Você está na página 1de 2

UNINOVE

Curso de Psicologia
Centro de Formação de Psicólogos

Relatório Parcial de Estágio Básico Supervisionado: Práticas em Análise do


Comportamento

Estagiários: Karla Rinaldi, Nicole Turma: 2C Noturno


Camus, Thais Rama e Vitória Santos
Unidade: Vergueiro

Supervisor: Diego Mansano Fernandes Data: 05/09/2019

Analise de leitura – A importância da linguagem cientifica

A autora nos instrui sobre os diferentes tipos de linguagem utilizadas em diferentes campos,
justificando o porquê da linguagem utilizada em cada um deles de acordo com a sua finalidade,
e por meio de exemplos ilustra e enumera as regras a serem utilizadas em cada situação a ser
descrita.

É destacado a utilização da linguagem cientifica e sua importância, que se dá pelo fato de deixar
de lado todo ponto de vista pessoal evitando transparecer subjetividade, pois visa transmitir
conhecimento a comunidades acadêmicas e cientificas.

Enfatiza ainda o objetivo da ciência em predizer e controlar os eventos da natureza, onde


sabemos haver a necessidade de absoluto controle, daí a importância da não interferência
pessoal.

São apresentadas com claros exemplos as regras gramaticais para que o texto seja considerado
cientifico, como a precisão, objetividade e ambiguidade.
Temos como exemplo inicial um trecho do Romance Noite de Almirante de Machado de Assis,
onde se destaca a linguagem literária que ao contrario da cientifica não busca dados verídicos
e não tem a finalidade de constatar fatos, deixando assim claro a importância de se ter bem
definido o objetivo da sua escrita para escolha correta do tipo de linguagem.

Ao listar as regras da escrita cientifica se pode entender melhor o motivo da utilização de certas
regras para não imprimir impressões subjetivas de comportamentos que não foram observados.
É explicado também sobre a não utilização de expressões de tempo, que também imprimem
essas impressões pessoais, e ainda ordem cronológica de acontecimentos.

Referências

DANNA, Marilda Fernandes; MATOS, Maria Amélia. Ensinando observação: uma


introdução. [S.l: s.n.], 1982. Unidade 2 pg 33 a 42.