Você está na página 1de 13

Manual

Vermicompostagem
para produção de
húmus

Instituto Pro Humanitas


2017
Manual

Vermicompostagem para
produção de húmus
Autoria de Vorneis de Lucia

Revisão: Cristina de O. de Lucia


Diagramação: Aline O. de Lucia Santos

www.prohumanitas.org.br
Pág. 2
Sumário

APRESENTAÇÃO DO INSTITUTO PRO HUMANITAS ......................................................................................4


INTRODUÇÃO .................................................................................................................................5
Escolha do local .........................................................................................................................6
Construção do minhocário ........................................................................................................6
- Minhocário em caixas plásticas ...........................................................................................6
- Minhocário em balde ............................................................................................................7
- Minhocário em alvenaria ......................................................................................................7
- Minhocário em bombonas plásticas cortadas ao meio .....................................................7
Alimentação das minhocas .......................................................................................................8
Reprodução das minhocas Vermelhas da Califórnia ..............................................................8
Minhocas uma excelente opção como ração animal .............................................................9
Manejo do minhocário em camadas ........................................................................................9
Utilização do húmus ................................................................................................................10
Fertilizante líquido ...................................................................................................................11
Cuidados com o minhocário ...................................................................................................11
Referências Bibliográficas......................................................................................................13

www.prohumanitas.org.br
Pág. 3
APRESENTAÇÃO DO INSTITUTO PRO HUMANITAS

A ASSOCIAÇÃO INSTITUTO DE PESQUISA APLICADA PRO HUMANITAS, pessoa jurídica de


direito privado de interesse público, é constituída sob a forma de associação sem fins
lucrativos ou de fins não econômicos. O Instituto Pro Humanitas tem como objetivo
institucional potencializar a investigação, produção e socialização do conhecimento de
metodologias e tecnologias, compreendendo ferramentas científicas, por meio de
intercâmbios, parcerias e cooperação entre as entidades governamentais e não
governamentais, tendo em vista contribuir para a efetivação das políticas públicas e
sociais.

No que acreditamos

Preocupado com o desenvolvimento desordenado, o Instituto Pro Humanitas se coloca


como colaborador da sociedade, atuando através do desenvolvimento da pesquisa
aplicada e da busca de novas tecnologias e conceitos voltados ao desenvolvimento
humano de forma integral.
Acreditamos que a sociedade civil organizada é uma força capaz de encontrar soluções
criativas e inovadoras para as questões que se colocam no dia-a-dia. Por isso, nosso
Instituto é composto por uma equipe de pesquisadores que têm como elemento motivador
o otimismo e a esperança de um futuro justo, harmônico e consciente.

www.prohumanitas.org.br
Pág. 4
INTRODUÇÃO

A utilização de minhocário é ideal para os interessados em reciclar a matéria orgânica


disponível e utilizá-la como adubação. A vermicompostagem acelera e enriquece o
processo de transformação em adubo orgânico.

O húmus de minhoca ou vermicomposto, nada mais é que a excreção das minhocas. Além
de rico em nutrientes, ajuda a melhorar as características físicas do solo, como aeração e
retenção de água.

De acordo com pesquisas, o material orgânico metabolizado por microrganismos


benéficos, no trato digestivo das minhocas, é enriquecido com hormônios e outras
substâncias de crescimento que favorecem a nutrição equilibrada das plantas e a
resistência às doenças. Dos resíduos orgânicos ingeridos pelas minhocas, 40% são
assimilados e 60% excretados como húmus que é constituído por nutrientes em formas
mais assimiláveis às plantas.

A espécie mais recomendada para minhocário é a Vermelha da Califórnia (Eusenia fetida),


pois além da rusticidade é eficaz na transformação de resíduos, tem alta taxa de
reprodução e é propícia para vida em cativeiro.

Além da questão ambiental, há um aspecto técnico muito importante na utilização dos


resíduos orgânicos de cozinha para a produção de húmus de minhoca. Os resíduos, assim
como o esterco, são fontes de microorganismos imprescindíveis no processo de
reciclagem. Dessa forma, substituem o esterco minimizando os custos e viabilizando a
produção de húmus nas cidades.

Outro aspecto positivo na utilização de resíduos orgânicos domiciliares é a riqueza em


macro nutrientes. Observa-se na tabela 1 que os teores de nitrogênio e fósforo se
destacam nesses resíduos, em comparação aos teores existentes no esterco misturado
com palha.

