Você está na página 1de 2

01.

(VUNESP/2013) De acordo com Rios, é correto afirmar que

(A) a contradição é inerente à escola, pois, ao mesmo tempo, ela mantém e transforma
a sociedade.

(B) as diversas instituições sociais não têm como objetivo primordial a preservação e a
transmissão da cultura.

(C) o processo de educar não pode ser definido como processo de transmissão de
cultura, não é essa a função da escola.

(D) a educação é atribuição única e exclusiva da escola, não estando presente em todas
as instituições sociais.

(E) a escola enquanto instituição tem sido, na sociedade capitalista, o espaço de


inserção dos sujeitos nos valores da classe dominada.

02. (VUNESP/2013) Rios defende o ponto de vista de que a escola

(A) tem sido eficiente e eficaz, pois, atualmente, tem estado a serviço da classe
oprimida, veiculando a ideologia dessa classe.

(B) é a alavanca da mudança social, porque, por estar fora da dinâmica social, ela pode
mudar a estrutura da sociedade.

(C) é o espaço de transmissão sistemática do saber historicamente acumulado pela


sociedade, fonte de apropriação da herança social.

(D) falha em sua função social porque tem apenas reproduzido os valores da sociedade
capitalista no âmbito escolar.

(E) possui autonomia absoluta, por isso não pode funcionar como “aparelho” privilegiado
para a inculcação ideológica.

03. (VUNESP/2013) Rios, referindo-se ao trabalho de boa qualidade e competente a ser


feito pela docência, afirma que a dimensão __________________ diz respeito à
orientação da ação, fundada nos
princípios do respeito, da solidariedade e da justiça, na direção da realização de um
bem coletivo.
Assinale a alternativa que, de acordo com a autora, preenche corretamente a lacuna do
texto.

(A) ética

(B) política

(C) antropológica

(D) técnica

(E) estética
04. (VUNESP/2014) Em sua obra Ética e Competência, Rios (2011) reflete sobre
o projeto educacional e seu processo de
elaboração, o qual implica confrontar o que temos com o que
queremos, em relação ao trabalho educativo escolar. Nessa reflexão, a autora
aborda a utopia como

(A) idealização que impede os educadores de verem a realidade e de nela atuarem.

(B) metas impossíveis que têm desviado os educadores de enxergar e realizar aquilo
que é possível.

(C) grandes ideais da humanidade, que ressurgem em momentos de crise social sem
alcançar efeitos práticos.

(D) ideais ainda não realizados, mas que sinalizam “ao caminhante” a direção desejada.

(E) empecilho à eficiência do planejamento educacional na escola pública, por roubar-


lhe a objetividade.

05. (VUNESP/2014) Rios (2011), desafiada pelas questões que envolvem a


qualidade da educação pública e, por consequência, a formação dos professores,
inicial e continuada, contribui com uma reflexão filosófica a respeito da competência
docente. Afirma que ser competente é “saber fazer bem o dever” e aprofunda a
discussão sobre a competência do trabalho docente como aquela que

(A) se enraíza na formação inicial, preponderantemente,


cabendo, ao exercício da profissão, apenas sua manutenção.

(B) se relaciona fortemente com a vocação, responsável pela dedicação aos educandos
e a seu desenvolvimento ético.

(C) se manifesta na ação e se constrói explorando


limites e possibilidades da realidade, no diálogo entre educadores.

(D) é própria de cada profissional, pois é motivada pelo


compromisso político de cada um e tem natureza técnico-pedagógica e individual.

(E) responde pela qualidade do ensino na escola pública e, por isso, depende de política
salarial, com bônus aos mais dedicados.

GABARITO

01 - A
02 - C
03 a
04 d
05 c