Você está na página 1de 15

Amábile Oliveira Spessotto

Bruno
Denio
Fagner
Jerson

A Importância do Profissional de Business


Intelligence

São Bernardo do Campo


2º semestre/2017
Amábile Oliveira Spessotto
Bruno
Denio
Fagner
Jerson

A Importância do Profissional de Business


Intelligence

Projeto de pesquisa apresentado à disciplina


Metodologia de Pesquisa Cientifica e
Tecnológica, do 1º semestre noturno do Curso
Informática para Negócios, sob a orientação do
profa. Dra. Jacy Marcondes Duarte.

São Bernardo do Campo


2º semestre/2017
SUMÁRIO

INTRODUÇÃO........................................................................................................................ 4
1. PROJETO DA PESQUISA..............................................................................................3
2. REVISÃO DA LITERATURA...........................................................................................4
2.1. Conceito de Business Intelligence........................................................................4
2.2. O Profissional de B.I. e suas especializações......................................................5
2.3. Competências técnicas necessárias.....................................................................5
2.4. O sucesso dos resultados alcançado pelo profissional de B.I...........................6
2.5. A importância do profissional de B.I.....................................................................7
3. JUSTIFICATIVA DO PROJETO.......................................................................................9
4. OBJETIVOS DA PESQUISA.........................................................................................10
5. METODOLOGIA............................................................................................................ 11
6. CRONOGRAMA............................................................................................................ 12
REFERÊNCIAS.................................................................................................................... 13
INTRODUÇÃO

O embasamento teórico tem por finalidade identificar o modelo de integração


de um sistema de inteligência competitiva com o profissional que o manipula, para
que juntos possam orientar os executivos em nível estratégico das organizações nas
tomadas de decisões, e ainda, poderem agregar nos seus negócios um diferencial
competitivo, pois partindo deste pressuposto as organizações poderão se sobressair
de um mercado tão competitivo.
1. PROJETO DA PESQUISA

TEMA

A Importância do Profissional de Business Intelligence

PROBLEMA

Apenas ferramentas de B.I. são suficientes para o sucesso do projeto?

HIPÓTESE

Considerando a atual dependência das corporações de ferramentas


digitais, a ferramenta de Business Intelligence refere-se ao processo de coleta,
organização, análise, compartilhamento e monitoramento de informações que
oferecem suporte a gestão de negócios. O problema é que as informações
chegam “soltas” do software de preferência, ou seja, não apresentam um passo
a passo de como podem resolver o problema do cliente. É nesse momento que
entra o profissional de BI, que organiza e liga todos os dados de maneira com
que eles consigam fazer parte de um plano de ação estratégico com enfoque
em resultados, pois é necessário analisar e interpretar tudo para que a
pesquisa vire uma informação valiosa. Por isso, é necessário que estudemos a
necessidade de um profissional qualificado capaz de organizar todas as
informações para torná-la eficaz na tomada de decisão.

3
2. REVISÃO DA LITERATURA

As ferramentas oferecidas pelo setor de tecnologia vêm tornando cada


vez mais prático o dia-a-dias das organizações. Essas ferramentas são
implantadas principalmente para viabilizar as tarefas, mas tem como principal
objetivo o aumento de competitividade no mercado onde atua cada
organização.

2.1. Conceito de Business Intelligence

Conforme Chiavenato (2002) a incerteza da Administração aumenta a


consequências causadas por erros, a incerteza é a anátema da Administração.
Sendo assim o Business Intelligence (BI), inteligência de negócios, pode
ser considerada como a ferramenta que minimiza os erros e evita a incerteza.
É o conjunto de teorias, metodologias, processos, estruturas e tecnologias que
transformam uma grande quantidade de dados brutos em informação útil e
precisas para tomadas de decisões estratégicas.

