Você está na página 1de 70

Projeto Detalhado de Layout

Arranjo Físico e Fluxo


•  Uma vez decidido o tipo de processo de
manufatura (por projeto, batelada, por lote, em
massa e contínuo).
•  E o layout (Posicional, Processo, Celular e
Produto).
•  O próximo passo é decidir seu Projeto Detalhado
PD.
•  O Projeto Detalhado é o ato de operacionalizar
os princípios básicos do leiaute.
Detalhamento do Layout Posicional

•  Localização dos recursos definida com base na


conveniência dos recursos em transformação
(grandes dimensões - estaleiros).

•  Conceber um layout que possibilite aos recursos


transformadores maximizarem sua contribuição
potencial ao processo de transformação.
Detalhamento do Layout Posicional
•  Uma técnica utilizada é a chamada “análise de
recursos locacionais” que avalia os efeitos de se
localizar os vários recursos de transformação em
todas as localizações disponíveis na planta e da
forma como esses recursos interagem entre si.

•  Eis um trabalho extra e interessante (aps –


atividade práticas supervisionadas).
Detalhamento do Layout por Processo
•  Número muito grande de diferentes alternativas
-> complexidade.
▫  Para N centros há N fatorial (N!) diferentes
maneiras.
•  Dificilmente soluções ótimas serão encontradas.
•  Intuição, bom-senso e processo de tentativa e
erro aplicados sistematicamente.
Detalhamento do Layout por Processo
•  Informações essenciais p/ layout por processo:
▫  a área requerida por centro de trabalho;
▫  as restrições sobre a forma da área a ser alocada
para cada centro de trabalho;
▫  o nível e a direção do fluxo entre cada par de
centros de trabalho;
▫  o quão desejável é manter centros de trabalho
próximos entre si ou próximos de algum ponto
fixo do arranjo físico.
Detalhamento do Layout por Processo
•  O nível e a direção do fluxo são em geral
representados em diagramas de fluxo.
•  Há muitas maneiras que poderiam ser utilizadas
para coletar dados sobre o fluxo, como por
exemplo, informações sobre o roteiro de
fabricação dos produtos e a demanda desses
produtos.
Detalhamento do Layout por Processo
•  Um método qualitativo alternativo de se indicar
a importância relativa das relações entre centros
é a carta de relacionamentos.

•  Uma carta de relacionamentos indica o quão


desejável é manter pares de centros juntos uns
aos outros.
Detalhamento do Layout por Processo
•  Objetivos do layout por processo:

▫  minimizar os custos para a operação, que são


associados com o fluxo de recursos transformados
ao longo da operação.
Detalhamento do Layout por Processo

•  No nível mais simples, uma operação poderia


julgar a eficácia de seu leiaute simplesmente
com base nas distâncias percorridas na
operação.
Detalhamento do Layout por Processo
•  Eficácia do layout = ΣFijDij para todo i≠j onde:
▫  Fij = o fluxo em carregamentos ou jornadas por
período, do CT i para o CT j.
▫  Dij = distância entre o CT i e o CT j.

•  Quanto mais baixo o índice de eficácia do


arranjo físico, melhor o arranjo físico.
Detalhamento do Layout por Processo
•  Entretanto, em algumas operações as jornadas
não se equivalem, ou seja, não apresentam o
mesmo custo para a operação.

