Você está na página 1de 44

EDITORIAL Manoel Canuto

Impiedade e Injustiça
“A Ira de Deus se revela do céu contra toda impiedade e pressão “impiedade e injustiça dos homens” retratam a única
injustiça dos homens...” (Rm 1:18) idéia de uma perversão ímpia. Mas fico com a posição do Dr.

C
om mais de sessenta anos vividos posso olhar para trás e Lloyd-Jones de que a impiedade define toda transgressão da
para hoje e comprovar experimental e pragmaticamen- primeira tábua da Lei e refere-se especialmente a atitude do
te aquilo que a Bíblia fala tão veementemente: “... todos, homem para com Deus; injustiça trata de nossas falhas em
tanto judeus como gregos, estão debaixo do pecado... Não há relação a nossos semelhantes; é a quebra dos mandamentos
justo, nem um sequer, não há quem entenda, não há quem da segunda tábua Lei — É a falha em qualquer ponto de nos-
busque a Deus; todos se extraviaram, à uma se fizeram inú- sas relações com os homens. J. B. Lightfoot diz que asebeia
teis; não há quem faça o bem, não há um sequer” (Rm 3:9-12). é “contra Deus”, e adikia é “contra os homens”. É óbvio que
O homem é por natureza ímpio e tende sempre para a mal- Paulo está pensando na lei de Deus e no resumo que Cristo
dade e corrupção. No entanto, para o crente, a maior com- fez dela: “Amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, e
provação de que a Bíblia é a verdade não é porque ele pode de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento, e de todas
comprová-la experimentalmente, mas porque é a Palavra de as tuas forças; este é o primeiro mandamento. E o segundo,
Deus e ele crê nisso. semelhante a este é: amarás o teu próximo como a ti mesmo”.
A iniquidade tem se multiplicado como nunca vi antes. Nós nunca devemos separar a piedade da justiça, pois são o
Apreensivo, mas consciente, vejo se cumprir o que Jesus dis- resumo da Lei. No entanto, a piedade deve vir antes da justiça.
se: “E, por se multiplicar a iniquidade, o amor se esfriará de Acho que Paulo entendia ser assim. Por quê? Porque a essên-
quase todos” (Mt 24: 12). A cultura brasileira é acentuada- cia do pecado é a quebra do relacionamento do homem com
mente supersticiosa, religiosa, idólatra, mas também liberal, Deus, é não viver para honrar e glorificar a Deus, sendo este
incrédula e agnóstica, em nada diferindo das outras nações; o propósito pelo qual Deus criou o homem. Em Adão caímos
mesmo aquelas que no passado foram guiadas por princípios em impiedade quando não fizemos a vontade do Criador e
bíblicos e que receberam forte influência cristã. nesta condição vivemos. Dessa forma posso entender o porque
Recentemente estive relendo um livro sobre reforma na dos mandamentos da primeira tábua da Lei — a glorificação
Igreja. O autor de um dos capítulos fala o que aconteceu nos ao único e verdadeiro Deus. Fazer Sua vontade em tudo. Não
Estados Unidos nas décadas de sessenta a noventa. Os crimes fazê-la é desprezar a Deus — isso é impiedade. Dr. John Mur-
violentos aumentaram 560%; o número de filhos ilegítimos ray diz que a impiedade é precursora da injustiça. A injustiça
aumentou 400%; desde a legalização do aborto em 1973, es- para com nossos semelhantes existe, porque primeiro nos foi
tima-se que tenha havido a morte de 28 milhões de crianças imputada a impiedade de Adão. Por desconhecer isso, muitos
que não nasceram; o índice de suicídio entre os adolescente moralistas dizem que não são pecadores porque nunca ma-
aumentou 200%; menos de 60% das crianças moravam com taram, nem roubaram, nunca foram infiéis a suas esposas...
seus pais biológicos. Na década de 90 apenas 13% das pessoas Deixe-me ilustrar. Tenho um amigo ateu. Quando conver-
acreditavam na validade dos Dez Mandamentos e por isso a samos certo dia sobre estas questões morais ele me disse ser
consequência era a de que 74% destas pessoas afirmavam que melhor do que muitos crentes e sua vida moral era exemplar.
podiam roubar sem dor na consciência; 64% afirmavam que Ele tem um filho judeu, pois uma de suas quatro mulheres que
mentiriam se soubessem que com isso teriam alguma vanta- teve é judia. Perguntei o que ele achava da Lei de Moisés. Ele
gem; 53% diziam que se tivessem oportunidade cometeriam disse que achava muito inteligente. Mas quando lhe perguntei
adultério; 41% pretendiam usar drogas recreativas; 30% iriam se concordava com os primeiros quatro mandamentos da lei
falsificar o seu imposto de renda; a pornografia cresceu as- mosaica ele pensou e retrucou dizendo que tudo era “bobagem”
sustadoramente tornando-se uma indústria de 21 bilhões de e religiosidade judaica.
dólares. Esses números são de um país colonizado debaixo dos Portanto, pensar que pode existir moralidade e ética sem
princípios da Bíblia. Imagine o Brasil...! relacionamento e conhecimento de Deus é algo tolo e grave
Mas Paulo diz que a ira de Deus se revela do céu contra toda que detrata a glória de Deus e provoca Sua ira que se revela do
esta perversão moral, que algumas traduções chamam corre- céu contra toda impiedade e injustiça. O homem é corrompido
tamente de “injustiça (adikia) dos homens” que é basicamente dos pés à cabeça, mesmo buscando a moralidade. Este homem
a quebra dos mandamentos da segunda tábua da Lei; mas o não merece outra coisa a não ser a condenação eterna, mas
apóstolo tem o cuidado de colocar uma outra razão pela qual se reconhecer seus pecados, toda sua impiedade e injustiça, e
a ira de Deus se manifesta punitiva — a impiedade (asebeia), se arrepender aos pés da cruz, perdoado manterá um relacio-
que se encontra expressa na primeira tábua. Por que Paulo namento de amor, honra e glória com seu Criador e Salvador.
usa estes dois termos? Alguns comentaristas acham que a ex- Boa leitura!

Revisores Centro de Literatura Reformada


REVISTA OS PURITANOS Manoel Canuto R. São João, 473 - São José, Recife-PE, CEP 52020-120
Tradutores Fone/Fax: (81) 3223-3642
Recife, Ano XIX - Número 3 - 2010 Linda Oliveira, Márcio Dória e Josafá Vasconcelos E-mail: ospuritanos@gmail.com
Projeto Gráfico Miolo e Capa DIRETORIA CLIRE: Ademir Silva, Adriano Gama, Waldemir
Editor Heraldo F. de Almeida Magalhães.
Manoel Canuto Impressão
mscanuto@uol.com.br Facioli Gráfica e Editora Ltda.
Conselho Editorial Fone: 11- 6957-5111 — São Paulo-SP
Josafá Vasconcelos e Manoel Canuto OS PURITANOS é uma publicação trimestral da CLIRE —

2 Revista Os Puritanos – 3, 2010


Depravação Total —
O que Isto Significa?
“Não há homem justo sobre a terra que faça o bem e que não peque.” (Ec.7:20)

Dr. Joel Beeke Essa definição implica em 4 coisas:


1) A Depravação Total é inseparável do pecado.

H
á seis meses me encontrei com uma mulher que O pecado está no coração, na essência do nosso pro-
conheci ainda quando criança. Não a tinha vis- blema. A Bíblia nos diz que o pecado é a transgressão
to há mais de 30 anos. Ela me disse: “Quero lhe da Lei de Deus; é qualquer falta de conformidade com a
agradecer por uma coisa que você me falou quando ain- Lei moral de Deus; envolve nossos atos, nossas atitudes
da éramos jovens”. Então explicou que nós estávamos e a nossa natureza, seja por comissão ou por omissão.
numa reunião de jovens e ela me teria dito que estava Omissão significa não fazer as coisas que a Lei exige
com problemas com a doutrina da predestinação. Pensa- serem feitas; comissão significa fazer as coisas que a
va: “Como pode um Deus bom mandar qualquer pessoa Lei proíbe serem feitas.
para o inferno?”. Ela afirmou que eu teria dito: “Eu tam-
bém tenho problemas com a doutrina da predestinação, Há três palavras importantes no Novo Testamento
mas meu problema é o oposto do seu problema; meu relativas ao pecado.
problema é: ‘Se temos um coração tão corrupto, como a) A primeira é delito que literalmente significa “não
é possível Deus mandar um de nós para o céu?’”. Ela atingir o alvo”. Imagine um arqueiro que mira o alvo
acrescentou que naquele momento eu teria dito ainda: com sua flecha, mas não o acerta; ou um pai ensinando
“Minha única esperança é a eleição soberana”. ao filho a atingir o centro do alvo. Ele treina seu filho a
Aqui temos a raiz do problema. Se o homem não é usar o arco, mas o filho não consegue atingir este alvo.
tão mal como Romanos 3 afirma, se nossa natureza não É isso que Deus diz a nosso respeito. Em Adão Deus nos
for tão corrupta como o apóstolo Paulo diz que é, e se fez perfeitos e retos e fomos criados com capacidade de
de fato nós temos condições de fazer alguma coisa es- alcançar o centro do alvo, de glorificá-lo e honrá-lo, mas
piritualmente boa por nossa própria força, então, com em nossa queda profunda em Adão não mais consegui-
certeza a eleição seria ofensiva para a natureza humana mos alcançar este alvo. Todo dia vivemos neste pecado
porque de fato, na essência, nós teríamos a capacida- original. Não adianta o quanto nos esforçamos para
de de nos salvar a nós mesmos escolhendo a Deus por limpar nossas vidas exteriormente. Martinho Lutero
nosso livre arbítrio. Mas se de fato o homem é tão mal disse que o pecado original é como a nossa barba, pois
e maligno como Paulo descreve, pela graça eu aprendo nós a tiramos hoje e pensamos que tudo está limpo,
a amar a eleição, não como um inimigo, mas como um mas no outro dia já está crescendo novamente. Nós
amigo. A eleição é um amigo do pecador porque prega estamos sempre errando o alvo que Deus estabeleceu.
que há um caminho para mim em Deus quando em mim Todo pensamento pecaminoso que nos vem à mente,
não há nenhum caminho, por causa do pecado. toda palavra pecaminosa que pronunciamos, todo ato
Vejamos uma definição de Depravação Total. A de- pecaminoso que praticamos, surgem dessa “barba” de
pravação total é nosso demérito que nos faz merecer pecado. Como ovelhas temos nos desviado, não temos
o inferno; é a nossa corrupção decorrente do pecado alcançado o alvo. Todos somos pecadores.
original e dos pecados atuais, diante de um Deus que é b) A segunda palavra do Novo Testamento usada
santo; por causa desta corrupção somos incapazes de para se referir ao pecado é transgressão. Esta palavra
apagar nosso demérito e de fazer qualquer coisa que ilustra a Lei de Deus como uma cerca demarcatória. A
mereça o favor salvífico de nosso Deus. Lei de Deus é a linha de demarcação. Deus diz: “não

3, 2010 –
­ Revista Os Puritanos 3
Joel Beeke

faças isso”. Transgressão é ultrapassar pa de Adão não somente foi imputada do olho para meu próprio coração, vejo
a linha demarcatória, é violar o espaço em nossa conta, mas herdamos a sua um abismo mais infinitamente profun-
que é de Deus. Nós transgredimos con- poluição. Quando eu cheguei ao Brasil, do do que o próprio inferno”.
tra o Criador Santo. fui advertido de que não deveria tomar
c) A terceira palavra é desobediên- água da torneira, pois talvez me trou- 4) A depravação naturalmente pro-
cia. Isso pode significar também de- xesse problemas. De uma forma muito cura dominar as nossa vidas.
sobedecer ao grande mandamento de mais profunda a depravação total signi- Paulo deixa isso claro em Rm. 6:16
amar nosso próximo e a Deus acima de fica que tudo vem de uma fonte que nos quando diz que somos por natureza es-
todas as coisas. envenena. Se a fonte tem veneno, tudo cravos do pecado. “Não sabeis que da-
Por natureza somos culpados de ter que chega por meio dela vai nos trazer quele a quem vos ofereceis como servos
cometido todos estes três tipos de pe- problemas. Por isso, tudo que nós faze- para obediência, desse mesmo a quem
cados, pois nunca estamos amando a mos é poluído e manchado pelo pecado. obedeceis sois servos, seja do pecado
Deus acima de todas as coisas e ao nos- para a morte ou da obediência para a
so próximo como a nós mesmos. A cada 3) Quando nos olhamos de uma justiça?”. Aqui chegamos à essência do
momento, a cada segundo, estamos pe- forma exigente como seres humanos, assunto. Um escravo é propriedade do
cando contra a Lei de Deus. O pecado caídos em Adão, não somente há algu- seu senhor, ele não tem tempo para si
é o que nos separa de nosso criador. ma coisa errada interiormente em nós, mesmo, não tem nenhuma posse, não
Ele nos afastou do paraíso e nos levará mas há também algo terrivelmente er- pode usufruir seus talentos para si mes-
ao inferno se não nos arrependermos rado com todas as partes de nosso ser. mo somente, não tem riquezas pessoais,
e crermos no evangelho. O pecado Nossas mentes são depravadas, nos- não tem nenhum momento em sua vida
é algo feito contra Deus. O pecado é sa consciência é depravada, nossa von- em que possa desfrutar consigo mesmo,
odiar a Deus. O pecado luta contra a tade está escravizada ao pecado. Isso pois é sempre propriedade do seu se-
verdadeira essência de Deus. O pecado não significa que o homem se torna nhor. Da mesma forma Paulo diz: “Por
de fato tenta tornar Deus não Deus. O um animal ou como um tipo de diabo, natureza você era escravo do pecado”.
pecado lança um desafio contra a glória como muitos ensinam. E também não Antes da graça entrar em sua vida o
de Deus. Por isso entendemos que isso significa que sempre estamos agindo pecado era seu dono, ele lhe domina-
é nossa depravação natural; queremos com o pior tipo de depravação que va, era seu o rei, seu déspota absolu-
nos tornar Deus e nos colocarmos no poderíamos agir. Se assim fosse, todos to; o pecado lhe controlava. É isso que
trono destronando-o de seu lugar. Isso nos mataríamos uns aos outros. Mas o Paulo está dizendo em Romanos 3. Por
é nossa depravação! que isso significa é que jamais pode- natureza somos propriedade do peca-
Na livraria da Universidade que es- mos fazer algo que é completamente do. Não há nenhum momento em que
tudei havia um grande cartaz colocado bom. Deus, em sua graça, restringe o não sejamos posse do pecado. Não há
na porta com a figura da terra. Em cima pecado e nos impede de nos entregar- nenhum talento que o homem natural
da terra havia um pequeno homem e ao mos completamente à nossa total de- desempenhe que não seja manchado
lado dele havia algumas palavras que pravação. Se entendermos dessa forma, pelo pecado. Moramos em um mundo
diziam: “Eu sou o Deus desta terra”. Este chegaremos inevitavelmente ao cora- onde só há escravos do pecado; o Brasil
é o retrato de todo homem. ção da nossa depravação. Quando Deus é um país de escravos, a América do
olha nossas afeições, vontades, cons- Norte e do Sul são continentes de es-
2) As Escrituras nos ensinam que ciências ou qualquer ponto de nossa cravos do pecado. As multidões estão
a Depravação Total é algo primordial- natureza, Ele não encontra nenhuma escravizadas ao pecado.
mente interior. parte que não esteja contaminada pelo Meu amigo, se hoje você é um incré-
O Senhor Jesus disse o que corrompe pecado. Somos alienados de Deus por dulo, saiba que está sob o domínio do
o homem não é aquilo que ele toca, mas natureza. pecado; suas omissões fazem parte do
é o que vem de dentro dele. A deprava- João Calvino disse: “Não tem homem seu pecado; mesmo quando fica calado,
ção age em nossa vida interior, causa a na face da terra que entenda sequer um ainda assim, é propriedade do pecado.
poluição de nossa natureza de dentro por cento da realidade da sua depra- Seus atos são propriedades do pecado,
para fora. Isso se manifesta em nossas vação”. Certo puritano falou: “Nossos porque por natureza somos viciados
emoções e afeições. Nunca estamos corações, por natureza, são fábricas do nele. Temos o pecado em nós como
obedecendo ao espírito da Lei. A cul- diabo”. Jonathan Edwards falou: “Quan- uma doença que não tem cura. Toda

4 Revista Os Puritanos – 3, 2010


Depravação Total – O Que Isto Significa?

nossa cabeça está doente, da cabeça Seria possível imaginar o Senhor


até os pés somos pecadores miseráveis derramando seu sangue em vão? Pode-
na presença de Deus. mos imaginar o Pai derramando sangue
de Seu Filho sobre todas as pessoas que
5) O salário do pecado é a morte. O juízo sobre vivem na terra e tudo isso sendo feito
O pecado tem uma colheita. Se você em vão? De forma alguma! Ele derra-
serve ao pecado, vai receber o salário o pecado é a mou seu sangue para os Seus amados
do pecado. Isto é o universo moral. Um da mesma forma que ele ora em favor
dia os anjos vão chegar e começar a co- morte física, dos seus escolhidos.
lheita do juízo. Foi ordenado ao homem Amigo, se você é um crente, saiba
morrer uma só vez e depois disso o juízo. morte espiritual, que Ele orou em seu favor, sofreu em
O juízo sobre o pecado é a morte física, seu lugar; e quando você enxerga como
morte espiritual, separação de Deus e separação de Deus é infinita a depravação do seu ser, do
morte eterna; é afastamento do favor seu pecado, aí então pode ver o quanto
de Deus no físico e na alma, para sem- e morte eterna isso custou ao seu Salvador. No fundo
pre no inferno. Inferno é o que Deus do seu ser você já sabe que não tem
acha do pecado, Ele aborrece e condena capacidade para ir à Cristo por sua
todo pecado, externo e interno. O Deus própria força, pois tu és demasiada-
que é luz, e no qual não há nenhuma mente maligno. Mas Jesus fez tudo em
sombra de treva, não tolera o pecado. seu favor, Ele o escolheu; fez expiação
Há outro lugar que nos fala o que seu poder. Uma voz apenas se levantou por você; manda seu Espírito com sua
Deus acha do pecado; é um lugar que em seu favor. Era a voz de um despre- graça irresistível para atuar em você;
nos ensina mais do que o próprio infer- zado assassino. As mulheres com mente Jesus lhe preserva até o fim. Quando
no e esse lugar é o Gólgota. Ali naquele impura se calaram e os discípulos que sua alma está se aproximando de uma
lugar Deus mostrou seu ódio contra o amavam o Senhor Jesus, covardemen- forma experimental da cruz do Calvá-
pecado de tal forma que derramou sua te correram para longe. Ninguém olha- rio e, sob a luz desta cruz você enxerga
ira sobre seu próprio Filho unigênito, va nos seus olhos para dizer: “Senhor, sua total incapacidade, e a capacidade
na cruz. A agonia, o sangue, a coroa de nós entendemos o que estás sofrendo”. total do Salvador, você clama: “Senhor
espinhos, a ferida no seu lado, tudo isso Jesus foi alienado da casa de Seu Pai. eu creio, ajuda-me na minha increduli-
foi necessário para salvar pecadores Seus amigos e irmãos o desampararam; dade”. Naquela cruz você aprende que
como você e eu. ele foi desamparado não pelo homem Ele pode torná-lo aceitável no dia do
O Gólgota não era um lugar bonito. apenas, mas desamparado pelo próprio Seu poder por meio do Seu sangue. Ele
Tive o privilégio de visitar este lugar. Pai. “Meu Deus, meu Deus, por que me pode lhe dar afeições limpas e uma
Hoje é um lugar muito comercializa- desamparaste?”. consciência purificada por meio do Seu
do, um local turístico e limpo, mas na Jesus foi também desamparado pela sangue e por meio dele Cristo vence
época de Jesus não era assim. Ali havia própria natureza. O sol se escondeu e sobre você como seu Senhor para que,
crânios e esqueletos e carne humana não quis brilhar sobre Ele. A face do Pai no momento que crer e se arrepender,
em decomposição espalhados por todo que sempre olha o rosto de Seu amado o pecado não mais tenha domínio so-
lugar. Três cruzes rudes e cheias de Filho se virou para outro lugar. É isto o bre sua vida. Você foi libertado, puri-
sangue foram erguidas neste lugar e que Deus acha do pecado! O pecado foi ficado e experimenta agora a paz que
três ensanguentados corpos nus foram visto de forma horripilante ao se ouvir vai além do entendimento e glorifica
fincados nestas cruzes. O homem da o estrepitar dos trovões no Sinai, mas ao Deus vivo.
cruz do centro foi tratado como o maior o pecado é ainda mais aterrorizante e
criminoso de todos os tempos, todo in- amargo na visão do Gólgota. Seu Sal- Foi isso que nossos pais defenderam
sulto foi colocado sobre ele; os solda- vador foi desamparado e entregue nas sobre a natureza radical do pecado e da
dos, os expectadores, os sacerdotes e os mãos mais cruéis do planeta. Jesus foi natureza radical da graça: um pecador
anciãos com suas vestimentas próprias afastado de tudo que é bom e bonito. Ali pobre e um Salvador rico.
do seu ofício, todos se dirigiam ao Se- naquela cruz Ele pagou o preço comple-
nhor Jesus ridicularizando e desafiando to por nossos pecados. Dr. Joel Beeke

3, 2010 –
­ Revista Os Puritanos 5
A Corrupção do Homem
“Ele vos deu vida, estando vós mortos nos vossos delitos e pecados”(Ef.2:1)

Robert Selph Então, quando o homem morreu, algo devastador


aconteceu com a alma desse homem. O homem mor-

E
m Efésios 2:1-3 Paulo descreve a condição do reu e não mais havia vida nele. Sua mente espiritual já
homem antes da sua conversão. Ele está falando não pensava em Deus, pelo menos com pensamentos
para crentes e depois de descrever a condição reverentes; o coração já não pulsava com amor para
do homem caído, ele diz no versículo 4: “Mas Deus...”. com Deus; a boca não mais tinha sede de justiça; o es-
Deus fez algo maravilhoso na vida daqueles homens, tômago não mais tinha fome de justiça; os seus braços
agora santos. Mas antes de se regozijar do que Deus já não queriam abraçar a Deus; espiritualmente não
fez, o crente precisa ver o que ele era antes da conver- tinha mais seus sentidos funcionando. Já não se ouvia
são. Não vamos considerar o estado legal do homem, mais a voz do pastor; já não se via mais a beleza da Sua
como está referido no final do versículo 3: “... éramos santidade; já não se experimentava mais a doçura do
por natureza filhos da ira como também os demais”. Esse, Seu amor; já não se sentia mais o imprimir do Espírito
de fato, era o estado legal destas pessoas não conver- Santo na alma; já não se sentia mais a fragrância que
tidas, diante de um juiz reto, a quem eles haviam ofen- existe em Jesus, o Lírio do Vale.
dido com seus pecados. Mas o que vamos fazer é olhar Para pecadores o Cristianismo é apenas mais uma
para o estado moral do homem. religião. É uma coisa boa para se estar envolvido. A
Deus criou o homem reto, espiritualmente vivo à Igreja preenche a sua vida social. É difícil imaginar o
imagem de Deus. Ele tinha comunhão com Deus; tinha corpo vigoroso de um atleta ou a mente perspicaz do
livre arbítrio, uma livre vontade de buscar comunhão erudito ou a personalidade viva de um ator e ver que
com seu criador. Em Eclesiastes 7:19 vemos que Deus todos estejam mortos! Mortos na esfera mais crucial
fez o homem reto, justo, mas ele foi atrás de muitas — a alma. Efésios 4:18 nos diz que não há mais vida
invenções próprias. Deus proibiu que ele comesse do — “alheios a vida...”. Todos os homens continuam nas-
fruto da árvore do bem e do mal, caso contrário mor- cendo e não estão meio mortos como alguns dizem, e
reria. Eva tomou do fruto e comeu. Ao seu marido, que sim que não têm nem sequer o suficiente de vida para,
estava com ela, deu do fruto e ele comeu sem adverti-la pelo menos, ter fé. A Bíblia diz que estão totalmente
de que não deveria fazer isso. Espiritualmente e ime- mortos.
diatamente eles morreram. Paulo descreve isso como O texto sugere que este estado de morte tem algo
uma catástrofe sem paralelo, em Romanos 5:12 - “... por a ver com delitos e pecados. Esta morte está ligada à
um homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a atividade moral e à área em que esta atividade é pratica-
morte, assim também a morte passou a todos os homens da. Se Deus não está controlando, energizando a razão,
porque todos pecaram”. É como se você estivesse estado a vontade, as emoções, os sentimentos, então alguma
lá. Você comeu o fruto quando Adão comeu; quando outra coisa está fazendo isso. Pessoas que estão mortas
Adão desobedeceu, era você desobedecendo; quando são, na verdade, muito ativas, mas estão controladas e
Adão pecou, você pecou; quando Adão morreu você energizadas por uma natureza depravada decaída. Per-
morreu — 1 Co.15.21-22: “Visto que a morte veio por cebam que Paulo usa duas palavras cuidadosamente
um homem, também por um homem veio a ressurreição escolhidas e que dão uma visão muito cristalina da na-
dos mortos. Porque assim como em Adão todos morrem, tureza humana. Toda maldade está ligada a estas duas
assim também todos serão vivificados em Cristo”. palavras:

