Você está na página 1de 4

EXERCÍCIOS PARA FIXAÇÃO DO MODERNISMO BRASILEIRO

LITERATURA – PROFESSORA ERENICE CARVALHO


3º ANO

1. O poema acima é exemplo de qual das tendências da poesia contemporânea?

2. O regionalismo de Guimarães Rosa se diferencia do regionalismo dos autores da


segunda fase? Explique.

3. (FEMG) Sobre o romance de 30 (segunda geração modernista) e seus principais


autores é correto dizer, EXCETO:

a) Os dois mais conhecidos romances de Graciliano Ramos, exclusivamente regionalistas,


evidenciam dois níveis da miséria humana. Em Vidas Secas, causada pela pobreza
extrema, em São Bernardo, fruto da ambição desmedida. Em ambos, a linguagem é rica
em detalhes e metáforas intraduzíveis.
b) Parte das obras de José Lins do Rego compõem o ciclo da cana-de-açúcar. O autor recria
a realidade dos trabalhadores da região canavieira a partir das experiências particulares.
c) Rachel de Queiroz, autora da obra “O Quinze”, retomou a postura realista para captar a
dramaticidade impressa pela seca no sertão nordestino. Usa termos concisos e claros;
além de explorar a linguagem regional nos discursos diretos.
d) Érico Veríssimo é o melhor representante do regionalismo gaúcho, seu aparecimento, na
segunda fase do modernismo, quebrou a hegemonia do romance nordestino, desviando
ligeiramente o foco das atenções para o sul do país.
e) O romance de 30, bem exemplificado por Graciliano Ramos e Jorge Amado, inova ao
praticar um regionalismo desvinculado da postura romântica. Apresentam uma visão crítica
das relações sociais e do impacto do meio sobre o indivíduo.

4. (PUC-RS/adaptaqda) Leia com atenção:


“Não faças versos sobre acontecimentos.
Não há criação nem morte perante a poesia.
Diante dela, a vida é um sol estático,
Não aquece nem ilumina.”

Carlos Drummond de Andrade

Uma das constantes na obra poética de Carlos Drummond de Andrade, como se verifica
nesses versos, é:

a) a temática da própria poesia.


b) o pessimismo lírico.
c) a louvação do homem social.
d) o negativismo destrutivo.
e) a reconstrução da memória.

5. Considera-se como marco inicial da segunda fase poética do Modernismo o livro


“Alguma poesia”, de Carlos Drummond de Andrade. Caracterizando-se a produção
poética desse período, é INCORRETO afirmar:

a) Cecília Meireles, embora da segunda fase, seguiu rigidamente as novidades apresentadas


pela primeira fase do Modernismo Brasileiro, produzindo uma poesia lírica, mística e
musical dentro de esquemas formais livres e dadaístas.
b) Os poetas da década de 30, buscaram uma abordagem mais universal, que vai da reflexão
filosófica e existencialista ao espiritualismo, da preocupação intimista às questões sociais.
c) Os poetas da segunda geração modernista aderiram à concepção moderna e modernista
da literatura, porém sem o espírito rebelde da geração de 22. Interessavam-lhes
principalmente certos aspectos explorados pelo Modernismo, como a liberdade de
composição. .
d) Não havia necessidade de chocar o público e a nova maneira de expressar-se, inaugurada
pelos modernistas da primeira fase, já havia sido aceita por boa parte dos leitores.

6. Considere as afirmações abaixo:

I. A 2ª fase do Modernismo Brasileiro (1930) foi bastante rica, tanto em termos de prosa
quanto de poesia. Naquela aparecem duas linhas de composição – o regionalismo e a
linha intimista –; na poesia há um leque de autores, alguns saindo da experimentação,
outros renovando-a, mas todos dando continuidade à história da literatura e seu desejo
de autonomia.