”A cada dia mais e mais as pessoas estão produzindo dados de maneira


involuntária, seja efetuando compras, navegando pela internet, escutando
músicas on-line, fazendo buscas em sites como Google, Yahoo e Bing,
participando de redes sociais, entre outras atividades. Esses dados de maneira
bruta não revelam segredos, apenas apresentam trajetórias e dados
provenientes de operações, mas a partir do seu processamento pode-se
chegar a valiosas informações. ” (CECI et al., 2012)

Conforme apontado por Ceci (2012) no cenário atual, muitas empresas


estão utilizam não apenas os seus dados operacionais (dados provenientes de
operações como, por exemplo, uma venda ou compra de um determinado
produto) e transacionais (dados em nível de transação), usam também dados
de mídias sócias, blogs e tudo que possa determinar o comportamento do
publíco alvo. As combinações dos dados da web com os dados internos da
organização geram informação relevantes e estratégicas as organizações

4
podem armazenar os mais diversos dados aleatórios e então filtrá-los,
compará-los e transformá-los em informação inteligente para a tomada das
decisões.

2.2. O Profissional de B.I. e suas especializações

Em sua publicação em um site para recursos uma Half (2015) afirma que
são os profissionais de B.I. que criam aplicações e definem padrões e melhores
práticas de desenvolvimento com base na análise de dados, estruturam
arquitetura e tecnologia para projetos de big data e identificam bases de dados
das quais podem ser extraídas informações relevantes para o crescimento e a
obtenção de vantagem competitiva da companhia.
Em seu texto Souza (2017) esclarece que o profissional de B.I. deve ter
amplo conhecimento do mercado, não apenas de tecnologia da informação.
Esse profissional tem que moldar qualquer informação para que ela se adeque
a necessidade da organização e que é comum acha que ter conhecimento em
tecnologia da informação ou sistemas é apenas o essencial para atuar na área
de BI. Para realizar um bom trabalho, é necessário que esse profissional
possua conhecimento do mercado financeiro, de logística, negócios e contábil.
Capaz atuar em nos mais diversos setores, essse profissionais são
eficientes em sinalizar deficiências ou até mesmo oportunidades como por
exemplo o desenvolvimento de novos produtos, campanhas de mercado e
decisões estratégicas de vendas.

2.3. Competências técnicas necessárias

Diversas atribuições são necessárias, como entusiasmo, paciência,


persistência, mas os pré-requisitos a seguir são de grande importância conciliar
teoria e prática em um cenário atual, a verdadeira aprendizagem se dá na
junção desses dois pilares, conhecer as ferramentas e métodos tecnológicos

5
disponíveis e acompanhar o andamento das novidades lançadas no mercado
além de estar em sintonia com a inovação.
Conforme Souza (2017) o indivíduo interessado em ingressar na carreira
de Business Intelligence deve buscar certificações em instituições renomadas
mundialmente além de um conhecimento amplo no campo da administração. O
processo de imersão ao ramo pode ser realizado através de programas
universitários e também através da certificação, um dos meios mais viáveis de
compreender os conceitos básicos de Business Intelligence.
Em linhas gerais, o profissional deve buscar qualificações adequadas
disponíveis no mercado e soma-las aos conhecimentos de alguns princípios da
administração para que seja possível uma interação e compreensão com as
necessidades da organização.

”Deve inspirar pessoas que não são subordinadas a ele a trabalharem


em prol de um objetivo que por vezes foge das tarefas diárias dessas, e pior,
da avaliação de desempenho pela qual serão submetidas pela empresa, ou no
cenário tradicional enfrentar o problema de cooperação entre pessoas. Este
que é amplamente conhecido e não é inerente a essa ou aquela empresa, é
um paradigma cultural presente na maior parte delas, sedo um desafio do
gerenciador da solução de B.I. exercer sua influência. ” (LIBORIO, 2015)

2.4. O sucesso dos resultados alcançado pelo profissional de


B.I.

