Você está na página 1de 15

-PÚBLICO-

N-1711 REV. B 04 / 2008

CONTEC
Comissão de Normalização
Técnica
Detalhes de Caixa de Enfiação (“Manholes-
EMH”) para Uso em Rede Elétrica
Subterrânea
SC-06
Eletricidade
Revalidação

Revalidada em 02/2011.

PROPRIEDADE DA PETROBRAS
-PÚBLICO-

N-1711 REV. B 10 / 2010

CONTEC
Comissão de Normalização
Técnica
Detalhes de Caixa de Enfiação
(“Manholes - EMH”) para Uso em
Rede Elétrica Subterrânea
SC-06
Eletricidade
1a Emenda

Esta é a 1a Emenda da PETROBRAS N-1711 REV. B, e se destina a modificar o seu texto nas partes
indicadas a seguir:

NOTA 1 As novas páginas com as alterações efetuadas estão colocadas nas posições
correspondentes.
NOTA 2 As páginas emendadas, com a indicação da data da emenda, estão colocadas no final da
norma, em ordem cronológica, e não devem ser utilizadas.

- Subseção 1.1: (1ª Emenda)

Alteração do texto.

- Seção 2: (1ª Emenda)

Exclusão da PETROBRAS N-305.

Exclusão da ABNT NBR 10158.

- Subseção 3.7: (1ª Emenda)

Inclusão da subseção.

- Anexo B: (1ª Emenda)

Inclusão do Anexo.

PROPRIEDADE DA PETROBRAS 1 página


-PÚBLICO-

N-1711 REV. B 04 / 2008

Detalhes de Caixa de Enfiação


(“Manholes-EMH”) para Uso em Rede
Elétrica Subterrânea

Padronização

Esta Norma substitui e cancela a sua revisão anterior.


Cabe à CONTEC - Subcomissão Autora, a orientação quanto à interpretação do
texto desta Norma. O Órgão da PETROBRAS usuário desta Norma é o
responsável pela adoção e aplicação das suas seções, subseções e
enumerações.

Requisito Técnico: Prescrição estabelecida como a mais adequada e que


deve ser utilizada estritamente em conformidade com esta Norma. Uma
CONTEC eventual resolução de não segui-la (“não-conformidade” com esta Norma) deve
Comissão de Normalização ter fundamentos técnico-gerenciais e deve ser aprovada e registrada pelo
Técnica Órgão da PETROBRAS usuário desta Norma. É caracterizada por verbos de
caráter impositivo.

Prática Recomendada: Prescrição que pode ser utilizada nas condições


previstas por esta Norma, mas que admite (e adverte sobre) a possibilidade de
alternativa (não escrita nesta Norma) mais adequada à aplicação específica. A
alternativa adotada deve ser aprovada e registrada pelo Órgão da
PETROBRAS usuário desta Norma. É caracterizada por verbos de caráter
não-impositivo. É indicada pela expressão: [Prática Recomendada].

Cópias dos registros das “não-conformidades” com esta Norma, que possam
contribuir para o seu aprimoramento, devem ser enviadas para a
SC - 06 CONTEC - Subcomissão Autora.

Eletricidade As propostas para revisão desta Norma devem ser enviadas à CONTEC -
Subcomissão Autora, indicando a sua identificação alfanumérica e revisão, a
seção, subseção e enumeração a ser revisada, a proposta de redação e a
justificativa técnico-econômica. As propostas são apreciadas durante os
trabalhos para alteração desta Norma.

“A presente Norma é titularidade exclusiva da PETRÓLEO BRASILEIRO


S.A. - PETROBRAS, de uso interno na Companhia, e qualquer reprodução
para utilização ou divulgação externa, sem a prévia e expressa
autorização da titular, importa em ato ilícito nos termos da legislação
pertinente, através da qual serão imputadas as responsabilidades
cabíveis. A circulação externa será regulada mediante cláusula própria de
Sigilo e Confidencialidade, nos termos do direito intelectual e propriedade
industrial.”

Apresentação
As Normas Técnicas PETROBRAS são elaboradas por Grupos de Trabalho
- GTs (formados por Técnicos Colaboradores especialistas da Companhia e das suas Subsidiárias),
são comentadas pelas Unidades da Companhia e das suas Subsidiárias, são aprovadas pelas
Subcomissões Autoras - SCs (formadas por técnicos de uma mesma especialidade, representando
as Unidades da Companhia e as suas Subsidiárias) e homologadas pelo Núcleo Executivo (formado
pelos representantes das Unidades da Companhia e das suas Subsidiárias). Uma Norma Técnica
PETROBRAS está sujeita a revisão em qualquer tempo pela sua Subcomissão Autora e deve ser
reanalisada a cada 5 anos para ser revalidada, revisada ou cancelada. As Normas Técnicas
PETROBRAS são elaboradas em conformidade com a Norma Técnica PETROBRAS N-1. Para
informações completas sobre as Normas Técnicas PETROBRAS, ver Catálogo de Normas Técnicas
PETROBRAS.

PROPRIEDADE DA PETROBRAS 3 páginas, 1 formulário e Índice de Revisões


-PÚBLICO-

N-1711 REV. B 04 / 2008

Prefácio

Esta Norma PETROBRAS N-1711 REV. B 04/2008 é a Revalidação da PETROBRAS N-1711 REV. A
03/2003, não tendo sido alterado o seu conteúdo.

