Você está na página 1de 10

Regulamento Interno

Clube Anjos do Éden

Cascavel

2019
Regulamento Interno

CAPÍTULO I

DO OBJETIVO

Art.1º - O objetivo do clube de Desbravadores Anjos do Éden será conduzir juvenis


adolescentes e jovens adventistas ou não, a um contato maior com o Criador e mantê-
los firmes na fé, preparando-os para servir à igreja, à família e a sociedade, tornando-
os cidadãos úteis à sua pátria, provendo-lhes orientações quanto ao cuidado com o
corpo e estimulando-os a se desenvolverem físico, mental e espiritualmente.

CAPÍTULO II

DA SUJEIÇÃO

Art.2º - Todos os membros participantes deste clube estarão sujeitos ao presente


regulamento normativo, sem exceção.

Capítulo III

DA ELEIÇÃO DOS OFICIAIS E MEMBROS DA DIRETORIA

Art.3º – A diretoria será composta de:

 Diretor;
 Ancião designado pela comissão da Igreja local ;
 Diretor associado;
 Diretora associada;
 Secretário (a) do clube;
 Tesoureiro (a) do clube;
 Capelão (ã);
 Conselheiros (as).

Art.4º – O Diretor e Diretores Associados serão escolhidos pela comissão da igreja,


conforme determina o Manual da IASD votado pela Conferência Geral;

Art.5º – O secretário (a), Capelão (ã), tesoureiro (a), conselheiros de unidades e


demais líderes serão nomeados pela Diretoria deste clube.

Art.6º – Conforme a necessidade, a diretoria poderá criar outras funções e nomear


pessoas para ocupá-las, desde que esteja de acordo com o Manual Administrativo dos
Desbravadores.
CAPÍTULO IV
DAS COMISSÕES

Art.7º – O clube será composto das seguintes comissões:

A. Comissão Executiva
B. Comissão Regular

Art.8º - A Comissão Executiva será constituída por: Diretor do clube, Diretores


Associados Pastor, Secretário (a) do clube, que terão a responsabilidade de organizar
os programas das reuniões regulares e das atividades extras.

Art.9º - A Comissão Regular será constituída pelos mesmos membros da Comissão


Executiva e por todos os demais membros da direção: Conselheiros, Instrutores,
Capelão e Tesoureiro que devem se reunir pelos menos uma vez por mês para
deliberarem sobre o diagnóstico do Clube. São funções da Comissão Regular:

 Avaliar o correto cumprimento do programa do Clube


 Indicar os Desbravadores para receberem a insígnia de Excelência
 Avaliar o desenvolvimento dos Desbravadores

a) A Comissão Regular se reunirá sempre que convocado por seu presidente


ou por qualquer um dos seus membros;

b Os membros ex-ofícios são designados pelo Manual do clube de


desbravadores editado pela DSA.

c) Ao membro será garantido o direito de defesa e do contraditório e poderá


fazê-la verbalmente ou por escrito, se o desejar, porém, o mesmo aguardará
a decisão fora do local da reunião;

d) No julgamento será levado em consideração as circunstâncias atenuantes


(danos causados e histórico do membro), circunstâncias agravantes (intenção
dolosa ou culposa) bem como a reincidência.

Art.10 – O Diretor do clube será sempre o presidente de qualquer das comissões; em


sua ausência um dos diretores associados (previamente comunicado) será o
presidente.

Art.11 – Só será válida a reunião da Comissão de ética e disciplina se contar com a


participação de 50% mais um dos seus membros.
CAPÍTULO V

DO TESTEMUNHO

Art.12 – É direito de todos os membros do clube de desbravadores serem respeitados


como tal.

Art.13 – Será dever de todo membro dar um bom testemunho, sendo cortês e
obediente em qualquer lugar ou ocasião, para que não venha a comprometer o nome
do clube, igreja e principalmente o nome de Deus.

CAPÍTULO VI
DAS SANÇÕES E PUNIÇÕES

Art.14 – Será adotado o seguinte sistema de sanções e punições:


a. Advertência Particular (verbal);
b. Advertência por escrito, assinada e comunicada aos pais/responsáveis;
c. Suspensão;
d. Desligamento.

Art.15 – A Comissão de Ética e Disciplina do clube julgará os casos conforme descrito


no Capítulo IV:

§ 1º - Situações pelas quais o nome de um dos membros do clube deva ser


levado à comissão de ética e disciplina do clube:

a) Desrespeitar e tratar com insolência os superiores;


b) Utilizar linguagem ofensiva e obscena;
c) Causar ferimentos em outros;
d) Provocar danos a propriedades alheia;
e) Enganar e/ou roubar;
f) Usar o uniforme de forma irregular e/ ou recusar-se a usá-lo;
g) Descumprir o voto ou a lei dos desbravadores;
h) Consumir bebidas alcoólicas;
i) Usar ou traficar drogas ou narcóticos;
j) Utilizar roupas indecentes;
k) Faltar sem apresentar justificativas plausíveis;
l) Outras situações graves, conforme julgar a direção do clube.

