Você está na página 1de 18

REGULAMENTO DE ESTÁGIO

SUPERVISIONADO

PEDAGOGIA – NEAD
Unicesumar
REGULAMENTO DO ESTAGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE
PEDAGOGIA NA MODALIDADE A DISTÄNCIA. FUNDAMENTO LEGAL: LDB Nº
9.394 DE 1996, PARECER CNE/CP Nº 5 DE 2005, PARECER CNE/CP Nº 1 DE
2006, LEI FEDERAL Nº 11.788 DE 2008.

Coordenadora de Curso: Me. Márcia Maria Previato de Souza

Professores do estágio:
Me. Ana Paula Aparecida Cunha
Me. Camila Tecla Mortean Mendonça
Me. Fabiana Roberta de Souza Cioffi
Esp. Helaine Patrícia Ferreira
Me. Raquel Alessandra de Deus Silva
Drª. Suzi Maria Nunes Cordeiro
1 INTRODUÇÃO

O curso de Licenciatura em Pedagogia do Núcleo de Educação a


Distância – NEAD Unicesumar, seguindo as Diretrizes Curriculares
estabelecidas pelo MEC, determina que todo aluno que ingressa nesse curso
terá que realizar os estágios supervisionados, sendo esse um componente
obrigatório para a aprovação e conclusão do curso.
O estágio supervisionado caracteriza-se como o exercício da experiência
profissional, por meio de uma vivência em ambientes escolares e não
escolares, levando o aluno à interpretação da realidade educacional nas
instituições de ensino. Por meio dos estágios é possível consolidar os
conhecimentos adquiridos no decorrer do curso e estabelecer a relação entre
teoria e prática.
Sendo assim, o estágio supervisionado se torna um componente
curricular que proporciona ao aluno a reflexão contextualizada, dando
condições para que se torne autor de sua própria prática. O regulamento,
organização, funcionamento, avaliação e atribuições, tanto do discente como
da instituição, estão contidas neste documento.

2 APRESENTAÇÃO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO

Este documento tem a finalidade de apresentar uma proposta teórico-


prática do componente curricular denominado de Estágio Supervisionado, sob
a responsabilidade da Coordenação de Ensino, Coordenação de Curso,
Professores formadores e professores mediadores.
Neste sentido, tem-se a intenção de possibilitar ao acadêmico uma
experiência teórico-prática na Educação Básica, futuro campo de atuação do
pedagogo. O estágio dar-se-á de modo gradativo, para que o aluno possa
realizar reflexões acerca do trabalho docente, correlacionando a sua sólida
fundamentação teórica obtida nas demais disciplinas da Matriz Curricular do
Curso de Licenciatura em Pedagogia, com as observações/investigações
realizadas e acompanhadas pelos professores e professores mediadores
responsáveis pelo estágio. Só assim proporcionaremos ao futuro docente,
meios para observar e constituir na própria prática escolar elementos teóricos e
a possibilidade de vivenciar a práxis pedagógica.
Nesse sentido, quando há junção entre teoria e prática, instaura-se a
possibilidade da primeira constituir-se como o ponto de reflexão crítica sobre a
realidade observada na prática, a fim de compreendê-la e transformá-la.
Teremos, assim, oportunidade de (in)formar não apenas mais um professor,
mas um educador com conhecimentos específicos e pedagógicos, capaz de
fazer de sua prática pedagógica um processo contínuo de investigação.

REGULAMENTO INTERNO PARA AS PRÁTICAS DE ENSINO


SUPERVISIONADO DO CURSO DE PEDAGOGIA

O presente regulamento fundamenta-se no Regimento geral da


Unicesumar - Centro Universitário Cesumar, na LDB nº
9.394/96, no Parecer CNE/ CP nº 5/ 2005, DOU de 15/05/2006,
que institui, no seu artigo 3º, parágrafo IV, as novas Diretrizes
Curriculares Nacionais e na Lei Federal nº 11.788 de
25/09/2008, que dispõe sobre o estágio de estudantes, bem
como no Parecer CNE/CP nº 1/2006, que institui Diretrizes
Curriculares Nacionais para o curso de Graduação em
Pedagogia.

Art. 1. O Estágio Supervisionado do Curso de Pedagogia tem como finalidade:


I. Proporcionar crescimento profissional dos acadêmicos tornando-os
habilitados para o exercício da profissão, partícipes do grupo profissional
e conscientes de suas responsabilidades profissionais;
II. Motivar a construção de valores éticos como base para o caminho da
cidadania;
III. Tornar o acadêmico um elo entre a Unicesumar e as Instituições de
Ensino, de modo a possibilitar um fluxo de constante revisão entre a
formação acadêmica e a formação profissional;
IV. Possibilitar ao futuro docente a reflexão, seleção e priorização de
situações-problema reais, sob orientação segura e cuidadosa para
aprofundamento teórico da prática educativa, em uma tentativa de
melhoria qualificativa dessa prática;
V. Possibilitar a vivência real e objetiva da futura profissão junto às
instituições de Ensino em diversos contextos e situações: públicas,
privadas, de centro e de periferias;
VI. Possibilitar aos estagiários a aplicação de conteúdos aprendidos no
respectivo curso de graduação, adaptando-os à realidade da atuação;
VII. Propiciar aos futuros licenciados uma integração das áreas de
aprendizagem no seu crescimento pessoal, com vistas a sua própria
eficácia profissional;
VIII. Fornecer sólida fundamentação teórica que possibilite ao acadêmico
analisar criticamente a prática pedagógica das Instituições Escolares e,
posteriormente, ter elementos teóricos e práticos para analisar a sua
própria prática pedagógica;
IX. Possibilitar aos acadêmicos a reflexão teórica sobre a prática para a
consolidação da formação do pedagogo;
X. Oportunizar aos estagiários o desenvolvimento de habilidades e
comportamentos necessários à atuação pedagógica;
XI. Proporcionar aos estagiários o intercâmbio de informações e
experiências concretas que os preparem para o exercício da profissão;
XII. Caracterizar as diferenças existentes entre as escolas;
XIII. Visualizar o pluralismo das diversas instituições sem restrições radicais
ou de ‘modismo’, mas com a percepção da riqueza do conjunto das
instituições;
XIV. Desenvolver o senso analítico-crítico, tendo como base o exercício do
questionamento e da criatividade.

ORGANIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR E


SUPERVISIONADO

Art. 2. Os estágios curriculares supervisionados serão organizados e


funcionarão mediante as seguintes ofertas:
I. O Estágio Supervisionado, tal como definido na Lei nº 11.788 de 25 de
setembro de 2008 e suas medidas regulamentadoras, acontecerá a
partir do início do terceiro ano do curso, priorizando a relação teoria-
prática na formação do futuro docente;
II. Os estágios curriculares supervisionados, previsto no § 1º do artigo 2º da
Lei nº 11.788 de 25 de setembro de 2008 não cria vínculo empregatício
de qualquer natureza;
III. Ainda, nos mesmos termos da Lei supracitada, o estágio não pode ter
sua jornada de atividade superior a 04 (quatro) horas diárias e 20 (vinte)
horas semanais;
IV.O Estágio Supervisionado, conforme inciso II do Art. 7º das Diretrizes
Curriculares Nacionais para o Curso de Pedagogia (CNE/CP nº 1/2006)
contempla prioritariamente a Educação Infantil e anos iniciais do Ensino
Fundamental (1º ao 5º ano), podendo acontecer em outros níveis e
modalidades, desde que esteja previsto no Projeto Político de Curso
(PPC) da instituição;
V. O estágio do curso de Pedagogia do NEAD - Unicesumar está dividido
em seis módulos de cinquenta horas cada, totalizando trezentas horas.
As aulas serão teóricas, bem como as atividades, que também contarão
com práticas, contemplando leituras, pesquisas, produções textuais,
relatórios, observações, desenvolvimento de um plano de aula e
posterior aplicação (regência). Toda a parte teórica e discussões, bem
como orientações em relação a esse processo acontecem em ambiente
específico no Ambiente Virtual de Aprendizagem e serão acompanhados
por um professor mediador;
VI. Depois do oitavo módulo, será disponibilizado para o aluno no ambiente
da disciplina os documentos necessários para realizar o estágio nas
Instituições escolares, quais sejam, Carta de Apresentação, Termo de
Compromisso, Termo de Consentimento Livre Esclarecido, Ficha de
Frequência das observações e da regência e a Ficha de Avaliação da
Regência;
VII. Os professores mediadores do estágio, por meio de e-mails ou
telefone, entrarão em contato com estas instituições, a fim de verificar a
frequência e o desempenho dos alunos;
VIII. No ambiente haverá momentos de discussões e debates entre os
alunos para troca de experiências. O trabalho será mediado pelos
professores mediadores de estágio que farão as devidas intervenções
quando necessário.

DAS ATIVIDADES DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO

Art. 3. O Estágio Supervisionado busca integrar as questões teóricas às


questões práticas, vivenciadas ao longo do curso, possibilitando a construção
de conhecimentos pela ação-reflexão-ação. Ele é, portanto, um eixo-articulador
entre a teoria e a prática. Como componente obrigatório, provê ao acadêmico,
futuro professor, a ascensão ao conhecimento das tendências atuais da
educação, vivências e experiências profissionais por meio do exercício da
competência técnica, em três momentos:
I. No ambiente da disciplina: orientações e informações sobre o Estágio
Curricular e organização das atividades de estágio;
II. Nas instituições escolares: realização das observações e regência;
III. No ambiente da disciplina: para apreciação, avaliação e socialização do
Estágio Supervisionado.
As atividades a serem desenvolvidas pelo estagiário devem ser
postadas no ambiente da disciplina antecipadamente pelo professor mediador
em conjunto com a Coordenação de Curso de Pedagogia do NEAD
Unicesumar.
As atividades do estágio supervisionado serão integradas com as
disciplinas da Matriz Curricular do curso a partir da nona série até a décima
quarta série (9º ao 14º módulo do curso).

