Você está na página 1de 9

CURSO PREPARATÓRIO CH QAO

DISCIPLINA: HISTÓRIA / SGT GREGÓRIO


MÓDULO I – BRASIL COLÔNIA

Economia mineradora.
POVOAMENTO DO SERTÃO

A notícia da descoberta de ouro na


ASSUNTO: SOCIEDADE COLONIAL região de Minas Gerais espalhou-se
MINERADORA
rapidamente e um grande número de
A DESCOBERTA DO OURO pessoas se dirigiu para a área.
Além da população colonial, a busca
Após o domínio espanhol (União pelo ouro pode ter atraído de 3 a 4 mil
Ibérica), em 1640, Portugal estava portugueses do reino por ano, até 1720,
mergulhado em uma grave crise quando a emigração de portugueses do
econômica. Devido à concorrência do reino para o Brasil passou a acontecer
açúcar antilhano os preços do açúcar somente pela concessão de uma
haviam caído no mercado internacional e o autorização especial.
governo português buscava novas fontes de Com esse afluxo de grande
riqueza. quantidade de pessoas, a região passou
Assim, revigorou-se o antigo sonho por rápidas transformações, com a corrida
português de encontrar ouro no Brasil, o pelo ouro fazendo surgir, em pouco tempo,
que se concretizaria no final do século XVII em lugares antes desertos, vilas e cidades,
quando os bandeirantes encontraram as como Vila Rica, Ribe3irãop do Carmo, São
primeiras jazidas de ouro em Minas Gerais. João del Rei e Sabará.
A data e local exatos dos primeiros A população de Minas Gerais
achados são desconhecidos, mas sabe-se continuou crescendo durante todo o “século
que as descobertas iniciais do ouro de do ouro” (1701-1800). Em 1786, calcula-se
aluvião, nos vales dos rios da Morte e que a região possuía cerca de 394 mil
Doce, ocorreram entre os anos de 1693 e habitantes, o que correspondia a 15% da
1695. população total do Brasil.

Sgt GREGÓRIO
resultou em violentos conflitos entre
paulistas e portugueses, entre 1708 e 1709,
que ficaram conhecidos como Guerra dos
Emboabas.
Um dos principais líderes dos
emboabas foi Manuel Nunes Viana, rico
pecuarista da região do rio São Francisco,
que liderou tropas contra os paulistas,
vencendo-os em Sabará e Cachoeira do
Campo.
O conflito terminou em 1709, no
chamado Capão da Traição, quando
muitos paulistas foram mortos por tropas
emboabas, comandado por Bento do
Amaral Coutinho. Posteriormente, os
paulistas organizaram uma vingança contra
os emboabas.

CONSEQUÊNCIAS DO CONFLITO
Uso da bateia e lavagem do ouro. Johann Moritz
Rugendas, Viagem Pitoresca Através do Brasil Entre as consequências da Guerra
(Editora Itatiaia Limitada, Editora da Universidade de
São Paulo, 1989). dos Emboabas, pode-se destacar:
Fonte:  Controle da metrópole – para evitar
http://people.ufpr.br/~lgeraldo/imagensminas.html
novos conflitos, o governo português
interveio na região e passou a exercer
firme controle administrativo e fiscal das
minas.
A GUERRA DOS EMBOABAS
 Elevação de São Paulo à categoria de
O rápido afluxo de milhares de cidade – por determinação da Coroa, a
pessoas para a região das minas trouxe vila de São Paulo foi elevada à categoria
alguns problemas, principalmente porque os de cidade em 1711.
paulistas, descobridores do ouro em Minas
Gerais, sentiam-se no direito de explorar as  Criação das capitanias de São Paulo e
minas com exclusividade. Minas Gerais do Ouro – São Paulo,
Entretanto, muitos portugueses criada em 1709 a partir de seu
vindos da metrópole e colonos de outras desmembramento do Rio de Janeiro
partes do Brasil também queriam apoderar- (formavam antes a capitania de São
se das jazidas descobertas. A tensão Vicente), foi dividida em 1720, criando-se
aumentou quando os portugueses a capitania de Minas Gerais do Ouro
passaram a controlar o abastecimento de (depois da Revolta de Vila Rica).
mercadorias para a região das minas, o que

