Você está na página 1de 4

REPERTÓRIO VISUAL: APRENDENDO A LER (A) Arte Medieval

IMAGENS (B) Arte Moderna


01. (UEL 2014 adaptada) Na perspectiva de Argan (C) Arte Contemporânea
(1998), a arte está inserida no cotidiano da cidade (D) Arte Barroca
e envolve, entre outros elementos, a arquitetura, o (E) Arte Neoclássica
urbanismo e o design. A obra de arte determina o Assinale a alternativa que contém a associação
espaço urbano. São espaço urbano também os correta.
ambientes das casas particulares; e o retábulo do a) I-A, II-C, III-E, IV-D, V-B.
altar da igreja, a decoração do quarto de dormir ou b) I-D, II-B, III-E, IV-C, V-B.
da sala de jantar, até mesmo o vestuário e o c) I-B, II-E, III-D, IV-C, V-A.
ornamento com que as pessoas se movem, recitam d) I-D, II-A, III-E, IV-B, V-C.
a sua parte na dimensão cênica da cidade. e) I-C, II-E, III-D, IV-B, V-A.
(Adaptado de: ARGAN, G. C. História da arte como
história da cidade. São Paulo: Martins Fontes, 02. (UEL 2014) Leia o texto a seguir.
1998. p.2-3.) Até o século XIX, na arte ocidental, a matéria era
As imagens a seguir representam obras que se usada na escultura como meio de representar
inserem, de múltiplas formas, no cotidiano das temas. No século XX, os escultores modernos
cidades. Relacione-as com os respectivos buscaram a autonomia da linguagem, atingindo a
períodos da História da Arte. compreensão sobre a importância da
materialidade. As criações com volume no espaço
já não enfatizaram somente a representação de
temas. Os escultores, a partir de Rodin, tiveram a
consciência de que a escultura como uma
linguagem, mais do que fazer coisas, é “matérica”,
porém pode produzir objetos que “dizem” coisas.
Além do modelado e do entalhe, os escultores
I. modernos experimentaram um novo procedimento:
a “construção”, a escultura como desenho no
espaço, a incorporação de massas de ar, do vazio,
na composição escultórica; fazendo do Espaço e
da Matéria categorias fundamentais dessa
linguagem. (Adaptado de: GAZITÚA, F. El
lenguage de la esculura. Santiago: Bauhaus
editorial, 1995.)
II. A partir do texto e com base nos conhecimentos
sobre a arte tridimensional, relacione as figuras
com os respectivos elementos (categorias)
enfatizados na linguagem escultórica.

III.

IV.

