Você está na página 1de 1

Dicas para usuários, técnicos e professores de Informática por Moisés André Nisenbaum pesquisar

Clássica Flipcard Revista Mosaico Menu Lateral Fotografia Linha Do Tempo

AUG
AUG EUI-64
Instalação do EVE-NG no ESXi - passo a passo
13 19 Quando o sistema operacional precisa auto-atribuir um valor para o ID de interface (parte de host) para um endereço
O vídeo tutorial de instalação está em http://www.eve-ng.net/documentation/installation/virtual-machine-install , mas
IPv6 em alguma interface ethernet, no Linux, Mac, cisco IOS e muitos outros sistemas operacionais (Windows não), é
iremos fazer aqui o passo a passo simplificado.
utilizado o EUI-64.
Consiste em pegar os 48 bits do endereço MAC da placa de rede, fazer um "enxerto" de 16 bits e conseguir os 64 bits
1) Baixar o EVE-NG OVA em http://www.eve-ng.net/downloads/eve-ng-2
para o ID de interface.
2) Baixar o Cliente em http://www.eve-ng.net/downloads/windows-client-side-pack
Isso é feito da seguinte maneira:
3) Crie uma nova máquina virtual, baseada em imagem OVA.
4) Importante: altere o tipo de "Disk provisioning" para "Thick".
1) Enxerto de FF:FE no meio do endereço MAC
5) Desmarque a opção "Power on automatically".
2) Inverter o 2o bit menos significativo do 1o octeto.
6) Next. Finish. O processo de importação pode demorar um pouco.
7) Edite as configurações da máquina virtual e, em CPU, verifique se "Expose hardware assisted virtualization to the
Exemplo:
guest OS" está marcado. Tem que estar habilitado.
8) Ligar a máquina virtual.
Endereço MAC: 00E0.F74D.4B98
9) Login: root ; senha: eve
Enxerto com FF:FE: 00E0:F7FF:FE4D:4B98
10) MANTENHA a senha = eve
Inverter o 2o bit: 02E0:F7FF:FE4D:4B98
11) Faça as demais configurações de endereço IP. Recomenda-se não usar DHCP
12) Se errar as configurações, para rodar o setup again basta apagar um arquivo. Para isso, execute o comando (3a
Mas o que é esse tal de 2o bit menos significativo do 1o octeto?
FAQ em: http://www.eve-ng.net/faq)
Quando é 0 significa que o MAC address é universal, tem abrangência global, tem que ser único.
rm -f /opt/ovf/.configured
Quando é 1 significa que o MAC é local, tem abrangência local, ou seja, pode até ser usado em mais de uma placa de
reboot
rede.
13) Atualize o sistema:
ref: https://en.wikipedia.org/wiki/MAC_address#Universal_vs._local
apt-get update
apt-get upgrade
Este 2o bit só pode ser 1 em MACs emulados por software. Toda placa de rede real tem que ter gravado em hardware
14) Teste a plataforma acessando via browser o endereço IP do EVE.
2o bit igual a 0.
Login: admin ; senha: eve
Então, na maioria absoluta dos casos
Moisés Andrépráticos este
Nisenbaum. Tema2o bit será 0.
Visualizações dinâmicas. Tecnologia do Blogger.

Um pouquinho de matemática binária:


1) 2o bit menos significativo do 1o octeto do endereço estará no 2o algarismo Hexa, será o 2o bit dele.
2) Os valores hexa possíveis com o o 2o bit = 1 são: 0, 1 , 4, 5 , 8, 9, C e D.
Entretanto, os valores ímpares não são usados (não sei porque).
Então, os valores do 2o hexa são: 0, 4, 8 e C
Portanto TODOS MACs registrados têm obrigatoriamente estes valores no 2o algarismo hexa mais significativo.
Confira em: https://gist.github.com/aallan/b4bb86db86079509e6159810ae9bd3e4
3) Para inverter este segundo bit, basta adicionar duas unidades
0 --> 2
4 --> 6
8 --> A
C --> E

Então fica fácil agora fazer de cabeça o EUI-64 quando o MAC for universal:
1) Enxerto de FF:FE no meio do endereço MAC
2) Somar duas unidades ao 2o algarismo hexa mais significativo.

Quando o MAC for local, você deve diminuir duas unidades.


Exemplo:
MAC: AABB.CC00.0200
EUI-64: A8BB:CCFF:FE00:0200

Postado há 4 weeks ago por Moisés André Nisenbaum

0 Adicionar um comentário

Digite seu comentário...

Comentar como: Conta do Goog

Publicar Visualizar

AUG Esclarecendo a nomenclatura NAT


13 Sopa de letrinhas: Inside local, Inside global, Outside local e Outside global.
O que vem a ser isso?
Como NAT é uma tradução de endereços, uma mesma máquina pode ser vista com endereços IPs diferentes,
dependendo do ponto de vista. Esta classificação visa organizar esta bagunça.

1) Classificação das redes


Rede Inside = LAN de SUA empresa
Rede Outside = qualquer outra rede.

2) Classificação do referencial
Endereço Local: atrás do NAT (normalmente endereços privados)
Endereço Global: na Internet (endereços públicos)

3) Juntando estes dois conceitos, chegamos à nossa sopa de letrinhas:


Imagine o caso mais geral em que a sua empresa está atrás de uma NAT e o servidor externo também está atrás de um
outro NAT

Inside local: Endereço privado da SUA empresa.