Mesmo que o negócio seja relativamente pequeno todas as tomadas de


decisões são determinantes para seu futuro por isso é necessário a
preocupação com as estratégias escolhidas, como disse Baldrati (2011) na
proporção do aumento das variáveis a melhor escolha para elevar a eficiência
da empresa nem sempre é tão óbvia. Determinar qual será seu nicho, seu
produto ao serviço, público não é uma tarefa simples, até mesmo quando sua
empresa já está consolidada no mercado em que atua. Para que seja menos
complexa e mais assertiva que existe o profissional de B.I. qualificado e
preparado para sintetizar todas as informações armazenadas no banco de

6
dados escolhido com a ferramenta apropriada e transforma-la em informação
valiosa para a melhor decisão.
“Por intermédio dos elementos da tecnologia de informação, é possível
armazenar e acessar de maneira eficaz e estruturada, informações sobre
fornecedores, clientes e suas tendências de consumo, concorrentes e demais
elementos de gestão da própria empresa, além de viabilizar a interlocução dos
participantes, bem como a análise dos dados obtidos, no sentido de operar de
maneira segura e objetiva.” (LIMA et. al.2011)

Para que o conceito do business faça sentido, é preciso que a empresa


defina metas e construa um bom planejamento estratégico. A organização e o
profissional devem ter objetivos iguais, isso tornará o conceito eficiente, os
caminhos devem seguir alinhados as metas definidas e contribuir positivamente
para o resultado esperado por todos.

2.5. A importância do profissional de B.I.

Chiavenato (2003) determina que a nova ordem do mundo é promovida


pela Tecnologia da Informação. As empresas ponto.com revolucionaram a
maneira de fazer negócios, criaram uma nova maneira de trabalhar e uma nova
cultura de relacionamento entre as pessoas.
Atualmente tecnologia da informação permite que se obtenha o antes
inimaginável. Toda a interação que os objetos tecnológicos nos proporcionam,
para buscar e fornecer informações valiosas ao ser humano e aos negócios. Ao
mesmo tempo, na retaguarda, aplicações (sistemas) podem trocar informações
entre si utilizando protocolos padrão para identificar os diversos tipos de dados
disponíveis.

“Fabricar ou criar um software é bem mais difícil do que o processo que


está sendo coberto pelo sistema, pois acima de tudo é necessário a
compreensão global de todo o processo.
Logo, a maior complexidade enfrentada para construir um sistema vem
a ser o momento em que se dá a compreensão do que é realmente necessário
construir, viabilizado pela aquisição de conhecimento.

7
Assim sendo, se um software não é um produto e sim um meio de
armazenagem de conhecimento, então o desenvolvimento de software não é
uma atividade de produção e sim de aquisição de conhecimento.”(MYLIUS,
2014, p.31)

O mercado de trabalho precisa compreender que o uso das inúmeras


ferramentas disponibilizadas pelo B.I. só se torna eficiente quando o indivíduo
com domínio do conhecimento do mercado interno e externo, com qualificação
apropriada é capaz de tornar todos os dados em informação valiosa.

8
3. JUSTIFICATIVA DO PROJETO

Foi-se o tempo em que você podia esperar dias ou mesmo semanas por
relatórios que exigiam perícia técnica para criar e entender. É arriscado pensar
que basta enviar relatórios estáticos tradicionais a um executivo no escritório
para que sua empresa seja competitiva. Em nossos estudos apontaremos a
necessidade do mercado em possuir profissionais capazes de compilar dados
resultantes de softwares em relatórios relevantes a tomada de decisão de uma
organização.
”Hoje em dia há diversas definições para BI e muitas vezes profissionais
dizem estar fazendo BI quando na verdade estão gerando informações com
sistemas de informações gerenciais, ou seja, através de ferramentas para
geração de dashboards, gráficos, relatórios e análises visuais (visualização de
informações).” (LOH, 2014, p.10)
Muitas pessoas perguntam sobre a carreira de um profissional de
Business Intelligence. Perguntas do tipo “Como começar na área de BI?”, “Qual
certificação devo tirar?”, “Quais os pré-requisitos para ingressar na área?”.
Essas perguntas são interessantes pelo fato de não ser tão fáceis de
responder, nem mesmo por alguém que já é profissional da área, e através
desta pesquisa seremos capaz de determinar a real importância desse
profissional para o mercado de tecnologia e negócios.
Através das análises aqui apresentadas as dúvidas diante do tema, que
pode ser a carreira seguida por muitos dos estudantes de nosso curso,
demonstrará quais formações, qualificações e experiências são necessárias
para a formação de um profissional de competência capaz de atender as reais
necessidades do mercado.

