Você está na página 1de 48

Da Psicologia à

Psicologia
Jurídica. Uma
construção
Histórica.
PSICOLOGIA APLICADA AO
DIREITO
Professora Dalila Gasparino
❖A Psicologia, como Sociologia, a
História, a Economia e a Política,
faz parte do “ser”, enquanto o
Direito está inserido no universo
“dever-ser”.
❖Para psicanálise, o homem não “é”,
pois quando nasce quer apenas que
suas necessidades e desejos sejam
satisfeitos, mas “torna-se” capaz de
submeter às normas jurídicas.
❖Freud – ser humano deve passar
pelas fases oral, anal, fálica e
A psicologia possui uma longa
pré-história, mas uma curta
história como disciplina
autônoma.
Teve início no século XIX,
mesmo que seus princípios já
estivessem registrado nas
preocupações de filósofos da
Idade Antiga.
Após o advento da psicologia
como ciência, a partir da
O CONCEITO DE PSICOLOGIA
Origem grega: psiqué (alma, espírito) + logos (razão, lógica).
Etimologicamente: estudo da mente.
Porém sua definição é bem mais diversificada:
Estudo científico do comportamento e dos processos mentais.
Estudo dos processos mentais, especialmente os
inconscientes, que expressam nas mais diversas formas de
Procurando chegar em comportamento
uma
identidade e o que a difere das demais
ciências humanas, apresentamos uma
definição que serve como referência:
“A psicologia colabora com o
estudo da subjetividade, essa é a
forma particular, específica de
Tem por volta de dois milênios, que começa
entre os gregos, no período anterior à era
cristã.
As riquezas geradas pelo desenvolvimento em
várias áreas do saber entre os gregos,
permitiam que alguns cidadãos se ocupassem
das coisas do espírito, surge aí a Filosofia.
PRINCIPAIS PENSADORES
GREGOS
Sócrates (469 – 399 a.C.)

Platão (427 -347 a.C.)

Aristóteles (384 - 322 a.C.)


•Hipócrates (460-370
a.C.), considerado o Pai
da medicina, fez
observações importantes
sobre a fisiologia, como o
desenvolvimento do
cérebro. Estas
A PSICOLOGIA NO IMPÉRIO ROMANO E NA IDADE
MÉDIA
Às vésperas da era cristã, surge um novo império que iria dominar
a Grécia, parte da Europa e Oriente Médio: o império Romano.
Uma das características desse período é o aparecimento do
cristianismo.
Falar de PSICOLOGIA nesse período é relacioná-la ao conhecimento
religioso, já que ao lado do poder econômico e político, a Igreja
Católica também monopolizava o saber e, consequentemente, o
estudo do psiquismo.
NESSE SENTIDO, DOIS FILÓSOFOS
REPRESENTAM ESTE PERÍODO:

Santo Agostinho São Tomás de Aquino


Pouco mais de 200 anos da morte de
S. Tomás de Aquino, tem início uma
época de transformações radicais no
mundo europeu. É o Renascimento ou
Renascença.
As transformações ocorrem em todos
os setores da produção humana:
Dante escreve A Divina Entre 1475 e 1478 Leonardo
Comédia em 1300 da Vinci pinta o quadro
Anunciação
Michelangelo
esculpe o
Davi, em
1501
(mede 5,17 m)