Sgt GREGÓRIO
 Descoberta de ouro em Mato Grosso e geralmente, por escravos, em locais
Goiás – como as consequências da denominados lavras.
Guerra dos Emboabas foi, em parte, Vendo no ouro a possibilidade de
desfavorável aos paulistas, os revigorar sua economia, o governo
bandeirantes passaram a procurar novas português organizou um rígido esquema
jazidas de ouro em outros lugares do administrativo para controlar a região
Brasil. O resultado foi a descoberta de mineradora.
ouro nas regiões de Mato Grosso (1718)
e Goiás (1725), territórios pertencentes,
na época, à capitania de São Paulo. INTENDÊNCIA DAS MINAS

O principal órgão desse esquema


administrativo português era a Intendência
das Minas, criado em 1702, responsável
por:

 Distribuir terras para a exploração do


ouro (datas);

 Fiscalizar a atividade mineradora;

 Julgar questões referentes ao


desenvolvimento dessa atividade;

 Cobrar impostos pela exploração das


jazidas.

Os mineradores deviam ao governo


Fonte: português um quinto (20%) de qualquer
http://historia.ricafonte.com/textos/Historia_Brasil/ quantidade de metal precioso extraído. A
Colonia/Brasil%20Col%C3%B4nia%20exe.htm cobrança também podia ser feita sob a
forma de Sistema de Fintas, um
VAMOS RELEMBRAR. determinado valor anual a ser pago em
determinada vila. Também era comum a
cobrança do imposto conhecido como
As novas áreas de mineração eram Capitação, que era o recolhimento anual de
abastecidas pelas monções. 17 gramas de ouro pelo uso de um escravo.

ADMINISTRAÇÃO DAS MINAS CASAS DE FUNDIÇÃO

As minas pertenciam à Coroa No início da exploração do ouro, o


portuguesa, que concedia lotes (datas) aos metal circulava livremente pela região das
mineradores para a exploração do ouro. O minas, em pó ou em pepitas, o que
trabalho nesses lotes era realizado, dificultava o controle da quantidade do ouro

Sgt GREGÓRIO
na cobrança do quinto e favorecia o Cerca de 2 mil revoltosos,
contrabando. comandados pelo tropeiro português Felipe
Buscando resolver o problema, o dos Santos, conquistaram a cidade de Vila
governo português proibiu a circulação do Rica. Esse grupo, composto por donos de
ouro em pó ou em pepitas e criou as Casas grandes lavras, parte da população e
de Fundição. Com essa medida, todo o escravos, exigiu do governador da capitania
ouro deveria ser fundido e transformado em de Minas Gerais, Pedro de Almeida
barras, e nessa tarefa, as Casas de Portugal (Conde de Assumar), a extinção
Fundição já retiravam a parte das Casas de Fundição.
correspondente ao imposto da Coroa. Apanhado de surpresa, o governador
As barras de ouro recebiam um selo fingiu aceitar as exigências dos revoltosos e
comprovando o pagamento do quinto, prometeu acabar com as Casas de
podendo ser legalmente negociado: era o Fundição, ganhando tempo para organizar
ouro quintado. suas tropas e reagir energicamente. Os
líderes do movimento foram presos e Felipe
dos Santos foi condenado, enforcado e
esquartejado em praça pública, em 16 de
julho de 1720.

A EXPLORAÇÃO DOS DIAMANTES

Além de encontrarem ouro em Minas


Gerais, foram encontradas também jazidas
de diamantes a partir de 1729, no Arraial do
Tijuco, atual cidade de Diamantina.
O governo português também teve
dificuldades para controlar a cobrança de
impostos sobre o diamante, uma grande
quantidade era escondida da fiscalização
Ouro Quintado
pelos mineradores, para não pagarem o
quinto para a Fazenda Real.
Devido a essas dificuldades, em
 REVOLTA DE VILA RICA
1740, o governo português entregou a
O anúncio da criação das Casas de extração das pedras preciosas a
Fundição causou insatisfação entre os particulares. A extração era permitida
mineradores, que consideravam que a mediante um contrato de exploração, que
medida dificultava a circulação e o comércio estabelecia a figura de um Contratador,
do ouro na capitania, facilitando apenas a responsável pela exploração dos diamantes
cobrança dos impostos. Esse e entrega de parte da produção à Coroa.
descontentamento provocou a eclosão da Esse sistema durou até 1771,
chamada Revolta de Vila Rica, em 29 de quando a Coroa portuguesa decidiu assumir
junho de 1720. diretamente a extração diamantina e criou a
Intendência dos Diamantes. Esse órgão
4

Sgt GREGÓRIO
passou a ter amplos poderes sobre a
população do distrito diamantino, seus
fiscais podiam, por exemplo, confiscar bens
e controlar a entrada e a saída do distrito, o
que não impedia o contrabando.
Calcula-se que aproximadamente
160 quilos de diamantes foram extraídos
entre 1730 e 1830 em Minas Gerais.

