Você está na página 1de 25

O ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA E Universidade do Extremo Sul

LITERATURA NO ENSINO MÉDIO: Catarinense - UNESC

VIVÊNCIAS E REFLEXÕES A PARTIR DA Orientadora: Eloisa da Rosa Oliveira


Egressa: Raínne Fogaça da Silva

PRÁTICA DOCENTE
INTRODUÇÃO
 A etapa de observação das aulas ocorreu entre
13/8/2018 e 22/8/2018. Foram observadas, ao total, cinco
turmas: 1001, 1002, 2001, 2002 e 2003;

 A regência sucedeu entre 17/9/2018 e 17/10/2018, em


quatro turmas: 1001, 1002, 2002 e 2003.
OBSERVAÇÃO
 As aulas acompanhadas nas turmas de
segundo ano versaram sobre a primeira,
segunda e terceira geração do Romantismo no
Brasil;
OBSERVAÇÃO
 A metodologia que se seguiu foi a seguinte: a
professora, primeiramente, solicitou que os alunos
lessem, em voz alta e por ordem aleatória, os
versos presentes no material didático que
compunha o poema Consolação nas lágrimas,
de Gonçalves Dias;
OBSERVAÇÃO
 Após a leitura, a professora lançou aos alunos
perguntas referentes ao poema lido.
 Feitura das questões presentes no livro didático.
OBSERVAÇÃO
 Notou-se, ao longo das aulas, o uso frequente do livro
didático, alternados com alguns momentos de
aproximação ao contexto dos alunos;
 Regina Zilberman, no livro A leitura e o ensina da
literatura, ao discorrer sobre a abordagem encadeada
pelos materiais didáticos em relação à literatura pontua
que:
OBSERVAÇÃO
 “[o] livro didático concebe o ensino de literatura
apoiado no tripé conceito de leitura-texto-exercício. A
mudança de apenas um dos termos ─ nos casos
recentes, os textos são atuais ─ não parece ser suficiente
para motivar a transformação dos demais; pelo
contrário, reforça a manutenção das características
gerais.
OBSERVAÇÃO
Se estas persistem, é porque respondem a exigências
superiores, formulados pelo conjunto da sociedade e,
particularmente, pela indústria livreira nacional, que cresce
à proporção em que se expande o ensino brasileiro. Por
isso, não apenas se torna impraticável desvincular o livro
didático do contexto do capitalismo nacional; isto
igualmente é ilusório.
OBSERVAÇÃO
Como também é impraticável, e ilusório, não
compreender porque o conceito de leitura e de literatura
que a escola adota é de natureza pragmática, aquele só
se justificando quando explicita sua finalidade ─ a de ser
aplicado, investido, num efeito qualquer” (ZILBERMAN, p.
110, 1988).
OBSERVAÇÃO
 Há de se pensar em um contexto para além da sala de
aula, não condenando a postura da docente, pois não
depende somente dela o andar da aula, mas sim de todo
uma estrutura maior.
REGÊNCIA
 Foram ministradas, ao total, vinte aulas;
 5 aulas em cada turma;
 A escolha dos conteúdos a serem trabalhados com os
alunos foi apontada pela professora supervisora;
 Buscou-se abranger, durante as aulas, a leitura, a fala e
a escrita, bem como a reflexão dos textos apresentados
aos alunos.
OS PRIMEIROS ANOS
 Na turmas de primeiro ano, as atividades
desenvolvidas contemplaram o gênero carta;
 No primeiro encontro, houve uma conversa sobre
o que se encontra hoje nas caixas de correio
(correspondências).
OS PRIMEIROS ANOS
 Após a primeira discussão, os alunos foram convidados
à leitura da crônica O lixo, de Luís Fernando Veríssimo;
 O segundo encontro versou, primeiramente, sobre a
aproximação do gênero carta com o e-mail;
 Em um segundo momento, foi lido com os alunos o
poema Todas as cartas de amor são ridículas, de
Fernando Pessoa.
OS PRIMEIROS ANOS
 Leitura da carta de Machado de Assis à Carolina
Xavier;
 Ainda na mesma aula, uma outra carta foi lida,
agora, com um teor de amizade;
 Leitura da carta de Fernando Sabino à Clarice
Lispector.
OS PRIMEIROS ANOS
 No terceiro encontro, foram lidas mais duas
cartas: a resposta de Clarice Lispector ao Fernando
Sabino, e uma carta de Lispector a seu filho, Paulo
Gurgel Valente;
 Na quarta e penúltima aula, ocorreu a escrita da
carta.
OS PRIMEIROS ANOS
 No último encontro, houve a refacção das cartas;
 Após, a estagiária montou um varal de cartas,
para aqueles que optaram por expor suas
produções.
 Houve a possibilidade, também, de direcionar as
cartas para os destinatários, pois foram
disponibilizados aos alunos envelopes.
OS SEGUNDOS ANOS
 A partir das imagens, a
estagiária abordou
questões referentes a
aparências nos
relacionamentos.
OS SEGUNDOS ANOS
 No segundo encontro, foi realizada a leitura
do conto A carteira, de Machado de Assis.
Antes, porém, foi lançado aos alunos
questões as quais o protagonista do conto
passa na história.
OS SEGUNDOS ANOS
 O comando que permeou a escrita do conto
foi que, a partir do texto lido em sala, os alunos
deveriam escolher um personagem que não
teve voz em determinado trecho. Assim, os
alunos, a partir da interpretação deles,
contariam a história pela perspectiva de outro
personagem que não o central (Honório),
seguindo o conto em sua forma original.
ATIVIDADE DE EXTENSÃO
 O objetivo principal do projeto foi a promoção, por
meio de leituras e discussões, de uma reflexão acerca da
cultura indígena;
 A atividade teve início com a canção Índios, da banda
Legião Urbana;
 Após a escuta e reflexão da música, as estagiárias
propuseram a leitura de alguns poemas que versaram
sobre a temática indígena.
ATIVIDADE DE EXTENSÃO
 O canto do guerreiro, de Gonçalves Dias;
 Erro de português, de Oswald de Andrade;
 Para encerrar a atividade, foi solicitada aos
alunos a produção de um artigo de opinião que
abordasse as temáticas discutidas em aula.
CONSIDERAÇÕES FINAIS
 Tem-se que a sala de aula é um ambiente que
vai além das paredes ali postas, sofrendo
interferências de um conjunto educacional/social
como um todo;
 Por fim, destaca-se que, na etapa da regência,
foi perceptível uma criticidade por parte dos alunos
e uma maior abertura ao diálogo, a partir dos
textos lidos
REFERÊNCIAS
ANTUNES, Irandé. Aula de português: encontro & interação.
São Paulo: Parábola Editorial, 2003.

SANTA CATARINA. Secretaria de Estado da Educação e do


Desporto. Proposta Curricular de Santa Catarina: educação
infantil, ensino fundamental e médio
(disciplinascurriculares). Florianópolis: COGEN, 2014.

ZILBERMAN, Regina. A leitura e o ensino da literatura. São


Paulo: Contexto, 1988.
VARAL DE CARTAS
O ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA E
LITERATURA NO ENSINO MÉDIO: Universidade do Extremo Sul
Catarinense - UNESC
VIVÊNCIAS E REFLEXÕES A PARTIR DA Orientadora: Eloisa da Rosa Oliveira
Egressa: Raínne Fogaça da Silva
PRÁTICA DOCENTE