V.
A) Camille Claudel esculpiu corpos repletos de
sensualidade, com ritmo, harmonia e paixão. Suas
obras, em bronze, deixam a mostra marcas de
dedos e indefinição de contornos, registros do
processo criativo da artista.
(B) Alberto Giacometti trabalhou principalmente
com a deformação dramática da forma humana. O
existencialismo na obra de Giacometti traduz-se
numa essencialidade e numa repetição dos meios
expressivos e dos gestos formais, que imprimem à
figura humana uma significação fundamental: uma
linha vertical confrontando com a horizontalidade
do mundo.
(C) a obra de Victor Brecheret possui um poder
(A) Movimento e desenho no espaço. expressivo que não tinha o propósito de reproduzir
(B) Luz e abstração. as aparências naturais, mas explorar a vitalidade
(C) Linha e contraste. orgânica dos materiais. Recusava o academicismo
(D) Volume e superfície/textura. artístico e se alinhava a estética pós-
(E) Espaço e equilíbrio. impressionista, caracterizada pelo volume
Assinale a alternativa que contém a associação geométrico da escultura bem como pelo tratamento
correta. sintético das formas.
a) I-A, II-B, III-C, IV-D, V-E. (D) Maria Martins foi influenciada pelas lendas
b) I-B, II-C, III-E, IV-A, V-D. brasileiras e pelos surrealistas europeus refugiados
c) I-B, II-D, III-A, IV-C, V-E. em Nova Iorque. Suas esculturas apresentam
d) I-E, II-C, III-A, IV-B, V-D. anatomia distendida e distorcida. Explorou formas
e) I-E, II-D, III-C, IV-A, V-B. arredondadas em criaturas híbridas e imaginárias
pertencentes aos mitos e fantasias, que evocam a
03. A Arte Moderna caracteriza-se pela oposição transformação e a metamorfose e transmitem uma
aos padrões acadêmicos, que se intensificaram a impressão de mobilidade do corpo com suas
partir do Renascimento, no qual a escultura tornou- contorções, estiramentos e ondulações.
se um trabalho técnico de imitação da natureza. (E) Constantin Brancusi rompeu com a
Com Rodin, no final do século XIX, revalorizou-se representação e investigou a condição de “objeto”
a materialidade na escultura ocidental. da escultura. A partir da influência de Rodin,
Com base no enunciado, relacione as séries de explorou e pesquisou as materialidades da pedra e
imagens de esculturas modernas, na coluna da do metal, entalhando e fundindo formas
esquerda, com as informações sobre os geométricas e orgânicas, abstratas e simbólicas.
artistas. Assinale a alternativa que contém a associação
correta.
a) I-A, II-C, III-B, IV-E, V-D.
b) I-A, II-E, III-D, IV-C, V-B.
c) I-B, II-A, III-E, IV-D, V-C.
d) I-E, II-A, III-D, IV-C, V-B.
e) I-E, II-C, III-B, IV-A, V-D.

I. II. 04. (UEL 2008) Leia o texto e observe as


imagens a seguir: A partir da década de 1970,
Fanz Krajberg, escultor naturalizado brasileiro,
desenvolve seu trabalho a partir de materiais
coletados da natureza degradada que ele usa como
matéria prima. Este artista recebeu prêmios em
diferentes salões, nacionais e internacionais,
assumindo sempre a defesa da natureza como
III. IV.
proposta de criação e projeto de vida.

I. II.
V.
esse ’selvagem-apesarde- mim-mesmo’. Por isso é
inimitável. A obra de um homem é a explicação
desse homem.(Gauguin)
(E) Para mim a forma nunca é alguma coisa
abstrata, mas sempre o signo de alguma coisa. É
sempre um homem, um pássaro ou alguma outra
III. IV. coisa. Para mim a arte nunca é a forma pela forma.
(Miró)

V.
Assinale a alternativa que contém apenas
reproduções de obras de Franz Krajberg.
a) I e IV.
b) II e V.
c) III e V.
d) I, II e IV.
e) III, IV e V.