6 Revista Os Puritanos – 3, 2010


A Corrupção do Homem

DELITO → Vem da palavra grega 2. Mas podemos ver o padrão onde ela se enquadrava nessa descrição do texto
paraptōma, que significa se desviar do é exercida. Isto é o “curso deste mundo”. de Efésios
caminho certo, girar para o lado, passar 3. Podemos ver também o poder que a
por cima de um limite conhecido. Você governa. É o “príncipe da potestade do ar”. 2. O padrão. (v.2) “... nos quais ou-
ao caminhar vê um sinal que diz que 4. Vemos também as motivações cons- trora, andastes no curso deste mundo”. A
é proibido ultrapassar, mas você passa cientes que lhe dão origem. Elas surgem palavra “andastes”, não tem a ver com
além do limite sinalizado. Este é o da natureza ou da concupiscência da car- uma passada ou outra, mas com um ca-
significado da palavra DELITO. ne, ou da “vontade da carne”. minhar constante. É o curso inteiro da
vida, é a forma como se vive. É como
PECADO → Do grego hamartia, que 1. O texto é uma descrição muito di- diz João: “Se andarmos na luz como ele
significa errar o alvo, fracassar no reta da natureza do homem e você per- está na luz, temos comunhão uns com
propósito de se fazer alguma coisa. É gunta: Será que não há virtudes no ho- os outros”. O andar descrito no texto de
usado no grego clássico para se referir mem? Será que não há um só momento Efésios é o andar nos delitos e pecados.
a um homem atirando a sua lança ou em que o homem esteja fora do descrito Pessoas que andam em seus pecados
poderíamos imaginar o flecheiro usando aqui? Será que o homem não converti- passam o dia inteiro envolvidos com
seu arco e flecha numa competição, mas do não tem alguns bons pensamentos, eles, cercados e vestidos com eles e de-
a flecha não atinge o alvo onde deveria. bons desejos e boas ações? Você talvez sejosos dos mesmos. A frase, “segundo
Esta palavra também significa fracassar esteja se lembrando de pessoas que o curso...” na verdade envolve uma pre-
em obedecer, fracassar em atingir o vivem de forma positiva na sociedade, posição, e significa “de conformidade
alvo, o padrão. “Pois todos pecaram e nas suas famílias e na igreja; elas dão com” ou “coerentemente com”. É como
destituídos estão da glória de Deus”. duro trabalhando; talvez nem falem ler cada item de um manual, indo na sua
Então, aqueles que não são regene- palavrões ou amaldiçoem a outros; são ordem certa — segundo o curso deste
rados, estão sempre fazendo o que Deus pessoas boas para com seus cônjuges mundo. O termo curso vem de uma pa-
proíbe. Ou seja, nunca estão fazendo o e filhos e que trabalham para suprir as lavra que quer dizer o soprar de. É o
que Deus requer. Pecado é a quebra da necessidades da sua casa; são honestas princípio vital, o espírito reinante neste
Lei de Deus, isto é, os dez mandamen- com seus semelhantes; estão dispostas mundo. Ou seja, todo sistema social de
tos. O pecado é a transgressão da lei (I a fazer qualquer coisa por você. Mesmo valores deste mundo é totalmente afas-
Jo.3:4). É não fazer o que a lei ordena assim, o apóstolo descreve o homem tado de Deus. Ele permeia toda socieda-
que façamos. O catecismo diz que o pe- desta forma, nesta condição espiritual: de humana. Ao fazer isso ele faz com as
cado é a falta de conformidade com a A verdade é que os homens não são tão pessoas fiquem presas à sua forma de
lei de Deus ou a transgressão desta lei. maus tanto quanto poderiam ser e Pau- pensar. É um olhar secular que repudia
Estas duas palavras (delito e pecado) lo não diz que o homem não é capaz de Deus de seu trono. É imoral porque re-
abrangem toda esfera de comporta- fazer algum bem em algum momento pudia todos os absolutos.
mento: pensamentos, desejos, emoções, da sua vida, mas que tudo aquilo que o A palavra MUNDO é a mesma usada
ações e palavras que proferimos. inconverso faz de bom é pecado. Mes- em Romanos 12: 2. “Não vos conformei
A palavra morte da qual falamos é mo que esteja batalhando e trabalhan- com este mundo...”. Em 2 Timóteo 4:10,
uma “morte viva”. O homem está espi- do por sua família, ele não está fazendo lemos: “Demas, tendo amado o presente
ritualmente morto, mas mesmo assim com os olhos voltados para a glória de século (mundo), me abandonou...”. Mun-
está em atividade. Paulo mostra com Deus. A verdade é que ele nunca está do no texto é a soma completa de todas
que se parece esta atividade. Há três fora do domínio do pecado em tudo isso. as pessoas não regeneradas. “Se o mun-
palavras que vemos no texto: andas- do me odiar, há de odiar vocês também...”,
tes (v.2), andamos (v.3), éramos (v.3). O O apóstolo Paulo, tomou todas suas disse Jesus. “Nós sabemos que somos de
texto dá quatro descrições bem claras qualidades morais e espirituais, seu pe- Deus, e o mundo inteiro jaz no malig-
que envolvem esta atividade em todo digree e suas realizações religiosas pra- no” (1 Jo. 5:19). Então, “curso” tem a
homem não regenerado. ticadas antes de se converter, juntou-as ver com o sistema deste mundo. Mundo
todas como obras de justiças e, falando aqui tem a ver com os homens existen-
1. Ele descreve a esfera, o escopo onde a respeito de si mesmo, disse que tudo tes neste planeta.
toda esta atividade se desenvolve. Tudo aquilo era tão bom quanto o lixo (Fl 3:8). Antes de nos convertermos anda-
está relacionado com “delitos e pecados”. Paulo disse que antes de se converter, mos de acordo com a mentalidade do

3, 2010 –
­ Revista Os Puritanos 7
Robert Selph

mundo, a nossa era presente que é não convertidos: desobediência. Eles virá e apela para que elas se arrepen-
totalmente “torta”. Nós temos que ser não são persuadidos e estão andando dam e se voltem para Deus e nada. Eles
constantemente relembrados que esse segundo a mesma proposição, de acor- estão enterrando alguém da família e
mundo no qual vivemos, não é etica- do com, segundo o curso de todos os devem ser os próximos da fila, mesmo
mente neutro. A forma de se viver o desejos e poderes do diabo. Em 1 João assim continuam completamente in-
padrão deste mundo é completamente 5:19, lemos: “Sabemos que somos de diferentes ao fato de que um dia irão
anti-Deus. Os alvos, a filosofia, o siste- Deus, e o mundo inteiro jaz no maligno”. comparecer diante de Deus. Tudo isso
ma educacional, a mídia, todas as ativi- Ainda em 2 Timóteo 25-26, lemos que porque há um espírito atuando dentro
dades, são governados por um padrão Deus nos dá o arrependimento para fu- deles, fazendo com tenham uma visão
que é exatamente “o curso deste mun- girmos daqueles laços do diabo. Então, muito curta das coisas espirituais e não
do”. O homem não convertido não con- estas forças do mal estão debaixo do conseguem enxergar a Deus.
segue sair de dentro disso. O homem comando do diabo e todos os pecadores
não convertido não vai querer ter Deus. estão seguindo sob sua orientação. Ele 4. Motivações. No versículo 3 Paulo
Ele fala e vive sem considerar as coisas está no presente ainda trabalhando em faz uma descrição mais genérica. Diz: “...
do Deus vivo. Os feitos humanitários todos os homens, mulheres, crianças andamos outrora, segundo as inclinações
mais bonitos podem ser feitos para o não regenerados. A coisa mais assus- da nossa carne” e vai para o lado mais
próprio homem sem nunca se direcio- tadora com respeito a isso é que nós específico: “fazendo a vontade da carne
narem para a glória de Deus. não sabemos como os espíritos malig- e dos pensamentos”. Repare que ele fala
nos operam. Não sabemos exatamente isso a respeito de todos os homens. Ele
3. O poder que está por trás do ho- como eles têm acesso à mente humana diz: “nós andamos”. Paulo está falando
mem não convertido. Paulo diz que para controlar a operação da mente. tanto de gentios como de judeus.
há um poder que está por trás desta Não sabemos como eles fazem com Vamos ver primeiro a descrição mais
atividade e os pecadores mortos estão que pessoas não regeneradas andem genérica: “... andamos outrora”, signifi-
andando segundo o curso deste mundo, segundo sua vontade e estejam debaixo ca sermos energizados para... Está no
envolvido em seus delitos e pecados, e do seu controle. Satanás está realmente passivo grego e significa uma atividade
o poder que energiza tudo isso é Sata- engajado com todas as suas forças nes- contínua e habitual. É algo que acon-
nás. Alguém me questiona se eu creio se trabalho e ele nunca descansa. tece de forma contínua, constante. É
num diabo literal e sempre respondo O homem moderno que é orgulho- a mesma palavra usada em 2 Co.1:12:
perguntando se este alguém crê na Bí- so, “nariz em pé”. Ele é uma pessoa “temos vivido”. É uma vida toda, um
blia. A Bíblia fala do príncipe da potes- “muito instruída” para crer que existe comportamento constante que é feito
tade do ar e que ele está continuamente um diabo que mexe com o indivíduo e na carne. É verdade que esta palavra
operando nos filhos da desobediência. jamais reconhece que está debaixo de “carne” é usada com grande flexibilidade
Os filhos da desobediência estão em uma escravidão. Mas, a razão porque na Bíblia como aquele versículo que diz:
relacionamento permanente com Sata- os homens não crêem em Jesus Cris- “Aquele que é nascido da carne é carne”.
nás. Jesus disse em Mateus 13:38 - “... to é por que o diabo está ativamente Está falando ali do nascimento físico.
o joio são os filhos do maligno”. Em João trabalhando nas suas mentes. É o que Mas aqui está falando da totalidade
8:44, Jesus diz: “Vós sois do diabo, que se lê em 2 Co 4:4. Mas quando chega da natureza humana toda afastada de
é vosso pai, e quereis satisfazer-lhe aos o Dia do Senhor quando a Palavra é Deus, que está sob o domínio do pecado.
desejos”. Ele é um assassino e quando pregada dos púlpitos, os homens não Há uma disposição interior em todo o
o não convertido perde a calma e fica regenerados, ao invés de estarem na emaranhado das faculdades, aptidões
com sentimento de vingança para agir, igreja, preferem estar praticando al- e disposições do homem (a mente, os
está agindo como seu pai. Ele também é gum esporte ou assistindo a algum sentimentos, a vontade) e como ope-
um mentiroso! Quando o homem enga- jogo pela TV. Estão afundados no seu ram. Assim Paulo disse Romanos 7:18:
na alguém, em qualquer grau que seja, materialismo, no conforto de seus lares “em minha carne não habita bem algum”.
está agindo exatamente como o seu pai, ou trabalhando no jardim. O que é que Os desejos da carne são como um ado-
o diabo. está por trás dessa indiferença quanto à lescente que diz querer fazer aquilo que
Paulo descreve a todos os não con- pessoa de Deus? Será que eles pensam ele bem entende. “Pai deixe-me fazer o
vertidos como filhos da desobediência. que vão viver eternamente? Você fala que eu bem entenda”. Você pode ser um
Aqui está a fonte do caráter peculiar dos para estas pessoas da eternidade que provedor do pão de cada dia que traba-

8 Revista Os Puritanos – 3, 2010


A Corrupção do Homem

lha arduamente em favor de sua família um mínimo da sua salvação dependeu


e até faz todo bem possível na comuni- do seu livre-arbítrio, ele nada sabe da
dade, mas não se curva à Lei de Deus. graça e nada aprendeu de Jesus Cris-
Por isso não pode manter comunhão to’”. Se você pensa que a sua salvação
com Deus e, portanto, não vive para dependeu um mínimo do livre-arbítrio,
Sua glória. Em síntese este homem diz: você não sabe o que é salvação. O grande
“Estou feliz, deixe-me em paz!”. Todo sistema social pregador George Whitefield disse que o
Agora vamos ver a descrição mais homem só tem o livre-arbítrio para levá-
específica. Enquanto vivemos nesta de valores deste lo para o inferno e não para o céu. A ver-
esfera generalizada, estamos fazendo dade é que a constante atividade do ho-
constantemente a vontade da carne mundo é totalmente mem governada por sua vontade, como
e dos pensamentos. CARNE e PENSA- um todo, está em estado de pecado.
MENTOS. A palavra carne significa afastado de Deus. De quem a vontade recebe as suas
aquela natureza inferior, apetites ani- ordens? Quem é o patrão da nossa
malescos. Eles estão dizendo: matem a vontade? Ela não é um pequeno servo?
minha fome! Gratifiquem-me! Então, a Será que a vontade controla a carne e
vontade do homem tira o chapéu e faz os pensamentos? Ou será que a carne e
exatamente o que a carne pede. os pensamentos controlam a vontade?
Mas ele usa também a palavra men- Paulo está ensinando que a vontade
te, pensamentos. Em Cl 1:21 Paulo diz da universalidade do pecado. Ou seja, está escravizada à natureza humana e
que “noutro tempo éramos estranhos e todos os homens estão debaixo dessa que nunca consegue agir de forma con-
inimigos no entendimento”. Paulo era corrupção. Veja que Paulo disse que “to- trária à sua própria natureza.
um fariseu que cultuava a Deus, mas dos nós andamos outrora”. Todos os se- O homem é uma “caixinha de tesou-
como cultuava? Na ignorância, ele diz. res humanos estão debaixo e incluídos ro” que quando aberta não revela tesou-
A sua mente carnal dizia: Você quer ser nele, não dá para escapar. Não importa ro algum e sim, ferro velho e enferru-
alguém agradável a Deus? Junte muitas quão rico, instruído ou religioso sejam. jado. Você pode dizer que nós somos
boas obras e assim estará honrando a Também fala de tudo que se refere a salvos pela fé. Mas, que fé? Em Gn 6:5
Deus; você não precisa aceitar os ensi- nós. Que os pecadores nunca conse- lemos que a maldade havia se espalha-
nos a respeito da graça, você é capaz de guem ficar acima da sua própria carne do por toda a terra. Todos os desejos do
agradar a Deus com suas capacidades e e seus desejos. Tudo que fizemos antes coração humano eram constantemente
com tudo que faz. Esse é o arrazoado de do Espírito de Deus habitar em nós, era maus. É esse tipo de coração que nós
uma mente carnal. Fazer ou cumprir a feito para satisfazer os desejos da nossa estamos desejando trazer para Cristo.
vontade da mente. A palavra “fazendo”, carne e da nossa mente. Estamos fazendo um convite à pesso-
no grego é poieu. Significa fazer com Eu creio que não é apenas uma afir- as que, por natureza, não querem vir
que aconteça. Está no presente do par- mação eloquente acerca do pecado, mas a Cristo. Será que dá para argumen-
ticípio, é uma ação duradoura que sig- é um testemunho que fala a respeito da tarmos com aquilo que Paulo apresen-
nifica constantemente fazendo, sempre escravidão do mal e na qual os homens ta? Se você luta com esse conceito da
cumprindo, habitualmente realizando estão presos. Precisamos entender isso escravidão humana quero sugerir-lhe
atos que satisfazem os desejos de uma para podermos compreender a natu- que ao chegar ao seu quarto, leia estes
natureza má e de pensamentos maus. reza da vontade. Se compreendermos versículos e ajoelhe-se diante de Deus.
A palavra “desejos”, que é aqui de onde veio a nossa salvação, chega- Finalmente, Paulo diz no versículo
traduzida por vontade, keleimatar, é remos ao “coração” do Evangelho. Por três: “... entre os quais também todos nós
a palavra que dita uma ordem. Será isso Lutero escreveu um livro com o tí- andamos outrora...”. Era a nossa verdade
que este quadro não é vivo e claro o tulo, “A Escravidão da Vontade” (“Nasci- anteriormente, mas não é mais agora.
suficiente? Nós estamos sob a ditadura do Escravo” - Editora FIEL). Uma vez cativos, estávamos dentro do
dos nossos maus pensamentos, da nos- J.I. Packer citou de Spurgeon: “Eu con- descrito aqui. Mas agora somos novas
sa má natureza. Creio que temos lições cordarei com Martinho Lutero naquela criaturas em Cristo, temos nova vida,
vitais dessa descrição. Eu creio que essa sua grande afirmação quando disse: ‘Se nova regra, novo poder e força na
afirmação é um dito eloquente acerca qualquer homem pensa que pelo menos nossa alma (2 Co 5:17). Nosso prazer

3, 2010 –
­ Revista Os Puritanos 9
Robert Selph

está na Lei do Senhor e não na lei da de Deus veio e fez você servir de cora- vador! Ele é o único que pode nos levar
carne. Você pode dizer estas palavras? ção à lei de Deus? Será que Ele já lhe ao Deus Santo. Se você não veio ainda a
Você tem certeza de que um dia já foi deu vida em Cristo Jesus? Será que já Cristo, eu insto para que faça isso.
arrancado de dentro desta escravidão? colocou em você o desejo de viver para
Será que o poder da graça do Deus já se a glória de Deus? Se a resposta é “sim”, Robert Selph é Pastor da Igreja Batista da Graça na
estendeu em sua direção e fez de você dê toda glória a Ele por sua salvação! Carolina do Norte, USA. Mensagem proferida nas
Conferências da Editora FIEL/1990, Águas de Lin-
uma nova criatura? Será que o espírito Em Cristo encontramos o perfeito Sal- dóia, SP.

O Pecado
“pois todos pecaram e carecem da glória de Deus”(Rm. 3:23)

Jeoffrey Thomas Falam a respeito do consenso de como certa sociedade


encara a vida, se uma sociedade aprova ou desaprova,

H
á um interesse muito grande no mundo de hoje mas a Bíblia enfoca o assunto de um ponto de vista com-
na ciência do comportamento humano. As pes- pletamente diferente. Então, ela não encara a vida por
soas tiram suas próprias conclusões a respei- uma perspectiva humana, mas sim pela grande norma
to de como os outros se comportam. Conhecemos o da Palavra de Deus. Ela pesa e avalia por esse padrão.
conceito de imoralidade e de crime. O marxista fala da Então, o pecado não é violar a nossa consciência,
alienação e o existencialista fala da existência não au- não é ir de encontro o que a sociedade estabelece, mas
têntica. Todas essas pessoas estão tentando fazer a sua pecado é uma violação da lei de Deus. Há três palavras,
própria avaliação de como o homem vive. Mas quando na Bíblia que definem o pecado. A primeira palavra sig-
nós olhamos para a Bíblia, descobrimos nela uma pre- nifica errar o alvo. O alvo é a lei de Deus. Deveríamos
ocupação muito grande com o comportamento huma- amar a Deus acima de todas as coisas e aos outros como
no; temos nela uma compreensão de como funciona e a nós mesmos, e a Bíblia diz que toda raça humana er-
como procura dar os remédios, as soluções para este rou este alvo. A segunda palavra que a Bíblia usa para
comportamento. pecado é transgressão. É passar por cima dos limites.
Mas a Bíblia não fala sobre imoralidade, não fala so- Há uma linha demarcatória e nós cruzamos essa linha.
bre crime, e não fala sobre alienação. Ela fala acerca de Deus coloca nos Dez Mandamentos a linha demarcató-
uma grande palavra — PECADO. Dessa forma a compre- ria além da qual nós não devemos ir. Portanto, toda vida
ensão do homem e a compreensão de Deus são comple- humana transgride essa linha demarcatória. A terceira
tamente diferentes. A política, a ciência e a educação palavra para representar o pecado é desobediência. É
humana nada sabem a respeito de pecado. Mas na Bíblia a grande voz de Deus dizendo esta é a minha vontade,
a palavra pecado tem toda importância possível. Essa é e a constante resposta humana dizendo, NÃO! Então,
uma diferença fundamental, porque todas as ciências quando a Bíblia diz, “todos pecaram” ela está dizendo
humanas a respeito do comportamento humano julgam que toda vida humana errou o alvo, toda vida humana
pela sua própria maneira de classificar e pelas diferen- passou por cima da linha demarcatória que Deus esti-
tes categorias humanas que elas mesmas inventaram. pulou e toda vida humana desobedeceu.

10 Revista Os Puritanos – 3, 2010


Jeoffrey Thomas

Quais são os pontos bem distintos Quando Jesus abre este assunto com que o pecado afetou a nossa vida emo-
que a Bíblia mostra acerca do pecado? o sexto mandamento dizendo, “não ma- cional como um todo.
Quais são os ensinos característicos da tarás”, Ele explica que isso não se aplica Como pregadores, podemos pregar
Palavra a respeito do problema que o somente a alguém que bate em outro ou sobre a doutrina correta, sobre o viver
homem tem? o mata com agressão física, ou bate na correto, mas nós temos de pregar ao
esposa, mas isso se aplica também ao povo sobre emoções corretas, porque
1) A primeira coisa que nós dizemos ódio que se tem por uma pessoa. Aque- a Bíblia está repleta de descrições da
é que o pecado é algo interior. É lógico le desejo odioso por uma pessoa, que emoção autêntica. O fruto do Espírito
que nós vemos pecados ao nosso redor, talvez nunca se externe, mas que por é amor, alegria, paz. São emoções! Mas
eles são visíveis. Quando nós pensamos dentro nos faz queimar de ódio por ela. o pecado também afetou esta área da
em pecado, nós geralmente pensamos Nós queremos ter uma aparência res- nossa vida. Nós não devemos pregar
em assassinato, crueldade, ou roubo. peitável por fora, queremos promoção que o pecado é somente algo de pala-
Algo externo que nós podemos visu- no trabalho, então, escondemos aquela vras e atos, mas como algo interior.
alizar. Isso é importante, mas a Bíblia ira que está lá dentro. Jesus diz que esta
exige muito mais, pois ela não olha ape- raiva é pecado. A mesma coisa Jesus diz 2) A segunda coisa que temos de
nas para o exterior, mas olha para as com o mandamento que afirma: “não lembrar é que o pecado afeta o todo
profundezas da vida humana e diz que adulterarás”. Novamente, não é apenas do nosso ser, da nossa existência. Não
é ali que reside o pecado. Não é somen- uma questão do ato que é errado, mas a há momento ou área da nossa vida que
te aquilo que falamos ou fazemos, mas cobiça por uma mulher, a concupiscên- o pecado não tenha afetado. Um dos
nossos pensamentos, nossa ambição, cia. Esta cobiça no nosso coração, quan- grandes quadros descritivos que a Bíblia
nossos desejos, nossas emoções. do a ela damos guarida, isso já é pecado. usa é que o homem é escravo do pecado.
A Bíblia diz que o problema reside no Portanto, pecado não é uma simples Tome este quadro descritivo e o encare
coração do homem. O coração humano questão de ações, mas pecado é algo da forma mais literal possível. O escra-
errou o alvo. Nós descobrimos que os interior. Temos de ensinar às crianças vo era propriedade do seu senhor, não
Dez Mandamentos têm os seus para- que pecado é algo lá de dentro, aquele tinha tempo que lhe pertencesse, não
lelos em outras religiões, mas quando desejo da criança que quer mais, mais tinha propriedades, não tinha talentos
chegamos ao décimo mandamento, e mais, isso é pecado. Nós temos que que lhe pertencesse. Não havia sequer
“não cobiçarás”, vemos que ele é único chegar a Deus e confessar tudo isso. um minuto que ele pudesse dizer que
na Bíblia, é singular, porque Deus não Podemos olhar para a nossa vida em fosse dele, pois sempre pertencia ao seu
está olhando para o lado de fora. Deus termos de emoções e dizer às pessoas senhor. Paulo disse que o homem é es-
está olhando para o coração do homem que Deus requer certas normas que vão cravo do pecado, o pecado é senhor dele.
e a Bíblia diz que a cobiça é um pecado. policiar a nossa vida emocional. Quanto Portanto, não há nada que ele possua
Talvez ela não nos leve a pronunciar da nossa preocupação é pecado? Jesus que não pertença ao pecado. O pecado
palavras pecaminosas, não nos leve a diz que nós não devemos andar ansio- disse-lhe que ignorasse a Deus, que não
ações pecaminosas, mas aquele desejo sos. Quanto da nossa depressão é peca- lesse a Bíblia, que não orasse, que não
ardente por aquilo que pertence a outra do? Deus chega para Elias, debaixo da- fosse àquele local onde poderia ser sal-
pessoa, aquela sensação desconfortável quele arbusto e pergunta, “o que é que vo e ele obedeceu. Todo homem obedece
de que aquilo não é meu, talvez não fale você está fazendo aqui?”. Quanto dos ao pecado. É o quadro mais assustador
de forma audível, não aja, talvez tenha nossos temores são pecados? Ficamos que nós temos na Bíblia. Isso mexe com
uma manifestação exterior, mas se já preocupados porque as pessoas não aquela indiferença dos homens, seus ta-
está no coração, já é pecado. Nós somos têm um conceito tão alto de nós, quanto lentos, suas capacidades, todo seu tem-
muito inclinados e crer que se conse- queríamos que elas tivessem. Algumas po, tudo pertence ao pecado. O pecado
guirmos dominar o pecado, prendê-lo, vezes nos tornamos superemocionais tem o homem como sua propriedade,
e se ele não se mostrar em uma forma acerca de certas coisas na vida. Outras como seu senhor. Será que você acei-
externa, então não é pecado. Mas o N.T. vezes nos reprimimos e não mostramos ta isso? Será que no seu orgulho você
deixa bem claro que o próprio desejo de emoção suficiente. Podemos ouvir de aceita isso? Que o pecado afetou cada
pecar é pecado. Aquela concupiscência, certas tragédias que estão acontecendo parcela de sua vida? Que seus atos de
aquele desejo não controlado é pecado, na congregação e nosso coração não se justiça são trapos de imundícia? Que até
porque o pecado é algo interior. quebranta como deveria. Vemos, então, nos seus atos de justiça ou quando faz

