Você está na página 1de 39

Hello!

I am glad that you are here

Olá, que bom ter você aqui conosco na comunidade


Aprendendo Inglês! Seja muito bem-vindo(a).

Em primeiro lugar gostaria de agradecer a você pela confiança


de estar aqui com a gente para aprender (ou quem sabe
aprimorar) o inglês, um idioma tão importante nos dias de hoje.
Espero que o conteúdo que preparamos para você realmente
abra os seus olhos para uma nova janela de oportunidades no seu
processo de aprendizagem.

Ao longo de mais de 20 anos ensinando inglês, sempre me


deparei com muitas pessoas se queixando de já terem tentado
diversos métodos para aprender inglês, investido muito tempo,
muito dinheiro e energia, mas que não conseguiram alcançar os
resultados esperados. Uma pena, pois eu sei o quanto esta
jornada é frustrante e muitas vezes nos leva a querer desistir (o que
é um pecado, pois saber este idioma pode realmente transformar
a nossa vida, pessoal e profissionalmente). E se você está se
enxergando nesta situação que eu descrevi agora, por favor
#KeepCalm: estou aqui para te avisar que há uma luz no fim do
túnel e que você pode finalmente aprender inglês. Neste material
você encontrará dicas valiosas para avançar, de uma vez por
todas, no aprendizado do inglês.

Vamos juntos?
Quem é Rubens Queiroz?

Meu início de carreira, há mais de 30 anos, foi como professor de


inglês em escolas tradicionais em uma época em que quase
ninguém sabia a importância de aprender inglês (e posso afirmar
com diversas histórias reais o quanto saber esta língua abre portas
no mundo pessoal e profissional!).

Desde então, segui minha carreira profissional por outros


caminhos, trabalhando com tecnologia na Universidade de
Campinas (Unicamp), mas continuei ensinando inglês através de
projetos independentes, pois ensinar sempre foi algo que me
trouxe muita realização.

Sou autor dos livros “As palavras mais comuns da Língua Inglesa”
e “Read in English – uma maneira divertida de Aprender Inglês”,
ambos publicados pela editora Novatec
Com o tempo, comecei a perceber que muitas pessoas que
começam a aprender inglês com os métodos tradicionais
acabam frustradas e desistem no meio do caminho e por isso vim
desenvolvendo ao longo deste tempo, um novo olhar quanto ao
aprendizado do idioma, valorizando as habilidades individuais e o
desenvolvimento de novas estratégias de aprendizado, tudo de
uma maneira mais divertida e descomplicada.

Além do portal Aprendendo Inglês, também sou criador dos


portais Dicas-L e Contando Histórias, projetos que sempre tiveram
como propósito expandir as possibilidades das pessoas através da
educação.
O que você vai encontrar aqui
Neste e-book reunimos os tópicos fundamentais para que você
entenda como utilizar métodos alternativos que colocam o seu
cérebro para trabalhar na máxima potência para aprender inglês.

Sendo assim, para começar esta jornada, o primeiro passo é você


ter claro o motivo pelo qual o método tradicional (que
provavelmente você conhece muito bem), não funciona para a
maioria das pessoas.

A partir daí, vamos explicar como o seu cérebro opera e passamos


para as instruções de uso do software Anki, que implementa um
algoritmo baseado no funcionamento da memória e que
possibilita o aprendizado mais eficaz. Neste momento, trouxemos
um presente muito valioso para você: um arquivo criado por mim
para uso com o software Anki com 925 expressões idiomáticas
(Phrasal Verbs) da língua inglesa, com o áudio das frases gravado
com diversas vozes, de homens e mulheres. São vozes dos Estados
Unidos, Inglaterra e Austrália, para que você possa ampliar o seu
vocabulário e o conhecimento de diversas estruturas da língua
inglesa e ao mesmo tempo se familiarizar com a forma como o
inglês é falado em diversas partes do mundo.

Por fim, traremos dicas rápidas e fáceis para implementar a partir


de hoje, que vão te dar energia e ajudar na disciplina não só para
aprender inglês, mas para aprender qualquer coisa que você
queira.

Vamos então dar início a nossa jornada rumo a programação da


sua mente?
Índice

O que não te contaram sobre as escolas de idiomas ...................................... 2


O que você precisa para aprender qualquer coisa ......................................... 5
Como funciona a memória .................................................................................... 8
A curva do esquecimento .................................................................................. 8
Como driblar a curva do esquecimento........................................................ 10
Como começar hoje? ........................................................................................... 12
Como usar o Anki ................................................................................................ 12
Instale o aplicativo no seu celular ................................................................ 15
Importe os cards de expressões idiomáticas (Phrasal verbs).................. 15
Comece a jogar! ............................................................................................. 16
Ideias de onde arrumar de 5 a 10 minutos por dia para praticar ................ 20
Programando o seu cérebro para mais energia, disciplina e foco .............. 21
Aprendendo a aplicar técnicas mentais ....................................................... 23
#Comemore suas vitórias .............................................................................. 23
# Desbloqueie o erro ...................................................................................... 24
# Toda hora é hora ......................................................................................... 25
#Descubra os seus gatilhos ........................................................................... 27
#Prepare-se para os momentos de estagnação ..................................... 28
# Divirta-se ........................................................................................................ 29
Recado final ............................................................................................................. 31
Continue aprendendo com a gente!................................................................. 32
Como tudo começou… ........................................................................................ 33

1
O que não te contaram sobre as escolas de
idiomas
Quando alguém quer aprender inglês, a primeira providência é procurar
uma escola de idiomas, certo? Se este é o primeiro caminho óbvio para
aprender inglês, então deve ser o caminho com mais chance de sucesso,
certo? Vamos refletir...

Na minha visão, “sucesso” para um curso de idiomas significa:

1. Entre 70 a 80% dos alunos concluem seus estudos;


2. Os alunos do último nível possuem uma razoável fluência no idioma.

O que acha?

Estes são resultados esperados que eu consideraria satisfatórios, dado que


estou dizendo que o “melhor caminho para aprender inglês são as escolas
tradicionais”.