Inside global: Endereço público da SUA empresa.
Outside local: Endereço privado do servidor externo (na rede dele).
Outside global: Endereço público do servidor externo.

Postado há 4 weeks ago por Moisés André Nisenbaum

0 Adicionar um comentário

AUG Configurando um ambiente básico de programação no Windows, Mac ou Linux


10

Difícil instalar um ambiente de programação básico (Python, Git, etc.) no Windows?

Seus problemas acabaram!

O DevNet oferece um mini curso com o passo a passo:

Curso em vídeo: https://youtu.be/qVdaPeGiHI8

Curso no DevNet: https://developer.cisco.com/learning/lab/dev-win/step/1

Instalação no Mac e no Linux: https://developer.cisco.com/learning-labs/setup/

Postado há 4 weeks ago por Moisés André Nisenbaum

0 Adicionar um comentário

AUG Comunicação Fim a Fim na camada de transporte


9

Já se deparou com uma figura parecida com esta?

O que vem a ser essa tal de comunicação "fim a fim" da camada de transporte?
Isto é mais crítico em TCP do que UDP.
O estabelecimento de uma sessão TCP se dá entre dois soquetes (endereço-IP:porta).
Então, o que importa é o endereço IP e a porta das pontas, ou seja, independe da rota (camadas inferiores).
O que faz perfeitamente possível a comunicação ocorrer, por exemplo, por caminhos diferentes na ida e na volta. Ou
ainda, durante a comunicação, em uma mesma sessão, as rotas podem ser várias. Então não há problema algum fazer,
por exemplo, balanceamento de carga. Ele ocorre nas camadas 2 e 3. A camada de transporte fica tranquilinha.

Isto pode ser um problema em topologias que usam NAT (ou seja, praticamente todas no mundo!).
Com o NAT não existe estabelecimento de sessão fim a fim.

O estabelecimento da sessão se dá entre o roteador de borda e o destino. Mas o roteador de borda é o MEIO do
caminho, não é o fim! Se houver, por exemplo, um balanceamento de carga e o segmento ir por um caminho e voltar por
outro, dá problema....

Mas há como contornar isso, é claro.

Mas isso fica para outro post...

Postado há 4 weeks ago por Moisés André Nisenbaum

0 Adicionar um comentário

APR Como ZERAR as configurações um roteador Cisco sem saber a senha


30 Comprou um roteador usado e ele veio com senha? Abaixo o passo a passo para zerar seu roteador.
Mas atenção: as configurações do roteador serão totalmente apagadas!!!
Se você quiser recuperar a senha sem apagar as configurações, consulte o link abaixo:
https://www.cisco.com/c/pt_br/support/docs/routers/3800-series-integrated-services-routers/112058-c1900-pwd-rec-
00.html

Passo a passo para ZERAR um roteador Cisco.

Atenção: todas as configurações serão APAGADAS

1) Conecte seu computador à entrada Console do roteador utilizando o cabo apropriado.


2) Abra o Putty
3) Ligue o roteador. Durante o processo de boot, pressione as teclas CTRL+Break. O sistema vai entrar no modo
ROMMON apresentando o seguinte prompt:

monitor: command "boot" aborted due to user interrupt


rommon 1 >
rommon 1 >

4) Digite os seguintes comandos:

confreg 0x2142
reset

O sistema irá reinicializar e não vai ler o arquivo de configuração. Ou seja, o roteador vai dar boot sem pedir a senha.

5) No roteador, apague o arquivo de configuração, por meio do seguinte comando:

Router# erase startup-config

6) Agora você deve retornar o valor do registro para o padrão, salvar a configuração e dar um reload:

Router#conf t
Router(config)#config-register 0x2102
Router(config)#end
Router#wr
Router#reload

Pronto!!! Seu roteador está ZERADO.

Postado há 30th April por Moisés André Nisenbaum

0 Adicionar um comentário

APR Como instalar o EVE-NG para estudos do CCNA&CCNP - passo a passo


6
O que é EVE-NG?
EVE-NG é uma plataforma na qual rodam Emuladores de hardware de rede.

Site oficial do EVE-NG: https://www.eve-ng.net/

Há duas versões do EVE:


FREE EVE Community Edition = gratuita
Eve Professional = paga

Neste tutorial iremos usar a versão FREE EVE Community Edition.

Instalação do EVE-NG no Windows


Referência: https://youtu.be/nia7BEQEOHk

1) Requisitos recomendados de Hardware


Processador: 4 ou mais núcleos lógicos - série AMD-V / RVI ou Intel VT-X / EPT

Memória RAM: 8 Gb (mínimo 4Gb).

