Você está na página 1de 2

Terceira Lista de Mecânica Quântica: 29/08/19

1. Utilizando as definições dos operadores a e a† , mostre as seguintes relações de comutação: [a, a† ] = 1,


[N, a] = −a, [N, a† ] = a† , onde N = a† a é denominado operador número.
2. Denotando por φn (x) uma autofunção do operador número N = a† a, com autovalor n, isto é, N φn =
nφn , mostre utilizando relações de comutação, que N (a2 φn ) = (n − 2)(a2 φn ). Também mostre que
N (a† )2 φn = (n + 2)(a† )2 φn .
3. Partindo da autofunção φ1 (x) do oscilador harmônico, obtenha a autofunção normalizada correspon-
dente à energia E2 = 3h̄ω/2. Observe a paridade das funções envolvidas. Qual a paridade da n-ésima
autofunção φn (x) do oscilador?
4. Siga os argumentos (compactos e muito elegantes!) desenvolvidos no Griffiths e mostre que as auto-
funções do oscilador harmônico são ortogonais, isto é, φ∗n (x)φm (x)dx = δm,n . Isso é uma carac-
R

terı́stica geral das autofunções de operadores hermitianos.


5. Sabemos que se φ0 (x) for a autofunção normalizada do estado fundamental do oscilador, então

(a† )n
φn (x) = √ φ0 (x)
n!
será a autofunção normalizada do n-ésimo estado. Mostre isso explicitamente para o caso n = 2, isto
é, que φ∗n φn dx vale 1. Sugestão: escreva a2 (a† )2 como aaa† a† e utilize as relações de comutação
R

para transpor os operadores a da esquerda para a direita dos a† (e lembre-se que aφ0 = 0).
6. Considere um oscilador no n-ésimo autoestado φn (x). Calcule:
(a) hain , ha2 in , ha† in , h(a† )2 in , haa† in , ha† ain .
(b) hxin , hx2 in , hpin , hp2 in
(c) hT (p)in e hV (x)in , sendo T e V os operadores energia cinética e potencial.
(d) Determine o valor do produto ∆x ∆p nesse autoestado.
7. Considere duas funções, φ1 e φ2 , não ortogonais, isto é, φ∗1 φ2 dx = c, constante não nula. Defina
R

ψ1 = φ1 e ψ2 = αφ1 + βφ2 e determine a relação entre as constantes α, β e c para obter ψ1 e ψ2


ortogonais.
8. Se as funções φ1 e φ2 do exercı́cio anterior representam duas autofunções degeneradas (com o mesmo
autovalor E) de um certo Hamiltoniano, mostre que as duas novas funções ortogonais ψ1 e ψ2 também
são autofunções desse Hamiltoniano e com o mesmo autovalor E.
9. Determine como deve ser a constante α no operador O = α d/dx para que O seja hermitiano? O
operador momento linear p = −ih̄∂x é hermitiano. Mostre que p2 também é. Mostre que ambos, p e

p2 são lineares. O operador raiz quadrada, , é hermitiano? Seria linear? O operador x2 é linear?
10. Mostre que
(a) para dois operadores A e B, vale que (AB)† = B † A† . Em particular, observe que todo operador
O = A† A (chamada forma biquadrática) é hermitiano;
(b) baseado no item anterior, como podemos expressar (ABC)† ? Dica: chame temporariamente BC
de D;
(c) autovalores de operadores hermitianos são reais;
(d) o produto escalar de duas autofunções não degeneradas de operador hermitiano é nulo;
(e) os operadores x e p = −ih̄∂/∂x são hermitianos;
(f) se dois operadores comutam, isto é, [A, B] ≡ AB − BA = 0, seus adjuntos também comutam;
(g) o produto de dois operadores hermitianos será hermitiano se ambos forem hermitianos e co-
mutarem;
(h) se A e B são dois observáveis (isto é, hermitianos e lineares), e tiverem um conjunto completo
de autofunções φn comuns a ambos, isto é, Aφn = an φn e Bφn = bn φn , então eles comutam.
O inverso também é válido.
(i) Definindo Am,n ≡ hφm |A|φn i, mostre que (A† )m,n = (An,m )∗ . Veja que é a regra para matrizes,
daı́ Am,n ser chamado de elemento de matriz do operador A na base {φn }. Assim, podemos
escrever que A† = (At )∗
11. No livro do Griffths, a definição de operador hermitiano é aquele em que vale a relação < h|Oh >=<
Oh|h >, para h qualquer no espaço de Hilbert. É afirmado que essa definição é equivalente à
< f |Og >=< Of |g >, sendo f e g funções quaisquer. Para mostrar isso, escolha primeiro h = f + g.
À expressão resultante, some aquela que você obtem fazendo uma nova escolha para h (lembre-se,
vale para qualquer h), agora h = f + ig.
12. Retorne ao formalismo de operadores a e a† do oscilador harmônico e observe que a† (no livro a+ ) é o
hermitiano conjugado do operador a (no livro a− ). Note, então, que nem a, nem a† , são hermitianos,
portanto, não podem representar observáveis. No entanto, N = a† a é hermitiano e está ligado
diretamente ao operador Hamiltoniano, H, que é um observável (H = h̄ω(N + 1/2)).
13. Calcule o valor da incerteza ∆A em um auto estado do operador A. O resultado deve ser trivial para
você. Esse cálculo é na direção oposta aquele feito em classe.
14. Calcule produtos escalares entre os vetores abaixo (definidos numa certa base ortonormal). Normalize
esses vetores (cuidado com elementos complexos: ~a · ~b = i a∗i bi . Encare os vetores como matrizes):
P

     
1 −i 0
 2i  ,  i  e  i  .
     
3 2 2
Se um desses vetores for indicado pelo sı́mbolo |ai (chamado ket), como você indicaria o vetor ha|
(chamado bra), sabendo que o produto escalar ~a · ~b é indicado pelo braket ha|bi? Que natureza
(escalar, vetor, ...) tem o objeto O = |aihb|? Construa esse objeto, explorando as regras do produto
de matrizes.
15. Opcional. Procure alguma referência que tenha a prova da desigualdade de Schwarz:
|hf |gi|2 ≤ |hf |f i| |hg|gi| .
Em Quântica essa desigualdade é importante, pois garante que funções quadrado integráveis tem
produto escalares finitos. São premissas básicas para se ter um espaço vetorial.