Você está na página 1de 74

PCDF – ÚLTIMO EDITAL – PARTE GERAL

1 Aplicação da lei penal.


1.1 Princípios da legalidade e da anterioridade. 2 O fato típico e seus elementos.
1.2 A lei penal no tempo e no espaço. 2.1 Crime consumado e tentado.
1.3 Tempo e lugar do crime. 2.2 Pena da tentativa.
1.4 Lei penal excepcional, especial e temporária. 2.3 Concurso de crimes.
1.5 Territorialidade e extraterritorialidade da lei 2.4 Ilicitude e causas de exclusão.
penal. 2.5 Excesso punível.
1.6 Pena cumprida no estrangeiro. 2.6 Culpabilidade.
1.7 Eficácia da sentença estrangeira. 2.6.1 Elementos e causas
1.8 Contagem de prazo. de exclusão.
1.9 Frações não computáveis da pena. 3 Imputabilidade penal.
1.10 Interpretação da lei penal.
1.11 Analogia. 1.12 Irretroatividade da lei penal.
1.13 Conflito aparente de normas penais.
AULA 01 – 15 QUESTÕES – 25/04/19
1 Aplicação da lei penal.
1.1 Princípios da legalidade e da anterioridade. 2 O fato típico e seus elementos.
1.2 A lei penal no tempo e no espaço. 2.1 Crime consumado e tentado.
1.3 Tempo e lugar do crime. 2.2 Pena da tentativa.
1.4 Lei penal excepcional, especial e temporária. 2.3 Concurso de crimes.
1.5 Territorialidade e extraterritorialidade da lei 2.4 Ilicitude e causas de exclusão.
penal. 2.5 Excesso punível.
1.6 Pena cumprida no estrangeiro. 2.6 Culpabilidade.
1.7 Eficácia da sentença estrangeira. 2.6.1 Elementos e causas
1.8 Contagem de prazo. de exclusão.
1.9 Frações não computáveis da pena. 3 Imputabilidade penal.
1.10 Interpretação da lei penal.
1.11 Analogia. 1.12 Irretroatividade da lei penal.
1.13 Conflito aparente de normas penais.
AULAS 02 (03/05), 03(10/05) e 04(17/05)
1 Aplicação da lei penal.
1.1 Princípios da legalidade e da anterioridade. 2 O fato típico e seus elementos.
1.2 A lei penal no tempo e no espaço. 2.1 Crime consumado e tentado.
1.3 Tempo e lugar do crime. 2.2 Pena da tentativa.
1.4 Lei penal excepcional, especial e temporária. 2.3 Concurso de crimes.
1.5 Territorialidade e extraterritorialidade da lei 2.4 Ilicitude e causas de exclusão.
penal. 2.5 Excesso punível.
1.6 Pena cumprida no estrangeiro. 2.6 Culpabilidade.
1.7 Eficácia da sentença estrangeira. 2.6.1 Elementos e causas
1.8 Contagem de prazo. de exclusão.
1.9 Frações não computáveis da pena. 3 Imputabilidade penal.
1.10 Interpretação da lei penal.
1.11 Analogia. 1.12 Irretroatividade da lei penal.
1.13 Conflito aparente de normas penais.
Exercício nº 93
O presidente da República, em caso de extrema relevância e urgência,
pode editar medida provisória para agravar a pena de determinado
crime, desde que a aplicação da pena agravada ocorra somente após a
aprovação da medida pelo Congresso Nacional.

Ano: 2019 Banca: CESPE Órgão: PRF Prova: CESPE - 2019 - PRF -
Policial Rodoviário Federal
Exercício nº 93
Tópico relacionado no edital: 1.1 Princípios da legalidade e da anterioridade.

Art. 1º CP, Art. 5º XXXIX CF/88 Lei em sentido estrito

Legalidade

Reserva Legal LO / LC

Medida provisória: Não pode criar crimes, cominar


Tem força de lei, mas não é lei penas, nem versar sobre
FORMAL. matéria de Direito Penal.
MP & Direito Penal

REGRA MEDIDAS PROVISÓRIAS Polêmica

Possibilidade de MP em matéria PENAL


APENAS LC e LO podem tratar de DIREITO NÃO podem versar sobre Direito Penal
para BENEFICIAR o acusado / réu /
PENAL. (Art. 62, §1º, I, b, CF/88)
investigado

STF já admitiu MP com efeitos extintivos


de punibilidade (débitos tributários) – RE
254.818/PR

Também já admitiu MP no caso do art.


