Você está na página 1de 6

Aulas práticas da disciplina de técnicas de lavatório/ Unidade III

A definição e o roteiro para a aplicação da ficha de anamnese em


institutos de beleza ou atendimento particular.

Por Letícia Chaves.

Etimologia da palavra: do grego ana, trazer de novo e mnesis, memória.

A anamnese é uma entrevista que busca relembrar todos os fatos que se


relacionam com o cliente. Procedimento utilizado, inicialmente por profissionais
da saúde, e entende-se como a entrevista que o médico ou terapeuta faz para
saber mais sobre o paciente.

Sua intenção é ser o ponto inicial para o diagnóstico do incomodo, e


posteriormente, o desenvolvimento de um trabalho adequado às necessidades
do cliente.

Uma anamnese, como qualquer outro tipo de entrevista, possui formas ou


técnicas corretas de serem aplicadas. Ao seguir as técnicas, o consultor
visagista, pode aproveitar ao máximo o tempo disponível para o atendimento,
produzindo, conseqüentemente, um diagnóstico seguro e um tratamento
correto.

As etapas da anamnese.
O roteiro para a aplicação:

1. Com a finalidade de clareza nas informações e de estabelecer uma


ordem na exposição dos diferentes fatos informados, é de praxe
desenvolver-se a anamnese por etapas.
2. A anamnese começa, com o questionamento do principal motivo que
trouxe o cliente a procurar os cuidados do profissional cabeleireiro ou
consultor visagista. A queixa principal, geralmente, é o sinal-chave para o
diagnóstico, em torno do qual giram todas as informações
complementares para o desenvolvimento da nova imagem.
3. A seguir, o visagista deve fazer o levantamento das características do
cabelo. Dentro da anamnese capilar, são o histórico e análise do cabelo,
elementos fundamentais para a formulação da hipótese diagnóstica
capilar ou, até mesmo, em muitos casos, do diagnóstico exato. Caberá ao
consultor visagista a interpretação adequada dos fatos, valendo-se dos
seus conhecimentos técnicos e cognitivos.
4. A anamnese é complementada pela consultoria em visagismo, que é
composta pela análise do formato de rosto e das feições, análise dos
temperamentos ou personalidades, aplicação do teste psicológico e
investigação do contexto social em que o cliente está inserido. Compondo
assim, os itens que permitem descobrir e compreender o significado,
psíquico e social que a imagem expressa traz para o cliente, em sua
família, no seu trabalho e etc.

A anamnese inexpressiva e os problemas enfrentados pelo profissional


na aplicação inadequada do processo.

A anamnese inexpressiva é a incapacidade do profissional cabeleireiro ou


visagista, de sugerir o diagnóstico adequado ao cliente. Ela é restrita a uma
quantidade insuficiente de informações no ato da entrevista e, portanto,
tem um resultado final superficial e incompleto.
As esperanças de encontrar sinais esclarecedores, neste caso, estão
concentradas apenas nos testes das características dos cabelos e, poderão
ser decepcionantes, se esse se tornar o único instrumento de avaliação do
especialista.
As conseqüências de uma anamnese inexpressiva se agravam principalmente
em clientes sobre os quais as análises técnicas são limitadas ou incorretas.
A incapacidade técnica de análise compromete o resultado final e não dá
nenhuma contribuição diagnóstica sobre as verdadeiras necessidades de
mudança na imagem do cliente ou do real estado do cabelo.
Nesses casos, é comum observar o tipo de profissional inseguro e
despreparado, que encantado pelos avanços da tecnologia e publicidade das
grandes marcas, recorre desesperadamente para as informações contidas
apenas nos rótulos dos produtos cosméticos, como último recurso para
desvendar o mal que acomete o seu cliente. Esse é o diagnóstico intuitivo.
Tecnologia alguma pode substituir as análises e estudos criteriosos
realizados pelo consultor visagista, feitos por meio dos apontamentos do
cliente ao longo do processo de investigação.
É relevante destacar, que as informações obtidas durante a anamnese não
poderão ser obtidas de outra fonte, que não do próprio cliente.
A anamnese deve ser, nos estabelecimentos de beleza, a mais importante
fonte de informação sobre o cliente e enganam-se os que insistem em
buscar um diagnóstico puramente instintivo, sem base teórica ou
treinamento adequado para a manipulação e leitura dos produtos cosméticos
disponíveis no mercado atual. A prática do diagnóstico intuitivo, sobretudo,
faz com que o profissional perca credibilidade perante a sua clientela.