§ 2º – Na primeira advertência o infrator será repreendido verbalmente pela


diretoria do clube, na 2ª advertência, o infrator receberá uma advertência por
escrito e os seus pais e/ou responsáveis serão comunicados. Após a
terceira advertência o nome do infrator será levado (a) à Comissão de Ética
e Disciplina do clube para que seja feita uma análise do caso e determinado
o tempo de suspensão ou outro tipo de disciplina a ser aplicado.
CAPÍTULO VII
MEMBROS E FREQUÊNCIA

Art.16 – Para participação no Clube de Desbravadores serão aceitos juvenis com a


idade entre 10 e 15 anos;

Art.17– A inscrição dos desbravadores, menores de idade, será formalizada com a


assinatura dos pais e/ou responsáveis e estarem presentes em atividades externas
como caminhadas acampamentos e passeios.

Art.18 – Serão aceitos membros a partir de 16 anos de idade para participarem da


liderança do clube, poderão assumir cargos como conselheiros desde que sejam
membros batizados na IASD.

§ 1º– Será permitida a participação de pessoas não adventistas como instrutores do


clube, desde que aprovados previamente pela Comissão do Clube.

Art.19 - Será permitido somente 3 (três) faltas por trimestre (não justificadas),
independente da quantidade de reuniões “obrigatórias” que for realizada nesse
período.

Parágrafo Único – Todo membro que for incluído na lista de faltas não
justificadas e exceder o limite permitido terá o nome encaminhado à
Comissão de Executiva e Regular do clube.

Art.20 - Somente serão justificadas as faltas pelos seguintes motivos: viagem com os
pais, doença, morte de familiares e trabalho em empresa ou instituição (membros da
diretoria)

Parágrafo Único - A não apresentação do formulário de “JUSTIFICATIVA


DE FALTAS” em até 10 dias após a DATA da falta, será entendido como
não justificada, formulário estará com a secretaria do Clube local.

Art.21 – Será de responsabilidade do conselheiro da unidade apresentar documento


que justifique a falta do desbravador.

Art.22 – Os membros da Diretoria devem justificar suas faltas a (o) Secretário(a) do


clube.

Art.23 – O Secretario (a) do clube e diretores associados deverão justificar suas faltas
ao Diretor do Clube.

CAPÍTULO VIII
DOS PROGRAMAS

Art.24 – Em todos os programas da igreja, comunidade e outros, haverá a


participação do clube ou parte dele, desde que haja a autorização do diretor.

Parágrafo único - É dever de todos os membros deste clube participar das


programações que envolvam a sua presença como: reuniões regulares,
acampamentos, passeios, caminhadas, excursões, escolas sabatinas, cultos
divino, semanas de oração, mutirões, campanhas comunitárias, evangelismos,
divulgações do novos Clubes, congressos, camporis, visitações, palestras,
cursos, passeatas, reuniões de liderança, etc.
CAPÍTULO IX
DO UNIFORME

Art.25 – O uniforme oficial (atividades e de gala) só poderá ser usado por pessoas
aprovadas e investidas.

Parágrafo Único – o membro terá no mínimo dois meses para ser avaliado,
adquirir o seu uniforme e ser investido.

Art.26 – A regulamentação interna para o uso do uniforme é a seguinte:

§ 1º - Uniforme de Gala: À administração do campo local é que institui as


regras do uniforme oficial do Clube de Desbravadores seguindo as
organizações superiores.

§ 2º - Uniforme de Atividades: Os membros deste Clube usarão uma roupa


mais informal, que pode ser usado em atividades recreativas e de treinamento
como camisa de atividades do clube local com lenço arganel e tênis.

§ 3º - Com relação aos uniformes, se constitui deveres dos membros deste


clube:

a) Usar o uniforme oficial (de gala e/ou de atividades) completo;

b) Zelar pela boa aparência de seu uniforme, assim como todos os seus
distintivos e insígnias colocando-os nos seus devidos lugares e ordens, de
acordo com a orientação da diretoria;

c) Só utilizar usar os uniformes do clube quando requeridos e/ou permitido


pela diretoria;

d) Não utilizar os uniformes do clube quando estiver suspenso.

e) Deixar os respectivos emblemas (triângulo, globinho, brasão de campo,


especialidades, e lenço) sob a guarda do clube para que possam ser
devolvidos quando do seu retorno em caso de desistência ou inscrição em
outro clube de desbravadores. Será ainda assinado um termo de compromisso
com o qual os responsáveis se comprometem em não dar o uniforme ou
vendê-lo para pessoas que não sejam membros de um Clube de
Desbravadores e de que o membro afastado não utilizará o uniforme não
estando em atividade em um Clube.
CAPÍTULO X
DA TAXA

Art.28 – Poderá cobrar uma taxa de inscrição do candidato ao ingresso no Clube. A


taxa será estabelecida pela Comissão Executiva do Clube se houver necessidade.