12 da lei 10.826/03.

Cuidado com o ENUNCIADO da questão!


Questão bônus

É vedada a edição de medida provisória em matéria penal,


processual penal e processual civil, salvo se em benefício do
acusado, como, por exemplo, na criação de hipótese de extinção
de punibilidade.

CESPE // TC-DF // Procurador


Questão bônus

É vedada a edição de medida provisória em matéria penal,


processual penal e processual civil, salvo se em benefício do
acusado, como, por exemplo, na criação de hipótese de extinção
de punibilidade.
CESPE // TC-DF // Procurador
Gabarito: E
Exercício nº 93
O presidente da República, em caso de extrema relevância e urgência,
pode editar medida provisória para agravar a pena de determinado
crime, desde que a aplicação da pena agravada ocorra somente após a
aprovação da medida pelo Congresso Nacional. ITEM INCORRETO!

Ano: 2019 Banca: CESPE Órgão: PRF Prova: CESPE - 2019 - PRF -
Policial Rodoviário Federal
Exercício nº 94
O princípio da anterioridade, no direito penal, informa que ninguém
será punido sem lei anterior que defina a conduta como crime e que a
pena também deve ser prevista previamente, ou seja, a lei nunca
poderá retroagir.

Banca: CESPE Órgão: PC-PE Prova: CESPE - 2016 - PC-PE


- Agente de Polícia
Exercício nº 94
Tópico relacionado no edital: 1.1 Princípios da legalidade e da anterioridade.

Anterioridade

Art. 5º, XL, Regra -


CF/88 Irretroatividade

Exceção:
Retroatividade
benéfica
Exercício nº 94
O princípio da anterioridade, no direito penal, informa que ninguém
será punido sem lei anterior que defina a conduta como crime e que a
pena também deve ser prevista previamente, ou seja, a lei nunca
poderá retroagir.

Banca: CESPE Órgão: PC-PE Prova: CESPE - 2016 - PC-PE


- Agente de Polícia
Exercício nº 95
Em relação à lei penal no tempo e à irretroatividade da lei penal, é correto afirmar que à lei penal mais

A) severa aplica-se o princípio da ultra-atividade.

B) benigna aplica-se o princípio da extra-atividade.

C) severa aplica-se o princípio da retroatividade mitigada.

D) severa aplica-se o princípio da extra-atividade.

E) benigna aplica-se o princípio da não ultra-atividade.

Ano: 2018 Banca: CESPE Órgão: PC-MA Prova: CESPE -


2018 - PC-MA - Delegado de Polícia Civil
Exercício nº 95
Tópico relacionado no edital: 1.2 A lei penal no tempo e no espaço.

Regra: Tempus
regit actum
Lei Penal no
Retroatividade
Tempo
Exceção: Extra-
Atividade
Ultra-Atividade
Exercício nº 95
Tópico relacionado no edital: 1.2 A lei penal no tempo e no espaço.
Exercício nº 95
Tópico relacionado no edital: 1.2 A lei penal no tempo e no espaço.
Exercício nº 95
Tópico relacionado no edital: 1.2 A lei penal no tempo e no espaço.
Lei intermediária.
Retroativa em
relação à anterior
Ultra-Ativa em
relação à posterior!

É possível que ocorra, em


um mesmo cenário, a
ultratividade e a
retroatividade
simultâneas de uma lei
penal!
Exercício nº 95
Em relação à lei penal no tempo e à irretroatividade da lei penal, é correto afirmar que à lei penal mais

A) severa aplica-se o princípio da ultra-atividade.

B) benigna aplica-se o princípio da extra-atividade.

C) severa aplica-se o princípio da retroatividade mitigada.

D) severa aplica-se o princípio da extra-atividade.

E) benigna aplica-se o princípio da não ultra-atividade.

Ano: 2018 Banca: CESPE Órgão: PC-MA Prova: CESPE -


2018 - PC-MA - Delegado de Polícia Civil
Exercício nº 96
Um crime de extorsão mediante sequestro perdura há meses e, nesse
período, nova lei penal entrou em vigor, prevendo causa de aumento
de pena que se enquadra perfeitamente no caso em apreço.

