Você está na página 1de 4

Base Bíblica: Lucas 18:18-23 (Mt 19; Mc 10)

Tema:

Introdução: O Senhor não vê como o homem: o homem vê a aparência, mas o Senhor vê o


coração” (1Samuel 16.7b).

É comum usarmos máscaras. Usamos máscaras para esconder as nossas imperfeições: o


orgulho, a mentira, a inveja, a ira, a ganância, a idolatria, a prostituição, a lascívia etc.
Sempre queremos esconder os nossos pecados das pessoas. Sempre tentamos transmitir às
pessoas a imagem de que está tudo bem conosco. O pior é que as outras pessoas fazem a
mesma coisa com a gente. Todos nós fazemos uma falsa propaganda de quem realmente
somos. É uma falsidade mútua. Enganamos e somos enganados.

O problema com esse comportamento é que, além de causar mal a nós mesmos, pecamos
contra Deus. As pessoas podem olhar para nós e pensar que somos os mais santos do
mundo. Mas Deus, que conhece o profundo de nosso ser, sabe que isso é pura fachada. As
pessoas dizem que você é realmente um filho de Deus, santo. Mas, quem Deus diz que você
é?

Transição: Vamos começar analisando o jovem rico em suas características.


Características
 Em primeiro lugar, ele era jovem: Esse jovem estava no alvorecer da vida.
 Tinha toda a vida pela frente e toda a oportunidade de investir o seu futuro no
reino de Deus
 Em segundo lugar, ele era riquíssimo: Os três Evangelhos sinóticos descrevem esse
jovem como uma pessoa muito rica.
 Em terceiro lugar, ele era proeminente: Lucas diz que ele era um “homem de
posição”, ou seja, possuía elevado status na sociedade.

Transição: Ele era um jovem promissor, seu problema não era exterior. Ele precisava mudar
por dentro.

I – Enganado sobre a salvação.

Introdução: Lucas diz que ele era um príncipe (Lc 18.18). A palavra príncipe no grego é
“arcwn (archon)“, que significa literalmente – governador, comandante, chefe, líder, isso
revela que ele não era um simples homem, mas sim alguém que tinha uma certa
importância dentro da sociedade judaica e a bíblia também menciona o fato dele ser muito
rico – “muitas propriedades…”
Apesar de ser um jovem promissor, inteligente e rico. Provavelmente de uma boa reputação.
Ele não sabia nada sobre a verdadeira salvação.

"Bom Mestre, que farei para herdar a vida eterna? " "Por que você me chama bom? ",
"Não há ninguém que seja bom, a não ser somente Deus.
Lucas 18: 18-19

Ele estava enganado a respeito da salvação. Ele viu a salvação como uma questão de mérito
e não como um presente da graça de Deus. Seu desejo de ter a vida eterna era sincero, mas
ele estava enganado quanto à maneira de alcançá-la. Ele queria obter a salvação por obras, e
não pela graça.
Na índia, multidões que desejam a salvação deitam sobre camas de prego ao sol escaldante;
balançam-se sobre um fogo baixo; sustentam uma mão erguida até ela se tornar imóvel;
fazem longas caminhadas de joelhos. Grande as religiões do mundo ensinam que o ser
humano é salvo pelas suas obras. O cristianismo é exclusivo porque nesse sentido estamos
pelo o que Cristo fez por nós, por isso vivemos pela fé, pelo crer.

Porque não me envergonho do evangelho de Cristo, pois é o poder de Deus para


salvação de todo aquele que crê; primeiro do judeu, e também do grego.
Porque nele se descobre a justiça de Deus de fé em fé, como está escrito: Mas o justo
viverá pela fé.
Romanos 1:16,17

Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus.
Não vem das obras, para que ninguém se glorie;
Efésios 2:8,9

O DEFEITO daquele homem e que quando pensava na vida eterna, projetava o próprio eu
dentro do quadro, de maneira exagerada. Ele tinha sim muito o que fazer, mas sobretudo
ele primeiro tinha que aprender a renunciar.

Transição: Ele estava enganada sobre como se salvar, como entrar no reino de Deus. E sua
vida de enganos não parava por ai. Ele também não se conhecia.

II – Enganado a respeito de si

Introdução: Quem sou eu? Essa parece ser uma pergunta simples, mas dificílima de ser
respondida. Como saber exatamente o que somos?