1 Escopo

1 Esta Norma padroniza os detalhes e dimensões de caixas de enfiação (“Manholes”) para uso em
rede elétrica subterrânea para unidades da PETROBRAS e os acessórios adequados a instalação
das caixas de enfiação.

1.2 Esta Norma se aplica a projetos iniciados a partir da data de sua edição.

1.3 Esta Norma contém somente Requisitos Técnicos.

2 Referências Normativas

Os documentos relacionados a seguir são indispensáveis à aplicação desta Norma. Para referências
datadas, aplicam-se somente as edições citadas. Para referências não datadas, aplicam-se as
edições mais recentes dos referidos documentos (incluindo emendas).

PETROBRAS N-381 - Execução de Desenhos e Outros Documentos Técnicos em Geral

3 Condições Gerais

3.1 O Anexo A deve ser reproduzido em meio magnético ou papel vegetal ou poliéster para sua
utilização.

3.2 O Anexo A após numerado e preenchida a legenda, conforme PETROBRAS N-381, deve fazer
parte do projeto que está sendo desenvolvido pela projetista.

3.3 Na Tabela “Relação de Caixas de Enfiação” do Anexo A, a projetista deve indicar todos os dados
das caixas conforme projeto em planta e perfil de rede elétrica subterrânea.

3.4 O projetista de eletricidade deve padronizar a altura das caixas de enfiação, se possível em, no
máximo, três valores, sendo recomendado:

a) 2 400 mm;
b) 2 800 mm;
c) 3 200 mm.

3.5 O projetista de construção civil deve limitar o comprimento do pescoço das caixas de enfiação
em, no máximo, três valores:

a) 0 mm;
b) 500 mm;
c) 1 000 mm.

2
-PÚBLICO-

N-1711 REV. B 04 / 2008

3.6 O Anexo A deve servir de base para o projeto de construção civil das caixas de enfiação
(“Manholes”).

3.7 O Anexo B compõe-se de 5 figuras que padronizam as peças constituintes dos acessórios para
caixas de enfiação, relacionados abaixo:

a) Figura B.1 - suporte para cabos (vista de conjunto);


b) Figura B.2 - coluna de suporte para cabos;
c) Figura B.3 - travessa de suporte para cabos;
d) Figura B.4 - isolador do suporte para cabos;
e) Figura B.5 - alça de enfiação.

______________

/ANEXO A

3
-PÚBLICO-
-PÚBLICO-
-PÚBLICO-
-PÚBLICO-
-PÚBLICO-
-PÚBLICO-
-PÚBLICO-

N-1711 REV. B 04 / 2008

Prefácio

Esta Norma PETROBRAS N-1711 REV. B 04/2008 é a Revalidação da PETROBRAS N-1711 REV. A
03/2003, não tendo sido alterado o seu conteúdo.

1 Escopo

1.1 Esta Norma padroniza os detalhes e dimensões de caixas de enfiação (“Manholes”) para uso em
rede elétrica subterrânea.

1.2 Esta Norma se aplica a projetos iniciados a partir da data de sua edição.

1.3 Esta Norma contém somente Requisitos Técnicos.

2 Referências Normativas

Os documentos relacionados a seguir são indispensáveis à aplicação desta Norma. Para referências
datadas, aplicam-se somente as edições citadas. Para referências não datadas, aplicam-se as
edições mais recentes dos referidos documentos (incluindo emendas).

PETROBRAS N-305 - Acessórios para Caixas de Enfiação (Manholes-EMH);

PETROBRAS N-381 - Execução de Desenhos e Outros Documentos Técnicos em Geral;

ABNT NBR 10158 - Tampão Circular de Ferro Fundido - Dimensões.

3 Condições Gerais

3.1 O Anexo A deve ser reproduzido em meio magnético ou papel vegetal ou poliéster para sua
utilização.

3.2 O Anexo A após numerado e preenchida a legenda, conforme PETROBRAS N-381, deve fazer
parte do projeto que está sendo desenvolvido pela projetista.

3.3 Na Tabela “Relação de Caixas de Enfiação” do Anexo A, a projetista deve indicar todos os dados
das caixas conforme projeto em planta e perfil de rede elétrica subterrânea.

3.4 O projetista de eletricidade deve padronizar a altura das caixas de enfiação, se possível em, no
máximo, três valores, sendo recomendado:

a) 2 400 mm;
b) 2 800 mm;
c) 3 200 mm.

3.5 O projetista de construção civil deve limitar o comprimento do pescoço das caixas de enfiação
em, no máximo, três valores:

a) 0 mm;
b) 500 mm;
c) 1 000 mm.

2
-PÚBLICO-

N-1711 REV. B 04 / 2008

3.6 O Anexo A deve servir de base para o projeto de construção civil das caixas de enfiação
(“Manholes”).

______________

/ANEXO A

3
-PÚBLICO-

N-1711 REV. B 04 / 2008

ÍNDICE DE REVISÕES

REV. A
Partes Atingidas Descrição da Alteração

Revalidação

REV. B
Partes Atingidas Descrição da Alteração

Revalidação

_____________

IR 1/1

Você também pode gostar