Você está na página 1de 9

1

Nota final
Avaliação de Física
ENSINO MÉDIO – 3.° bimestre – EXTENSIVO

Aluno N.º Turma

Professor Data Valor prova


100
Orientações Conteúdos
 Letra legível.  Sistemas conservativos
 Utilizar caneta azul ou preta.  Gravitação universal
 Em caso de rasuras nas respostas, a questão será anulada.  Termologia, dilatação e
calorimetria
 Geradores e receptores

FRENTE A

1. (Valor 7,0)

Para testar o coeficiente de atrito cinético de uma cadeira em relação a um determinado


tipo de piso, uma fábrica realiza testes de deslizamento utilizando uma mola como
elemento que fornece a força propulsora. O piso é completamente horizontal. Constata-se
que a energia cinética da cadeira no momento em que a mola a abandona é igual a 400 J.
Para que a mola coloque a cadeira em movimento, ela é deformada em 20 cm.

Considerando-se que não haja atrito entre a cadeira e o piso enquanto a força elástica da
mola atua, qual a constante elástica dessa mola, em N/m?

a) 40 000
b) 20 000
c) 10 000
d) 5 000
e) 2 000

Alternativa B

O sistema é conservativo até que a cadeira abandona a mola. Portanto, na deformação


máxima da mola, toda a energia mecânica disponível e igual a 400 J está na forma de
energia potencial elástica.

𝐸𝑚 = 𝐸𝑝𝑒𝑙

𝑘𝑥 2
400 =
2

2 ∙ 400 800
𝑘= = = 20 000 𝑁/𝑚²
0,2² 0,04
2

2. (Valor 7,0)

O período da órbita de Mercúrio equivale a um quarto do período da órbita terrestre. Por


outro lado, o raio da órbita do planeta-anão Plutão é cerca de 100 vezes maior do que o
raio da órbita de Mercúrio, considerando ambas as órbitas circulares.

Com base nesses dados e na Terceira Lei de Kepler, qual o período da órbita de Plutão, em
anos terrestres?

a) 64 Alternativa C
b) 100
c) 250 De acordo com a Terceira Lei de Kepler,
d) 1 000
e) 1 000 000 2
𝑇𝑀𝑒𝑟𝑐ú𝑟𝑖𝑜 2
𝑇𝑃𝑙𝑢𝑡ã𝑜
3 = 3
𝑅𝑀𝑒𝑟𝑐ú𝑟𝑖𝑜 𝑅𝑃𝑙𝑢𝑡ã𝑜

Considerando que TMercúrio = 1/4 TTerra = 1/4 anos, e que RPlutão = 100RMercúrio.

Portanto:

2
1
(4 𝑇𝑇𝑒𝑟𝑟𝑎 ) 2
𝑇𝑃𝑙𝑢𝑡ã𝑜 1 2
𝑇𝑃𝑙𝑢𝑡ã𝑜 106 1 000
3 = → = → 𝑇𝑃𝑙𝑢𝑡ã𝑜 = √ = = 250 𝑎𝑛𝑜𝑠
𝑅𝑀𝑒𝑟𝑐ú𝑟𝑖𝑜 (100𝑅𝑀𝑒𝑟𝑐ú𝑟𝑖𝑜 )3 16 106 16 4

3. (Valor 6,0) (U. Tocantins-TO)

Um astronauta, em órbita da Terra a bordo de uma espaçonave, está submetido à ação da


gravidade. No entanto, ele flutua em relação aos objetos que estão dentro da espaçonave.

Tal fenômeno ocorre porque:


a) O somatório das forças que atuam sobre a nave é igual a zero.
b) A formulação da questão está incorreta, pois eles não flutuam.
c) A velocidade centrífuga da nave é que torna inviável a queda.
d) O astronauta e tudo o que está dentro da nave “caem” com a mesma aceleração, em
direção à Terra.
e) A Lua atrai a nave com uma força igual à da Terra, por isso a nave se mantém em
equilíbrio, não caindo sobre a Terra.