Nisto constituiu-se a mais nobre tarefa dos filósofos gregos: “Conhece-te a ti mesmo”, era a
máxima que orientava todo o pensamento helênico.
Jesus sempre combateu veementemente a hipocrisia e legalismo. Em um diálogo com os
fariseus disse:

"Ai de vocês, mestres da lei e fariseus, hipócritas! Vocês são como sepulcros caiados: bonitos
por fora, mas por dentro estão cheios de ossos e de todo tipo de imundície. Assim são vocês:
por fora parecem justos ao povo, mas por dentro estão cheios de hipocrisia e maldade.
Mateus 23:27-28
Para aquele jovem Jesus diz

Jesus lhe disse: Por que me chamas bom? Ninguém há bom, senão um, que é Deus.
Sabes os mandamentos: Não adulterarás, não matarás, não furtarás, não dirás falso
testemunho, honra a teu pai e a tua mãe. Lucas 18:19,20

A ESTRANHA RESPOSTA de Jesus: É como se ele houvesse dito: Guarda a lei, e vive
eternamente. Naturalmente, isso era uma comum resposta judaica. Talvez aquele jovem
pensasse que algo deveria ser adicionado a isso. Nesse caso, deve ter ficado terrivelmente
desapontado
Jesus está construindo um conceito de resposta pois já conhece o coração daquele jovem.

"A tudo isso tenho obedecido desde a adolescência" Lucas 18: 21


Aquele jovem se olhava no espelho da lei e dava nota máxima para si mesmo. Considerava-
se um jovem íntegro. Não vivia em orgias nem saqueava os bens alheios. Vivia de forma
honrada dentro dos mais rígidos padrões morais e acabou sendo empurrado não para cristo
mas para o orgulho Cristão

O tolo acha feio o que não é espelho e, por isso, não busca entendimento, mas auto
absorção, ou seja, ele não quer entender; quer, na verdade, admirar a si mesmo. Por isso,
não vale a pena esperar do tolo a autocrítica. Ele é demasiado narcisista. Não está
acostumado a refletir seriamente sobre suas ideias.
Jonas Madureira – Inteligência Humilhada

Ele estava enganado a respeito de si mesmo (Lc 18.20,21). O jovem rico não tinha
consciência de quão pecador era. O pecado é uma rebelião contra o Deus santo. Não é
simplesmente uma ação, mas uma atitude interior que exalta o ser humano e desonra a
Deus. O jovem rico pensou que suas virtudes externas podiam agradar a Deus. Não adianta
entregar a Deus todas as minhas obras não entregar o coração.

Transição: Aquele jovem não conhecia sobre a vida eterna ofertada por Cristo e não
conhecia sobre o próprio coração. Consequentemente ele nunca poderia tomar uma
decisão, não poderia tomar parte ao pobres pescadores galileus.

III – O verdadeiro custo discipulado

Introdução: Quando falamos sobre “custo”, pressupomos que se trata de uma reflexão
de uma decisão que precisamos tomar na vida / Nós precisamos refletir sobre nossas
decisões espirituais, pois elas terão consequências futuras.
O discipulado não é Jesus se encaixar na sua vida e nos seus planos, mas você se encaixar
na vida, nos planos e nas exigências de Jesus

O discipulado é compromisso com Cristo; porque Cristo existe tem de haver Discipulado.
Bonhoeffer, Dietrich - Discipulado

"Falta-lhe ainda uma coisa. Venda tudo o que você possui e dê o dinheiro aos pobres, e
você terá um tesouro nos céus. Depois venha e siga-me". Mas ouvindo ele estas palavras
ficou muito triste, porque era riquíssimo. Lucas 18: 22-23

O que faltava a ele? O novo nascimento, a conversão, o buscar a Deus em primeiro lugar.
Ele queria a vida eterna, mas não renunciou aos seus ídolos, ou seu ídolo maior o dinheiro
as posses.
Tudo quanto ele fizera desde a adolescência não o separara dessas riquezas e da
dependência às mesmas.

O jovem queria ser um discípulo ricaço, mas não tinha coragem de tomar lugar entre os
pobres pescadores galileus. A renúncia é sempre uma das condições do discipulado

O 'rico' percebeu que o discipulado lhe custaria demais. De muitos modos, o discipulado
requer renúncia, nos campos moral, espiritual e material. Poucos estão preparados para
seus rigores.

Esse homem se acovardou, ao ouvir do grande preço do verdadeiro discipulado.


Conclusão: De todas as pessoas que se encontraram com Cristo, este homem é o único
que saiu pior do que chegou. Ele foi amado por Jesus, mas, mesmo assim, desperdiçou a
maior oportunidade da sua vida. Ele até buscou a pessoa certa, de ter abordou o tema
certo (vida eterna) e recebeu a resposta certa, ele tomou a decisão errada.

Outros personagens: Os discípulos

E disse Pedro: Eis que nós deixamos tudo e te seguimos.


E ele lhes disse: Na verdade vos digo que ninguém há, que tenha deixado casa, ou pais, ou
irmãos, ou mulher, ou filhos, pelo reino de Deus,
Que não haja de receber muito mais neste mundo, e na idade vindoura a vida eterna.
Lucas 18:28-30

O jovem rico não estava lá!

Você não precisa renunciar tudo se você entender que você em suas mãos nada possui.

Você também pode gostar