Moisés – 1513
- 1515
As ciências também avança, propiciando o início da
sistematização do conhecimento científico.
René Descartes (1596 – 1659), um dos filósofos que mais
contribuiu para o avanço da ciência, postula a separação entre
mente (alma) e corpo, afirmando que o homem possui uma
uma substância material e uma
pensante e, que, corpo desprovido
do espírito, é apenas uma máquina
e dessa forma possibilita o avanço
da Anatomia e da Fisiologia, que
iria contribuir em muito para o
progresso da Psicologia .
Atualmente grande parte dos psicólogos
adota uma perspectiva que é chamada
de Integracionista, pelo fato de que
reconhece nos processos biológicos e na
experiência a fonte do desenvolvimento
das aptidões humanas.
O DEBATE SOBRE A ORIGEM DAS
CAPACIDADES HUMANAS: UM ELO ENTRE
A IDADE ANTIGA E ILUMINISMO
Concepção nativista: seres humanos vêm ao
mundo com um suprimento inato de
conhecimento e entendimento da realidade.
Concepção empirista: conhecimento é adquirido
pela experiência e pelas interações com o
mundo. Associada ao pensamento do filósofo
inglês do século XVII, John Locke, que defende a
ideia que a mente humana é uma tábua rasa, na
qual a experiência escreve o conhecimento e o
O SURGIMENTO DA
PSICOLOGIA
Até meados do século XIX, fase COMO CIÊNCIA
chamada pré-científica da
psicologia, não havia assistência aos doentes mentais.
Os loucos eram moravam nas ruas ou eram encarcerados em
prisões ou celas especiais das Santas Casas de Misericórdia.

Extração da pedra da loucura


O berço da psicologia
moderna foi na
Alemanha, no final do
século 19, onde
Wilhelm Wundt cria na
Universidade de
Leipzig, o primeiro
laboratório de
Psicofisiologia. Ele é
considerado o pai da
•Seguiram para aquele país muitos estudiosos:
Edward B. Titchner (Estruturalismo) e William James
( Funcionalismo)