Porém, a realidade que vemos (e eu já dei aulas em diversas escolas de


inglês), é bem diferente. O primeiro indicador (quantidade de alunos que
concluem o curso) é alcançado no modo reverso, ou seja, apenas 30% ou
menos concluem o curso e provavelmente o mesmo percentual dos alunos
consegue alcançar a fluência (segundo indicador de sucesso). Mesmo
assim, com resultados tão pobres, as escolas de idiomas continuam sendo
a primeira opção para quem quiser aprender inglês.

O motivo disso? Sinceramente não sei, mas tenho boas hipóteses:

1. As pessoas nunca pararam para analisar os resultados desta opção


de aprendizagem para conferir se vale realmente a pena o
investimento de tempo/energia/dinheiro
2. As pessoas não sabem que existem caminhos alternativos
3. As pessoas apenas estão no piloto automático, seguindo o que a
maioria faz

2
Eu vejo as escolas de idiomas como uma linha de montagem de uma
fábrica: as mesmas técnicas e o mesmo ritmo para ao final todos saírem
“do mesmo jeito”, mais ou menos como os produtos que saem todos iguais
ao final da linha de produção. O problema é que se você perder o ritmo,
vai ficar para trás sem ninguém para te socorrer: a dificuldade
aparentemente “só sua” vira uma bola de neve e você vai ficando cada
vez mais para trás. O foco é no programa, em completar o livro. Quem não
conseguir acompanhar, inevitavelmente será reprovado e provavelmente
levará de brinde um bloqueio, que vai atrapalhar em muito a sua vida.
Muitos dos que desistem, voltam a procurar outra escola de idiomas, pois
afinal de contas, aprender inglês é fundamental para seu progresso
profissional. Provavelmente desistirão novamente e o ciclo da infelicidade
vai se renovando.

Triste, não?

Felizmente, vemos que muitas pessoas se libertaram da escravidão das


escolas de idiomas. Basta ir no Youtube para ver que muitas pessoas estão
aprendendo até mesmo sozinhas, e compartilham conosco suas
experiências e metodologias. Conheço pessoas que aprenderam a falar
um inglês perfeito ouvindo músicas, outros aprenderam lendo histórias em
quadrinhos. O mais interessante é que estas pessoas não tinham como
objetivo final aprender inglês, mas sim ouvir músicas ou ler histórias em
quadrinhos. O idioma era apenas um meio para atingir um fim.

Qual é a diferença então?

Como eu disse antes, o foco das escolas de idiomas é cumprir sua


programação. Os professores são orientados a seguir um roteiro que não
contempla a jornada emocional do aluno e como funciona o nosso
cérebro. Existem diferentes formas de aprendizado, as pessoas aprendem
de forma diferente. Como pode uma única receita funcionar para todos?
Não funciona, é claro. Em vários de meus artigos publicados no portal
Aprendendo Inglês eu abordo esta questão: é preciso respeitar a

3
individualidade dos alunos, aceitar os erros, e descobrir estratégias que
funcionam para as pessoas.

Josh Kaufman em sua palestra no TEDx afirmou que um dos maiores


obstáculos ao aprendizado é a barreira de frustração. Sempre que
começamos o aprendizado de alguma coisa, nos sentimos incompetentes,
nos sentimos até mesmo estúpidos e ninguém gosta de se sentir desta
forma. A maioria dos professores de idiomas não estão preparados para
lidar com estes sentimentos, pois o programa precisa ser cumprido. Valorizar
as competências individuais, enfatizar que existe uma curva de
aprendizado, que errar é natural, é parte importante do aprendizado.
Infelizmente poucos professores são preparados para lidar com este
aspecto do aprendizado.

https:// .youtu e. o / at h? =5MgBikg W Y

Se você já passou por muitas escolas de idiomas ou mesmo por apenas


uma e desistiu, saiba que o problema não é com você. Ensinar idiomas é
uma indústria altamente lucrativa e infelizmente o bem-estar ou o sucesso
do aluno nem sempre é levado em consideração. Eu acredito e venho
trabalhando ao longo dos anos em métodos alternativos e muitas formas
diferentes de aprender inglês (inclusive sozinho). Então, pode acreditar: há
uma luz no fim do túnel e eu espero que você comece a enxergar isso
através desta leitura!

4
O que você precisa para aprender qualquer
coisa
A chave para aprender e dominar qualquer assunto é a nossa capacidade
de absorver e reter informação. Porém, já vi muitas pessoas se queixarem
de que possuem memória ruim, que não conseguem guardar nada. Na
verdade, a não ser que exista um problema neurológico grave, todos nós
somos capazes de dominar técnicas que ampliarão enormemente nossa
capacidade de aprender, reter ou memorizar informações.

Até mesmo pessoas que são capazes de feitos sobre-humanos em termos


de memorização, como Dominic O’Brien¹, que foi capaz de “memorizar,
com grande exatidão e visualizando apenas uma vez, a sequência de 2808
cartas, de 54 baralhos, errando apenas oito vezes (sendo que, em quatro
das oito, corrigiu imediatamente quando comunicado que havia errado)¹”,
confessam que suas façanhas são o resultado do conhecimento de
técnicas e de prática.

5
Joshua Foer, jornalista americano, no livro A arte e a ciência de memorizar
tudo, faz a análise de diversos campeões da arte da memorização e
resolve, ele mesmo, aplicar as técnicas destes campeões e participar de
campeonatos de memorização para entender melhor como tudo isso
funciona. Surpreendentemente, ele consegue vencer a competição
“U.S.A. Memory Championship” em 2006, estabelecendo um novo record
nos Estados Unidos ao conseguir memorizar 52 cartas em 1 minuto e 40
segundos². Neste vídeo abaixo de sua palestra no TED, ele conta como
conseguiu esta façanha inesperada e mostra que qualquer pessoa
(qualquer pessoa mesmo!) pode atingir estes resultados:

https:// .ted. o /talks/joshua_foer_feats_of_ e ory_a yo e_ a _do/tra s ript?la guage=pt- r

6
Tudo isso pode parecer distante do nosso dia a dia, mas
no mundo antigo em que não existiam computadores,
smartphones e todos estes dispositivos para onde
estamos transferindo a nossa memória, a arte da
memorização era amplamente praticada e valorizada.
Cíneas, embaixador de Pirro junto aos romanos,
aprendeu em um só dia os nomes dos homens reunidos
em assembleia, podendo cumprimentar a todos no dia
seguinte por seus respectivos nomes. Temístocles (524
a.C. – 459 a.C.), foi um político e general ateniense. Sabia o nome de todos
os 20.000 habitantes de Atenas.

