Você está na página 1de 11

COLÉGIO ALVES SOARES, KELVYN N°7

HORMÔNIOS VEGETAIS

O termo hormônio é The term hormone is derived


derivado do grego horman, from the Greek horman, which
que significa estimular. Os means to stimulate. Plant
hormônios vegetais (ou hormones (or phytormons) are
fitormônios) são os the main internal factors that
principais fatores internos regulate plant growth and
que regulam o crescimento development and are
e o desenvolvimento responsible for the
vegetal, sendo communication between plant
responsáveis pela cells, tissues and organs.
comunicação entre as These molecules are
células, tecidos e órgãos synthesized in several types of
das plantas. Essas plant tissues, being able to act
moléculas são sintetizadas both in the cell itself that
em diversos tipos de tecidos produced it and to be
vegetais, podendo agir tanto transported by the xylem and /
na própria célula que a or phloem and to act in distant
produziu quanto serem tissues. For this, hormones
transportadas pelo xilema interact with receptors, which
e/ou floema e atuarem em are specific proteins that
tecidos distantes. Para initiate the transmission of the
tanto, os hormônios signal to the interior of the
interagem com receptores, cells, generating characteristic
que são proteínas responses.
específicas que iniciam a
transmissão do sinal para o
interior das células, gerando
respostas características.
COLÉGIO ALVES SOARES, KELVYN N°7

AUXINAS

As auxinas são os hormônios concentração e do local onde atua.


vegetais mais importantes. Elas De modo geral, várias atividades
apresentam efeitos em diversas fisiológicas são controladas pelas
funções fisiológicas das plantas. auxinas.
Charles Darwin foi o precursor da
descoberta das auxinas, quando  Divisão Celular: As auxinas
estudou o fototropismo em alpiste. estimulam a proliferação da
Em geral, a produção de auxinas grande maioria de tipos de
está associada com os locais de células.
divisão celular rápida. A maior
produção de auxinas ocorre no  Alongamento Celular: As
meristema apical do caule, nas auxinas atuam sobre a parede
folhas jovens, nos frutos em celular do vegetal,
desenvolvimento e em sementes. promovendo sua distensão e
As auxinas sintéticas, produzidas consequentemente, o
em laboratórios, promovem efeitos alongamento celular. Essa
fisiológicos parecidos com os das função promove o
auxinas naturais. Elas também crescimento das partes da
podem ser usadas como herbicidas. planta.
Quanto ao transporte, as auxinas
movem-se do ápice para a base dos  Crescimento de raízes, flores
vegetais, ou seja, do ápice da parte e frutos: A auxina estimula o
aérea para a raiz (transporte polar). desenvolvimento de raízes
A auxina é o único hormônio vegetal adventícias em caules.
transportado desta forma. O efeito
das auxinas depende da sua
COLÉGIO ALVES SOARES, KELVYN N°7

TROPISMOS

Tropismos são O fototropismo é o crescimento em resposta à


movimentos de direção da luz. Os caules apresentam fototropismo
crescimento das positivo, pois crescem em direção a fonte de luz.
plantas em resposta a Enquanto as raízes apresentam fototropismo
um estímulo externo. negativo, crescendo em sentido contrário ao da
O crescimento da fonte de luz.
planta pode ser O fototropismo positivo é resultado da ação direta
direcionado ao de auxinas sobre o alongamento celular. Quando
estímulo ou contrário uma planta é exposta a uma fonte de luz,
a ele. Quando o a auxina migra para o lado escuro do caule. Isso
crescimento ocorre porque a luz direciona a auxina para o lado mais
em direção ao sombreado. Como resultado, as células do lado
estímulo, é escuro do caule se alongam mais que as do lado
denominado claro e, por isso, o caule se curva. O gravitropismo,
de tropismo positivo. também chamado de geotropismo, corresponde ao
Quando ocorre em crescimento das plantas orientado pela gravidade.
sentido contrário, é O caule apresenta geotropismo negativo, contra o
considerado sentido da gravidade. Nas raízes, o geotropismo é
como tropismo negati positivo.
vo.
Outro tipo de tropismo é o tigmotropismo. Nesse
O tropismo é caso, o estímulo ao crescimento ocorre ao entrar
controlado pelas em contato com um objeto. Um exemplo são as
auxinas, hormônios gavinhas, que se enrolam sobre suportes físicos.
vegetais. A auxina o tropismo é relacionado aos movimentos de
estimula o crescimento em resposta a um estímulo.
alongamento celular, O tactismo envolve movimentos de deslocamento
controlando a direção de células em direção a um estímulo. Assim como
do crescimento. os tropismos, podem ser positivos ou negativos.
Os tipos de tropismos O nastismo corresponde a movimentos
são determinados relacionados a alterações relativamente rápidas no
pela natureza do turgor de determinadas células. Ao contrário do
estímulo. Os tropismo, o nastismo não envolve crescimento e
principais são o são movimentos reversíveis.
fototropismo e o Um exemplo de nastismo ocorre com a planta
gravitropismo. dormideira, ao ser tocada, fecha suas folhas em
resposta a um estímulo externo.
COLÉGIO ALVES SOARES, KELVYN N°7