Edward B. Titchner
William James
FREUD E A
PSICANÁLISE
Sigmund Freud
Freud (1856 – 1939) foi
um médico vienense que
alterou o modo de pensar
a vida psíquica. Ele ousou
colocar “os processos
misteriosos” do
psiquismo, suas “ regiões
obscuras”, isto é, as
fantasias, os sonhos, os
esquecimentos, a
interioridade do homem,
O termo psicanálise é usado
para se referir a uma teoria, a
um método de investigação e
a uma prática profissional.
A psicanálise também é um
instrumento importante para
análise e compreensão de
fenômenos sociais
relevantes: as novas formas
de sofrimento psíquico, o
excesso de individualismo no
Freud sustentava que os humanos
não são tão racionais quanto
imaginam, na verdade, somos
todos motivados por pulsões
inconscientes que não estão
disponíveis na dimensão racional e
consciente da mente.
O inconsciente é uma dinâmica viva
de impulsos sexuais, desejos
reprimidos, medos e vontades
inomináveis e memórias
traumáticas, primordialmente vindas
da infância.
O inconsciente se expressa de
Os contemporâneos vitorianos de
Freud ficaram perplexo, não
apenas devido à ênfase que ele
atribuía à sexualidade, mas
também por sua sugestão de que
frequentemente não somos
conscientes da verdadeira
WATSON, SKINNER E O BEHAVIORISMO OU
COMPORTAMENTALISMO
Por volta de 1920 John B. Watson, postulou que a psicologia era o
estudo de comportamentos mensuráveis, observáveis, nada mais.
"Dê-me uma dúzia de crianças saudáveis,
bem formadas, e meu próprio mundo
especificado para criá-los e eu vou garantir a
tomar qualquer uma ao acaso e treiná-lo para
se transformar em qualquer tipo de
especialista que eu selecione - advogado,
médico, artista, comerciante e, claro, até
B. F. Skinner, adicionou
mesmo mendigo um novo repertório ao
e ladrão,
independentemente
behaviorismo: de seus onde
o reforço, talentos,
condicionava o
preferências, tendências, capacidades,
O COGNITIVISMO
A psicologia cognitiva é o estudo dos processos
mentais no sentido mais amplo: sentir,
aprender, recordar, tomar decisões, fazer
julgamentos. Se interessa pela maneira como
as pessoas processam informações, o modo
como se adquire e transforma e as utiliza para
solucionar problemas.
A PSICOLOGIA DA GESTALT
Começou na Alemanha, na primeira década do século
XX.
Significa forma ou configuração.
Tem Max Werheimer, Kurt Kafka e W. Koeler como
principais expoentes.
TINHA COMO FOCO O ESTUDO DA
PERCEPÇÃO:
O que realmente vemos está relacionado com o
pano de fundo contra qual aparece um objeto.
O todo é diferente da soma das partes, uma
vez que o todo depende dos relacionamentos
entre as partes
ORAÇÃO DA GESTALT
“Eu sou eu, você é você. Eu faço as minhas
coisas e você faz as suas coisas. Eu sou eu,
você é você. Não estou neste mundo para
viver de acordo com as suas expectativas. E
nem você o está para viver de acordo com
as minhas. Eu sou eu, você é você. Se por
acaso nos encontrarmos, será lindo. Se não,
A INFORMATIZAÇÃO E A PSICOLOGIA
Depois das duas Grandes Guerras Mundiais,
instrumentos e equipamentos estavam à
disposição da psicologia, permitindo uma
abordagem diferenciada dos problemas
psicológicos.
A PSICOLINGUÍSTICA
Estuda as conexões entre a linguagem e
a mente.
Começou a se destacar como uma disciplina
autônoma nos anos 1950. Seu aparecimento
foi promovido pelo linguista Noam Chomsky
Analisa qualquer processo que diz respeito à
comunicação humana, mediante o uso da
linguagem (seja ela de forma oral, escrita,
gestual etc.).
A comunicação humana pode ser considerada uma
contínua percepção-compreensão-produção. Assim,
dependendo da modalidade, visual ou auditiva do
estímulo externo, as etapas sensoriais em percepção
serão diferentes. Também existe variabilidade na
produção da linguagem; podemos falar, gesticular ou
escrever.
Outras áreas da psicolinguística são centradas em
temas como a origem da linguagem no ser humano.
Algumas analisam o processo de aquisição da língua
materna e também a aquisição de uma língua
estrangeira.
PSICOLOGIA JURÍDICA
A psicologia jurídica pode ser pensada como
psicologia do direito, no direito e para o direito
DO direito tem por objetivo explicar a
essência do fenômeno jurídico, a
fundamentação psicológica do direito.
NO direito estuda a estrutura das normas
jurídicas enquanto estímulos condutores das
condutas humanas.
PARA o direito configura o papel da psicologia
Neste sentido, a psicologia
jurídica seria:
O ramo da psicologia portador de
conteúdos tendentes a contribuir
na elaboração de normas jurídicas
socialmente adequadas, assim
como promover a efetivação destas