3, 2010 –
­ Revista Os Puritanos 11
Jeoffrey Thomas

uma reza a Maria você é escravo do pe- diríamos de um repórter que faz um
cado? Que o pecado controla cada parte programa para a TV ou um editor de 4) A quarta coisa é que “o salário
da sua vida? Este é o segundo grande um jornal diário. Você não vê ali uma do pecado é a morte”. A morte física, o
ensinamento a respeito do pecado. objetividade, um equilíbrio na busca separar de alma e corpo, é um ato do
pela verdade, você vê o intelecto hu- juízo de Deus. Ele entrou no mundo por
3) A terceira coisa que a Bíblia fala mano pecando. Não há neutralidade causa da nossa solidariedade com Adão.
a respeito do pecado é que ele contro- no intelecto humano. O meu pai Adão traiu a Deus, fez a coisa
la todas as suas faculdades, cada par- Veja a consciência do homem. Você da sua forma e a morte passou para to-
te do seu ser. Isto é o que em teologia pode pensar que ela está livre do peca- dos os homens porque todos pecaram.
se chama de Depravação Total. Não do. Mas, não! Olhe para a consciência Então, agora, a certeza da morte está
quer dizer que todos os homens são de um canibal. O canibal faz o que faz, escrita sobre todos porque toda a hu-
igualmente depravados; não significa através de sua consciência. Olhe para manidade pecou. Mas os homens não
que cada ser humano seja um animal a consciência de um nazista, olhe para crêm nisso, crêm que vão viver para
irracional; não significa que todos os a consciência de um assassino ou toda sempre. Então, nós dizemos para eles
homens são diabos; que todos sejam maldade das religiões pagãs através que aos homens está ordenado morrer
tão maus quanto poderiam ser; nem do mundo. São maldades conscientes. uma só vez, e depois da morte o que
significa que todos serão tão maus no O homem pega o Filho de Deus e cons- vem? Juízo, a realidade daquilo que
futuro como são agora. Mas, na sua to- cientemente pune o Filho de Deus, de João chama de segunda morte; aquilo
talidade, quando Deus olha para uma forma consciente prega-o em uma cruz de que Jesus falou com frequência, com
vida humana, Ele não consegue vislum- e acham que fazem um favor para Deus. lágrimas, de um lugar onde o verme
brar qualquer parte do seu ser que te- Tudo isso porque também a consciên- não morre e o fogo não se extingue;
nha conseguido escapar da influência cia do homem foi afetada. onde há trevas e ranger de dentes, onde
do pecado. A minha natureza completa, Veja a vontade humana. A vontade não há alívio. Ele disse bem claramen-
foi estragada, massacrada, pelo pecado. é a fortaleza da alma. Mas com força te que naquele dia dirá: “apartai-vos de
Se os pastores pregarem esta doutrina total esta área também foi afetada pelo mim para o fogo eterno”. Foi Jesus que
ela será tremendamente ofensiva para pecado. Por que as pessoas não que- disse isso! Para nós, Ele não erra. Então,
a congregação, pois ela diz que tudo no rem chegar a Cristo? Cada um tem a para falarmos sobre o pecado que leva
ser humano foi corrompido e estragado sua desculpa. Dizem que querem mais à morte, temos de falar nisso que Jesus
pelo pecado. Isso exatamente o que a evidências, mais fatos, mais tempo, pois falou. Essa é a lógica do pecado: o que
Bíblia ensina. É o ensinamento de Ro- ainda não foram persuadidos. Outros o homem semeia, ele também há de co-
manos 3, é o ensinamento de Isaías, o dizem que desejam crer, mas afirmam lher; se você semeia um vento colherá
profeta, pois ele diz que a cabeça toda que não podem. Eles estão esperando tempestade; se você investe sua vida no
está doente, o coração todo está toma- que algo ocorra dentro deles, estão es- pecado, pagará esse preço.
do, toda parte da nossa existência foi perando ser convertidos. Mas a Bíblia
afetada. não diz que eles não são convertidos, Estas são as 4 características do
Pense no intelecto humano, por antes os chamam de desobedientes. pecado que a Bíblia apresenta. Mas, o
exemplo. Você diz que isso conseguiu Porque a Bíblia diz que aquele que de- que é que Deus diz acerca do pecado?
escapar do pecado. Mas é ali, no inte- seja poderá vir, mas o homem não está Ele condena o pecado! Você algum dia
lecto humano, sobre todas as outras desejoso de vir. Não é a ignorância que já ajuntou as várias descrições bíblicas
áreas, que você vê a depravação do o mantém longe de Cristo, não é falta de acerca do pecado? Nós evangélicos so-
pecado. Será que o cientista é neutro autoridade em Cristo que faz as pessoas mos conhecidos pela nossa preocupa-
no que ele ensina? Será que ele não não se chegarem a Ele, não é que eles ção com o tema do pecado. Mas, ainda
tem convicções nem preconceitos? não tenham direito de se achegarem a assim, as piores palavras a respeito
Será que ele não aborda o seu traba- Cristo, é tudo uma questão da vontade, do pecado, não estão nas confissões
lho com essa perspectiva? Será que a porque a vontade é a cidadela da alma. de fé, não foram pregadas por Lutero
história de todas as fraudes, de todas É aí que o pecado reina em homens e ou Jonathan Edwards, mas as palavras
falsificações, não contribui para mos- mulheres. É aí que eles o deixam reinar. mais terríveis se encontram na Bíblia.
trar isso? Isso tem a ver com a deso- O pecado afeta toda nossa vida, todas As frases mais terríveis e difíceis de
nestidade do intelecto humano. O que as faculdades do nosso ser. serem aceitas estão na Bíblia. Você já

12 Revista Os Puritanos – 3, 2010


O Pecado

parou para pensar como é que Deus vê solidariedade com aqueles que estão
a sociedade humana? É como uma por- no vale, ouvindo aquela Lei e sabendo
ção de porcos se revolvendo na lama, Na sua totalidade, que nós mesmos também a quebramos.
como uma alcatéia de lobos e cachorros Pense nas nossas ações, o que eu fiz,
voltando ao seu próprio vômito e o co- Deus não consegue aquilo que eu tenho feito àquelas pes-
mendo (2 Pe 2:22). Isso não é uma coisa soas mais achegadas, às que mais de-
que nos faz enojar? Imagine se Calvino vislumbrar qualquer pendem de mim, àquelas de quem eu
tivesse dito isso? Mas, o Senhor Jesus, dependo para viver. Fui eu que fiz, meu
manso e gentil, também falou coisas parte da vida corpo, minha língua, à estas pessoas. Eu
semelhantes. A sociedade humana é não preciso olhar para Ritler ou Stalin
como ninho de cobras e Isaías descre- humana que tenha para descobrir as verdades da vida, pois
ve este quadro como um ser humano eu estou bem familiarizado com tudo
coberto de feridas dos pés à cabeça (Is conseguido escapar isso. Faz parte da minha história, está
1:6). Apocalipse descreve isso como um no meu arquivo diante de Deus.
abismo que não tem fim e de repente da influência Isto faz parte do diagnóstico a res-
toda fumaça sai dali cobrindo todo o peito do que existe de errado no mundo
mundo. Não dá para se ver mais o sol do pecado. de hoje. É um dilema imenso, que a úni-
nem a lua e todos os olhos estão choran- ca forma do homem ser salvo do pecado
do e a respiração está difícil por causa é através do Filho de Deus tomar forma
daquela fumaça. Quando este Deus san- e veja o que ela fez com o judeu, com humana, viver nesse mundo e morrer
to e glorioso olha para o mundo, é assim seus incineradores e suas câmaras de naquela cruz do Calvário carregando
que Ele o vê. Diante do Deus santo, os gás. Veja o que a civilização ocidental sobre Si todos os nossos pecados. Esse
anjos que jamais pecaram, escondem faz com a criança ainda não nascida, é o único Evangelho que traz esperan-
os seus olhos diante da Sua presença quando milhares delas são arrancadas ça aos homens. O problema grave que
gloriosa; não conseguem olhar. do ventre materno antes de nascerem, temos de falar é sobre a “incredulidade
Quer a prova de que é verdade; você e são queimadas, enterradas e nós pas- cristã”, por isso deve ser nosso alvo vol-
acha que estes quadros vão longe de- mos ficamos em silêncio. Toda a civili- tar àquelas verdades fundamentais da
mais? Olhe para o pecado ali na cruz zação é culpada diante de Deus. Quan- fé cristã de forma que o nosso pleito
do Calvário, veja aquele homem crava- do eu falo de história, não estou falando diante de Deus é nos ver como culpados,
do ali com pregos nos seus pés e em de outras histórias, não estou falando e por isso dizer: “Ó Deus cobre a minha
suas mãos, com um corpo dilacerado da história a respeito da qual o homem vida”. Nós devemos perder o hábito de
por um chicote, ISSO É PECADO! Olhe irá escrever, mas eu estou falando a res- desculpar os nossos pecados, e pro-
para a civilização ocidental hoje em peito da minha própria história, como curar explicá-los dizendo a Deus: “Ah!
dia, olhe para o seu histórico, veja o eu sou visto, como será o arquivo que Se o Senhor soubesse que pelo menos
que esta civilização com o africano, por Deus tem da minha vida. Ousaria eu me há algumas circunstâncias envolvidas,
exemplo. Aqueles homens chicoteando defender? A minha vida não tem defesa, o Senhor saberia que eu estou justifi-
os seus escravos enquanto cantarola- meus pensamentos, minhas fantasias e cado em ter agido como agi. Porque o
vam. Leiam os jornais e vejam como os imaginações, minhas emoções, meus Senhor sabe que os meus pecados são
homens tratam uns aos outros, vejam ressentimentos, minha autocomisera- diferentes daqueles dos outros homens;
como eles tratam as mulheres, como ção, minha inveja, meu desespero fácil, a minha infidelidade para com minha
tratam as crianças. Páginas e mais pági- as minhas palavras sempre cruéis e esposa é pura, é diferente, é criativa”.
nas são escritas sobre isto, e não temos duras, frias, altivas, que não carregam Eu sei isso porque estou familiarizado
uma só palavra de defesa a essas pes- amor. Nós somos condenados por nos- com meu próprio coração e como nós
soas. Se tentarmos justificar, tentando sa boca, porque as nossas palavras são nos desculpamos diante da lei e de Deus.
defender estas atitudes, seremos tão vis uma espécie de barômetro do nosso co- Robert Murray McCheynne foi um
como aqueles que praticam estas coi- ração e quando nós falamos da vontade grande pregador escocês. Ele disse que
sas e um dia estaremos diante de Deus de Deus nós não falamos como Moisés a maior necessidade da sua congrega-
como elas para responder por estes com as tábuas da Lei nas mãos, descen- ção era um ministro santo. Nós temos
atos. Olhe para a civilização ocidental do do monte. Nós estamos falando em de voltar àquele lugar, àquele ponto em

3, 2010 –
­ Revista Os Puritanos 13
Jeoffrey Thomas

que toda boca cessa de falar. E quando odeio aqueles que batem nas esposas e me, torna-me mais alvo do que a neve;
Deus finalmente nos concede permissão maltratam os filhos, mas não é suficien- ‘bem-aventurados os pobres de espírito
para falar, nós dizemos : “Deus eu me te. Quando eu olho para Deus e enxergo porque deles é o reino dos céus’” .
odeio, eu odeio aqueles que crucifica- pelo Seu prisma e me vejo como um pe- Amém.
ram meu Salvador, porém isso não é su- cador, tudo o que eu posso dizer para Ele Conferência proferida por ocasião do III Encontro
ficiente. Ah! Eu odeio aqueles que fazem é: Senhor eu gostaria que não fosse eu, da Fiel, 1987, em Águas de Lindóia, por Jeoffrey
Thomas que é pastor da Igreja Batista Alfred Place
tráfico de escravos, mas isso não basta, Senhor eu me odeio, mas Senhor, lava- Baptist Church em Aberystwyth, País de Gales.

Em que Sentido a
Depravação é Total?
“Portanto, os que estão na carne não podem agradar a Deus”. (Rm. 8:10)

Phil Johnson inclinações da carne, enquanto "fazendo a vontade da


carne e dos pensamentos" e são, "por natureza, filhos

T
odo membro da raça de Adão nasce totalmente da ira, como também os demais" (v. 3). Eles estão "sem
depravado, caído, alienado de Deus, e em escra- Cristo, separados da comunidade de Israel e estranhos
vidão ao mal. Em Romanos 6, Paulo chama isso às alianças da promessa, não tendo esperança e sem
de escravidão ao pecado. Ele diz, além disso, em Roma- Deus no mundo" (v. 12).
nos 6:20, que as pessoas que são escravas do pecado Em Romanos 8:6, Paulo diz que "o pendor da carne
são totalmente destituídas da verdadeira retidão. To- dá para a morte". Ele está falando sobre a mentalidade
dos os que estão em tal estado de pecado e increduli- carnal da incredulidade, descrevendo o que significa
dade são inimigos de Deus (Romanos 5:8,10). Eles são ser totalmente depravado. Ele segue adiante dizendo
"estranhos e inimigos no entendimento pelas vossas (v. 7-8): "O pendor da carne é inimizade contra Deus,
obras malignas" (Colossenses 1:21)". pois não está sujeito à lei de Deus, nem mesmo pode
estar. Portanto, os que estão na carne não podem agra-
Totalmente → A depravação humana é "total" da dar a Deus"
mesma forma que a morte é total. Você não pode estar Em outras palavras, a morte espiritual é uma total
parcialmente morto. Você pode estar muito, muito inabilidade de amar a Deus, uma total inabilidade em
doente ou extremamente machucado e sendo mantido obedecê-lO, e uma absoluta incapacidade de agradá-lO.
por aparelhos, mas você ou está morto, ou vivo. Não Ora, muitos não-cristãos negarão que eles são hostis
existem graus de morte. a Deus. Mas eles estão se auto-iludindo. Na verdade,
De fato, quando a Bíblia descreve a depravação hu- muitos que invocam o nome de Cristo e reivindicam
mana, normalmente utiliza a linguagem da morte es- amar a Deus não amam, de fato, o Deus da Bíblia. Eles
piritual. amam um deus que só existe na imaginação deles —
Efésios 2, por exemplo, diz que as pessoas em seu um deus tolerante, profano, passivo, frágil e fraco. Esse
estado decaído estão mortas em delitos e pecados — não é o Deus da Bíblia. O Deus da Bíblia é santo demais
espiritualmente mortos (v. 1). Eles andam em munda- para o gosto dos pecadores. Ele é irado demais contra
nismo e desobediência (v. 2). Eles vivem segundo as pecado. Os Seus padrões são por demais elevados. As

14 Revista Os Puritanos – 3, 2010


Em Que Sentido a Depravação é Total

Suas leis não estão de acordo com a pre- pecaminosidade e não ao grau em que lômetros. Uma coisa é certa: Ninguém
ferência deles. Portanto, apesar deles nós a manifestamos. Significa que o mal chegaria a Cingapura. Todos nós esta-
professarem amar a Deus, não amam o contaminou todos os aspectos do nosso ríamos mortos muito antes da meta ser
verdadeiro Deus que se revelou nas Es- ser — nossa vontade, nosso intelecto, atingida. Se eu fosse um jogador (e eu
crituras. Eles não são capazes de amá-lo. nossas emoções, nossa consciência, não sou) eu apostaria tudo o que tenho
nossa personalidade, e nossos desejos. que ninguém chegaria até mesmo até
Incapacidade de Amar a Deus o Havaí, que fica a menos da metade
→ A incapacidade de amar a Deus O Coração Corrompido → Usando do caminho.
como devemos é a própria essência terminologia bíblica, o pecado Uma pergunta: Será que aqueles
da depravação total. Ela torna-nos corrompeu totalmente o coração que morreram antes de nadar duas
impotentes para cumprir o primeiro humano. Jeremias 17:9 diz, "Enganoso milhas são piores do que aqueles que
e grande mandamento: "Amarás, pois, é o coração, mais do que todas as coisas, morreram a trinta e sete quilômetros
o Senhor, teu Deus, de todo o teu e desesperadamente corrupto; quem o da praia? É claro que não. Todos esta-
coração, de toda a tua alma, de todo conhecerá?" Se o coração é corrupto, riam igualmente mortos. A meta era
o teu entendimento e de toda a tua toda a pessoa está contaminada. tão desesperadora para o nadador es-
força" (Mc 12:30)". Portanto, tudo o Descrevendo nossa depravação pecializado e ultra-treinado, como para
que o pecador faz é permeado pelo como corrupção do coração, as Escri- o sujeito gordo que fez seu treinamento
pecado, porque ele está vivendo a vida turas deixam claro que o real problema sentado em frente a um computador es-
em violação constante do mandamento conosco encontra-se no centro do nosso crevendo em seu blog o dia inteiro.
mais importante de todos. ser. Nossa própria alma é infectada pelo É assim que as coisas são com o
Por outro lado, "depravação total" pecado. Nada em nós permanece puro. pecado. Todos os pecadores estão con-
não significa que todos os pecadores Nossa tendência para pecar é inflexível denados diante de Deus. Até mesmo os
sempre são tão ruins quanto podem e, no final das contas, inconquistável. O melhores da descendência de Adão são
ser. Não significa que todo incrédulo pecado, então, define quem nós somos. completamente pecadores no coração.
viverá a sua depravação integralmente. Diante de um Deus perfeitamente Não importa quão bons eles possam
Não significa que todos os não-cristãos santo e impecavelmente íntegro nós parecer pela lente do julgamento hu-
são moralmente iguais a animais irra- somos profanos, pecadores, completa- mano, eles estão exatamente na mes-
cionais ou serial killers. Não significa mente degenerados — não importando ma condição desesperadora do mais vil
que pessoas de não-convertidas são quão bons aparentemente sejamos em degenerado — talvez até em um esta-
incapazes de cometer atos de bondade termos humanos. Ser verdadeiramente do pior, porque é mais difícil para eles
ou benevolência para com outros seres íntegros não é meramente difícil para reconhecerem o seu pecado. De forma
humanos. Na verdade o próprio Jesus nós; é impossível. que eles combinam o seu pecado com
declarou que os incrédulos fazem bem Isso é tão verdade sobre alguém a auto-justificação.
às pessoas em troca do bem que é feito como Mahatma Gandhi ou Madre Te-
a eles próprios (Lc 6:33). resa como é sobre Adolph Hitler ou Je- A Religião Prova a Corrupção → As
A raça humana foi criada à imagem ffrey Dahmer1. A relativa bondade das pessoas estão preparadas para serem
de Deus. Embora o pecado tenha cor- melhores pessoas do mundo nunca é chamadas de pecadoras no seu pecado,
rompido aquela imagem, até mesmo suficiente para merecer a aprovação de mas elas não querem ser rotuladas de
não-cristãos são capazes de subir a Deus. Seu único padrão é a perfeição pecadoras na sua religião. Mas isso é
altos níveis de bondade humana, ho- absoluta. O melhor dos pecadores não crucial: A religião humana não contradiz
nestidade, decência e excelência. De- chega nem perto. a depravação. Ela a confirma e prova. A
pravação "total" não significa que toda Vejamos uma ilustração: suponha- religião humana coloca outros deuses
mulher não salva deve ser uma terrível mos que todos os leitores de Pyroma- no lugar legítimo do verdadeiro Deus.
bruxa, ou que todo homem não-crente niacs fossem enfileirados em Point É a própria essência do ódio a Deus.
é um psicopata degenerado. Significa Dume (a praia mais próxima da minha É falsa adoração. Nada além de uma
que incrédulos, aqueles que estão na casa), e todos nós tentássemos nadar tentativa de depor o próprio Deus. É a
carne, não podem agradar a Deus. até Cingapura. A maioria de nós pro- pior expressão da depravação.
Assim a palavra "total" em "deprava- vavelmente se afogaria antes de atingir Lembrem-se: Foram os fariseus que
ção total" refere-se à extensão da nossa Catalina — que fica apenas a 42 qui- Jesus condenou com a injúria mais se-

3, 2010 –
­ Revista Os Puritanos 15
Phil Johnson

vera que Ele jamais proferiu. Por quê? médico, e sim os doentes; não vim cha- as nossas iniquidades, como um vento,
Afinal de contas, eles acreditavam que mar justos, e sim pecadores" (Mc 2:17). nos arrebatam" (Is 64:6).
as Escrituras eram literalmente verda- "Porque o Filho do Homem veio buscar Pecadores não remidos são, portan-
de. Eles tentavam obedecer rigidamen- e salvar o perdido" (Lc 19:10). to, incapazes de fazer qualquer coisa
te à lei. Eles não eram como os Sadu- que agrade a Deus. Eles não podem
ceus, liberais religiosos que negavam o Boas Obras Corruptas → Eles amar o Deus que se revela nas Escritu-
sobrenatural. Eles eram os fundamen- pensavam que todas as suas boas obras ras. Eles não podem obedecer à lei de
talistas teológicos dos seus dias. os tornavam justos. Mas religião e boas coração, com uma motivação pura. Eles
Entretanto, eles se recusaram a re- obras não cancelam a depravação. A não podem sequer compreender a es-
conhecer a falência dos seus próprios depravação corrompe até as formas sência da verdade espiritual. 1Co 2:14
corações. Eles confiaram em si mesmos mais elevadas de religião e boas obras. diz: "O homem natural não aceita as coi-
de que eram íntegros e continuaram a George Whitefield disse que Deus sas do Espírito de Deus, porque lhe são
tentar estabelecer a sua própria retidão, poderia nos condenar pela melhor loucura; e não pode entendê-las, por-
em vez de submeterem-se à retidão de oração que nós pudéssemos fazer. que elas se discernem espiritualmente".
Deus (Romanos 10:3). Lembram-se do John Bunyan concordou. Ele disse que Incrédulos são, portanto, incapazes de
que eles disseram ao cego de nascença achava que a melhor oração que ele já ter fé. E "sem fé é impossível agradar a
em João 9:34? "Tu és nascido todo em tivesse feito tinha pecado suficiente Deus" (Hb 11:6).
pecado" — como se eles não fossem. nela para condenar o mundo inteiro.
Em outras palavras, eles rejeitaram Isaías escreveu: "Mas todos nós somos Notem: A palavra chave em tudo isso é incapaci-
dade. Pecadores são totalmente incapazes de res-
a doutrina da depravação total, e isso como o imundo, e todas as nossas ponder a Deus, à parte da Sua graça capacitadora.
Este é o ponto de partida para um entendimento
conduziu à sua absoluta condenação. justiças, como trapo da imundícia; saudável e bíblico da soteriologia.
Jesus disse: "Os sãos não precisam de todos nós murchamos como a folha, e Extraído do www.bomcaminho.com

Confissão de Fé de Westminster
Capítulo V → Da Queda do Homem, do Pecado e do Seu Castigo

I. Nossos primeiros pais, seduzidos pela astúcia e tentação de Satanás,


pecaram, comendo do fruto proibido. Segundo o seu sábio e santo
conselho, foi Deus servido permitir este pecado deles, havendo de-
terminado ordená-lo para a sua própria glória.
II. Por este pecado eles decaíram da sua retidão original e da comu-
nhão com Deus, e assim se tornaram mortos em pecado e inteira-
mente corrompidos em todas as suas faculdades e partes do corpo e
da alma.
I. Ref. Gen. 3:13; II Cor. 11:3; Rom. 11:32 e 5:20-21. II. Ref. Gen. 3:6-8; Rom. 3:23; Gen. 2:17; Ef. 2:1-3; Rom. 5:12; Gen. 6:5; Jer. 17:9; Tito 1:15; Rom.3:10-18.

