Você está na página 1de 5

Ênfase 2ª situação: Indicando de longe um

subalterno, para encarregar-se de


determinada tarefa.
É a energia da fala, a vitalidade da palavra falada.
Em qualquer palavra, a sílaba de maior ênfase é a
3ª situação: Estamos diante de uma pessoa
que soa clara e mais alta.
que nos prejudicou e a denunciamos em
(Passar no quadro) juízo.

Exemplos: Varanda; café; 4ª situação: Duvidamos que a pessoa à


Maluco; Índio; Cartada. nossa frente seja capaz de fazer o que diz.
A colocação correta da sílaba tônica é o primeiro
passo na ênfase, porque a força e a vida da palavra 5ª situação: Nosso interlocutor, homem de
estão na sua sílaba tônica. hábitos moralistas, conta-nos que
abandonou a esposa e os filhos,
apaixonando-se por uma bailarina.
Assim como a palavra tem a sua sílaba
tônica, em uma frase existem uma ou mais
palavras que pedem maior ênfase ao serem Outro exercício consiste em mudar-se a
enunciadas. palavra tônica em uma mesma frase. O
sentido muda de acordo com a
A expressividade depende da ênfase transferência da ênfase, de uma palavra
correta na palavra certa. para outra:

Exercite a ênfase pronunciando as frases a Você viu aquele sujeito sair daqui?
seguir, dando ênfase às palavras Você viu aquele sujeito sair daqui?
destacadas: Você viu aquele sujeito sair daqui?
Você viu aquele sujeito sair daqui?
(PASSAR NO QUADRO) Você viu aquele sujeito sair daqui?
Você viu aquele sujeito sair daqui?
Eu absolutamente não permito que você
viaje! Entonação
Fique certo de que não há outra saída!
Gosto das coisas claras! Entonação é a música da linguagem.
À minha custa, ele não vai! Entonar bem é falar no tom certo, como se
Ponha-se na rua! cada palavra, cada sílaba, representasse
Isto é mentira! uma nota musical.

Uma forma interessante de exercitar a A variedade melódica decorre do próprio


ênfase consiste em tomar uma palavra e significado da palavra - a palavra tem de
pronunciá-la de acordo com situações ser enunciada, de acordo com o seu
hipotéticas variadas. significado, e a expressão é toda ela,
sentimento.
(CHAMAR 5 VOLUNTÁRIOS)
Pronuncie cada uma das palavras abaixo,
Exercite com a palavra VOCÊ, nas dando-lhe toda a expressão de que é capaz,
seguintes situações: de acordo com o significado:

1ª situação: Encontramos um amigo muito


querido que não víamos há muito tempo.
quando se fala muito devagar, ou quando
Assassino Biruta se pronunciam indistintamente as palavras.
Anjo Funeral
Lixo Gargalhada Qualquer ouvinte segue uma linha de
Perfume Crápula menor resistência. Se não consegue
Samba Palhaço compreender as palavras, tal como você as
Melodia Estrondo pronuncia, desliga o receptor, e deixa de
Amor Ódio ouvir.

O aperfeiçoamento da pronúncia pode ser


Cada uma dessas palavras tem a sua obtido através de algumas regras:
entonação certa, sugerida pelo seu
significado. 1. Evite a afetação!
Não se pronuncia com a mesma entonação ( ausência de naturalidade, modo artificial de
as palavras “amor” e “ódio”. ser; amaneiramento.
A palavra “ódio”, pronunciada com a  2. exageração de sentimentos; atitude fingida,
mesma entonação de “amor”, soa diferente. falsa.)

