Você está na página 1de 2

1º-DESAFIO: Introdução ao Direito das Obrigações II

Sendo você o Advogado de Diego e, diante dos fatos responda:

a) Renato tem razão ou não? Diego deveria ter pago o valor total
do serviço?

Diego e Alberto contrataram Renato para fazer a


prestação de serviço de jardinagem, que é uma obrigação fungível
(prestação de serviços). Renato foi ao local e cumpriu com a sua
obrigação.

Não se tem notícia se o que foi combinado entre Diego


e Alberto e foi ou não passado para Renato.

Porque se foi dividido entre os dois (Diego e


Alberto) e dado conhecimento a Renato, este não poderá exigir de
Diego o pagamento da parte que pertence a Alberto, consoante o
disposto do artigo 257 do Código Civil:

Havendo mais de um devedor ou mais de um credor em


obrigação divisível, esta presume-se dividida em tantas obrigações, iguais e
distintas, quantos os credores ou devedores.

Se por ventura ocorreu um acordo entre Alberto e


Diego e não sendo dada ciência ou conhecimento a Renato acerca
do quanto teria que ser pago por cada um, Renato terá o direito
de cobrar de Alberto e Diego, consoante o disposto no artigo 259
do Código Civil:

Se, havendo dois ou mais devedores, a prestação não


for divisível, cada um será obrigado pela dívida toda. Parágrafo único. O
devedor, que paga a dívida, sub-roga-se no direito do credor em relação aos
outros coobrigados.

A obrigação é composta de duas partes as quais


contrataram a mão de obra do jardineiro. Faz-se necessário uma
análise de como foi elaborado o contrato. Da mesma forma é
cumulativa, pois ambas as partes tem a obrigação de dividir o
valor do pagamento. Como foi combinado também não sabemos,
concomitantemente tem a obrigação de dar, isto é, pagar pela
prestação de serviço fungível a qual foi realizada.

b) Se Diego pagar o valor integral do serviço, ele poderá cobrar


a metade de Alberto?

Sim, se Diego pagar o valor total do serviço pode


cobrar de Alberto, pois se trata de uma obrigação e de um acordo
de boa fé, pois ambos combinaram o pagamento, ficando
convencionado que o serviço seria feito e pago por ambos.
Na condição de advogado de Diego e consoante o
disposto no artigo 934 do Código Civil:

Aquele que ressarcir o dano causado por outrem pode


reaver o que houver pago daquele por quem pagou, salvo se o causador do dano
for descendente seu, absoluta ou relativamente incapaz.

Ele paga a Renato e cobra de Alberto, tendo em vista


que o mesmo não cumpriu com a sua obrigação, com o Renato. E
também no artigo 259 paragrafo único do Código Civil:

Se, havendo dois ou mais devedores, a prestação não


for divisível, cada um será obrigado pela dívida toda. Parágrafo único. O
devedor, que paga a dívida, sub-roga-se no direito do credor em relação aos
outros coobrigados.

ANDRÉA RUFFO

RA 181000209

Você também pode gostar