Referência: https://www.eve-ng.net/documentation/installation/system-requirement

2) Componentes da Instalação
O EVE-NG é uma máquina virtual Linux.
O acesso do usuário ao EVE-NG é via navegador Web (Chrome, Firefox., etc).
É recomendado, no entanto, a instalação do EVE Client para integração de outros programas ao browser, como o Putty
e Wireshark

3) Instalação da Máquina Virtual

3.1. Crie um login em my.vmware.com

3.2. Baixe e instale o seguinte programa:

- VMWare Workstation Player

3.3. Baixe a máquina virtual (VM) do EVE-NG OVA

3.4. Adicione a VM do EVE-NG ao VMWare Workstation

- Abra o VMWare Player


- Clique "Open a Virtual Machine"
- Localize e abra o arquivo EVE Community VM.ova e clique "Import"

3.5. Pode iniciar agora a Máquina Virtual

Se tudo correr bem, aparecerá uma tela com as seguintes informações:

Anote o endereço IP que aparece na tela (certamente vai ser diferente deste).

4) Instalação do Cliente Windows


Baixe e instale o EVE Client (Windows integration pack)

5) Primeiro acesso e teste

5.1. Abra o navegador e acesse o endereço IP do EVE.

Efetue login usando as credenciais: admin/eve

5.2. Crie um lab de teste

Clique "Add New Lab"

Preencha o campo "Name" e clique "Save"

Vai abrir o ambiente de trabalho.

Adicione dois VPCSs à topologia:


- Clique em "+" --> Add an Object --> Node
- Clique na última opção "Virtual PC (VPCS)
- Coloque "2" em "Number of Nodes to add e clique "Save"

- Arraste o cabo de um PC para o outro e aceite a conexão default.

- Use o menu "More Actions" --> Start all nodes

- Abra a console do PC-1. É só clicar uma vez em cima dele que vai aparecer uma mensagem do Browse para abrir o
cliente de telnet. Clique "Abrir".
Se isso não acontecer, reinstale o cliente EVE

- Digite o seguinte comando no putty do PC-1:


PC-1> ip 192.168.1.1
- O sistema deverá responder:
Checking for duplicate address...
PC1 : 192.168.1.1 255.255.255.0

- Digite o seguinte comando no putty do PC-2:


PC-2> ip 192.168.1.2
- O sistema deverá responder:
Checking for duplicate address...
PC1 : 192.168.1.2 255.255.255.0

- Agora faça o teste de ping:


PC-2> ping 192.168.1.1
- O sistema deverá responder:
84 bytes from 192.168.1.1 icmp_seq=1 ttl=64 time=0.338 ms
84 bytes from 192.168.1.1 icmp_seq=2 ttl=64 time=2.621 ms
84 bytes from 192.168.1.1 icmp_seq=3 ttl=64 time=0.961 ms
84 bytes from 192.168.1.1 icmp_seq=4 ttl=64 time=0.561 ms
84 bytes from 192.168.1.1 icmp_seq=5 ttl=64 time=0.256 ms

Maravilha! Tudo funcionando!!!!

- Desligue os dois PCs: menu More Actions --> Stop all nodes

- Feche o lab: menu "Close Lab"

Repare que seu lab ficou salvo no servidor e aparece agora na tela, caso queira usá-lo novamente.

5.3. Como desligar e reiniciar a VM

É muito importante desligar corretamente a VM depois que terminar de usar.


Para isso:

- Acesse a Console do EVE-NG e execute os seguintes comandos:

Para desligar a VM:


init 0

Para reiniciar a VM
init 1

6) Instalação das Imagens da Cisco


Atenção! A Cisco NÃO permite adicionar suas imagens do IOS ao EVE-NG. Portanto, se você fizer isso, saiba
que estará infringindo as regras de copyright da empresa.

Você vai seguir as mesmas instruções para instalação das appliances da Cisco. Entretanto, por questões legais, ficará
por sua conta e risco procurar e baixar suas respectivas imagens.

As imagens testadas e validadas pelo EVE-NG estão em:


https://www.eve-ng.net/documentation/supported-images

- Localize e baixe pelo menos uma imagem das seguintes IOU-L2, IOU-L3, IOSv-L2 e IOSv-L3

6.1. Acessando a Console do EVE-NG

- Acesse o console do EVE-NG via o VMWare Workstation Player.

- Login: root ; senha: eve

- Vai abrir um assistente perguntando a nova senha do root. Importante, digite "eve", ou seja, mantenha a mesma
senha. O restante é ir só dando Ok nas opções default. O sistema vai reiniciar.
Este assistente só vai aparecer no 1o acesso.
Se precisar do assistente novamente para configurar endereço IP ou outro parâmetro, basta excluir o arquivo de
configuração digitando os comandos abaixo
root@eve-ng:~# rm -f /opt/ovf/.configured
root@eve-ng:~# reboot

- De agora em diante, sempre que precisar da console, faça acesso via SSH usando o Putty (para poder copiar e colar
os comandos).

6.2. Instalação das imagens

A documentação para a instalação das imagens suportadas pelo EVE está em:
https://www.eve-ng.net/documentation/howto-s

Vamos colocar aqui apenas o passo a passo para as imagens IOU e IOSv

- Baixe e instale o WinSCP. Será necessário para transferir as imagens para o EVE via SFTP.

