ˄ ˗ˉˆ˄˃ˇ˄ˈ
˄˅ ˄ Մᙰᝅ࿭ˠˋ̋˄ˉ
˄ˇ ˇ ୖᙰˀˠˉ̋˅ˈ
˄ˈ ˇ ༐ˠˉ
˄ˉ ˅ ַ‫ב‬ᝅ࿭ˠˋ̋ˆˈ
˄ˊ ˅ ୖᙰˀˠˉ̋˄˅

˄
˄˄ ˆ

˄ˈ

๻ʳ᧢
ˉ ˅ ठʳ‫ڻ‬ ˔˃
˄ˉ ˄ˇ
˄˃ ֺʳࠏ ˄ˍˉ
ˋ ֲʳཚ ˌˇˁ˄˄ˁ˃ˋ
ˈ
ˌ ᢄʳቹ ‫ޕ‬ʳʳᚻʳʳ‫ܩ‬
ீʳኙ ࣥʳʳᆠʳʳጘ
ᖲਮิ
গຏᖲሽैٝ‫ૻڶ‬ֆ‫˄˄˃˃˄˅ˉ˗ ׹‬
A-15
ႈ‫ؾ‬ᒳᇆ ᑇၦ ሿٙᚾூ‫ټ‬ጠ ᎅࣔ
˄ ˄ ˗ˉ˅˄˃˃ˆ˃
˅ ˅ ˗ˉ˅˄˃ˈ˃˃
ˆ ˅ ˗ˉ˅˄˃ˉ˃˃
ˇ ˄ ˗ˉ˅˄˃ˊ˃˃
ˈ ˅ ˗ˉ˅ˇ˃˄˃˃
ˉ ˅ ˗ˉ˅ˇ˃˅˃˃
ˊ ˄ ˗ˉ˅ˇ˃ˇ˃˃
ˋ ˅ ˗ˉ˅ˇ˃ˋ˃˃
ˇ ˌ ˅ ˗ˉ˅ˇ˃ˌ˃˃
˄˅ ˄˃ ˄ ˗ˉˆ˄˃˅˄ˊ
ˊ
˄˄ ˄ ˗ˉˆ˄˃ˇ˄ˋ
˄˅ ˄ Մᙰᝅ࿭ˠˋ̋˄ˉ
˄ˇ ˇ ୖᙰˀˠˉ̋˅ˈ
˄ˈ ˇ ༐ˠˉ
˄ˉ ˅ ַ‫ב‬ᝅ࿭ˠˋ̋ˆˈ
˄ˊ ˇ ୖᙰˀˠˉ̋˄˅

˄ˊ
˄
˄˄ ˆ
˄˃
˄ˈ

ˉ ๻ʳ᧢
˄ˉ ˅ ठʳ‫ڻ‬ ˔˃
˄ˇ
ֺʳࠏ ˄ˍˉˁˈ
ˋ ˌˇˁ˄˄ˁ˄˄
ˈ ֲʳཚ
ˌ ᢄʳቹ ‫ޕ‬ʳʳᚻʳʳ‫ܩ‬
ீʳኙ ࣥʳʳᆠʳʳጘ
ᖲਮิʻ‫ף‬९ʼ
গຏᖲሽैٝ‫ૻڶ‬ֆ‫˟˄˄˃˃˄˅ˉ˗ ׹‬
A-16
*+,- ./ 012345 67
" # 8"""$&$&&
# " 8"#"!&"&&
$ " 9'#"&"&&
) " 9'#"&$&&
! " 9'#"&)&&
' " 9'##&(&&
" 9'$"&$"!
( " 9'$'"&&&
% " 9'$'""&&
"& ( :;<'
"" ( =>'?"'
"" "& "# " @>'
"$ " ABCD>'?"#
"" "&

%
)

"& "" "


#

( '
"# "$
$
VRW 9OP"$!
TRU i&
[R\ "d!e!
QRS #&"$e& e$"
bRc fRRgRRh
`Ra ]RR^RR_

XYZ
EFGHIJKLMNI 9'#"&&"#
A-17
枭䚖䶐嘇 㔠慷 暞ẞ㨼㟰⎵䧙 婒㖶
IJ ij ńIJIJIJĴıĴıı
ij IJ ńIJijIJĶıijıı
Ĵ IJ ŅķijIJııĶı
ĵ IJ ŅķijIJıIJıı
Ķ IJ ŅķijIJıĴıı
ķ IJ ŅķijIJıĵıı
ĸ IJ ŅķijIJIJĴıı
Ĺ ij ŅķijIJIJĵıı
ĺ ij ŅķijijıĹıı
IJı ij ŅķĴIJıĴIJĹ
IJIJ IJ ŅķĴķIJııı
IJij IJ ŅķĴķIJIJıı
IJĴ ij ŋŊŔġŃġIJIJĸĵŠġŎĹŹIJı
IJĵ Ĺ ŔőŘķ
IJĶ Ĺ ℏŎķŹIJķ
IJķ IJ ⢾ŎĹŹijı
IJĶ IJĵ
IJĸ ij ⷥŎķ
IJĶ IJĵ
IJĹ IJ ⷥŎĹ
IJĸ IJĺ IJij IJĺ ij 㬊Ẁ坢䴚ŎķŹIJij

ķ Ķ
IJı IJı

ij
IJ
姕ġ嬲 ŅʼnĮIJĴĶ
ĵ 䇰ġ㫉 ńı
IJĶ IJĵ
IJĺ IJIJ 㭼ġἳ IJĻĶįĶ
IJķ Ĺ
ĸ Ĺ 㖍ġ㛇 ijıIJĴįıĸįĴIJ
IJĹ ĺ
IJĴ Ĵ 丒ġ⚾ 㛶ġġ㚁ġġ⏃
㟉ġ⮵ 㜿ġġ佑ġġ䡏

⁛≽䳬ĩ≈攟Ī
⎘䀋刦】⎠偉ấ㚱旸℔⎠ ŅķijIJııIJijō
A-18
枭䚖䶐嘇 㔠慷 暞ẞ㨼㟰⎵䧙 婒㖶 枭䚖䶐嘇 㔠慷 暞ẞ㨼㟰⎵䧙 婒㖶 枭䚖䶐嘇 㔠慷 暞ẞ㨼㟰⎵䧙 婒㖶
IJ IJ ŅķijIJııIJĵ IJı IJ ŅķĴķıĶıı IJĺ Ĺ ℏŎķŹIJij
ij IJ ŅķijIJııIJĶ IJIJ IJ ŅķĴķıķıı ijı ĵ ℏŎķŹIJķ
Ĵ IJ ŅķijijııĴIJ IJij IJij ŔőŘIJı ijIJ Ķ ℏŎķŹijı
ĵ ij ŅķijĴııIJı IJĴ ĵ ŔőŘĶ ijij ij ℏŎķŹĴı
Ķ IJ ŅķijĶııIJı IJĵ IJIJ ŔőŘķ ijĴ IJij ⷥŎIJı
ķ IJ ŅķĴIJıĶIJIJ IJĶ IJIJ Řķġĩ⮷✳Ī ijĵ ij ⷥŎķ
ĸ IJ ŅķĴķııIJı IJķ ķ ᷠ柕坢䴚ŎĹŹIJķ ijĶ IJ 㬊Ẁ坢䴚ŎķŹijı
Ĺ IJ ŅķĴķııijı IJĸ IJij ℏŎIJıŹijĶ ijķ IJ ŅķijIJııķı
ĺ ij ŅķĴķıijıı IJĹ ĵ ℏŎĶŹIJı