Tabela 1 - Composição média de NPK dos compostos: domiciliar e de esterco+palha.


Nutrientes Composto de esterco + palha Composto domiciliar
N 0,8 % 3,4 %
P2O5 0,2 % 1,2 %
K2O 0,4 % 0,3 %
Fonte: Adaptado do Informe Agropecuário-café orgânico (2002).

www.prohumanitas.org.br
Pág. 5
Escolha do local

O minhocário deve ser implantado em local sombreado, para evitar o excesso de calor e
com certo declive, para não acumular água e o chorume. A temperatura ideal na parte
interna do canteiro, para criação da espécie Vermelha da Califórnia deve ser na faixa de
16 ºC a 22ºC.

As minhocas são desprovidas de pulmões. Respiram através da sua pele retirando o


Oxigênio do ar e exalam Dióxido de Carbono, como nós. Durante os períodos de chuvas
fortes é aconselhável cobrir o minhocário, pois o excesso de água provoca uma rápida
perda de Oxigênio do solo podendo matar as minhocas por asfixia. O encharcamento por
rega também pode matar as minhocas por asfixia.

Portanto, a cobertura do minhocário protege da exposição direta aos fatores climáticos,


como o impacto das gotas da chuva e raios solares. A cobertura também dificulta a fuga
das minhocas e protege de pássaros e outros animais, como ratos, rãs e aves domésticas.
Esta cobertura pode ser feita de acordo com os materiais disponíveis, como por exemplo,
folhas de bananeira, lona plástica, tampa de madeira ou bambu, entre outros.

Construção do minhocário

Nas residências, o acondicionamento dos resíduos orgânicos para a produção de húmus


pode ser realizado em recipientes de vários tipos e tamanhos, tais como: caixões de
madeira, tubos de cimento, tambor descartado de máquina de lavar, caixas plásticas de
colheita de frutas etc. Se houver espaço no quintal, o processo de vermicompostagem
pode ser realizado diretamente no
solo, ou pode introduzir as
minhocas nos canteiros/hortas.

- Minhocário em caixas
plásticas

www.prohumanitas.org.br
Pág. 6
- Minhocário em balde

- Minhocário em alvenaria

- Minhocário em bombonas plásticas cortadas ao meio

www.prohumanitas.org.br
Pág. 7
Alimentação das minhocas

As minhocas gostam de alimentação diversificada e ingerem praticamente todos os


resíduos orgânicos: estercos curtidos, restos de culturas, cascas de frutas, folhas de
verduras, resíduos de gramados, ervas de chimarrão e tereré, saquinhos de chá, borra de
café, restos de farinhas, entre outros.

Não é recomendado utilização de


estercos frescos, carnes e nem restos
de comida com sal ou óleo, pois
podem ser tóxicos às minhocas. Evitar
também plantas doentes, alimentos
muito suculentos, pedaços de vidros e
plásticos, resíduos de agrotóxicos e
venenos em geral.

Antes de ofertados às minhocas, os resíduos devem passar pela pré-compostagem. Neste


processo, intercalam-se materiais fibrosos (folhas secas ou palhadas) com alimentos
frescos ou estercos, numa camada de 15 cm de altura.

Este material deve ser regado para manter a umidade e coberto com lona plástica
transparente para auxiliar no aquecimento. Deve ser remexido de 2 em 2 dias para aerar o
composto e garantir a compostagem de todas as partes.

Após aproximadamente 15 a 30 dias este material já pode ser oferecido às minhocas.

Reprodução das minhocas Vermelhas da Califórnia

As minhocas são vermes hermafroditas


ou monóicos, pois possuem os dois
aparelhos reprodutores feminino e
masculino em um mesmo indivíduo;
todavia, as minhocas não se
autofecundam; para haver a
fecundação é necessário que duas
minhocas se justaponham. A
fecundação ocorre em média a cada 7
dias, dependendo do ambiente e do
clima.

A minhoca com dois meses atinge a


maturidade sexual, apresentando um anel chamado Clitélo que é responsável pela
produção do líquido que protege os ovos, ela produz um casulo chamado de OOTECA ou
CÓCON, onde ficam os ovos fecundados.
www.prohumanitas.org.br
Pág. 8
O casulo pode ter de 2 até 10 minhocas que vão incubar por um
período de 14 a 21 dias. Após este período nascerão as minhocas
na cor branca, após 7 dias adquirem a cor rosa e com 15 dias já
têm a cor vermelha característica desta variedade.