16 Revista Os Puritanos – 3, 2010


Incapacidade de Vir a Cristo
“Ninguém pode vir a mim se o Pai, que me enviou, não o trouxer; e eu o
ressuscitarei no último dia” (João 6.44)

Robert Murray M'Cheyne terá sede” (Jo 6.32, 35). O Salvador de que as pessoas
condenadas necessitavam estava diante delas. Sua mão

Q
uão surpreendente é a depravação do homem lhes foi estendida. Ele estava ao alcance delas. O Salva-
natural! As Escrituras nos ensinam isso abun- dor ofereceu-lhes a Si mesmo. Oh! Que cegueira, dureza
dantemente. Todo pastor fiel levanta a sua voz de coração, morte espiritual e impiedade desesperadora
como uma trombeta, para mostrar isto às pessoas. E a existem na pessoa não-convertida! Nada pode mudá-la,
primeira obra do Espírito Santo, no coração, é conven- exceto a graça do Todo-Poderoso. Ó Homem destituído
cer do pecado. da graça de Deus, seus amigos o advertem, os pastores
Na Palavra de Deus, não existe uma descoberta mais clamam em voz alta, a Bíblia toda o exorta. Cristo, com
terrível sobre a depravação do homem natural do que todos os seus benefícios é colocado diante de você. To-
estas palavras do evangelho de João. Davi afirmou: “Eu davia, a menos que o Espírito Santo seja derramado em
nasci na iniqüidade, e em pecado me concebeu minha seu coração, você permanecerá um inimigo da cruz de
mãe” (Sl 51.5). Deus falou por meio do profeta Isaías Cristo e destruidor de sua própria alma. “Ninguém pode
(48.8): “Eu sabia que procederias mui perfidamente e vir a mim se o Pai, que me enviou, não o trouxer”.
eras chamado de transgressor desde o ventre materno”.
E Paulo disse: “Éramos, por natureza, filhos da ira, como Quão invencível é a graça de Jeová!
também os demais” (Ef 2.3). Mas nesta passagem de João Nenhuma criatura tem o poder de atrair o homem a
somos informados de que a incapacidade do homem na- Cristo. Exibições, evidências miraculosas, ameaças, ino-
tural e sua aversão por Cristo são tão grandes, que não vações são usadas em vão. Somente Jeová pode trazer a
podem ser vencidas por qualquer outro poder, exceto o alma a Cristo. Ele derrama seu Espírito com a Palavra e
poder de Deus. “Ninguém pode vir a mim se o Pai, que a alma sente-se alegre e poderosamente inclinada a vir
me enviou, não o trouxer; e eu o ressuscitarei no últi- a Jesus. “Apresentar-se-á voluntariamente o teu povo,
mo dia” (Jo 6.44). Nunca houve um mestre como Cristo. no dia do teu poder” (Sl 110.3). “Acaso, para o Senhor
“Jamais alguém falou como este homem” (Jo 7.46). Ele há coisa demasiadamente difícil?” (Gn 18.14.) “Como
falava com muita autoridade, não como os escribas, mas ribeiros de águas assim é o coração do rei na mão do
com dignidade e poder celestial. Ele falava com grande Senhor; este, segundo o seu querer, o inclina” (Pv 21.1).
sabedoria. Falava a verdade sem qualquer imperfeição. Considere um exemplo: um judeu estava assentado
Seus ensinos eram a própria luz proveniente da Fonte de na coletoria, próxima à porta de Cafarnaum. Sua testa
Luz. Ele falava com bastante amor, com o amor dAquele estava enrugada com as marcas da cobiça, e seus olhos
que estava prestes a dar a sua vida em favor de seus invejosos exibiam a astúcia de um publicano. Provavel-
seguidores. Falava com mansidão, suportando a ofensa mente ele ouvira falar de Jesus; talvez o tivesse ouvido
contra Ele mesmo vinda dos pecadores, não ultrajando pregando nas praias do mar da Galiléia. Mas seu cora-
quando era ultrajado. Jesus falava com santidade, por- ção mundano ainda permanecia inalterado, visto que ele
que era Deus “manifestado na carne”. Mas tudo isso não continuava em seu negócio ímpio, assentado na coletoria.
atraía os seus ouvintes. Nunca houve um dom mais pre- O Salvador passou por ali e, olhando para o atarefado
cioso oferecido aos homens. “O verdadeiro pão do céu Levi, disse-lhe: “Segue-me!” Jesus não disse mais nada.
é meu Pai quem vos dá... Eu sou o pão da vida; o que Não usou qualquer argumento, nenhuma ameaça, ne-
vem a mim jamais terá fome; e o que crê em mim jamais nhuma promessa. Mas o Deus de toda graça soprou no

3, 2010 –
­ Revista Os Puritanos 17
Robert Murray M’Cheyne

coração do publicano, e este se tornou Espírito, diz o Senhor dos Exércitos” (Zc a ele a glória e o domínio pelos séculos
disposto. “Ele se levantou e o seguiu” (Mt 4.6). Se o Espírito age nas pessoas, estas dos séculos. Amém!” (Ap 1.5, 6). Quão
9.9). Agradou a Deus, que opera todas simples palavras: “Segue a Jesus”, fala- solenes foram as palavras de Jonathan
as coisas de acordo com o conselho da das em amor, podem ser abençoadas e Edwards, em sua obra Personal Nar-
sua vontade, dar a Mateus um vislumbre salvar todos os ouvintes. rative (Narrativa Pessoal)! “A absoluta
salvador da excelência de Jesus; a graça Aprendamos a tributar todo o louvor soberania e graça gratuita de Deus, em
caiu do céu no coração de Mateus e o e glória de nossa salvação à graça so- demonstrar misericórdia àquele para
transformou. Ele sentiu o aroma da Rosa berana, eficaz e gratuita de Jeová. Um quem Ele quer expressar misericórdia,
de Sarom. O que significava o mundo falecido teólogo disse: “Deus ficou tão e a absoluta dependência do homem
agora para ele? Mateus não se importa- irado por Herodes não lhe haver dado quanto às operações do Espírito Santo
va mais com os lucros, os prazeres e os glória, que o anjo do Senhor feriu ime- têm sido para mim, frequentemente,
louvores do mundo. Em Cristo, ele viu diatamente a Herodes, que teve uma doutrinas gloriosas e agradáveis. Estas
aquilo que é mais agradável e melhor morte horrível. Ele foi comido por ver- doutrinas têm sido o meu grande delei-
do que todas essas coisas do mundo. mes e expirou. Ora, se é pecaminoso um te. A soberania de Deus parece-me uma
Mateus se levantou e seguiu a Jesus. homem tomar para si mesmo a glória enorme parte de sua glória. Tenho sen-
Aprendamos que uma simples pala- de uma graça tal como a eloquência, tido deleite constante em aproximar-
vra pode ser abençoadora à salvação quão mais pecaminoso é um homem me de Deus e adorá-Lo como um Deus
de almas preciosas. Frequentemente tomar para si a glória da graça divina, soberano, rogando-Lhe misericórdia
somos tentados a pensar que tem de a própria imagem de Deus, que é o dom soberana”.
haver algum argumento profundo e mais glorioso, excelente e precioso de Ao sentir-me à graça um grande devedor
lógico para trazer as pessoas a Cristo. Deus?” Quantas vezes o apóstolo Paulo Sou constrangido sempre, a todo instante!
Na maioria das vezes colocamos nossa insiste, em Efésios 1, que somos sal- Que esta graça, com algemas, meu Senhor,
confiança em palavras altissonantes. vos pela graça imerecida e gratuita? E Prenda somente a Ti meu coração hesi-
No entanto, a simples exposição de como João atribui toda a glória da sal- tante.
Cristo aplicada ao coração pelo Espíri- vação à graça gratuita do Senhor Jesus Robert Murray M’Cheyne (1813-1843) foi ministro
to Santo vivifica, ilumina e salva. “Não — “Àquele que nos ama, e, pelo seu san- de St Peter’s Church Dundee, Escócia (1836-1843).
Foi um piedoso pastor evangélico e evangelista
por força nem por poder, mas pelo meu gue, nos libertou dos nossos pecados... com grande amor pelas almas.

Confissão Belga
Artigo XV → O Pecado Original

I. Cremos que, pela desobediência de Adão, o pecado original se estendeu por todo o gênero humanol.
Este pecado é uma depravação de toda a natureza humana2 e um mal hereditário, com que até as crianças
no ventre de suas mães estão contaminadas3. É a raiz que produz no homem todo tipo de pecado. por
isso, é tão repugnante e abominável diante de Deus que é suficiente para condenar o gênero humano4.

Nem pelo batismo o pecado original é totalmente anulado ou destruído, porque o pecado sempre jorra
desta depravação como água corrente de uma fonte contaminada5. 0 pecado original, porém, não é atri-
buído aos filhos de Deus para condená-los, mas é perdoado pela graça e misericórdia de Deus6. Isto não
quer dizer que eles podem continuar descuidadamente numa vida pecaminosa. Pelo contrário, os fiéis,
conscientes desta depravação, devem aspirar a livrar-se do corpo dominado pela morte (Romanos 7:24).

Neste ponto rejeitamos o erro do pelagianismo, que diz que o pecado é somente uma questão de imitação.

1 Rm 5:12-14,19. 2 Rm 3:10. 3 Jó 14:4; Sl 51:5; Jo 3:6. 4 Ef 2:3. 5 Rm 7:18,19. 6 Ef 2:4,5.

18 Revista Os Puritanos – 3, 2010


Os Desejos do Homem
e o Novo Nascimento
““Uma pessoa só pode receber o que lhe é dado dos céus” (João 3:27)

Por John Hendryx “O homem bom tira coisas boas do bom tesouro que está em
seu coração, e o homem mau tira coisas más do mal que
“Tendo Deus ressuscitado o seu Servo, enviou-o primeira- está em seu coração, porque a sua boca fala do que está
mente a vocês, para abençoá-los, convertendo cada um de cheio o coração.” (Lucas 6:45)
vocês das suas maldades.” (Atos 3:26)
“Uma pessoa só pode receber o que lhe é dado dos céus.” O que Jesus diz aqui é claro – a água não corre contra
(João 3:27) a correnteza. Nossa decisão de dizer algo bom ou ruim

F
requentemente me pego debatendo com cristãos é somente determinada pela condição de nosso coração.
que acreditam que homem e Deus têm papéis Há uma gande evidência para o mesmo conceito em
iguais na regeneração (sinergistas) e que nossa Mateus 7:18.
escolha é o sine qua non do novo nascimento. Eles ar- “A árvore boa não pode dar frutos ruins, nem a árvore ruim
gumentam que Deus dá a todos a graça preveniente, pode dar frutos bons.”
mas o homem pode exercer seu livre-arbítrio autônomo
para fazer a graça eficaz. Estes cristãos ensinam que o Aqui, Jesus está ensinando que é a natureza da ár-
homem escolhe a Cristo apesar de seus desejos e isso é vore que determina o que virá dela. Somente aquele
o que faz sua vontade livre. Escolher algo diferente de que tem uma boa natureza é capaz de criar um pensa-
seus desejos constitui verdadeira liberdade para eles, já mento correto, gerar uma afeição correta, ou originar
que a liberdade está acima e é independente de todas uma volição correta. Jesus martela novamente o mesmo
as outras influências. Mas é isto o que a Bíblia ensina? conceito nos judeus incrédulos, quando discute se eles
O primeiro alvo deste texto é provar pelas Escrituras são ou não descendentes de Abraão:
que nós sempre escolhemos o que nós queremos (de- “Por que a minha linguagem não é clara para vocês? Porque
sejamos) mais e que isso é baseado em nossa natureza. são incapazes de ouvir o que eu digo. Vocês pertencem ao
Nós escolhemos alguma coisa porque nós a desejamos. pai de vocês, o Diabo, e querem realizar o desejo dele. Ele
Em outras palavras, nós acreditamos em Jesus porque foi homicida desde o princípio e não se apegou à verdade,
nosso desejo por Cristo se torna maior que nosso desejo pois não há verdade nele. Quando mente, fala a sua própria
pelo pecado. O segundo alvo é explorar de onde esse de- língua, pois é mentiroso e pai da mentira (...) Aquele que
sejo vem. Ele vem de nossa natureza degenerada (como pertence a Deus ouve o que Deus diz. Vocês não o ouvem
os sinergistas crêem) ou ele é um dom incondicional de porque não pertencem a Deus”. (João 8:43,44,47)
Deus? Meus amigos sinergistas dizem que, utilizando a
graça de Deus, apesar de nossos desejos, nossa vontade Na passagem acima, os judeus não puderam ouvir a
autônoma definitivamente determinará nosso destino palavra de Deus porque eles pertenciam ao diabo (suas
final. Eu argumentarei porque essa posição é fatal para naturezas) e isso aumentou suas vontades de fazer o
seu sistema teológico inteiro. que desejavam. Suas naturezas os tornaram moralmen-
te impotentes para ouvir as palavras de Jesus. Mais tar-
Nós Escolhemos O Que Nós Desejamos Mais de, Jesus ensina que antes de alguém ouvir as palavras
Vamos começar com alguns textos bíblicos que ensinam de Deus, ele deve ser de Deus. Em outras palavras, uma
que nossa natureza determina nossos desejos e nossos pessoa não entenderá o evangelho enquanto permane-
desejos determinam nossas escolhas. Cristo diz: cer em seu estado degenerado e decaído.

3, 2010 –
­ Revista Os Puritanos 19
John Hendryx

Deus Exige Perfeição te física de Adão e seus descendentes pressa nada de forma indicativa. Nesta
Na história do jovem rico, Jesus o ensi- (Gn 2:17) existem muitos outros proble- passagem o que nós “deveríamos” fazer
na que se ele obedecer todos os man- mas com a natureza do homem em seu não implica necessariamente que nós
damentos, ele terá a vida eterna. Todos estado decaído, incluindo sua incapaci- “podemos” fazer. Os dez mandamentos,
nós sabemos que esta história foi con- dade de entender Deus (Salmos 50:21; da mesma forma, fala do que nós de-
tada para expor nossa inabilidade de Jó 11:7,8; Rm 3:11); ver coisas espiri- veríamos fazer mas eles não implicam
cumprir tudo isso. Mas o jovem (equivo- tuais (Jo 3:3); conhecer seu próprio co- que nós temos a habilidade moral de
cadamente) confiava que ele guardou ração (Jr 17:9); direcionar os próprios cumprí-los. Os mandamentos de Deus
tudo desde sua juventude. Jesus, conhe- passos no caminho da vida (Jr 10:23; nunca serviram para nos fortalecer,
cendo seu coração e onde ele vacilaria, Pv 14:12); libertar a si mesmo da mal- mas para arrancar nossa confiança
ordena que o rapaz venda todas suas dição da Lei (Gl 3:10); receber o Espírito em nossas próprias capacidades de tal
posses, dê aos pobres e o siga. Em ou- Santo (Jo 14:17); nascer por si só na forma que seria o fim de nós mesmos.
tras palavras, Jesus lhe disse que o arre- família de Deus (Jo 1:13; Rm 9:15,16); Com uma clareza pungente, Paulo en-
pendimento de sua ganância e a fé em produzir arrependimento e fé em Jesus sina que este é o intento da legislação
Cristo eram onde ele ainda falhava. Mas Cristo (Ef 2:8,9; Jo 6:64.65; 2 Ts 3:2; Fp divina (Rm 3:20, 5:20; Gl 3:19,24). Se
ele se afastou entristecido. Jesus então 1:29; 2 Tm 2:25); ir a Cristo (Jo 10:26; alguém está tentado a argumentar que
diz a seus discípulos que é mais difícil Jo 6:44); e agradar a Deus (Rm 8:5,8,9). essa crença é meramente um convite, e
que um homem rico entre no Paraíso Estas conseqüências da desobediência não um mandamento, leia 1 João 3:23:
que um camelo passar por um buraco de Adão em seus descendentes são o “E este é o seu mandamento: que creia-
de agulha. “Quem então poderá ser sal- que os teólogos frequentemente se re- mos no nome de seu Filho Jesus Cris-
vo?”, os discípulos perguntam, sabendo ferem como a total depravação do ho- to...”. Então, eu creio que aqueles que
que Jesus está dizendo que o caminho mem. Sem uma mudança de disposição, sustentam a idéia de que Deus ordena
para o céu está fechado a todos os ho- o amor de Deus e Sua lei não é a mais aos homens decaídos e degenerados a
mens – um padrão santo que ninguém profunda motivação e princípio do ho- fazerem algo que já são capazes de fazê-
poderia alcançar. A resposta que Jesus mem natural. lo estão impondo uma teoria antibíblica
dá é “Para o homem é impossível [arre- no texto. Um mandamento ou convite
pendimento e fé], mas para Deus todas O Que Tudo Isso Tem a Ver com com uma afirmação abertamente hipo-
as coisas são possíveis”. A natureza do João 3:16? tética , como João 3:16 faz não implica
jovem não poderia se colocar acima de Sinergistas frequentemente me dizem: na capacidade de cumprí-lo. Isto é es-
seus desejos e Jesus diz que isso é im- “Predestinacionistas acreditam em um pecialmente verdadeiro à luz de textos
possível para todos os homens. Apenas Deus que requer mais do que Ele ca- como Jo 1:13, Rm 9:16, Jo 6:37, 44,
Deus tem a capacidade de fazer isto. A pacita ou permite os homens alcança- 63-65, Mt 5:16-16, 1 Co 2:14 e muitos
Bíblia é recheada com exemplos assim. rem. Este é o tipo de Deus em quem outros que mostram a incapacidade
É realmente um mito que o homem em eles acreditam”. Nisto eles estão par- moral do homem no estado decaído em
seu estado natural está genuinamente cialmente corretos, mas a falha está crer no Evangelho. Em nosa natureza
buscando a Deus. Homens podem pro- no homem, não em Deus... porque a não-regenerada nós não podemos fazer
curar um deus, mas eles não procuram natureza de Deus nunca mudou, mas nada a não ser amar as trevas e nunca
o verdadeiro Deus, revelado nas Escri- a nossa muda. A Lei de Deus é perfeita nos aproximarmos da luz.
turas. Exceto pelo novo nascimento, porque Ele é perfeito. Ele não pode di-
ninguém vem à luz do verdadeiro Deus, minuir Seus padrões por nós ou Ele não Na Cruz Deus Nos Dá o que Ele
a verdade é suprimida pela desobedi- mais seria Deus. Por esta razão, Deus Exige de Nós
ência. teve um propósito específico em exigir Como isso pode ser boa-nova se os
A Bíblia, por esta razão, ensina além perfeição moral em nós e isso inclui o homens nunca se encontrarão natural-
de qualquer dúvida que nós agimos ou mandamento de crer em Cristo. Decla- mente desejando se subtmeter em fé
escolhemos de acordo com nosso maior rações bíblicas como “se tu o buscares” aos humilhantes termos do Evangelho
desejo, que é baseado é nossa natureza. e “todo aquele que nele crer” como em de Cristo? (Rm 3:11; Jo 6:64,65; 2 Ts
Jesus, como notamos acima, ensina que João 3:16 estão num modo hipotético. 3:2). Porque Deus nos deu graciosa-
é impossível ser de outra forma. Mais Um gramático explicaria que há uma mente o que Ele exige de nós. No evan-
ainda, como uma conseqüência da mor- declaração condicional, que não ex- gelho, Deus nos revela a mesma justiça

20 Revista Os Puritanos – 3, 2010


Desejos do Homem e Novo Nascimento

e fé que Ele exige de nós. O que nós não participamos ativamente de qual-
deveríamos ter, mas não poderíamos quer nascimento com nossos esforços.
criar ou alcançar ou cumprir, Deus nos O Espírito é semlhante ao vento nesta
garante livremente, como é chamada, a passagem, que não se sabe se está indo
justiça de Deus (2 Co 5:21) e a fé de Nossa decisão de ou vindo – assim é todo aquele nascido
Cristo. Ele revela, como um dom em em espírito. O trabalho do Espírito é
Cristo Jesus, a fé e a justiça que antes dizer algo bom ou soberano e sobrenatural. Assim como
era somente uma exigência. Fé não é um cego não enxergará se você lançar
algo com que o pecador contribui para ruim é somente uma luz nos seus olhos, ordenando a
pagar o preço de Sua salvação. Jesus já ele tudo que você quiser. Não é de luz
pagou todo o preço por nós. Fé é nosso determinada que ele precisa, mas de um novo par de
primeiro fôlego na respiração de nosso olhos. É assim que o novo nascimento
novo nascimento, antes de falar. É uma pela condição de parece. Antes da regeneração, Satanás
testemunha da obra da graça de Deus nos tornou cativos de sua vontade. Ele
que tomou seu lugar dentro de nós (Ef nosso coração. nos cegou para a verdade. Nós devemos
2:5,8; 2 Tm 2:25). ser libertos de nossos próprios desejos
Romanos 3:11,12 diz “não há nin- e o cativo somente é completamente
guém que busque a Deus, ninguém” e livre pelo dedo de Deus através do tra-
1 Co 2:14 diz que o homem natural não balho final de Cristo.
consegue entender as coisas do Espírito, Em João 3:19-20, no mesmo contex-
que são loucura para ele e não é pos- "eu creio que os homens podem serem to de 3:16 (três versos depois), Jesus
sível que sejam aceitas porque devem salvos se eles quiserem." Meu querido qualifica Seu “todo aquele que crê” com
ser discernidas espiritualmente. Mesmo senhor, de modo algum é esta a questão. a seguinte afirmação: “Este é o julga-
Pedro teve de ser revelado pelo Pai que A questão é: os homens alguma vez são mento: a luz veio ao mundo, mas os
Jesus era o Cristo. Os arminianos e nós encontrados naturalmente dispostos a homens amaram as trevas, e não a luz,
concordamos que “todo aquele que crer” submeterem-se aos termos humilhan- porque as suas obras eram más. Quem
tem a vida eterna, mas a questão vai tes do evangelho de Cristo? Declaramos, pratica o mal odeia a luz e não se apro-
além disso – o que leva alguém a crer? sob a autoridade das Escrituras, que o xima da luz, temendo que as suas obras
C.H. Spurgeon, em seu sermão In- homem está tão desesperadamente em sejam manifestas”. (Isto é para todos
capacidade Humana expõe isso com ruína, tão depravado, e tão inclinado a nós anterior à regeneração)
grande clareza: tudo o que é mal, e tão oposto a tudo Mas todos nós sabemos que alguns
"Oh", diz o Arminiano, "os homens po- o que é bom, que sem a poderosa, so- virão para a luz. Leia o que João 3:20-
dem serem salvos se quiserem." Nós re- brenatural e irresistível influência do 21 diz sobre eles. “Mas quem pratica a
plicamos: "Meu querido senhor, todos Espírito Santo, nenhum ser humano verdade vem para a luz, a fim de que
nós cremos nisto; mas é precisamente quererá jamais ser constrangido para seja manifesto que as suas obras são
no se eles quiserem onde está a dificul- Cristo. Você replica, que os homens al- feitas em Deus”. Então, veja que existe
dade. Afirmamos que ninguém quer vir gumas vezes estão desejosos, sem a aju- aqueles que vêm para a luz; e suas obras
a Cristo, a menos que ele seja trazido; da do Espírito Santo. Eu respondo: Você são o trabalho de Deus. “Feitas em Deus”
pelo contrário, nós não afirmamos isto, encontrou alguma vez alguma pessoa significa trabalhado em e por Deus. A
mas o próprio Cristo o declara: "Mas que estivesse ? não ser pelo gracioso trabalho divi-
não quereis vir a mim para terdes vida"; Eu argumentaria que este é o porquê no de regeneração, todos os homens
e enquanto este "não quereis" perma- de Jesus enfatizar o novo nascimento odeiam a luz de Deus e não irão até ela.
necer registrado na Santa Escritura, durante toda a passagem de João 3. Ni- Ao invés de balançar nossas cabeças
não seremos inclinados a crer em qual- codemos não podia entender a lingua- para o versículo que se encaixa em nos-
quer doutrina da liberdade da vontade gem de Jesus: “O que nasce da carne é so sistema particular de teologia, nós
humana. É estranho como as pessoas, carne, mas o que nasce do Espírito é devemos interpretar escritura com es-
quando falam sobre o livre-arbítrio, dis- espírito”. Assim como somos passivos critura, especialmente no contexto da
cutem de coisas que eles não tem ne- em nosso nascimento físico, também passagem. Agora que nós vimos João 3
nhum entendimento. "Ora", diz alguém, no nascimento espiritual o somos. Nós por completo, o verdadeiro significado