ij Ĵ
IJĹ
IJĶ IJĴ Ńı ijķ

Ĺ IJĵ
IJķ
IJĶ ijIJ
IJĵ Ķ
ijĵ ijı
ijij IJĺ

IJIJ
IJı
IJ ijĶ
IJ ĺ

Ńı ľIJ
ĸ IJĵ IJĶ ijı
姕ġ嬲 ņńŏįŅʼnIJįijĶIJ
IJĸ 䇰ġ㫉 Ńı
IJij 㭼ġἳ IJĻĹįĶ
ķ
㖍ġ㛇 ijıIJĶįıĵįĴı
ĵ
丒ġ⚾ 㛶ġġⲘġġỹ
ijĴ
㟉ġ⮵ 㜿ġġ佑ġġ䡏

㨇㝞䳬ĩⶎ⎹Ī
ⅈ忂㨇暣偉ấ㚱旸℔⎠ ŅķijIJııIJĴ
A-19
ႈ‫ؾ‬ᒳᇆ ᑇၦ ሿٙᚾூ‫ټ‬ጠ ᎅࣔ
˄ ˄ ˗ˉ˅˄˃˃ˆ˃
˅ ˅ ˗ˉ˅˄˃ˈ˃˃
ˆ ˅ ˗ˉ˅˄˃ˉ˃˃
ˇ ˄ ˗ˉ˅˄˃ˊ˃˃
ˈ ˅ ˗ˉ˅ˇ˃˄˃˃
ˉ ˅ ˗ˉ˅ˇ˃˅˃˃
ˇ
ˊ ˄ ˗ˉ˅ˇ˃ˇ˃˃
˄˅ ˋ ˅ ˗ˉ˅ˇ˃ˋ˃˃
ˊ ˌ ˅ ˗ˉ˅ˇ˃ˌ˃˃
˄˃ ˄ ˗ˉˆ˄˃˅˄ˇ
˄˄ ˄ ˗ˉˆ˄˃ˇ˄ˉ
˄˅ ˄ Մᙰᝅ࿭ˠˉ̋˅ˈ
˄ˆ ˇ ୖᙰˀˠˉ̋˄˅
˄ˇ ˇ ୖᙰˀˠˉ̋˅ˈ
˄ˈ ˇ ༐ˠˉ
˄ˉ ˄ ַ‫ב‬ᝅ࿭ˠˋ̋ˆˈ
˄ ˄˄ ˄ˆ

˄˃ ˄ˇ
˄ˈ

˅ ๻ʳ᧢ ˗˛ˀ˃ˈ˄
˄ˇ ठʳ‫ڻ‬ ˔˃
ˉ
ˋ ˄ˉ ֺʳࠏ ˄ˍˉˁˈ
ˌ ˈ
ֲʳཚ ˌˉˁ˃ˉˁ˅ˆ
ᢄʳቹ ๺ʳʳপʳʳ֮
ீʳኙ ࣥʳʳᆠʳʳጘ
ᖲਮิʻؐ‫ٻ‬ʼ
গຏᖲሽैٝ‫ૻڶ‬ֆ‫ˇ˄˃˃˄˅ˉ˗ ׹‬
A-20
枭䚖䶐嘇 㔠慷 暞ẞ㨼㟰⎵䧙 婒㖶
IJ ij ńIJIJIJĴıĴıı
ij IJ ńIJijIJĶıIJıı
Ĵ IJ ŅķijIJıIJıIJ
ĵ IJ ŅķijIJıĴıIJ
Ķ IJ ŅķijIJıĵıIJ
ķ IJ ŅķijijıĹıı
ĸ IJ ŅķĴIJıĴIJĶ
Ĺ IJ ŅķĴķIJıIJı
ĺ IJ ŅķĴķIJIJIJı
IJı Ĺ ŔőŘķ
IJIJ Ĺ ℏŎķŹIJķ
IJij IJ ⷥŎķ
IJĴ IJ 㬊Ẁ坢䴚ŎķŹIJķ

ĺ IJIJ IJı
IJIJ
IJı

ĵ
ij
Ĵ IJ
ķ

Ĺ
姕ġ嬲 ŅʼnĮIJĴĶ
IJı 䇰ġ㫉 Ńı
IJIJ IJij ĸ
IJĴ 㭼ġἳ IJĻĸ
㖍ġ㛇 ijıIJĴįıĺįIJĹ
Ķ 丒ġ⚾ 㛶ġġ㚁ġġ⏃
㟉ġ⮵ 哉ġġ㔯ġġ㶣

⁛≽䳬ĩⶎ⎹Ī
ⅈ忂㨇暣偉ấ㚱旸℔⎠ ŅķijIJııIJĶ
A-21
ႈ‫ؾ‬ᒳᇆ ᑇၦ ሿٙᚾூ‫ټ‬ጠ ᎅࣔ
A ˄
˅
˄
˄
˗ˉ˅˄˄˅˃˃
˗ˉ˅˄˄ˆ˃˃
ˆ ˅ ˗ˉ˅˄˄ˇ˃˃
ˇ ˄ ˗ˉˆˉ˄˃˃˃
ˈ ˄ ˗ˉˆˉ˄˄˃˃
ˉ ˄ ˗ˉ˅˄˄˃˃˃

ˇ ˈ

ˉ
˄

ठʳ‫ڻ‬ ˔˃
ˆ
˅ ֺʳࠏ ˄ʳˍʳˆ
ֲʳཚ ˌˆˁ˃ˊˁˆ˃
˔ʳʳʻ˄ʳˍʳˆʼ ᢄʳቹ ຫʳ࡯ʳ❶
ீʳኙ ឌʳ‫ۂ‬ʳጆ

গຏᖲሽैٝ‫ૻڶ‬ֆ‫׹‬ ˗˛ʳྤථબ‫ף‬९ী
A-22
ႈ‫ؾ‬ᒳᇆ ᑇၦ ሿٙᚾூ‫ټ‬ጠ ᎅࣔ
˄ ˄ ˗ˉ˅ˇ˃ˆ˃˃
˅ ˄ ˗ˉ˅ˇ˃ˉ˃˃
ˆ ˄ ˗ˉ˅ˇ˃ˊ˃˃
ˇ ˄ ؆ˠ˄˅̋˅˃