Nessa situação hipotética, é correto afirmar que estamos diante de


novatio legis in pejus, e que, nesse sentido, a lei penal mais grave
deverá ser aplicada, pois a atividade delitiva prolongou-se até a entrada
em vigor da nova legislação, antes da cessação da permanência do
crime.

Banca: CESPE Órgão: PC-PE Prova: CESPE - 2016 - PC-PE


- Escrivão de Polícia Civil
Exercício nº 96
Tópico relacionado no edital: 1.2 A lei penal no tempo e no espaço.

Novatio Legis Cola na faculdade.


Pratica Art. 121, 129,
in Pejus 140 CP.

BOB
Novatio Legis
Lei B: Aumenta a Lei C: Criminaliza
Incriminadora pena Art. 140 Colar na Faculdade
Sucessão de
leis no tempo
Novatio Legis
in Mellius Lei D: Reduz a pena
Lei E: Descriminaliza
o delito de Lesões
do Homicídio
Corporais

Abolitio
Criminis Julgamento
do BOB
Exercício nº 96
Tópico relacionado no edital: 1.2 A lei penal no tempo e no espaço.

Inicia Extorsão
Pena 8 a 15
Súmula 711 mediante
sequestro.
anos.

A lei penal mais grave aplica-se ao BOB


Lei B: Pena de Lei C: Pena de 6
crime continuado ou ao crime 15 a 30 anos. a 12 anos.

permanente, se a sua vigência é


Lei D: Pena de 9
anterior à cessação da a 17 anos

continuidade ou da permanência. Julgamento


do BOB
Exercício nº 96
Tópico relacionado no edital: 1.2 A lei penal no tempo e no espaço.

Inicia Extorsão
Pena 8 a 15
Súmula 711 mediante
sequestro.
anos.

A lei penal mais grave aplica-se ao BOB


Lei B: Pena de Lei C: Pena de 6
crime continuado ou ao crime 15 a 30 anos. a 12 anos.

permanente, se a sua vigência é


Lei D: Pena de 9
anterior à cessação da a 17 anos

continuidade ou da permanência. Julgamento


do BOB
Exercício nº 96
Um crime de extorsão mediante sequestro perdura há meses e, nesse
período, nova lei penal entrou em vigor, prevendo causa de aumento
de pena que se enquadra perfeitamente no caso em apreço.

Nessa situação hipotética, é correto afirmar que estamos diante de


novatio legis in pejus, e que, nesse sentido, a lei penal mais grave
deverá ser aplicada, pois a atividade delitiva prolongou-se até a entrada
em vigor da nova legislação, antes da cessação da permanência do
crime.

Banca: CESPE Órgão: PC-PE Prova: CESPE - 2016 - PC-PE


- Escrivão de Polícia Civil
Exercício nº 97
Disposições constitucionais e disposições legais tratam do tema aplicação da
lei penal no tempo, sendo certo que existem peculiaridades aplicáveis às
normas de natureza penal.

Sobre o tema, é correto afirmar que:

A combinação de leis favoráveis, de acordo com a atual jurisprudência do


Superior Tribunal de Justiça, é admitida no momento da aplicação da pena.
Ano: 2018 Banca: FGV Órgão: TJ-AL Prova: FGV - 2018 -
TJ-AL - Técnico Judiciário - Área Judiciária
Tópico relacionado no edital: 1.2 A lei penal no tempo e no espaço.
Exercício nº 97
Tópicos relacionados no edital:
1 Aplicação da lei penal e 1.2 A lei penal no tempo e no espaço.

Doutrina STF STJ Parecer


Combinação de leis

“Se o juiz pode aplicar o


todo para favorecer o
sujeito, não há porque
Garcia, Delmanto e
RE 596152, HC95435 HC 111306 não ser possível escolher
Favoráveis Damásio
parte de uma e de outra
para o mesmo fim”
Damásio

Contra Rcl 3546/SP, HC


“Em nenhum caso será
possível tomar de uma e
HC 94687
220.589/SP, HC 179.915, outra lei as disposições
Hungria, Fragoso, Bruno HC 103833
Súmula 501 (específica que mais beneficiem o
600.817/RS (Pleno) sobre lei de drogas) réu”
FRAGOSO
Exercício nº 97
“Contudo, a questão já foi objeto de análise por esta Corte em diversas oportunidades, tendo o Tribunal
firmado sua jurisprudência no sentido de não ser possível a combinação de leis no tempo.