6.3. Instalando as imagens IOSv L2 e L3

Referência: https://www.eve-ng.net/documentation/howto-s/62-howto-add-cisco-iou-iol

- Acesse o serviço SFTP do EVE via WinSCP

- Transfira as imagens IOU para a seguinte pasta:


/opt/unetlab/addons/iol/bin/

- Acesse agora a Console do EVE e digite o comando;


/opt/unetlab/wrappers/unl_wrapper -a fixpermissions

- Agora vamos adicionar a chave de licença, executando os seguintes comandos:


Para baixar o script:
cd
wget http://www.ipvanquish.com/download/CiscoIOUKeygen3f.py

Executar o script:
python3 CiscoIOUKeygen3f.py

O arquivo iorc.txt foi gerado. Basta copiá-lo agora para o local correto:
cp iourc.txt /opt/unetlab/addons/iol/bin/iourc

- Entre na interface WEB do EVE e verifique se o nó Cisco IOL está liberado para uso (talvez seja necessário efetuar
logoff e logon no EVE para recarregar a lista).
- Talvez seja necessário alterar o ícone do IOU L2 (ele coloca por default o ícone de um roteador).

6.4. Instalando as imagens IOSv

Referência: https://www.eve-ng.net/documentation/howto-s/121-howto-add-images-from-virl

Existem dois tipos de imagem VIRL:


Outra com a extensão ".qcow2" --> instalação direta
Uma sem extensão que é a do tipo "vmdk" --> precisa converter para qcow2

- Acesse o serviço SFTP do EVE via WinSCP

- Navegue até a pasta:


/opt/unetlab/addons/qemu/

- Crie subpastas com o nome igual aos das imagens


- As imagens L2 devem começar com "viosl2-"
- As imagens L3 devem começar com "vios-"
- Retire o "_" se for necessário.
- O nome da pasta não precisa ter ".qcow2" no final, pode retirar.

Exemplos:
Se o nome de sua imagem é:
vios_l2-adventerprisek9-m.03.2017.qcow2
então o nome da pasta deverá ser:
viosl2-adventerprisek9-m.03.2017

Se o nome de sua imagem é:


vios-adventerprisek9-m.vmdk.SPA.156-1.T
então o nome da pasta deverá ser:
vios-adventerprisek9-m.vmdk.SPA.156-1.T

- Transfira as imagens via SFTP para suas respectivas pastas

- Fixar permissões:

/opt/unetlab/wrappers/unl_wrapper -a fixpermissions

Caso 1: as imagens já são qcow2. É só renomear.

- Renomeie os arquivos de imagem para:


virtioa.qcow2

Desta forma, todas as imagens vão ficar com o mesmo nome, nas suas respectivas pastas.

Caso 2: as imagens são vmdk. Precisa converter por meio do comando:

cd /opt/qemu/<nome da imagem>
/opt/qemu/bin/qemu-img convert -f vmdk -O qcow2 <nome da imagem> virtioa.qcow2

- Fixar permissões:

/opt/unetlab/wrappers/unl_wrapper -a fixpermissions

- Entre na interface WEB do EVE e verifique se o nó "Cisco vIOS" e "Cisco vIOS L2" estão liberados para uso (talvez
seja necessário efetuar logoff e logon no EVE para recarregar a lista).

- Você pode apagar agora as imagens vmdk originais. A maneira mais fácil de fazer isso é com o WinSCP.

Pronto!!! Já pode usar!!!

6.5. Opcional: instalando imagens Dynamips

Referência: https://www.eve-ng.net/documentation/howto-s/64-howto-add-dynamips-images-cisco-ios

O Dynamips emula os processadores usados nos roteadores da Cisco.


Assim, você pode usar as mesmas imagens IOS usadas em roteadores reais.
Não há suporte para switches via Dynamips.

Passo a passo:

- Verifique na referência as imagens suportadas e baixe-as.


- Use o WinSCP para copiar as imagens ".bin" para a pasta:
/opt/unetlab/addons/dynamips/
- Use a console para descompactar cada uma das imagens por meio do comando:
unzip -p nome_da_imagem.bin > nome_da_imagem.image

Exemplo:
unzip -p c1710-bk9no3r2sy-mz.124-23.bin > c1710-bk9no3r2sy-mz.124-23.image

Para este exemplo, a seguinte saída apareceria:


warning [c1710-bk9no3r2sy-mz.124-23.bin]: 28840 extra bytes at beginning or within
zipfile
(attempting to process anyway)

- Entre na interface WEB do EVE e verifique se o nó "Cisco IOS 1710", "Cisco IOS 3725" e "Cisco IOS 3206VXR" estão
liberados para uso.

- Você pode apagar agora as imagens .bin originais. A maneira mais fácil de fazer isso é com o WinSCP.

- Existe um processo de otimização do uso da CPU da VM descrito na referência. Você pode fazer isso opcionalmente
se reparar que os roteadores dynamips estão consumindo muita CPU.

7) Atualizando o EVE-NG

Referência: https://www.eve-ng.net/community/community-2
Atualizar o EVE-NG é muito simples:

- Efetue login na console do EVE-NG


- Execute os comandos:

apt-get update

apt-get upgrade

Se durante a atualização surgir alguma pergunta, sempre dê "Enter" aceitando a resposta padrão.

reboot

8) Aumentando o espaço em disco do EVE-NG

Referência: https://www.eve-ng.net/documentation/howto-s-2/88-howto-expand-filesystem-on-eve-vm

A imagem padrão do EVE-NG vem com 40Gb. Deve ser mais do que o suficiente para rodar as atividades práticas do
CCNA e CCNP. Entretanto, se você precisar de mais espaço para instalar mais imagens, você deve ADICIONAR um
Hard Disk virtual.
Importante: NUNCA expanda o disco existente. Isto causaria dano irreversível na VM.