ˆ
ˇ

๻ʳ᧢
ठʳ‫ڻ‬ ˔˃
ֺʳࠏ ˄ˍ˄ˁˈ
ֲʳཚ ˌˇˁ˄˄ˁ˃ˋ
ᢄʳቹ ‫ޕ‬ʳʳᚻʳʳ‫ܩ‬
ீʳኙ ࣥʳʳᆠʳʳጘ
‫֫ނ‬ᔚ
গຏᖲሽैٝ‫ૻڶ‬ֆ‫˃ˆ˃˃˄˅ˉ˗ ׹‬
A-23
ႈ‫ؾ‬ᒳᇆ ᑇၦ ሿٙᚾூ‫ټ‬ጠ ᎅࣔ
˄ ˄ ˗ˉ˅˄˄˃˃˃
˅ ˄ ˗ˉ˅˄˄˅˃˃
ˆ ˅ ˦ˣ˪ˉ
ˇ ˄ ୖᙰˀˠˉ̋˄ˉ
ˈ ˄ ༐ˠˉ

ˆ
˅
๻ʳ᧢ ˗˛ˀ˃ˉˇ
ˆ
ठʳ‫ڻ‬ ˔˃
ˈ ֺʳࠏ ˄ˁˈˍ˄
ֲʳཚ ˅˃˃ˋˁ˃ˈˁ˅˃
ᢄʳቹ ‫ޕ‬ʳʳᚻʳʳ‫ܩ‬
ீʳኙ ࣥʳʳᆠʳʳጘ
֭ᐶࣨิ
গຏᖲሽैٝ‫ૻڶ‬ֆ‫׹‬ ˗ˉ˅˄˃˃ˈ˃
A-24
ႈ‫ؾ‬ᒳᇆ ᑇၦ ሿٙᚾூ‫ټ‬ጠ ᎅࣔ
˄ ˄ ˖˄˄˄ˆ˃ˆ˃˄
˅ ˄ ˖˄˅˄˅˃˄˃˃
ˆ ˄ ˖˄ˆ˄˄˃˅˃˃

๻ʳ᧢ ˗˛ˀ˃ˆˌ
ठʳ‫ڻ‬ ˔˃
ֺʳࠏ ˄ˍ˄ˁˈ
ֲʳཚ ˌˇˁ˄˄ˁ˃ˋ
ᢄʳቹ ‫ޕ‬ʳʳᚻʳʳ‫ܩ‬
ீʳኙ ࣥʳʳᆠʳʳጘ
ࣙ૾޳બิ
গຏᖲሽैٝ‫ૻڶ‬ֆ‫˃˄˃˃˅˅ˉ˗ ׹‬
A-25
枭䚖䶐嘇 㔠慷 暞ẞ㨼㟰⎵䧙 婒㖶
IJ ij Ņķijijııijı
ij ij ŅķijijııĶı
Ĵ ij Ņķijijııķı
ĵ Ĺ ŅķijijıĴıIJ
Ķ IJ ŅķĴIJıIJIJĶ
ķ IJ ŅķĴĸıııı
ĸ ĵ ŔőŘķ
Ĺ ĵ ❳柕ĮŎķŹIJij
ĺ IJı ❳柕ĮŎķŹijĶ
IJı ĵ ⢾ŎķŹĵı
IJIJ ķ ⷥŎķ
IJij IJĴ Ķ ŃIJ IJij IJ ŅķijijıĶıı
ŃIJ IJĴ ij ŐŖŕġʼnŦŹġŋŊŔġŎĵŹIJı

ij
Ĺ ĵ

Ĵ ŃIJ ġľij

IJ
ĺ ĺ ķ 姕ġ嬲 ŅʼnĮIJĴķ
ĸ 䇰ġ㫉 ŃIJ
㭼ġἳ IJĻķ
IJı IJIJ
㖍ġ㛇 ijıIJĴįIJıįıIJ
丒ġ⚾ 㛶ġġⲘġġỹ
㟉ġ⮵ 㜿ġġ佑ġġ䡏

㈀㕁䳬
ⅈ忂㨇暣偉ấ㚱旸℔⎠ ŅķijijııĴı
A-26
枭䚖䶐嘇 㔠慷 暞ẞ㨼㟰⎵䧙 婒㖶
IJ ij Ņķijijııijı
ij ij ŅķijijııĶı
Ĵ ij Ņķijijııķı
ĵ Ĺ ŅķijijıĴıIJ
Ķ IJ ŅķĴIJıIJIJĹ
ķ IJ ŅķĴĸıııı
ĸ ĵ ŔőŘķ
Ĺ ĵ ❳柕ĮŎķŹIJij
IJij IJĴ ĺ IJı ❳柕ĮŎķŹijĶ
IJı ĵ ⢾ŎķŹĵı
Ķ IJIJ ķ ⷥŎķ
ŃIJ IJij IJ ŅķijijıĶıı
ŃIJ IJĴ ij ŐŖŕġʼnŦŹġŋŊŔġŎĵŹIJı

ij
Ĺ ĵ
Ĵ
ŃIJ ġľij
IJ
ĺ ĺ ķ 姕ġ嬲 ŅʼnĮIJĴķ
ĸ 䇰ġ㫉 ŃIJ
IJı 㭼ġἳ IJĻķįĶ
IJIJ
㖍ġ㛇 ijıIJĴįIJıįıIJ
丒ġ⚾ 㛶ġġⲘġġỹ
㟉ġ⮵ 㜿ġġ佑ġġ䡏

㈀㕁䳬ġĩ≈攟Ī
ⅈ忂㨇暣偉ấ㚱旸℔⎠ ŅķijijııĴıō
A-27
ႈ‫ؾ‬ᒳᇆ ᑇၦ ሿٙᚾூ‫ټ‬ጠ ᎅࣔ
˄ ˄ ˗ˉ˅ˆ˃˃˅˃
˅ ˄ ˗ˉ˅ˆ˃˄˃˃
ˆ ˄ ˗ˉ˅ˆ˃˅˃˃
ˇ ˄ ˗ˉ˅ˆ˃ˆ˃˃
ˈ ˄ ˗ˉ˅ˆ˃ˇ˃˃
ˉ ˄ ˗ˉ˅ˆ˃ˈ˃˃
ˊ ˄ ˗ˉ˅ˆ˃ˋ˃˃
ˋ ˄ ˗ˉ˅ˆ˃ˌ˃˃
˅
ˌ ˄ ˗ˉ˅ˆ˄˃˃˃
˄˃ ˄ ˗ˉ˅ˆ˄˄˃˃
˄˄ ˄ ˦ˣ˪ˉ
˄˅ ˄ ˪ˉʳʻ՛ীʼ
˄ˇ ˄ ༐ˠˉ
ˈ ˄ˈ ˅ ؆‫ڬ‬ʳˀʳ˦˅˃

ˊ
˄˃ ˉ
˄˅
˄ ˄˄
˒
ˌ
ˋ ๻ʳ᧢
ˇ ठʳ‫ڻ‬ ˔˃
˒
ֺʳࠏ ˄ˍˆ
ֲʳཚ ˌˇˁ˄˄ˁ˃ˋ
ᢄʳቹ ‫ޕ‬ʳʳᚻʳʳ‫ܩ‬
ீʳኙ ࣥʳʳᆠʳʳጘ
ؐ‫׳‬ᄀឭ
গຏᖲሽैٝ‫ૻڶ‬ֆ‫˃˄˃˃ˆ˅ˉ˗ ׹‬
A-28
ႈ‫ؾ‬ᒳᇆ ᑇၦ ሿٙᚾூ‫ټ‬ጠ ᎅࣔ
˄ ˄ ˗ˉ˅˄˃˄˅˃
˅ ˄ ˗ˉ˅ˈ˃ˊ˃˃
ˆ ˄ ˗ˉ˅ˈ˄˃˃˃
ˇ ˄ ˗ˉ˅ˈ˄ˆ˄ˆ
ˈ ˄ ˗ˉ˅ˈ˄ˊ˃˃
ˉ ˅ ˦ˣ˪ˇ
ˊ ˄ ୖᙰˀˠˉ̋˄ˉ ˊ
ˋ ˄ ༐ˠˇ ˆ ˈ
ˌ ˄ ᝅ࿭ˠˇ̋˅ˈ