Minhocas uma excelente opção como ração animal

As minhocas têm uma carne muito rica em proteínas, vitaminas e sais minerais. Na sua
composição, além de quase 70% de proteína encontram-se carboidratos, lipídios
(gorduras), nitrogênio, cálcio, fósforo, magnésio, ferro, sódio, potássio, niacina, riboflavina,
tiamina, vitamina B12, etc.., portanto, muito rica. Devido a essa riqueza de nutrientes são
utilizadas no mundo inteiro na alimentação animal para peixes, aves, rãs, etc.

Tabela 2 - Qualidade da carne da minhoca


MATÉRIA PORCENTAGENS
MATÉRIA SECA 18,6%
PROTEÍNAS 68% a 78%
GORDURAS 6,56%
FIBRAS 3,3%
CARBOIDRATOS 17,60%
CÁLCIO 0,5%
FÓSFORO 0,90%
ENERGIA BRUTA 17.220
Fonte: Ecofertil – Industria e Comércio de Produtos Orgânicos

Manejo do minhocário em camadas

Terminada a implantação do minhocário, espalha-se sobre o mesmo cerca de 1000 a


1200 minhocas por m2 e sobre elas a primeira camada, com cerca de 15 cm de altura, de
resíduos pré-compostados.

Após aproximadamente 15 dias no verão e 20 dias no inverno, ou quando a camada


apresentar aspecto homogêneo de borra de café, deverá ser acrescentado nova
quantidade de resíduo, 15 cm de altura, e assim por diante até atingir a altura máxima do
minhocário. Outra opção é retirar o húmus para utilizá-lo antes de acrescentar a camada
seguinte.

Antes de realizar a coleta do húmus é necessário retirar as minhocas do composto com a


utilização de iscas. É colocado sobre o canteiro um saco perfurado, e sobre este certa
quantidade de alimento fresco. Após aproximadamente 48 horas, boa parte das minhocas

www.prohumanitas.org.br
Pág. 9
já passou pelo saco em busca de alimentos novos; em seguida é só retirar o saco com as
minhocas e transferi-lo para outro canteiro. Caso ainda haja presença de minhocas no
húmus, pode-se repetir este procedimento quantas vezes forem necessárias. Para
empresas ou condições mais profissionais, a separação é feita por meio de peneiramento.

Lembrando que é importante manter a umidade do composto com regas periódicas sem
encharcar demais. Para verificar se o material está com a umidade correta, pegue um
punhado com a mão e aperte, se sair pelo vão dos dedos é sinal de que está muito úmido,
se não deixar resíduos nas mãos é sinal de que está muito seco.

RESUMINDO
AS MINHOCAS Umidade e temperatura controlada.
GOSTAM DE: Alimentação correta pré-compostada.
Esterco bovino curtido, mas pode se complementar a
alimentação com casca de legumes, frutas, legumes inteiros
e principalmente melão e melancia.
AS MINHOCAS NÃO Luz, pois são fotossensíveis.
GOSTAM DE: Alimentos cozidos ou com sal.
Barulhos intensos e contínuos.
Canteiros encharcados com excesso de umidade.
Canteiros superpovoados estressam as minhocas.
Mudanças muito bruscas de dieta.
Falta de umidade no solo e temperaturas muito baixas ou
muito altas.

Utilização do húmus

Existem diversos produtos utilizados como adubo orgânico, tais como: terra adubada,
esterco bovino, terra preta, composto orgânico, terra de turfas, etc. Esses produtos são
muito bons, mas o húmus de minhoca é muito melhor que todos eles.

A grande vantagem do húmus é que


os elementos nutricionais estão
presentes no composto de forma a
serem mais rapidamente absorvidos
pelas plantas; apresentam também
grande quantidade de hormônios
vegetais essenciais para o
crescimento e desenvolvimento das
mesmas, além do grande número de
microorganismos que garantem a
micro-biodiversidade dos solos.

www.prohumanitas.org.br
Pág. 10
Cerca de 40% dos resíduos orgânicos, são utilizados pelas minhocas para o seu próprio
desenvolvimento e os 60% restantes do material é convertido em húmus, ou seja, a cada
10 kg de alimentos frescos são produzidos aproximadamente 6 kg de vermicomposto.