Um dos relatos mais famosos diz respeito ao poeta grego Simônides (556
a.C. – 468 a.C.). Em um banquete oferecido pelo rei Céos, ao qual foi
convidado para fazer um poema em sua homenagem, ausentou-se por
alguns instantes do palácio, dirigindo-se ao jardim. Neste breve espaço de
tempo o palácio desabou matando a todos que nele se encontravam. Os
parentes desesperados não conseguiam reconhecer os mortos, porém
Simônides recordava-se da roupa que os convidados usavam, bem como
a sua localização dentro do palácio, e pôde assim identificar a todos.

Estes são alguns exemplos bastante impactantes, mas todos eles são de
pessoas comuns que conseguiram resultados surpreendentes através do
melhor uso da memória e dos processos de aprendizagem. Sendo assim,
entendendo melhor como o seu cérebro funciona, você também pode
lançar mão de técnicas diferentes do método tradicional para aprender
inglês de uma maneira mais eficiente e menos desgastante.

O importante é você ter em mente que não é necessário possuir virtudes


sobrenaturais para empregar técnicas de retenção de conhecimento
consagradas, tudo o que é necessário é saber as ferramentas corretas que
podem facilitar a programação da sua mente e do seu corpo para que
você possa colocá-los para trabalhar na máxima potência para você, e
claro, ter dedicação para persistir ao longo do tempo.

7
Como funciona a memória
Entender como funciona a memória é o primeiro passo para podermos
acessar e reter conhecimento com mais facilidade. Provavelmente, este
deveria ser o primeiro tópico a ser ensinado em uma escola, pois existem
técnicas milenares que permitem elevar o desempenho de nossa memória
a patamares supostamente inatingíveis.

A curva do esquecimento
O Dr. Piotr Wozniak, da Polônia, é um profundo estudioso da
memória e depois de anos de pesquisa sobre o funcionamento
do cérebro humano, ele decidiu criar um programa de
computador mundialmente conhecido, chamado Supermemo -
uma abreviação de Super Memory. Este programa que abarca as
suas descobertas científicas pode ser usado para memorizar qualquer tipo
de informação, mas é particularmente famoso no ensino de idiomas.

Este programa toma como premissa o fato de que existe um momento ideal
para praticar o que aprendemos, de acordo com a maneira como o nosso
cérebro funciona:

Se praticarmos antes da hora, estamos perdendo nosso tempo.

Se praticamos tarde demais já teremos esquecido o que aprendemos e


precisamos reaprender os conceitos.

O momento exato para exercitar um conhecimento é exatamente o


momento em que estamos prestes a esquecê-lo, e a boa notícia é que o
tempo que levamos para esquecer determinada informação segue um
padrão: nós nos esquecemos de forma exponencial (tá bom, esquecer as
coisas de forma exponencial não é uma notícia tão boa assim, mas pelo
menos, conhecendo este padrão, podemos colocá-lo para trabalhar a
nosso favor! 😉).

8
Fonte: https://www.supermemo.com/pt-br

A figura acima, obtida no portal do programa Supermemo, representa uma


curva exponencial descendente, a chamada curva do esquecimento. No
eixo Y temos a probabilidade de esquecimento, e no eixo X temos os dias.
Quanto mais tempo se passa, se nada for feito, maior o esquecimento.
Segundo o gráfico, depois de sessenta dias ou pouco mais de 3 meses,
caso não haja uma revisão, nos esquecemos completamente da
informação aprendida. Por outro lado, se a repetição ou o reforço da
informação acontece, o aprendizado vai se solidificando até que a curva
do esquecimento praticamente deixa de ter efeito.

É claro que dentro deste padrão, existem pequenas variações de pessoa


para pessoa, mas o programa Supermemo é capaz de identificar com
precisão a hora certa que cada pessoa precisa praticar um conhecimento
e desta forma reforçar o aprendizado. Sim, parece bom demais para ser
verdade, mas acredite: é possível!

9
Como driblar a curva do esquecimento
Agora que entendemos como a nossa memória funciona, está na hora de
aprender como driblar a curva de esquecimento exponencial para que
possamos aprender inglês (ou qualquer coisa) de maneira mais eficiente
sem gastar tempo, energia ou dinheiro desnecessariamente.

Uma das formas mais aplicadas para “dançar conforme o funcionamento


de nossa memória”, é com o uso de cartões (isso mesmo, cartões de papel
que você mesmo pode fazer em casa).

O passo a passo é bem simples:

1) Na parte da frente do cartão escrevemos uma pergunta (algo que


queremos aprender)
2) Na parte de trás escrevemos a resposta
3) Para estudar, lemos a pergunta e em seguida respondemos
mentalmente ou em voz alta
4) Viramos então o cartão para verificar se nossa resposta está correta
5) A partir daí, dividimos os cartões em duas pilhas: na primeira
colocamos os cartões que acertamos as respostas e na segunda pilha
aqueles que erramos a resposta
6) Os cartões da segunda pilha (aqueles que erramos) entram no jogo
novamente para serem estudados, e continuamos da mesma forma
dividindo os cartões em duas pilhas: uma pilha para os cartões que
acertamos a resposta e outra para os cartões que ainda não
conseguimos memorizar.
7) Continuamos assim até que consigamos responder a todas as
perguntas de todos os cartões.

10
Até que daria um bom jogo divertido em família, não é?

Esta é uma forma simplificada de explicar o funcionamento do programa


Supermemo, mas na realidade ele vai muito além. Na versão digital, você
pode programar o número de cartões que quer estudar por dia,
adequando à sua rotina e tempo disponível.
Diferente da versão com cartões físicos, na versão digital, para cada uma
das perguntas você avalia a dificuldade encontrada para obter a resposta:
errado, bom ou fácil. Com base em suas respostas, e conhecendo o
padrão de funcionamento do cérebro humano, o programa decide então
quando o cartão será apresentado novamente.