ˌ
๻ʳ᧢ ˗˛ˀ˃ˇˊ
ˉ
ठʳ‫ڻ‬ ˕˃
ֺʳࠏ ˄ˍˈ
ֲʳཚ ˌˇˁ˄˄ˁ˅ˇ
ᢄʳቹ ๺ʳʳপʳʳ֮
˅ ˋ ீʳኙ ࣥʳʳᆠʳʳጘ
˄ˌʳࢽཧิ
গຏᖲሽैٝ‫ૻڶ‬ֆ‫˃ˇ˃˃ˈ˅ˉ˗ ׹‬
A-29
ႈ‫ؾ‬ᒳᇆ ᑇၦ ሿٙᚾூ‫ټ‬ጠ ᎅࣔ
˄ ˄ ˗ˉ˅˄˃˄˄˅
˅ ˄ ˗ˉ˅ˈ˃ˉ˃˃
ˆ ˄ ˗ˉ˅ˈ˃ˌ˃˃
ˇ ˄ ˗ˉ˅ˈ˄˅˄ˉ ˆ
ˈ ˅ ˦ˣ˪ˇ
ˉ ˄ ༐ˠˇ
ˊ ˄ ᝅ࿭ˠˇ̋˄ˋ

๻ʳ᧢ ˗˛ˀ˃ˇˊ
ठʳ‫ڻ‬ ˕˃
ˊ
ˈ ֺʳࠏ ˄ˍˈ
˅ ֲʳཚ ˌˇˁ˄˄ˁ˅ˇ
ᢄʳቹ ๺ʳʳপʳʳ֮
ீʳኙ ࣥʳʳᆠʳʳጘ
ˉ ˄˅ˁˊʳࢽཧิʻ‫ף‬९ʼ
গຏᖲሽैٝ‫ૻڶ‬ֆ‫˟˃ˆ˃˃ˈ˅ˉ˗ ׹‬
A-30
ႈ‫ؾ‬ᒳᇆ ᑇၦ ሿٙᚾூ‫ټ‬ጠ ᎅࣔ
˄ ˄ ˗ˉ˅˄˃˄˄˅
˅ ˄ ˗ˉ˅ˈ˃ˉ˃˃
ˆ ˄ ˗ˉ˅ˈ˃ˌ˃˃
ˇ ˄ ˗ˉ˅ˈ˄˅˄ˆ
ˈ ˅ ˦ˣ˪ˇ
ˉ ˄ ༐ˠˇ
ˊ ˄ ᝅ࿭ˠˇ̋˄ˋ
ˆ

ˊ ๻ʳ᧢ ˗˛ˀ˃ˇˊ
ˈ ठʳ‫ڻ‬ ˕˃
ֺʳࠏ ˄ˍˈ
ֲʳཚ ˌˇˁ˄˄ˁ˅ˇ
ᢄʳቹ ๺ʳʳপʳʳ֮
˅ ீʳኙ ࣥʳʳᆠʳʳጘ
ˉ
˄˅ˁˊʳࢽཧิ
গຏᖲሽैٝ‫ૻڶ‬ֆ‫˃ˆ˃˃ˈ˅ˉ˗ ׹‬
A-31
ႈ‫ؾ‬ᒳᇆ ᑇၦ ሿٙᚾூ‫ټ‬ጠ ᎅࣔ
˄ ˄ ˗ˉ˅˄˃˄˃ˉ
˅ ˄ ˗ˉ˅ˈ˃ˈ˃˃
ˆ ˄ ˗ˉ˅ˈ˃ˋ˃˃
ˇ ˄ ˗ˉ˅ˈ˄˄˄ˉ
ˈ ˄ ᐘ៝ᔭʳˇ̋˅˃

๻ʳ᧢
ठʳ‫ڻ‬ ˔˃
ֺʳࠏ ˄ˍˈ
ֲʳཚ ˌˇˁ˄˄ˁ˄ˈ
ˈ ᢄʳቹ ‫ޕ‬ʳʳᚻʳʳ‫ܩ‬
˅ ீʳኙ ࣥʳʳᆠʳʳጘ
ˉʳࢽཧิʻ‫ף‬९ʼ
গຏᖲሽैٝ‫ૻڶ‬ֆ‫˟˃˅˃˃ˈ˅ˉ˗ ׹‬
A-32
ႈ‫ؾ‬ᒳᇆ ᑇၦ ሿٙᚾூ‫ټ‬ጠ ᎅࣔ
˄ ˄ ˗ˉ˅˄˃˄˃ˉ
˅ ˄ ˗ˉ˅ˈ˃ˈ˃˃
ˆ ˄ ˗ˉ˅ˈ˃ˋ˃˃
ˇ ˄ ˗ˉ˅ˈ˄˄˄ˆ
ˈ ˄ ᐘ៝ᔭʳˇ̋˅˃

๻ʳ᧢
ठʳ‫ڻ‬ ˔˃
ֺʳࠏ ˄ˍˈ
ˈ
ֲʳཚ ˌˇˁ˄˄ˁ˃ˋ
˅ ᢄʳቹ ‫ޕ‬ʳʳᚻʳʳ‫ܩ‬
ீʳኙ ࣥʳʳᆠʳʳጘ
ˉʳࢽཧิ
গຏᖲሽैٝ‫ૻڶ‬ֆ‫˃˅˃˃ˈ˅ˉ˗ ׹‬
A-33
枭䚖䶐嘇 㔠慷 暞ẞ㨼㟰⎵䧙 婒㖶
IJ IJ ŅķijĶıIJıı
ij IJ ŅķijĶıijıı
Ĵ IJ ŅķijĶıĴıı
ĵ IJ ŅķijĶIJĵıı
Ķ IJ ŅķijĶIJĶıı

Ķ
Ĵ

ġġ
ġ
姕ġ嬲 ŅʼnĮıĴĺ
䇰ġ㫉 łı
㭼ġἳ IJĻIJįĶ
㖍ġ㛇 ĺĵįIJijįIJij
丒ġ⚾ 㛶ġ㚁ġ⏃
㟉ġ⮵ 㜿ġ佑ġ䡏
ġ
⼴䪗庠
⎘䀋刦】⎠偉ấ㚱旸℔⎠
ŅķijĶııIJı
A-34
ᶲ⋰
䳬ẞ䶐嘇 ⎵䧙 枭䚖䶐嘇 㔠慷 暞ẞ㨼㟰⎵䧙 婒㖶
IJ IJ ŅķijĶııĵı
Ķ ĵ Ĵ ㉤㡺䳬ĩ㧁㸾Ī ŅķijĶıııı
IJ IJ ŅķijĶııĵıō ĩ≈攟Ī
ij ㉤㡺䳬ĩ≈攟Ī ŅķijĶııııō ij IJ ŅķijĶııĶı
Ĵ ij ŔőŘĹ
ĵ ij ŘĹġĩ⮷✳Ī
Ķ ij ⢾ŎĹŹIJķ
ķ ij ⷥŎĹ
IJ
ķ

