Você está na página 1de 10

Universidade Positivo

Graduação em Odontologia
Disciplina de Odontopediatria

TERAPIA PULPAR EM DENTE DECÍDUO


Prof. Carolina Dea Bruzamolin

IMPORTÂNCIA DA ENDODONTIA NA ODONTOPEDIATRIA:


• A manutenção do elemento dental decíduo até que ocorra sua esfoliação
fisiológica - Guia para o dente permanente;
• Os dentes decíduos proporcionam um adequado crescimento e desenvolvimento
facial pelo estímulo do crescimento dos maxilares e na evolução da fala,
mastigação e respiração corretas da criança.
• A perda prematura de dentes decíduos pode resultar em uma alteração no
comprimento do arco dentário, com desvio mesial dos dentes permanentes e
consequente má-oclusão.
LIMITAÇÕES DA TÉCNICA
- Topografia dos canais radiculares;
- Reabsorção da dentição decídua;
- Limite apical para instrumentação;
- Instrumentar ou não?
- Comportamento do paciente.

DIAGNÓSTICO:
1. História médica;
2. História odontológica, incluindo características da dor, se houver;
3. Exame clínico, incluindo-se presença de lesões cariosas, fraturas,
deslocamentos, alteração de cor e de tecidos moles;
4. Exame radiográfico para verificar regiões apicais e de furca;
Testes adicionais, como palpação, percussão e avaliação da mobilidade.

• Sucesso no tratamento endodôntico – Paciente assintomático e sem alteração


radiográfica;
Universidade Positivo
Graduação em Odontologia
Disciplina de Odontopediatria
• Insucesso no tratamento endodôntico – errado diagnóstico, execução da
técnica com falhas e prognostico desfavorável.

CRITÉRIOS CLÍNICOS CRITÉRIOS RADIOGRÁFICOS

- Ausência de alteração da cor do dente; - Integridade dos tecidos periapicais e


inter-radiculares;
- Ausência de mobilidade dentária
incompatível com estagio de reabsorção - Ausência de reabsorção interna e/ou
fisiológica; externa patalógica;
- Integridade dos tecidos moles adjacentes, - Integridade da lâmina dura em torno
caracterizado pela ausência de abcesso do saco folicular do germe do
dentoalveolar, edema ou fistula dentária; permanente folicular.
- Ausência de sintomatologia dolorosa.

CRITÉRIOS DE DIAGNÓSTICO
Universidade Positivo
Graduação em Odontologia
Disciplina de Odontopediatria

PROTEÇÃO DO COMPLEXO DENTINO POLPA

• Base protetora pulpar;


• Materiais biocompátiveis;
• Vitalidade dental;
• Promover cicatrização pulpar;
Universidade Positivo
Graduação em Odontologia
Disciplina de Odontopediatria
• Formação de dentina terciária;
• Minimizar microinfiltração.
• Materiais:
- Pó de Ca(OH)2
- Cimento de Ca(OH)2
- Cimento de Ionômero de Vidro

CAPEAMENTO PULPAR INDIRETO


Tratamento pulpar indireto é um procedimento de mínima intervenção que consiste
na remoção da dentina infectada (contaminada e desorganizada) e manutenção da
dentina afetada ( parcialmente desorganizada, porém sem micro-organismos e passível
de remineralização).
• Sem exposição pulpar
• Proteção da parede pulpar:
HIDRÓXIDO DE CÁLCIO:
- Ação desinfetante, bacteriostático e bactericida;
- Biocompatível e estimula o aparecimento de dentina esclerosada;
- Forramento biológico;
- Integridade dos tecidos dentários.
CIMENTO DE IONÔMERO DE VIDRO
ADESIVO DENTINÁRIO.