•  Nesses casos, poderia valer a pena incorporar


um elemento de custo (ou de dificuldade) na
medida da eficácia.
PD de Arranjo Físico por Processo
•  Método geral de projeto de arranjo físico por
processo:
▫  Passo 1 – Colete as informações sobre os centros
de trabalho e os fluxos entre eles.
▫  Passo 2 – Desenho um AF esquemático,
mostrando os CTs e os fluxos entre eles, colocando
os pares de CTs com fluxo mais intenso próximos
entre si.
PD de Arranjo Físico por Processo
▫  Passo 3 – Ajuste o AF esquemático de forma a
levar em conta as restrições de área dentro da qual
o AF deve caber.
▫  Passo 4 – Desenho o AF mostrando as áreas reais
dos CTs e as distâncias a serem percorridas.
Calcule a medida da eficácia do AF, levando em
conta ou as distância totais percorridas ou os
movimentos custeados.
PD de Arranjo Físico por Processo
▫  Passo 5 – Cheque se a troca da localização de
quaisquer dos centros faz reduzir a distância total
percorrida ou o custo total de movimentação. Em
caso afirmativo, faça a troca e retorne ao passo 4.
Caso contrário, faça deste o arranjo físico final.
PD de Arranjo Físico por Processo
•  Exemplo: Grupo Educacional Rotterdam
▫  Como exemplo de AF por processo, considere o Grupo
Educacional Rotterdam (GER), uma empresa que
comissiona, projeta e manufatura material didático. O
grupo acaba de realizar um leasing de um novo edifício
com uma área de 1800m², dentro do qual pretende
fazer caber 11 “departamentos”. Antes de mudar-se, o
grupo realizou um exercício para descobrir o número
médio de viagens feitas por sua equipe entre os 11
departamentos. Embora algumas viagens sejam mais
significativas que outras, foi decidido que todas as
viagens seriam tratadas como tendo igual valor:
PD de Arranjo Físico por Processo
•  Projeto de arranjo físico por processo auxiliado
por computador
▫  Complexidade -> numerosos processos heurísticos
com o intuito de auxiliar
▫  Um desse procedimentos é chamado CRAFT
(Computerizer Relative Allocation of Facilities
Technique). Um AF inicial é avaliado sobre todas
as formas possíveis de alteração da localização de
pares de CTs.
Projeto de Detalhamento de Arranjo
Físico Celular
•  VANTAGENS DESSE OUTRO LAYOUT
•  Compromisso entre a flexibilidade do AF por
processo e a simplicidade do AF por produto.
•  A Figura 7.19 do próximo slide mostra como um
arranjo físico por processo foi dividido entre
quatro células, cada uma das quais com recursos
suficientes para processar uma família de peças.
PD de Arranjo Físico Celular
•  Fazendo isso, a gestão da operação tomou
implicitamente decisões com relação:
▫  ao porte e à natureza das células que decidiu
adotar;
▫  a quais recursos alocar para cada célula.
PD de Arranjo Físico Celular
•  Alocação de recursos às células
▫  O AF Celular deve ter em foco a localização dos
vários recursos dentro da operação e os requisitos
do “produto”.
▫  Às vezes, para simplificar a tarefa, é interessante
concentrar-se no aspecto processo ou no aspecto
produto para o projeto da célula.
PD de Arranjo Físico Celular
•  Aspecto Processo
▫  Cluster Analysis: para descobrir quais grupos de
processos agrupam-se naturalmente.
▫  Envolve o exame de cada tipo de processo e o
questionamento de quais outros tipos de
processos um produto ou uma peça que use aquele
processo tem maior probabilidade de requerer.
PD de Arranjo Físico Celular
•  Aspecto Produto
