Você está na página 1de 7

25

Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício


ISSN 1981-9900 versão eletrônica
P e r i ó d i c o do I n s t i t u t o B r a s i l e i r o d e P e sq u i s a e E n si n o e m F i s i o l o gi a do E x e r c í c i o
w w w . i b p e f e x . c o m . b r / w w w . r b p f e x . c o m . b r

O MÉTODO PILATES NA MELHORA DA FLEXIBILIDADE – REVISÃO SISTEMÁTICA


1
Renata Alves Vaz ,
1
Rafaela Liberali ,
1
Ticiane Marcondes Fonseca da Cruz ,
1
Maria Ines Artaxo Netto

RESUMO ABSTRACT

O Metodo Pilates vem se destacando como The Pilates Method on improvement of


uma atividade física que tem como proposta a flexibility – Systematic review
melhoria na qualidade de vida, através de
exercícios específicos em solo e/ou em Pilates Method has been detached as a sort of
aparelhos que promovem ganho de physical activity which proposes an
flexibilidade, elasticidade e tônus muscular, enhancement in quality of life through specific
levando a uma maior agilidade, mobilidade e exercises on a mat on the floor and/or in
equilíbrio. Alguns estudos mostram a relação exercise equipment specifically developed
entre o Método e o ganho de flexibilidade which promote gains in flexibility, elasticity and
devido a sua importância na qualidade de vida muscle tone, which in turn provide better
e prevenção de doenças osteomusculares agility, mobility and balance. Some studies
provocadas pelo sedentarismo ou mesmo pelo have shown the relationship between the
envelhecimento natural do corpo. O objetivo method and improvement in flexibility due to its
do presente estudo foi demonstrar os importance in quality of life and prevention of
benefícios do método pilates para a aquisição musculoskeletal disorders caused by
da flexibilidade. Foram avaliados 30 artigos, do sedentarism or even by natural body aging.
ano de 2003 a 2010 dos quais 07 foram The aim of the present study was to
selecionados para análise no presente estudo. demonstrate the benefits of the Pilates Method
As principais bases de dados foram PubMed, in terms of flexibility enhancement. Thirty
Scielo e scholar.google. Os estudos foram articles were reviewed, from 2003 to 2010,
realizados com grupos diferenciados de from which 07 were selected for analysis. The
participantes, provavelmente, por causa dos main database researched were PubMed,
efeitos benéficos que o Método vem mostrado Scielo and scholar.google. The studies were
no que diz respeito à flexibilidade. Os estudos developed with different groups of participants,
foram desenvolvidos em grupos de jovens probably, because the beneficial effects in
atletas, que incorporaram o método a um flexibility that the Method has been
treinamento de alta performance, bem como demonstrating. The studies were preformed
grupos com lombalgia e outras patologias em with young athletes, who incorporated the
faixas etárias variadas e grupos de idosos method to high performance training programs,
saudáveis. Dos 07 estudos avaliados 06 deles with low back pain and other pathologies in a
mostraram os efeitos do treinamento wide range of age groups and with healthy
ininterrupto com os exercícios de método seniors. From de 07 studies selected, 06 have
Pilates em relação do ganho da flexibilidade e shown effects of the continuous training
01 deles relacionando este ganho com o program with the Pilates Method exercises in
aumento de dor lombar. Os resultados terms of flexibility improvement and 01 have
comprovaram a eficácia do método no ganho made some relationship of the flexibility
da flexibilidade, da força muscular e da improvement with increased low back pain.
qualidade de vida de todos os seus The results confirm the efficacy of the Method
participantes e em nenhum deles foi in flexibility, muscle strength and quality of life
demonstrado pontos negativos levando em improvements for all participants and none of
conta a importância da sua aplicação contínua. them has demonstrated negative aspects,
taking into account for the importance of the
Palavras-chave: Método Pilates; Flexibilidade; continuous training program.
Retração muscular.
Keywords: Pilates Method; Flexibility; Muscle
shortening.

Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício, São Paulo, v.6, n.31, p.25-31. Jan/Fev. 2012. ISSN 1981-9900.
26
Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício
ISSN 1981-9900 versão eletrônica
P e r i ó d i c o do I n s t i t u t o B r a s i l e i r o d e P e sq u i s a e E n si n o e m F i s i o l o gi a do E x e r c í c i o
w w w . i b p e f e x . c o m . b r / w w w . r b p f e x . c o m . b r

INTRODUÇÃO levando a uma melhora global da flexibilidade


do corpo (Galindo e Espinoza, 2009), com isso
O Metodo Pilates, criado pelo alemão os efeitos benéficos proporcionados pela
Joseph Humberty Pilates (Souza e Vieira, técnica geram movimentos harmônicos e uma
2006), tem como proposta a melhoria na vida mais saudável (Gladwell e colaboradores,
qualidade de vida de seus praticantes, através 2006; Kolyniak, Cavalcanti e Aoki, 2004).
da prática de exercícios físicos específicos que O objetivo deste trabalho foi
promovem bem-estar e saúde (Pires e Sá, demonstrar através de uma revisão
2005), levando a uma maior agilidade, sistemática os benefícios do método pilates
mobilidade e equilíbrio, tendo como princípio a para a aquisição da flexibilidade.
centralização (é do centro que saem todos os
movimentos do corpo humano), o controle, a MATERIAIS E MÉTODOS
concentração, a precisão, o fluxo e a
respiração (Muscolino e Cipriani, 2004), Tipo de pesquisa
objetivando um ganho de flexibilidade, Utilizou-se como metodologia a
elasticidade e tônus muscular (Curi, 2009). revisão sistemática, que identifica, seleciona e
Os exercícios do método Pilates avalia criticamente pesquisas consideradas
apresentam muitas variações, podendo ser relevantes, para dar suporte teórico-prático
executados por indivíduos saudáveis para a classificação e análise da pesquisa
(Menacho e colaboradores, 2010), sedentários bibliográfica (Liberali, 2011).
ou com patologias (Eyigor e colaboradores,
2010), visando a reabilitação ou melhora da Sistema de Busca dos artigos
performance (Sacco e colaboradores, 2005). Face ao vasto volume de informação
Sua prática pode ser feita utilizando aparelhos disponível para a coleta de dados, foram
específicos e ou acessórios, como também no utilizadas bases gerais, usuais em revisões
solo utilizando a gravidade associada ao peso sistemáticas na saúde e áreas afins e bases
corporal, incluindo princípios desportivos como específicas direcionadas a temática nas bases
utilização de resistência, força e flexibilidade de dados: U.S. National Library of Medicine
(Quadros e Furlanetto, 2008). (PubMed), Scientific Electronic Library Online
A flexibilidade é a amplitude de (Scielo) e Biblioteca Virtual em saúde
movimento que uma articulação pode atingir (Bireme). Além dessas bases adotou-se como
pela sua capacidade motora (Barbosa e fonte de dados: Biblioteca Digital de Teses e
colaboradores, 2009), envolvendo ossos, Dissertações da Universidade de São Paulo
cápsulas articulares, ligamentos, tendões e USP.
músculos. Ela sofre alterações de acordo com Selecionaram-se trabalhos pelo título,
a idade, tendo grande decréscimo na resumo e sua pertinência ao objetivo da
adolescência (Bertolla e colaboradores, 2007) pesquisa, sem restrição ao tipo de estudo,
com o sexo; com a herança genética; com forma de apresentação e idioma. Dessa forma
tipos de exercícios, programas de selecionou produções científicas de artigos
fortalecimento visando encurtamento da nacionais (20) e internacionais (10) dos
musculatura e aumento de massa, com últimos nove anos, estudos publicados em
alteração de volumes muscular e adiposo e língua portuguesa, inglesa ou espanhola entre
com a temperatura, levando em conta a os anos de 2000 e 2010.
deformação elástica e plástica do tecido A leitura na íntegra dos estudos
(Costa e colaboradores, 2006). revelou que a utilização dos descritores
A diminuição da flexibilidade aumenta “Método Pilates, flexibilidade, retração
os riscos de lesões musculares (Witvrouw e muscular, sedentarismo”, abordando como
colaboradores, 2003; Macedo e população estudada, adultos, jovens e
colaboradores, 2008) e com o ganho da crianças sem discriminar os resultados e
flexibilidade, os movimentos tornam-se mais análises por faixa etária e nem sexo. Assim,
fluidos e eficazes, pois podem ser executados após leitura na íntegra e análise do total de
com maior força, amplitude e velocidade. Os trabalhos pré-selecionados, 30 estudos
exercícios do método Pilates trazem uma constituíram a amostra final dessa revisão.
proposta de melhora das relações musculares
agonista e antagonista, buscando através do
fortalecimento do "power house ", melhorar a
postura e a coordenação da respiração,

Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício, São Paulo, v.6, n.31, p.25-31. Jan/Fev. 2012. ISSN 1981-9900.
27
Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício
ISSN 1981-9900 versão eletrônica
P e r i ó d i c o do I n s t i t u t o B r a s i l e i r o d e P e sq u i s a e E n si n o e m F i s i o l o gi a do E x e r c í c i o
w w w . i b p e f e x . c o m . b r / w w w . r b p f e x . c o m . b r

RESULTADOS E DISCUSSÃO DAS estabilização (Souza, Andrade e Forti, 2010).


PESQUISAS DE CAMPO O método apresenta seis princípios básicos
fundamentais: concentração, controle,
Os resultados dos estudos que alinhamento, fluidez nos movimentos,
investigaram os benefícios do Pilates para o respiração e precisão. É importante que os
ganho de flexibilidade, estão descritos abaixo exercícios integrem estes princípios
e sintetizados na tabela 1. (Muscolino e Cipriani, 2003; Miguel, 2007).
A arte do Método Pilates destina-se a
Método Pilates, metodologia de trabalho, aprimorar a flexibilidade geral do corpo e a
efeitos do método pilates para a saúde, mas também enfatizando o
flexibilidade e relação com os estudos na condicionamento corpo-mente, o tratamento
tabela 1 de dor crônica e prevenção de lesões, por isso
abrange diferentes interesses na população
O Método Pilates foi criado por Joseph que procura atividade física (Viti e Lucareli,
Hubertus Pilates por apresentar desde a 2006). É considerado exercício físico, o que
infância raquitismo, asma e febre reumática significa atividade física com planejamento,
tornando sua saúde muito frágil. A luta pela levando em conta manter ou melhorar a
sua sobrevivência fez com que se dedicasse flexibilidade (Campigotto e Hulse, 2010).
ao estudo da anatomia, cultura física, Dentro dos benefícios desta modalidade estão
ginástica, mergulho, esqui e fisiologia, a melhora da flexibilidade, da força, (Sekendiz
praticando e tornando-se mais saudável e forte e colaboradores, 2007; English e Howe, 2007)
(Pires e Sá, 2005). da capacidade respiratória, do controle e
Criado durante a Primeira Guerra definição da musculatura, além do subsídio na
Mundial, com foco no relacionamento corpo e correção postural e melhora da saúde (Barra e
disciplina mental, misturava elementos de Araujo, 2007; De Lara e colaboradores, 2009).
ginástica, yoga, artes marciais e dança; o Pilates dava grande valor à
método Pilates foi levado para os EUA em flexibilidade ser preservada, em virtude disso
1923 (Silva e colaboradores, 2009b), Após a estimulava o ganho de força sem haver
1ª Guerra Mundial, ao voltar para a Alemanha, detrimento da flexibilidade, pois ela é fator
é que o Método Pilates passou a ser importante para vários aspectos da
conhecido, isso ocorreu devido Pilates ter motricidade como consciência corporal,
treinado um grupo de prisioneiros na eficácia motora e prevenção de lesões, de
Inglaterra, ao qual superaram uma grande dores crônicas (Segal, Hein e Basford, 2004) e
epidemia de gripe, além de ajudar na torna os movimentos mais rápidos (Eyigor,
recuperação dos feridos de guerra e para isso 2010), eficazes e amplos, por isso é
ele usou exercícios físicos utilizando molas importante que os exercícios sejam feitos com
das camas hospitalares que foi a inspiração a máxima amplitude, com regularidade e
para seus equipamentos (Curi, 2009; Sacco e respeitando as individualidades de cada
colaboradores, 2005). praticante. (Barra e Araujo, 2007; Carvalho e
Tem base a contrologia, que é ter o colaboradores, 2009).
controle de todos os movimentos musculares Os efeitos do método Pilates podem
do corpo com consciência (Kolyniak, ser visualziados em estudos de campo,
Cavalcanti e Aoki, 2004), com o fortalecimento apresentados na tabela 1. Eyigor e
do centro de força, "power house "(Galindo e colaboradores (2010) investigou o efeito do
Espinoza, 2009; English e Howe, 2007) ou Método Pilates em pacientes pós tratamento
CORE que corresponde a área entre a pélvis e de câncer de mama e levou em conta o
as costelas envolvendo os músculos desempenho físico, a fadiga, a flexibilidade e
abdominais (o transverso abdominal, o reto outros fatores e após 8 semanas concluiu que
abdominal e os oblíquos externos e internos), ocorreu melhora em todos os fatores
os músculos da coluna (onde os mais investigados. Sekendiz e colaboradores (2006)
importantes são os multífidos e o quadrado analisando a flexibilidade dos músculos
lombar), os músculos do assoalho pélvico posteriores do tronco em mulheres
localizados na partem de baixo da pélvis e são sedentárias, também chegou à conclusão da
músculos utilizados para controlar o fluxo da efetividade do Método Pilates na melhora da
evacuação e da urina (Miguel, 2007) e por flexibilidade e da qualidade de vida. Silva e
cima pelo diafragma, que junto com músculos colaboradores (2009a) chegou aos mesmos
expiratórios fazem um importante papel na resultados dos citados anteriormente utilizando

Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício, São Paulo, v.6, n.31, p.25-31. Jan/Fev. 2012. ISSN 1981-9900.
28
Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício
ISSN 1981-9900 versão eletrônica
P e r i ó d i c o do I n s t i t u t o B r a s i l e i r o d e P e sq u i s a e E n si n o e m F i s i o l o gi a do E x e r c í c i o
w w w . i b p e f e x . c o m . b r / w w w . r b p f e x . c o m . b r

um treinamento de 10 semanas com duração 60 minutos por sessão. No entanto o estudo


de 50 minutos, 3 vezes por semana. Bertolla e que apresentou uma frequência menor, de
colaboradores (2007) fazendo sua apenas 1 x por semana, com 60 minutos de
investigação com jovens atletas comprovou duração, obtiveram resultado em um período
que o treinamento com o Método Pilates maior de prática de 2 a 6 meses, para
conseguiu aumentar a flexibilidade dos observar mudança na flexibilidade.
mesmos. Barra e Araújo (2007) obtiveram Os estudos da tabela 1, observaram
resultado semelhante, porém com 20 mulheres resultados com a prática do Pliates, com
com idade média de 34 anos. Segal, Hein, amostras bem variadas, tanto para pessoas
Basford (2004) que além de avaliar a sedentárias que querem prevenir doenças e
flexibilidade em seu estudo, observaram melhorar a qualidade de vida, como para
também a composição corporal e o estado de auxilio de tratamento em casos de lombalgia e
saúde em 47 adultos, registrando aumento na outras dores envolvendo coluna e/ou
flexibilidade, porém com dificuldade em musculatura, também para incremento de
estabelecer os efeitos nos demais critérios. E outros tratamentos ajudando entre outros
Rosa e Lima (2009) pesquisando sobre fatores na diminuição da fadiga. Há relatos até
pessoas com lombalgia que procuram o de melhora do sono e de humor com a prática
método Pilates como tratamento concluíram regular do Método Pilates. Viu-se resultados a
que não existe correlação entre flexibilidade e partir de 2 semanas de treinamento sem
intensidade da dor provocada por lombalgia. interrupção, tendo boa evolução dos ganhos
Analisando os resultados benéficos do com maior tempo de prática. Dentro dos
método Pilates, pela frequência, intensidade e objetivos propostos nestes estudos está a
volume, observa-se nos estudos da tabela 1, relação entre Método Pilates e flexibilidade,
que a grande maioria dos estudos obteve provando a grande eficácia do método com
resultado significativo com a prática do Pilates: grupos que vão desde jovens atletas de 17
com um frequência de 3 x por semana; anos a adultos de ambos os sexos, com visão
período de 4, 8 a 10 semanas, de 25, 45, 50 a e objetivos bem diversificados.