3, 2010 –
­ Revista Os Puritanos 21
John Hendryx

do texto se torna claro. João 1:10-12 é nhuma resistência existe, porque nós salvos pela graça, por meio da fé, e isto
também um dos favoritos dos sinergis- não desejaremos resistir. Nossas no- não vem de vocês, é dom de Deus” (Ef
tas quando anunciam o evangelho: vas naturezas vivificadas pelo Espírito 2:8). Pior ainda, os sinergistas ensinam
“Aquele que é a Palavra estava no mundo, Santo têm novos desejos e disposições, que Deus tem misericórdia de nós quan-
e o mundo foi feito por intermédio dele, que não poderíamos produzir por nós do, a partir da graça regenerativa, nós
mas o mundo não o reconheceu. Veio mesmos. Se o Senhor abriu o coração acreditamos, queremos e desejamos,
para o que era seu, mas os seus não o re- de Lídia para ela atender à mensagem e mas não confessam que é através do
ceberam. Contudo, aos que o receberam, ela resistisse, isto seria uma afirmação trabalho e inspiração do Espírito Santo
aos que creram em seu nome, deu-lhes contraditória. Note que Deus abriu seu em nós que teremos a fé, a vontade ou
o direito de se tornarem filhos de Deus” coração para “atender à mensagem”. Se força para fazer todas estas coisas. Se
Deus desarmou a hostilidade de Lídia eles fazem a ajuda da graça depender
Grande passagem, eu também adoro de forma que ela creria, então não de- de nossa humildade ou obediência, mas
usar estes versos, mas nós não podemos veria haver mais debates de como Ele não concordam que é um dom da pró-
parar aqui. Nós precisamos reconhecer faz com todos aqueles que têm fé. Ape- pria graça que nós sejamos obedientes
que devemos adicionar a qualidade do sar do fato de nós termos uma crença e humildes, eles contradizem a Bíblia,
verso 13: real em nós mesmos, pelo esquema que diz “O que você tem que não tenha
“os quais não nasceram por descendência sinergista, no entanto, o homem volta recebido?” (1 Co 4:7) e “Mas, pela graça
natural, nem pela vontade da carne nem sua afeição e fé para Deus enquanto de Deus, sou o que sou” (1 Co 15:10).
pela vontade de algum homem, mas nas- ainda está em sua caída e degenerada Então vamos perguntar a nossos
ceram de Deus”. (João 1:13). condição de coração petrificado. Mas amigos sinergistas porque um homem
o homem deve primeiro ter uma nova crê e outro não?
Eu acho estranho muitos deixa- natureza para crer – ou seja, a Escritu- Pelo esquema arminiano, Deus dá ao
rem esse versículo de fora de sua ra ensina que o homem sem o Espírito homem graça suficiente para colocá-lo
evangelização: todos os versículos ca- não deseja, entende, tampouco é capaz numa posição de decidir por sim mes-
minham juntos. Isso repete um tema de obedecer ou se voltar a Deus (1 Co mo se irá ou não crer. Então um homem
constante nas Escrituras: que nós 2:14, Rm 8:7, Rm 3:11). Se nós iremos será mais inteligente, mais sábio e mais
somos ordenados a nos arrepender e acreditar, Deus deve primeiramente humilde? Se este fosse o caso, Deus nos
crer no evangelho, mas adicionalmente, transformar nosso coração de pedra salvaria com base na personalidade ge-
que nós somos moralmente incapazes em um coração de carne: rada por nós mesmos e não pela graça.
de fazer tanto sem o eficaz trabalho do “Darei a vocês um coração novo e porei um Pergunte a eles como seus olhos se vol-
Espírito Santo. A oferta de “todo aquele espírito novo em vocês; tirarei de vocês o taram a Deus. Um homem usa a graça
que nele crer” é para todos os homens coração de pedra e lhes darei um coração dada a ele e outro não. O que no homem
e verdadeiramente oferecida a todos os de carne. Porei o meu Espírito em vocês determina sua escolha e por quê? Isso
homens, mas nenhum homem natural e os levarei a agirem segundo os meus nos deixa com salvação pelo mérito,
deseja a Deus. TODOS rejeitam este decretos e a obedecerem fielmente às desde que um homem que tem pensa-
dom, mas o que nós não podemos fa- minhas leis.” (Ezequiel 36:26,27) mentos e afeições por Deus O escolhe
zer por nós mesmos, Deus faz por nós. enquanto o outro não. Não já provamos
Aqueles que vêm a Deus dão glórias a Sinergistas acreditam que o grande que as Escrituras ensinam que fazemos
Ele porque Ele tem preparado seu co- desejo por fé, pelo qual nós creremos no nossas escolhas baseados no que mais
ração, dando-lhes um desejo por Cristo Deus que justifica pecadores, pertence desejamos? Onde o homem conseguiu
que é maior que o desejo de perma- a nós por natureza e não por um dom da sabedoria e inclinação a Deus, enquan-
necer no pecado. Isto é o que Ele fez graça, que está, pela inspiração do Espí- to o outro permaneceu endurecido?
por Lídia através da pregação de Paulo, rito Santo, aumentando nossa vontade Como um homem criou um pensamen-
no livro de Atos: “O Senhor abriu seu e tirando ela da descrença para fé e da to reto, afeição reta, ou originou volição
coração para atender à mensagem de falta de Deus para Deus. Mas o Apósto- reta? Se não veio de seus desejos, então
Paulo”. O que aconteceu a Lídia é o que lo Paulo diz: “Estou convencido de que veio de onde? As escolhas são baseadas
acontece a todo aquele que vem para a aquele que começou boa obra em vocês, no que nós somos. Um homem natural
fé em Cristo. Se o Senhor abrir nosso vai completá-la até o dia de Cristo Jesus” nunca escolheria a Deus por si mesmo
coração, nós desejaremos crer, e ne- (Fl 1:6). E novamente, “Pois vocês são sem a graça regenerativa. Então Deus

22 Revista Os Puritanos – 3, 2010


Desejos do Homem e Novo Nascimento

sobrenaturalmente enxerta a obra re- deixa cada pessoa decidir por elas mes- “‘O Espírito dá vida; a carne não pro-
generativa do espírito ao despertar a mas enquanto ainda estão em sua natu- duz nada que se aproveite. As palavras
fé de Seus eleitos. reza decaída. O homem em seu estado que eu lhes disse são espírito e vida.
não-regenerado decide baseado em um Contudo, há alguns de vocês que não
Então, porque alguns homens princípio dentro dele. Nossa vontade crêem” (...) E prosseguiu: ‘É por isso que
rejeitam a Deus? por si só não é autônoma, mas contro- eu lhes disse que ninguém pode vir a
Resposta muito simples: Porque eles lada por quem somos naturalmente. mim, a não ser que isto lhe seja dado
são malignos. “Ele fará uso de todas as Nós nunca escolhemos o que nós não pelo Pai’” (João 6:63-65).
formas de engano da injustiça para os queremos ou odiamos. Em nosso esta- Concluindo, minha oração é que a
que estão perecendo, porquanto rejei- do degenerado nós ainda somos hostis igreja do século XXI finalmente apren-
taram o amor à verdade que os poderia com Deus, amamos as trevas e somos da a doutrina “somente pela graça” cor-
salvar” (2 Ts 2:10). Eles odeiam a Deus cegos pelo diabo, tomados cativos para retamente. Oh! Que nós entendamos a
e não O querem, como toda pessoa sem fazer a vontade dele, e não desejamos pobreza da condição do homem perdi-
o Espírito. Cristo diz “vocês não crêem, ou queremos coisas espirituais. do e a glória da misericórdia e graça
porque não são minhas ovelhas”. Jesus Se a graça preveniente dos armi- divinas, e que não nos preocupemos em
claramente mostra que a natureza da nianos somente faz o coração neutro, proclamá-los. Acredito que percorrere-
pessoa determina as escolhas que faz. como eles admitem, então o homem mos um longo caminho parar criarmos
Ele não diz “vocês não crêem, por isso não é motivado nem desmotivado para uma postura de adoração que dê com-
não são minhas ovelhas” . Não, Ele diz crer ou descrer – conseqüentemente a pleta honra a Deus, em que Seu povo
“vocês não são minhas ovelhas, (POR única opção é pelo acaso que alguém terá pensamentos corretos sobre Ele
ISSO) vocês não crêem”. A Bíblia afirma creia ou não. Eles irão argumentar ar- e alcançará um estágio de verdadeiro
claramente porque alguns crêem e ou- dentemente contra isso mas não encon- reavivamento. Esta tem sido uma longa
tros não. Nossa natureza determina nos- trarão outra alternativa bíblica. Nossa batalha desenhada através da história
sas escolhas. Descrença é conseqüência escolha, qual seja, é baseada em nosso da igreja (Agostinho/Pelágio, Lutero/
da maldade, segundo as Escrituras. Crer caráter interior, não pelo acaso. Um ho- Erasmo, Calvino/Armínio, Wesley/
é conseqüência da misericordiosa mu- mem escolhe e o outro não, porque um Whitefield), mas eu permaneço muito
dança na disposição do coração (em foi renovado pelo gracioso trabalho de otimista quanto ao futuro crescimento
direção a Deus) através da rápida ação Deus. Apenas isso dá toda glória a Deus do reino de Deus.
do Espírito Santo. O esquema sinergista pela salvação. John Hendryx

Catecismo de Heidelberg
DOMINGO 3
Pergunta 6: Mas Deus criou o homem tão mau e perverso?
R. Não, Deus criou o homem bom1 e à sua imagem2 , isto é, em verdadeira justiça e santidade, para
conhecer corretamente a Deus seu Criador, amá-Lo de todo o coração e viver com Ele em eterna felici-
dade, para louvá-Lo e glorificá-Lo3.

Pergunta 7: De onde vem, então, esta natureza corrompida do homem?


R. Da queda e desobediência de nossos primeiros pais, Adão e Eva, no paraíso1 . Ali, nossa natureza
tornou-se tão envenenada, que todos nós somos concebidos e nascidos em pecado2 .
1. Gn 1:31. 2. Gn 1:26,27. 3. 2Co 3:18; Ef 4:24; Cl 3:10; 1Gn 3; Rm 5:12,18,19. 2Sl 51:5; Jo 3:6.

3, 2010 –
­ Revista Os Puritanos 23
Inocentes Pequeninos
“Desviam-se os ímpios desde a sua concepção; nascem e já se desencaminham,
proferindo mentiras” (Salmos 58.3)

Dr. Sinclair B. Ferguson Não é assim, de acordo com as Escrituras: “Desviam-


se os ímpios desde a sua concepção; nascem e já se desen-

A
o final do dia, quando nossos filhos ainda eram caminham, proferindo mentiras” (Salmos 58.3), insiste
pequenos, eu costumava observá-los enquan- o salmista. No entanto, até mesmo se essas palavras se
to dormiam: estavam lá, respirando quase im- referissem apenas a algumas pessoas, lutaríamos para
perceptivelmente, relaxados no seu sossego, curtindo minimizar o ensino de Davi, de que o fruto do pecado
o “sono da inocência”. Esta é a impressão do homem vem desde a raiz. A Bíblia diz que nós pecamos porque
natural (e especialmente de um pai), que só enxerga nossa natureza é corrompida. Assim como esta verda-
aquilo que está diante de seus olhos (1 Sm 16.7). Mas, de é aplicável ao ímpio, foi aplicada a Davi. Foi isso
que dizer do coração dessas crianças? que Deus mostrou a Davi, ao usar o profeta Natã para
Usando as lentes da Bíblia, passamos a ver uma rea- repreendê-lo por causa de seu adultério com Bateseba
lidade mais sinistra: nossos filhos podem ser ingênuos, e do assassinato de Urias (2 Sm 11-12; conf. Sl 51.5).
mas jamais inocentes. Assim como todos os homens, Esse ensino não se trata de uma desculpa para as
eles são culpados e depravados. Como Robert Murray transgressões; é antes uma confissão de pecado. A
McCheyne escreveu certa vez, mesmo nessa idade a transgressão de Davi não foi um erro de percurso numa
semente de todo tipo de pecado já está plantada em vida regrada, mas a expressão de um coração que era
seus corações. inerentemente doentio.
A verdade não se resume à possibilidade de nossas Como isso pode acontecer? Paulo responde a esta
crianças se desviarem espiritual e moralmente, caso al- pergunta em Rm 5.12-21, ao tratar da unidade da raça
guma coisa saia errado; muito pior que isso é a tendência humana em Adão. O pecado entrou no mundo por meio
para seguir esse caminho tortuoso, que já veio plantada dele e, como conseqüência, a morte também veio. Todos
nelas. A única coisa que falta para o trágico desfecho é pecaram em Adão, pois ele era o representante de toda
elas darem vazão aos seus desejos carnais. A teologia a humanidade.
reformada faz uso do termo “depravação total” para se A prova dessa realidade é observada no fato de que a
referir a essa realidade. Como Louis Berkhoff expressou, morte alcança a todos e reina sobre todos. Paulo acres-
essa depravação é: “(1)... uma corrupção inerente que se centa: “entretanto, reinou a morte desde Adão até Moisés,
estende a cada parte... da natureza [humana], a todas as mesmo sobre aqueles que não pecaram à semelhança da
faculdades e capacidades, tanto da alma como do corpo; morte de Adão, o qual prefigurava aquele que havia de
e (2) que não há nenhum bem espiritual... no pecador, vir” (Rm 5.14); isto é, aqueles que não tinham recebido
mas somente perversão” (Systematic Theology, p. 247). a revelação especial/verbal da vontade de Deus.
A depravação total de nossos filhos é uma doutrina Paulo pode não estar pensando aqui exclusivamente
que exige fé nas Escrituras. Nossos instintos naturais dos infantes; entretanto, nenhuma classe de pessoas
nos levam a olhar para os recém-nascidos como “tábu- ilustra tão claramente esta terrível consequência da
as rasas” morais e espirituais; como folhas em branco, queda como fazem as crianças que morrem antes de
prontas para que se escreva nelas uma vida de sucesso. serem capazes de compreender os desígnios de Deus.
E, ao que normalmente presumimos, essas páginas po- Por que isso acontece? Definitivamente, porque a
dem até ser manchadas, mas na sua essência sempre morte nos vem como a herança que nosso represen-
serão brancas. tante (Adão) catastroficamente nos legou após a queda,

24 Revista Os Puritanos – 3, 2010


Inocentes Pequeninos

e não simplesmente como resultado de da santidade. Levando-se em conta que meta o erro de presumir que os filhos da
causas naturais. Isto é o que os cristãos a situação é mais complicada pelo fato aliança não precisam se arrepender e
primitivos sabiamente ensinavam aos de que nós, os pais, somos também crer no Evangelho. Aliás, no batismo, re-
seus filhos: “Na queda de Adão, todos pecadores, é necessário que constante- conhecemos a necessidade da lavagem
nós pecamos”. Por sua desobediência, mente recorramos aos ensinamentos e da regeneração e colocamos nossos fi-
todos nós também nos tornamos pe- diretrizes da Escritura. Eis alguns deles: lhos sob as obrigações da Aliança: arre-
cadores (Rm 5.19). Como resultado de Reconheça que, espiritualmente fa- pendimento dos pecados e fé em Jesus
descendermos dele, compartilhamos de lando, seus filhos são versões em minia-
Cristo durante toda a vida. Quando eles
sua depravação desde os primeiros mo- tura de você mesmo. Aprenda a pensar
cometerem pecados repugnantes, nun-
mentos de nossa existência. Nós somos mais em termos de Adão e Cristo, pe-
ca se esqueça de que a graça que há
imperfeitos desde a nossa concepção. cado e graça. Isso por si só o ajudará a
em Cristo é maior que a transgressão
Num mundo que segue à deriva no perceber por que Deus lhe deu o man-
do seu coração somada à dos corações
mar da confusão moral e espiritual dos damento de não irritá-los (Ef 4.4).
deles. Por causa de Cristo, há sempre
pais, a doutrina da depravação total de Ao educar seus filhos, não cometa o
um recomeço, até mesmo para aqueles
nossos filhos é verdadeiramente uma erro de endeusá-los (por seguir o prin-
importante âncora. Os pais que com- cípio do “é proibido proibir”) ou de se cujo estilo de vida era a expressão má-
preendem seu significado reconhecem auto-endeusar (ao dizer consigo mes- xima de um coração depravado. Isso foi
a sabedoria divina, mesmo quando Sua mo: “terei muito orgulho dele/dela”). o que Mônica descobriu após anos de
vontade é exposta da forma mais crua. Em vez disso, esforce-se para conduzi- intercessão por seu filho Agostinho.
Também reconhecem a importância de los no caminho da santidade, auxiliado Afinal de contas, “alguns de vocês
ensinar a lei de Deus no contexto da pela graça de Deus. eram assim” (1 Co 6.11) , mas encon-
graça doada em Cristo por meio do Es- Leve a sério a promessa da Palavra traram a graça por meio de Cristo.
pírito Santo. de Deus, de que Ele será o seu Deus e
Deus não nos deu anjos, mas peca- o Deus dos seus filhos. Entretanto, se
Tradução livre do inglês por Dawson Campos de
dores, para nos aperfeiçoar no caminho você aceita o batismo infantil, não co- Lima – Janeiro/02

Catecismo Maior de Westminster


Pergunta 26: Como é o pecado original transmitido de nossos primeiros

pais à sua posteridade?

R. O pecado original é transmitido de nossos primeiros pais à sua posteridade por geração natural, de

maneira que todos os que assim procedem deles são concebidos e nascidos em pecado.

Pergunta 27: Qual é a miséria que a queda trouxe sobre o gênero humano?

R. A queda trouxe sobre o gênero humano a perda da comunhão com Deus, o seu desagrado e maldi-

ção; de modo que somos por natureza filhos da ira, escravos de Satanás e justamente expostos a todas

as punições, neste mundo e no vindouro.

26: Ref. Sal 51:15; João 3:6.; 27: Gen. 3:8, 24; Ef. 2:2-3; 11 Tim. 2:26; Luc. 11:21-22; Heb. 2:14; Lam. 3:39; Rom. 6:23; Mat. 25:41, 46.

3, 2010 –
­ Revista Os Puritanos 25
Um Auto-Exame Honesto
“Examinai-vos a vós mesmos se realmente estais na fé; provai-vos a vós
mesmos. Ou não reconheceis que Jesus Cristo está em vós?” (II Co. 13:5)

A. N. Martin obra de Jesus Cristo e mais nada. E, se ficasse claro


para ele que eles não pensavam de nenhuma forma

C
reio que o nosso medo de um auto exame ob- diferente, que eram aceitos por suas virtudes, pelo seu
sessivo, manteve muitos de nós de círculos re- arrependimento, suas lágrimas, suas obras, porém so-
formados afastados de um auto exame bíblico mente com base nos méritos de Cristo, então ele lhes
honesto. O que eu quero dizer com auto exame bíblico fazia a segunda pergunta: “O que é que Cristo operou
é uma obediência simples a tais passagens como II Co. em você?” Você sabe o que Ele fez por você, agora a
13.5: “Examinai-vos a vós mesmos se realmente estais minha pergunta é, o que Ele operou em você? Ele fazia
na fé; provai-vos a vós mesmos. Ou não reconheceis esta pergunta porque entendia a existência da terrível
que Jesus Cristo está em vós? Se não é que já estais possibilidade de uma pessoa vir a ter uma compreensão
reprovados”. Obediência à exortação de II Pedro 1.10: intelectual do que Cristo fez pelos pecadores, e ainda
“Procurai com diligência cada vez maior, confirmar a assim ser totalmente estranho à obra poderosa que Ele
vossa vocação e eleição; porquanto, procedendo assim, realizou nos pecadores.
não tropeçareis em tempo algum”. Outras passagens Eu gostaria de propor algumas perguntas para que
semelhantes podem ser encontradas pelo Novo testa- cada um avalie sua própria consciência.
mento afora – “Não vos enganeis; não vos deixeis en- Primeiro: “Você foi trazido ao ponto de enxergar sua
ganar; não se enganem”. Eu falo da prática dessa obri- própria corrupção no pecado, de modo que as primei-
gação bíblica. ras duas bem-aventuranças são verdades para você?”.
Fica óbvio, portanto, como isso se encaixa na impli- As únicas pessoas no mundo que são verdadeiramente
cação do conceito calvinista de Salvação. Visto que as abençoadas são aquelas que foram trabalhadas pelo Es-
Escrituras declaram que todos aqueles que são verda- pírito, de forma que essas proposições não lhe são mais
deiramente salvos são feitura de Deus (Ef. 2;10), então estranhas: “Bem-aventurados são os pobres de espírito,
a pergunta que eu tenho de fazer é: “Será que eu fui o pois deles é o reino dos céus. Bem-aventurados os que
sujeito desta feitura?” A pergunta não diz respeito à choram, pois serão consolados”. Como é que Deus faz
sinceridade da minha decisão, ou da minha resolução, os homens serem verdadeiramente bem-aventurados,
ou seja lá o que for que eu queira chamá-la. A pergunta verdadeiramente felizes? Em primeiro lugar, Ele faz
não é: “O que é que eu fiz com relação a Cristo e a Sua com que eles sintam tristeza ao terem um senso de seu
salvação?” A pergunta essencial é a seguinte: “Fez Deus próprio empobrecimento num estado de pecado. O que
algo em mim?”. A interrogação não deve ser, “Eu aceitei é pobreza de espírito? Seria algum tipo de tentativa
a Cristo?”, mas sim, “Cristo aceitou-me?”. A questão não pseudo-pietista de convencer a mim mesmo que eu sou
é, “Encontrei ao Senhor?”, mas antes, “Ele me achou?”. um verme miserável e um trapo? De jeito nenhum! Po-
Um dos anciãos mestres em Israel costumava fazer breza de espírito é o resultado de apenas ter tido um
duas perguntas àqueles que almejavam ser admitidos vislumbre daquilo que você realmente é, e ver que você
à Santa Ceia do Senhor, ou ao rol de membros da igreja. não é nada e não tem nada e não pode fazer nada, só
Primeiro: “O que fez Cristo por você?” Ele queria ver se isso pode recomendá-lo à graça e ao poder salvador de
eles entendiam a base objetiva sobre a qual Deus rece- Deus; é o resultado da convicção de que Ele poderia
be pecadores. Ele queria ver se eles haviam entendido fazer de você um monumento eterno da Sua ira justa, e
que os homens são aceitos perante Deus com base na deixar você perecer no fogo eterno. Você foi trazido a

26 Revista Os Puritanos – 3, 2010


Um Auto-Exame Completo

um conhecimento experimental disso? unirem ao Seu Filho: Qual é o ponto fo- tereologia calvinista, tocamos na veia
Se não foi, eu duvido que você afirme cal de todos eles? Em última análise, o viva do propósito de Deus de ter um
ser Cristo o seu Salvador, pois Ele disse ponto focal de todos eles, evidentemen- povo santo.
que não veio para chamar o justo, mas te, é a demonstração da glória de Deus, Predestinados para qual fim? “Por-
sim pecadores ao arrependimento. Os da graça de Deus sobre a qual lemos quanto aos que de antemão conheceu,
pobres de espírito foram feitos cons- em Efésios 1; mas olhando o foco ime- também os predestinou para serem
cientes de sua depravação e pecado. diato, como é que essa glória é demons- conformes à imagem de seu filho” (Ro-
É possível ter a doutrina da deprava- trada? Por quais meios? Quando Deus manos 8:29). Se é assim, então eu te-
ção total como um conceito teológico, e toma criaturas totalmente depravadas nho que fazer uma pergunta sobre mim
continuar sendo tão mau, orgulhoso e e faz delas homens e mulheres santas mesmo: o propósito eletivo de Deus
auto-justificado quanto o diabo. Você já em cujas pessoas se pode ver a exata está sendo realizado em mim? Ele me
experimentou um despojamento inte- semelhança do Filho de Deus, qual é escolheu em Cristo a fim de que, tendo
rior que o levou à pobreza de espírito? o alvo da eleição? Efésios 1:4 nos diz: sido comprado no tempo e chamado no
Foi levado a um lamento santo? A um “assim como nos escolheu, nele, antes tempo, possa começar a ser santo no
reconhecimento de que o seu pecado da fundação do mundo, para sermos tempo, e ter esta obra aperfeiçoada na
é contra o Deus soberano? Você já foi santos e irrepreensíveis perante ele”. eternidade. A única certeza que eu te-
trazido ao ponto em que você odeia Ele nos elegeu para que nos gloriásse- nho de que fui comprado para ser san-
tanto o seu pecado a ponto de largá-lo mos em nossa eleição? Não! Antes “... to, e serei aperfeiçoado em santidade,
e juntar-se a Cristo? Um antigo escri- devemos ser santos e irrepreensíveis é que eu esteja buscando a santidade,
tor colocou essa questão de uma forma perante Ele”. É uma eleição para santi- e a esteja buscando aqui e agora. Em
muito bela: “Quando o espírito Santo dade! Qual é o alvo da obra redentora essência, santidade é conformidade
inicia o acorde da graça na vida de de Cristo? Ouça o testemunho de Tito à vontade revelada de Deus em pen-
um homem, ele sempre orienta aquele 2:14: “o qual a si mesmo se deu por nós, samento, palavra e ação, pelo poder
acorde para a nota mais baixa”. Ele co- a fim de remir-nos de toda iniqüidade do Espírito Santo e através da união
meça com a nota mais baixa da convic- e purificar para si mesmo, um povo ex- com Jesus Cristo. Santidade, piedade,
ção, a revelação da nossa necessidade clusivamente seu, zeloso de boas obras”. estas são as evidências de que o Seu
do Salvador. Será que eu já enxerguei Ele morreu para ter um povo santo “ze- propósito eletivo veio a existir e a fru-
que, a menos que Ele inicie a obra, ela loso de boas obras”. tificar e se expressa na obediência. É
jamais será feita? Isso também ocorre com a chama- por isso que João pode dizer em I João
A próxima pergunta que eu faria é da eficaz de Deus, “Fiel é Deus, pelo 2:5: “Aquele, entretanto, que guarda a
a seguinte: “Eu dou evidência do fruto qual fostes chamados à comunhão de Sua Palavra, nele, verdadeiramente tem
da Sua obra?” E qual seria a evidência Seu Filho Jesus Cristo, nosso Senhor” sido aperfeiçoado o amor de Deus”. O
positiva e inegável de que Deus tem tra- (I Cor. 1:9). “Chamados a uma vida de propósito para o qual as pessoas foram
balhado em mim? Eu diria sem medo compartilhar uma comunhão viva e designadas é preenchido naquelas que
algum de contradição, à luz das Santas real com Cristo!” “Porquanto Deus não guardam a Palavra de Deus. Existe clara
Escrituras, que essa evidência é santi- nos chamou para impureza e sim para evidência de que estou experimentan-
dade bíblica. O que conhecemos como santificação” (I Tess.4.7). do comunhão com Jesus Cristo através
os Cinco Pontos do Calvinismo estão E ainda há a preservação e perse- da Sua Palavra? Porque Ele me chamou
revestidos de uma forma negativa e po- verança dos santos. É uma perseve- à comunhão com Ele, e se eu fui chama-
dem ser enganosos de uma certa manei- rança nos caminhos da santidade e do eficazmente então já não sou estra-
ra. No entanto, nós não podemos mudar obediência, pois as Escrituras dizem: nho a um conhecimento experimental
o curso da história, e assim os Cinco “Segui a paz com todos e a santificação, do Senhor.
Pontos do Calvinismo chegaram a nós sem a qual ninguém verá o Senhor” Eu confesso que estou sendo pre-
e temos que aprender a conviver com (Heb.12.14). “Se vós permanecerdes na servado pelo poder mantenedor de
eles. Tome como exemplo os quatro úl- minha palavra, sois verdadeiramente Deus? Então a Sua preservação deve
timos pontos — eleição incondicional, meus discípulos; e conhecereis a ver- transparecer na minha perseverança.
expiação limitada, chamada eficaz de dade, e a verdade vos libertará” (João É a única prova que eu tenho de que
Deus e a perseverança dos santos, de 8:31,32). Assim, onde quer que toque- ele me preserva e que por Sua graça eu
todos aqueles que Ele chamou para se mos qualquer parte da estrutura da so- sou capacitado a perseverar.