Passo a passo:
- Desligue a VM (executando o comando init 0 na console)
- Abra o VMWare Player
- Clique "Edit Virtual Machine Settings" da VM do EVE
- Clique "Add" --> Hard Disk --> Next --> Next --> Next
- Na próxima tela, defina o tamanho do HD e escolha "Store as single file" e clique "Next"

- Depois clique "Finish"


- Clique Ok para fechar a janela e inicie a VM
- O EVE-NG vai detectar automaticamente o disco e vai fazer com que o sistema integre os dois discos. O Linux vai
considerar apenas um disco com a soma dos tamanhos dos HDs da máquina virtual.

Só isso.
Opcional: verifique o novo tamanho do disco por meio do comando na console: df -h

Postado há 6th April por Moisés André Nisenbaum

1 Visualizar comentários

MAR Como instalar o GNS3 para estudos do CCNA&CCNP - passo a passo


30
O que é GNS3?
GNS3 é uma plataforma na qual rodam Emuladores de hardware de rede.

Site oficial do GNS3: www.gns3.com

Instalação do GNS3 no Windows


Referência: https://docs.gns3.com/11YYG4NQlPSl31YwvVvBS9RAsOLSYv0Ocy-uG2K8ytIY/index.html

1) Requisitos recomendados de Hardware


Processador: 4 ou mais núcleos lógicos - série AMD-V / RVI ou Intel VT-X / EPT

Memória RAM: 8 Gb (mínimo 4Gb).

2) Componentes da Instalação
O GNS3 é composto por duas partes: (1) Máquina Virtual; (2) Interface Gráfica.

3) Instalação da Máquina Virtual

3.1. Crie um login em my.vmware.com

3.2. Baixe e instale os seguintes programas:

- VMWare Workstation Player

- VMWare VIX

3.3. Crie um login em gns3.com

3.4. Baixe a máquina virtual (VM) do GNS3 - "VMware Workstation and Fusion"

3.5. Adicione a VM do GNS3 ao VMWare Workstation

- Descompacte o arquivo baixado em 3.4.


- Abra o VMWare Player
- Clique "Open a Virtual Machine"
- Localize e abra o arquivo GNS3 VM.ova e clique "Import"
- NÃO inicialize ainda a VM.

3.6. Edite as Configurações da VM

- Clique "Edit virtual machine settings


- Ajuste a Memória RAM para 4096 Mb (mantenha 2048 Mb se sua máquina tiver só 4Gb).
- Importante! Em "Processors" ajuste:
Number of processor cores = 4
Marque a checkbox: "Virtualize Intel VT-x/EPT or AMD-V/RVI"
- Não mexa nas outras configurações e clique OK

3.7. Pode iniciar agora a Máquina Virtual

Se tudo correr bem, a seguinte tela aparecerá:

- Se o KVM Support não estiver TRUE, desligue a máquina virtual e confira o item 3.6
- Anote o endereço IP da sua VM.
- Mantenha a VM Ligada

4) Instalação da GUI (Interface Gráfica) do GNS3

4.1. Efetue login em www.gns3.com

- Baixe e instale o GNS3 for Windows


- A instalação é um "bundle", ou seja, vários programas serão instalados. Não instale o "Solar Putty".

- No final da instalação, clique em "no" para "Solarwinds Standard Toolset"

4.2. Execute e configure o GNS3

Na 1a execução vai abrir o "Setup Wizard".


Se fechou sem querer, você pode usar o menu Help --> Setup Wizard.
Você pode escolher a 1a ou a 3a opção.
Nós recomendamos a 1a opção (passo a passo 4.2.1)

4.2.1. Escolhendo a 1a opção (recomendada).

- Marque a 1a opção e clique "Next"

- Aceite as configurações padrão para "Local Server Configuration e clique "Next"

- Se tudo correr bem, aparecerá a tela abaixo. Clique "Next"

- A próxima tela que aparece é a da máquina virtual GNS3. Certifique-se que a VM certa está configurada (se você só
tem uma VM instalada, vai estar correto :-). Ajuste a quantidade de memória RAM. Se seu computador tiver 8Gb ou
mais, ajuste para 4096 Mb. Caso contrário, use 2048 Gb.
Clique "Next"

- Finalmente, clique "Finish"

- Cancele a próxima tela de configuração de imagens.

- Pule agora para a etapa 4.3 (NÃO execute a etapa 4.2.2)

----------------------------------------------------------

4.2.2. Escolhendo a 3a opção (pule esta etapa se você já escolheu a 1a opção).

- Atenção, somente escolha a 3a opção se você for usuário avançado ou se a 1a opção estiver dando
problemas. Se não for este o caso, escolha a 1a opção (passo a passo 4.2.2.1).

- Marque a 3a opção e clique "Next"

- Insira o endereço IP da máquina virtual que você anotou no item 3.7 (atenção, VAI ser diferente do que está na
figura!!), certifique-se que a autenticação está desmarcada e clique "Next"

- Na última tela, clique "Finish"

- Cancele a próxima tela de configuração de imagens.

------------------------------------

4.3. Teste o GNS3

- Feche e abra o GNS3. Se não deu erro, está tudo Ok.