PIGMENTO FITOCROMOS

O fitocromo é um pigmento protéico de cor azul. A luz solar contém


Este pigmento é responsável pela percepção ambos os
luminosa nos vegetais. O fitocromo tem uma ação comprimentos de
reversível, ou seja, quando ele absorve a luz onda (vermelho e
vermelha com 660 mn de comprimento, ele se torna vermelho-longo). Por
ativo, agindo como se fosse uma enzima, e dando isso durante o dia as
inicio ás atividades metabólicas do vegetal. Porém, plantas apresentam
se posteriormente ele absorver uma luz vermelha as duas formas de
com aproximadamente 730 mn de comprimento, as fitocromos (R e F),
reações que começaram com a luz de 660 mn se com predominância
tornam inválidas, e o fitocromo inativo. do fitocromo F. À
noite, o fitocromo F,
A ausência da luz também faz com que um mais instável,
fitocromo ativo se torne inativo. Estiolamento é o converte-se
nome dado ao procedimento que consiste no espontaneamente em
crescimento de um vegetal no escuro. Sua principal fitocromo R.
característica é que os caules surgem bem longos Dependendo da
e as folhas curtas. duração do período
de escuridão, essa
Se este vegetal for colocado sobre a radiação conversão pode ser
vermelha 660mn, iremos notar que o crescimento total, de modo que a
do caule torna-se mais lento, e as folhas passam a planta ao fim de um
crescer com mais velocidade, interrompendo o longo período de
estiolamento. No entanto, se o vegetal tiver contato escuridão, pode
com a radiação 730mn, o procedimento será o apresentar apenas
contrário. fitocromo R.

O fitocromo existe em duas formas Nas plantas de dia


interconversíveis, uma inativa, chamada fitocromo curto o fitocromo F é
R, e outra ativa, chamada fitocromo F. O fitocromo um inibidor da
R (do inglês, Red, vermelho) se transforma em floração. Plantas de
fitocromo F (do inglês, far-red, vermelho-longo) ao dia curto florescem
absorver luz vermelha de comprimento de onda na em estações do ano
faixa dos 660 nanômetros. O fitocromo F, por sua que as noites são
vez, transforma-se em fitocromo R ao absorver luz longas, porque,
vermelha de comprimento de onda na faixa dos 730 durante o período
nanômetros (vermelho de onda mais longa). prolongado de
escuridão, o fitocromo
F converte-se
COLÉGIO ALVES SOARES, KELVYN N°7

espontaneamente em fitocromo R, deixando de As sementes de


inibir a floração. Uma breve exposição de luz (cerca diversas espécies de
de 10 minutos) durante o período de escuridão é o plantas precisam ser
suficiente para impedir a floração de plantas de dia expostas à luz para
curto, pois, nesse período o fitocromo R é germinar. Isso porque
convertido em fitocromo F. a germinação é
induzida pelo
Nas plantas de dia longo o fitocromo F é um fitocromo F, formado
indutor de floração. Assim, plantas de dia longo só durante o período de
florescem se o período de escuridão não forem exposição à luz.
muito prolongados, de modo que não haja
conversão total de fitocromo F em R. Já em
estações do ano que as noites são longas, as
plantas de dia longo não florescem, porque todo o
fitocromo F é convertido em fitocromo R, que não
induz a floração.