Lembro, por oportuno, que há tempo esse entendimento vem se consolidando.

Nessa esteira, observo que, desde o julgamento do Recurso Ordinário Criminal 1.381/SP, Rel. Min. Cordeiro
Guerra, o Tribunal adota tal posição. Nesse julgado, assentou-se que: “De fato, é lícito ao juiz escolher, no
confronto das leis, a mais favorável, e aplicá-la em sua integridade, porém não lhe é permitido criar e aplicar
uma ‘terza legge diversa’, de modo a favorecer o réu, pois, nessa hipótese, se transformaria em legislador.“
(grifos meus).”

RE (600.817/RS 07/11/2013, Voto do relator Min.


Ricardo Lewandowski):
Exercício nº 97
Disposições constitucionais e disposições legais tratam do tema aplicação da
lei penal no tempo, sendo certo que existem peculiaridades aplicáveis às
normas de natureza penal.

Sobre o tema, é correto afirmar que:

A combinação de leis favoráveis, de acordo com a atual jurisprudência do


Superior Tribunal de Justiça, é admitida no momento da aplicação da pena.
Ano: 2018 Banca: FGV Órgão: TJ-AL Prova: FGV - 2018 -
TJ-AL - Técnico Judiciário - Área Judiciária
Exercício nº 98

Em relação à aplicação da lei penal no tempo e no espaço, no Código


Penal adotaram-se, respectivamente, as teorias da atividade e da
ubiquidade.

Banca: CESPE Órgão: Câmara dos Deputados Prova: Analista


Exercício nº 98 – TEMPO DO CRIME
Tópicos relacionados no edital:
1.3 Tempo e lugar do crime.

• Teoria da atividade: Considera-se que o crime ocorreu no momento da conduta,


ainda que outro seja o momento do resultado;
• Teoria do resultado: Considera-se que o crime ocorreu no momento do
resultado;

• Teoria mista: Considera-se que o crime ocorreu tanto no momento da conduta


quanto no momento do resultado.
Exercício nº 98 – LUGAR DO CRIME
Tópicos relacionados no edital:
1.3 Tempo e lugar do crime.

• Teoria da atividade: Aplica-se a lei do local em que ocorreu a ação ou omissão;

• Teoria do resultado: Aplica-se a lei do local em que ocorreu o resultado;

• Teoria da ubiquidade ou mista: Aplica-se a lei do local onde ocorreu a ação ou omissão, no todo ou em parte, bem
como onde se produziu ou deveria se produzir o resultado.
Exercício nº 98
Tópicos relacionados no edital:
1.3 Tempo e lugar do crime.

Lugar: Tempo:
Ubiquidade Atividade
LUTA
Exercício nº 98

Em relação à aplicação da lei penal no tempo e no espaço, no Código


Penal adotaram-se, respectivamente, as teorias da atividade e da
ubiquidade.

Banca: CESPE Órgão: Câmara dos Deputados Prova: Analista


Exercício nº 99
Na fronteira do Brasil com a Venezuela, mas ainda em território nacional, na cidade de Pacaraima, em
Roraima, Otávio desferiu cinco facadas contra Armindo, que conseguiu correr e faleceu na cidade de Santa
Helena, na Venezuela.

Nessa situação, como o crime se consumou na Venezuela, não há competência jurisdicional do Brasil para
processar e julgá-lo.

CESPE / DPF / Agente de Polícia Federal


Local do crime (Art. 6º)

BOB
Viagem demora
Indivíduo coloca
Indivíduo quer mais que o
uma bomba em Destino do avião
que a bomba esperado, e a
um avião russo, é o Egito.
exploda no Egito. bomba detona
na Rússia.
sobre a Turquia.

Local onde deveria Local onde ocorreu


Local da ação ou omissão produzir-se o resultado o resultado.
Local do crime (Art. 6º)

BOB
Viagem demora
Indivíduo coloca
Indivíduo quer mais que o
uma bomba em Destino do avião
que a bomba esperado, e a
um avião russo, é o Egito.
exploda no Egito. bomba detona
na Rússia.
sobre a Turquia.

Local onde deveria Local onde ocorreu


Local da ação ou omissão produzir-se o resultado o resultado.