姕ġ嬲 ŅʼnĮıĴĺ
䇰ġ㫉 łı
㭼ġἳ IJĻĶįĶ
㖍ġ㛇 ĺĵįIJijįIJij
丒ġ⚾ 㛶ġġ㚁ġġ⏃
㟉ġ⮵ 㜿ġġ佑ġġ䡏

㉤㡺䳬
ⅈ忂㨇暣偉ấ㚱旸℔⎠
A-35
ႈ‫ؾ‬ᒳᇆ ᑇၦ ሿٙᚾூ‫ټ‬ጠ ᎅࣔ
˄ ˄ ˗ˉ˅˄˃˄˅˃
˅ ˄ ˗ˉ˅ˈ˃ˊ˃˃
ˆ ˄ ˗ˉ˅ˈ˄˃˃˃
ˇ ˄ ˗ˉ˅ˈ˄ˆ˄ˉ
ˈ ˄ ˗ˉ˅ˈ˄ˊ˃˃
ˉ ˅ ˦ˣ˪ˇ
ˊ ˄ ୖᙰˀˠˉ̋˄ˉ
ˈ ˊ
ˋ ˄ ༐ˠˇ ˆ
ˌ ˄ ᝅ࿭ˠˇ̋˅ˈ

๻ʳ᧢ ˗˛ˀ˃ˇˊ
ठʳ‫ڻ‬ ˕˃
ˌ
ֺʳࠏ ˄ˍˈˁˈ
ˉ
ֲʳཚ ˌˇˁ˄˄ˁ˅ˇ
˅ ᢄʳቹ ๺ʳʳপʳʳ֮
ீʳኙ ࣥʳʳᆠʳʳጘ
˄ˌʳࢽཧิʻ‫ף‬९ʼ
ˋ
গຏᖲሽैٝ‫ૻڶ‬ֆ‫˟˃ˇ˃˃ˈ˅ˉ˗ ׹‬
A-36
ႈ‫ؾ‬ᒳᇆ ᑇၦ ሿٙᚾூ‫ټ‬ጠ ᎅࣔ
˄ ˅ ˗ˉ˅ˈ˃ˇ˃˃
˅ ˄ ؆ˠˋ̋ˋ˃
ˆ ˆ ༐ˠˋ

๻ʳ᧢
ठʳ‫ڻ‬ ˔˃
ֺʳࠏ ˄ˍ˄
ֲʳཚ ˌˇˁ˄˃ˁ˅˄
ᢄʳቹ ‫ޕ‬ʳʳᚻʳʳ‫ܩ‬
ீʳኙ ࣥʳʳᆠʳʳጘ
‫ׂॴٻޓ‬
গຏᖲሽैٝ‫ૻڶ‬ֆ‫˃ˈ˃˃ˈ˅ˉ˗ ׹‬
A-37
ႈ‫ؾ‬ᒳᇆ ᑇၦ ሿٙᚾூ‫ټ‬ጠ ᎅࣔ
˄ ˄ ˗ˉ˅˄˃ˋ˃˃
˅ ˄ ˗ˉ˅˄˃ˋ˃˄
ˆ ˄ ˗ˉ˅˄˃ˌ˃˃
ˇ ˄ ˗ˉ˅˄˃ˌ˃˄
˄˄
ˈ ˅ ˗ˉˆ˅˃˃˅˃
˄ ˉ ˅ ˗ˉˆˆ˃ˊ˃˃
˅ ˊ ˈ ˗ˉˆˇ˅˄˃˃
ˋ ˅ ˗ˉˇ˄˃ˋ˃˃
ˆ ˌ ˄ ˗ˉˇ˄˃ˌ˃˃
˗ˉˆˆ˃ˋ˃˃
˄˃ ˅ ˗ˉˇ˄˄˅˃˃
ˇ ˄˄ ˄ ˔˧˄ˆˇ˄ˆ˃˃˃˃
˗ˉˆˆ˃ˌ˃˃ ˌ ˄˅ ˅ ˫˙˄ˆˉˇ˅˃˃˃˃˃˃
˗˄ ˄ˆ ˉ ˗ˉˆˆ˅ˆ˃˃
ˉ ˗˄ ˄ˇ ˉ ˟˴̅˺˸ʳ˪˴̆˻˸̅˲˔˜ʳˆˀˇʵ
˄˃
ˊ

˄ˇ
˄ˆ ˈ

๻ʳ᧢ ˗˛ˀ˄˅˄
ठʳ‫ڻ‬ ˗˄
˄˅ ֺʳࠏ ˄ˍˉ
ֲʳཚ ˅˃˄˅ˁ˃ˆˁ˄ˇ
ᢄʳቹ ˛˴́˾
˗˄ ːʳ˅ ீʳኙ ᓐʳʳ֮ʳʳ෌
؆።ิࠡ‫ה‬ሿ
ʳٙ
গຏᖲሽैٝ‫ૻڶ‬ֆ‫׹‬
˗ˉˆ˅˃˃˃˃
A-38
ႈ‫ؾ‬ᒳᇆ ᑇၦ ሿٙᚾூ‫ټ‬ጠ ᎅࣔ
˄ ˄ ˗ˉˆˉ˃˄˃˃
˅ ˄ ˗ˉˆˉ˃ˆ˃˃
ˆ ˄ ˞˄ˈˇ˅˃ˌ˃˃
ˇ ˄ ˞˄ˈˇ˅˄ˈ˃˃
ˈ ˄ ˦ˣ˪˄˃
ˉ ˆ ˦ˣ˪ˇ
ˊ ˆ ˪ˇʳʻ՛ীʼ
ˌ ˄ փˠ˄˃̋ˆ˃
˄˃ ˆ ᝅ࿭ˠˇ̋ˋ