Alternativa D
a) Incorreto. Existe uma força resultante, a ação da força da gravidade.
b) Incorreto. É nítida a percepção de flutuação de objetos e astronautas em naves
especiais.
c) Incorreto. A velocidade centrífuga é um termo que somente é correto afirmar em
referenciais girantes.
d) Correto.
e) Incorreto. A Lua está muito distante para que a gravidade lunar se equivalha à
gravidade terrestre.
3

4. (Valor 7,0) (UFLA-MG – adaptado)

Um bloco de massa M = 10 kg desliza sem atrito entre os trechos A e B indicados na figura


abaixo. Supondo g (aceleração da gravidade) = 10 m/s², h1 = 10 m e h2 = 5 m.

Obtenha a velocidade do bloco no ponto B.


a) 5 m/s Alternativa B
b) 10 m/s Como não existe atrito no sistema, ele é conservativo, ou seja, a energia
c) 14 m/s mecânica se conserva:
d) 20 m/s 𝐸𝑚1 = 𝐸𝑚2
e) 30 m/s 𝑚𝑣22 𝑣22
𝑚𝑔ℎ1 = 𝑚𝑔ℎ2 + → 𝑔ℎ1 = 𝑔ℎ2 +
2 2
𝑣2 = √2𝑔(ℎ1 − ℎ2 ) = √2 ∙ 10(10 − 5) = √2 ∙ 10 ∙ 5 = √100 = 10 𝑚/𝑠

5. (Valor 7,0) (MACK-SP)

Na figura, o menino e o carrinho têm juntos 60 kg. Quando o menino salta do carrinho em
repouso, com velocidade horizontal de 2 m/s, o carrinho vai para trás com velocidade de 3
m/s. Deste modo, podemos afirmar que a massa do menino é de:

a) 12 kg
b) 24 kg Alternativa C
c) 36 kg A quantidade de movimento linear do sistema pode ser considerada
d) 48 kg constante: 𝑄𝑖𝑛í𝑐𝑖𝑎𝑙 = 𝑄𝑓𝑖𝑛𝑎𝑙
e) 54 kg No início, o menino e o carrinho estavam em repouso em relação ao solo.
Portanto, Qinicial = 0.
0 = 𝑚𝑚𝑒𝑛𝑖𝑛𝑜 𝑣𝑚𝑒𝑛𝑖𝑛𝑜 + 𝑚𝑐𝑎𝑟𝑟𝑖𝑛ℎ𝑜 𝑣𝑐𝑎𝑟𝑟𝑖𝑛ℎ𝑜
Porém, temos apenas a massa do conjunto, igual a 60 kg.
𝑚𝑚𝑒𝑛𝑖𝑛𝑜 + 𝑚𝑐𝑎𝑟𝑟𝑖𝑛ℎ𝑜 = 60 𝑘𝑔 → 𝑚𝑐𝑎𝑟𝑟𝑖𝑛ℎ𝑜 = 60 − 𝑚𝑚𝑒𝑛𝑖𝑛𝑜
Portanto:
0 = 𝑚𝑚𝑒𝑛𝑖𝑛𝑜 𝑣𝑚𝑒𝑛𝑖𝑛𝑜 + (60 − 𝑚𝑚𝑒𝑛𝑖𝑛𝑜 )𝑣𝑐𝑎𝑟𝑟𝑖𝑛ℎ𝑜
0 = 𝑚𝑚𝑒𝑛𝑖𝑛𝑜 𝑣𝑚𝑒𝑛𝑖𝑛𝑜 + 60𝑣𝑐𝑎𝑟𝑟𝑖𝑛ℎ𝑜 − 𝑚𝑚𝑒𝑛𝑖𝑛𝑜 𝑣𝑐𝑎𝑟𝑟𝑖𝑛ℎ𝑜
𝑚𝑚𝑒𝑛𝑖𝑛𝑜 𝑣𝑐𝑎𝑟𝑟𝑖𝑛ℎ𝑜 − 𝑚𝑚𝑒𝑛𝑖𝑛𝑜 𝑣𝑚𝑒𝑛𝑖𝑛𝑜 = 60𝑣𝑐𝑎𝑟𝑟𝑖𝑛ℎ𝑜
𝑚𝑚𝑒𝑛𝑖𝑛𝑜 (𝑣𝑐𝑎𝑟𝑟𝑖𝑛ℎ𝑜 − 𝑣𝑚𝑒𝑛𝑖𝑛𝑜 ) = 60𝑣𝑐𝑎𝑟𝑟𝑖𝑛ℎ𝑜
60𝑣𝑐𝑎𝑟𝑟𝑖𝑛ℎ𝑜
𝑚𝑚𝑒𝑛𝑖𝑛𝑜 =
𝑣𝑐𝑎𝑟𝑟𝑖𝑛ℎ𝑜 − 𝑣𝑚𝑒𝑛𝑖𝑛𝑜
60(−3) −180
𝑚𝑚𝑒𝑛𝑖𝑛𝑜 = = = 36 𝑘𝑔
(−3) − 2 −5
4