▫  Uso de sistemas de codificação e classificação de
peças.
▫  Os códigos indicam características das peças ou
produtos que definem algumas de suas
necessidades de processamento.
PD de Arranjo Físico Celular
•  Análise do Fluxo de Produção (Production Flow
Analisys – PFA)
▫  Analisa ambos os requisitos do produto e
agrupamento de processos simultaneamente.
▫  Ordem das linhas e colunas é mudada, de forma a
mover as cruzes para o mais próximo possível da
diagonal da matriz.
PD de Arranjo Físico Celular
•  A Figura 7.21 (b) mostra que as máquinas
poderiam ser convenientemente agrupadas em
três células A, B e C.
•  Embora útil, a análise raramente é simples e
“limpa”. Este é o caso aqui, em que o
componente 8 necessita de processamento pela
máquina 3 que foi alocada para a célula B.
PD de Arranjo Físico Celular
•  Geralmente, há três formas de lidar com isso,
nenhuma delas totalmente satisfatória:
▫  Outra máquina igual à máquina 3 poderia ser
comprada e colocada na célula A.
▫  Componentes da família 8 poderiam ser
mandados para a célula B depois de terem sido
processados na célula A
PD de Arranjo Físico Celular
▫  Se há vários componentes com esses problemas,
pode ser necessário conceber uma célula especial
para eles (normalmente, chamada de célula de
remanescentes).
PD de Arranjo Físico Celular
•  Balanceamento e Tecnologia de Grupo
PD de Arranjo Físico por Produto
•  VANTAGENS DESSE OUTRO LAYOUT
•  Arranjar recursos de maneira a conformar-se às
necessidades de processamento do produto ou
serviço produzido.
•  “o que localizar onde”, em geral a decisão sobre
localização está tomada e, então as tarefas são
alocadas à localização decidida.
PD de Arranjo Físico por Produto
•  Por exemplo, pode ter sido decidido que quatro
estações de trabalho serão necessárias para
produzir pastas para executivos numa linha de
montagem. A decisão então é sobre quais tarefas
necessárias à montagem da pasta serão alocadas
a quais estações de trabalho. Essa decisão de
projeto é chamada de BALANCEAMENTO DE
LINHA. (como numa linha de produção
automotiva)
PD de Arranjo Físico por Produto
•  Balanceamento de Linha
▫  Garantir uma alocação equânime de trabalho para
cada estágio da linha.
▫  É apenas umas das decisões envolvidas no projeto
detalhado de arranjo físico por produto.
PD de Arranjo Físico por Produto
▫  Essas decisões são as seguintes:
–  Que tempo de ciclo é necessário?
–  Quantos estágios são necessários?
–  Como lidar com variações no tempo para cada
tarefa?
–  Como balancear o arranjo físico?
–  Como arranjar os estágios?
PD de Arranjo Físico por Produto
•  Tempo de ciclo dos arranjos físicos por produto
▫  É o tempo que decorre entre a finalização de dois
produtos, elementos de informação ou clientes
pela operação.
▫  É calculado considerando a demanda de tempo
provável dos produtos e a quantidade de tempo
disponível para a produção durante o mesmo
intervalo.
PD de Arranjo Físico por Produto
•  Exemplo
▫  Suponha que o setor de operações regionais de
retaguarda (ou back-office) de um grande banco
esteja projetando uma operação que vai processar
suas solicitações de empréstimos hipotecados. O
número de solicitações a serem processadas é 160
por semana e o tempo disponível para processar
as solicitações é de 40 horas por semana.
PD de Arranjo Físico por Produto(*)
▫  O tempo de ciclo para o arranjo físico(*)