Art. 6º - Considera-se praticado o crime no lugar em que


ocorreu a ação ou omissão, no todo ou em parte, bem como
onde se produziu ou deveria produzir-se o resultado.
Exercício nº 99
Na fronteira do Brasil com a Venezuela, mas ainda em território nacional, na cidade de Pacaraima, em
Roraima, Otávio desferiu cinco facadas contra Armindo, que conseguiu correr e faleceu na cidade de Santa
Helena, na Venezuela.

Nessa situação, como o crime se consumou na Venezuela, não há competência jurisdicional do Brasil para
processar e julgá-lo.

CESPE / DPF / Agente de Polícia Federal

Gabarito: E
Lembre-se: O crime foi praticado tanto aqui
quanto na Venezuela (Teoria da Ubiquidade).

Aplica-se a lei penal brasileira SIM!


Exercício nº 100
A lei penal que, de qualquer modo, beneficia o agente tem, em regra, efeito extra-ativo, ou seja, pode
retroagir ou avançar no tempo e, assim, aplicar-se ao fato praticado antes de sua entrada em vigor,
como também seguir regulando, embora revogada, o fato praticado no período em que ainda estava
vigente. A única exceção a essa regra é a lei penal excepcional ou temporária que, sendo favorável ao
acusado, terá somente efeito retroativo.

CESPE / Polícia Civil do DF / Escrivão de Polícia


Exercício nº 100
Uma lei que criminalize a pesca do boto cor-de-
rosa durante o período exato de um ano é um
Lei temporária
Possui um prazo de vigência pré- exemplo de lei temporária.
determinado.

Já uma lei que criminalize a pesca do boto


cor-de-rosa até que o IBAMA verifique que a
Lei Excepcional
É uma lei com características emergenciais. população de botos cor-de-rosa ultrapassou
Sua duração tem prazo indeterminado, mas
condicionado a algum tipo de situação 300.000 animais em todo o país é uma lei
transitória. Quando a situação cessa, a
vigência da lei também o faz.
excepcional.
Exercício nº 100
A lei excepcional ou temporária, embora No caso das leis temporárias e
decorrido o período de sua duração ou cessadas as excepcionais, é possível a ocorrência da
circunstâncias que a determinaram, aplica-se ao fato ultratividade em prejuízo, ao contrário
praticado durante sua vigência. da regra geral estabelecida para as leis
penais.
CP, Art. 3º
Exercício nº 100
Autorrevogáveis

• Em regra, não é outra lei que revoga a lei temporária ou excepcional. A própria
lei possui a previsão que causará sua revogação.
• Exemplo: Lei Geral da Copa:
• Art. 36. Os tipos penais previstos neste Capítulo terão vigência até o dia 31 de
dezembro de 2014.

Abolitio Criminis

• Em regra, leis temporárias ou excepcionais não se sujeitam aos efeitos da


abolitio criminis;
• Entretanto, lei expressa com esse fim poderá causar o referido efeito (Sanches).
Exercício nº 100 1 - O ESTATUTO DO DESARMAMENTO CONSIDEROU O PORTE
DE ARMA COMO CASO ATÍPICO, DESDE A SUA EDIÇÃO - LEI N.º

Importante: 10.826/03 (DEZEMBRO DE 2003) ATÉ A PUBLICAÇÃO DO


DECRETO 5.123/04, OCORRIDA EM 02 DE JULHO DE 2004, OU
Lei temporária / excepcional possui efeito ultra- SEJA, A CONDUTA OCORRIDA ANTES DA LEI, CONTINUA SENDO
ativo gravoso, diferentemente da lei penal
comum; TÍPICA.

Existem julgados no sentido de que a 2 - A LEI TEMPORÁRIA NÃO RETROAGE PARA BENEFICIAR O
retroatividade benéfica não se aplica ao caso
de leis temporárias e excepcionais! RÉU. O QUE OCORREU DIANTE DA EDIÇÃO DA LEI SUPRACITADA
FOI O ADVENTO DE UMA NORMA TEMPORAL EXCLUDENTE DE
TIPICIDADE E, NÃO, ABOLITIO CRIMINIS.

(TJ-DF - RECURSO EM SENTIDO ESTRITO : RSE


22271720028070003 DF 0002227-17.2002.807.0003
Exercício nº 100
A lei penal que, de qualquer modo, beneficia o agente tem, em regra, efeito extra-ativo, ou seja, pode
retroagir ou avançar no tempo e, assim, aplicar-se ao fato praticado antes de sua entrada em vigor,
como também seguir regulando, embora revogada, o fato praticado no período em que ainda estava
vigente. A única exceção a essa regra é a lei penal excepcional ou temporária que, sendo favorável ao
acusado, terá somente efeito retroativo.

