Você está na página 1de 10

Direito Constitucional

Prof. Alexandre Araujo

Remédios Constitucionais

Direito de Petição
1. Esquematização  Via Administrativa
Geral Direito de Certidão

Habeas Corpus
Remédios 
Constitucionais Habeas Data

Via Judicial Mandado de Segurança

Mandado de Injunção

Ação Popular

1
2. Habeas Corpus
A) Previsão Constitucional: 
LXVIII ‐ conceder‐se‐á "habeas‐corpus" sempre que alguém 
sofrer ou se achar ameaçado de sofrer violência ou coação em 
sua liberdade de locomoção, por ilegalidade ou abuso de 
poder;

B) Histórico (Teoria Brasileira do HC)
Art. 72, § 22 (CREUB/1891) ‐ Dar‐se‐á o habeas corpus , sempre 

que o indivíduo sofrer ou se achar em iminente perigo de sofrer 
violência ou coação por ilegalidade ou abuso de poder.

C) Tipos de HC 
Ameaça  X Lesão

D) Ofensas à Locomoção

Direta X Indireta

E) Sujeitos

Ativo       X       Passivo     X        Paciente

2
F) Características
Informal / Gratuito / Assinatura / Em português

G) Punições Militares

Mérito X Legalidade.

Art. 142, § 2º, CF ‐ Não caberá habeas corpus em 


relação a punições disciplinares militares

3. Habeas Data

A) Previsão Constitucional – Natureza Mista:
LXXII ‐ conceder‐se‐á "habeas‐data":
a) para assegurar o conhecimento de informações relativas à 
pessoa do impetrante, constantes de registros ou bancos de dados 
de entidades governamentais ou de caráter público;
b) para a retificação de dados, quando não se prefira fazê‐lo por 
processo sigiloso, judicial ou administrativo;

OBS: Lei 9507,97, Art. 7° Conceder‐se‐á habeas data:
(...)
III ‐ para a anotação nos assentamentos do interessado, de 
contestação ou explicação sobre dado verdadeiro mas justificável e 
que esteja sob pendência judicial ou amigável.

3
B) Legitimação ativa e passiva

Ação personalíssima

Natureza Jurídica: pessoa ou banco de dados?
Art. 1°, Parágrafo único (Lei 9507/97). Considera‐se de 
caráter público todo registro ou banco de dados contendo 
informações que sejam ou que possam ser transmitidas a 
terceiros ou que não sejam de uso privativo do órgão ou 
entidade produtora ou depositária das informações.

C) Interesse de Agir e Características

Esgotamento Administrativo
Lei 9507/97 ‐ Art. 8° (...)
Parágrafo único. A petição inicial deverá ser instruída com prova:
I ‐ da recusa ao acesso às informações ou do decurso de mais de dez 
dias sem decisão;
II ‐ da recusa em fazer‐se a retificação ou do decurso de mais de quinze 
dias, sem decisão; ou
III ‐ da recusa em fazer‐se a anotação a que se refere o § 2° do art. 4° ou 
do decurso de mais de quinze dias sem decisão.

•D) Direito de Certidão – MS ou HD?

Informação X Certidão

4
4. Mandado de Segurança

A) Previsão Constitucional e Natureza
LXIX ‐ conceder‐se‐á mandado de segurança para proteger direito 
líquido e certo, não amparado por "habeas‐corpus" ou "habeas‐
data", quando o responsável pela ilegalidade ou abuso de poder 
for autoridade pública ou agente de pessoa jurídica no exercício 
de atribuições do Poder Público;

B) Caráter residual e Direito líquido e certo

C) Tipos de MS

Ameaça X Lesão

D) MS X Atos vinculados e discricionários

Ilegalidade X Abuso de Poder

E) Sujeito Ativo e Passivo

Autoridade coatora X Mero executor

5
Pontos Importantes (Lei 12016/09): 

A) Não se concederá mandado de segurança quando se tratar:
I ‐ de ato do qual caiba recurso administrativo com efeito suspensivo, 
independentemente de caução;
II ‐ de decisão judicial da qual caiba recurso com efeito suspensivo;
III ‐ de decisão judicial transitada em julgado.

B) Não cabe mandado de segurança contra os atos de gestão comercial 
praticados pelos administradores de empresas públicas, de sociedade 
de economia mista e de concessionárias de serviço público

C) O direito de requerer mandado de segurança extinguir‐se‐á 
decorridos 120 (cento e vinte) dias, contados da ciência, pelo 
interessado, do ato impugnado.

D) Os processos de mandado de segurança e os respectivos recursos 
terão prioridade sobre todos os atos judiciais, salvo habeas corpus.

5. Mandado de Segurança Coletivo

A) Previsão Constitucional: 
LXX ‐ o mandado de segurança coletivo pode ser impetrado 
por:
a) partido político com representação no Congresso Nacional;
b) organização sindical, entidade de classe ou associação 
legalmente constituída e em funcionamento há pelo menos 
um ano, em defesa dos interesses de seus membros ou 
associados;

B) Substituição Processual

Nome                                 Interesse

6
C) Representação no CN?

D) Autorização e Coletividade Representada

STF Súmula nº 629 ‐ A impetração de mandado de 
segurança coletivo por entidade de classe em favor dos 
associados independe da autorização destes.
STF Súmula nº 630 ‐ A entidade de classe tem 
legitimação para o mandado de segurança ainda 
quando a pretensão veiculada interesse apenas a uma 
parte da respectiva categoria.

