Você está na página 1de 6

QUESTÕES DE ÉTICA PROFISSIONAL

DO SIGILO PROFISSIONAL

CURSO PREPARATÓRIO PARA OAB


Método de Aprovação
QUESTÕES DE ÉTICA PROFISSIONAL

Do Sigilo Profissional

Questão 1
Ano: 2018 Banca: FGV Órgão: OAB Prova: FGV - 2018 - OAB -
Exame de Ordem Unificado - XXVI - Primeira Fase

Rafaela, advogada, atua como árbitra em certa lide. Lena, também


regularmente inscrita como advogada perante a OAB, exerce
atualmente a função de mediadora. Ambas, no exercício de suas
atividades, tomaram conhecimento de fatos relativos às partes
envolvidas. Todavia, apenas foi solicitado a Rafaela que guardasse
sigilo sobre tais fatos.
Considerando o caso narrado, assinale a afirmativa correta.

A) Apenas Rafaela, no exercício da profissão, submete-se ao dever de


guardar sigilo dos fatos de que tomou conhecimento. O dever de
sigilo cederá em face de circunstâncias excepcionais que configurem
justa causa, como nos casos de grave ameaça aos direitos à vida e à
honra, bem como em caso de defesa própria.

B) Apenas Lena, no exercício da profissão, submete-se ao dever de


guardar sigilo dos fatos de que tomou conhecimento. O dever de
sigilo cederá em face de circunstâncias excepcionais que configurem
justa causa, como nos casos de grave ameaça aos direitos à vida e à
honra, bem como em caso de defesa própria.

C) Ambas as advogadas, no exercício da profissão, submetem-se ao


dever de guardar sigilo dos fatos de que tomaram conhecimento. O
dever de sigilo cederá em face de circunstâncias excepcionais que
configurem justa causa, como nos casos de grave ameaça aos direitos
à vida e à honra, bem como em caso de defesa própria.

D) Apenas Rafaela, no exercício da profissão, submete-se ao dever de


guardar sigilo dos fatos de que tomou conhecimento. O dever de
sigilo cederá em face de circunstâncias excepcionais que configurem
justa causa, como nos casos de grave ameaça aos direitos à vida e à
honra. Porém, não se admite a relativização do dever de sigilo para
exercício de defesa própria.

Questão 2
Ano: 2016 Banca: FGV Órgão: OAB Prova: FGV - 2016 - OAB -
Exame de Ordem Unificado - XX - Primeira Fase

Michael foi réu em um processo criminal, denunciado pela prática do


delito de corrupção passiva. Sua defesa técnica no feito foi realizada

Página 2 de 6
pela advogada Maria, que, para tanto, teve acesso a comprovantes de
rendimentos e extratos da conta bancária de Michael. Tempos após o
término do processo penal, a ex-mulher de Michael ajuizou demanda,
postulando, em face dele, a prestação de alimentos. Ciente de que
Maria conhecia os rendimentos de Michael, a autora arrolou a
advogada como testemunha.

Considerando o caso narrado e o disposto no Código de Ética e


Disciplina da OAB, assinale a afirmativa correta.

A) Maria deverá depor como testemunha, prestando compromisso de


dizer a verdade, e revelar tudo o que souber, mesmo que isto
prejudique Michael, uma vez que não é advogada dele no processo de
natureza cível.

B) Maria deverá depor como testemunha, mesmo que isto prejudique


Michael, uma vez que não é advogada dele no processo de natureza
cível, mas terá o direito e o dever de se calar apenas quanto às
informações acobertadas pelo sigilo bancário de Michael.

C) Maria deverá recursar-se a depor como testemunha, exceto se


Michael expressamente autorizá-la, caso em que deverá informar o
que souber, mesmo que isto prejudique Michael.

D) Maria deverá recursar-se a depor como testemunha, ainda que


Michael expressamente lhe autorize ou solicite que revele o que sabe.

Questão 3
Ano: 2015 Banca: FGV Órgão: OAB Prova: FGV - 2015 - OAB -
Exame de Ordem Unificado - XVIII - Primeira Fase

Texto associado
Considerando-se a hipótese apresentada, assinale a afirmativa
correta.

A) A prova é lícita, pois não havia outro meio disponível para a


obtenção de provas.

B) A prova é lícita, pois tratava-se de investigação de prática de crime


cometido no âmbito de organização criminosa.

C) Considerando que não havia outro meio disponível para a obtenção


de provas, bem como que se tratava de investigação de prática de
crime cometido no âmbito de organização criminosa, é ilícita a prova
obtida a partir dos diálogos havidos entre os advogados e seus
clientes. É, no entanto, lícita a prova obtida a partir dos diálogos
havidos entre os advogados X e Y.

Página 3 de 6
D) A prova é ilícita, uma vez que as comunicações telefônicas do
advogado são invioláveis quando disserem respeito ao exercício da
profissão, bem como se não houver indícios da prática de crime pelo
advogado.