normas ao colaborar com a
organização do sistema de
A Psicologia Jurídica é uma área
da Psicologia que abrange o estudo, a
avaliação, a prevenção, o acompanhamento e
o tratamento de fenômenos psicológicos que
afetam ou possam vir a afetar a conduta de
uma pessoa ao ponto de levá-la a infringir as
normas legais vigentes na sociedade.
O Psicólogo Jurídico também
trabalha em conjunto com
advogados, assessorando-os
com o fornecimento de dados
e laudos psicológicos.
A Psicologia e o Direito
apresentam um ponto
importante em comum: as
duas ciências estudam a
conduta humana. Portanto, o
PSICOLOGIA JURÍDICA. ORIGEM E
EVOLUÇÃO
Está atrelada à medicina, principalmente à psiquiatria.
Seus alicerces vêm da Idade Antiga, quando Hipócrites
estabeleceu a primeira classificação nosológica das
chamadas doenças mentais (definiu o quadro de
melancolia, hoje entendida
Na Idade Média, com o como depressão).
cristianismo, as doenças
mentais foram atreladas a
fatores sobrenaturais –
ordem divina ou
artimanhas do diabo.
Com a passagem da Idade Média, a verdade da
ciência se instalou e com ela as influências
biológicas na determinação dos modelos de
comportamento humano.
Surge então, a relação entre
psicologia jurídica e
psiquiatria, sendo esta a
fonte da fundamentação
biológica da psicologia
jurídica.
A psiquiatria nasceu por volta de
1793, com o médico francês
Philippe Pinel
Inspirou a psicologia clínica e a
psicopatologia por terem o
mesmo objeto: as doenças
mentais.
Deve-se ressaltar que psicologia
científica se deu um século
depois.
No século XIX, a psiquiatria tinha que abordar questões
sociais e sobre elas exercer controle, tendo em vista a ordem
no espaço urbano.
Era necessário a eliminação da chamada desordem por meio
da identificação e controle dos elementos desordeiros.
Surge o combate ao alcoolismo, jogo, prostituição e crime,
utilizando conhecimentos da psiquiatria. The Alienist
Insere-se aí a psicologia jurídica, como
instrumento da individualização ou
aferição da influência da subjetividade
na prática do ato criminoso.
A psicologia jurídica que surgiu atrelada à psiquiatria
estendeu sua teoria e sua prática para além do seu foco
de origem. Partindo da avaliação das condutas ditas
anormais, ela alcançou o estudo das condutas ditas
normais.
É a partir dessa segunda abrangência
que podemos situar os demais ramos
do direito na seara da psicologia
jurídica: a psicologia ligada ao direito
civil, ao direito do trabalho, ao direito
administrativo, ao direito da criança e
adolescente...
A Psicologia Jurídica emergiu da
Psicologia do Testemunho, dada a
necessidade na comprovação da
fidedignidade de testemunhos,
principalmente com o surgimento e
aplicação dos testes psicológicos.
Em meados do século XX, desenvolve estudos sobre os
funcionamentos dos interrogatórios, dos delitos, dos falsos
testemunhos e falsas memórias etc.,
No Brasil, apesar de a prática psicológica jurídica ser reconhecida
apenas no ano 2000, pelo Conselho Federal de Psicologia, ela teve
início junto ao reconhecimento da profissão, em 1960, por meio de
trabalhos voluntários na área Criminal, na avaliação de pessoas em
situação prisional e de adolescentes infratores.
Em torno de 1979, a atuação do psicólogo na esfera jurídica é
estendida à área Civil, desenvolvendo trabalho voluntário e informal
com famílias em vulnerabilidade econômico-social, no Tribunal de
Justiça de São Paulo.
Foi em 1985, a entrada oficial do psicólogo no Tribunal de Justiça
de São Paulo.
Em seguida, em 1998, foi a vez do Rio de Janeiro selecionar
psicólogos para atuarem no meio jurídico.
A área tem se expandido bastante, por
concurso público, em todos os Tribunais de
Justiça do Brasil além de Ministérios
Públicos, Defensorias Públicas, Centros de
Atendimentos Socioeducativos e Sistema
Penitenciário.
De acordo com a resolução
n. 75, de 2009, do Conselho
Nacional de Justiça, os
concursos públicos para
preenchimento de cargo
de Juiz Federal devem
inserir em seu conteúdo
programático a disciplina
psicologia jurídica,
devendo nela ser incluído
tema relativo ao processo
psicológico e a obtenção da
Bibliografia:
BOCK, Ana Mercês Bahia; FURTADO, Odair; TEIXEIRA, Maria de
Lourdes Trassi. Psicologias: uma introdução ao estudo da
psicologia. 14. Ed. São Paulo: Saraiva, 2009
CARLA, Pinheiro. Psicologia Jurídica. 4. Ed. São Paulo: Saraiva,
2017
https://www.educamaisbrasil.com.br/cursos-e-faculdades/psicologia
/noticias/psicologia-juridica-tudo-o-que-voce-precisa-saber
https://www.concursospsicologia.com/artigo-psicologia-juridica

Você também pode gostar