Você está na página 1de 5

Fichamento

Itiro IIda. Ergonomia Projeto

O QUE È:

É o estudo da adaptação do trabalho ao homem. O trabalho aqui tem uma acepção bastante
ampla, abrangendo não apenas aqueles executados com máquinas e equipamentos, utilizado
para transformar os materiais, mas também toda a situação em que ocorre o relacionamento
entre o homem e uma atividade produtiva. Isso envolve não somente o ambiente físico, mas
também os aspectos organizacionais. A ergonomia tem uma visão ampla, abrangendo
atividades de planejamento o projeto, que ocorre antes do trabalho a ser realizado, e aqueles
de controle e avaliação, que ocorrem durante e após esse trabalho. Tudo isso é necessário
para que o trabalho possa atingir os resultados esperados.

A ergonomia inicia-se com o estudo das características do trabalhador, para depois projetar o
trabalho que ele consegue executar, preservando assim sua saúde. Pg 2

O autor, no entanto, faz uma breve menção a outras definições de ergonomia de outros
países.

Uk- ergonomics Society,

BR- abergo,

International ergonomics association – é a disciplina cientifica que estuda as interações entre


os seres humanos e outros elementos do sistema, e a profissão que aplica teorias, princípios e
dados e métodos, a projetos que visem otimizar o bem-estar humano e o desempenho global
do sistema. www.iac.cc

Frequentemente, os ergonomistas trabalho em domínio especializados, abordando certas


características específicas do sistema, tais como:

ergonomia física;

Organizacional;

Ergonomia Cognitiva – Ocupa-se dos processos mentais, como a percepção, memória,


raciocínio e resposta motora, relacionados com a interação entre as pessoas e outros
elementos de um sistema. Os tópicos relevantes incluem a carga mental, tomada de decisões,
interação homem- computador, estresse e treinamento. Pg3

QUAIS SÃO SEUS OBJETIVOS:

A ergonomia estuda os diversos fatores que influenciam no desempenho do sistema


produtivo. E procura reduzir as suas consequências nocivas sobre o trabalhador. Assim ela
procura reduzir a fadiga, estresse, erros e acidentes, proporcionando segurança, satisfação e
saúde aos trabalhadores, durante o seu relacionamento com esse sistema produtivo.

A eficiência virá como consequência. Em geral, não se aceita colocar a eficiência como objetivo
principal da ergonomia, porque ela, isoladamente, poderia justificar medidas que levem ao
aumento do risco, além do sacrifício e sofrimento dos trabalhadores. Isso seria inaceitável,
porque a ergonomia visa, em primeiro lugar a saúde, a segurança e a satisfação do
trabalhador.PG 3

Saude;

Segurança;

Satisfação; é o resultado do atendimento das necessidades e expectativas do trabalhador.


Contudo, há muitas diferenças individuais e culturais. Uma mesma situação pode ser
considerada satisfatória para uns e insatisfatórias para outros, dependendo das necessidades e
expectativas de cada um. Os trabalhadores satisfeitos tendem a adotar comportamento mais
seguro e são mais produtivos que aqueles insatisfeitos. Pg4

QUAL ORIGEM:

Data oficial –-1º reunião de cientistas e pesquisadores- em 12 de julho de 1949 - novo ramo de
aplicação interdisciplinar da ciência- sem nome definido

Data oficial – 2º reunião de cientistas e pesquisadores -16 de fevereiro de 1950. Batismo de


ergonomia.

Condição precursora na ergonomia.

Assim, a preocupação em adaptar o ambiente natural e construir objetos artificiais para


atender às suas conveniências, sempre esteve presente nos seres humanos desde os tempos
remotos. Pg 5

De certa forma sub existem até hoje as doenças dos trabalhadores, descritas por Bernadino
Ramazzine, (em 1700. Fundacentro, 1999). O acervo de conhecimento já disponíveis em
ergonomia, se fosse dominado a aplicado pela sociedade, certamente contribuiria para reduzir
o sofrimento dos trabalhadores e melhorar a produtividade e as condições de vida em geral.
Pg 8

A cada ano aumentou oS números de ergonomistas que trabalham nas empresas. Suas
pesquisas e recomendações tem contribuído para reduzir o número de erros e acidentes, além
de reduzir os esforços, estresse e doenças ocupacionais. Os benefícios se estendem também a
vida dos cidadãos em geral, que passaram a contar com produtos de consumo mais fáceis de
operar, seguros e confortáveis. Pg 8

COMO SE CLASSIFICA:

QUAIS SÃO SUAS CARACTERÍSTICAS:

PARA QUE SERVE:

A contribuição da ergonomia, de acordo com a ocasião em que é feita, classifica-se em


concepção, correção, conscientização (Wisner, 1987) e participação.

