Você está na página 1de 1

Curso: Licenciatura em letras - Português e Espanhol 1° período

Disciplina: Teoria Literária I


Professora: Ozana Aparecida do Sacramento
Milena Fátima dos Santos
O trabalho das autoras Mírian e Vera se baseia no termo literatura, na sua definição e
desenvolvimento entre os séculos. O termo literatura passa da concepção de associação ao
conhecimento, assim limitando a experiência aos que sabiam ler, para termos mais específicos
para a palavra. Partindo de autores como Raymond Williams, que comenta sobre o caráter
ideológico da conceituação de literatura, é possível inferir uma delimitação do termo literatura
que se associa à obras nacionais, ou de gosto específico, sem levar em conta que a literatura é
formada por processos sociais e históricos mutualmente.
Os termos que identificavam poesia, eloquência, verso ou prosa, passaram a constituir dentro
de poesia, em um caráter mais abrangente os textos imaginativos, que se referiam unicamente
à estrofes escritas e impressas, e literatura passou a ser um termo mais amplo que poesia.
No século XVIII o termo literatura passou a se relacionar à termos diferentes de seus
significados anteriores, se associando à ideia de gosto e sensibilidade, entretando Williams
ressalta que a definição de gosto se baseia em ideias de valores, portanto os aspectors que o
fazem atrativos à uma pessoa, se diferenciam para outra.e nas últimas três décadas desse século
ele incorpora o sentido de fenômeno estético e produção artística, e na mesma época as
literaturas nacionais começaram a surgir e se formular junto ao processo de desenvolvimento
das línguas nacionais de cada país e até o final do século XVIII quase todas as nações possuem
uma história literária.
A questão de gosto se baseia em ideias de valores, portanto para cada pessoa os aspectos
estéticos serão diferentes de acordo com suas experiências, Williams ressalta que essa divisão
de textos com base em gosto particular possui uma base burguesa e subjetiva, sendo comparado
ao sentido de gostar de qualquer outra coisa.
As obras de caráter criativo e imaginativo, denominadas como importante modulação no
conceito de literatura deveriam além de agradar ao gosto burguês, incluir um texto criativo,
podendo incluir história ou ciências, de forma a se opor aos textos objetivos. Assim se torna
mais clara a diferença entre os valores morais e científicos e os valores artísticos e estético. Os
textos imaginativos se relacionam ao desenvolvimento da sociedade capitalista, desafiando de
forma criativa as normas repressivas da ordem social.
Com toda essa especialização do termo literatura, a nova dificuldade era como se valorizar os
textos nos quesitos criativos ou estéticos, assim a crítica seria novamente necessária para julgar
tais critérios e definições mais específicas desse termo nos séculos XIX e XX seriam em quanto
a seu objetivo concreto, as novas propostas para esse termo sugerem relação às características
estruturais específicas dos textos literários.
Referências: ZAPPONE, Mírian H. Y.; WIELEWICKI, Vera H. G.. Afinal, o que é literatura?
In: BONNICI, Thomas; ZOLIM, Lúcia O. (org) Teoria Literária: Abordagens históricas e
tendências contemporâneas. 3° ed. Maringá, Eduem, 2009. P. 19-30

Você também pode gostar