Experimente pronunciar em voz alta a


palavra “lixo”, com a mesma entonação Pessoas afetadas, no afã de exibir-se,
com que pronuncia a palavra “perfume”. estropiam as palavras. O excesso de
capricho na pronúncia confunde-se com a
Verá como é difícil, porque a palavra pede afetação.
seu tom correspondente. Falar no tom certo
é fazer-se mais facilmente compreendido. 2. Imite os padrões!
Eis algumas frases para exercícios em voz Ouvir quem fala bem ajuda a falar melhor.
alta com a entonação certa:
3. Leia em voz alta!
Ele é um sujeito malvado!
A leitura em voz alta é o exercício por
Suas filhas são excelência de quem deseja falar bem. São
Rafael uma autoridade em Psicologia! recomendáveis quinze minutos diários
O perfume é delicioso! dessa leitura, mais enfática do que de
Adoro o Brasil! costume; cada palavra deve ser lida com a
ênfase exagerada, a fim de nos
A variedade das inflexões pode ser obtida acostumarmos à entonação correta.
através de três pontos essenciais:
4. Aumente seu vocabulário!
Variando a velocidade da voz.
Variando o volume da voz. Muitas vezes, as hesitações ou os erros de
Variando o tom da voz. pronúncia devem-se à ignorância da
pronúncia certa. Falar bem depende muito
Pronúncia
de um bom vocabulário. Sempre que tiver
Uma pronúncia defeituosa pode ter origens dúvidas a respeito de alguma palavra, ao
físicas ou psicológicas. Mas, algumas realizar a leitura em voz alta, não tenha
vezes pronuncia-se mal por desleixo. É o medo de consultar um dicionário.
que acontece com palavras mutiladas, ou
Ritmo fundamentais para quem trabalha com a
voz.
Em geral, existem quatro motivos para
alguém falar muito depressa: Plana o planador em pleno céu e, planando
por cima do platô, contempla as plantas
1.Pode estar muito nervoso. plantadas na plataforma do plantador.
2. Pode estar habituado a falar depressa.
3. Pode estar preocupado com a limitação A laca aplacadora aplaca a dor da placa
do tempo de que dispõe para falar. que a laca aplacou.
4. Pode estar entusiasmado em excesso.
O blusão blasona para a blusa e a luva com
Dizendo muita coisa em pouco tempo, blandícia aplaude a blasonada.
somos mal compreendidos.
Quero que o clero preclaro aclare o caso de
Não se deve falar nem muito depressa e Clara e declare que tecla se engana no que
nem muito devagar. clama e reclama.

Assim como há um tom certo para cada Aglae lava a gleba do globo que havia
palavra, há um ritmo certo para falar bem. levado à galáxia do glabro e galante
gigante.

