Você está na página 1de 4

ESTATUTO

CAPÍTULO I

Da Denominação, Constituição, Finalidade,


Sede, Foro, Duração e Representação

Art. 1º. A Loja de Perfeição Irineu Teixeira, fundada a 01 de junho de 1974, em Caxias do
Sul, Estado do Rio Grande do Sul, adiante designada abreviadamente Loja, é uma pessoa
jurídica de direito privado, qualificável como de interesse público, constituída sob a forma de
associação sem fins lucrativos ou de fins não econômicos e de caráter beneficente, é
composta de maçons regulares e destina-se à prática dos princípios consagrados pela
Maçonaria Universal e o estudo do Filosofismo Maçônico do Rito Escocês Antigo e Aceito,
dos graus 4º ao 14º, sendo jurisdicionada pelo Supremo Conselho do Rio Grande do Sul, e
jamais poderá perder seu caráter essencialmente maçônico.

Art. 2º.- A Loja tem sede à Av. da Vindima, 233, Bairro Exposição, Caxias do Sul – RS,
elege, para os efeitos legais, o Foro da Comarca de Caxias do Sul - RS, e terá sua duração de
funcionamento por tempo indeterminado.

Art. 3º. A Loja é livre e autônoma no que concerne à sua administração dentro dos limites
estabelecidos pelo Estatuto Social e demais leis do Supremo Conselho do Rio Grande do Sul,
o qual reconhece como poder legitimo, regular e legislador da Ordem Maçônica, e presta
inteira obediência às suas normas jurídicas e leis vigentes no país.

Art. 4º.- A Loja será representada pelo seu Presidente, ativa e passivamente, em juízo ou
fora dele.

CAPÍTULO II

Dos Requisitos Para Admissão, Suspensão e Desligamento de Associados

Art. 5º. Consideram-se Associados os admitidos nesta qualidade, aprovados segundo os


preceitos e exigências da Legislação Maçônica.

Parágrafo Único - A qualidade de associado é intransmissível.

Art. 6º. O Associado poderá solicitar desligamento por motivação própria, ser desligado
nos casos de impontualidade das contribuições financeiras, ou de assiduidade, ou ainda ser
suspenso ou excluído havendo justa causa, assim reconhecida em procedimento que lhe
assegure amplo direito de defesa, por decisão fundamentada, mediante julgamento dos
órgãos judicantes competentes, cabendo recurso a superior instância, consoante às
disposições contidas na legislação interna.

Art. 7º. Os Associados que compõe o Quadro Associativo da Loja têm iguais direitos e
deveres nos termos da legislação interna e não respondem solidária ou subsidiariamente
pelas obrigações sociais, respondem, porém a mesma pelas omissões ou excessos no
exercício do seu mandato.

CAPÍTULO III
Dos Direitos e Deveres dos Associados
Seção I – Dos Direitos
Art. 8º. São direitos dos associados:
I – a igualdade perante a Lei,
II – votar e ser votado na forma da legislação interna;
III – ter assegurada, quando acusado, plena defesa, por todos os meios e recursos a ela
inerentes;

Seção II – Dos Deveres

Art. 9º. São deveres dos associados:


I – obedecer a Lei e aos poderes maçônicos constituídos;
II – frequentar ativamente os trabalhos da Loja, bem como aceitar e desempenhar, com
probidade e zelo, as funções e os encargos que lhe forem confiados;
III – satisfazer com pontualidade as contribuições financeiras que ordinária ou
extraordinariamente, lhe forem legalmente atribuídas;

CAPÍTULO IV
Das Fontes de Recursos Para Manutenção e Da Ordem Econômico-Financeira

Art. 10. Constituem contribuições obrigatórias dos associados às mensalidades ou


anuidades.

Art. 11. Integra a receita da Loja as taxas, os emolumentos, as mensalidades, o tronco de


solidariedade, as doações de qualquer natureza, as rendas de campanhas e promoções, além
de outras rendas eventuais, sempre de acordo com os objetivos da Loja.
§ 1.º As Taxas extraordinárias deverão ser aprovadas em Assembléia Geral.
§ 2.º Os valores da Loja somente poderão ser aplicados em instituições financeiras
sediadas no Brasil.

Art. 12. A Loja depositará em banco os seus haveres em dinheiro, os quais só poderão ser
retirados mediante assinatura do Tesoureiro e do Presidente.

Art. 13. A Loja não distribuirá entre seus associados, dirigentes ou doadores, à titulo de
participação, honorários ou gratificação, nenhuma parcela de seu patrimônio ou arrecadação,
bem como de eventuais excedentes operacionais, brutos ou líquidos, dividendos e
bonificações, auferidos mediante o exercício de suas atividades, cujos resultados serão
aplicados integralmente na consecução de seu objetivo social.

