Você está na página 1de 5

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA

DO MARANHÃO
LICENCIATURA EM QUÍMICA

HUGNEI DO VALE SILVA


JOÃO RICARDO OLIVEIRA DA CUNHA
LEOMAR SILVA DE SOUSA
WEDSON SILVA SANTOS
WILLIAM ARAUJO DA SILVA

CÁLCULO 1: DERIVADA

AÇAILÂNDIA
2019
HUGNEI DO VALE SILVA
JOÃO RICARDO OLIVEIRA DA CUNHA
LEOMAR SILVA DE SOUSA
WEDSON SILVA SANTOS
WILLIAM ARAUJO DA SILVA

CÁLCULO 1: DERIVADA
Trabalho apresentado ao instituto Federal de
Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão
campus Açailândia, referente disciplina Cálculo
Diferencial e Integral I.
Docente: Sebastião Alves da Silva

AÇAILÂNDIA
2019
1

PLANO DE AULA

IDENTIFICAÇÃO
INSTITUIÇÃO: Instituto federal de educação, ciência e tecnologia do maranhão
DOCENTES(a): Hugnei, João Ricardo, Leomar, Wedson e William
DISCIPLINA: Cálculo Diferencial e Integral I
TEMA: Derivada
DURAÇÃO: 25 Min

PUBLICO ALVO
Licenciatura/ Graduação

OBJETIVOS

Geral: Apresentar as principais definições, características e aplicações sobre


história do cálculo, diferenciação logarítmica, derivadas exponenciais e
derivadas de funções trigonométricas inversas.
Específico:
1. Proporcionar entendimento sobre o contexto de cálculo;
2. Compreender os benéficos e sua utilização;
3. Definir a técnica de aplicação da regra de diferenciação logarítmica;
4. Aplicar teoremas para obtenção de derivadas de funções exponenciais;
5. Identificar e aplicar formulas de derivação nos exercícios.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
1. História do cálculo;
2. Isaac newton;
3. Wilhelm Leibniz;
4. Diferenciação logarítmica
5. Derivada de funções exponenciais;
6. Derivadas de funções trigonométricas inversas.
2

METODOLOGIA
A aula será desenvolvida de forma expositiva e dialogado entre os alunos.
Procedimentos a serem usados;
1. Aula teórica com auxílio do projetor multimidia, quadro branco e pincel;

AVALIAÇÃO DE APRENDIZAGEM
1. Refletir a unidade: objetivo/conteúdo/método, o aluno precisa saber para o

que estão trabalhando e no que estão sendo avaliados e quais serão os


métodos utilizados.
2. Revisão do plano de ensino: ajuda a tornar mais claro os objetivos que se
quer atingir, onde o professor à medida que vai ministrando os conteúdos vai
elucidando novos caminhos, ao observar os seus alunos, o que possibilitará
tomar novas decisões para as atividades subsequentes.
3. Desenvolver capacidades e habilidades: uma vez que o objetivo do
processo ensino e aprendizagem é que todos os alunos desenvolvam as suas
capacidades físicas e intelectuais, sua criticidade para a vida em sociedade
4. Ser objetivo: deve garantir e comprovar os conhecimentos realmente
assimilados pelos alunos, de acordo com os objetivos e os conteúdos
trabalhados.
5. Promover a auto percepção do professor: permite ao professor responder
questões como: Os meus objetivos são claros? Os conteúdos são acessíveis,
significativos e bem dosados? Os métodos são os mais apropriados aos meus
"clientes"? Auxílio bem os que apresentam dificuldades de aprendizado?
3

RESULTADOS ESPERADOS
Através de uma didática baseada em princípios básicos, esperamos que nossos
alunos possam entender de forma clara e objetiva todos os conceitos e ideias
propostas pelos professores, sem que reste nenhuma dúvida sobre o assunto
apresentado.

RECURSOS DIDÁTICOS
1. Notebook;
2. Quadro branco, Pincel e apagador;
3. Projetor Multimidia.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRAFICAS
AABOE, Asger. Episódios da história antiga da matemática. Tradução: João Bosco
Pitombeira, Rio de Janeiro-RJ. Editora: SBM, 2013.
EVES, Howard. Introdução à História da Matemática. Campinas, SP: Editora da Unicamp,
2004. P. 844.

Você também pode gostar