Você está na página 1de 2
XVII Encontro de Iniciação Científica XIII Mostra de Pós-graduação VII Seminário de Extensão IV Seminário

XVII Encontro de Iniciação Científica XIII Mostra de Pós-graduação VII Seminário de Extensão IV Seminário de Docência Universitária

16 a 20 de outubro de 2012

INCLUSÃO VERDE: Ciência, Tecnologia e Inovação para o Desenvolvimento Sustentável

EPE0503

SOLDA EM AÇO-CARBONO. ANALISE DA PENETRAÇÃO DO CORDÃO DE SOLDAGEM

MATHEUS HENRIQUE FERREIRA MADDIA FERNANDO GONÇALVES MACHADO FLÁVIO HENRIQUE DE CAMARGO PAULO RICARDO DIAS LÉLIS matheus_maddia@hotmail.com ENGENHARIA MECÂNICA NOTURNO UNIVERSIDADE DE TAUBATÉ

ORIENTADOR(A) ELIANE DA SILVEIRA ROMAGNOLLI DE ARAUJO UNIVERSIDADE DE TAUBATÉ

RESUMO

Esse trabalho propõe avaliar o uso da soldagem do aço carbono, pois é um dos materiais mais utilizados na indústria em geral, dando ênfase no processo do Eletrodo Revestido, na qual foi feita uma experiência prática mostrando as variações que podem ocorrer no processo. O objetivo proposto nessa pesquisa foi mostrar os efeitos dessas variações no aço carbono, colocando em evidencia o efeito da polaridade, variando-a entre positivo e negativo, variando também a corrente entre seu mínimo e máximo, determinada pela especificação do fabricante do eletrodo e por último foi feito uma analise da variação da distancia do eletrodo com a peça na soldagem, o trabalho também tem o intuito de evitar o desperdício de materiais, desenvolvendo auxílio para uma solda adequada. Para execução do estudo utilizou os eletrodos E6013 e E7018 soldando-os em duas placas de aço carbono SAE 1020, utilizando uma metodologia de comparação de resultados. Primeiramente as placas de aço carbono foram soldadas com o eletrodo com a polaridade positiva e posteriormente inverteu-se a polaridade do eletrodo e soldou-se novamente, comparando os cordões de solda. Em segundo plano realizou-se o processo anterior, variando a corrente em seu máximo e mínimo seguindo as especificações do fabricante do eletrodo E6013 e E7018, comparando os resultados obtidos na avaliação dos cordões de solda. Para fazer uma comparação do efeito da variação da distancia do eletrodo com a peça executamos outro experimento, no qual comparamos os parâmetros: quantidade de respingos, estabilidade do arco, espessura, altura e penetração do cordão de solda de acordo com o afastamento realizado no experimento. Nos presentes experimentos citados acima, conclui-se que qualquer mudança na soldagem pode ser essencial para estabelecer um bom ou mau cordão de solda, pois existem muitas formas de variar a penetração de soldagem e essas variações causam consequências tanto na forma quanto na facilidade de executar a solda, outro fator determinante é a polaridade, pois ela influencia na penetração e ela deve ser alternada conforme o tipo de solda desejada, para uma solda apropriada deve-se evitar usar o máximo ou o mínimo da corrente, pois ambas mostraram grandes desvantagens devendo usar uma corrente com amperagem mediana, e por último deve levar em consideração o stick-out, pois um afastamento muito grande do eletrodo em relação à peça faz com que o arco fique instável comprometendo a solda. Portanto, é importante que o soldador tenha certos parâmetros estabelecido para economizar tempo e material, buscando sempre a melhoria do material a ser soldado.