O diagnóstico

Compreendidos o motivo da visita do cliente e o conceito de anamnese, a


noção de diagnóstico é imprescindível para o trabalho do visagista, uma vez
que os clientes, em geral, têm grande expectativa com relação ao que o
visagista irá dar de informação e orientação sobre sua intervenção na
imagem pessoal do cliente. Assim, o termo é entendido como a etapa em
que se define, as formas e o tempo necessário, para o desenvolvimento da
nova imagem pessoal do cliente. A etimologia da palavra diagnóstico vem do
grego diagnóstikós e quer dizer capaz de distinguir, de discernir. É o
momento em que o profissional vai decidir com base nos dados levantados
na anamnese como e quais serão os procedimentos adotados na construção
da nova imagem.

O fluxograma abaixo ilustra essa progressão:

Anamnese Momento da coleta ou levantamento dos dados do cliente


Momento de estudo dos dados levantados na anamnese
Reflexão e Compreensão
Momento de distinção dos dados acima para a construção
Diagnóstico/consultoria da nova imagem

Pode-se entender o diagnóstico da consultoria em duas perguntas distintas:

Primeira-Qual é a imagem expressa? Ou Qual será a imagem expressa?


Segunda-Como será a construção da nova imagem? E Quais serão os
procedimentos adotados?
E dividir esses dois conceitos de, diagnóstico na consultoria, em etapas que as
definam:
A- Qual será a imagem expressa? Ou Qual é a imagem expressa?

Trata-se do diagnóstico das necessidades do cliente para a sua imagem


pessoal. É, o resultado do estudo das características do cliente com
aplicação das técnicas do visagismo.
Nesta etapa, se houver necessidade, o visagista tem a possibilidade de
estabelecer parcerias com outros profissionais;
A descrição dos trabalhados nessa etapa:
1. Temperamentos e personalidade;
2. Formato do crânio, formato de rosto, análise do perfil e das feições;
3. Cor da pele e estudo das cores que valorizam as características
identificadas nos itens acima;
4. Estudo das etnias e contexto social do cliente.
B-Como será a construção da nova imagem? Quais serão os
procedimentos adotados?
Trata-se do diagnóstico e planejamento de todos os procedimentos que
serão adotados para a construção e manutenção da nova imagem do cliente.
Sobretudo, é o resultado do estudo das características do cabelo somadas
ao visagismo aplicado na etapa anterior.
A descrição dos trabalhados nessa etapa:
1. O diagnóstico dos serviços necessários;
1. O diagnóstico das sessões necessárias para cada serviço;
2. O diagnóstico dos produtos adequados às características do cabelo do
cliente;
3. O diagnóstico dos produtos cosméticos de manutenção particular do
cliente (comercial e profissional).
O cliente deve ser informado do tempo e custo estimado para cada etapa da
consultoria.

A boa relação do consultor visagista com o cliente.

Além da importância incontestável do diagnóstico, a coleta dos dados feitos na


anamnese, permitirá estabelecer uma empatia entre as partes envolvidas,
condição fundamental para a boa relação entre o visagista e o cliente. Empatia
aqui significa colocar-se no lugar do outro e sua essência reside no perfeito
entendimento dos sentimentos da outra pessoa, na capacidade de entender
mais claramente o significado da imagem para o cliente. A boa relação
visagista-cliente melhora a qualidade do atendimento, promove a satisfação do
cliente, afeta positivamente o seguimento de beleza, permitindo resultados
efetivos e satisfatórios. Fala-se, portanto, da plena confiança, colaboração e
adesão interessada do cliente aos procedimentos diagnósticos do visagismo,
facilitando o processo de definição da imagem.

A anamnese não é somente básica para ordenar o raciocínio técnico, mas,


constitui, mesmo, em muitos casos o início do diagnóstico.

Uma excelente comunicação do visagista com o seu interlocutor pode solucionar


o desconforto ou incomodo do cliente com a própria imagem mesmo, antes do
diagnóstico e do tratamento. Essa prática reduz a sua ansiedade e insegurança
durante o processo. A anamnese exerce um efeito psicológico positivo sobre a
forma como o cliente irá encarar a consultoria e o resultado final.

Logo, se depois da consultoria do visagista, percebe-se o desconforto e a


insegurança por parte do cliente significa que o profissional não está
capacitado para interferir na imagem pessoal desse cliente. Pois deixou de
considerar, em algum momento, da análise alguma das etapas anteriores.

Essa mudança na imagem pessoal do cliente, por mais momentânea que seja,
corresponde ao estabelecimento de uma relação de confiança entre o visagista
e o cliente, que começa a ser alicerçada na anamnese.

Atividades de fixação dos conteúdos práticos

Responda as questões abaixo com base na leitura do texto acima:


1. Qual é o objetivo de desenvolver a anamnese por etapas?
2. Defina diagnóstico intuitivo.
3. Defina a anamnese inexpressiva. Justifique a sua resposta com exemplos
de problemas enfrentados pelo visagista na aplicação inadequada da
mesma.
4. Explique a importância do diagnóstico das necessidades do cliente.
Ilustre a sua resposta com exemplos