Você está na página 1de 13

Direito da Execução Penal

Prof. Ismael Barros

ismaellbarros.advogado@gmail.com
“Hoje o preso está contido, mas amanhã
estará contigo”.
Alvino Augusto de Sá (Professor do Departamento de Direito Penal, Medicina Forense e
Criminologia, da Faculdade de Direito da USP).
Sugestões
• BECCARIA, Cesare. Dos Delitos e das Penas.

• FOUCAUT, Michel. Vigiar e Punir: Nascimento da


Prisão.

• MURARO, Mariel. Sistema penitenciário e execução


penal [livro eletrônico]. Curitiba: InterSaberes, 2017.

• Documentário a 13ª Emenda - Netflix


Consilio Poenalis
Avaliação Suplementar – Até 2,0 pontos (somar ao 1º exerc.)

Metodologia:

1. Artigo Científico - Resenha e apresentação de até 10 min.


2. Elaboração de curta-metragem científico/educacional de até 06 min. – Roteiro e
apresentação de até 04min.
3. Equipes de até 05 pessoas;
4. Escolha de temas que versem sobre Direito da Execução Penal;
Avaliação concernente a até 2,0 pontos nos seguintes quesitos:
4.1 Pertinência Científica – 0,5
4.2 Originalidade – 0,5
4.3 Boa Apresentação – 0,5
4.4 Referência bibliográfica – 0,5
Fontes Bibliográficas:
Artigos científicos de revistas eletrônicas.
Direito da Execução Penal
Execução Penal no Brasil

No Brasil, em junho de 2016, existiam 762.712 pessoas privadas de liberdade, sendo 689.510
pessoas que estão em estabelecimentos administrados pelas Secretarias Estaduais de
Administração Prisional e Justiça (sistema penitenciário estadual); 36.765 pessoas custodiadas
em carceragens de delegacias ou outros espaços de custódia administrados pelas Secretarias
de Segurança Pública; e 437 pessoas que se encontram nas unidades do Sistema Penitenciário
Federal, ultrapassando pela primeira vez na história, a marca de 700 mil pessoas privadas de
liberdade, representando um aumento da ordem de 707% em relação ao total registrado no
início da década de 1990.
No que tange à
população carcerária no
Brasil por unidade da
federação, o estado que
mais encarcera é São
Paulo, seguido por Minas
Gerais e Paraná.
Raça, cor ou etnia e percentual da População Privada de Liberdade

No que se refere a raça, cor,


ou etnia, e a população
privada de liberdade, a
percentagem de pessoas
negras no sistema prisional é
de 67%, contrastando com o
percentual de negros em geral
na composição da população
brasileira, 51% (Censo 2010),
significativamente menor. O
perfil das pessoas presas é
majoritariamente de jovens
negros, de baixa escolaridade
e de baixa renda.
Pessoas Privadas de Liberdade no Brasil em junho de 2016

Panorama geral da população prisional


brasileira registrada em 30/06/2016 em
1.422 unidades prisionais, em relação ao
número de vagas, 368.049, tem-se um
déficit total de 358.663 mil vagas e uma
taxa de ocupação média de 197,4% em
todo o país (INFOPEM 2016).
A execução penal é uma atividade complexa, estruturada
nos planos jurisdicional e administrativo, em que os
Poderes Judiciário e o Executivo atuam de forma
entrosada.

Portanto, examinadas as coisas do ponto de vista da


natureza da norma jurídica que dela cuida, envolve o
direito penal, o direito processual penal e ainda o direito
penitenciário, que para muitos não passa de ramo do
Direito Administrativo (MIRABETE, 2017, p. 1, apud
CUNHA, 1985, p. 186).
Autonomia do Direito Penitenciário
Autonomia efetivada pelos aspectos: científico
(desenvolvimento da doutrina, publicações de
artigos, livros, realização de congressos, ensino
da cadeira); legislativo (edição de normas que
regulam a relação jurídico-penal penitenciária) e
jurídico (reconhecimento constitucional de uma
legislação penitenciária conferindo competência
à União e aos Estados).
Dispõe a CF/88

Art. 24. Compete à União, aos Estados e ao


Distrito Federal legislar concorrentemente
sobre:

I - direito tributário, financeiro, penitenciário,


econômico e urbanístico;
Lei nº 7.210/1984 – Institui a LEP

Do Objeto e da Aplicação da Lei de Execução Penal

Art. 1º A execução penal tem por objetivo efetivar as


disposições de sentença ou decisão criminal e
proporcionar condições para a harmônica integração social
do condenado e do internado.

Você também pode gostar