FRENTE B
6. (Valor 6,0)
Por definição, calor é energia térmica que é transferida de um corpo para outro devida a
uma diferença de calor entre eles. Essa transferência pode ser realizada por três
processos: condução, convecção e irradiação térmica. Considerando-se a natureza de cada
um desses processos, considera-se que:
a) Em dias frios, as aves costumam arrepiar suas penas para acumular ar entre elas e suas
peles. Como o ar é um bom isolante térmico, a troca de calor com o ambiente é
diminuída.
b) As garrafas térmicas possuem ampolas espelhadas numa tentativa de diminuir a troca
de calor de seu conteúdo com o ambiente por meio da convecção térmica.
c) Urubus e outros pássaros costumam aproveitar as térmicas, que são correntes de
condução térmica do ar, para ganharem altura sem muita perda de energia.
d) Nos seres humanos, em dias quentes a pele começa a suar, pois a evaporação do suor
é uma ótima maneira de isolar o calor do ambiente para a pele.
e) Alguns alimentos são cultivados em estufas para que não dependam do clima externo;
as estufas são ótimas isoladoras de calor por condução.

Alternativa A

a) Correto.
b) Incorreta. Esta tentativa é de impedir a troca de calor por irradiação.
c) Incorreta. Existem correntes de convecção de ar, não condução.
d) Incorreta. A evaporação do suor é uma ótima forma de se perder calor para o
ambiente.
e) Incorreta. Estufas evitam a troca de calor por irradiação.

7. (Valor 6,0)
Uma das forças fundamentais que alavancaram a Primeira Revolução Industrial foi o
transporte ferroviário a partir do século XVIII e XIX. As linhas férreas basicamente são
construídas por vigas de ferros longos e de pequena área transversal, em sequência, com
um pequeno espaço entre elas. Ao se analisar os fenômenos físicos associados à linha
férrea, analise as afirmativas a seguir:

I. Procura-se construir vigas de ferro mais longas, pois sabe-se que, quanto maior o
comprimento, menor será a dilatação térmica no caso de uma variação de
temperatura.
II. Ao nível microscópico, a dilatação da viga de ferro deve-se à maior amplitude da
vibração de seus átomos constituintes.
III. Em dias frios, a área da seção transversal da viga diminui comparada aos dias
quentes.

Est(á)ão corret(a)s:
Alternativa C
a) as afirmativas I e II.
b) as afirmativas I e III.
I. Incorreta. Quanto maior o comprimento
c) as afirmativas II e III.
da viga maior será a dilatação.
d) todas as afirmativas.
II. Correta.
e) somente a afirmativa III.
III. Correta.
5

8. (Valor 7,0) (Cesgranrio–RJ)


Uma caixa de filme fotográfico traz a tabela apresentada abaixo, para o tempo de
revelação do filme, em função da temperatura dessa revelação.
Temperatura 65°F 68°F 70°F 72°F 75°F
(18°C) (20°C) (21°C) (22°C) (24°F)
Tempo em 10,5 9 8 7 6
minutos

A temperatura em °F corresponde exatamente ao seu valor na escala Celsius, apenas para


o tempo de revelação, em min, de:
a) 10,5
b) 9 Alternativa B
c) 8 𝐶−0 68 − 32
=
d) 7 100 − 0 212 − 32
e) 6
𝐶 36
=
100 180
Então a temperatura é de 20°C que corresponde ao tempo de 9 minutos.