- Dê um nome para seu novo projeto e clique Ok.
- Clique em "Browse end Devices" e adicione duas VPCSs à topologia. Conecte as duas por meio de um cabo.

- Clique na seta verde na barra de ícones ("Start/Resume all nodes")


- Dê dois cliques no PC-1 e no PC-2. Deverá abrir duas telas do Putty (pode demorar um pouquinho na 1a vez).
- Digite o seguinte comando no putty do PC-1:
PC-1> ip 192.168.1.1
- O sistema deverá responder:
Checking for duplicate address...
PC1 : 192.168.1.1 255.255.255.0

- Digite o seguinte comando no putty do PC-2:


PC-2> ip 192.168.1.2
- O sistema deverá responder:
Checking for duplicate address...
PC1 : 192.168.1.2 255.255.255.0

- Agora faça o teste de ping:


PC-2> ping 192.168.1.1
- O sistema deverá responder:
84 bytes from 192.168.1.1 icmp_seq=1 ttl=64 time=0.338 ms
84 bytes from 192.168.1.1 icmp_seq=2 ttl=64 time=2.621 ms
84 bytes from 192.168.1.1 icmp_seq=3 ttl=64 time=0.961 ms
84 bytes from 192.168.1.1 icmp_seq=4 ttl=64 time=0.561 ms
84 bytes from 192.168.1.1 icmp_seq=5 ttl=64 time=0.256 ms

Maravilha! Tudo funcionando!!!!

Importante: Antes de executar o GUI do GNS3, execute a VM do GNS3.


Quando terminar de usar o GNS3, desligue a VM (tem que dar Enter na tela inicial e depois, com as setas, selecionar
"Shutdown" e dar Enter).

4.4. Processo de instalação de equipamentos virtuais no GNS3

O GNS3 vem com diversos equipamentos pré-instalados. Você pode adicionar vários outros de uso livre, são as
chamadas "appliances". O processo de instalação das appliances é bem simples. Vou mostrar agora como adicionar um
roteador Microtik, que é de uso livre. O mesmo procedimento vale para quaisquer outros dispositivos.

- Em um projeto aberto, clique em "Browse Routers"


- Selecione "Available appliances"
- Arraste MicroTik CHR para o o workspace. Vai abrir um assistente.

- Clique "Next" 3 vezes.


- A próxima tela é para selecionar a imagem. Selecione a mais recente e clique "Download"
- Baixe o arquivo e descompacte-o
- Clique agora em "Import", localize a imagem que você descompactou, Selecione e clique "Open".
- A imagem agora vai aparecer "Ready to Install". Selecione-a e clique "Next", Yes, Next, Next e Finish.

Prontinho. Agora o roteador MicroTik vai aparecer na lista das "Installed Appliances".

4.5. Imagens da Cisco

Atenção! A Cisco NÃO permite adicionar suas imagens do IOS ao GNS3. Portanto, se você fizer isso, saiba que
estará infringindo as regras de copyright da empresa.

Você vai seguir as mesmas instruções para instalação das appliances da Cisco. Entretanto, por questões legais, ficará
por sua conta e risco procurar e baixar suas respectivas imagens.

Abaixo os nomes das imagens testadas e validadas pelo GNS3.

Cisco IOU L2

Cisco IOU L3

Cisco IOSv

Cisco IOS images for Dynamips

- Localize e baixe pelo menos uma imagem das seguintes IOU-L2, IOU-L3, IOSv-L2 e IOSv-L3

- Você vai precisar baixar também o seguinte arquivo: IOSv_startup_config.img (este é free).

- Siga o passo a passo do item 4.4 para instalar os roteadores (L3) e switches (L2).

4.6. Gerando a chave IOU

Para rodar as appliances com imagem IOU é necessária uma chave.


Passo a passo para gerar e instalar a chave.

- Acesse a VM GNS3 via SSH usando o Putty. O IP e a senha são mostrados na tela inicial da VM. Login/senha padrão
são: gns3/gns3
- Dê um Enter e entre na "Shell"
- Rode os seguintes comandos:
wget http://www.ipvanquish.com/download/CiscoIOUKeygen3f.py
python3 CiscoIOUKeygen3f.py

Copie o output do script, que deve ter o seguinte formato:


[license]
gns3vm = xxxxxxxxxxxxxxxx;

- É necessário agora reiniciar a GNS3VM. Você pode fazer isso com o seguinte comando:
sudo reboot
- Pode fechar o Putty agora.

- No GNS3 GUI, clique no menu Edit --> Preferences.


- Clique IOS on UNIX e cole o output que você copiou anteriormente. Clique OK.

Pronto. Agora você poderá usar os equipamentos virtuais da Cisco.

4.7. Upgrade do GNS3

Para atualizar o GNS3, você precisa:


1) Atualizar a GNS3 VM (Menu Upgrade).
2) Instalar a versão mais nova do GNS3 GUI.

Geralmente dá certo. Mas às vezes dá errado.


Infelizmente, o VMWare Player não permite gerar snapshots das VMs.
Mas você pode salvar os aquivos com extensão .vmdk (que são os discos rígidos virtuais) da VM que está funcionando
antes de efetuar o upgrade. Desta forma, se der algum problema, basta restaurar estes arquivos.