II. Em relação à poesia dessa fase, pode-se citar principalmente Cecília Meirelles, Carlos
Drummond de Andrade e Vinicius de Morais, todos certos de que o mundo era uma
máquina contrária aos desejos do homem cuja existência dissipava a possibilidade de
qualquer espiritualismo e subjetividade.

III. A experimentação e a polêmica exageradas da primeira fase ainda estiveram presentes


com os poetas de 30, se pensarmos em poemas como No meio do caminho de
Drummond e Soneto de Fidelidade de Vinicius de Moraes.

Assinale a alternativa CORRETA.

a) todas estão corretas.


b) apenas a I está correta.
c) apenas a II está correta.
d) apenas I e III estão corretas.
e) apenas II e III estão corretas.

7. (CEFET-PR/adaptada)
“(…) Estou me enganando, preciso voltar. Não sinto loucura no desejo de morder estrelas, mas
ainda existe a terra. É porque a primeira verdade está na terra e no corpo. Se o brilho da
estrela dói em mim, se é possível essa comunicação distante, é que alguma coisa quase
semelhante a uma estrela tremula dentro de mim. Eis-me de volta ao corpo. Voltar ao meu
corpo. Quando me surpreendo ao fundo do espelho assusto-me. Mal posso acreditar que tenho
limites, que sou recortada e definida. Sinto-me espalhada no ar, pensando dentro das criaturas,
vivendo nas coisas além de mim mesma. Quando me surpreendo ao espelho não me assusto
porque me ache feia ou bonita. É que me descubro de outra qualidade. Depois de não me ver
há muito quase esqueço que sou humana, esqueço meu passado e sou com a mesma
libertação de fim e de consciência quanto uma coisa apenas viva. (…)”

O texto acima foi escrito por Clarice Lispector, autora da 3 a fase do Modernismo
Brasileiro, no livro Perto do Coração Selvagem. Percebem-se, nesse fragmento, características
da autora que permeiam o conjunto de sua obra.
Assinale, entre as alternativas a seguir, aquela em que todos os itens se destacam na
obra de Clarice Lispector.

a) Prosa poética e clara; busca da essência das coisas; os fatos em si importam mais do que
a repercussão dos fatos no indivíduo.
b) Prosa poética; engajamento religioso; intimismo.
c) Prosa simplista, intimista; idealismo regionalista; os fatos em si importam menos do que a
repercussão dos fatos no indivíduo.
d) Prosa complexa, intimista e introspectiva; busca da essência das coisas; os fatos em si
importam menos do que a repercussão dos fatos no indivíduo.

8. Assinale a alternativa onde consta uma característica não condizente com a tendência
da poesia moderna indicada no parêntese.

a) reação ao Concretismo, retorno ao verso, linguagem complexa e purista, temas da


realidade, caráter de denúncia. (Poesia social)
b) rejeição ao lirismo, possibilidades de leituras múltiplas, exploração do significante,
aproveitamento do espaço, abolição do verso. (Concretismo)
c) fusão de poesia e prosa, linguagem simples, desprezo ao “bom gosto” da classe
dominante, características da primeira fase da poesia moderna e do Concretismo. (Poesia
marginal)
d) retomada de princípios da Antropofagia, ironia, humor, paródia, temática do cotidiano e da
sedução dos meios de comunicação. (Poesia tropical)

9. Sobre a Segunda Geração do Modernismo, é correto afirmar:

1. Foi caracterizada, no campo da poesia, pelo amadurecimento e pela ampliação das


conquistas dos primeiros modernistas;
2. Valorização de uma linguagem rebuscada e metalinguística;
3. Os poetas do período tinham liberdade para escolher formas como o soneto ou o madrigal,
sem que isso significasse uma volta a estéticas do passado, como o Parnasianismo;
4. Valorização do conteúdo sonoro e visual, disposição assimétrica dos versos no papel,
possibilidade de diversas leituras através de diferentes ângulos;
5. No plano temático, a abordagem do cotidiano continuou sendo explorada, mas os poetas
voltaram-se também para problemas sociais e históricos, além de manifestarem inquietações
existenciais e religiosas que ampliaram as proposições da fase anterior.

a) apenas 2 e 4 são corretas.


b) 1, 3 e 5 são corretas.
c) 3, 5 e 4 são corretas.
d) 2, 3 e 5 são corretas.
e) apenas 4 está correta.