9
4. OBJETIVOS DA PESQUISA

Objetivo Geral
Analisar a necessidade de atração do profissional de B.I. qualificado
para que haja qualidade nas tomadas de decisões das organizações

Objetivo Específicos

Demonstrar a importância em conciliar teoria e prática para alcançar o


sucesso profissional: A verdadeira aprendizagem se dá na junção desses
dois pilares do conhecimento;
Conhecer as ferramentas, tecnologias e métodos disponíveis para
atuação na aréa de B.I.: a sintonia com o mercado ajuda a estar envolvido
com as inovações para a área, além de conhecer os diferenciais competitivos;
Estudar Data Warehouse através de referências bibliográficas: O DW é um
dos grandes alicerces que está por trás do Business Intelligence. Por isso a
extrema importância do conhecimento e experiência desse assunto é o que
tornará o profissional dessa área um indivíduo determinante no ambiente
organizacional;
Conhecer as mais diversas áreas de domínio do profissional de
B.I.: Analisar as características necessárias nesse profissional tal como seus
conhecimentos nas diversas áreas de tecnologia e negócios. É quase que
obrigatório o profissional de BI conhecer bem os conceitos de administração,
tais como contabilidade, negócios, pessoas, fiscal e as importantes vertentes
desse setor.

10
5. METODOLOGIA

11
6. CRONOGRAMA

12
REFERÊNCIAS

CECI, F. et al. Business Intelligence. Palhoça, SC: Unisul virtual, 2012.

MYLIUS, M. Business Intelligence: mais fácil do que você imagina. São Paulo,
SP: Editora Cultura , 2014.

CHIAVENATO, Idalberto. Introdução à Teoria Geral da Administração. São


Paulo, 6a. ed. - Editora Campus, Rio de Janeiro 2003.

Loh, S. BI na era do big data para cientistas de dados: indo além de cubos e
dashboards na busca pelos porquês, explicações e padrões. Porto Alegre
Prefixo Editorial: 916683 Número ISBN: 978-85-916683-1-1, 158 p.

Lima, A. V., & Lima, D. M.(2011) Business intelligence como ferramenta


gerencial no suporte ao processo de business performance
management. Universitas Gestão e TI, 1(1), 111–129. Disponível em:
<https://doi.org/10.5102/un.gti.v1i1.1201>, Acesso em: 25 set. 2017.

HALF, R. Profissão em alta: Business Intelligence. Disponível em:


<https://www.roberthalf.com.br/blog/profissao-em-alta-business-intelligence>.
Acesso em: 23 set. 2017.

LIBORIO, S. DE M. O PROFISSIONAL INTELIGENTE EM B.I. De Onde Vem?


Quem São? Como Deve Ser um Profissional Dessa Área? - Artigos.com.
Disponível em: <http://www.artigos.com/artigos-academicos/19412-o-
profissional-inteligente-em-b-i-de-onde-vem-quem-sao-como-deve-ser-um-
profissional-dessa-area>. Acesso em: 23 set. 2017.

SOUZA, N. A. O que um profissional de Business Intelligence faz? - Agência


Full Service. Disponível em: <http://www.raffcom.com.br/blog/o-que-um-
profissional-de-business-intelligence-faz/>. Acesso em: 17 set. 2017.

13