3, 2010 –
­ Revista Os Puritanos 27
A. N. Martin

Esta é a implicação prática da sotere- fez a seguinte pergunta: “Sr. Martin, eu Eu jamais vou querer ser um instru-
ologia calvinista. Ela coloca perguntas quero lhe fazer uma pergunta simples. mento inconsciente do diabo a fim de
tais que me trazem ao contexto inteiro O Sr. crê que tem um chamado para desestabilizar a fé de um verdadeiro
de um honesto auto-exame baseado na viajar ao redor do país transtornando filho de Deus, que pode ser como os
Palavra. John Bunyan não poderia es- as pessoas?” Eu respondi: “O meu cha- seguintes personagens de Bunyan: o Sr.
tar mais certo quando escreveu aquela mado não é para sair pelo país afora Prestes a Tropeçar, o Sr. Timidez, ou o
parte na sua obra imortal, O Peregrino, transtornando as pessoas, todavia eu Sr. Consciência Fraca – homens que têm
onde descreve como Cristão e Fiel en- sou chamado a declarar todo conselho problemas com a certeza da salvação e
tram em contato com um homem cha- de Deus; um aspecto a ser considerado que estão em dúvida e têm falhado. Eu
mado Tagarela (Loquaz).1 2 Eu faço um é o princípio de que não é impossível ter jamais gostaria de ser um acusador de
apelo intenso para que leiam cuidado- forma de piedade no uso das palavras irmãos, para destruir ou ferir a fé de um
samente aquele diálogo. Ele mostra o corretas e ainda assim se estar perdido verdadeiro cristão. Mas eu também não
reconhecimento que Bunyan possuía e arruinado e ser um estranho à graça; seria um cachorro mudo, que se cala
sobre a existência da convicção inte- pois a Escritura diz: ‘Porque o reino de sobre a questão de que não basta se ter
lectual de que somente Deus pode sal- Deus não consiste de palavras, mas de herdado uma forma de doutrina, seja
var pecadores, e que a salvação é uma poder’. Paulo disse: ‘O nosso Evangelho ela calvinista ou arminiana. A questão
obra em que Deus salva pecadores, mas não foi pregado em palavra somente, é a seguinte: Se a salvação vem do Se-
a questão real é a seguinte: Será que mas em poder e no Espírito Santo e nhor, será que Ele começou uma obra
houve uma aplicação experimental des- com muita ousadia’. Enquanto Mateus em mim? Eu afirmo que estas doutrinas
sa verdade, com poder, ao meu próprio 7:21-23 estiver nas Sagradas Escrituras, aplicadas ao coração levarão a um auto-
coração e à minha própria vida? e enquanto eu tiver voz, eu continuarei exame bíblico, honesto.
Há mais ou menos um ano, um jo- a proclamar aos ministros e aos minis-
Transcrito do Livro “As Implicações Práticas do Cal-
vem formando de um Seminário veio tros em potencial, e a cristãos professos vinismo”; Editora Os Puritanos.
conversar comigo sobre algumas ques- que muitos dirão naquele dia ‘Senhor, Rev. Albert N. Martin é pastor da Trinity Baptist Chur-
ch, Montville Township, New Jersey, USAOver thirty-
tões que o estavam perturbando a res- Senhor’, aos quais Cristo dirá, ‘Apartai- five years of pastoral experience and an evident gift
of pointed applicatory preaching have made Pastor
peito do meu próprio ministério. Ele me vos de mim. Nunca vos conheci’”. Martin a widely recognized counselor and pastor.

Confissão de Fé Escocesa
Capítulo III → Do Pecado Original

Por essa transgressão, geralmente conhecida como pecado original, a imagem de Deus foi

totalmente deformada no homem, e ele e seus filhos se tornaram, por natureza, inimigos de

Deus, escravos de Satanás e servos do pecado,1 de modo que a morte eterna tem tido e terá

poder e domínio sobre todos os que não foram, não são e não forem regenerados do alto.

Essa regeneração se realiza pelo poder do Espírito Santo, que cria nos corações dos escolhidos

de Deus uma fé firme na promessa de Deus a nós revelada pela sua Palavra; por essa fé apren-

demos Jesus Cristo com os seus dons gratuitos e com as bênçãos nele prometidas.2 

1. Sl 51:5; Rm 5:10; 7:5; 2Tm 2:26; Ef 2:1-3; 2. Rm 5:14,21 6:23; Jo 3:5; Rm 5:1; Fp 1:29.

28 Revista Os Puritanos – 3, 2010


Por que Os Homens
não Creem no Evangelho?
“Mas vós não credes porque não sois das minhas ovelhas, como já vo-lo
tenho dito”. (Jo. 10:26)

James A. Thomson culo dezoito. As notas seguintes são tiradas do sermão


de Boston em Isaías 61.1 (Works, vol. 9, pp. 540-541).

F
oi ocasionalmente no ano em que o Senhor mi- Thomas Boston declara que a rejeição do homem ao
sericordiosamente salvou-nos a ambos, que meu evangelho pode ser investigável chegando a certas fra-
pai me disse: “Se uma pessoa realmente enten- quezas pecaminosas. Citaremos a principal análise de
desse o evangelho, não vejo como poderia rejeitá-lo”. Thomas Boston, frase por frase, e depois adicionaremos
Seu argumento era que se apenas pudéssemos fazer nossos próprios comentários explicativos.
o evangelho absolutamente claro, todo mundo forço- 1) “Nenhum senso exato da miséria espiritual”. Pro-
samente o aceitaria. O nosso pastor estava pregando vérbios 27.7 — “A alma farta pisa o favo de mel”. Esta
uma série maravilhosa de sermões em Romanos, tor- é a velha fraqueza Laodicense (Ap 3.17). Um homem
nando clara a justificação pela fé e a total suficiência diz: “Eu não percebo qualquer mal, carência ou falha na
da cruz de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. Nós minha vida. Tenho uma boa educação; alcancei sucesso
pensamos que, se apenas este evangelho salvador de profissional; meu casamento e meus filhos são ótimos;
Romanos 1.16 pudesse ser colocado exatamente tão minha vida pessoal é moral e íntegra. Tenho respei-
claro para todos os homens, todo coração receberia to pela igreja, creio em Deus, mas não vejo qualquer
alegremente o evangelho. necessidade predominante na minha vida — nada que
Um quarto de século mais tarde, pela graça de Deus, me obrigue a clamar a Jesus Cristo para que me salve”.
meu pai e eu estávamos simplesmente ligados à cruz. O Este é o homem que ouve sobre o tesouro escondido
que se tornou dolorosamente claro para mim é que, não no campo. Ele contesta: “Sim, muitas pessoas podem
importa quão claramente o evangelho seja apresentado, realmente usar este tesouro e tenho certeza de que será
os homens o rejeitarão. Isto nos leva a fazer a pergunta: bom para eles, mas de qualquer modo, muito obrigado,
Por que os homens não crêem no Senhor Jesus Cristo eu já tenho o meu próprio tesouro”.
e são salvos? 2) “Nenhuma visão real e senso de sua própria
Naturalmente há uma resposta e há uma centena de iniqüidade”. Ele diz: “Não sou nenhum anjo, não sou
respostas. Como alguém que aceita e ama as doutrinas perfeito, tenho agido erradamente, chame isso peca-
calvinistas da graça e da soberania de Deus, eu sei que do se quiser, mas...”. Há sempre aquele “mas”. Muitos
existe uma resposta. livretes evangélicos prescrevem que façamos uma per-
Não aprouve ao Pai outorgar-lhes a fé salvadora de gunta, como: “Você admite ter pecado?”. A resposta
Deus (Mt 11.25). Se você não crê é porque Deus não o usual é: “Naturalmente que sim”. Há, contudo, sempre
elegeu. Existe também uma centena de respostas, que os dedos cruzados, ou uma ressalva. “Depende do que
vão desde a tradição religiosa até as objeções familiares, você quer dizer por pecado; não sou nenhum assassino
à obra enganadora de Satanás, ao duvidar da Palavra serial. Não sou do partido nazista; não sou um perverti-
de Deus. do. Assim, se isso quer dizer que tenho sido menos do
 Contudo, não estamos aqui para verificar estas ra- que deveria, sim. Mas se quer dizer que sou algum tipo
zões. Estamos perguntando qual é a cegueira e a precisa de pessoa depravada, então, não. Certamente que Deus
perversidade do homem pecador que o leva a rejeitar e a religião poderiam fazer-me uma pessoa melhor, e
o evangelho de Cristo. Vamos trazer a resposta com as todos nós precisamos disso. Mas eu não me conside-
palavras de Thomas Boston, o teólogo escocês do sé- ro um pecador decaído, com uma vida corrupta, cuja

3, 2010 –
­ Revista Os Puritanos 29
Por que os Homens não Creem no Evangelho

única esperança está na misericórdia uma forte “auto-afirmação”. Isso é o


de Deus”. que o cristianismo popular lhes diz. É
3) “Eles não percebem as nuvens de a linguagem da psicologia popular, o
ira que pendem sobre suas cabeças”. discurso da mídia popular e o registro
“A compreensão da nossa própria ini- das brochuras populares. De fato, o
qüidade é diretamente proporcional à Não importa quão evangelho de hoje chega a dizer que
compreensão que temos da glória de uma auto-imagem pobre é perniciosa.
Deus. A mesma relação é verdadeira claramente o O ponto integral do evangelho, diz-se
para a nossa maldade e a santidade agora, é para dar uma boa “auto-esti-
de Deus. Que homem chega diante de evangelho seja ma”. Obviamente os homens “não vêem
Deus como fez o profeta Isaías? Que sua própria indignidade”. De fato, hoje
homem vê Deus como inacessível, apresentado, os em dia seria considerado errado fazer
como um fogo consumidor, um ser assim. Boston o coloca deste modo:
puro e totalmente santo e maravilho- homens o rejeitarão. “Eles não podem enxergar como o Se-
so? Não, os homens têm lidado com nhor poderia rejeitá-los”. O pensamen-
um “deus” que é muito semelhante a to de que Deus pode corretamente me
eles próprios. Como um homem per- rejeitar, a própria idéia de que eu sou
dido reage à imagem que Boston cr­­ia indigno de Deus, é dito ser um assunto
de nuvens de ira pendendo sobre sua prejudicial para se mencionar aos pe-
cabeça? Ele contesta: “Estas nuvens cadores.
são fora-de-moda e um vento novo as gigante, um passo impossível para o 7) “Eles não têm qualquer preocu-
dissipou”. Agora que aquelas nuvens homem dá-lo por si mesmo. pação em suprir as carências de suas
se foram o homem imagina que pode Considere um homem preso numa almas”. Aqui estão as virgens loucas
ver Deus claramente. “Ele é um Deus casa em chamas. Ele não sente qualquer dormindo noite adentro. Por que elas
que se ajusta à auto-indulgência do terrível necessidade, pois está apenas a dormem quando sabem que o noivo
homem. Um Deus que deseja abenço- uma porta-de-saída para o lugar seguro. está vindo? Porque se esgotaram com
ar o homem, mesmo nos seus pecados”. O que ele não percebe é que a porta está as atividades do dia. Elas foram dili-
Mas, tal visão de Deus é extraída da fechada e ele não tem a chave. gentes, preocupadas e devotadas com
imaginação humana. 5) “Eles não sentem sua necessidade muitas coisas. Fizeram seus suprimen-
4) “Eles desconhecem sua total in- de Cristo”. O homem natural diz: “Vejo tos de segurança financeira, de moradia
capacidade para se protegerem”. Total que Cristo poderia me ajudar de muitas agradável, de performance física, de re-
incapacidade e total depravação são maneiras. Posso ver que sua cruz é o putação na comunidade, de harmonia
aproximadamente recíprocas. Elas são caminho para que meus pecados sejam familiar. Mas, e o seu suprimento de
dois lados da mesma moeda. Estas ver- perdoados”. O que ele não vê, contudo, “óleo”? Há tempo bastante para isso!
dades não são apenas ofensivas, mas é sua necessidade da pessoa de Cristo Não sentiram qualquer necessidade e
incompreensíveis ao homem natural. para salvá-lo. Ele não “sente”, dolorosa preocupação com o óleo da graça que
Muitas pessoas têm ouvido a mensa- e sensivelmente que está perdido, con- salva e supre a alma. “Deus não nos
gem básica do evangelho que termina denado e desamparado diante de Deus. quer transtornados com respeito à re-
com: “Agora, aqui está como você deve Ele não sente a terrível concretização ligião ou assuntos espirituais. Deus não
fazer... Repita esta oração. Exercite a fé de que, se Jesus Cristo não fizer Sua colocou uma ‘armadilha de culpa’ sobre
simples, levante sua mão, diga sim”. A obra salvadora, ele estará indo para um nós. Não, Deus nos quer em paz. Ele não
maioria dos homens diz: “Conheço os inferno de fogo eterno. Ele não sente a manda pesadelos nem insônia sobre os
passos. Agora posso dar o passo final desesperada escravidão à qual os seus homens. Seguramente a ansiedade es-
para a salvação, como e quando me pecados o têm acorrentado. piritual não poderia vir de Deus!”. Com
aprouver”. Esses “passos”, entretanto, 6) “Eles não vêem sua própria indig- tal linguagem os pecadores iludem-se a
estão a cerca de quilômetros. Os ho- nidade”. Auto-estima é a palavra-chave si mesmos e perecem.
mens pensam que é apenas um peque- dos nossos dias. Segundo se pretende, 8) “Eles não estão satisfeitos com Cris-
no passo que podem dar, para o reino. os homens precisam ter uma boa “auto to, mas com suas próprias realizações”.
Mas aquele “passo final” é um passo estima“, um “auto-conceito” positivo, Aqui Boston com grande percepção ex-

30 Revista Os Puritanos – 3, 2010


James A. Thomson

põe o erro fatal do pecador. O homem seu “olho” e também sua “mão” direita, Aqui, então, estão as oito razões de
percebe sua necessidade do evangelho, concupiscências e riquezas — e ainda ir Thomas Boston do por que os homens
mas ele estabeleceu um limite no pre- para o céu. Se a porta for muito estreita, não acreditam no evangelho. Ele foi
ço que está querendo pagar. Se o pre- então ele alarga a porta! Os termos do “mestre de Israel” e, embora tenha pas-
ço pedido for muito alto, ele vai sem o evangelho são agora estabelecidos pelos toreado em pequeno povo que saiu do
preço. Ou então, procurará um “Cristo” homens, não por Cristo. Como escreveu feudalismo, foi um teólogo magistral
que seja menos exigente. Se a exigência o puritano Stephen Charnock: “A felici- que ainda para o dia de hoje fala dire-
de Cristo é arrancar o “olho direito”, o dade proposta pelo evangelho é natural- tamente ao coração do homem.
preço é muito grande. O homem buscará mente desejável..., mas não os métodos
James A. Thomson
um evangelho que lhe permita manter que Deus ordenou para sua obtenção”.

Pecado e castigo
“Mui profundamente se corromperam, como nos dias de Gibeá. O Senhor se lembrará das suas injustiças
e castigará os pecados deles“. (Os 9.9)

Neste versículo, Oseias declara que o povo estava tão mergulhado nos próprios
vícios que não poderia ser puxado para fora deles. Aquele que caiu pode se le-
vantar, se alguém lhe estender a mão; o que luta para sair do lamaçal pisará de
novo em terra firme, se achar quem o socorra. Mas não há esperança de resgate
para quem é lançado na voragem. Estendo minhas mãos inutilmente àquele que
submerge num naufrágio e é tragado por imenso redemoinho. Portanto, apren-
damos a nos reerguer, mas antes prestemos atenção quando o profeta diz que os
israelitas estavam profundamente submersos, porque é preciso estar cheios de
desprezo por Deus para afundar desse jeito. Assim, estimulemo-nos dia a dia ao
arrependimento e conservemo-nos zelosamente alertas para não cairmos nesse
sorvedouro colossal. Saibamos que muito se enganam os indulgentes consigo
mesmos, enquanto o Senhor suportar-lhes misericordiosamente os pecados, pois
embora ele reprima o seu desprazer por um tempo, no instante oportunos e lem-
brará deles e manifestará isso infligindo-lhes o justo castigo.

Oração
Concede, ó Deus onipotente, que, assim como refulgiste em nós pela tua Palavra, não sejamos cegos
ao meio-dia nem busquemos voluntariamente as trevas, para assim induzirmos nossa mente a dormir.
Antes sejamos despertados diariamente pelas tuas palavras e nos estimulemos mais e mais a temer o
teu nome, para oferecermos a ti como sacrifício, tanto nós mesmos como todos os nossos anseios, de
maneira que nos governes em paz e habites perpetuamente em nós, até que sejamos recolhidos à tua
habitação celestial, onde nos estão reservados repouso e glória eternos, mediante Jesus Cristo, nosso
Senhor. Amém.

Devotions and prayers of John Calvin, 52 one-page devotions with selected prayers on facing pages.
Org. Charles E. Edwards. Old Paths Gospel Press. S/d. Pags. 20 e 21.
Tradução: Marcos Vasconcelos, junho/2009.
mjsvasconcelos@gmail.com

3, 2010 –
­ Revista Os Puritanos 31
Corações Cativos,
Igreja Cativa
“Ordena aquilo que Tu desejas, e conceda aquilo que Tu ordenas”. (Agostinho)

R.C. Sproul  insistia que a queda de Adão tinha afetado somente o


homem Adão; não haveria a realidade da natureza hu-

D
urante a Reforma Protestante, Martinho Lutero mana caída e herdada que afligiria a humanidade. Além
escreveu um pequeno livreto intitulado "O Cati- disso, refutava a idéia da necessidade da graça como
veiro Babilônico Da Igreja". Nele, Lutero compa- necessária para a salvação; afirmava que o homem seria
rou o regime opressor de Roma no século XVI ao suplí- capaz de ser salvo por suas obras sem a necessidade
cio de Israel, enquanto era mantido cativo às margens de assistência da graça. O pensamento de Pelágio foi:
dos rios da Babilônia. a graça pode facilitar a obediência, mas não seria uma
Eu tenho frequentemente me perguntado como condição necessária para tal.
Lutero se posicionaria em nossa presente era e no es- Agostinho triunfou em sua luta contra Pelágio, cujas
tado em que a igreja se encontra nos dias de hoje. Eu visões foram conseqüentemente condenadas pela igre-
suspeito que ele escreveria para nosso tempo seu livro, ja. Ao condenar o Pelagianismo como heresia, a igreja
sob o título "O Cativeiro Pelagiano da Igreja". Eu tenho veementemente confirmou a doutrina do pecado origi-
tal suspeita pelo fato de que o próprio Lutero tenha con- nal. Na visão de Agostinho, isto sedimentou e alicerçou
siderado precisamente este como o livro mais importan- a noção de que apesar do homem caído ainda possuir
te que já redigiu, sua magnum opus, "A Escravidão da um vontade livre no sentido que ele retém a capacidade
Vontade" (De Servo Arbítrio). Penso também que Lutero de escolher, sua vontade é decaída e escravizada pelo
enxergaria a grande ameaça para a igreja de hoje devi- pecado a tal ponto, em tamanha magnitude e extensão,
do ao Pelagianismo, em razão do que se desenrolou de- que o homem não possui liberdade moral. O homem
pois da Reforma. Historiadores têm dito que apesar de não pode não pecar.
Lutero ter vencido a batalha contra Erasmus no século Depois do encerramento do conflito, visões modifi-
XVI, ele a perdeu no século XVII e foi afinal demolido cadas de Pelagianismo voltaram a assombrar a igreja.
no século XVIII, graças às conquistas obtidas pelo Pe- Essas visões foram aglutinadas sob o nome de semi-
lagianismo e pelo Iluminismo. Ele veria a igreja de hoje Pelagianismo. O semi-Pelagianismo admitiu a Queda
enlaçada pelo Pelagianismo, tendo assim este inimigo como real e uma real transferência do Pecado Original
da fé conseguido estabelecer uma fortaleza sobre nós. para a descendência de Adão. O homem está arruinado
O Pelagianismo em sua forma pura foi pela primei- e caído, e precisa da graça a fim de que seja salvo. Contu-
ra vez articulado pelo homem cujo nome cunhou seu do, esta visão insiste que nós não estamos tão decaídos
ensino, um monge bretão do século Quarto. Pelágio a ponto de nos encontrarmos totalmente escravizados
envolveu-se em um feroz debate com Santo Agostinho, pelo pecado ou totalmente depravados em nossa natu-
um debate provocado pela reação do monge à oração reza. Uma ilha de justiça permanece no homem decaído
de Agostinho: "Ordena aquilo que Tu desejas, e conceda por meio da qual tal pessoa ainda possui poder moral
aquilo que Tu ordenas".  Pelágio insistia que uma obri- para inclinar-se, por si mesmo, sem a intervenção da
gação moral necessariamente implicava em capacidade graça operativa, em direção às coisas de Deus.
moral. Se Deus exigia dos homens que estes vivessem Apesar da igreja antiga ter condenado o semi-Pela-
vidas perfeitas então estes homens deveriam ter a ca- gianismo tão vigorosamente quanto condenou o pró-
pacidade de viver tais vidas perfeitas. Isto levou Pelá- prio Pelagianismo, ele de fato nunca morreu. No século
gio a sua completa negação do pecado original 1. Ele dezesseis os magistrados reformadores ficaram con-