Quanto mais facilmente você conseguir responder, maior o tempo


para o cartão aparecer novamente.

Se você errar, o cartão poderá ser apresentado logo em seguida ou


então no dia seguinte, ou seja, aparecerão em menos tempo do que
os cartões que você tem facilidade.

Todas estas métricas são calculadas pelo programa, tomando por base
não só a sua avaliação em si mas também o tempo que você leva para
responder (se você hesitou para responder, por exemplo).

Em resumo, o que o programa Supermemo faz é nos expor à informação


exatamente no momento em que estamos prestes a esquecê-la, ou seja,
sempre que a possibilidade de esquecer uma informação está prestes a
ficar abaixo do patamar de 90%, o programa nos traz de volta a
informação reduzindo a probabilidade de esquecimento. Desta forma, em
vez de continuar “ladeira abaixo” na curva descendente do esquecimento,
a informação é reativada em nossas memórias e o processo de
aprendizagem se torna mais eficiente. Yes!!! \o/

11
Como começar hoje?
A esta altura espero que você esteja animado(a) com as descobertas
sobre o funcionamento do cérebro humano e sobre este método
alternativo de aprendizagem! Se isso está acontecendo, a grande
pergunta que deve estar na sua cabeça é: onde eu encontro o tal
SuperMemo?

Pois bem, muita calma nesta hora: o programa Supermemo é comercial, e


além disto, somente são comercializadas versões para sistemas Windows.
Não existe uma versão para dispositivos móveis, como celulares ou tablets
(unbelievable!). Hoje em dia esta é uma limitação grave, pois o tempo está
bem curto para todos e não podemos perder a oportunidade de aprender
nos momentos livres que aparecem durante o dia.

A boa notícia é que, novamente, existem diversas alternativas que


implementam o mesmo algorítmo e que podem ser instaladas em
praticamente todas as plataformas: tablets, smartphones e computadores,
como Anki, Mnemosyne, memrise, AnyMemo, dentre outros.

Aqui no Aprendendo Inglês, fizemos diversos testes com as várias opções


digitais que aplicam esta metodologia e dentre elas, a que mais gostamos
e que simula a dinâmica dos cartões que falamos anteriormente, foi o Anki,
que você pode começar a usar hoje!

Como usar o Anki


Como você já sabe, o Anki é um software que simulará a dinâmica dos
cartões físicos que explicamos anteriormente. Por padrão, o Anki determina
o estudo de 20 cartões por dia. Este valor pode ser alterado, conforme a
sua rotina e tempo disponível.

12
#Dica: não coloque metas muito altas ou
inadequadas para o que você consegue atingir.
Conseguir cumprir o planejado, mesmo que seja
apenas um cartão por dia, é o que vai lhe dar ânimo
para continuar estudando (lembre-se: o sucesso vem
da combinação das ferramentas corretas e da
dedicação ao longo do tempo).

Ao baixar o Anki, você verá que ele sozinho não vem com os cartões pré
programados, ou seja, você deve criar ou importar o conteúdo dos cartões
com o assunto que deseja aprender – vamos explicar como fazer isso a
seguir. E aqui vai o nosso presente especial para você: um conjunto de 925
cartões contendo as expressões idiomáticas (phrasal verbs) mais comuns
da língua inglesa para você praticar (isso mesmo, já fizemos o trabalho de
criar todos estes cartões para você! 😉)

Não sabe o que são expressões idiomáticas ou phrasal verbs?

Neste vídeo eu explico rapidinho para você o que são e por que elas são
fundamentais para que o seu inglês dê um salto de fluência e naturalidade:

https://www.youtube.com/watch?v=e4qD8EO6jsI&t=6s

13
Além das expressões idiomáticas em si, também incluímos o áudio das
frases, de modo que você possa praticar as estruturas gramaticais ao
mesmo tempo em que desenvolve a sua compreensão da língua inglesa.
A língua inglesa é o idioma oficial em diversos países e para facilitar a sua
compreensão destas variações utilizamos na montagem dos cartões cerca
de dez vozes diferentes com o sotaque americano, australiano e inglês.

O início pode ser um pouco difícil, com poucos phrasal verbs conhecidos,
mas com o tempo você verá que o seu aprendizado vai deslanchar. O
importante é continuar e usar de estratégias pessoais, como
visualização/imaginação, que vão trazer uma dose a mais de diversão ao
seu estudo.

Tudo isso foi criado com muito carinho para que você possa aplicar este
método que é comprovadamente mais eficaz para aprender um novo
idioma. Esperamos que goste e que utilize esta solução para evoluir o seu
inglês colocando a sua memória para trabalhar de um jeito eficiente para
você!

O resultado de tudo isso?

Um método simples, 100% personalizado para o seu


nível e ritmo de aprendizado e que coloca a sua
memória para trabalhar a seu favor!

Confira a seguir como instalar o software Anki em seu smartphone com o


sistema Android e como usá-lo em seu dia a dia. Vamos lá?

14
Instale o aplicativo no seu celular
Na Play Store digite o termo de busca anki:

O software chama-se AnkiDroid Flashcards. Instale este software em seu


smartphone.

Imagem do aplicativo Anki na Play Store

Importe os cards de expressões idiomáticas (Phrasal verbs)


Como já dissemos, são 925 frases,
gramaticalmente corretas, 1.987
palavras diferentes e o áudio das frases.
Ao estudar este conjunto de flashcards
você aprenderá as expressões
idiomáticas mais importantes da língua
inglesa, ficará familiarizado com
diversas estruturas gramaticais e tempos verbais, além de aprender 1.987
palavras, acostumando o seu ouvido à língua inglesa. O conhecimento
destas palavras lhe permitirá um salto importante na compreensão da
língua inglesa.