Para haver uma boa emissão da voz é Flamengo inflama, Fluminense influi.
preciso equilibrar bem o volume, e o Quem a flama inflama flui e reflui.
timbre da voz. Para ter bom timbre: não
fale de boca fechada, não fale com o nariz,
não fale com o peito, não fale com o fundo
Textos para treino
da garganta e não fale com a flor dos
lábios.
Lá vem o pato
A articulação é que dá claridade e nitidez à Pato aqui, pato acolá
palavra. A boa articulação faz ressaltar Lá vem o pato
todas as qualidades da voz. Articular bem é Para ver o que é que há.
indispensável a todo aquele que fala em O pato pateta
público. Pintou o caneco
Surrou a galinha
Nos exercícios de articulação é preciso Bateu no marreco.
duplicar e triplicar cada consoante. Para Pulou do poleiro
uma boa articulação é necessário No pé do cavalo
desenvolver a musculatura do céu da boca, Levou um coice
a língua e os lábios. Criou um galo
Comeu um pedaço
Os “trava-línguas” são ótimos exercícios
de jenipapo
de articulação. Palavras difíceis, ditas de
Ficou engasgado
forma exagerada, também constituem um
com dor no papo
bom exercício, além de falar com uma
Caiu no poço
caneta entre os dentes.
Quebrou a tigela
Exercícios com trava-línguas. Não deixe Tantas fez o moço
de fazer esses exercícios, pois eles são Que foi pra panela.
O TEMPO
(Vinicius de Morais)
"A vida é o dever que nós trouxemos para fazer
em casa.
Quando se vê, já são seis horas!
Quando se vê, já é sexta-feira...
Ivo viu a neve. Quando se vê, já terminou o ano...
Ivo viu a nave. Quando se vê, perdemos o amor da nossa vida.
Ivo viu a ave Quando se vê, já se passaram 50 anos!
mais leve que o ar. Agora é tarde demais para ser reprovado.
Viu a belonave Se me fosse dado, um dia, outra oportunidade, eu
nem olhava o relógio.
sozinha no mar. Seguiria sempre em frente e iria jogando pelo
Ivo viu a abelha caminho a casca dourada e inútil das horas.
fabricando mel Desta forma, eu digo: Não deixe de fazer algo que
e escutou a ovelha gosta devido à falta de tempo,
balir no vergel. a única falta que terá, será desse tempo que
Ivo viu a moça infelizmente não voltará mais."
colhendo romã MÁRIO QUINTANA
e depois o tempo
saltar como rã. O ROUBO DO ELEFANTE
Ivo viu a festa
debaixo da ponte Você tinha que roubar logo o elefante?
e ouviu na floresta -Pois é...
a canção da fonte. -Tanta coisa no circo para roubar logo o elefante?!
-Agora está feito...
-Podia ter roubado os cachorros amestrados.
(Lêdo Ivo) -Verdade.
-Roubava um por um. Passava pelo guarda com
um cachorro de cada vez, pela coleira. Quem ia
adivinhar que o cachorro não era seu?
- Ninguém.
LEIA COM ATENÇÃO: -Podia ter roubado um macaco. Saia com ele no
colo.
- É, se o guarda me visse?
O CAVALINHO BRANCO
-Dizia que era seu irmãozinho, que tinha
À tarde, o cavalinho branco começado a passar mal.
está muito cansado: -É e se o guarda dissesse. “ele está parecendo um
mas há um pedacinho do campo macaco”?
onde é sempre feriado. - Você gritava: meu Deus, é mesmo! Preciso levar
O cavalo sacode a crina ele num hospital, rápido!
loura e comprida
- Certo.
e nas verdes ervas atira
sua branca vida. - Podia ter roubado a foca.
Seu relincho estremece as raízes -A foca?
e ele ensina aos ventos - Vestia ela com uma capa, enterrava um chapéu
a alegria de sentir livres na cabeça, quem ia dizer que não era um parente
seus movimentos. seu com pé chato e bronquite?
Trabalhou todo o dia, tanto!
-É...
desde a madrugada!
Descansa entre as flores, cavalinho branco, - Podia ter roubado o leão
de crina dourada! -Sei não...
-Era só mudar o penteado e ele passava por um
CECÍLIA MEIRELLES cachorro grande. E o tigre?
- Passava por gato?
-Não seria fácil, mas o guarda acabaria
convencido. Você está entendendo?
-Sei.
- Podia ter roubado o cavalo. Passava pelo guarda
montado nele, dizendo que tinham acabado de
roubar o tigre e que você estava perseguindo o
ladrão. Também daria para conversar o guarda. //
No Brasil, o limite do que pode e do que não pode
é a capacidade de se conversar o guarda.
Conversar-se, enrola-se, paga-se uma cerveja, dá-
se um jeito e tudo acaba passando. Agora; o
elefante não. O elefante ultrapassou o limite.
- Sim.
- Não há nada a dizer pro guarda quando se é pego
roubando um elefante. E muito menos o que você
disse.
- Que elefante?
- Exato. O guarda se sentiu ofendido. Você estava
chamado ele de burro. Como “que elefante?” O
elefante estava ali. Aliás, nunca nada está tão ali
como um elefante. O elefante é está,
inegavelmente, ali e sobre a qual nenhuma
conversa é possível. Você não foi pego só
roubando um elefante. Isso já seria grave,mas
houve o pior. Você foi pego sem uma explicação.
-É...
- Por quê? Me diga: por que elefante?
- Sei lá. Tudo parecia tão fácil...
-Foi o desafio, é isso? Você queria testar sua
própria ousadia e a elasticidade da tolerância
brasileira? Foi pesquisa sociológica, é isso?
- Não, não..
- Foi um impulso suicida, um mecanismo
autopunitivo, você queria ser descoberto e
castigado, é isso?
- Não ,não..
-Então o que você queria roubando o elefante?
- Acho que queria o elefante.
- E olho no que deu..
- Mas aprendi minha lição.
-Nunca mais roubar elefantes?
-Não. Na próxima vez, arranjar uma boa
explicação.
-Acho que não vai haver uma próxima vez para
você.
-Vai. Ah. Vai.