Tabela 1: Estudos de campo


Autor Objetivo/ Amostra Duração e intervenção Resultado
(n, sexo e idade)

EYIGOR Objetivo – investigar o Intervenção – 3 vezes por 1 - exercícios de Pilates são


(2010) impacto dos exercícios de semana durante um período eficazes e seguros em
pilates no desempenho físico, de 8 semanas. pacientes com câncer de
flexibilidade, fadiga, depressão mama feminina.
e qualidade de vida 2 – Melhora na flexibildiade,
Amostra – em 52 pacientes fadiga, depressão e
que tinham sido tratados de qualidade de vida.
câncer de mama. Divididas em
exercício de pilates (grupo 1) e
grupo controle (grupo 2).
SEKENDIZ Objetivo – Analisar os efeitos Intervenção – 60 minutos por 1 - exercícios de mat Pilates
et al (2007) do Metodo Pilates na dia, 3 vezes por semana, contribuíram para maior
resistência muscular durante 5 semanas. qualidade de vida, 2 -
abdominal e na flexibilidade de melhoria na força
posterior do tronco abdominal, na flexibilidade
Amostra – 21 mulheres de posterior de tronco e
adultas sedentárias (idade resistência muscular
média: 26–47) do exercício e abdominal.
17 mulheres (média idade:
26–47) de grupos de controle.

Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício, São Paulo, v.6, n.31, p.25-31. Jan/Fev. 2012. ISSN 1981-9900.
29
Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício
ISSN 1981-9900 versão eletrônica
P e r i ó d i c o do I n s t i t u t o B r a s i l e i r o d e P e sq u i s a e E n si n o e m F i s i o l o gi a do E x e r c í c i o
w w w . i b p e f e x . c o m . b r / w w w . r b p f e x . c o m . b r

SILVA et al Objetivo – Analisar o Intervenção – foram 1 - o protocolo de


(2009) incremento da flexibilidade do realizados exercícios de treinamento utilizando o
músculo isquiotibial após 30 Pilates no solo durante 10 método Pilates foi eficaz
sessões utilizando o método semanas com duração de 50 para o
Pilates. minutos e freqüência semanal incremento da flexibilidade
Amostra – 15 mulheres, idade de três vezes. na musculatura posterior da
média de 23,93 (±4,32) anos. coxa.
BERTOLLA Objetivo – verificar o efeito Intervenção – 25 minutos, 3 x 1 - o protocolo de
et al (2007) sobre a flexibilidade por semanais, durante 4 treinamento com o método
proporcionado por um semanas. Pilates conseguiu
programa de Pilates Mediu – pré (24 horas antes incrementar a flexibilidade
Amostra – em uma equipe de do início do programa), pós- dos atletas juvenis de futsal.
futsal da categoria juvenil (17- imediato (24 horas após o fim 2 – Pilates é efetivo para a
20 anos). do programa) e pós-tardio (15 flexibilidade de jogadores de
grupo Pilates (GP, n = 6) e dias após o fim do programa). futsal
grupo controle (GC, n = 5).
SEGAL, Objetivo – Avaliar os efeitos Intervenção – 1 sessão 1 - Os exercício do Metodo
HEIN, do Metodo Pilates sobre a semanal de 1 hora durante 2, Pilates pode resultar em
BASFORD flexibilidade, a composição 4 e 6 meses. maior flexibilidade.
(2004) corporal e o estado de saúde. 2 - seus efeitos sobre a
Amostra – 47 adultos (45 composição corporal, estado
mulheres, 2 homens). de saúde, e postura são
mais limitada e podem ser
difíceis de estabelecer.
BARRA E Objetivo – verificar os efeitos Intervenção – 36 sessões de 1 - Conclui-se que após 32
ARAÚJO do Método Pilates sobre a Método Pilates. sessões de treinamento a
2007 flexibilidade. prática do MP é capaz de
Amostra – 20 mulheres com promover um ganho
idade média de 34 anos. significativo da flexibilidade.

ROSA E Objetivo – verificar a Intervenção – praticantes de 1 - há ganho de flexibilidade


LIMA 2009 relação entre a flexibilidade, Pilates há pelo menos 3 com o Pilates
sobretudo da musculatura meses, no mínimo 2 vezes 2 - não existe correlação
lombar inferior e posterior da por semana. com a intensidade da dor
coxa, e a presença de provocada por lombalgia.
lombalgia em praticantes
de pilates.
Amostra – 30 indivíduos, de
ambos os sexos (7 homens e
23 mulheres)