CESPE / Polícia Civil do DF / Escrivão de Polícia


Exercício nº 101
Lei temporária, após decorrido o período de sua duração, não se aplica mais nem aos fatos praticados durante
sua vigência nem aos posteriores.

Banca: CESPE Órgão: MPE-RR Prova: Oficial de Promotoria


Exercício nº 101
Lei temporária, após decorrido o período de sua duração, não se aplica mais nem aos fatos praticados durante
sua vigência nem aos posteriores.

Banca: CESPE Órgão: MPE-RR Prova: Oficial de Promotoria


Exercício nº 102
O fato de determinada conduta ser considerada crime somente se estiver como tal expressamente prevista
em lei não impede, em decorrência do princípio da anterioridade, que sejam sancionadas condutas
praticadas antes da vigência de norma excepcional ou temporária que as caracterize como crime.

Banca: CESPE Órgão: Polícia Federal Provas: CESPE - 2012 - Polícia Federal - Agente da Polícia Federal
Exercício nº 102
O fato de determinada conduta ser considerada crime somente se estiver como tal expressamente prevista
em lei não impede, em decorrência do princípio da anterioridade, que sejam sancionadas condutas
praticadas antes da vigência de norma excepcional ou temporária que as caracterize como crime.

Banca: CESPE Órgão: Polícia Federal Provas: CESPE - 2012 - Polícia Federal - Agente da Polícia Federal
Exercício Nº 103
A bordo de um avião da Força Aérea Brasileira, em sobrevoo pelo território argentino, Andrés, cidadão
guatemalteco, disparou dois tiros contra Daniel, cidadão uruguaio, no decorrer de uma discussão.
Contudo, em virtude da inabilidade de Andrés no manejo da arma, os tiros atingiram Hernando, cidadão
venezuelano que também estava a bordo. Nessa situação, em decorrência do princípio da territorialidade,
aplicar-se-á a lei penal brasileira.

CESPE / PCDF / Escrivão


Territorialidade (Art. 5º CP).

Art. 5º - Aplica-se a lei brasileira, sem prejuízo de


convenções, tratados e regras de direito
internacional, ao crime cometido no território
nacional.

Básico.. Certo?

• O art. 5º é básico e decorre da soberania


nacional (se o crime é praticado em território
nacional, aplica-se a lei penal brasileira).

Porém...

• Você sabe dizer o que é território nacional para


fins penais?
Territorialidade (Art. 5º CP).

Art. 5º - Aplica-se a lei brasileira, sem prejuízo de


convenções, tratados e regras de direito
internacional, ao crime cometido no território
nacional.

Território por
Território Nacional
extensão
• Superfície Terrestre; • Embarcações e aeronaves
brasileiras, públicas ou a
• Mar Territorial (Até 12 serviço do governo brasileiro
milhas); onde quer que estejam;

• Águas interiores; • Aeronaves e embarcações


matriculadas no Brasil, de
propriedade privada, que se
• Espaço Aéreo encontrem em alto-mar ou
Correspondente. espaço aéreo situado sobre
alto-mar.
Exercício nº 103
A bordo de um avião da Força Aérea Brasileira, em sobrevoo pelo território argentino, Andrés, cidadão
guatemalteco, disparou dois tiros contra Daniel, cidadão uruguaio, no decorrer de uma discussão.
Contudo, em virtude da inabilidade de Andrés no manejo da arma, os tiros atingiram Hernando, cidadão
venezuelano que também estava a bordo. Nessa situação, em decorrência do princípio da territorialidade,
aplicar-se-á a lei penal brasileira.

CESPE / PCDF / Escrivão

Gabarito: C
Exercício Nº 104
Se o presidente do STF, em viagem oficial à Itália, for agredido por manifestante contrário à sua presença
naquele país, resultando-lhe ferimentos graves, a essa hipótese aplicar-se-á a lei penal brasileira de forma
incondicionada, com base no princípio da universalidade, ou da justiça universal.
CESPE / PC-CE / Inspetor de Polícia
Princípios importantes
Princípio da bandeira ou do pavilhão

• Aplicável aos casos em que o navio / embarcação está em alto-mar.