ˈ
ˊ
ˉ
˄˃

ˇ ˄
๻ʳ᧢
ˆ ˔˃
ठʳ‫ڻ‬
ֺʳࠏ ˄ˍ˄
ˌ ֲʳཚ ˌˇˁ˄˄ˁ˃ˋ
ᢄʳቹ ‫ޕ‬ʳʳᚻʳʳ‫ܩ‬
ீʳኙ ࣥʳʳᆠʳʳጘ
৵ᔚஆิ
গຏᖲሽैٝ‫ૻڶ‬ֆ‫˃˄˃˃ˉˆˉ˗ ׹‬
A-39
ႈ‫ؾ‬ᒳᇆ ᑇၦ ሿٙᚾூ‫ټ‬ጠ ᎅࣔ
˄ ˄ ˗ˉˆˉ˃˄˃˃
˅ ˅ ˗ˉˆˉ˃˅˃˄
ˆ ˄ ˗ˉˆˉ˃ˆ˃˄
ˇ ˄ ˗ˉˆˉ˃ˋ˃˃
˄˃ ˄ˉ ˈ ˅ ˗ˉˆˉ˃ˌ˃˃
˄ˆ ˉ ˄ ˞˄ˈˇ˅˃ˌ˃˃
ˊ ˄ ˞˄ˈˇ˅˄ˈ˃˃
ˋ ˅ ˦ˣ˪ˆ
˄ˊ
˄ ˄˄ ˌ ˆ ˦ˣ˪ˇ
˄ˇ ˄˃ ˇ ˦ˣ˪ˈ
˄˄ ˄ ˦ˣ˪ˉ
˄˅ ˆ ˪ˇʳʻ՛ীʼ
ˉ ˊ ˄ˆ ˇ ˪ˈʳʻ՛ীʼ
˄ˇ ˄ ˪ˉʳʻ՛ীʼ
ˇ ˅ ˄ˈ ˅ փˠˆ̋ˇ
˄ˉ ˇ փˠˈ̋˄˃
˄ˊ ˄ փˠˉ̋˄˅
˄ˋ ˆ ᝅ࿭ˠˇ̋ˋ

˄ˈ ˋ
ˈ ˄˅
˄ˋ ˌ
ˆ
๻ʳ᧢
ठʳ‫ڻ‬ ˕˃
˄ˆ ֺʳࠏ ˄ˍ˄ˁˈ
˄ˉ ˄˃ ֲʳཚ ˌˈˁ˃ˈˁ˃ˈ
ᢄʳቹ ‫ޕ‬ʳʳᚻʳʳ‫ܩ‬
˕ˉˉ˃˃˃˃ˉˌ ீʳኙ ࣥʳʳᆠʳʳጘ
ছᔚஆิ
গຏᖲሽैٝ‫ૻڶ‬ֆ‫˃˅˃˃ˉˆˉ˗ ׹‬
A-40
ႈ‫ؾ‬ᒳᇆ ᑇၦ ሿٙᚾூ‫ټ‬ጠ ᎅࣔ
˄ ˄ ˗ˉˆˊ˃˄˃˃
˅ ˄ ˗ˉˆˊ˃˅˃˃
ˆ ˄ ˗ˉˆˊ˃ˆ˃˃
ˇ ˄ ˞˄ˈˇˆ˃ˋ˃˃
ˈ ˄ ˠ˅˃ˇˆ˃ˈ˃˃
ˉ ˅ ˠ˅˃ˇˆ˃ˊ˃˃
ˊ ˅ ˦ˣ˪ˇ
ˋ ˅ փˠˇ̋˄ˉ
ˌ ˅ ၲՑᔭ˅

ˉ
ˇ
ˉ

˄ ๻ʳ᧢
ˌ ˈ ठʳ‫ڻ‬ ˔˃
ˋ ˊ ֺʳࠏ ˄ˍ˄ˁˈ
˅
ֲʳཚ ˌˇˁ˄˄ˁ˃ˋ
ᢄʳቹ ‫ޕ‬ʳʳᚻʳʳ‫ܩ‬
ீʳኙ ࣥʳʳᆠʳʳጘ
֊ጤิ
গຏᖲሽैٝ‫ૻڶ‬ֆ‫˃˃˃˃ˊˆˉ˗ ׹‬
A-41
ႈ‫ؾ‬ᒳᇆ ᑇၦ ሿٙᚾூ‫ټ‬ጠ ᎅࣔ
˄ ˇ ˗ˉˆˋ˃˃˄˃
˅ ˅ ˗ˉˆˋ˃˃˅˃
ˆ ˄ ˗ˉˆˋ˃˃ˆ˃
ˈ ˇ ˅ ˗ˉˆˋ˃˃ˇ˃
ˈ ˅ ˗ˉˆˋ˃˅˃˄
ˉ ˉ ˅ ˗ˉˆˋ˃ˈ˃˃
˄˄ ˊ ˄ ˗ˉˆˋ˃ˊ˃˃
ˇ ˋ ˅ ˗ˉˆˋ˄˅˃˃
ˌ
ˌ ˄ ˗ˉˆˋ˄ˇ˃˃
˄˃ ˄˅ ˗˜ˡʳˌ˄˅ʳˠˉʳ̋ʳ˄ˉ
˄˄ ˅ ˗˜ˡʳˌ˄˅ʳˠˉʳ̋ʳ˄˅
˔˄ ˄˅ ˅ ˛˸̋ʳ˕̈̇̇̂́˲ˠˈ̋˄ˉ
˄ˆ ˋ ˗˜ˡʳˌ˄˅ʳˠ˄˃̋ˆ˃
˄ˇ ˅ ˪˴̆˻˸̅ʳ˗˜ˡʳˇˆˆˀˈˁˆ˲˕˟˔˖˞
˄ˆ ˄ˈ ˋ ˦̃̅˼́˺ʳ˪˴̆˻˸̅˲˝˜˦˲˄˃
ˊ ˄ˉ ˅ ˦̃̅˼́˺ʳ˪˴̆˻˸̅˲˝˜˦˲ˈ
˄ˇ
˄ˉ ˄ˊ ˄˅ ˦̃̅˼́˺ʳ˪˴̆˻˸̅˲˝˜˦˲ˉ
˄˅

˄ˈ

ˆ
˄˃ ˄
˄ˊ
๻ʳ᧢ ˗˛ˀ˄˅ˉ
˅ ठʳ‫ڻ‬ ˔˄
ˋ
ֺʳࠏ ˄ˍˊˁˈ
ֲʳཚ ˅˃˄˅ˁ˃ˊˁ˃ˌ
ᢄʳቹ ˛˴́˾
˔˄ ː˄ ࣥʳʳᆠʳʳጘ
ீʳኙ

˘˖ˢฝ೯‫ڤ‬ᆬஆ˫ၗ
গຏᖲሽैٝ‫ૻڶ‬ֆ‫˃˃˃˃ˋˆˉ˗ ׹‬
A-42
ႈ‫ؾ‬ᒳᇆ ᑇၦ ሿٙᚾூ‫ټ‬ጠ ᎅࣔ
˄ ˇ ˗ˉˆˋ˃˃˄˃
˅ ˅ ˗ˉˆˋ˃˃˅˃
ˆ ˅ ˗ˉˆˋ˃˃ˇ˃
ˇ ˇ ˗ˉˆˋ˃˅˃˄
ˈ ˅ ˗ˉˆˋ˃ˇ˃˄
ˉ ˅ ˗ˉˆˋ˃ˈ˃˄
ˊ ˄ ˗ˉˆˋ˃ˊ˃˃
˄ˇ
˄˃ ˋ ˅ ˗ˉˆˋ˄˅˃˃
ˌ ˄ ˗ˉˆˋ˄ˇ˃˃
˅ ˄˃ ˋ ˦̃̅˼́˺ʳ˪˴̆˻˸̅˲˝˜˦˲˄˃
˄˄ ˅ ˦̃̅˼́˺ʳ˪˴̆˻˸̅˲˝˜˦˲ˈ
ˉ ˄˅ ˄ˇ ˦̃̅˼́˺ʳ˪˴̆˻˸̅˲˝˜˦˲ˉ
ˇ ˄ˊ ˄ˆ ˅ ˪˴̆˻˸̅ʳ˗˜ˡʳˇˆˆˀˈˁˆ˲˕˟˔˖˞
˄˅ ˄ˇ ˋ ˗˜ˡʳˌ˄˅ʳˠ˄˃̋ˆ˃
ˋ ˔˄ ˄ˈ ˅ ˛˸̋ʳ˕̈̇̇̂́˲ˠˈ̋˄ˉ
˄ ˄ˉ ˅ ˗˜ˡʳˌ˄˅ʳˠˉʳ̋ʳ˄˅
ˆ ˄ˊ ˄˅ ˗˜ˡʳˌ˄˅ʳˠˉʳ̋ʳ˄ˉ