Art. 14. O exercício financeiro da Loja coincidirá com o ano civil e até a última sessão do
mês de Junho o Tesoureiro apresentará um balanço geral do ano financeiro anterior, para
análise e aprovação das contas pela Assembléia Geral, especificamente convocada para tais
fins.

CAPÍTULO V
Da Administração da Loja

Art. 15. A Administração da Loja, será composta dos cargos de Presidente, 1º Vice-
Presidente, 2º Vice-Presidente, Orador, Tesoureiro e Secretário, eleitos por intermédio de
seus associados, bienalmente em escrutínio secreto, pela maioria dos votos válidos, e de
cargos não eletivos de livre nomeação do Presidente, demissiveis “ad nutum”, na
conformidade da legislação interna.
§ 1.º O Presidente representa a Loja, ativa e passivamente, em juízo ou fora dele.

§ 2.º Nos impedimentos, a representação obedecerá à ordem estabelecida neste artigo.

CAPÍTULO VI
Da Assembléia Geral

Art. 16. A Assembléia Geral é o órgão máximo de deliberação da entidade e é constituída


pela reunião dos membros ativos da Loja.

Art. 17. A Assembléia Geral funcionará ordinariamente nos dias fixados em seu
Regimento Interno, e suas decisões terão força normativa pela maioria simples de votos dos
seus membros presentes, cabendo ao Presidente o voto de Minerva em caso de empate,
exceto aquelas cujas decisões exigirem quorum especial.

Art. 18. Compete privativamente à Assembléia Geral:

I - Eleger a Administração por maioria absoluta dos votos válidos de seus membros que
estejam regulares e na plenitude de seus direitos maçônicos, em Assembléia Geral Ordinária
especialmente convocada para esse fim.
II - Destituir, total ou parcialmente, a Administração por voto concorde de no mínimo dois
terços (2/3) dos Associados presentes em Assembléia Geral Extraordinária especialmente
convocada para esse fim;
III - Alterar o Estatuto por voto concorde de no mínimo dois terços (2/3) dos Associados
presentes em Assembléia Geral Extraordinária especialmente convocada para esse fim;
IV - Decidir sobre a Admissão, por escrutínio secreto em que todos os presentes tomem
parte.
Parágrafo único. A Admissão não ocorrerá se houver votos discordes superiores a 02
(dois).
V - Decidir sobre a Demissão, Suspensão ou Exclusão de Associado, por maioria simples
dos votos válidos dos Associados presentes em Assembléia Geral Ordinária.
VI - Extinguir a Associação, O voto de 2/3 (dois terços) dos membros que estejam
regulares e na plenitude de seus direitos maçônicos em Assembléia Geral Ordinária ou
Extraordinária, convocada para esta finalidade.
§ 1.º A Assembléia Geral reunir-se-á extraordinariamente, por convocação do Presidente,
ou por convocação de no mínimo 1/5 (um quinto) de seus membros e suas decisões terão
força normativa.
§ 2.º A convocação da Assembléia Geral Extraordinária dar-se-á através de carta
protocolada ou carta com Aviso de Recebimento - “AR”, com antecedência mínima de sete
dias.

CAPÍTULO VII

Da Extinção das Atividades da Loja e da Destinação do Patrimônio

Art. 19. Extinta ou dissolvida a Associação seu patrimônio jamais poderá passar a mãos
profanas ou a maçons individualmente ou ainda ser dividido entre os membros
remanescentes, devendo ser arrecadado e administrado pelo Supremo Conselho do Rio
Grande do Sul em sua totalidade, recebendo-o de volta se, no prazo de 20 (vinte) anos,
restabelecer sua existência legal.
CAPÍTULO VIII
Das Disposições Gerais

Art. 20. Aplicam-se em casos omissos as disposições constantes dos Estatutos,


Regulamento, Atos e deliberações emanadas do Supremo Conselho do Rio Grande do Sul e a
Legislação Brasileira.

Art. 21. Este Estatuto poderá ser alterado no todo ou em parte, em Assembléia Geral
Extraordinária convocada para esta finalidade.

Art. 22. O presente Estatuto entra em vigor após ser aprovado pela Assembléia Geral da
entidade e pelo Ilustre Conselho do Supremo Conselho do Rio Grande do Sul, revogadas as
disposições em contrário.

Caxias doSul, 5 de abril de 2018

João Paulo Pagno


Presidente

Leandro Colleony Leonardo Tonietto


1º Vice-Presidente 2º Vice-Presidente

Lucas Timing Diel Giovanni Tomasi


Orador Tesoureiro

José Fernandes Bulla


Secretário

___________________________
Giovanni Tomasi
OAB/RS 63.015