Os fitocromos também estão envolvidos em


outros processos fisiológicos das plantas, entre
elas a germinação das sementes.

GIBERELINAS

A história inicial das giberelinas foi um produto exclusivo dos cientistas


japoneses. Em 1926, E.Kurosawa estudava uma doença de arroz (Oryza sativa)
denominada de doença das "plantinhas loucas", na qual a planta crescia
rapidamente, era alta, com coloração pálida e adoentada, com tendência a cair.

Kurosawa descobriu que a causa de tal doença era uma substância produzida
por uma espécie de fungo, Gibberella fujikuroi, o qual parasitava as plântulas.

A giberelina foi assim denominada e isolada em 1934. As giberelinas estão


presentes possivelmente em todas as plantas, por todas as suas partes e em
diferentes concentrações, sendo que as mais altas concentrações estão em
sementes ainda imaturas. Mais de 78 giberelinas já foram isoladas e
identificadas quimicamente. O grupo mais bem estudado e o GA3 (conhecido
por acido giberélico), que é também produzido pelo fungo Gibberella fujikuro
COLÉGIO ALVES SOARES, KELVYN N°7

As giberelinas são produzidas em tecidos jovens do sistema caulinar e


sementes em desenvolvimento. É incerto se sua síntese ocorre também nas
raízes. Após a síntese, as giberelinas são provavelmente transportadas pelo
xilema e floema. Aplicando giberelina em plantas anãs, verifica-se que elas se
tornam indistinguíveis das plantas de altura normal (plantas não mutantes),
indicando que as plantas anãs (mutantes) são incapazes de sintetizar giberelinas
e que o crescimento dos tecidos requer este regulador. Em muitas espécies de
plantas, incluindo o alface, o tabaco e a aveia selvagem, as giberelinas quebram
a dormência das sementes, promovendo o crescimento do embrião e a
emergência da plântula. Especificamente, as giberelinas estimulam o
alongamento celular, fazendo com que a radícula rompa o tegumento da
semente.

 Giberelinas podem ser usadas na quebra de dormência de sementes de


várias espécies de vegetais, acelerando a germinação uniforme de
plantações. Em sementes de cevada e outras gramíneas, a giberelina
produzida pelo embrião acelera a digestão em reservas nutritivas contidas
no endosperma (região rica em reservas), pois estimula a produção de
enzimas hidrolíticas.

 Giberelinas podem ser usadas para antecipar a produção de sementes


em plantas bienais. Juntamente com as citocininas, desempenham
importante papel no processo de germinação de sementes.

 Giberelinas, assim como auxinas, podem causar o desenvolvimento de


frutos partenocárpicos (sem sementes), incluindo maçã, abóbora,
berinjela e groselha. A maior aplicação comercial das giberelinas é na
produção de uvas para a mesa. O ácido giberélico promove a produção
de frutos grandes, sem sementes, soltos entre si.

 Giberelinas estimulam o florescimento de plantas de dia longo (PDL) e


bienais.

ETILENO

O etileno é um hormônio vegetal de fórmula C2H4 e é sintetizado a partir da


metionina, um tipo de aminoácido. Esse hormônio gasoso foi descoberto no
século XIX a partir de estudos que tentavam compreender por que as folhas de
algumas árvores localizadas próximas às lâmpadas que utilizavam gás para a
queima caíam. Analisando o gás presente nas lâmpadas – gás esse que
continha etileno –, descobriu-se que ele exercia influência sobre o
desenvolvimento da planta, causando a queda das folhas.
COLÉGIO ALVES SOARES, KELVYN N°7