ˌ
˄ˉ
ˈ
˄˄ ˄ˈ
˄ˆ
ˊ ˔˄ ː˄
๻ʳ᧢ ˗˛ˀ˄˅ˉ
ठʳ‫ڻ‬ ˔˄
ֺʳࠏ ˄ˍˌ
ֲʳཚ ˅˃˄˅ˁ˃ˊˁ˃ˌ
ᢄʳቹ ˛˴́˾
ீʳኙ ࣥʳʳᆠʳʳጘ

˘˖ˢฝ೯‫ڤ‬ᆬஆ˭ၗ
গຏᖲሽैٝ‫ૻڶ‬ֆ‫˄˃˃˃ˋˆˉ˗ ׹‬
A-43
Ղ֑
ႈ‫ؾ‬ᒳᇆ ᑇၦ ሿٙᚾூ‫ټ‬ጠ ᎅࣔ
˄ ˄ ˗ˉˈ˄˃˄˃˄ ‫ף‬९
˅ ˅ ˗ˉˈ˄˃˅˃˃ ͫˇˆ
˅ ˅ ˗ˉˈ˄˃˅˃˄ ͫˉ˅

ˇˉ˃
ˆ ˄ ˗ˉˈ˄˃ˆ˃˃ ͫˇˆʳԫ౳
ˆ ˄ ˗ˉˈ˄˃ˆ˃˄ ͫˇˆʳ‫ף‬९
ˆ ˄ ˗ˉˈ˄˃ˆ˃˅ ͫˉ˅ʳԫ౳
ˆ
˅ ˆ ˄ ˗ˉˈ˄˃ˆ˃ˆ ͫˉ˅ʳ‫ף‬९
ˇ ˇ ˅ ˗ˉˈ˄˃ˇ˃˃ ͫˇˆ
ˊ ˇ ˅ ˗ˉˈ˄˃ˈ˃˃ ͫˉ˅
˄ˁ˅ˠʳʳˇ˃˃ ˈ ˅ ˠ˅˃ˆ˄˃ˆ˃˃
˄ˁˈˠʳʳˈˉ˃ ˉ ˄ ˦˧˃ˆˆ˃˃˃˃˃˃
ˊ ˄ ˗ˉˈ˄˃˄˃˃˃˅
ˈ
ˉ

ˋˈ˃ˀ˄˅ˈ˃

๻ʳ᧢ ˗˛ˀ˃ˉˇ
ठʳ‫ڻ‬ ˕˃
ֺʳࠏ ˄ˍ˄˃
ֲʳཚ ˅˃˃ˋˁ˃ˈˁ˅˃
ᢄʳቹ ‫ޕ‬ʳʳᚻʳʳ‫ܩ‬
ீʳኙ ࣥʳʳᆠʳʳጘ
֭ᐶஆ
গຏᖲሽैٝ‫ૻڶ‬ֆ‫׹‬
A-44
ႈ‫ؾ‬ᒳᇆ ᑇၦ ሿٙᚾூ‫ټ‬ጠ ᎅࣔ
˄ ˄ ˗ˉˈ˄˃ˉ˃˃
˅ ˄ ˗ˉˈ˄˃ˊ˃˃
ˆ ˄ ˗ˉˈ˄˃ˋ˃˃
ˇ ˄ ˗ˉˈ˄˃ˌ˃˃
ˈ ˄ ˗ˉˈ˄˄˃˃˃
ˉ ˄ ˗ˉˈ˄˄˄˃˃
ˊ ˄ ˪˼́˺ʳ̆˶̅˸̊ˀˠˉ̋˄ˉ

˅
˄

ˆ
ˉ
˕

ˈ
ˇ

˕ʳʳʻ˄ʳˍʳˈʼ

˗˸̆˶̅˼̃̇˼̂́Κ ֭ᐶஆิ˂ʳʳ
˦˶˴˿˸ ˄ˍ˄˃
˗˛ʳˉˈ ˠ˴̇˸̅˼˴˿
˦̈̅˹˴˶˸
˚˸́˸̅˴˿ʳ˧̂˿˸̅˴́˶˸
˄ʳ̑ʳˇ
ˈʳ̑ʳ˄ˉ
˃ˁ˃ˈ
˃ˁ˃ˊ
˃ˁ˄
˃ˁ˅
˦˨ˣˣˢ˥˧ ˛˴̅˷́˸̆̆
˗˴̇˸ ˅˃˄˄ˁ˃ˊˁ˄˄
˄ˊʳ̑ʳˉˆ ˃ˁ˄ ˃ˁˆ
˗̅˴̊́ ࣥʳʳᆠʳʳጘ
˘˖ˡ ˗˴̇˸ ˜́˷˸̋ ˉˇʳ̑ʳ˅ˈ˃ ˃ˁ˅ ˃ˁˈ

˗˛ˀ˄˃˅ʳʳʳʳ˅˃˄˄˃ˊ˄˄ʳʳʳʳʳ˔˃
˅ˈ˄ʳ̑ʳ˄˃˃˃
ˑ˄˃˃˄
˃ˁˆ
˃ˁˈ
˃ˁˋ
˄ˁ˃ ˟ˡ˦ʳ˔˦˜˔ ˗ˉˈ˄˃˃˃˅
A-45
枭䚖䶐嘇 㔠慷 暞ẞ㨼㟰⎵䧙 婒㖶
ĸ IJ IJ ńIJĴIJĴıijıı
ij IJ ńIJĴIJĴıĴıı
ĺ Ĵ ĸ ńIJĴIJĴıĵıı
Ĺ
ĵ IJ ŅńIJIJııIJı
Ķ IJ ŅńIJIJııijı
ķ IJ ŅńIJIJııĵı
ĸ IJ ŅńIJIJııĶı
Ĺ IJ ŅńIJIJııķı
Ķ ĺ IJ ŅńIJIJııĸı
Ĵ
IJı IJ ŌıIJĶĴijııIJı
IJ IJIJ IJ ʼnłıķıIJıIJĶ
Ĵ