Para começar a usar estes cards, você deve importa-los em seu


smartphone. Clique aqui para acessar os flashcards no Google Drive (o
arquivo tem 18 MB de tamanho) e confira abaixo o passo a passo:

15
Clique sobre o arquivo para fazer o download. O tipo de arquivo deverá
ser reconhecido pelo sistema, que fará a importação direto para o
aplicativo Anki:

Comece a jogar!
Finalizada a importação, abra o aplicativo Anki e você verá que o conjunto
de cartões das expressões idiomáticas já estará disponível para uso. Basta
então abrir o conjunto de cartões para começar a praticar.

16
A figura abaixo apresenta o formato dos cartões. As expressões idiomáticas
aparecem em vermelho.

Você conhece a frase que aparece na tela, entende do que se trata? Suas
três possibilidades são:

1. Você não conhece a expressão idiomática;


2. Após alguma reflexão, você conseguiu se lembrar de seu
significado;
3. Foi muito fácil, você se lembrou do significado imediatamente.

Depois de identificar qual das opções é a mais adequada para o phrasal


verb exibido, clique em MOSTRAR RESPOSTA.

17
A próxima tela apresenta a tradução em português da frase apresentada
anteriormente. Vamos explicar então o significado do conteúdo
apresentado:

Na parte inferior da tela temos três botões:

Esta é a opção que deverá ser selecionada caso você não conheça o
significado da frase. A expressão < 1 min NOVAMENTE significa que o
mesmo cartão lhe será apresentado novamente em menos de um minuto.

Esta opção deve ser selecionada caso você tenha tido alguma
dificuldade para se lembrar do significado da frase. A frase será
apresentada novamente em um dia, ou seja, em sua próxima sessão.

Selecione esta opção caso não tenha tido nenhuma dificuldade para se
lembrar do significado da frase. Ela será exibida novamente em 4 dias.

18
No topo da tela, à esquerda, temos os números 20, 17 e 3. Estes números
representam respectivamente:

• Número de cartões a serem revisados hoje (20);


• Número de cartões a serem revisados nesta sessão de estudo (17);
• Número de cartões já revisados ou aprendidos (3).

Por padrão, o Anki determina como 20 o número de cartões a serem


revisados diariamente, mas você pode alterar este valor, caso deseje
estudar mais ou menos em determinado dia.

Se quiser ouvir o áudio da frase novamente, basta clicar na seta que se


encontra abaixo da frase.

É muito importante que você seja extremamente honesto em suas


avaliações. O objetivo é que em algum momento, você se lembre de
TODAS as expressões idiomáticas e para isto o programa Anki precisa dos
dados corretos, que apenas você pode fornecer 😉

E já vou te adiantando, o começo pode ser difícil, mas depois de um tempo


você verá como o aprendizado fluirá muito mais facilmente, e o melhor de
tudo: de um jeito muito mais eficiente e que coloca o seu cérebro para
trabalhar de um jeito mais eficiente.

Pronto! Agora é só começar: reserve 5 a 10 minutos do seu dia para esta


atividade, e não desista nunca, certo? Você só tem a ganhar com este
método comprovado.

#Dica importante: Não deixe acumular cartões de um dia para o outro,


pois ao fazer isso, seu estudo virará uma bola de neve e você se
desestimulará a seguir em frente. Portanto, tenha em mente que o
importante é reservar alguns minutos por dia, de forma que todos os dias
você consiga cumprir este compromisso.

19
Ideias de onde arrumar de 5 a 10 minutos por
dia para praticar

E por aí vai... Você, melhor do que ninguém conhece a sua rotina e pode
identificar os melhores momentos de brecha para encaixar esta atividade.
O importante é você refletir e identificar este melhor momento, se
comprometendo a realizar esta atividade, “faça chuva, ou faça sol”!

#Houston, we have a problem: Se você tiver qualquer tipo de problema,


seja na instalação do programa, no uso, enfim, o que quer que seja, não
hesite em nos procurar. O seu sucesso é nosso também, e faremos de tudo
para ajudá-lo nesta caminhada. Escreva para nós contando o que achou
do presente, dúvidas ou sugestões! 😊

20
Programando o seu cérebro para mais energia,
disciplina e foco
Até aqui, vimos um importante método de aprendizado mais eficiente, que
entende como a sua memória funciona e como você pode fazer para reter
melhor os conhecimentos. Se você aplicar somente este método que
descrevemos, ele por si só já será suficiente para que você dê um salto no
inglês #ficaadica!

Porém, mesmo sabendo disso, muitas pessoas relatam dificuldades com a


disciplina, foco e motivação (ou energia) para cumprir com tarefas que
exijam consistência e dedicação ao longo do tempo (mesmo que esta
dedicação seja apenas de 10 minutos por dia). Isso realmente é um
problema, pois como eu já disse, o sucesso para aprender inglês depende
da combinação das ferramentas corretas com a dedicação e persistência.

Mas como resolver isso?

Pois bem, felizmente é possível “se programar” para que você não só
aprenda melhor, mas também tenha determinados comportamentos,
hábitos ou até mesmo para se livrar de traumas e fobias.

Ao longo do tempo e também estudando sobre Programação


Neurolinguística*, aprendi que com técnicas muito simples que “enganam”
o seu cérebro ou que o colocam para funcionar em uma potência mais
alta, você pode ter uma jornada de aprendizado do inglês (ou de qualquer
coisa) muito mais eficiente. Parece muito bom para ser verdade, mas vou
compartilhar com você alguns exemplos e técnicas para você colocar em
prática hoje! Mas antes, deixa eu te contar uma história que aconteceu
comigo:

Eu sempre quis escrever um livro, mas a tarefa é assustadora. Só de pensar


em escrever centenas de páginas, milhares de palavras, já desanimava. A
solução que encontrei, foi escrever um pouquinho a cada dia, sem me
preocupar com datas de término, número de páginas, etc. Em vez de

21
visualizar um final que se daria meses para a frente, eu passei a me
concentrar nas tarefas diárias. E deu certo! Desde o primeiro livro escrito em
1999, já escrevi mais dois livros e participei como colaborador em mais dois.
E tem mais alguns a caminho 😉

Assim como eu pensava que escrever um livro é uma tarefa quase que
impossível, muitas pessoas têm uma sensação idêntica frente a tarefa de
dominar a língua inglesa. São milhares de palavras novas a serem
aprendidas, estruturas gramaticais diferentes, expressões que traduzidas
não fazem muito sentido (os famosos phrasal verbs), aprender a ouvir,
escrever, falar, e o pior de tudo, a sensação de não acertar, por mais que
tentemos.