9. (Valor 7,0) Julgue as afirmações abaixo:


I – A escala Celsius atribui 0° para o ponto de fusão do gelo e 100º para
o ponto de ebulição da água;
II – O limite inferior para a escala Kelvin corresponde a -273°C;
III – 1°C equivale a 1°F.
Estão corretas:
a) I e II apenas
b) I e III apenas
c) I, II e III
d) II e III apenas
e) I apenas

10. (Valor 7,0) (UFRGS)


Um recipiente de vidro, cujas paredes são finas, contém glicerina. O conjunto se encontra
a 20°C. O coeficiente de dilatação linear do vidro é 27·10-6 °C-1, e o coeficiente de dilatação
volumétrica da glicerina é 5,0·10-4 °C-1. Se a temperatura do conjunto se elevar para 60°C,
pode-se afirmar que o nível da glicerina no recipiente:
a) baixa, porque a glicerina sofre um aumento de volume menor do que o aumento na
capacidade do recipiente.
b) se eleva, porque a glicerina aumenta de volume e a capacidade do recipiente diminui
de volume.
c) se eleva, porque apenas a glicerina aumenta de volume.
d) se eleva, apesar da capacidade do recipiente aumentar.
6

e) permanece inalterado, pois a capacidade do recipiente aumenta tanto quanto o


volume de glicerina.

Alternativa D
Comparando os coeficientes de dilatação volumétrica do vidro e da glicerina:

𝛾𝑣𝑖𝑑𝑟𝑜 = 3𝛼𝑣𝑖𝑑𝑟𝑜 = 3 ∙ 0,27 ∙ 10−4 = 0,81 ∙ 10−4 °𝐶 −1

Bem menor do que o da glicerina:

a) Incorreto. Como o coeficiente de dilatação volumétrica da glicerina é maior, o nível


aumentará.
b) Incorreto. A capacidade volumétrica do vidro também aumentará.
c) Incorreto. A capacidade volumétrica do vidro também aumentará.
d) Correto.
e) Incorreto. Ambas as substâncias aumentam de volume a aumentos de temperatura.

FRENTE C

11. (Valor 6,0)

As fontes de energia disponíveis em nosso planeta são inúmeras e podem ser classificadas
em dois tipos: as energias renováveis e as não renováveis. As energias renováveis podem
ser mantidas e aproveitadas ao longo do tempo sem que sua disponibilidade seja
esgotada. Por outro lado, as energias não renováveis podem ser esgotadas. Dentre
algumas fontes de energia renováveis, podemos listar algumas:

 Biomassa: utiliza matéria de origem vegetal para produzir energia;


7

 Solar: utiliza raios solares para gerar energia;


 Eólica: utiliza a força dos ventos que movimenta aerogeradores;
 Etanol: utiliza subprodutos de origem vegetal e substitui a gasolina como combustível.

a) No atual momento, há possibilidades viáveis de armazenar a energia mecânica das


hélices de um aerogerador eólico em energia química de baterias, mas por razões
políticas isso não é realizado.
b) Um painel solar de 2 m², que consegue converter a energia solar em 10 W de potência
elétrica a cada metro quadrado do painel, possui uma força eletromotriz igual a 200 V
independente da intensidade da corrente elétrica que possa produzir.
c) Um motor de biomassa produz 10 000 W a partir da matéria orgânica pode ser
utilizado como gerador cuja força eletromotriz seja de 100 V quando sua corrente
elétrica de intensidade igual a 100 A é produzida.
d) O rendimento do etanol em comparação com a gasolina, em termos de massa, é
apenas 70% em termos energéticos. Se um gerador a gasolina cuja resistência interna
seja de 0,1 Ω produzindo uma intensidade de corrente elétrica igual a 220 A para uma
força eletromotriz igual a 12 V, produziria uma intensidade de corrente igual a 300 A
se o gerador fosse a etanol.
e) Uma alternativa para guardar a energia eólica seria transformá-la em energia potencial
elástica em molas. Cada 100 J de energia obtida da energia cinética dos ventos poderia
comprimir em 4 cm uma mola de constante elástica de 20 000 N/m.