CONCLUSÃO de forma mais homogenia em relação a sexo e


idade.
Dos sete estudos, seis apresentaram
aspectos positivos demonstrando que o efeito REFERÊNCIAS
dos programas de exercícios foram positivos,
mostrando-se eficiente, para o aumento da 1- Barra, B.S.; Araújo, W. B. O efeito do
flexibilidade e melhora na qualidade de vida, método Pilates no ganho da flexibilidade.
entre outros ganhos como fortalecimento Monografia apresentada à Faculdade de
muscular, melhora do sono e do humor. Porém Ciências Aplicadas “Sagrado Coração” –
em relação a dor lombar e o ganho de UNILINHARES como requisito parcial para a
flexibilidade se mostrou neutro. obtenção do grau de Bacharéis em Educação
Faltam pesquisas sobre o Método Física. Linhares, 2007.
Pilates e seus efeitos, porém sugere-se futuros
estudos e que as amostras sejam compostas 2- Barbosa, A.C. et al. Efetividade do método
pilates de solo no aumento da flexibilidade,

Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício, São Paulo, v.6, n.31, p.25-31. Jan/Fev. 2012. ISSN 1981-9900.
30
Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício
ISSN 1981-9900 versão eletrônica
P e r i ó d i c o do I n s t i t u t o B r a s i l e i r o d e P e sq u i s a e E n si n o e m F i s i o l o gi a do E x e r c í c i o
w w w . i b p e f e x . c o m . b r / w w w . r b p f e x . c o m . b r

Rev Terapia Manual; v.7, n.29, p.21-26, jan.- pain? Journal of Sport Rehabilitation, v.15, n.4,
fev., 2009. p.338-350, 2006

3- Bertolla, F. et al. Efeito de um programa de 12- Kolyniak, I. E.G.; Cavalcanti, S. M. B.;


treinamento utilizando o método Pilates na Aoki, M. S. Avaliação isocinética da
flexibilidade de atletas juvenis de futsal, Rev musculatura envolvida na flexão e extensão do
Bras Med Esporte, v.13, n.4, p.222-227, tronco: efeito do método Pilates, Rev Bras
Niterói, July/Aug., 2007. Med Esporte, v.10, n.6, p.11, Niterói Nov/Dec.
2004.
4- Campigotto, J.; Hulse, L.Z.S. A eficácia do
método de Pilates com bola no tratamento de 13- De Lara, L. et al. Efeito da prescrição de
mulheres portadoras de lombalgia. Trabalho Pilates na reabilitação da tendinite patelar:
de conclusão de curso apresentado ao curso estudo de caso, Rev Cinergis, v. 10, n. 2, p.
de Fisioterapia da Universidade do Sul de 28-34 Jul/Dez, 2009.
Santa Catarina, Tubarão, 2010.
14- Liberali, R. Metodologia Científica Prática:
5- Carvalho, C.M. et al. A influência dos um saber-fazer competente da saúde à
exercícios do método Pilates na flexibilidade educação. 2ª ed rev ampl, Florianópolis:
de mulheres, efdeportes.com Revista Digital, - Postmix, 2011, 206p.
Año.14, n. 139, Buenos Aires, Diciembre,
2009. 15- Macêdo, L.C. et al. Alterações imediatas
da flexibilidade global mediante protocolo
6- Costa, L.O.P. et al. Efeitos do aquecimento quiropráxico, Rev Terapia Manual; ed.26 n.6,
por ultra-som e atividade física aeróbica na p.201-205, Jul.ago. 2008.
flexibilidade do tríceps sural humano – um
estudo comparativo, Rev Fisioterapia em 16- Menacho, M.O. et al. Electromyographic
Movimento, v.19, n.2, p. 19-24, Curitiba, effect of mat Pilates exercise on the back
abr./jun., 2006. muscle activity of healthy adult females.
Journal of Manipulative and Physiological
7- Curi, V.S. A Influência do Método Pilates Therapeutics, v.33, n.9, p.672-678, Nov-Dec,
nas Atividades de Vida Diária de Idosas. 2010.
(Dissertação) Mestrado em Gerontologia
Biomédica. Pós graduação em Gerontologia e 17- Miguel A, JR. Método Pilates – Benefícios
Biomédica, PUCRS, p.68, Porto Alegre, 2009. para terceira idade. Revista Pilates, Abril,
2007.
8- English, T.; Howe, K. The effect of pilates
exercise on trunk and postural stability and 18- Muscolino, J.E.; Cipriani, S. Pilates and the
throwing velocity in college baseball pitchers: “powerhouse”, J bodywork and movement
single subject design. North American Journal therapies, v.8, 15-24, January, 2004.
Of Sports Physical Therapy, v.2, n.1, p.8-21,
February, 2007. 19- Pires, D.C.; Sá, C.K.C. Pilates: notas sobre
aspectos históricos, princípios, técnicas e
9- Eyigor, S. et al. Effects of pilates exercises aplicações, Revista Digital efdeportes.com,
on functional capacity, flexibility, fatigue, Buenos Aires, año 10, n.91, p.6, Diciembre,
depression and quality of life in female breast 2005.
cancer patients: a randomized controlled
study. European Journal of Physical and 20- Quadros, D.L.T.; Furlanetto, M.O. Efeitos
Rehabilitation Medicine, v.46, n. 4, p.481-487, da intervenção do pilates sobre a postura e a
Italy, Dec, 2010. flexibilidade em mulheres sedentárias. XII
Congresso de Ciências do Desporto e
10- Galindo, T.G.A.; Espinoza, S.A.S. Exercise Educação Física dos Países de Língua
programs in mechanical-postural lumbalgia, Portuguesa XII PALOPS, Porto Alegre, 2008.
Revista Mexicana de Medicina Física y
Rehabilitación, v. 21, n.1, p. 11-19, 2009. 21- Rosa, H.L.; Lima, J.R.P. Correlação entre
flexibilidade e lombalgia em praticantes de
11- Gladwell, V. et al. Does a program of Pilates, R. Min. Educ. Fís., v. 17, n. 1, p. 64-
Pilates improve chronic non-specific low back 73, Viçosa, 2009.

Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício, São Paulo, v.6, n.31, p.25-31. Jan/Fev. 2012. ISSN 1981-9900.
31
Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício
ISSN 1981-9900 versão eletrônica
P e r i ó d i c o do I n s t i t u t o B r a s i l e i r o d e P e sq u i s a e E n si n o e m F i s i o l o gi a do E x e r c í c i o
w w w . i b p e f e x . c o m . b r / w w w . r b p f e x . c o m . b r

22- Sacco, I.C.N. et al. Método pilates em 1- Universidade Gama Filho (UGF)
revista: aspectos biomecânicos de
movimentos específicos para reestruturação E-mail:
postural – Estudos de caso. Rev Bras Ci e renataavaz@yahoo.com.br
Mov, v.13, n.4, p. 65-78, 2005. rafascampeche@ig.com.br
ticianecruz@gmail.com
23- Segal, N. A.; Hein, J.; Basford,J. R. The inesartaxo@gmail.com
Effects of Pilates Training on Flexibility and
Body Composition: An Observational Study.
Arch Phys Med Rehabil, v.85, p.1977-1981, Recebido para publicação em 22/01/2012
December, 2004. Aceito em 12/02/2012

24- Sekendiz, B. et al. Effects of Pilates


exercise on trunk strength, endurance and
flexibility in sedentary adult females. Journal
of Bodywork and Movement Therapies, v.11,
n.4, p.318–326, October, 2007.

25- Silva, M.C.F. et al. O efeito do treinamento


utilizando o método pilates sobre a
flexibilidade de musculatura posterior de coxa.
Rev. Terapia Manual; ed.31, n.7, p. 161-167,
maio-jun, 2009a.

26- Silva, Y.O. et al. Análise da resistência


externa e da atividade eletromiográfica do
movimento de extensão de quadril realizado
segundo o método Pilates. Rev bras fisioter,
v.13, n.1, São Carlos, Jan./Feb, 2009b.

27- Souza, F.S.P., Andrade, E.R., Forti, E.M.P.


Avaliação da força muscular respiratória de
mulheres praticantes do método pilates, 8º
Congresso de Pós-Graduação UNIMEP,
outubro, 2010.

28- Souza, M.V.S., Vieira, C.B. Who are the


people looking for the Pilates method? J
bodywork and movement therapies, v. 10, p.
328-334, October, 2006.

29- Viti, P. P.; Lucareli, P., Avaliação postural


antes e após 75horas/aulas do método Pilates
em fisioterapeutas e educadores físicos.
Trabalho de Conclusão do Curso de
Graduação em Fisioterapia do Centro
Universitário São Camilo, p.52, São Paulo,
2006.

30- Witvrouw, E. et al. Muscle flexibility as a


risk factor for developing muscle injuries in
male professional soccer players. A
prospective study, The American Journal of
Sports Medicine, v. 31, n. 1, p. 41-46, Jan-Feb,
2003.

Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício, São Paulo, v.6, n.31, p.25-31. Jan/Fev. 2012. ISSN 1981-9900.