O segredo é adotar estratégias que funcionam para você, como a que usei
para escrever meus livros, de fazer um pouquinho todos os dias. Os dias
viram semanas, as semanas viram meses, e os meses viram anos. Imagine
só, se você fizer um pouquinho todos os dias, certamente você terá
avançado muito em seu aprendizado. E se você não fizer nada? Você vai
estar exatamente no mesmo lugar em que está hoje. É isto que você quer?
Se você chegou até aqui, tenho certeza que você quer algo diferente.

Vamos então conhecer outras técnicas mentais que vão ajudar você a
aprender inglês (ou qualquer outra coisa), colocando o seu corpo e a sua
mente para trabalhar a seu favor?

22
Aprendendo a aplicar técnicas mentais
#Comemore suas vitórias

Se você é iniciante e for ler um texto em inglês, você certamente


encontrará dezenas de palavras que não conhece. A tendência natural é
ficarmos muito frustrados por não podermos identificar corretamente todas
as palavras. Isto não é produtivo, pois a frustração é perigosa e pode nos
levar a abandonar nossos estudos.

Ao invés disto, pense ao contrário: se o texto tem 100 palavras e você


entendeu 10, celebre as 10 palavras que entendeu. Celebre mesmo,
levante-se, dê pulinhos, celebre como o Pelé celebrava seus gols! Respire
fundo e fique alegre. Parece bobagem mas não é, pois exercitar a
celebração indica para o seu cérebro que você está no caminho certo (e
pense bem, é questão de tempo até você identificar todas as palavras,
pode acreditar). Se esta celebração vem acompanhada de uma postura
corporal (como no exemplo do Pelé), isso se torna ainda mais poderoso.
Faça um teste: levante agora e simule uma postura corporal de vitória, com
os braços levantados e um sorriso estampado no rosto. Verifique se é
possível entrar em um estado diferente de energia.

Para entender melhor a ideia de celebrar as pequenas vitórias (e se divertir


um pouco), veja este pequeno vídeo, extraído do filme Debbie e Lóide 😊

https://www.youtube.com/watch?v=7FQSKdBMRSg&feature=youtu.be

23
# Desbloqueie o erro

Muitos anos atrás, em uma viagem à Ilha Grande, em Angra dos Reis, a
minha esposa, que não fala uma palavra de inglês, fez amizade com uma
australiana, que não falava uma palavra de português. O mais
surpreendente é que as duas conversavam fluentemente e ao que tudo
indica se entendiam bem. Por sinais, entonação, e muita alegria. De certa
forma, elas conseguiam estabelecer um protocolo de comunicação para
se entenderem.

Ao contrário, os iniciantes no aprendizado da língua inglesa se preocupam


muito com seus erros, que são naturais e não podem ser evitados, pois errar
faz parte do processo natural de aprendizado do ser humano. Pense nas
crianças pequenas quando começam a aprender a falar: elas sempre
falam tudo errado, mas todos achamos lindo que ela esteja tentando. A
lógica para aprender um novo idioma é a mesma, mesmo quando já
somos adultos, porém ficamos impacientes, temos vergonha de errar, e
preferimos ficar calados a errar, o que definitivamente vai contra e
atrapalha o processo natural de aprendizagem.

Talvez você não saiba, mas ninguém está prestando atenção aos seus
erros. Tendemos a achar que os olhos do mundo estão constantemente
voltados para nós. Sinto lhe informar, mas não estão. Então, erre à vontade!
Da mesma forma que você não consegue a faixa preta de judô no primeiro
dia de treinamento, você não falará perfeitamente no primeiro dia de
estudo de inglês.

Então, fique atento: toda vez que você perceber que a insegurança está
chegando perto e que ela está prestes a bloquear a sua comunicação,

24
respire fundo e lembre-se de que isso é um bloqueio que deve ser evitado.
Desencane desta ideia, mude o foco e continue a se expressar, mesmo que
esteja comentando erros. Não sei se você sabe, mas o aprendizado de um
idioma passa por quatro fases distintas:

1. Erramos mas não sabemos que erramos;


2. Erramos mas sabemos que erramos;
3. Falamos corretamente mas não da melhor forma;
4. Falamos bem, corretamente e com as palavras certas.

O problema é que as pessoas querem começar pela quarta fase. A má


notícia é que isto não é possível. Para chegar na quarta fase é preciso
passar pelas outras três. Mas isto também pode ser divertido, basta perder
o medo de errar e falar muito. Lembre-se: quanto mais erros você comete,
mais você caminha no aprendizado.

Neste artigo “Errar não é um problema”, eu exploro um pouco mais esta


questão do erro e te dou algumas outras dicas para você se tranquilizar!

# Toda hora é hora

Em todos os momentos do dia estamos aprendendo alguma coisa. O


aprendizado é um processo contínuo. Você não necessariamente precisa
de um curso de inglês para aprender e não precisa também de condições
ideais, como um número X de horas para estudar todos os dias, sem
interrupção, sem barulho ao seu redor, com temperatura perfeita etc. Estas
são apenas desculpas ou “pedras no caminho” (veja este tópico mais
adiante) que você usa para adiar o seu aprendizado, cuidado!

25
Com a Internet, YouTube e vários outros portais, você tem uma enorme
quantidade de conteúdo didático ao seu redor. Opções não faltam, o
importante é você ter em mente que todas as situações são oportunidades
para aprender (por exemplo, que tal configurar o seu celular para que ele
esteja todo em inglês?). Quando você começa a prestar atenção e buscar
situações que podem servir para o aprendizado, ocorre o fenômeno da
atenção seletiva, onde o seu cérebro começa a dar mais foco para
determinada informação que você está buscando. No Aprendendo Inglês,
minha filha Marina e sua amiga Tatiana são voluntárias, e em um de seus
projetos paralelos, elas gravaram um vídeo muito interessante que explica
melhor este conceito:

https://www.youtube.com/watch?v=Wf3z0SZ53yg&t=8s

No portal Aprendendo Inglês, temos diversos conteúdos para apoiar você


nesta jornada de aprendizado, e em nossas redes sociais também estamos
construindo muitos conteúdos que você pode acessar para aprender.