05. (UEL 2013) Relacione as figuras, na coluna


da esquerda, com os textos dos artistas, na
coluna da direita.
(A) A arte é um método de abrir áreas de
sentimento, e não a mera ilustração de um objeto. Assinale a alternativa que contém a associação
Um quadro deve ser a recriação de um correta.
acontecimento e não a ilustração de um objeto: a) I-A, II-B, III-E, IV-C, V-D.
mas não há tensão no quadro a menos que se lute b) I-A, II-C, III-D, IV-E, V-B.
com o objeto. Não há beleza perfeita que não c) I-B, II-A, III-D, IV-C, V-E.
contenha algo de estranho nas suas proporções. d) I-B, II-C, III-E, IV-A, V-D.
(Bacon) e) I-D, II-B, III-C, IV-A, V-E.
B) As sensações de cor, que dão luminosidade, são
a razão das abstrações que me impedem, seja de 06. Lei o texto a seguir e identifique quais
cobrir minha tela, seja de continuar a delimitação imagens são da artista Ione Saldanha.
dos objetos quando seus pontos de contato são No fim da década de 60, Ione Saldanha busca
sutis e delicados; disso resulta que a minha novos suportes, abandonando a superfície
imagem ou o meu quadro seja incompleto. Os bidimensional e expondo pinturas sobre ripas,
planos são colocados um acima do outro de onde bambus e bobinas. As Ripas, pintadas em apenas
emerge o neoimpressionismo, que delineia os uma das superfícies, são expostas em conjunto,
contornos com o traço preto, falha que se deve possibilitando uma infinidade de combinações de
combater a todo custo. Devo produzir a partir da cores e apresentando grande leveza. Nessas
natureza. Os esboços, as telas, se os fizessem, não obras, destaca-se o ritmo criado pela sucessão de
seriam mais do que construções copiadas [da variações cromáticas, que parecem se disseminar
natureza], baseada nos meios, sensações se pelo espaço expositivo. Os Bambus, pensados
desenvolvimentos sugeridos pelo modelo. como colunas que se elevam do chão, são
(Cézanne) associados, por alguns críticos, a objetos de
(C) Todos nós sabemos que a Arte não é a manifestações primitivas ou populares e também à
verdade. A Arte é uma mentira que nos faz produção de Alfredo Volpi (1896 - 1988), em
compreender a verdade, pelo menos a verdade que relação à gama cromática. Já nas Bobinas, a artista
nos é dado compreender. O artista deve conhecer transfigura o caráter industrial do suporte,
a maneira de convencer os outros da veracidade de explorando também seu aspecto lúdico.
suas mentiras. (Picasso)
(D) Estou por terra, mas ainda não vencido. O índio
que sorri no suplício estaria vencido?
Decididamente, o selvagem é melhor que nós. No
entanto, é verdade, sou um selvagem. E os
civilizados o pressentem, pois em minhas obras
I.
não há nada que surpreenda ou perturbe, a não ser
e) Religiosidade e espiritualidade; dramaticidade e
ansiedade; malícia e sensualidade.
08. (UEL) Sobre a obra, é correto afirmar:
a) A composição se assenta
numa sucessão de figuras
claras e escuras geradoras
de um ritmo visual.
II. b) Estrutura-se a partir de
pinceladas livres e formas fluidas e orgânicas
criadas ao acaso.
c) Representa estados de agitação interior do
artista por meio de formas distorcidas e facetadas.
d) Revela uma gestualidade espontânea e
improvisada do artista, diretamente relacionada a
seus estados de espírito.
e) Apresenta uma completa desestruturação das
formas e da relação figura-fundo.
III. IV.
09. (UEL) Analise as imagens e leia o texto a
seguir.
1. Flávio de Carvalho “traje New Look”

V.
a) I, IV, V
b) I, II, III.
c) II, III, IV
d) I, II, IV 2. Hélio Oiticica “Parangolé”
e) II, III, V
3. Arthur Bispo do Rosário
07. (UEL 2003) Na década de 20, anos pioneiros “Manto da anunciação”
do modernismo, artistas como Brecheret, Di
Cavalcanti e Tarsila do Amaral expressaram em
suas obras a visão de mundo daquele período.
Observe as reproduções a seguir,
respectivamente, de Brecheret, Di Cavalcanti e
Tarsila do Amaral, e assinale a alternativa que
corresponde aos conteúdos expressos pelos A roupa como suporte
artistas. da arte tem sido usada
por muitos artistas no
decorrer da história da arte, entretanto, assumindo
diversos sentidos. Com base nos conhecimentos
sobre arte brasileira, assinale a alternativa que
representa, respectivamente, o sentido
assumido pela obra.
a) Nostalgia; misticismo; objeto transferencial.
b) Redy-made; irreverência; sensualidade.
c) Magia; desintegração espacial; objeto artesanal.
a) Potência e força; malícia e sensualidade; d)Irreverência; estrutura-cor no espaço;
brasilidade e imaginário popular. ritualização.
b) Brasilidade e imaginário popular; religiosidade e e) Transvestimenta; decadência; objeto sensorial.
espiritualidade; malícia e sensualidade.
c) Malícia e sensualidade; suavidade e lirismo; GABARITO
dramaticidade e ansiedade. 01.b 02.e 03.d 04.c 05.d 06.d 07.a 08.a 09.d
d) Brejeirice e volúpia; devoção e espiritualidade;
potência e força.