Concepção;

Correção;
Conscientização; procura capacitar os próprios trabalhadores para a identificação e correção
de problemas do dia a dia ou aqueles emergenciais. Pg 14. Atravez de cursos de treinamento e
frequentes reciclagens, ensinando-o a trabalhar de forma segura, reconhecendo fatores de
risco que podem surgir a qualquer momento, no ambiente de trabalho. Pg 14

Participação- Procura envolver o próprio usuário do sistema, na solução de problemas


ergonômicos. ...Esse princípio é baseado na crença de que eles possuem um conhecimento
prático, cujo detalhes podem passar desapercebidos ao analista ou projetista. Além disso,
muitos sistemas ou produtos não são operados de forma “correta”, ou seja, como foi
idealizada pelos projetistas. Pg 15

Enquanto a ergonomia de conscientização procurava apenas manter os trabalhadores


informados, a de participação envolve aquele de forma mais ativa, na busca da solução para o
problema, fazendo a realimentação de informação para as fases de conscientização correção e
concepção. Pg 15.

APLICAÇÃO DA ERGONOMIA NO SETOR PÚBLICO:

O setor de serviços é o que mias se expande com a modernização da sociedade. Com a


mecanização crescente da agricultura e a automação da indústria, a mão de obra excedente
desses setores está sendo absorvida pelo setor de serviços: comércio, saúde, educação,
escritório, bancos, lazer e prestação de serviços em geral.

As universidades, bancos, centrais de abastecimento e outros exigem operações de sistemas


igualmente complexos oferecendo muitas oportunidades para estudos e aplicações da
ergonomia. Pg 21

QUAIS OS TIPOS PRINCIPAIS:

QUAIS EXEMPLOS:

COM O QUÊ/ QUEM SE RELACIONA:

QUAIS SEUS DEFEITOS E QUALIDADES:

QUAIS SEMELHANÇAS E DIFERENÇAS COM ALGO:

QUAL SUA CAUSA:

QUAIS SUAS CONSEQUÊNCIAS PARA ALGO:


CAPÍTULO 2 MÉTODOS E TECNICAS EM ERGONOMIA.

A unidade básica da ergonomia é o sistema homem-máquina-ambiente. Isso significa que uma


parte desse sistema é governada pelas ciências naturais como a biologia, fisiologia, física e
química. A outra, pelas ciências sociais, como a psicologia, sociologia a a antropologia. Cada
um desses ramos da ciências usa métodos e técnicas diferentes. No caso da ergonomia,
dependendo da natureza do problema, pode predominar um ou outro tipo. Se o problema
estiver mais relacionado com a máquina, ambiente, ou funcionamento do organismo humano
podem predominar os métodos das ciências naturais e se for de relacionamentos humanos,
aqueles das ciências sociais. Pg 25

O enfoque da ergonomia é baseado na teoria de ra nosso caso será adotado um conceito que
vem da biologia: “sistema é um conjunto de elementos ( ou subsistemas) que interagem entre
si, com um objetivo comum e que evoluem no tempo”. Pg 26

Otimização e subotimização

Em liguagem matemática, a solução ótima de um problema é aquela que maximia ou minimiza


a função objetivo, dentro das restrições impostas a esse problema. Isso significa que a solução
ótima não existe de forma absoluta, mas para certos creitérios ( função objetivo) definidos,
como produção, lucro, custos, acidentes, errso, indices de refugos, e outros. Portanto, para
cara critérios aplicado, existem uma solução otima diferente.

A solução otima esta ligada ou máximo ou mínimo da função, coforme esta tenha concavidade
para cima ou para baixo, respectivamente. Por exemplo, mo caso do ângulo de abertura do
cabo do alicate, quando esse ângulo é pequeno, a força de preensão tembém é pequena.
Aumentando-se o ângulo, a força também aumenta, mas até um certo ponto A. a partir desse
ponto, se aumenta a abertura, a força tende a cair( figura 2.3-a). Existe, então, um ponto de
abertura ótima, que corresponde á força máxima.

A figura 2.3-b apresenta um exemplo de concavidade para baixo, quando a solução ótima esta
associada ou ponto de mínimo. Isso acontece, por exemplo, com erros cometidos pelos
trabalhadores em função da complexidade da tarefa. Tarefas muito simples são monotonas e
provocam erros, mas aquelas muito complexas também provocam erros devido ao estresse.
Há, entao, um ponto intermediários, onde a complexidade é ótima. Esse ponto está associado
ao número mínimo de erros. Pg 29

As subotimizações ocorrem frequentemente no sistema homem-máquina-ambiente.

O resto do capítulo foi digitalizado, para melhor estudo.