6. Mandado de Injunção

A) Previsão Constitucional:
LXXI ‐ conceder‐se‐á mandado de injunção sempre que a falta 
de norma regulamentadora torne inviável o exercício dos 
direitos e liberdades constitucionais e das prerrogativas 
inerentes à nacionalidade, à soberania e à cidadania;

B) Inconstitucionalidade por omissão (Total X Parcial)
Lei 13300/16, Art. 2o Conceder‐se‐á mandado de injunção sempre que 
a falta total ou parcial de norma regulamentadora torne inviável o 
exercício dos direitos e liberdades constitucionais e das prerrogativas 
inerentes à nacionalidade, à soberania e à cidadania.
Parágrafo único. Considera‐se parcial a regulamentação quando forem 
insuficientes as normas editadas pelo órgão legislador competente.

7
C) Requisitos – Inconstitucionalidade (Omissão)
Dever constitucional de legislar / Abuso (inércia legislador)

D) Sujeito ativo e passivo
‐ Lei 13300/16, Art. 3º São legitimados para o mandado de 
injunção, como impetrantes, as pessoas naturais ou jurídicas que
se afirmam titulares dos direitos, das liberdades ou das 
prerrogativas referidos no art. 2o e, como impetrado, o Poder, o 
órgão ou a autoridade com atribuição para editar a norma
regulamentadora
‐ PJ de Direito Público? (MI 537 e 725).

E) MI Coletivo – Legitimação Ativa

Lei 13300/16, Art. 12.  O mandado de injunção coletivo pode ser promovido:


I ‐ pelo Ministério Público, quando a tutela requerida for especialmente
relevante para a defesa da ordem jurídica, do regime democrático ou dos 
interesses sociais ou individuais indisponíveis;
II ‐ por partido político com representação no Congresso Nacional, para
assegurar o exercício de direitos, liberdades e prerrogativas de seus
integrantes ou relacionados com a finalidade partidária;
III ‐ por organização sindical, entidade de classe ou associação legalmente
constituída e em funcionamento há pelo menos 1 (um) ano, para assegurar
o exercício de direitos, liberdades e prerrogativas em favor da totalidade ou
de parte de seus membros ou associados, na forma de seus estatutos e 
desde que pertinentes a suas finalidades, dispensada, para tanto, autorização
especial;
IV ‐ pela Defensoria Pública, quando a tutela requerida for especialmente
relevante para a promoção dos direitos humanos e a defesa dos direitos
individuais e coletivos dos necessitados, na forma do inciso LXXIV do art. 5o
da Constituição Federal.

8
F) Efeitos da decisão

Geral

Concretista  Direta
Individual
Intermediária

Lei 13300/16, Art. 9o A decisão terá eficácia subjetiva limitada às partes e 


produzirá efeitos até o advento da norma regulamentadora.
§ 1o Poderá ser conferida eficácia ultra partes ou erga omnes à decisão, 
quando isso for inerente ou indispensável ao exercício do direito, da liberdade
ou da prerrogativa objeto da impetração.
§ 2o Transitada em julgado a decisão, seus efeitos poderão ser estendidos aos
casos análogos por decisão monocrática do relator.
§ 3o O indeferimento do pedido por insuficiência de prova não impede a 
renovação da impetração fundada em outros elementos probatórios.

7. Ação Popular

A) Previsão Constitucional / Legitimação ativa / Custas
LXXIII ‐ qualquer cidadão é parte legítima para propor ação popular 
que vise a anular ato lesivo ao patrimônio público ou de entidade de 
que o Estado participe, à moralidade administrativa, ao meio 
ambiente e ao patrimônio histórico e cultural, ficando o autor, salvo 
comprovada má‐fé, isento de custas judiciais e do ônus da 
sucumbência;

B) Competência (1° Grau)
Art. 5°, Lei 4717/65‐ Conforme a origem do ato impugnado, é 
competente para conhecer da ação, processá‐la e julgá‐la o juiz que, 
de acordo com a organização judiciária de cada Estado, o for para as 
causas que interessem à União, ao Distrito Federal, ao Estado ou ao 
Município.

9
C) Função do MP
‐ O Ministério Público acompanhará a ação, cabendo‐lhe apressar a 
produção da prova e promover a responsabilidade, civil ou criminal, dos 
que nela incidirem, sendo‐lhe vedado, em qualquer hipótese, assumir a 
defesa do ato impugnado ou dos seus autores.
‐ Se o autor desistir da ação ou der motiva à absolvição da instância, serão 
publicados editais , ficando assegurado a qualquer cidadão, bem como ao 
representante do Ministério Público, dentro do prazo de 90 (noventa) dias 
da última publicação feita, promover o prosseguimento da ação.

D) Eficácia da decisão 
‐ A sentença terá eficácia de coisa julgada oponível "erga omnes", exceto no 
caso de haver sido a ação julgada improcedente por deficiência de prova; 
neste caso, qualquer cidadão poderá intentar outra ação com idêntico 
fundamento, valendo‐se de nova prova.
‐ A sentença que concluir pela carência ou pela improcedência da ação está 
sujeita ao duplo grau de jurisdição, não produzindo efeito senão depois de 
confirmada pelo tribunal; da que julgar a ação procedente caberá apelação, 
com efeito suspensivo.

10