A SOCIEDADE MINERADORA
ASCENSÃO SOCIAL E POBREZA
Os habitantes de Minas Gerais
organizaram suas atividades principalmente Teoricamente, a ascensão social era
em torno do ouro, fazendo surgir uma série possível na sociedade mineradora, pois
de núcleos urbanos próximos uns dos uma pessoa poderia enriquecer se
outros, como Vila Rica (atual Ouro Preto), encontrasse grande quantidade de ouro ou
Congonhas do Campo, Mariana, Sabará e diamantes, ou se ganhasse muito com o
São João del Rei. comércio e o artesanato urbanos,
A exploração mineradora favoreceu principalmente em cidades como São João
também o desenvolvimento da atividade del Rei, Vila Rica, Mariana e Tijuco.
comercial na região, que se tornou um Comparada à empresa açucareira, a
grande mercado consumidor de alimentos, mineração exigia ainda menor quantidade
roupas, ferramentas e outros produtos, de equipamentos e instalações, bem como
fornecidos por comerciantes portugueses e menos mão-de-obra, com os
da colônia. investimentos para entrar no negócio da
Se no nordeste a produção mineração exigindo menos recursos que
açucareira deu origem a uma sociedade para colocar em funcionamento um grande
rural, com destaque para o domínio dos engenho, permitindo que mais pessoas
senhores de engenho, em Minas Gerais a “tentassem a sorte” nas minas.
exploração do ouro possibilitou a formação No entanto, essa sociedade
de uma sociedade urbana, com maior mineradora também ficou marcada pela
diversificação social, da qual faziam parte, concentração de riqueza nas mãos de
por exemplo, mineradores, comerciantes poucos indivíduos. Era mais fácil as
dos mais diversos setores, carpinteiros, pessoas se igualarem pela disseminação da
ferreiros, pedreiros, padres, militares, pobreza, tendo em vista que a maior parte
funcionários da Coroa e advogados, ou das lavras importantes pertencia aos ricos
seja, surgiu uma classe média no Brasil senhores, que além da extração de ouro
colonial. A base do trabalho nessa controlavam outros negócios na região.
sociedade era, entretanto, o escravo Mesmo no período de maior
africano, que representavam, em 1786, desenvolvimento da economia do ouro em
quase metade da população total da Minas Gerais, de 1733 a 1748, grande parte
capitania de Mina Gerais. da população livre era constituída de gente
pobre, desempenhando funções de
5

Sgt GREGÓRIO
comerciantes, artesãos, pequenos setores da sociedade mineradora. Foi o
funcionários, entre outras. caso, por exemplo, do movimento
Nessa sociedade era relativamente conhecido como Inconfidência (ou
mais fácil o escravo comprar uma Carta de Conjuração) Mineira.
Alforria. A vida cultural desenvolveu-se em
torno das igrejas. O mercado interno era
intenso e pouco dependia da metrópole, CONSEQUÊNCIAS DA EXPLORAÇÃO DO
com o interior tornando-se mais importante OURO
que o litoral.
Entre as principais consequências da
exploração do ouro no Brasil, pode-se
A CRISE DA MINERAÇÃO destacar:

Ao longo do século XVIII, com  Desenvolvimento das artes – diversas


intensa exploração aurífera, as jazidas pessoas empregaram suas riquezas para
foram se esgotando, com a produção incentivar as artes durante o ciclo do
caindo brutalmente na segunda metade do ouro. O primeiro movimento literário
século. brasileiro significativo, o Arcadismo,
O governo português, acreditando surgiu em Minas Gerais (Cláudio Manuel
que a escassez de ouro se devesse ao da Costa e Tomás Antônio Gonzaga). Na
contrabando e à negligência com o capitania também surgiram, no campo
trabalho, continuou aumentando as formas das artes plásticas, as primeiras grandes
de controle e as pressões sobre os figuras do Barroco (Antônio Francisco
mineradores: Lisboa, o Aleijadinho, e Manuel da Costa
Ataíde, o Mestre Ataíde), além dos
 Cota mínima anual – em 1750, a Coroa principais representantes da música
determinou que a soma final do quinto colonial (Emérico Lobo de Mesquita,
deveria atingir pelo menos 100 arrobas Francisco Gomes da Rocha e Inácio
de ouro (1500 kg) por ano. Os Parreiras Neves).
mineradores tiveram muita dificuldade
 Expansão territorial e populacional – a
em extrair ouro suficiente para pagar
exploração do ouro, atividade que atraiu
esse imposto. A maioria não conseguiu,
muitas pessoas, favoreceu o
e as dívidas foram se acumulando.
desbravamento e povoamento do sertão,
 Derrama – em consequência, em 1765, uma maior integração entre as regiões da
o governo português decretou a derrama, colônia, além do aumento da população.
que significava a cobrança de todos os Durante o século do ouro, a população
impostos atrasados. Na execução da colonial em seu conjunto cresceu quase
derrama, as autoridades não poupavam 11 vezes, passando, segundo algumas
nem os mineradores empobrecidos, que estimativas, de 300 mil habitantes (em
acabavam perdendo os poucos bens que 1700) para 3,25 milhões de habitantes
restavam. (em 1800).

A insatisfação contra o peso dos  Mudança da capital – em 1763, a capital


tributos despertaria a revolta de diferentes da colônia foi transferida de Salvador
6

Sgt GREGÓRIO
para o Rio de Janeiro, mudança reflete o espanhol. Com o ouro brasileiro, a
deslocamento do centro econômico do economia portuguesa equilibrou-se
nordeste açucareiro para a região momentaneamente, mas não o suficiente
mineradora do sudeste. O Rio de para se livrar da estagnação e da
Janeiro, com seu porto mais próximo às dependência em relação aos ingleses.
áreas mineradoras, favorecia o Para muitos historiadores, o ouro do
transporte do ouro para a metrópole. Brasil escoou pela Europa e enriqueceu
outras nações, considerando-se como
 Revoltas coloniais – as questões em grande beneficiária dessa riqueza a
torno da exploração do ouro também Inglaterra, que passou a dominar a
contribuíram para aguçar a oposição de economia portuguesa por meio de diversos
interesses entre os colonos brasileiros e tratados, como o Tratado de Methuem
o governo português. A intensificação do (Panos e Vinhos), de 1703.
controle da Coroa nesse período Exportando produtos agrícolas para
contribuiu para que setores da classe os ingleses e importando manufaturas com
dominante colonial se rebelassem contra preços elevados do mercado britânico,
Portugal e explodissem diversas revoltas. Portugal estava sempre em dívida com
seus parceiros. Para pagar essa dívida,
recorriam ao ouro brasileiro, de modo que
PARA ONDE FOI O OURO DO BRASIL? grande parte da produção desse metal no
A produção aurífera no Brasil foi Brasil foi parar nas mãos dos capitalistas
bastante produtiva nos primeiros 70 anos ingleses, contribuindo para financiar o
do século XVIII, chegando alguns cálculos a processo de industrialização da Inglaterra.
apontar que, nesse período, o Brasil
produziu mais ouro que toda a América
espanhola em 357 anos. O ouro extraído na
colônia correspondeu a 50% de toda a
produção mundial entre os séculos XV e
XVIII.
Diante de tais dados pode-se
questionar para onde foi todo esse ouro
extraído no Brasil. Em primeiro lugar, essa
riqueza não ficou na colônia, nem foi usada
para seu desenvolvimento. Embora a região
das minas tenha apresentado grande vigor
econômico e cultural, isso representava
apenas uma pequena parte da produção
mineradora.
Depois sabe-se também que
Portugal não foi o único beneficiado com o
ouro extraído de sua colônia na América,
pois nunca saiu totalmente da crise
econômica iniciada após o domínio

