Você está na página 1de 11

​RELATÓRIO DE LABORATÓRIO

UERJ – UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO DE JANEIRO


NOME: ARTHUR MEDEIROS , ISHAELY DUTRA
MATÉRIA: FÍSICA 1
PROFESSOR: SANTIAGO ESTEBAN
Montar histogramas a partir da coleta de dados de um pêndulo simples.

Temos como objetivo desta experiência utilizar conceitos como valor médio para
montar histogramas. O primeiro sendo do seu grupo(A), um segundo de um
grupo(B) que dividiu o resultado de seu experimento e um final que junta os dados
do grupo A e B. Além disso, analisar e justificar o resultado dos histogramas.

​ Elementos da Experiência

O pêndulo simples:

Em​ ​mecânica, um pêndulo simples é um dispositivo que consiste numa​ ​massa


puntiforme presa a um fio inextensível que oscila em torno de um ponto fixo.
Neste experimento utilizamos um fio de 98 cm e uma massa de 10 g. O grupo B
usou uma fio de 57 cm e uma massa de 10g.

Valor médio(V.M.):
n - número de repetições feitas
O valor médio é utilizado quando se tem várias medidas da mesma grandeza,
com as mesmas condições. Sendo dito por:

​V.M. de X = < X > = (Σxi) ÷ n ,

sendo ​“X​i​”​ é a i-ésima grandeza de ​x ​e ​“n” ​é o número total de medidas .

Experimento do pêndulo simples

Capturar 50 períodos do pêndulo simples, com cada período a ida e a volta do


pêndulo do ponto inicial. Sendo, o ponto inicial à variação angular de 5° no fio em
relação a reta normal.

Descrição da experiência:
Para este experimento foi necessário:
1. Montar o pêndulo simples:

2. Uma régua ou outra ferramenta de medição de comprimento:


3. Um cronômetro ou outra ferramenta de medição do tempo:

4. Um transferidor ou outra ferramenta para medir a variação angular do pêndulo


5. Fazer 50 medições em relação ao período do pêndulo, com uma variação
angular de 5° comparado a reta normal e registrar cada um dos 50 períodos.

​Apresentação dos dados:

Grupo A

período (P) tempo (segundos)

P1 1,58

P2 1,44

P3 1,79

P4 1,71

P5 1,57

P6 1,72

P7 1,64

P8 1,64

P9 1,44

P10 1,64

P11 1,57

P12 1,58

P13 1,57

P14 1,38

P15 1,56

P16 1,78

P17 1,57

P18 1,64

P19 1,51
P20 1,41

P21 1,44

P22 1,50

P23 1,65

P24 1,57

P25 1,65

P26 1,76

P27 1,65

P28 1,89

P29 1,58

P30 1,72

P31 1,63

P32 1,60

P33 1,57

P34 1,45

P35 1,51

P36 1,50

P37 1,78

P38 1,51

P39 1,57

P40 1,72

P41 1,66

P42 1,65

P43 1,64

P44 1,71

P45 1,64
P46 1,66

P47 1,77

P48 1,70

P49 1,57

P50 1,51

Grupo B

P1 1,32

P2 1,32

P3 1,52

P4 1,34

P5 1,59

P6 1,59

P7 1,59

P8 1,51

P9 1,72

P10 1,31

P11 1,64

P12 1,45

P13 1,46

P14 1,52

P15 1,52

P16 1,58

P17 1,65

P18 1,45

P19 1,65

P20 1,64
P21 1,72

P22 1,65

P23 1,58

P24 1,59

P25 1,66

P26 1,71

P27 1,52

P28 1,51

P29 1,51

P30 1,64

P31 1,59

P32 1,58

P33 1,39

P34 1,65

P35 1,71

P36 1,64

P37 1,58

P38 1,59

P39 1,64

P40 1,71

P41 1,33

P42 1,58

P43 1,72

P44 1,65

P45 1,52

P46 1,35
P47 1,64

P48 1,59

P49 1,58

p50 1,59

Cálculos.

Valor médio:

Sabendo que os valores de p1 a p50, foram apresentados acima o


<t>(A) = 1,67 s, <t>(B) = 1,69 s e <t>(A+B) = 1,68 s.

​Histogramas.

Informação importante - Cada coluna está num intervalo de 0,10 s.


Grupo A:

Grupo B:
Histograma C (A + B):
Conclusões.

No geral, o experimento foi bem sucedido conseguimos alcançar nossos


objetivos. Porém, os histogramas não podem ser considerados por estarem
imprecisos, sabendo que eles tem <t> por volta de 1,6s nenhum deles é soberano
em 1,6s tanto em A,B e C. Todos estão com a mesma ordem de concentração,
sendo 1,5s a maior, logo seguido de 1,6s e por último 1,7s, provavelmente,
ocasionados pelos mesmo erros, como por exemplo : mau manuseio do
equipamento de medição de tempo; Medição incorreta do ângulo feito pela reta
normal; Como também, erros que não podemos esperar como brisas de vento que
alteram a trajetória do fio, resultando em períodos anormais.