5) Disponibilizando sua VM para seus colegas de classe


Se por acaso o computador de um aluno não tiver os recursos de processamento suficientes para rodar o GNS3, ele
poderá usar a VM de um colega ou a do professor.
Abaixo o Passo a Passo.

5.1. Configuração do Servidor

É necessário alterar a placa de rede da VM de NAT para Bridged.


Passo a passo:
- Com a VM desligada, clique "Edit Virtual Machine Settings"
- Selecione "Network Adapter 2 NAT"
- Altere a configuração para "Bridged" e clique OK.

- Inicie a máquina virtual


- Faça acesso à Shell via SSH (como explicado no item 4.6)
- Digite o comando:

ifconfig

- Na saída, role para cima anote o endereço IP do adaptador eth1

eth1 Link encap:Ethernet HWaddr 00:0c:29:14:ec:ea


inet addr:X.X.X.X Bcast:10.10.9.255 Mask:255.255.255.0

Observação: se não aparecer endereço IP em eth1, provavelmente ele está lincado com o adaptador errado.
Solução:
- Verifique qual o adaptador do seu computador que está ligado na rede (cabeado o wireless).
- Desligue a VM e entre nas configurações do adaptador Bridged novamente (figura acima).
- Estabeleça o link correto clicando em "Configure Adapters" da figura acima.

5.2. Configuração do cliente

Na máquina que tem menos recursos:


- Instale APENAS o GNS3 GUI seguindo os passos do item 4)
- No item 4.2 coloque o endereço IP anotado no item anterior.

6) Para saber mais


O site do GNS3 www.gns3.com tem bastante documentação. Se tiver alguma dúvida, é muito provável que você
encontre a resposta por lá. Evite sites, blogs e vídeos de amadores.

Bons estudos!!!

Postado há 30th March por Moisés André Nisenbaum

0 Adicionar um comentário

MAR Amazon Linux no ESxi


23 Você pode instalar localmente o Amazon Linux como uma VM. Fica igual à EC2 e você pode fazer testes localmente.

Passo a passo:

Referência: https://docs.aws.amazon.com/pt_br/AWSEC2/latest/UserGuide/amazon-linux-2-virtual-
machine.html#amazon-linux-2-virtual-machine-prepare

1) Baixe a imagem do Amazon Linux:

https://cdn.amazonlinux.com/os-images/2.0.20190313/

2) Crie ou baixe a imagem seed.iso que irá conter o usuário e a senha e outras informações.

Passo a passo para criar seed.iso

Link github de uma imagem pronta com as credenciais abaixo:


https://github.com/horikeso/Amazon-Linux-2-seed.iso-for-local
https://github.com/horikeso/Amazon-Linux-2-seed.iso-for-local/archive/master.zip

user: ec2-user
pass: local

3) Importe a imagem OVA para o ESxi

4) Coloque o arquivo seed.iso no drive de CD (talvez seja necessário adicionar este hardware)

5) Agora é só dar boot e usar as credenciais. O CD só precisa no 1o boot. Depois pode tirar.

Postado há 23rd March por Moisés André Nisenbaum

0 Adicionar um comentário

MAR Moodle na AWS Cloud


23
Primeira configuração: 100% em uma EC2 Instance

1) Instalar o LAMP Server no Amazon Linux 2

https://docs.aws.amazon.com/AWSEC2/latest/UserGuide/ec2-lamp-amazon-linux-2.html

A instalação pode ser feita por script:

#!/bin/bash
yum update -y
amazon-linux-extras install -y lamp-mariadb10.2-php7.2 php7.2
yum install -y httpd mariadb-server
systemctl start httpd
systemctl enable httpd
usermod -a -G apache ec2-user
chown -R ec2-user:apache /var/www
chmod 2775 /var/www
find /var/www -type d -exec chmod 2775 {} \;
find /var/www -type f -exec chmod 0664 {} \;
echo "<?php phpinfo(); ?>" > /var/www/html/phpinfo.php
yum install php-mbstring -y
systemctl restart httpd
systemctl restart php-fpm

#Vai ficar faltando fazer "na mão":

Step 3: Secure the Database Server:


sudo systemctl start mariadb
sudo mysql_secure_installation

# No assistente, definir a senha de root e responder Y pra tudo

sudo systemctl enable mariadb

#Complemento da instalação do phpMyadmin:

cd /var/www/html
wget https://www.phpmyadmin.net/downloads/phpMyAdmin-latest-all-languages.tar.gz
mkdir phpMyAdmin && tar -xvzf phpMyAdmin-latest-all-languages.tar.gz -C phpMyAdmin --
strip-components 1
rm phpMyAdmin-latest-all-languages.tar.gz
sudo systemctl start mariadb

2) Instalar o Moodle

Agora iremos seguir as instruções em:


https://docs.moodle.org/36/en/Amazon_EC2_Cloud_Services_Installation

#Instalando os pré-requisitos (alguns já estão instalados):

sudo yum install git


sudo yum install php
sudo yum install php-gd
sudo yum install php-pear
sudo yum install php-mbstring
sudo yum install memcached
sudo yum install php-mcrypt
sudo yum install php-xmlrpc
sudo yum install php-soap
sudo yum install php-intl
sudo yum install php-zip
sudo yum install php-zts
sudo yum install php-xml