IJIJ
ķ
ij

IJı

姕ġ嬲 ŅʼnĮIJĴĶ
䇰ġ㫉 ńı
㭼ġἳ IJĻĵ
㖍ġ㛇 ijıIJĴįıĹįıIJ
丒ġ⚾ 㛶ġġ㚁ġġ⏃
㟉ġ⮵ 哉ġġ㔯ġġ㶣

䨢⡻䳬
⎘䀋刦】⎠偉ấ㚱旸℔⎠ ŅłŊœıııı
A-46
ᶲ⋰
ႈ‫ؾ‬ᒳᇆ ᑇၦ ሿٙᚾூ‫ټ‬ጠ ᎅࣔ
˄ ˅ ˖˄˄˄˄˃˄˃˃
˅ ˄ ˖˄˄˄˄˃˄˃˅
ˆ ˆ ˖˄ˆ˄˄˃˄˃˃
ˇ ˇ ˖˄ˇ˄˄˃˄˃˃
ˈ ˄ ˖˄ˇ˄˅˃˅˃˃

ˆ
˄

ˇ
๻ʳ᧢
˅
ठʳ‫ڻ‬ ˔˃
ֺʳࠏ ˄ˍ˄ˁˈ
ֲʳཚ ˌˇˁ˄˃ˁ˅ˇ
ᢄʳቹ ‫ޕ‬ʳʳᚻʳʳ‫ܩ‬
ீʳኙ ࣥʳʳᆠʳʳጘ
ሽ጖Ꮊิ
গຏᖲሽैٝ‫ૻڶ‬ֆ‫˃˄˃˃˄˄˖˗ ׹‬
A-47
,WHP 4W\ 3DUW1R 'HVFU
Ńı   &
  &
  &
  &
IJ

Ńı ľIJ
ij
姕ġ嬲 ŅʼnĮIJĵı
䇰ġ㫉 Ńı
㭼ġἳ IJĻIJįĶ
㖍ġ㛇 ijıIJĵįıĸįıĸ
丒ġ⚾ 㛶ġġⲘġġỹ
㟉ġ⮵ 㜿ġġ佑ġġ䡏
復㕁暣䡩敍䳬
ⅈ忂㨇暣偉ấ㚱旸℔⎠ ŅńIJIJııijı
A-48
ႈ‫ؾ‬ᒳᇆ ᑇၦ ሿٙᚾூ‫ټ‬ጠ ᎅࣔ
˄ ˄ ˗ˉˆˇ˄˃˄˄˃˅ ᑑᄷ
˄ ˄ ˗ˉˆˇ˄˃˄ˇ˃˅ ‫ף‬९
˅ ˄ ˗ˉˆˇ˄˄˄˄˃˅ ᑑᄷ
˅ ˄ ˗ˉˆˇ˄˄˄ˇ˃˅ ‫ף‬९
ˆ ˄ ˗ˉˇ˄˃ˈ˃˃˃˄ ᑑᄷ
ˆ ˄ ˗ˉˇ˄˃ˉ˃˃˃˄ ‫ף‬९
ˇ ˅ ˗ˉˇ˄˄˅˃˃

˄
˅

๻ʳ᧢ ˗˛ˀ˃ˋ˃
ठʳ‫ڻ‬ ˔˃
ֺʳࠏ ˄ˍ˄˃
ֲʳཚ ˅˃˃ˌˁ˃ˇˁ˃ˋ
ᢄʳቹ ‫ޕ‬ʳᚻʳ‫ܩ‬
ீʳኙ ࣥʳᆠʳጘ
˖˘ʳᥨ።
গຏᖲሽैٝ‫ૻڶ‬ֆ‫׹‬
A-49
ႈ‫ؾ‬ᒳᇆ ᑇၦ ሿٙᚾூ‫ټ‬ጠ ᎅࣔ
˄ ˄ ˗ˉˆ˅˃ˇ˃˃˃˅ ᑑᄷ
˄ ˄ ˗ˉˆ˅˃ˈ˃˃˃˅ ‫ף‬९
˅ ˄ ˗ˉˆˇ˃˄˃˃˃˅ ᑑᄷ
˅ ˄ ˗ˉˆˇ˃ˋ˃˃˃˅ ‫ף‬९
ˆ ˄ ˗ˉˇ˄˃˄˃˃˃˄ ᑑᄷ
ˆ ˄ ˗ˉˇ˄˃˅˃˃˃˄ ‫ף‬९
ˇ ˄ ˗ˉˇ˄˃ˆ˃˃˃˄ ᑑᄷ
˗ˉˇ˄˄˅˃˃ ˇ ˄ ˗ˉˇ˄˃ˇ˃˃˃˄ ‫ף‬९

˗ˉ˅˄˃ˌ˃˄
˗ˉˇ˄˃ˋ˃˃ ˆ
˗ˉ˅˄˃ˋ˃˄
˗ˉˆˇ˅˄˃˃
˔˧˄ˆˇ˄ˆ˃˃˃˃ ˗ˉ˅˄˃ˋ˃˃
ˇ

˗ˉ˅˄˃ˌ˃˃

˄ ˗ˉˆˇ˃ˆ˃˃
˗ˉˆˇ˃ˇ˃˃

๻ʳ᧢ ˗˛ˀ˃ˊ˃
ठʳ‫ڻ‬ ˗˃
˅ ֺʳࠏ ˄ˍˋ
ֲʳཚ ˅˃˃ˋˁ˄˃ˁ˃˅
ᢄʳቹ ‫ޕ‬ʳᚻʳ‫ܩ‬
ீʳኙ ࣥʳᆠʳጘ
ᥨ።
গຏᖲሽैٝ‫ૻڶ‬ֆ‫׹‬
A-50
ႈ‫ؾ‬ᒳᇆ ᑇၦ ሿٙᚾூ‫ټ‬ጠ ᎅࣔ
˄ ˄ ˗ˉˆ˅˃ˆ˃˃˃˅
˗ˉˆˆ˃ˊ˃˃ ˆ ˅ ˄ ˗ˉˆˆ˃ˇ˃˃˃˅
˗ˉˆˆ˃ˋ˃˃ ˆ ˄ ˗ˉˆˆ˃ˇ˃ˈ˃˅
˗ˉˆˆ˃ˌ˃˃ ˇ ˄ ˗ˉˆˆ˃ˇ˃ˉ˃˅
ˈ ˅ ˗ˉˆˆ˄ˆ˃˃˃˅
˅ ˉ ˄ ˗ˉˆˆ˅ˈ˃˃˃˅
ˊ ˄ ˗ˉˆˆ˅ˉ˃˃˃˅
˗ˉˆˆ˃ˇ˃ˆ˃˃
˄ ˋ ˅ ˗ˉˆˆ˅ˊ˃˃˃˅

˖˄
ˈ

˗ˉˇ˄˃ˌ˃˃
ˊ

˖˄ ː˄
ˇ

ˋ ๻ʳ᧢ ˫˧ˀ˄ˋ˅
ठʳ‫ڻ‬ ˖˄
ֺʳࠏ ˄ˍˌ
ֲʳཚ ˅˃˄˃ˁ˄˄ˁ˄ˈ
ˉ ᢄʳቹ ‫ޕ‬ʳᚻʳ‫ܩ‬
ீʳኙ ࣥʳᆠʳጘ
ᆬʳஆ
গຏᖲሽैٝ‫ૻڶ‬ֆ‫׹‬
˗˛ˉˈˀ˞ˀ˅ˀ˃˃˄
A-51
A-52
A-53