Questão 4
Ano: 2015 Banca: FGV Órgão: OAB Prova: FGV - 2015 - OAB -
Exame de Ordem Unificado - XVI - Primeira Fase

Epitácio é defendido pelo advogado Anderson em processo


relacionado à dissolução de sua sociedade conjugal. Posteriormente,
Epitácio vem a se envolver em processo de natureza societária e
contrata novo advogado especialista na matéria. Designada
audiência para a oitiva de testemunhas, a defesa de Epitácio arrola
como testemunha o advogado Anderson, diante do seu
conhecimento de fatos decorrentes do litígio de família, obtidos
exclusivamente diante do seu exercício profissional e relevantes para
o desfecho do litígio empresarial.

Consoante o Estatuto da Advocacia, o advogado deve.

A) atuar como testemunha em qualquer situação.

B) depor, porém sem revelar fatos ligados ao sigilo profissional.

C) resguardar-se e requerer autorização escrita do cliente.

D) buscar suprimento judicial para depor em Juízo.

Questão 5
Ano: 2014 Banca: FGV Órgão: OAB Prova: FGV - 2014 - OAB -
Exame de Ordem Unificado - XIV - Primeira Fase

A advogada Ana integrou o departamento jurídico da empresa XYZ


Ltda. e, portanto, participava de reuniões internas, com sócios e
diretores, e externas, com clientes e fornecedores, tendo acesso a
todos os documentos da sociedade, inclusive aos de natureza
contábil, conhecendo assim, diversos fatos e informações relevantes
sobre a empresa.
Alguns anos após ter deixado os quadros da XYZ Ltda., Ana recebeu
intimação para comparecer a determinada audiência e a prestar
depoimento, como testemunha arrolada pela defesa, no âmbito de
ação penal em que um dos sócios da empresa figurava como acusado
do crime de sonegação fiscal. Ao comparecer à audiência, Ana
afirmou que não prestaria depoimento sobre os fatos dos quais tomou
conhecimento enquanto integrava o jurídico da XYZ Ltda.

Página 4 de 6
O magistrado que presidia o ato ressaltou que seu depoimento havia
sido solicitado pelo próprio sócio da empresa, que a estaria, portanto,
desobrigando do dever de guardar sigilo.
Sobre a questão apresentada, observadas as regras do Estatuto da
OAB e do Código de Ética e Disciplina da OAB, assinale a opção
correta.

A) Ana terá o dever de depor, pois o bem jurídico administração da


justiça é mais relevante do que o bem jurídico inviolabilidade dos
segredos.

B) Ana terá o dever de depor, pois foi desobrigada por seu ex- cliente
do dever de guardar sigilo sobre os fatos de que tomou conhecimento
quando atuou como advogada da XYZ Ltda.

C) Ana terá o dever de depor, pois não integra mais o departamento


jurídico da empresa XYZ Ltda., tendo cessado, portanto, seu dever de
guardar sigilo.

D) Ana não terá o dever de depor, pois o advogado tem o direito de se


recusar a depor, como testemunha, sobre fato relacionado à pessoa
de quem foi ou seja advogado, mesmo quando solicitado pelo cliente.

Questão 6
Ano: 2014 Banca: FGV Órgão: OAB Prova: FGV - 2014 - OAB -
Exame de Ordem Unificado - XIV - Primeira Fase

Andrea e Luciano trocam missivas intermitentes, cujo conteúdo diz


respeito a processo judicial em que a primeira é autora, e o segundo,
seu advogado. A parte contrária, ciente da troca de informações entre
eles, requer ao Juízo que esses documentos sejam anexados aos autos
do processo em que litigam.
Sob a perspectiva do Código de Ética e Disciplina da Advocacia, as
comunicações epistolares trocadas entre advogado e cliente

A) constituem documentos públicos a servirem como prova em Juízo.

B) são presumidas confidenciais, não podendo ser reveladas a


terceiros.

C) podem ser publicizadas, de acordo com a prudência do advogado.

D) devem ser mantidas em sigilo até o perecimento do advogado.

Questão 7
Ano: 2014 Banca: FGV Órgão: OAB Prova: FGV - 2014 - OAB -
Exame de Ordem Unificado - XIII - Primeira Fase

Página 5 de 6
Valdir representa os interesses de André em ação de divórcio em que
estão em discussão diversas questões relevantes, inclusive de cunho
financeiro, como, por exemplo, o pensionamento e a partilha de bens.
Irritado com as exigências de sua ex-esposa, André revela a Valdir que
pretende contratar alguém para assassiná-la.

Deve Valdir comunicar o segredo revelado por seu cliente às


autoridades competentes?

A) Valdir não pode revelar o segredo que lhe foi confiado por André,
pois o advogado deve sempre guardar sigilo sobre o que saiba em
razão do seu ofício.

B) Valdir poderia revelar o segredo que lhe foi confiado por André,
mas apenas no caso de ser intimado como testemunha em ação penal
eventualmente deflagrada para a apuração do homicídio que viesse a
ser efetivamente praticado.

C) Valdir pode revelar o segredo que lhe foi confiado por André, em
razão de estar a vida da ex-esposa deste último em risco.

D) Valdir não pode revelar o segredo que lhe foi confiado por André,
mas tem obrigação legal de impedir que o homicídio seja praticado,
sob pena de se tornar partícipe do crime

GABARITO:

1: C 2: D 3: D 4: B 5: D 6: B 7: C

Página 6 de 6

Você também pode gostar