O gás etileno é produzido em


vários tecidos vegetais, e sua
síntese está relacionada com a
resposta a algum fator uma série de reações que alteram a
estressante. Esse hormônio é coloração do fruto, provocam o
produzido especialmente em locais amolecimento da parte carnosa e
que sofrem o processo de aumentam a quantidade de
envelhecimento ou açúcares. Muitos produtores optam
amadurecimento. por colher os vegetais antes de seu
amadurecimento e submetê-los ao
Os efeitos do etileno são variados, etileno apenas no momento da
destacando-se o amadurecimento comercialização. Essa técnica é
de frutos, a senescência usada especialmente por produtores
(envelhecimento) de tomate e uva.
de flores e folhas e a abscisão Outra aplicação do etileno diz
(queda) de folhas e frutos. Outra respeito à sua capacidade de
função que pode ser atribuída ao promover a abscisão de frutos e
etileno é a determinação do sexo de folhas. Esse hormônio dissolve a
flores de algumas espécies de parede celular das células no local
plantas, como as da família onde ocorrerá a abscisão. Em
Cucurbitaceae. Nessa família, o virtude dessa propriedade, o
etileno aumenta a quantidade de hormônio é usado para promover o
flores femininas nos indivíduos. afrouxamento dos frutos e permitir
uma colheita mais fácil, evitando
O etileno é bastante usado na possíveis estragos no produto a ser
agricultura para garantir o comercializado.
amadurecimento adequado de
frutos, uma vez que desencadeia
Muitas pessoas
utilizam o etileno para
amadurecer frutos em
sua casa sem entender
ao certo o processo. Ao
enrolar frutas ou
colocá-las em locais
fechados, como o forno
do fogão, estamos
“aprisionando” o gás
etileno liberado pelos
frutos, acelerando,
assim, o processo de
amadurecimento.
COLÉGIO ALVES SOARES, KELVYN N°7

CITOCININAS

Uma quarta classe de hormônios As citocinas também atuam em


vegetais é a das citocininas, assim associação com as auxinas
chamadas porque estimula a divisão no controle da dominância apical.
celular (citocinese). As citocininas Nesse caso, os dois hormônios tem
são produzidas nas raízes e efeitos antagônicos. As auxinas que
transportadas através do xilema para descem pelo caule inibem o
todas as partes da planta. Embriões
desenvolvimento das gemas
e frutos também produzem as
laterais, enquanto as citocinas que
citocininas.
vêm das raízes estimulam as gemas
O papel das citocininas no a se desenvolverem. Quando a
desenvolvimento das plantas tem gema apical é removida, cessa a
sido estudado em culturas de ação das auxinas e as citocinas
tecidos. Quando um fragmento de induzem o desenvolvimento das
uma planta, um pedaço de gemas laterais. Uma vez iniciado o
parênquima, por exemplo, é desenvolvimento das gemas laterais
colocado em um meio de cultura não mais pode ser inibido. O fato de
contendo todos os nutrientes as gemas mais baixas do caule
essenciais à sua sobrevivência as saírem da dormência antes das mais
células podem crescer mas não se altas tem a ver com o fato de elas
dividem.
estarem mais próximas das raízes,
onde são produzidas as citocinas.
Se adicionarmos apenas citocinina
a esse meio, nada acontece, mas se
adicionarmos também auxina, as As citocinas também retardam o
células passam a se dividir e podem envelhecimento das plantas. Ramos
se diferenciar em diversos órgãos. e flores cortados e colocados em
água envelhecem rapidamente pela
COLÉGIO ALVES SOARES, KELVYN N°7

falta desse hormônio. A adição de da célula vegetal. Em plantas


citocina na água dos vasos faz com multicelulares, a senescência ocorre
que as flores cortadas durem bem após a juvenilidade (crescimento
mais tempo. É uma prática comum vegetativo) e a maturidade
no comércio de plantas pulverizar (reprodução) e é rápida em plantas
citocina sobre as flores colhidas com perenes, de acordo com o programa
a finalidade de retardar o seu genético característico de cada tipo
envelhecimento. de planta. A senescência é também
sensível à influência de fatores do
meio ambiente tais como dias curtos,
A senescência consiste no baixa luminosidade, baixas e altas
conjunto de mudanças que temperaturas, baixos níveis de
provocam a deterioração e a morte nutrientes essenciais e sais tóxicos
no solo.
COLÉGIO ALVES SOARES, KELVYN N°7
COLÉGIO ALVES SOARES, KELVYN N°7