Lembre-se que a qualidade do húmus depende da qualidade do seu alimento, ou seja,


alimento com poucos nutrientes resulta em húmus pobre em nutrientes.

O húmus de minhoca pode ser utilizado em qualquer tipo de cultura. Veja na tabela 4 as
recomendações de adubação.

Fertilizante líquido

O chorume liberado durante o


processo de compostagem é um
excelente adubo líquido e pode ser
utilizado através da fertirrigação.

Para utilização do fertilizante líquido


usa-se a proporção de 1:10, ou seja,
uma parte do chorume para dez
partes de água, esta solução deve
ficar armazenada por cerca de sete
dias realizando agitações periódicas
deste material. Após este período a
solução deve ser filtrada e já está
pronta para ser aplicada nas plantas.

Cuidados com o minhocário

Algumas espécies de formigas podem se alimentar das minhocas, caso haja presença
destas no minhocário, recomenda-se espalhar sobre o mesmo, casca de ovo moída,
farinha de ossos ou borra de café, que inibem o aparecimento de formigas. Outra
alternativa é o plantio de alho e/ou hortelã ao redor do minhocário.

As sanguessugas também são predadoras das minhocas, a forma mais eficaz de controle
das mesmas é a catação manual, no entanto canteiros bem drenados podem ser uma boa
solução.

www.prohumanitas.org.br
Pág. 11
Tabela 3 - Compostágem doméstica – O que colocar para a minhoca?

Sachê de chá
COLOCAR Legumes Esterco (sem Borra
Grãos e Cascas
À Frutas e curtido de etiqueta) e filtro
sementes de ovos
VONTADE verduras gado e erva de de café
chimarrão

EVITAR Flores e
COLOCAR Alimento Guardanapos ervas
Frutas
OU s e papel Laticínios (medicinais
cítricas
COLOCAR cozidos toalha ou
POUCO aromáticas)

Líquidos
Temperos Papéis
(yogurtes,
O QUE NÃO fortes Fezes de (higiênicos
Óleos e leite,
PODE Carnes Limão (pimenta, animais ,
gorduras caldos de
COLOCAR alho, domésticos jornais e
sopa,
cebola) papelões)
feijão)

Tabela 4 - Recomendação para aplicação de húmus.


Plantio Cobertura Sulco Observação
200g/cova Cobrir durante - Misturar com a
Roseiras e
ou todo plantio terra da cova
arbustos floríferos
500g/m2/canteiro
400 a 600g/cova 1 a 2kg/ano - Misturar com a
Frutas de clima
aumentando terra da cova
temperado
30% todo ano
300 a 500g/cova 1 a 1,5kg/pé Fazer sulcos na Misturar com a
Aumentando projeção da terra da cova
Citros
30% todo ano copa e misturar
com a terra
600g/m2 de 1 a 1,5kg/pé - Misturar com a
Viveiros canteiro Aumentando terra do canteiro
30% todo ano
100g/cova ou Contribuir 200g/m linear Misturar com a
Hortaliças de
600g/m2 de durante todo terra do canteiro
folhas e legumes
canteiro cultivo
300 a 400g/cova Contribuir 200g/m linear Misturar com a
Milho verde durante todo 2x durante o terra do canteiro
cultivo cultivo
300g/cova Contribuir - Misturar com a
Abóbora, melão,
durante todo terra do canteiro
pepino e melancia
cultivo
Feijão 0,5 a 1,0kg/m2 - 200g/m linear -
500g/m2 - - Misturar com
Capineiras e
solo na
pastagens
preparação
Fonte: Adaptado de Almeida, 1999.

www.prohumanitas.org.br
Pág. 12
Referências Bibliográficas

EPAMIG. Informe Agropecuário: Café orgânico. EPAMIG: Belo Horizonte, MG. v.23, n.
214/215. 2002.

EMBRAPA. Comunicado Técnico 172: Minhocultura em camadas: um manejo para


otimizar o minhocário na propriedade familiar. Embrapa. Pelotas – RS, dezembro
de 2007.

EMBRAPA. Produção de húmus de minhoca com resíduos orgânicos domiciliares.


Joézio Luiz dos Anjos, Luzia Nilda Tabosa Andrade. -- Aracaju : Embrapa Tabuleiros
Costeiros, 2008.

www.prohumanitas.org.br
Pág. 13

Você também pode gostar