INDICAÇÕES:
• Dentes decíduos sem sintomatologia dolorosa espontânea;
• Nenhuma mobilidade, nenhuma alteração nos tecidos periodontais;
• Ausência de alterações detectáveis radiograficamente;
• Reabsorção radicular deve ser incipiente – até 1/3 da raiz.
Universidade Positivo
Graduação em Odontologia
Disciplina de Odontopediatria

CAPEAMENTO PULPAR DIRETO


Capeamento pulpar consiste em na colocação de um fármaco diretamente sobre a
exposição pulpar, permitindo a cicatrização pulpar e formação de tecido dentário,
mantendo a vitalidade pulpar. O dente é restaurado com material que controle a
microinfiltração

INDICAÇÕES CONTRA INDICAÇÕES

- Pacientes com idade inferior a 4 anos e - Dente decíduos apresentando lesões


dente sem evidência de reabsorção cariosas ou restaurações defeituosas
radicular; associados a sinais ou sintomas
indicativos de inflamação pulpar
- Pequenas exposições pulpares
irreversível com dor espontânea;
mecânicas como no caso de fratura
coronária por trauma ou exposição - Dentes cujo tamanho da coroa dentária
acidental; remanescente não permita isolamento
absoluto e/ou posterior restauração
- Dente sem alteração de cor, mobilidade
adequada;
dentária e sintomatologia dolorosa
espontânea; - Dentes decíduos com evidência
radiográfica de perfuração de soalho da
- Tecido pulpar vital e em condições
câmara pulpar e reabsorção óssea
normais, ou seja, apresentando
envolvendo a cripta do permanente;
sangramento coloração normal e
facilidade de hemostasia; - Alveólise;
- Ausência de reabsorção interna ou - Pacientes imunocomprometidos ou de
externa patológica, bem como risco de endocardite bacteriana;
radiolucidez inter-radicular ou periapical.
- Dentes em estágio final de rizólise.

TÉCNICA:
• Anestesia;
• Isolar o campo operatório;
• Lavar a cavidade com soro fisiológico ( remoção de dentritos);
• Secagem com algodão ou papel absorvente esterilizado;
Universidade Positivo
Graduação em Odontologia
Disciplina de Odontopediatria
• Ca(OH)2 puro ( pó ou pasta);
• Base com CIV;
• Restauração.
• Proservação radiográfica e clínica.

PULPOTOMIA
É uma técnica convencionalmente utilizada no tratamento de dentes decíduos com
envolvimento pulpar reversível e ocorre a remoção de toda polpa coronária.
A polpa coronária é amputada e o tecido pulpar radicular remanescente é
diagnosticado vital por critérios clínicos:
• como coloração do sangramento
• consistência do tecido pulpar ao ser amputado
• capacidade de hemostasia
• ausência de sinais e sintomas de alteração pulpar irreversível( dor espontânea,
edema, fístula)
• radiográficos (ausência de radioluscência peri e interradicular, ausência de
reabsorções interna e externa não fisiológica).

INDICAÇÕES CONTRA INDICAÇÕES

- Dentes com vitalidade pulpar; - Pacientes imunocomprometidos;


- Exposição pulpar acidental durante - Dentes com mais de 1/3 de reabsorção
a remoção do tecido cariado; radicular;
- Dentes que sofreram traumatismo e - Evidência de sinais e sintomas de
apresenta exposição pulpar, envolvimento pulpar irreversível ou
principalmente em caso de necrose pulpar;
rizogênse incompleta;
- Dentes que não podem receber
- Dentes com lesão cariosa profunda isolamento absoluto ou restauração.
e envolvimento pulpar reversível.
Universidade Positivo
Graduação em Odontologia
Disciplina de Odontopediatria

• Materiais utilizados:
- FORMOCRESOLHIDRÓXIDO DE CÁLCIO;
AGREGADO DE TRIÓXIDO DE MINERAL (MTA).

Desvitalização
da polpa Regeneração

Potencial de Formação
Homeostasia Alcalinidade
mutagênica barreira
no meio bucal
mineralizada

FORMOCRESOL
Hidróxido
Antiséptico
Potencial de Sucesso na de cálcio Insucesso =
reabsorção
toxicidade técnica
interna