= Tempo Disponível
Quantidade a ser processada

= 40/160 = 1/4 de hora = 15minutos

▫  Então, o arranjo físico do banco deve ser capaz de


processar solicitações a cada 15 minutos.
PD de Arranjo Físico por Produto
•  Número de Estágios(*)
▫  Na prática, pode ser qualquer número entre um e
diversas centenas, dependendo, entre outras
coisas, do tempo de ciclo envolvido e da
quantidade de trabalho necessário para completar
o produto ou o serviço.
▫  Este último elemento de informação é chamado de
conteúdo de trabalho do produto ou serviço.
PD de Arranjo Físico por Produto
•  Exemplo
▫  Suponha que o banco do exemplo anterior
calculou que o conteúdo de trabalho médio de
processar uma solicitação de empréstimo
hipotecado é 60 minutos. O número de diferentes
estágios necessários a processar solicitações a cada
15 minutos pode ser calculado.
PD de Arranjo Físico por Produto(*)
Número de estágios(*) = Conteúdo total de trabalho
Ciclo de tempo necessário

= 60 minutos/15 minutos =4 estágios

▫  Se ele não tivesse resultado em um número inteiro


teria sido necessário arredondá-lo, sempre para
cima. É difícil, embora nem sempre impossível,
alocar frações de pessoas para staff dos estágios.
PD de Arranjo Físico por Produto
•  Variação do tempo de tarefa
▫  Normal de cada processos
▫  Pode introduzir irregularidades no fluxo ao longo
da linha, o que, por sua vez, pode causar duas
coisas:
–  Criação de filas temporárias
–  Perda de tempo disponível
PD de Arranjo Físico por Produto
▫  Pode até ser necessário introduzir mais recursos
na operação para compensar a perda de eficiência
resultante da variação dos tempo de trabalho.
PD de Arranjo Físico por Produto
•  Balanceamento da Alocação de Tempo de
Trabalho (*)
▫  A eficácia da atividade de balanceamento de linha
é medida pelo que se chama de perda de
balanceamento.
▫  Isso refere-se ao tempo desperdiçado por meio da
alocação desigual de trabalho como uma
porcentagem do tempo total investido no
processamento de um produto ou serviço.
(*)
PD de Arranjo Físico por Produto
•  Técnicas de Balanceamento
▫  Diagrama de Precedência(*)
–  Representação do ordenamento dos elementos que
compõem o conteúdo do trabalho total do produto e
serviço.
–  Os círculos são conectados por setas que significam o
ordenamento dos elementos.
–  Ponto de partida para a maioria das técnicas de
balanceamento de linha.
PD de Arranjo Físico por Produto
Duas regras aplicam-se quando se está construindo
um diagrama:
– os círculos que representam os elementos são
desenhados o mais possível a esquerda;
– nenhuma das setas que representam relações de
precedência deve ser desenhada no sentido vertical
PD de Arranjo Físico por Produto
▫  Alocar os elementos do diagrama de precedência
ao primeiro estágio, começando da esquerda, na
ordem das colunas, até que a quantidade de
trabalho alocada ao estágio se encontre próxima,
mas não superior ao tempo de ciclo.
▫  Quando aquele estágio estiver tão cheio de
trabalho quanto possível, passe ao próximo
estágio
PD de Arranjo Físico por Produto
▫  Simplesmente escolha o maior que “caiba” no
tempo remanescente daquele estágio.
▫  Escolha o elemento com maior número de
atividades subsequentes, ou seja, aquele com
maior numero de elementos que só podem ser
alocados depois que ele o for.
PD de Arranjo Físico por Produto
•  Exemplo
▫  Considere a Bolos Karlstad (BK), uma empresa
manufatureira de bolos especiais, que
recentemente conseguiu um contrato de
suprimento, para uma grande cadeia de
supermercados, de um bolo especial na forma de
uma nave espacial. Foi decidido que os volumes
envolvidos nesse fornecimento justificariam uma
linha de produção dedicada ao acabamento,
decoração e embalagem do bolo.
PD de Arranjo Físico por Produto
▫  Essa linha teria então de executar os elementos de
trabalho mostrados na Figura 7.23 (1,68), que
também mostra o diagrama de precedência para o
trabalho total. O pedido inicial do supermercado
foi de 5000 bolos por semana e o número de horas
trabalhadas pela fábrica é 40 por semana.

▫  A partir dessas informações:


(*)
PD de Arranjo Físico por Produto
▫  O tempo de ciclo requerido
40h x 60 min = 0,48 min
5000

▫  Estágios requeridos
1,68 min (conteúdo total de trabalho) = 3,5 estágios
0,48 min (tempo de ciclo requerido)

Isso significa quatro estágios


PD de Arranjo Físico por Produto
▫  Começando do lado esquerdo do diagrama de
precedências, os elementos a e b podem ser
alocados ao estágio 1. Alocar o elemento c ao
estágio 1 faria com que o tempo de ciclo fosse
excedido. Apenas o elemento c pode ser alocado
ao estágio 2. Assim por diante, seguindo a regra
heurística do “elemento com maior conteúdo de
trabalho” e não excedendo o tempo de ciclo.
•  Outra possibilidade
PD de Arranjo Físico por Produto
•  Arranjando os Estágios
▫  Arranjo “longo-magro”
▫  Arranjo “curto-gordo”
PD de Arranjo Físico por Produto
•  Vantagens do Arranjo longo-magro
▫  Fluxo controlado de materiais e clientes;
▫  Manuseio simples de materiais;
▫  Requisito de capital mais moderado;
▫  Operação mais eficiente.
PD de Arranjo Físico por Produto
•  Vantagens do Arranjo Físico curto-gordo
▫  Maior flexibilidade de mix
▫  Maior flexibilidade de volume
▫  Maior robustez
▫  Trabalho menos monótono
PD de Arranjo Físico por Produto
•  Forma da Linha
▫  A forma de U é usada em geral para linhas mais
curtas enquanto “serpentinas” são usadas para
linhas mais longas
PD de Arranjo Físico por Produto
•  Vantagens da Forma em U e em Serpentina
▫  Flexibilidade e balanceamento de mão-de-obra. A
forma U permite que uma pessoa trabalhe em
várias estações de trabalho.
▫  Retrabalho. É mais fácil retornar trabalho
defeituoso para uma estação anterior.
▫  Manuseio. Da posição central do U, o manuseio do
material e ferramentas pode ser feito
convenientemente.
PD de Arranjo Físico por Produto
•  Vantagens da Forma em U e em Serpentina(cont)
▫  Passagem. Linhas longas e retas interferem mais no
fluxo cruzado do resto da operação.
▫  Trabalhos em grupo. Um semicírculo até mesmo se
parece com um time.

Você também pode gostar