§ 1º – Será cobrada taxa anual de seguro contra acidentes pessoais para cobrir
o membro em viagens e demais atividades do clube. Os membros que tiverem
planos de saúde devem comunicar à diretoria e portar sua identidade de
usuário do plano em caso de passeios e viagens.

Capítulo XI
DAS UNIDADES

Art.29 - Serão permitidos programas como: acampamentos, caminhadas, excursões,


ciclismos etc., sem a presença de todo o clube, desde que haja a presença, além do
conselheiro (a), do diretor ou de um associado.

Art.30 – Toda e qualquer atividade que a unidade queira fazer deverá ter a permissão
da diretoria.

Art.31 – Toda e qualquer atividade extra realizada pela unidade, sem a prévia
autorização da diretoria, estará infringindo as regras deste regulamento ficando a
critério da comissão de ética e disciplina avaliar a situação e tomar as medidas
cabíveis.

Art.32 – A unidade cada mês com maior pontuação será premiada com o Bandeirin de
Ouro e haverá um Desbravador Destaque com maior pontuação individual dentro da
unidade através do controle do Ranking das Unidades que cada Unidade recebe no
início de cada mês, sendo este recebendo a premiação designada pela diretoria.

Parágrafo 1º - as premiações outorgadas à unidade ficarão sob


responsabilidade do Diretor e/ou responsável pelo patrimônio do Clube.

Parágrafo 2º - será feita a soma da pontuação de cada unidade no final do


mês o secretário(a) da unidade entregará a planilha a secretária do Clube para
a avaliação de cada unidade.

Parágrafo 3º – Ao fim de cada mês será comunicada uma parcial da


pontuação adquirida pelas unidades durante o mesmo, ficando em sigilo as
pontuações adquiridas nas atividades extras, sendo estas avisadas quais são
de forma prévia no Clube para caso de empates entre as unidades e
desbravador destaque.

Art.33 - Cada unidade poderá ter uma maleta de primeiros socorros com os seguintes
itens: algodão, par de luvas, analgésicos, pomada para ferimentos, gases,
esparadrapo, cotonetes, álcool iodado, mercúrio, band-and, soro e outros. Que ficará
na responsabilidade do conselheiro (a) da Unidade. O Clube possuirá uma caixa de
primeiros socorros para casos gerais. Servindo como suporte para caso de
emergências, sendo manipulada somente por um profissional de saúde habilitado para
tais procedimentos. Outras medicações devem ser descritas na ficha de saúde no ato
da inscrição do Clube acompanhada com prescrição médica que o desbravador usa tal
medicação de forma controlada.

CAPÍTULO XII
DO NAMORO OU CONTATO FÍSICO

Art.34 - É proibido namoro ou contatos físicos (abraços, carícias, beijos, “ficar” etc.)
entre os membros do clube durante qualquer uma de suas atividades (reuniões,
acampamentos, caminhadas, inclusive que envolvam outros Clubes no mesmo evento
como Mega Líder, LiderArt ou Camporis.

Parágrafo único - É proibido conversa entre os membros de sexo oposto em


lugares afastados, dentro de barracas ou longe do grupo.

CAPÍTULO XIII
DA REVERÊNCIA

Art.35 – Não serão permitidas conversas entre os membros do clube dentro da igreja
durante as programações ou em local onde se esteja realizando programação
espiritual, também não será permitido ficar fora da igreja conversando quando esteja
sendo realizada alguma programação. Os conselheiros são responsáveis por seus
desbravadores orientando e organizando eles de modo a ficarem em reverência dentro
da igreja.

CAPÍTULO XIV
DO PATRIMÔNIO

Art.36 – Todo e qualquer material deste clube só poderá ser emprestado a outros
departamentos da igreja e/ou outros clubes, após a solicitação por escrito haver sido
aprovada pela Comissão Diretiva do clube. A entidade beneficiada deverá assinar um
Termo de Responsabilidade onde fique firmado o compromisso de devolver os bens
emprestados em perfeito estado, no prazo estabelecido e reparar os danos causados
ao patrimônio do clube durante o período em que os utilizou.

CAPÍTULO XV

DAS CORREÇÕES

Art.37 - Este Regulamento Interno entra em vigor na data de sua aprovação pela
Comissão da Igreja Adventista do Sétimo Dia do bairro Neva.

Art. 38 – Somente poderá ser modificado mediante solicitação de 50% mais um dos
membros da Comissão Executiva do clube.
__________________

Diretor do Clube

_____________________

Diretora Associada

_________________ ________________ ________________

Secretária do Clube Primeiro-Ancião Pastor

_________________________

Secretária da Igreja

Cascavel,..... de ............de 2019


Assinatura dos pais presentes na reunião realizada no dia 19/05/2019