10. (Enem - 2011)


“Quem é pobre, pouco se apega, é um giro-o-giro no vago dos gerais, que nem os pássaros de
rios e lagoas. O senhor vê: o Zé-Zim, o melhor meeiro meu aqui, risonho e habilidoso.
Pergunto: — Zé-Zim, por que é que você não cria galinhas-d‘angola, como todo o mundo faz?
— Quero criar nada não... — me deu resposta: — Eu gosto muito de mudar... [...] Belo um dia,
ele tora. Ninguém discrepa. Eu, tantas, mesmo digo. Eu dou proteção. [...] Essa não faltou
também à minha mãe, quando eu era menino, no sertãozinho de minha terra. [...] Gente melhor
do lugar eram todos dessa família Guedes, Jidião Guedes; quando saíram de lá, nos trouxeram
junto, minha mãe e eu. Ficamos existindo em território baixio da Sirga, da outra banda, ali onde
o de-Janeiro vai no São Francisco, o senhor sabe.”

ROSA, J. G. Grande Sertão: Veredas. Rio de Janeiro: José Olympio (fragmento).

Na passagem citada, Riobaldo expõe uma situação decorrente de uma desigualdade


social típica das áreas rurais brasileiras marcadas pela concentração de terras e pela relação
de dependência entre agregados e fazendeiros. No texto, destaca-se essa relação porque o
personagem-narrador

a) relata a seu interlocutor a história de Zé-Zim, demonstrando sua pouca disposição em


ajudar seus agregados, uma vez que superou essa condição graças à sua força de
trabalho.
b) descreve o processo de transformação de um meeiro — espécie de agregado — em
proprietário de terra.
c) denuncia a falta de compromisso e a desocupação dos moradores, que pouco se envolvem
no trabalho da terra.
d) mostra como a condição material da vida do sertanejo é dificultada pela sua dupla condição
de homem livre e, ao mesmo tempo, dependente.
e) mantém o distanciamento narrativo condizente com sua posição social, de proprietário de
terras.

11. (PUCCAMP)

Leia o seguinte trecho de Guimarães Rosa:

"E desse modo ele se doeu no enxergão, muitos meses, porque os ossos tomavam tempo para
se ajuntar, e a fratura exposta criara bicheira. Mas os pretos cuidavam muito dele, não
arrefecendo na dedicação.
– Se eu pudesse ao menos ter absolvição dos meus pecados!...
Então eles trouxeram, uma noite, muito à escondida, o padre que o confessou e conversou
com ele, muito tempo, dando-lhe conselhos que o faziam chorar.
– Mas, será que Deus vai ter pena de mim, com tanta ruindade que fiz, e tendo nas costas
tanto pecado mortal?
– Tem, meu filho. Deus mede a espora pela rédea, e não tira o estribo do pé de
arrependimento nenhum...
E por aí a fora foi, com um sermão comprido, que acabou depondo o doente num desvencido
torpor."

O trecho acima representa a seguinte possibilidade entre os caminhos da literatura


contemporânea:

a) ficção regionalista, em que se reelabora o gênero e se revaloriza um universo cultural


localizado.
b) narrativa de cunho jornalístico, em que a linguagem comunicativa retoma e reinterpreta
fatos da história recente.
c) ficção de natureza politizante, em que se dramatizam as condições de classes entre os
protagonistas.
d) prosa intimista, psicologizante, em que o narrador expõe e analisa os movimentos da
consciência reflexiva.
e) prosa de experimentação formal, em que a pesquisa linguística torna secundária a trama
narrativa.