Se você não tiver a Internet ao seu alcance por algum tempo, use a sua
imaginação. Procure livros físicos, pense em situações, diálogos e vivencie
o máximo que puder as situações imaginando-as e buscando vivenciar as
emoções que aquele conteúdo desperta. Quando adicionamos emoção
às informações que estamos querendo aprender, isso aumenta a força do
vínculo que aquele conteúdo tem conosco, aumentando também a
retenção (no vídeo de Joshua Foer sobre as técnicas de memorização, ele
comenta sobre este efeito).

26
#Descubra os seus gatilhos

Eu detesto me exercitar. Por muitos anos fiz musculação e corrida, e odiei


cada minuto destas atividades. Mas fazer o quê, né? Precisamos nos
exercitar, caso contrário a deterioração física vem mesmo. Então, para
conseguir ir para a academia eu contava uma mentira para mim mesmo.
Eu dizia que ia correr apenas um minuto e que na musculação faria apenas
uma repetição de cada exercício. Com esta mentira inventada, eu
conseguia ir para a academia e é claro que eu fazia os exercícios
completos. Uso muito esta técnica.

A minha filha Marina por outro lado, usa a técnica do “pense o menos
possível”. Ela diz que se ela deixar alguma margem de dúvida em sua
cabeça, sobre se deve ou não ir na academia, ela definitivamente não vai.
O truque então é: ao chegar do trabalho, imediatamente ela já troca de
roupa e vai para a academia. Se o treino é no período da manhã, ela já
deixa a roupa separada no dia anterior para que seja a primeira roupa a
vestir no dia. Este é o gatilho dela: não se dar a opção ou ter a dúvida do
que deve ser feito.

A Tati, aqui da equipe do Aprendendo Inglês descobriu um gatilho


interessante para se estimular a subir as escadas de seu prédio. Ela
percebeu que toda vez que ela apertava o botão do elevador, se o
elevador já estava no mesmo andar que ela, ela entrava e subia até seu
apartamento com o elevador. Por outro lado, se ela apertasse o botão e
tivesse que esperar o elevador chegar até o seu andar, ela pegava as
escadas para não ter que ficar esperando. O que ela fez então? Se
programou para nunca mais apertar o botão do elevador, pois desta forma

27
ela nunca sabe se ele está ou não em seu andar e assim sempre pega as
escadas.

Eu contei estes casos para que você perceba que não existe uma regra de
qual é o momento ideal do seu gatilho, você precisa se perceber, perceber
o seu padrão para aí sim começar a atuar de maneira consciente. Um bom
exercício é você prestar atenção em qual é o comportamento ou
pensamento que você tem quando consegue executar algo que planejou.
Por exemplo, se a sua meta é fazer o exercício com o Anki todos os dias
antes de dormir, mas você não está conseguindo cumprir, preste atenção:
o que você fez ou pensou nos dias que você cumpriu a meta versus os dias
que não cumpriu? Isso vai te dar clareza de quais são os seus gatilhos e
funciona muito bem.

Para aprender inglês, não só com o Anki mas também com outras
atividades, você pode usar a mesma técnica, basta que você se auto
perceba e comece a se programar para atingir seus resultados.

#Prepare-se para os momentos de estagnação

Uma coisa interessante é que chega uma hora em nossos estudos em que
parece que estamos atolados, sem sair do lugar. Isto é perfeitamente
natural. O aprendizado de idiomas se dá por saltos: você estuda bastante,
e chega a um ponto em que o progresso, ao menos aparentemente, cessa.
Não desista nesta hora, pois muito em breve você dará um salto em
fluência, compreensão, escrita e tudo o mais. É assim que o processo de
aprendizagem funciona, e sabendo disso você pode se programar para

28
quando este momento chegar, você lembrar que é perfeitamente natural,
manter o ritmo dos seus estudos e não perder o foco nesta hora.

# Divirta-se

Muitos anos atrás eu dava um curso de inglês instrumental ou inglês para


leitura. Eu reservava uma parte da aula para os alunos lerem e para esta
atividade eu levava uma mala com centenas de livros com vocabulário
simplificado, com vários níveis de complexidade. No entanto, um dos
alunos não fazia nada neste horário, não pegava nenhum livro e ficava
olhando para o tempo. Ele simplesmente não gostava de ler. Que dilema,
um curso para ensinar leitura para quem não gosta de ler … Perguntei a ele
então se gostava de piadas. Ele respondeu que sim, que adorava piadas.
Foi então que tive a ideia de criar cartões com piadas em inglês: na frente
o texto da piada e na parte de trás o vocabulário comentado. Se a pessoa
tivesse dúvida sobre alguma palavra, bastava olhar na parte de trás do
cartão (neste vídeo abaixo eu conto como foi esta história). Fiz centenas
de cartões assim e foi um grande sucesso. Dos cartões de papel saiu a lista
Aprendendo Inglês, que tem exatamente este objetivo: ensinar de forma
divertida as estruturas da língua inglesa e aumentar o vocabulário.