32 Revista Os Puritanos – 3, 2010


Corações Cativos, Igreja Cativa

vencidos que Roma havia se degenera- das do pensamento teológico evangéli- sobrenatural ação do Espírito Santo se-
do do puro Agostinianismo e abraçado co.  Apesar da maioria dos evangélicos ria uma pré-condição necessária para
o semi-Pelagianismo. Não é um detalhe não hesitarem em afirmar que o ho- fé. Erasmus havia vencido.
histórico insignificante mencionar que mem caiu, poucos abraçam a doutrina Os autores da introdução ao ensaio
o próprio Lutero tenha sido um monge reformada da Total Depravação. sobre "A Escravidão da Vontade" escre-
da Ordem Agostiniana. Lutero viu em Trinta anos atrás eu estava ensinan- veram:
sua luta contra Erasmus e Roma, um do Teologia em uma faculdade evangé- "Qualquer um que terminar este livro
retorno ao conflito titânico entre Agos- lica que era pesadamente influenciada sem ter percebido que a teologia evan-
tinho e Pelágio. pelo semi-Pelagianismo. Eu estava tra- gélica mantém-se em pé ou cai com a
No século dezoito, o pensamento Re- balhando sobre os 5 pontos do Calvinis- doutrina da Escravidão da Vontade, o
formado foi desafiado pelo surgimento mo usando o acróstico TULIP com uma leu inutilmente. A doutrina da justifi-
do Arminianismo, uma nova forma de classe com cerca de 30 alunos. Após cação livre unicamente pela fé, que se
semi-Pelagianismo. O Arminianismo apresentar uma extensa e detalhada tornou o olho do furacão de tamanha
conseguiu capturar o pensamento de exposição da doutrina da Total Depra- controvérsia surgida no período da
proeminentes homens, como por exem- vação, eu perguntei à classe quantos Reforma Protestante, é considerada
plo John Wesley. A cisão doutrinária deles estavam convencidos acerca da com freqüência como o coração da
entre Wesley e George Whitefield foca- doutrina. Todos os 30 levantaram as Teologia dos Reformadores, mas isto é
va-se neste aspecto. Whitefield enfilei- mãos. Eu sorri e disse: "Veremos..." dificilmente preciso. A verdade é que o
rou-se então para o lado de Jonathan Eu escrevi o número 30 no canto es- pensamento de tais homens estava real-
Edwards na defesa do Agostinianismo querdo do quadro-negro. Enquanto eu mente concentrado sobre esta conten-
clássico durante o "Grande Avivamento" prosseguia com a doutrina da eleição da...que a completa salvação do pecador
norte-americano. incondicional, muitos dos estudantes tem lugar pela livre e soberana graça
O século XIX testemunhou o rea­ então começaram a pular e reagir. Fui unicamente...é pois  a nossa salvação
vivamento do Pelagianismo puro atra- subtraindo do número original 30 os completamente da parte de Deus, ou
vés dos ensinamentos e da pregação que iam manifestando sua insatisfação a final de contas depende de algo que
de Charles Finney. Finney não dosou e desacordo. Quando atingi a doutrina depende de nós mesmos? Aqueles que
palavras acerca de seu Pelagianismo da Expiação Limitada, o número tinha afirmam a segunda opção (os Arminia-
escancarado. Finney rejeitou a doutri- caído de trinta para três. nos o fazem) portanto negam a decla-
na do Pecado Original (junto com a vi- Então eu tentei mostrar aos estudan- rada incapacidade do homem advinda
são ortodoxa da Expiação e a doutrina tes que se eles realmente abraçassem do pecado, e também confirmam que
da Justificação Somente pela Fé). Mas a doutrina da Total Depravação, en- uma forma de semi-Pelagianismo é ver-
a tremenda bem-sucedida metodologia tão as outras doutrinas descritas nos dadeiro, de alguma maneira. Não é de
evangelística de Finney de tal forma 5 Pontos deveriam simplesmente na se admirar, portanto, que a primitiva
marcou e envolveu seu nome, que ele verdade ser consideradas como notas teologia Reformada condenou o Armi-
se tornou um modelo reverenciado pe- de rodapé. Os alunos logo descobriram nianismo, como sendo em princípio um
los modernos evangelistas e ainda hoje que de fato eles realmente não acredi- retorno a Roma... e uma traição à Re-
comumente é considerado um herói da tavam na total depravação do homem, forma... o Arminianismo foi, verdadei-
Fé Evangélica, a despeito de sua com- no final das contas. Eles acreditavam ramente, aos olhos dos Reformadores,
pleta rejeição à própria doutrina evan- em depravação, mas não no sentido uma renúncia ao Cristianismo do Novo
gélica. Apesar da Fé Evangélica ameri- total. Eles ainda desejavam reter a con- Testamento em favor do Judaísmo ne-
cana não ter abraçado o Pelagianismo vicção sobre uma ilha de justiça que otestamentário; pelo fato de alguém
puro e direto de Finney (fato que coube não tinha sido afetada pela Queda por se garantir a si mesmo por fé, não ser
aos Liberais o fazerem), tal pensamento meio da qual pecadores poderiam ain- afinal diferente em nada do princípio
infectou profundamente o meio evan- da manter uma capacidade moral para de se repousar nas suas própria obras,
gélico por meio do pensamento e da te- se inclinarem por si próprios a Deus. sendo anti-Cristão tanto um pensamen-
ologia semi-Pelagiana,a tal ponto que o Eles acreditavam, sim, que a fim de ser to quanto o outro".
semi-Pelagianismo é percebido ostensi- regenerados, eles precisavam primeiro Estas são palavras severas. Verda-
vamente nos dias modernos de forma exercer fé por meio do exercício de suas deiramente para alguns são até pala-
aguda e profunda, em diversas cama- vontades. Eles não criam que a divina e vras contenciosas. Mas de uma coisa eu

3, 2010 –
­ Revista Os Puritanos 33
R. C. Sproul

estou certo: elas espelham e refletem enderam claramente que existe uma SOLA do temo Sola Gratia.
com precisão os sentimentos de Agosti- imprescindível ligação entre Sola Fide
nho e dos Reformadores. A questão da e Sola Gratia. Justificação unicamente NOTAS
1. Entenda-se pelo termo teológico PECADO ORIGI-
magnitude e extensão do Pecado Ori- pela fé significa pela graça unicamen- NAL, não o próprio ato de desobediência que Adão
e Eva cometeram no jardim, ao comerem do fruto
ginal está atrelado inseparavelmente te. Assim sendo, o semi-Pelagianismo
da árvore sobre a qual o Senhor Deus os havia ad-
à nossa compreensão da doutrina da em seu formato Erasmiano cria uma vertido, mas às conseqüências abrangentes deste
ato sobre toda a sua posteridade.
Sola Fide. Os Reformadores compre- ruptura entre as duas e apaga o fator Tradução: HERON J. B. DE MOURA

Como Devemos Pensar sobre


a Providência de Deus
1. Evite usar a providência de Deus como desculpa para seus pecados, pois ela é mui santa, e de modo algum é
causa de qualquer pecado que se possa cometer. Todo pecado é um ato de rebelião contra Deus, uma violação
de sua santa lei, e digno de sua maldição e ira, de tal modo que não tem o apoio de um Deus infinitamente
santo, que é tão puro de olhos que não pode contemplar a iniquidade sem aversão e repugnância. Embora, por
seu decreto permissivo, tenha ele permitido o mal moral no mundo, contudo, não tem ele qualquer influência
sobre qualquer pecado que se venha a cometer. Pois o pecado não é o cumprimento do decreto de Deus, já
que seu decreto é absoluto segredo para todos os mortais, senão que é a gratificação das inclinações e desejos
perversos que os homens tencionam e anseiam praticar.

2. Evite murmurar e se lamuriar por causa de alguma ação da providência de Deus; lembre-se de que nada
acontece fora da santa e sábia providência, a qual conhece melhor do que você o que a você é adequado e
apropriado. E em todos os casos, mesmo em meio às maiores aflições que lhe possam sobrevir, aprenda a
submeter-se à vontade de Deus; tal como Jó, que no fim de uma série das piores calamidades que o acomete-
ram, disse: “O Senhor deu, o Senhor tomou, bendito seja o nome do Senhor” (Jó 1.21). No mais doloroso dos
casos, diga com os discípulos: “Faça-se a vontade do Senhor!” (At 21.14).

3. Evite a preocupação ansiosa e temerosa sobre seu bem-estar material no mundo. Nosso Senhor advertiu
seus seguidores contra isto, em Mateus 6.31: “Não vos inquieteis (isto é, não fiquem ansiosos e paralisados),
dizendo: Que comeremos? Que beberemos? Ou: Com que nos vestiremos?” Nunca permita que o temor do
homem lhe impeça de cumprir seu dever (Mt 10.28, 29), deixe que sua alma aprenda a confiar em Deus, que
ele guie e comande todos os eventos e administre sua providência da forma que achar melhor.

4. Evite fazer pouco caso dos meios, pois Deus opera por eles; aquele que aponta um fim ordena também os
meios necessários para que tal se cumpra. Não descanse sobre os meios, pois eles nada podem sem Deus (Mt
4.4). Não se desespere se não há meios, pois tanto quanto opera com eles, Deus pode agir sem eles. Oséias
1.7: “Os salvarei pelo Senhor seu Deus, pois não os salvarei pelo arco, nem pela espada, nem pela guerra, nem
pelos cavalos, nem pelos cavaleiros.” Se os meios são improváveis, Deus pode agir acima deles. Romanos 4.19:
“Embora levasse em conta o seu próprio corpo amortecido, sendo já de cem anos, e a idade avançada de Sara”.
Se os meios são contrários, ele pode agir contrário aos meios, como quando salvou Jonas do peixe que o de-
vorou. Aquele peixe engoliu o profeta, mas, guiado pela providência, o vomitou em terra seca.

Finalmente, feliz é o povo cujo Deus é o Senhor: pois todas as coisas cooperam para o seu bem. Eles podem
descansar seguros depositando sua fé em Deus, venha o que vier. Eles têm boas razões para orar, pois o Se-
nhor é Deus que escuta as orações, e ouvirá seu povo a respeito de todas as suas preocupações no mundo.
Eles têm base para o grande encorajamento e conforto em meio a todos os eventos da providência, uma vez
que estão debaixo da aliança e graciosa comunhão com Deus, o qual nunca é negligente ou descuidado com
seu povo querido e tudo que lhe diz respeito. Por isso ele diz: “De maneira alguma te deixarei, nunca jamais
te abandonarei” (Hb 13.5).

Thomas Boston
Tradução: Márcio Santana Sobrinho.

34 Revista Os Puritanos – 3, 2010


Como a Mente é Corrompida
e Depravada pelo Pecado
Pessoas de todos os tipos de linhas denominacionais denigrem e descartam a doutrina.

John Owen 8; 2Pd.1:19; Rm.10:15, 18). A tarefa do Espírito San-


to é dissipar essas trevas enviando a luz do evangelho

O
s homens todos podem ser divididos em dois (At.13:2, 4; 16:6~10; Sl.147:19, 20).
grupos. Regenerados ou não-regenerados, um As trevas interiores, por outro lado, surgem da de-
dos dois. Todos os homens nascem não-regene- pravação e corrupção natural das mentes dos homens
rados (Jo.3:3~8). quanto às coisas espirituais. A mente humana é deprava-
A Escritura nos ensina três grandes verdades. Nos da e corrompida nas coisas naturais, civis, políticas e mo-
ensina que a mente do homem é corrupta e depravada. rais, assim como também nas coisas que são espirituais,
A isso ela chama de trevas e cegueira, e é o que leva à celestiais e evangélicas. É pela graça comum do Espírito
estultícia e à ignorância. Santo que tal depravação é muitas vezes impedida de
A Escritura ensina que a vontade do homem e os causar totalmente os seus efeitos. Sendo a mente do ho-
desejos do coração são corruptos e depravados. Isso é mem assim entenebrecida, ele é incapaz de ver, receber,
visto como fraqueza ou impotência e conduz à contumá- entender ou crer para a salvação da sua alma. As coisas
cia e obstinação. A alma toda jaz num estado de morte espirituais, ou os mistérios do evangelho, não podem
espiritual. trazer salvação sem que o Espírito Santo crie primeiro
no interior das almas uma nova luz pela qual possam
Trevas e cegueira espirituais ver e receber essas coisas.
Há trevas espirituais em e sobre todos os homens até Por mais brilhante que seja a mente, e por mais bri-
que Deus, pela poderosa operação do Espírito, brilhe no lhante que venha a ser a pregação e apresentação do
interior dos seus corações, ou neles crie a luz (Mt.4:16; evangelho, todavia sem que o Espírito Santo crie essa
Jo.1:5; At.26:18; Ef.5:8; Cl.1:13; 1Pd.2:9). Essas trevas luz nos homens, eles não podem receber, compreender e
são aquela “luz interior” que alguns se ufanam de ter concordar com as verdades pregadas, e assim, portanto,
em si mesmos e que afirmam existir também nos outros. não serão conduzidos à salvação (Ef.1:17, 18).
É preciso que se compreenda qual é a natureza des- Assim, o não-regenerado anda “na vaidade dos seus
sas trevas espirituais. Os homens estão em trevas quan- próprios pensamentos” (Ef.4:17). A inclinação natural
do não existe luz por meio da qual possam enxergar da mente não-regenerada é buscar aquelas coisas que
(Êx.10:23). Os cegos estão em trevas, por nascimento, não podem trazer satisfação (Gn.6:5). É uma mente
doença ou acidente (Sl.69:23; Gn.19:11; At.13:11). Um instável (Pv.7:11, 12). O entendimento não-regenerado
homem espiritualmente cego está em trevas espirituais está entenebrecido e não pode julgar apropriadamente
e é ignorante das coisas espirituais. as coisas (Jo.1:5). O coração não-regenerado é cego. Na
Escritura o coração também inclui a vontade. A luz é
Há trevas exteriores sobre os homens e trevas recebida pela mente, aplicada pelo entendimento e usa-
interiores nos homens. da pelo coração. “Caso a luz que em ti há sejam trevas”,
Há trevas exteriores quando os homens não dispõem disse Jesus, “que grandes trevas serão!”.
daquela luz pela qual são capazes de enxergar. Assim, Há três coisas encontradas entre os crentes que pro-
pois, trevas espirituais exteriores estão sobre os ho- cedem da futilidade natural da mente em sua condição
mens quando nada há que lhes ilumine quanto a Deus depravada. Primeiramente ela faz o crente hesitar e ser
e às coisas espirituais (Mt.4:16; Sl.119:105; Sl.19:1~4, instável e inconstante nos sagrados deveres de meditar,

3, 2010 –
­ Revista Os Puritanos 35
John Owen

orar e ouvir a Palavra. A mente se disper- (Rm.14:7, 8). Por meio dela chegamos meiro Adão. Ele tem uma alma racional
sa e fica distraída por muitos pensamen- ao eterno gozo de Deus como a nossa e está capacitado para usá-la.
tos mundanos. Em segundo lugar, essa bem-aventurança e galardão eternos O homem natural está confiado nas
instabilidade causa o desvio do crente, (Gn.15:1). suas habilidades raciocinativas e não vê
fazendo-o se conformar ao mundo, aos A vida de Deus é aquela pela qual a necessidade de qualquer auxílio espi-
seus hábitos e costumes, que são vãos e Ele vive em nós por meio do Seu Es- ritual. Ele não enxerga que Deus pôs
tolos. E em terceiro lugar, essa futilidade pírito através de Jesus Cristo (Gl.2:20; nele uma alma para que ela possa apre-
da mente engana os crentes levando-os Cl.3:3). É a vida cujos frutos são san- ender e receber aquilo que Ele, Deus,
a suprir à carne e às concupiscências da tidade e obediência espiritual e evan- tem para dar. O homem jamais foi cria-
carne. Ela pode levar, e geralmente leva gélica (Rm.6:22; Fp.1:11). E essa vida do para viver independentemente de
mesmo, à auto-indulgência. de Deus nunca morre porque é eterna Deus. Os olhos são belos e úteis, mas se
(Jo.17:3). tentam enxergar sem luz, sua beleza e
O remédio para essa mente Assim, a mente não-regenerada está capacidade não têm qualquer utilidade,
corrompida alienada dessa vida de Deus e essa alie- e podem até ser estragados. Se a mente
Para prevalecermos contra essa menta- nação se manifesta de duas maneiras. não-convertida tenta ver as coisas espi-
lidade corrupta e fútil, temos que fixar Revela-se na indisposição e incapacida- rituais sem o auxílio do Espírito de Deus,
as nossas mentes e desejos nas coisas de da mente não-convertida de receber ela, por fim, só conseguirá destruir a si
espirituais que o Espírito Santo nos mos- aquelas coisas concernentes a esta vida mesma.
tra. Mas ao fixarmos as nossas mentes de Deus (Lc.24:25; Hb.5:11, 12; Jr.4:22). No versículo quatorze vemos as coi-
nas coisas espirituais precisamos vigiar Revela-se também em que a mente sas apresentadas ao homem natural.
para que não caiam em pensamentos não-convertida escolhe qualquer outro Essas coisas são “as coisas do Espírito
e idéias tolas, vãs e inúteis. Temos que tipo de vida diferente da vida de Deus de Deus”. Mas quais são as coisas do Es-
adquirir o hábito de meditar sobre as (1Tm.5:6; Tg.5:5; Rm.7:9; 9:32; 10:3). pírito de Deus que são apresentadas ao
santas coisas espirituais (Cl.3:2). Temos homem natural? Eis aqui algumas delas,
que estar humilhados ao entendermos o O homem natural e o homem todas de 1 Coríntios capítulo 2: “Jesus
quão tolas e fúteis são as nossas mentes espiritual e este crucificado” (v.2). “A sabedoria de
quando entregues a si mesmas. Inda que a mente não-regenerada seja Deus, oculta em mistério, a qual Deus
altamente instruída e talentosa, não ordenou antes dos séculos para nossa
Alienação da vida de Deus obstante é totalmente incapaz de acei- glória” (v.7, ARC). “O que nos é dado gra-
A mente não-regenerada é perversa e tar e discernir espiritualmente aquelas tuitamente por Deus” (v.12). “A mente
depravada, os homens, portanto, estão coisas necessárias à sua eterna salvação. de Cristo” (v.16).
“alheios à vida de Deus por causa da ig- Ela não responderá à pregação do evan- São estas as coisas do Espírito de
norância em que vivem” (Ef.4:18). Tal gelho até que seja renovada, iluminada Deus. São coisas que não podem ser re-
alienação da vida de Deus é porque as e a isso capacitada pelo Espírito Santo: cebidas senão por iluminação soberana
suas mentes são pecaminosas e depra- “o homem natural não aceita as coisas e sobrenatural. São coisas que “Nem
vadas (Cl.1:21). do Espírito de Deus, porque lhe são olhos viram, nem ouvidos ouviram, nem
A vida de Deus da qual os homens loucura; e não pode entendê-las, por- jamais penetrou em coração humano o
estão alienados é a vida que Deus re- que elas se discernem espiritualmente” que Deus tem preparado para aqueles
quer de nós para que possamos agradá- (1Co.2:14). O assunto desse versículo é que o amam” (v.9). São coisas do eterno
Lo aqui e gozá-Lo no futuro (Rm.1:17; o homem natural. O homem natural é conselho de Deus. São coisas tais que
Gl.2:20; Rm. 6 e 7). É aquela vida que exatamente o oposto do homem espiri- a mente do homem em sua primeira
Deus opera em nós, não naturalmente tual (1Co.15:44; Jd.19). criação não tinha a menor idéia de que
pelo Seu poder, mas espiritualmente Paulo nos diz que o primeiro Adão foi existiam (Ef.3:8~11).
pela Sua graça (Ef.2:1, 5; Fp.2:13). É a feito alma vivente; o último Adão, espí- Duas coisas podem ser ditas do ho-
vida pela qual vivemos para Deus (Rm. rito vivificante (1Co.15:45). O homem mem natural e das coisas do Espírito de
6 e 7). Deus é o alvo supremo de uma tal natural é procedente do primeiro Adão Deus. Primeiro, ele não as aceita; segun-
vida, assim como é o seu criador. e o homem espiritual procede do último do, não as pode discernir.
Através dessa vida procuramos fazer Adão. O homem natural é tal que possui Nessa dupla afirmativa aprendemos
todas as coisas para a glória de Deus tudo o que há ou pode ser obtido do pri- em primeiro lugar que o poder para

36 Revista Os Puritanos – 3, 2010


Como a Mente é Corrompida e Depravada Pelo Pecado

aceitar as coisas espirituais foi negado por meio da luz natural da razão pode
ao homem natural (Rm.8:7). Ele não as discernir as coisas naturais. O homem
aceita porque se discernem espiritual- espiritual, por meio de uma luz espiri-
mente. Aprendemos, em segundo lugar, tual recebida de Jesus Cristo discerne
que o homem natural espontaneamente A inclinação natural as coisas espirituais.
as rejeita. Isso está implícito nas pala- O homem natural não pode compre-
vras “não aceita as coisas do Espírito de da mente não- ender as coisas espirituais porque é o
Deus”. E ele as rejeita porque lhe pare- Espírito de Deus que equipa as mentes
cem loucura. regenerada é buscar dos homens com essa capacidade, e a
O homem natural não pode, não po- própria luz, somente pela qual as coisas
derá e não aceita as coisas do Espírito aquelas coisas que espirituais podem ser discernidas espiri-
de Deus. Ele pode entender o sentido tualmente, é criada em nós por uma ato
literal das doutrinas a ele apresentadas. não podem trazer onipotente do poder de Deus (2Co.4:6).
Pode entender que Jesus Cristo foi cru- O homem natural não pode discernir
cificado. Mas há uma grande diferença satisfação (Gn.6:5) as coisas espirituais de modo a salvar a
entre aceitar doutrinas como meras sua alma porque sua mente está ente-
declarações que lhe são apresentadas nebrecida pela sua própria depravação.
e discernir a realidade que tais declara- Essa é a miséria das nossas pessoas e o
ções apresentam. pecado das nossas naturezas. Mas não
O homem natural pode entender pode ser usada como uma desculpa no
o caminho da justiça como uma mera O evangelho foi loucura para os anti- dia do juízo por não termos aceito as
declaração (2Pd.2:21). Pode também en- gos filósofos (1Co.1:22, 23, 26~28). As coisas espirituais.
tender outras coisas apenas como idéias coisas mais importantes do evangelho Há também nas mentes dos homens
que lhe são apresentadas (Tt.1:16; são tidas como loucas porque pensava- não-regenerados uma incapacidade
Rm.2:23, 24). Contudo essas verdades se que eram falsas, e não verdadeiras. moral pela qual a mente jamais aceitará
não causam qualquer efeito transfor- Muitos escarnecem das coisas de Deus as coisas espirituais, porque é governa-
mador na sua vida. O homem espiritual, e as desprezam como as mais desprezí- da e regida por diversas concupiscên-
por outro lado, realmente as discerne e veis idéias já apresentadas ao homem cias, corrupções e preconceitos. Essas
elas exercem um efeito transformador racional (2Pd.3:3, 4). coisas estão fixadas com tanta firmeza
na sua vida (Rm.12:2; Ef.4:22~24). Alguns professam crer no evange- na mente não-regenerada que levam-na
Mas, antes que as coisas espirituais lho, mas interiormente acham que é a pensar que as coisas espirituais são
possam ser aceitas, duas coisas são loucura, contudo não ousam dizer isso loucura (Jo.6:44; 5:40; 3:19).
necessárias. É necessário que as com- abertamente. Elogiam grandemente os
preendamos, concordemos com elas e princípios morais e as leis naturais. Mas Libertação das trevas
as aceitemos porque são conforme a vivem francamente como os que não Paulo nos ensina que o Pai “nos libertou
sabedoria, santidade e justiça de Deus crêem realmente no evangelho. O amor do império das trevas e nos transpor-
(1Co.1:23, 24). Também é necessário pretextado por uma parte do evangelho tou para o reino do Filho do seu amor”
que vejamos o quanto são apropriadas não os resguardará da punição que virá (Cl.1:13).
para a glorificação de Deus, a salvação sobre eles por rejeitarem o evangelho Este versículo nos diz que fomos li-
de pecadores e para trazer graça e gló- como um todo. Eles ignoram e despre- bertos “do império das trevas” (Ef.5:11;
ria à igreja. zam aquelas coisas que nos são trazidas At.26:18; Is.60:2; Ef.2:2; 2Co.4:4). Pedro
O homem natural não pode fazer tão-somente pela revelação sobrenatu- fala de “abismos de trevas” (2Pd.2:4).
isso. O evangelho, entretanto, pode lhe ral, e o evangelho lhes é loucura, pois Dos quais não há como escapar.
dirigir exortações, promessas, manda- não vêem nele beleza, glória ou vanta- Essas trevas enchem a mente de
mentos e ameaças (1Jo.5:20). Para ele, gem para si mesmos (Is.53:1~3). inimizade contra Deus e contra todas
contudo, a sabedoria de Deus é loucura. Por isso o homem natural não pode as coisas de Deus (Cl.1:21; Rm.8:7). Se
Paulo diz que “a loucura de Deus é mais aceitar as coisas do Espírito de Deus. Deus é grande em bondade e beleza por
sábia do que os homens” (1Co.1:25). Não pode porque elas se discernem que é que os homens o odeiam? Esse
Mas para o homem natural são loucura. espiritualmente. O homem natural ódio procede dessas trevas, que são a