Ação Maior Ação Necrose do


bactericida insucesso na bactericida tecido por
técnica coagulação

Regeneração

Tempo de
Radiopacidade
presa: 3 – 4
satisfatória
horas

AGREGADO DE
TRIÓXIDO DE
Bom MINERAL (MTA)
vedamento Custo elevado
marginal

Biocompatível Antimicrobiano
Universidade Positivo
Graduação em Odontologia
Disciplina de Odontopediatria
TÉCNICA:
- Anestesia local;
- Isolamento absoluto;
- Remoção de todo tecido cariado;
- Remoção do teto da camâra pulpar com cuidado;
- Amputação da polpa coronária com curetas afiadas ou broca esférica lisa, até o
nível da entrada dos canais radiculares;
- Irrigação com soro fisiológico;
- Hemostasia espontânia e secagem da cavidade com bolinha de algodão estéril.
- Aplicação da solução de corticosteroide (Formocresol) -antibiótico por 10 a
15 minutos.
- Aplicação do hidróxido de cálcio puro pró-analise (ele deve estar em contato
com a polpa para agir) e cimento para combrir o hidróxido de cálcio ou
aplicação de uma camada de MTA;
- Restauração provisória CIV .
- Rx.
- Acompanhamento do paciente, a cada 03 meses de consulta e observação dos
sinais e sintomas.

PULPECTOMIA
A pulpectomia de um dente decíduo é realizada através do tratamento endodôntico
convencional, em casos de dentes com polpa exposta, infectada e/ou necrótica, buscndo
eliminar a infecção pulpar e perirradicular. Em todos os casos, o teto da câmara pulpar
é totalmente removido, obtendo-se acesso adequado aos canais radiculares, para obter-
se acesso apropriado aos canais e eliminar toda a polpa coronária.
Este procedimento facilita a remoção de toda a polpa coronária e radicular, e
posterior saneamento e modelagem do sistema de canais radiculares. Para obturação
destes canais, são empregados materiais com propriedades físico-químicas e biológicas
adequadas, não devendo ser reabsorvíveis.
Universidade Positivo
Graduação em Odontologia
Disciplina de Odontopediatria

INDICAÇÕES CONTRA INDICAÇÕES


• Está indicado em dentes decíduos com • Dentes decíduos com extensas lesões de
pulpite irreversível ou necrose ou em um furca
dente que inicialmente foi indicado para
• Extensa reabsorção radiográfica
pulpotomia,
• Saúde do paciente (abscessos
• Hemorragia excessiva;
volumosos)
• Dentes com reabsorção fisiológica;
• Avançada reabsorção interna
• Reabsorção patológica inicial e com lesão
• Envolvimento do germe permanente
periapical ou interradicular que não
tenham atingido a continuidade da lâmina • Paciente não cooperador
dura do saco folicular do germe do
permanente sucessor.

Materiais obturadores:
- Hidróxido de Cálcio;
• Não causa alteração de cor
• Induz a formação dentinária
• Biocompátivel
• Regeneração pulpar.
• Reduz processo inflamatório
• Vasoconstritor capilar
• Processo de mineralização.

- Óxido de zinco + Ca(OH)2

- Pasta Guedes Pinto;


• Iodofórmio: antisséptico e antimicrobiano.
• Antiinflamatório
Universidade Positivo
Graduação em Odontologia
Disciplina de Odontopediatria
• PMCC: antimicrobiano/ ação bacteriostática e bactericida e alta citotoxicidade.
Rifocort (rifamicina):antibiotico+ (prednisolona) corticosteróide.

- CTZ.( EUGENOL, OXIDO DE ZINCO TIPO 1, TETRACICLINA E CLORANFENICOL)


• Protocolo de simples execução
• Fundamentada em evidências clínicas e científicas,
• A técnica do CTZ pode ser indicada independente do diagnóstico pulpar
• Não necessita de instrumentação dos canais
• Os índices de sucesso clínico com ela obtidos são encorajadores, já que há
desaparecimento dos sinais e sintomas rapidamente

TÉCNICA:
• 1° sessão:
- Avaliação do paciente;
- Radiografia inicial - ODONTOMETRIA;
- Observação de sinais e sintomas;
- Curativo endodôntico – Ca(OH)2.
• Protocolo de atendimento:
• 2° sessão:
- Anestesia;
- Isolamento absoluto;
- Abertura da cavidade, remoção do curativo e limpeza da cavidade com Liquido de
Dakin (Hipoclorito de Sódio 0,5%);
- Acesso aos canais radiculares;
- Instrumentação: lima K ou flex ( inicial +2) Mínimo lima 20;
- Liquido de Dakin (Hipoclorito de Sódio 2,5%);
- Secagem dos canais com cones de papel;
- Obturação dos canais radiculares;
- Restauração provisória.

Você também pode gostar