Alternativa C

a) Incorreto. Ainda não há possibilidades viáveis de armazenar a energia eólica.


b) Incorreto. A intensidade da corrente elétrica depende da potência produzida.
c) Correto. A potência total de um gerador é:

𝑃 = 𝜀𝑖 = 100 ∙ 100 = 10 000 𝑊

d) Incorreto. Se o rendimento energético do etanol é menor do que a gasolina, um


gerador a etanol comparado a um gerador a gasolina produziria uma potência menor
e, como a fem é mantida, produziria uma intensidade de corrente elétrica menor.
e) Incorreto. Pela conservação da energia mecânica:

𝑘𝑥 2 100 ∙ 2
100 = → = 0,042
2 20 000

0,01 = 0,016 (𝑎𝑏𝑠𝑢𝑟𝑑𝑜)

12. (Valor 7,0)

Boa parte dos eletrodomésticos que utilizamos no dia a dia são dispositivos de
aquecimento que usam resistores como fonte de calor. Por exemplo, o chuveiro elétrico
utiliza um conjunto de resistores que deixam a água morna, quente ou muito quente.

Porém, tais equipamentos utilizam uma intensidade de corrente elétrica muito intensa, o
que é percebida em algumas residências como uma pequena queda de luminosidade das
lâmpadas, que refletem uma pequena queda de tensão. O motivo dessa queda é o painel
externo de distribuição da energia para a residência, o qual passa pelo “medidor”, que é
basicamente um “wattímetro”, equipamento que contabiliza a energia gasta na residência.
8

Considere que o wattímetro seja a fonte de energia da residência e que tenha uma
resistência interna igual a 0,05 Ω. Quanto será a queda de tensão se um chuveiro for ligado
no muito quente, com uma intensidade de corrente elétrica igual a 40 A, considerando
que a tensão fornecida originalmente pela empresa fornecedora de energia elétrica seja
de 220 V?

a) 2V
b) 40 V
c) 50 V
d) 218 V
e) 220 V

Alternativa D

A diferença de tensão ΔV será ΔV = Ufinal – Uinicial, onde Uinicial = 220 V. Ufinal será:

𝑈𝑓𝑖𝑛𝑎𝑙 = 𝜀 − 𝑟𝑖 = 220 − 0,05 ∙ 40 = 220 − 2 = 218 𝑉

13. (Valor 7,0) (FURRN)


Uma bateria de força eletromotriz 6,0 V, que tem resistência interna de 1,0 Ω, alimenta
um aquecedor que está funcionando com uma corrente elétrica de intensidade igual a 2,0
A.

Nessas condições, a diferença de potencial, em volts, aplicada no aquecedor é igual a:


a) 6,0
b) 4,0
c) 5,0
d) 3,0
e) 4,5

Alternativa B
Usando a equação do gerador:
𝑈 = 𝜀 − 𝑟𝑖
𝑈 =6−1∙2=6−2=4𝑉

14. (Valor 6,0) Um capacitor consegue armazenar cargas de até 1 nC para uma diferença
de potencial entre suas placas de 1 mV. Indique, entre as alternativas abaixo, o módulo
da capacitância desse dispositivo:
a) 3.10-3 F

b) 1.10-6 F

c) 1.10-3 F

d) 5.10-6 F
9

e) 4.10-5 F

14. (Valor 7,0) (PUCC-SP)


No circuito representado no esquema abaixo, os resistores R1, R2 e R3 têm valores iguais a
12 ohms.

De acordo com o esquema, a leitura do amperímetro A, em ampères, e a leitura do


voltímetro V, em volts, são, respectivamente:
a) 4 e 12
b) 1 e 36
c) 2 e 24
d) 1 e 12
e) 2 e 12

Alternativa E
A leitura do amperímetro é igual à intensidade da corrente elétrica que passa pela bateria:

Calculando-se a resistência equivalente do circuito:


𝑅 12
𝑅𝑒𝑞 = + 𝑅 = + 12 = 6 + 12 = 18 Ω
2 2

Usando a 1° Lei de Ohm para descobrir a intensidade da corrente:


𝑈 36
𝑖= = =2𝐴
𝑅 18

A tensão medida pelo voltímetro é igual à tensão em R2, considerando-se que passa 1
A corrente:
𝑈 = 𝑅𝑖 = 12 ∙ 1 = 12 𝑉

Você também pode gostar