Você está na página 1de 28

Sistemas Energéticos para as

Escolas
Soluções para Aquecimento e
Arrefecimento
Daniel N. Cabrita

Programa de Modernização das Escolas do


Ensino Secundário
OBJECTIVOS
• NÍVEIS DE CONFORTO E DE QAI ADEQUADOS À ESCOLA

• OPTIMIZAÇÃO DO RENDIMENTO ENERGÉTICO

• FLEXIBILIDADE DE OPERAÇÃO/ SEGURANÇA/FIABILIDADE O equilíbrio destes


factores conduzirá à
• CONTENÇÃO DE CUSTOS: MELHOR SOLUÇÃO DE PROJECTO
– Investimento
– Manutenção
– Exploração

• INTEGRAÇÃO ARQUITECTÓNICA

• CUMPRIMENTO DA LEGISLAÇÃO:
– RSECE - E
– RSECE – QAI
– RCCTE

• APLICAÇÃO DE DIRECTIVAS DA PARQUE ESCOLAR: “Identificação de critérios e princípios para a concepção ”


– Manuais de Projecto - MP: i T / MP: A

(www.parque-escolar.pt)
MANUAL DE PROJECTO - MP: A
• Envolvente:
– Existente: intervenção limitada, devido a razões técnicas e económicas (exclui envolvente opaca vertical, mas
contempla coberturas)
– Nova: conforme exigências da legislação em vigor.
• Sombreamento vertical móvel, de vãos, pelo exterior (E/S/O);
• Vidros, vãos , caixilharias;
MANUAL DE PROJECTO - MP: i T
• Tratamento dos diferentes espaços:
LOCAL Aquecimento Arrefecimento Ventilação
Esp. lectivos Sim F. análise Sim
Ginásio Não Não Natural
Balneários Sim Não Sim
Esp. Administração Sim Sim Sim
Reprografia Não Eventual Sim
Esp. Polivalente Sim Sim Sim
Biblioteca Sim Sim Sim
Refeitório/Bar Sim F. análise Sim
Cozinha Sim Sim Sim / Desenf.
Circulações Eventual Não Natural
Zonas técnicas Não N/S (bastidores) Nat. / Mec.
IS / Arrumos Não Não Nat. / Mec.
Quadro I: Resumo das exigências da PE.
MANUAL DE PROJECTO - MP: i T
• QAI e Difusão:
- Evitar sobredimensionamento da ventilação

 MEL’s obrigatórios
 Eficiência de Ventilação (80 a 100%)

- Espaços de ensino

 Não poderão ser utilizadas soluções do tipo “displacement”


(Fácil acessibilidade gera elevado risco de danificação dos sistemas)
 A insuflação de ar deverá ser feita a partir da parede do quadro do professor

- Laboratórios

 Deverão estar em sub-pressão relativamente aos espaços contíguos


MANUAL DE PROJECTO - MP: i T
EVOLUÇÃO DOS SISTEMAS

“n” Soluções

Optimização

-Experiência
-MP : IT Contenção de
-Sugestões Custos - Investimento inicial;
-Recomendações - Exploração;
- Manutenção dos sistemas

Fiabilidade … Durabilidade

“n – x” Soluções
TIPOS DE SISTEMAS
• Chiller BC :
• Unidades de Tratamento de Ar (UTA’s);
• Unidades de Tratamento de Ar Novo (UTAN’s);
• Ventiloconvectores (VC’s);
• Radiadores;
• Unidades de Termoventilação;
• Recuperação de Calor (RC’s).

• Chiller + [VRF/UI’s/RC’s]
• Expansão directa:
• UTA’s;
• UTAN’s;
• Unidades interiores (UI’s);
• RC’s.

• Roof Top’s + VRF + RC’s


SISTEMAS INSTALADOS - 2ª e 3ª FASE
Sistemas Aquec. por Aquec./Arref. Aquec./Arref.
Caldeira/ Aquec. por Sist. a água Aquec./Arref. Aquec./Arref. UTA's , com
Espaços Radiadores Termovent. (2/4 tubos) Sistemas VRF Roof-top bateria DX
S. de Aulas/Laboratórios 8 22 10 24 2 2
Salas TIC 2 4 12 47 2 1
Z. Administrativas 0 1 12 56 2 1
Bibliotecas 0 0 10 20 41 0
S. Polivalentes 0 0 14 8 40 3
Auditórios 0 1 14 5 39 3
Cozinhas 0 5 45 2 3 10
Refeitórios 1 13 15 13 27 0
Bares 1 12 12 14 11 0
Balneários 9 51 5 1 1 0
Quadro II: Quantificação dos vários sistemas adoptados em cada tipo de espaço

Sistemas Aquec. por Aquec./Arref. Aquec./Arref.


Caldeira/ Aquec. por Sist. a água Aquec./Arref. Aquec./Arref. UTA's , com
Espaços Radiadores Termovent. (2/4 tubos) Sistemas VRF Roof-top bateria DX
S. de Aulas / Lab. / S. TIC 8 19 16 52 3 2
Bibliotecas 0 0 14 28 58 0
S. Polivalentes / Auditórios 0 1 22 10 62 5
Z. Administrativas 0 1 17 78 3 1
Cozinhas 0 8 69 3 5 15
Refeitórios 1 19 22 19 39 0
Quadro III: Espaços que mais influenciam os gastos energéticos e quais os sistemas adoptados (valores percentuais)

Escolas em análise:
•2ª Fase – 28
•3ª Fase – 40
SISTEMAS INSTALADOS - 2ª e 3ª FASE

Gráficos 1, 2 e 3: Dados em valores


percentuais.
SISTEMAS INSTALADOS - 2ª e 3ª FASE
CARACTERIZAÇÃO DE UMA SOLUÇÃO
1 - Grandes espaços: “Rooftop “

- SALA POLIVALENTE
- AUDITÓRIO
- BIBLIOTECA
- REFEITÓRIO
- OFICINAS (?)