#MariaDB com utf8


Editar o arquivo /etc/my.cnf e adicionar a seguintes linhas:

[mysqld]
character-set-server=utf8
collation-server = utf8_unicode_ci

Obs: talvez seja melhor usar o utf8mb4 para suportar emojs

#Criando a base de dados


mysql -u root -p

create database moodledb;


grant all privileges on moodledb.* to moodledbuser@localhost identified by '<put a pw here>';
quit

#Criando pastas
sudo mkdir /var/www/moodledata
sudo chown apache:apache /var/www/moodledata

#Instalando o Moodle:
cd /var/www/html
sudo git clone git://git.moodle.org/moodle.git

sudo chown -R apache:apache /var/www/html/moodle

3) Crie uma imagem desta instalação


É importante fazer isso. Porque vai evitar retrabalho nas próximas práticas.

4) Finalmente, configure o Moodle:


#Entre via navegador na sua instalação Moodle para configurá-la:
http://<your amazon host>/moodle

Outras referências:
https://docs.moodle.org/36/en/Installing_Moodle#Set_up_your_server
https://docs.moodle.org/36/en/Installation_quick_guide

Segunda configuração: Base de dados externa

Terceira configuração: ELB

Links úteis:
Moodle - configuração básica em um EC2

Moodle - configuração com CloudFormation - GitHub

WordPress - configuração com CloudFormation - GitHub

Postado há 23rd March por Moisés André Nisenbaum

0 Adicionar um comentário

MAR Usando o VIRL de graça no DevNet


10 O último IPD Week mostrou como usar o VIRL no DevNEt.
Totalmente possível fazer todos os labs do CCNA lá.
Neste post tem o passo a passo de como fazer isso.
Como exemplo, vou usar o Lab 3.1.6.3 do CCNA4.

Passo a passo:
1) Efetue login em https://developer.cisco.com/
Você pode usar sua conta no Netacad
2) No final da página, clique em Sandbox
3) Clique Networking
4) Clique Multi-IOS Cisco Test Network
5) Clique "Reserve"
6) Selecione "none" para abrir uma simulação vazia e clique Reserve.
Se desejar, pode explorar os templates de simulação.
7) Pode demorar até 15 minutos para a simulação ficar pronta.
8) Enquanto isso, baixe e instale o Cisco AnyConnect VPN Client software.
Importante. Você vai baixar um arquivo zipado. Descompacte-o e execute apenas o seguinte:
anyconnect-win-4.4.03034-core-vpn-predeploy-k9.msi
9) Quando aparecer "Active" em verde na parte superior direita da tela, é sinal que você já pode começar.

10) Você receberá um e-mail com instruções para entrar na VPN. Mas basta clicar em "Output" que as instruções
estarão lá também

11) Estabeleça a VPN com usando o AnyConnect


12) Pronto. Agora você deve acessar o endereço IP que aparece nas instruções, em "VIRL Server". As credenciais para
acesso Web são as do VMMaestro (guest/guest).

13) Agora você está no VIRL!!! Vamos montar a topologia do Lab. Clique "My Simulations" e depois "Launch new
Simulation"
14) Clique "Editor". Vai abrir uma tela semelhante ao Packet Tracer. Monte a topologia lá. Use as imagens IOSv para os
roteadores e IOSvL2 para os switches. Basta clicar IOSv e clicar na topologia. O mesmo com IOSvL2.
Este acesso gratuito só dá permissões para uso de algumas imagens.
Para conectar os dispositivos, clique "Add Link" clique em um nó e arraste até outro nó. Vão ser usadas as primeiras
portas disponíveis.
Importante: VIRL não tem portas seriais. Você tem que usar portas Ethernet pra tudo.
Fica mais ou menos assim:

15) Clique "Finish & Return". Clique "Sync"

16) Volte para aba anterior, selecione "use .virl from editor", coloque um nome sem espaços e clique "Launch"

17) Vai abrir uma nova tela com a lista de nós usados e seus status. Clique em "Live Visualization". Se pedir login
novamente, é guest/guest.

Agora vai abrir a topologia novamente. Mas não é o editor. É o simulador. O uso é semelhante ao Packet Tracer, mas
com os IOS reais.
Você pode clicar em um nó e depois "Telnet to Serial0" que vai abrir a console.

18) Prontinho. Agora é só fazer o LAB e os testes.

Dicas:
1) Explore os menus Actions e Physical
2) Se fechar a janela sem querer, basta acessar de novo o IP do VIRL, normalmente 10.10.20.160
3) Se precisar de fazer alguma alteração na topologia, você precisará parar a simulação e ir no Editor e usar o botão
Sync.
4) Você pode salvar sua simulação em um arquivo .virl. Para isso, é só clicar "My simulations" e depois em Download
Original VIRL file. Assim, se por acaso acabar o tempo, você pode reservar de novo o lab e continuar de onde parou.
5) Você pode usar o Putty para acessar os consoles. Basta fazer conexões telnet para os endereços e portas listados
em "My simulations"
6) Lembre-se que os nomes das portas são diferentes das do Lab do CCNA. Então você vai precisar adaptar o roteiro
do Lab

Postado há 10th March por Moisés André Nisenbaum

0 Adicionar um comentário

Você também pode gostar