Sgt GREGÓRIO
EXERCÍCIOS EM SALA c) era voltada principalmente para as
necessidades do mercado interno; utilizava
o trabalho escravo e o livre; difundiu a
pequena propriedade fundiária nas regiões
01. (EsFCEx-1999) Uma das interioranas do Brasil.
consequências da descoberta do ouro das
Gerias foi o(a): d) estimulou o aparecimento de cidades e
a) aumento da importância política e da classe média; estruturava-se na base do
econômica de São Paulo. trabalho livre do colono imigrante e da
pequena propriedade.
b) Bahia perder o mercado consumidor de
carne. e) era rigidamente controlada pelo Estado;
empregava o trabalho escravo, mas
c) Capitania de Minas Gerais, em 1720, ser permitia também o aparecimento de
incorporada a São Paulo. pequenos proprietários e trabalhadores
independentes; acabou favorecendo,
d) Bahia consolidar sua posição como indiretamente, a acumulação capitalista que
capital da Colônia. colaborou com a Revolução Industrial
inglesa.
e) Guerra dos Emboabas com o episódio do
“Capão da Traição”.

4. (Unirio-RJ) O desenvolvimento da
economia mineradora no século XVII teve
02. (UNIFENAS) Foram consequências da diferentes repercussões sobre a vida
mineração, exceto: colonial, conforme se apresenta
caracterizado numa das opções a seguir.
a) o surgimento de um mercado interno;
Assinale-a.
b) a urbanização;
a) Incremento do comércio interno e das
c) a melhoria do nível cultural; atividades voltadas para o abastecimento
da região centro-sul.
d) a decadência da atividade açucareira;
b) Movimento de interiorização conhecido
e) a maior fiscalização da Coroa sobre a como bandeirismo, responsável pelo
Colônia. fornecimento de mão-de-obra indígena para
as minas.
03. (Fatec-SP) Podemos dizer que a c) Descentralização da administração
economia mineradora do século XVIII, no colonial para facilitar o controle da
Brasil: produção.
a) era escravocrata, rigidamente d) Sufocamento dos movimentos de
estratificada do ponto de vista social e tinha rebelião, graças à riqueza material gerada
em seu topo uma classe proprietária pelo ouro e pela prata.
bastante dependente do capital holandês.
e) Retorno em massa, para a metrópole,
b) baseava-se na grande propriedade e na dos colonos enriquecidos pela nova
produção para exportação; estimulou o atividade.
aparecimento das primeiras estradas de
ferro e gerou a acumulação de capital
posteriormente aplicado em indústrias.

Sgt GREGÓRIO
05. (EsSA-2010) O Tratado de Methuen, 07. (UNIMONTES/MG) Analise as
assinado em 1703, por portugueses e afirmativas abaixo, relacionadas às
ingleses, atividades econômicas no Brasil colonial.
a) incrementou a industrialização em I. A área colonial recebeu intenso fluxo de
Portugal e no Brasil. migração interna e externa e nela
b) abriu um importante canal para a predominou, inicialmente, uma atividade
transferência da riqueza produzida no Brasil econômica sem o suporte adequado de
para a Inglaterra. outras, o que gerou escassez de alimentos
e inflação.
c) criou foro especial para julgar cidadãos
britânicos que viviam no Brasil. II. Salvador deixou de ser a capital do
Brasil, sendo substituída pelo Rio de
d) trouxe vantagens para Portugal nas Janeiro, que possuía melhor localização,
relações comerciais bilaterais com a segundo os interesses da Coroa.
Inglaterra.
III. A metrópole passou a exercer um maior
e) favoreceu o desenvolvimento da indústria controle fiscal e político sobre a área
luso-brasileira. colonial em questão, aumentando o corpo
de funcionários administrativos.
Os fatos I, II e III referem-se à/ao:
06. (Fuvest-SP) Podemos afirmar sobre o
a) mineração;
período da mineração no Brasil que:
b) pecuária;
a) atraídos pelo ouro, vieram para o Brasil
aventureiros de toda espécie, que c) cana-de-açúcar;
inviabilizaram a mineração.
d) pau-brasil.
b) a exploração das minas de ouro só
trouxe benefícios para Portugal.
c) a mineração deu origem a uma classe
média urbana que teve papel decisivo na
independência do Brasil.
d) o ouro beneficiou apenas a Inglaterra,
que financiou sua exploração.
e) a mineração contribuiu para interligar as
várias regiões do Brasil, e foi fator de
diferenciação da sociedade.

Sgt GREGÓRIO

Você também pode gostar