Exemplo: Um navio da Argentina, em alto-mar, é considerado território da Argentina.

Princípio da Defesa Real ou Proteção

• Aplicável quando importa à nacionalidade o bem jurídico tutelado.

• Exemplos: Art. 7º, I, a, b e c (PR, Patrimônio União [...] e contra Adm. Pública [...]

Princípio da Justiça Universal ou Cosmopolita

• Direito de todos os países em punir quaisquer crimes.


• Exemplo: Art. 7º, I, d (Genocídio)
Extraterritorialidade
A extraterritorialidade trata das hipóteses de aplicação da
lei penal brasileira a crimes praticados fora do território
brasileiro.

Almirante Brown Square - Argentina


Extraterritorialidade

Incondicionada Art. 7º, I

Extraterritorialidade

Condicionada Art. 7º, II, CP


Extraterritorialidade INCONDICIONADA
Extraterritorialidade INCONDICIONADA

Nas hipóteses do art. 7º, I, não há necessidade de nenhuma outra condição para a aplicação
da lei penal brasileira.

Se for praticado, fora do território nacional, um crime contra a vida do Presidente da


República, por exemplo, haverá a aplicação de nossa lei penal, independentemente de
qualquer outra coisa, por força do princípio da extraterritorialidade incondicionada.
É o que prevê o §1º do art. 7º:

§ 1º - Nos casos do inciso I, o agente é punido segundo a lei brasileira, ainda que
absolvido ou condenado no estrangeiro.

Nucci: Entende que tal requisito é Cuidado: Código Penal & LFG
inconstitucional por força do princípio do non Ninguém pode ser condenado duas vezes
bis in idem. pelo mesmo crime. Entretanto, a regra não
É inclusive citado por Sanches em seu Manual é absoluta, pois o art. 8º do Código Penal é
de Direito Penal. exceção ao non bis in idem (Pena cumprida
Fique atento se a questão versa sobre a letra no estrangeiro.)
do CP ou a posição doutrinária.
Exercício Nº 104
Se o presidente do STF, em viagem oficial à Itália, for agredido por manifestante contrário à sua presença
naquele país, resultando-lhe ferimentos graves, a essa hipótese aplicar-se-á a lei penal brasileira de forma
incondicionada, com base no princípio da universalidade, ou da justiça universal.
CESPE / PC-CE / Inspetor de Polícia
Exercício nº 105
A extraterritorialidade da lei penal condicionada e a da incondicionada têm como elemento comum a
necessidade de ingresso do agente no território nacional.

CESPE / PC-BA / Investigador


Exercício nº 105
A extraterritorialidade da lei penal condicionada e a da incondicionada têm como elemento comum a
necessidade de ingresso do agente no território nacional.

CESPE / PC-BA / Investigador

Gabarito: E

Extraterritorialidade INCONDICIONADA
não se submete a condição alguma (como
o próprio nome diz).
Exercício nº 106
Jurandir, cidadão brasileiro, foi processado e condenado no exterior por ter praticado tráfico internacional
de drogas, e ali cumpriu seis anos de pena privativa de liberdade. Pelo mesmo crime, também foi
condenado, no Brasil, a pena privativa de liberdade igual a dez anos e dois meses.

Nessa situação hipotética, de acordo com o Código Penal, a pena privativa de liberdade a ser cumprida
por Jurandir, no Brasil, não poderá ser maior que quatro anos e dois meses.

CESPE / Polícia Civil do DF / Escrivão de Polícia


Extraterritorialidade CONDICIONADA
Extraterritorialidade CONDICIONADA
Requisitos
Entendendo Melhor
Extraterritorialidade
Incondicionada

Agente foi condenado a 8


Crime contra a vida do
anos na França e a 20 anos
Presidente da República
no Brasil

Ocorre o abatimento
(restam 12 anos para
cumprir no Brasil)
Agente pratica crime e é
condenado no estrangeiro
Extraterritorialidade
Condicionada

Crime praticado por Agente foi condenado a 8


brasileiro anos na França

Não pode mais responder


pelo delito no Brasil!
Exercício nº 106
Jurandir, cidadão brasileiro, foi processado e condenado no exterior por ter praticado tráfico internacional
de drogas, e ali cumpriu seis anos de pena privativa de liberdade. Pelo mesmo crime, também foi
condenado, no Brasil, a pena privativa de liberdade igual a dez anos e dois meses.