29
https://www.youtube.com/watch?v=z_s8vbuqCpo

A grande sacada aqui é que se alguma coisa nos diverte, temos uma forte
motivação para investirmos muito do nosso tempo nesta atividade, afinal
este processo é hormonal: quando praticamos atividades que nos dão
prazer, hormônios da felicidade como a endorfina são liberados**. Você
gosta de música? Então aprenda inglês com músicas. Gosta de ler? Então
leia livros interessantes, leia piadas, leia os conteúdos enviados pela lista
Aprendendo Inglês, veja séries de TV engraçadas, como Friends, How I met
your mother ou Seinfeld. Seja criativo e divirta-se 😉

30
Recado final
Se você for um pouco parecido comigo, provavelmente não gosta de
gastar tempo, dinheiro ou energia com algo que já foi aprendido por outras
pessoas e que poderia ser útil para que você não cometa os mesmos erros.
Eu pelo menos, quando me deparo com situações em que eu poderia ter
pego caminhos mais inteligentes para atingir meus objetivos mais rápido e
de maneira mais eficaz (obviamente não estou falando de atalhos que vão
contra a boa fé), e não o faço por desconhecimento, fico um pouco
chateado...Mas a vida é assim, nem sempre sabemos das melhores
ferramentas, das melhores sacadas ou dos métodos mais eficientes para
atingir nossos objetivos. É como diz o ditado: “vivendo e aprendendo” e um
importante passo é você saber que existem caminhos alternativos,
principalmente quando o assunto é aprender inglês.

Depois de mais de 20 anos ensinando inglês e estudando diversas técnicas


de aprendizagem, eu aprendi técnicas valiosas que podem ser úteis para
quem quer aprender este idioma tão importante. Por isso, eu espero que
com este ebook você tenha também conhecido e incorporado algumas
destas técnicas para utilizar melhor seu tempo, dinheiro e energia.

Espero que você tenha ótimos resultados daqui para frente e ficarei muito
feliz se você puder compartilhar estes resultados comigo para que eu possa
seguir aprimorando os conteúdos que ofereço para a comunidade
Aprendendo Inglês.

Jim Rohn, empreendedor e famoso palestrante americano, define como o


grande axioma da vida: “Para ter mais amanhã, você precisa ser mais do
que é hoje”. Ao invés de pensar em mudanças revolucionárias, esforços
sobre-humanos, tente melhorar um pouquinho a cada dia, 1% apenas.
Parece pouco mas não é, e ao longo do tempo este 1% diário de melhoria
lhe trará uma grande riqueza”.

Um grande abraço. Let’s keep learning!

31
Continue aprendendo com a gente!
Lista Aprendendo Inglês

Sabia que manter o contato diário com o idioma é uma das principais
sacadas para aprender inglês com facilidade?

Inscreva-se e convide seus amigos para fazer parte da lista Aprendendo


Inglês. Todo dia, você recebe em seu e-mail um texto ou piadinha em
inglês: https://www.aprendendoingles.com.br/lista/

Confira nossas redes sociais

https://www.facebook.com/rubens.aprendendoingles/

https://www.instagram.com/rubens.aprendendoingles/

https://twitter.com/ingles_rubens

https://www.linkedin.com/company/rubensaprendedoingles/

https://www.youtube.com/c/AprendendoIngles

Artigos, muitos artigos em: www.aprendendoingles.com.br

Gostou do conteúdo?

Seja um(a) apoiador(a) deste projeto! Com uma doação a partir de R$9,00
ao mês, você se torna nosso(a) padrinho ou madrinha e passa a receber
conteúdos e vantagens em primeira mão no Clube Aprendendo Inglês:
https://www.catarse.me/clubeaprendendoingles

32
Como tudo começou…
Há 30 anos, dando aulas de inglês particulares, percebi que era muito difícil para os
alunos manterem um contato diário com a língua, o que é uma das principais sacadas
para aprender o idioma de maneira mais rápida e fácil.

Então eu pensei: o que poderia atrair a atenção destes alunos de modo que eles
quisessem ter este contato diário?

Comecei conversando com meus alunos para ter ideias do que fazer, até que alguns
deles me disseram que adoravam ler piadas. Foi aí que surgiu a ideia de criar a Lista
Aprendendo Inglês: uma lista gratuita de envio de e-mails diários com pequenos textos,
piadinhas e expressões idiomáticas, tudo em inglês com as principais palavras traduzidas
para garantir o entendimento da mensagem, o que permitia o aumento do vocabulário
de forma simples e divertida. Afinal, aprender inglês não precisa ser algo desgastante
ou chato.

Hoje já somos uma comunidade de mais de 34 mil pessoas que assinam a Lista e
recebem estes conteúdos todos os dias! Dá só uma olhada no que alguns deles tem a
dizer (pegar os depoimentos da página “sobre nós”):

Nossa missão é ajudar as pessoas a expandirem suas possibilidades


através da educação.

Obrigado por estar conosco nesta jornada!

Grande abraço and let’s keep learning 😉 Rubens Queiroz

33
Referências
www.aprendendoingles.com.br
Anki home
Livro: How to Develop a Brilliant Memory Week by Week, Dominic O'Brien
Livro: Antes que eu me esqueça: Técnicas, hábitos e dicas para afiar a mente e
aperfeiçoar a memória, Dr. Leandro Teles
Livro: Como a mente funciona, Steven Pinker
Livro: Mini-Hábitos: Como alcançar grandes resultados com o mínimo de esforço,
Stephen Guise
Livro: Neurociência e Educação – Como o cérebro aprende, Ramon M. Cosenza e
Leonor B. Guerra
Livro: Super memória – Jogos e exercícios para aprimorar sua memória, Fred B. Chernow
https://pt.wikipedia.org/wiki/Dominic_O'Brien
https://en.wikipedia.org/wiki/Joshua_Foer
Como se consegue uma memória prodigiosa, Sálvio Aliu
Want to Remember Everything You’ll Ever Learn? Surrender to This Algorithm
Os hormônios da felicidade: como desencadear efeitos da endorfina, serotonina,
dopamina e oxitocina
“ Programação Neurolinguística ou PNL é o estudo de como representamos a realidade
em nossas mentes e de como podemos perceber, descobrir e alterar esta
representação para atingirmos resultados desejados” . Getúlio Barnasque, Trainer em
PNL credenciado e certificado por Richard Bandler (cocriador, juntamente com John
Grinder, da Programação Neurolinguística). Engenheiro Eletrônico com pós graduação
em Ciência da Computação. Membro da Society of Neurolinguistic Programming- New
Jersey-USA.

Programe sua mente para aprender inglês (ou qualquer outra coisa) @2019

Todos os direitos reservados.

Este livro está protegido por leis de direitos autorais. É proibida a copia, reprodução e distribuição
deste conteúdo em qualquer veículo.