OPÇÕES:
- Economizador (“free-cooling”)
- Sonda de CO2 (0 a 2000ppm)
- Módulo de recuperação (≅60%)
- Versão “Low Noise”
- Fluxo de ar horiz./vert. (base ajustável)
CARACTERIZAÇÃO DE UMA SOLUÇÃO

• Tratamento de oficina

- Roof-top
- Edifício existente
- Condicionalismos estruturais
CARACTERIZAÇÃO DE UMA SOLUÇÃO
2 – Espaços de ensino: “VRF”+ Unidades com RC

- 100% de ar novo
 Ex. S. Aulas: (26 alunos) x (30 m3/h) ÷ (80% efic. vent.) = 975 m3/h
 QUI = 1000 m3/h (garante ar novo exigido)
- Recuperação de energia até aprox. 70%
- Controlo da TSALA
CARACTERIZAÇÃO DE UMA SOLUÇÃO
• Unidade Interior com recuperação de calor
CARACTERIZAÇÃO DE UMA SOLUÇÃO

• Sala Técnica
- Pavilhão existente (limitações)
 Pé-direito 3.0 m
 Vigas pendidas
 Espaço técnico reduzido

14.02. 01.01.01.03.
Escada Sala de aula
CARACTERIZAÇÃO DE UMA SOLUÇÃO

• Novas salas técnicas na cobertura

- Compatibilização com
Arquitectura
- Utilização de arrumos para 13.04.01.
Área técnica

implantação de “courettes”
- Garantir acessibilidades
- Instalação de UI’s em “pilha”
- Assegurar distâncias de
admissão/rejeição
CARACTERIZAÇÃO DE UMA SOLUÇÃO

• Utilização de sala de arrumos

- Pavilhão existente
- Último Piso (pd > 3.0m)
- Reduzir RCF’s através de:
 Protecção das condutas
 Tectos falsos “corta-fogo”
CARACTERIZAÇÃO DE UMA SOLUÇÃO
• Sala de trabalho de
docentes
Posto

- Edifício existente Trabalho


Docentes
35.50m²

- Instalação da UI no tecto falso do


corredor
- Admissão/rejeição em pátio
interior
- Ventilação natural das I.S. Posto
Trabalho
Docentes
35.50m²

Inst. Sanit.
Doc. Fem.
19.00m²
CARACTERIZAÇÃO DE UMA SOLUÇÃO

- Edifício existente
- UI’s “VRF” + RC’s
- Retorno em plano abaixo
da insuflação (sanca)
CARACTERIZAÇÃO DE UMA SOLUÇÃO

- “Sala técnica” em
sótão existente
- Admissões/rejeições
em conduta
- Recurso a GSP’s para:
 reduzir condutas
 evitar “curto-circuito”
- Recurso a estrutura
metálica para
instalação de UI’s em
“pilha”.
CARACTERIZAÇÃO DE UMA SOLUÇÃO
•Recuperação de calor: eficiência aprox. 60%
4 – Cozinha
•Retenção da gordura extraída (efeito ciclónico)

Carvão
Filtros

Activ.
Pré
R ecuperador de
CIR CU LA DO R
calor, ciclónico

U TA N

+ -

7ºC (Id a)

1 2ºC (R etorno)

M ini-C hiller H P
CARACTERIZAÇÃO DE UMA SOLUÇÃO

4 – Cozinha
•Módulo hidráulico incorporado

Carvão
Filtros

Activ.
Pré
R ecuperador de
CIR CU LA DO R
calor, ciclónico

U TA N

+ -

7ºC (Id a)

1 2ºC (R etorno)

M ini-C hiller H P
Carvão
Filtros

Activ.
Pré
R ecuperador de
calor, ciclónico

U TA N

M ini-C hiller H P
CARACTERIZAÇÃO DE UMA SOLUÇÃO

4 – Cozinha

Carvão
Filtros

Activ.
Pré
R ecuperador de
CIR CU LA DO R
calor, ciclónico

U TA N

+ -

7ºC (Id a)

1 2ºC (R etorno)

M ini-C hiller H P
CARACTERIZAÇÃO DE UMA SOLUÇÃO

• Vantagens:
– Caudal de ar inferior em cerca de
30% comparativamente a uma
solução tradicional;
– Conforto Térmico - Velocidade na
zona de ocupação <0,2m/s;
– Duração > 25 anos;
– Altura de instalação até 3m;
– Aumenta o nível de higiene na
cozinha.
CARACTERIZAÇÃO DE UMA SOLUÇÃO
- Totalmente estanque
- Cobertura total da zona de confecção
- Permite modificar a localização dos
equipamentos/colocar equipamentos
complementares na zona de confecção
- Permite o equilíbrio de caudais em cada
bloco de confecção
- Instalação no tecto e em tecto falso
(altura 300 mm)
- Iluminação 500Lux
- Possibilidade de difusão do tipo
“displacement” na parede da cozinha.
Muito obrigado pela Vossa atenção.

Jornadas de Climatização
Ordem dos Engenheiros

Lisboa, 14 de Outubro 2010


Daniel N. Cabrita