Nessa situação hipotética, de acordo com o Código Penal, a pena privativa de liberdade a ser cumprida
por Jurandir, no Brasil, não poderá ser maior que quatro anos e dois meses.

CESPE / Polícia Civil do DF / Escrivão de Polícia

É caso de extraterritorialidade condicionada.


Falta uma condição.
Não se pode mais aplicar a lei brasileira a esse caso!
Exercício nº 107
A organização não-governamental holandesa "Women on the waves", dirigida pelo médico holandês Marco Van Basten, possui um
barco de bandeira holandesa que navega ao redor do mundo recebendo gestantes que desejam realizar aborto. Quando passou
pelo Brasil, o navio holandês recebeu a bordo mulheres que praticaram a interrupção de sua gestação, dentre elas Maria da Silva,
jovem de 25 anos. Na ocasião em que foi interrompida a gravidez, o barco estava em alto-mar, além do limite territorial brasileiro
ou de qualquer outro país. Sabendo que a lei brasileira pune o aborto (salvo em casos específicos, não aplicáveis à situação de
Maria) ao passo que a Holanda não pune o aborto, assinale quais foram os crimes praticados por Marco e Maria, respectivamente.

A) Nenhum dos dois praticou crime.


B) Provocar aborto sem o consentimento da gestante e provocar aborto em si mesma.
C) Provocar aborto com o consentimento da gestante e provocar aborto em si mesma.
D) Provocar aborto em si mesma e provocar aborto sem o consentimento da gestante.
E) Provocar aborto em si mesma e provocar aborto com o consentimento da gestante.

FCC/ TJ-AP / Juiz


A organização não-governamental holandesa "Women on the waves", dirigida pelo médico holandês Marco Van Basten, possui um
barco de bandeira holandesa que navega ao redor do mundo recebendo gestantes que desejam realizar aborto. Quando passou
pelo Brasil, o navio holandês recebeu a bordo mulheres que praticaram a interrupção de sua gestação, dentre elas Maria da Silva,
jovem de 25 anos. Na ocasião em que foi interrompida a gravidez, o barco estava em alto-mar, além do limite territorial brasileiro
ou de qualquer outro país. Sabendo que a lei brasileira pune o aborto (salvo em casos específicos, não aplicáveis à situação de
Maria) ao passo que a Holanda não pune o aborto, assinale quais foram os crimes praticados por Marco e Maria, respectivamente.

É caso de
É caso de É caso de
Não. É possível! extraterritorialidade
territorialidade? extraterritorialidade?
incondicionada?

Pode ser! a) entrou o agente


É caso de no território
(crime praticado por Estão presentes as
Não. extraterritorialidade nacional?
uma brasileira – Art. Condições?
condicionada?
7º, II, b) Não sei.

Na Holanda O fato é punível


Onde o fato foi Não está presente
(princípio da também no país em Não!
praticado? uma das condições!
bandeira). que foi praticado?
Exercício nº 107
A organização não-governamental holandesa "Women on the waves", dirigida pelo médico holandês Marco Van Basten, possui
um barco de bandeira holandesa que navega ao redor do mundo recebendo gestantes que desejam realizar aborto. Quando passou
pelo Brasil, o navio holandês recebeu a bordo mulheres que praticaram a interrupção de sua gestação, dentre elas Maria da Silva,
jovem de 25 anos. Na ocasião em que foi interrompida a gravidez, o barco estava em alto-mar, além do limite territorial brasileiro
ou de qualquer outro país. Sabendo que a lei brasileira pune o aborto (salvo em casos específicos, não aplicáveis à situação de
Maria) ao passo que a Holanda não pune o aborto, assinale quais foram os crimes praticados por Marco e Maria, respectivamente.

A) Nenhum dos dois praticou crime.


B) Provocar aborto sem o consentimento da gestante e provocar aborto em si mesma.
C) Provocar aborto com o consentimento da gestante e provocar aborto em si mesma.
D) Provocar aborto em si mesma e provocar aborto sem o consentimento da gestante.
E) Provocar aborto em si mesma e provocar aborto com o consentimento da gestante.

FCC/ TJ-AP / Juiz


MUITO OBRIGADO...

E NOS VEMOS EM 03/05/2019!


Professor Douglas Vargas

TEORIAINTERATIVA