3, 2010 –
­ Revista Os Puritanos 37
John Owen

corrupção e a depravação da nossa na- obediência é trazer glória a Deus. Nos Assim, enquanto a mente do homem
tureza. mostra que não podemos obedecer até permanece não-regenerada, não há es-
Essas trevas enchem a mente de de- que tenhamos sido reconciliados com perança de que a alma saia das trevas
sejos perversos que resistem à vontade Deus através de Jesus Cristo. Todas es- para a luz do glorioso evangelho de
de Deus (Ef.2:3; Fp.3:19; Cl.2:18; Rm.8:5). sas coisas colocam os deveres morais Cristo.
Tais trevas enchem a mente de pre- debaixo um novo modelo, o modelo do
conceitos contra todas as coisas espi- evangelho. Conclusão
rituais, e a mente fica completamente Em segundo lugar, Deus, ao dar-nos A mente no estado natural é tão depra-
incapacitada de se libertar deles. A men- o Seu Espírito, nos fortalece e nos capa- vada e corrompida que é incapaz de
te obscurecida vê em primeiro lugar as cita para obedecermos segundo o mo- entender, receber e aceitar as coisas
coisas que cobiça. Mais tarde, então, ela delo o evangelho. espirituais. Portanto, enquanto a mente
reconhece aquelas concupiscências em O evangelho nos declara coisas que permanecer não-regenerada a alma não
si mesmas. Mas quando os homens são fazem da obediência ao evangelho a poderá e não irá receber a Cristo para
chamados para buscar a Deus acima de obediência do evangelho e não a obedi- a salvação, nem poderá ser santificada
todos os outros desejos, isso é conside- ência da lei (1Co.15:3; Rm.6:17; Gl.4:19; e estar pronta para o céu. O coração e a
rado como tolice, pois a mente não-con- Tt.2:11, 12; 1Co.13:11; 2Co.3:18). vontade não podem agir de modo inde-
vertida pensa que tais coisas espirituais Primeiro, o evangelho ensina os mis- pendente da mente. A vontade não está
nunca trarão contentamento, felicidade térios da fé e os assenta como o funda- livre para agir por si mesma. O olho é a
e satisfação. A mente não-regenerada é, mento da fé e da obediência. luz natural do corpo. É por seu intermé-
de um modo particular, preconceituosa Segundo, o evangelho enxerta todos dio que o corpo é levado seguramente
contra o evangelho. os deveres da obediência moral nessa por entre obstáculos perigosos, estando
Mas há no evangelho a pregação de árvore da fé em Jesus Cristo. É isso o assim protegido de se ferir. Mas se o
duas coisas. Há, primeiramente, aque- que Paulo faz em suas epístolas. Ele olho for cego, ou estiver cercado por
las coisas que pertencem unicamente começa ensinando os mistérios da fé trevas e não puder enxergar, o corpo
ao evangelho e nada têm da lei ou da cristã. Tendo, então, por bases esses então não terá idéia de para onde está
luz da natureza. Elas só chegam a nós mistérios e maravilhas do evangelho indo e irá inevitavelmente esbarrar em
pela revelação e são exclusivas ao evan- que nos trouxe a graça e a misericórdia objetos e tropeçar em obstáculos.
gelho. São elas que fazem o evangelho de Deus, ele ensina que deveríamos por Aquilo que o olho é para o corpo, a
ser o evangelho. E são todas aquelas meio da obediência, por causa da grati- mente é para a alma. Se a mente en-
coisas concernentes ao amor e vonta- dão, procurar agradar Àquele que nos xerga a glória e a beleza de Cristo e da
de de Deus em Cristo Jesus (1Co.2:2; amou tanto assim. Sua salvação apresentada no evangelho,
Ef.3:7~11). O preconceito, todavia, vira essa ela irá despertar o coração a desejá-las
Em segundo lugar há aquelas coisas ordem das coisas de cabeça para bai- como verdadeiramente boas, e à vonta-
declaradas no evangelho que têm o seu xo estabelecendo como fundamento os de de recebê-las e aceitá-las.
fundamento na lei e na luz da natureza. deveres morais. Somente então é que os Mas se a mente desconhecer o evan-
São todos os deveres morais. Esses deve- homens consideram de fato as coisas do gelho, ou estiver cegada pelo preconcei-
res morais são, até certo ponto, conheci- evangelho. Mas os seus preconceitos os to, o coração, então, não será movido a
dos à parte do evangelho (Rm.1:19; 2:14, levam a desprezar os mistérios do evan- desejar a Cristo, e nem a vontade ins-
15). Todos os homens são obrigados a gelho e àqueles que nele crêem, ou os in- tada a aceitá-Lo. Se a mente for enga-
obedecer essas leis morais segundo a terpretam falsamente arrancando-lhes nada, tanto o coração quanto a mente
luz que lhes foi dada. tudo o que é espiritual, e pervertendo serão também enganados. Onde a men-
É, contudo, nesse estado que o evan- o mistério que neles há. Dessa forma te for depravada, também o coração o
gelho acrescenta duas coisas às mentes fazem o evangelho se ajustar ao enten- será (Rm.1:28~32; 1Tm.2:14; Hb.3L12;
dos homens. Primeiro, ele lhes mostra dimento rasteiro e carnal deles. Fazem o 2Co.11:3).
a forma correta de obedecer. Ele mostra evangelho se amoldar às suas próprias Vemos, portanto, quão importantes
que a obediência só pode proceder de idéias e opiniões. Qualquer coisa no são as palavras de Jesus quando disse:
um coração regenerado que não está evangelho que não seja tida por razo- “importa-vos nascer de novo”.
mais em inimizade contra Deus. Mos- ável ou que discorde com o sistema de
tra também que todo o propósito da filosofia deles, é rejeitada como tolice. John Owen

38 Revista Os Puritanos – 3, 2010


A Dádiva da Conversão
Pessoas de todos os tipos de linhas denominacionais denigrem e descartam a doutrina.

R. B. Kuiper são chamados, mas poucos escolhidos” (Mateus 22.14),

O
vocábulo comunicação é muitas vezes empre- está implícito que, dos muitos chamados pelo Evangelho,
gado com sentido mais amplo que aquele com os poucos que crêem, crêem porque desde a eternidade
o qual foi empregado na discussão preceden- foram escolhidos por Deus para esse fim. Também com
te. Em geral se diz que os oradores, os escritores e os poucas palavras Lucas disse que em resposta à pregação
atores comunicam suas convicções àqueles a quem se de Paulo e Barnabé aos gentios de Antioquia da Pissídia,
dirigem. É bom dizer enfaticamente que, nesse sentido, “creram todos os que haviam sido destinados para a vida
a comunicação excede a capacidade do mais eloquente eterna” (Atos 13.48). A destinação foi feita por Deus.
e piedoso evangelista. ‘A tarefa do evangelista é comu- Deus também fez com que a destinação fosse eficiente
nicar aos homens o Evangelho; infundir no homem a fé por meio da comunicação da fé salvadora.
no Evangelho é prerrogativa de Deus. Numa rua de Londres, um bêbado cambaleante deu
A fé salvadora não é dom do evangelista ao seu ou- um encontrão em Spurgeon. Reconheceu o pregador e
vinte não salvo; “é dom de Deus” (Efésios 2.8). Nenhum lhe perguntou se este não o reconhecia. Quando Spur-
evangelista jamais deu fé em Cristo a uma única alma. geon respondeu que não, o ébrio argumentou: “Mas o
Ela é produzida nos corações humanos pelo Espírito senhor devia conhecer-me; sou um dos seus converti-
Santo, pois “ninguém pode dizer: Jesus é o Senhor! se- dos”. Ao que veio a competente resposta: “Isso pode ser.
não pelo Espírito Santo” (1 Coríntios 12.3). Nenhum pe- Se o senhor fosse um converso de Deus, não estaria
cador jamais foi convertido por um evangelista; o autor nessas condições”.
da conversão é Deus. A Escritura explica a conversão de É condenável o conselho muitas vezes dado aos
Lídia, não dizendo que ela abriu por dentro o ferrolho que proclamam o Evangelho: “Preguem como se tudo
do seu coração, nem relatando que o grande apósto- dependesse de vocês; orem como se tudo dependesse
lo — por sua argumentação convincente e com seus de Deus”. Aquele que prega como se tudo dependesse
apelos eloquentes — abrandou-lhe o coração, mas, sim, dele, parte de falsa suposição. Isto não pode ser bom.
insistindo em que o Senhor lhe abriu o coração para Aquele que ora como se tudo dependesse de Deus de-
que ela estivesse atenta ao que Paulo dizia (Atos 16.14). clara falsa uma suposição verdadeira. Isto não é melhor.
Foi com plena ciência de como o evangelista depen- Por outro lado, é recomendável o conselho dado por
de completa- mente de Deus para a eficiência de seu tra- William Carey, missionário batista na Índia. “Só espere
balho, que o mais célebre missionário da igreja escre- grandes coisas de Deus. Tente realizar grandes coisas
veu: “Quem é Apolo? e quem é Paulo? Servos por meio para Deus”. O evangelista deve, de fato, trabalhar com
de quem crestes, e isto conforme o Senhor concedeu a todas as sua forças, mas em completa dependência de
cada um. Eu plantei, Apolo regou; mas o crescimento resultados da ação do Espírito Santo. Se agir assim, sua
veio de Deus. De modo que nem o que planta é alguma dependência só pode expressar-se em fervente oração.
coisa, nem o que rega, mas Deus que dá o crescimento” E também neste ponto, “muito pode, por sua eficácia, a
(l Coríntios 3.5-7). súplica do justo” (Tiago 5.16).
O profundo ensino da Escritura Sagrada é que a expli- Em muitos casos o evangelista apresenta o Evan-
cação última do fato de uma pessoa chegar à fé em que gelho a pecadores espiritualmente mortos. Nem seria
Deus a escolheu soberanamente desde a fundação do preciso dizer que os mortos não podem voltar à vida
mundo para a salvação. Na expressão de Jesus: “muitos por si mesmos. Que nenhum homem pode ressuscitar

3, 2010 –
­ Revista Os Puritanos 39
R. B. Kuiper

mortos, também não seria preciso di- que está lavrando sobre rocha, e que do por aquele livro, viesse a tornar-se
zer. Somente pode fazê-lo Aquele que, nenhuma das sementes que semeia cai um dos maiores pregadores de todos
numa das visões de Ezequiel, disse aos em boa terra. Então pode sobrevir o os tempos, cujos sermões seriam pu-
ossos secos do vale: “Eis que farei en- desânimo. Todavia, aquele que se em- blicados em vinte cinco volumes, dois
trar o espírito em vós, e vivereis. Porei penha zelosamente em harmonizar sua anos depois da sua morte. Quando, às
tendões sobre vós, farei crescer carne mensagem e seu método com a Pala- portas de Damasco, Deus transformou
sobre vós, sobre vós estenderei pele, e vra de Deus, jamais terá motivo para Saulo de Tarso, Ele sabia que, pelos
porei em vós o espírito, e vivereis. E sa- desespero. Ao contrário, pode esperar trabalhos daquele converso, milhões
bereis que eu sou o Senhor” (Ezequiel resultados, confiante em Deus. seriam introduzidos no Reino até o fim
37.5,6). Noutra colocação, incredulida- Somente o onisciente Deus pode dos tempos. E quando Seu próprio Filho,
de é coisa do coração, disposição ínti- avaliar com precisão os resultados da ao sofrer a morte de um criminoso, con-
ma do ser humano. A pessoa não salva evangelização. Somente Ele pode calcu- cluiu Sua missão na terra de um jeito
tem coração de pedra. Ela mesma não lar o número dos convertidos. Quando, que parecia ser um completo fracasso
pode substituí-lo por um coração de por intermédio da evangelização de e uma vergonhosa derrota, Deus sabia
carne. Nem o evangelista pode. Dar-lhe massa, milhares vêm a professar a fé que, levantado na cruz, Ele iria atrair a
novo coração é prerrogativa de Deus o em Cristo, somente “aquele que sonda Si uma multi- dão incontável de gente
Espírito Santo, daquele que prometeu mente e corações” (Apocalipse 2.23) de todas as raças, tribos, povos e nações
ao Seu povo idólatra: “Dar-lhes-ei um pode julgar quantos deles possuem a (João 12.32).
só coração, espírito novo porei dentro fé verdadeira e duradoura. E quando A Palavra de Deus está repleta de
neles; tirarei da sua carne o coração de Robert Morrison, o pai das missões grandes e preciosíssimas promessas
pedra, e lhes darei coração de carne” protestantes na China, viu-se remune- dirigidas àquele que trabalha no Evan-
(Ezequiel 11.19). Somente quem foi rado com apenas dez almas — depois gelho. É-lhe dito: “Quem sai andando
submetido àquela radical mudança de de vinte oito anos de zeloso esforço e chorando enquanto semeia, voltará
coração que a Escritura chama de novo missionário — somente Deus sabia em com júbilo, trazendo os seus feixes”
nascimento, abraçará o Evangelho pela quantos corações mais o Seu Espírito (Salmos 126.6). Deus lhe assegura:
fé. Pois “o homem natural não aceita estava por começar, ou já tinha come- “Assim como descem a chuva e a neve
as causas do Espírito de Deus, porque çado, a boa obra. dos céus, e para lá não tornam sem que
lhe são loucura; e não pode entendê- Deus vê as coisas de amanhã como primeiro reguem a terra e a fecundem
las porque elas se discernem espiritu- se tivessem ocorrido ontem. Daí, o Filho e a façam brotar, para dar semente ao
almente” (1 Coríntios 2.14). de Deus podia dizer: “Um é o semeador, semeador e pão ao que come, assim
Da verdade de que a eficiência da e outro é o ceifeiro” (João 4.37). Quan- será a palavra que sair da minha boca;
evangelização depende totalmente de do, pela direção da divina providência, não voltará para mim vazia, mas fará
Deus, segue-se uma conclusão inevitá- alguém deixou um folheto numa certa o que me apraz, e prosperará naquilo
vel. É que a Deus pertence toda a glória casa da Inglaterra, Deus tinha plane- para que a designei” (Isaías 55.10.11).
por toda conversão genuína. Que ne- jado que Richard Baxter (1615-1691), Ele é admoestado a ser firme, inabalável
nhum converso se julgue merecedor de convertido por meio da leitura daquele e sempre abundante na obra do Senhor,
credito por sua conversão. Que nenhum folheto, escrevesse The Saints’ Ever- sabendo que, no Senhor, o seu trabalho
evangelista se julgue merecedor de al- lasting Rest (O Repouso Eterno dos não é vão (1 Coríntios 15.58). Porque
gum crédito pela conversão daquele a Santos); que Phillip Doddridge (l702- Deus é fiel e o Seu conselho permanece-
quem apresentou o Evangelho. Exclui- 1751), movido pela leitura daquele tra- rá de pé (Isaías 46.10), Seu servo pode
se toda jactância “Aquele que se gloria, tado, escrevesse The Rise and Progress ficar plenamente certo de que todos os
glorie-se no Senhor” (1 Coríntios 1.31). of Religion in the Soul (Nascimento e que foram destinados para a vida eter-
Toda verdadeira conversão é de Deus, Progresso da Religião na Alma); que na crerão e serão salvos (Atos 13.48).
me- diante Deus e para Deus. A Ele seja William Wilberforce (1759-1833), Com Deus como líder, não há lugar
a gloria para sempre (Romanos 11.36). fascinado por aquela obra, escreves- para desespero. Só há lugar para vi-
Às vezes os frutos da evangelização se Practical Christianity (Cristianis- gorosa fé, firme esperança e ardente
não são tão evidentes como o evangelista mo Prático); e que Thomas Chalmers amor.
gostaria e esperaria que fossem, em (1780-1847), fundador da Igreja Livre
Extraído do livro Evangelização Teocêntrica, editora
suas orações a Deus. Pode parecer-lhe da Escócia, profundamente influencia- PES, pp. 179-183.

40 Revista Os Puritanos – 3, 2010


O Catecismo Maior de Westminster
e o Ensino sobre o Pecado
Pergunta 24: O que é pecado?
Resposta: Pecado é a falta de conformidade com a lei de Deus ou a transgressão de qualquer lei por Ele deter-
minada como regra à criatura.

Referências bíblicas:
1Jo 3.4. O pecado é definido como a transgressão da lei.
Gl 3.10, 12. A falta de conformidade é tão pecado quanto a transgressão deliberada.
Rm 3.20. A lei de Deus fixa na mente e na consciência a impressão do pecado.
Rm 5.13. Sem a lei não poderia haver pecado imputado ao homem.
Tg 4.17. O mero deixar de fazer o bem é pecado.

Comentário:

1. Que parte da Bíblia mais se aproxima de dar uma definição formal de pecado?
I João 3.4: “o pecado é a transgressão da lei”, ou, como dizem outras traduções: “o pecado é iniqüi-
dade”.

2. Que diferença há entre pecado e crime?


Rigorosamente falando, pecado é a violação da lei de Deus; crime é a violação da lei do Estado.

3. Pode um único ato ser ao mesmo tempo crime e pecado?


Sim. Por exemplo, assassinato, roubo e perjúrio.

4. Pode um ato ser pecado sem ser crime?


Sim. Odiar o irmão é pecado contra Deus, mas não viola a lei do Estado, que não tem jurisdição sobre
os pensamentos do homem.

5. Pode um ato ser um crime, mas não, um pecado?


Sim. Por exemplo, na Escócia há 250 anos muitos pactuantes foram postos na prisão e até mesmo
mortos porque reuniam-se para adorar a Deus sem o consentimento do rei. Isso foi crime porque
violaram a lei do Estado (uma lei injusta e ímpia, nesse caso), mas não era pecado porque eles, ao
fazerem isso, estavam obedecendo a lei de Deus.

6. Para que tipos de criaturas Deus estabeleceu leis?


Às Sua criaturas inteligentes (ou racionais), isto é, aos anjos e aos homens.

7. Quais são os dois tipos de pecado dos quais fala o catecismo?


(a) do pecado negativo, ou, noutras palavras, da falta de conformidade com as leis de Deus; (b) do
pecado deliberado, ou, noutras palavras, da transgressão das leis de Deus.

8. O que se precisa fazer para ser um pecador?


Nada. Mesmo se existisse alguém que jamais transgrediu nenhuma das leis de Deus, assim mesmo
essa pessoa seria pecadora pois ainda estaria marcada pela pecaminosa falta de conformidade com
a santa lei de Deus.

9. Que resumo da lei de Deus enfatiza de modo específico o pecado da transgressão deliberada?
Os Dez Mandamentos (Êx 20.1-17), oito dos quais começam com a palavra “Não...”.

3, 2010 –
­ Revista Os Puritanos 41
Johannes G. Vos

10. Que resumo da lei de Deus enfatiza de modo especial o pecado negativo de falta de conformidade?
A lei moral foi resumida por Jesus (Mt 22.37-40). “Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de
toda a tua alma e de todo o teu entendimento. Este é o grande e primeiro mandamento. O segundo,
semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Destes dois mandamentos dependem
toda a Lei e os Profetas”.

11. Que definição imprópria é quase sempre dada por aqueles que crêem na santificação total na vida
presente?
Eles quase sempre definem o pecado como um “um transgressão voluntária da lei conhecida”.

12. Por que uma tal definição de pecado é inadequada?


Porque desconsidera duas formas de pecado: (a) O pecado original, pecado com o qual nascemos em
nossa natureza; (b) o pecado negativo da falta de conformidade com aquilo que Deus requer.

Pergunta 25. Em que consiste a pecaminosidade do estado em que o homem caiu?

R. A pecaminosidade do estado em que o homem caiu consiste da culpa do primeiro pecado de Adão, da falta da
retidão em que fora criado e da corrupção da sua natureza, pelo que se tornou total e continuamente desinclinado,
incapaz e contrário a tudo o que é espiritualmente bom, e totalmente inclinado para o mal; o que se denomina
geralmente de pecado original, fonte de todas as nossas próprias transgressões.

Referências bíblicas
Rm 5.12, 19. A culpa do primeiro pecado de Adão foi imputada a todo o gênero humano.
Rm 3.10-19. A humanidade está universalmente e totalmente corrompida em pecado.
Ef 2.1-3. A humanidade está morta no pecado e é totalmente incapaz de agradar a Deus.
Rm 5.6. A humanidade é espiritualmente fraca e ímpia.
Rm 8.7-8. A humanidade está em inimizade com Deus e é incapaz de agradá-lO.
Gn 6.5 A humanidade é pecaminosa naquilo que imagina, pensa e também faz.
Tg 1.14-15. O pecado original é a fonte das transgressões que existem.
Mt 15.19. As obras pecaminosas procedem de um coração corrupto e pecaminoso.

Comentário:

1. Quais são os dois tipos principais de pecado?


(a) O pecado original, ou o pecado da natureza com a qual nascemos; (b) as transgressões deliberadas,
ou o pecado resultante de nossas atividades.

2. Por que somente a culpa do primeiro pecado de Adão foi imputada à sua posteridade?
Adão agiu como nosso representante só até o instante em que violou o pacto de obras. Depois que
cometeu o seu primeiro pecado deixou de ter qualquer outro vínculo pactual conosco que pudesse
nos afetar ainda mais. No entanto, ele ainda tinha (e tem) um vínculo natural com a raça humana como
primeiro ancestral de todos os seres humanos.

3. Que retidão foi essa que a humanidade perdeu com a queda?


A retidão em que ela foi criada, ou a retidão original.

4. Além da culpa do primeiro pecado de Adão e da perda da retidão original, que outro mal resultou
da queda?
A natureza do homem corrompeu-se, de maneira que o seu coração degenerado passou a amar o
pecado.

5. Qual é a magnitude da corrupção da natureza que resultou da queda?


A magnitude da corrupção da natureza é completa ou total, e é algumas vezes chamada de “depravação
total”.

42 Revista Os Puritanos – 3, 2010


6. A depravação total da natureza implica que o não-salvo não pode fazer nada de bom?
Não. O não-salvo, por meio da graça comum (ou poder restritivo) de Deus, pode fazer coisas considera-
das boas na esfera civil ou humana. Por exemplo: uma pessoa não-salva pode salvar outra de afogar-se,
arriscando a própria vida. No entanto quem não está salvo nada pode fazer que seja espiritualmente
bom, quer dizer, nada verdadeiramente bom e agradável à vista de Deus. Pode fazer coisas que são por si
mesmas boas, mas nunca as faz pelo motivo certo que é amar, servir e agradar a Deus; assim, até mesmo
as “boas” obras do não-salvo estão arruinadas e corrompidas pelo pecado.

7. Qual é a atitude moderna com relação à doutrina da depravação total?


Aqueles que se orgulham de ter espírito “moderno” ridicularizam e zombam dessa verdade da Palavra
de Deus.

8. Que lição prática pode-se aprender das doutrinas do pecado original e da depravação total?
Devemos aprender dessas doutrinas que os pecados da vida exterior têm origem no pecado do coração;
por essa causa devemos compreender que a reforma da vida exterior sem a limpeza do coração não pode
levar a uma vida verdadeiramente boa.

9. Seria possível alguém salvar a si mesmo dessa condição de pecado original e depravação total?
Não. Jeremias 13.23 prova que modificar a natureza está além da nossa capacidade, pois não estamos
meramente enfermos, mas mortos em nossos delitos e pecados; somos espiritualmente impotentes e
incapazes de salvar a nós mesmos (não somos nem capazes de começarmos essa salvação). Alguém pode
reformar a sua vida exterior até certo ponto, mas não pode dar a si mesmo um novo coração; pode ser
capaz de modificar a sua conduta em alguns aspectos, mas não pode ressurgir dos mortos por si mesmo
(Ef 2.1-10).

Extraído do livro Catecismo Maior de Westminster Comentado – Johannes G. Vos, Editora Os Puritanos, pp. 93-97

ASSINATURA DA REVISTA OS PURITANOS


Se você deseja fazer assinatura anual da Revista OS PURITANOS (periodicidade trimestral), envie cheque no-
minal cruzado ou cópia de comprovante bancário em favor da CLIRE — Centro de Literatura Reformada, Banco
do Brasil — AGÊNCIA 0007-8, CONTA CORRENTE 10.903-7, no valor de R$ 32,00 (Trinta e Dois Reais).

Marque um X - Assinatura: NOVA ( ) RENOVAÇÃO ( ) MUDANÇA DE ENDEREÇO ( )

Nome:_ ____________________________________________________________
Endereço:_ ________________________________________________________
Bairro:____________________ Cidade:______________ UF:_________________
CEP:________ Tel.: ( )_______ Fax: ( )_________ E-mail:__________________
Último exemplar que recebeu:_________________________________________
Igreja a que pertence:_ ______________________________________________

REVISTA OS PURITANOS
Rua: São João, 473 — São José, Recife - PE
CEP: 50.020 - 150 — Fone/Fax: (81) 3223-3642
E-mail: ospuritanos@gmail.com

3, 2010 –
­ Revista Os Puritanos 43