CARACTERIZAÇÃO DOS ESTÁGIOS

Art. 4. A caracterização dos estágios ocorrerá conforme o disposto:


I. Estágio de Observação em campo: Tem como objetivo observar o
trabalho de instituições escolares em sua totalidade. O aluno estará
frente à realidade, no âmbito pedagógico, observando o processo de
ensino e de aprendizagem, gestão e organização em consonância com
os conteúdos das disciplinas mais teóricas do curso. Nos trabalhos com
observação, prioriza a política educacional, a postura do educador frente
às diferentes intenções pedagógicas e a prática pedagógica (ensino e
aprendizagem).
II. Estágio de Regência: As atividades de regência possibilitam a prática
pedagógica por meio da vivência e desempenho na atividade de
educador junto aos alunos. Nesta fase do estágio, o acadêmico terá que
realizar pesquisas, elaborar o plano de aula do estágio, vivenciar a
atividade de ensinar, controlar todo o processo de regência envolvendo
planejamento, execução, avaliação e socialização.

AVALIAÇÃO E PROMOÇÃO

Art. 5. A avaliação do Estágio Supervisionado fica condicionada aos seguintes


aspectos:
I. Desempenho nas atividades teórico-práticas promovidas e/ou solicitadas
pelo professor mediador. Em todos os módulos ficarão disponíveis no
Ambiente Virtual de Aprendizagem todas as atividades que o aluno terá
que realizar para obter nota no período do estágio matriculado. Todos
esses trabalhos serão devidamente acompanhados e avaliados por um
professor mediador e/ou tutor.
II. Tendo em vista as especificidades teórico-práticas das disciplinas, não
haverá provas para recuperação de notas nas disciplinas de estágio,
sendo elas provas curriculares, provas de segunda chamada e prova
substitutiva.
III. Apresentação de pesquisa e produção de texto do Estágio
Supervisionado conforme as normas atualizadas da ABNT.
IV. Comportamento profissional ético.
V. O estagiário que, por sua postura ou atividades pedagógicas, estiver
pondo em risco a aprendizagem do aluno do campo de estágio será
afastado de suas atividades.
VI. Cada período do estágio será expresso por notas às atividades
propostas e, somando, poderá alcançar uma média aritmética entre 0
(zero) e 10,0 (dez) pontos.
VII. O acadêmico que não obtiver o mínimo exigido para aprovação no
Estágio Curricular Supervisionado, 6,0 (seis vírgula zero), deverá cursar
novamente a disciplina correspondente em regime de dependência.
VIII. O lançamento de nota está condicionado ao protocolo e deferimento de
todos os documentos exigidos em cada módulo. No caso de
indeferimento o aluno tem uma chance de corrigir os documentos e
protocolar novamente em seu polo para segunda correção, no prazo de
uma semana, no máximo. Para tanto, faz-se necessário que o aluno
acompanhe em seu ambiente, no campo de Serviços, o
deferimento/indeferimento do protocolo. Após o período de pré-
matrícula, caso os documentos não tenham sido protocolados
corretamente, o aluno deverá refazer a disciplina de estágio em caráter
de dependência.

ATENÇÃO!

Os documentos que devem ser entregues no final de cada módulo, referentes


ao estágio cursado, devem ser os originais, não são aceitos cópias. O aluno
deverá solicitar que o polo entregue o número de protocolo para
acompanhamento pelo ambiente Studeo da entrega dos documentos. Caso
os mesmos sejam indeferidos o aluno terá o prazo de uma semana para
corrigi-los. O lançamento de notas está condicionado a entrega dos
documentos e deferimento dos mesmos.

CAMPO OU LOCAIS DE ESTÁGIO ONDE OCORRERÁ A PRÁTICA DE


ESTÁGIO

I. Instituições públicas (estaduais e/ou municipais) ou privadas (de centro


e/ou de periferia), que sejam de ensino regular (o que não inclui as
modalidades de ensino: EJA, Educação Especial etc.), observando
sempre que as atividades exercidas neste campo de ação se
enquadrem nos objetivos do estágio e proporcione ao futuro docente as
reais condições de participação ativa em um processo de formação
profissional específica.

ANDAMENTO GERAL DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO

I. Os acadêmicos estagiários disporão de Carta de Apresentação, Termo


de Compromisso e, para a entrevista, o Termo de Consentimento Livre
Esclarecido individual que deverão apresentar nas instituições em que
desenvolverão suas atividades como estagiários.
II. A partir do momento que o aluno ingressa no período de estágio, estará
assegurado pela apólice número 591.363, da Tókio Marine Seguradora.
III. O acadêmico deverá entregar ao supervisor e/ou direção da escola
envolvida, os documentos disponíveis no ambiente da disciplina.

ATRIBUIÇÕES DO DOCENTE DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO

Professor Mediador:

É o profissional devidamente habilitado que assume a responsabilidade


da orientação, acompanhamento e avaliação de todo processo.

Ao Professor Mediador do estágio compete:

I. Acompanhar, orientar e supervisionar o Estágio.


II. Avaliar periodicamente o estagiário e seu desempenho e comunicar esta
avaliação à coordenação de curso quando necessário.
III. Manter contato com as escolas campo de estágio.
IV. Orientar, de fato, um efetivo planejamento e execução das atividades
acompanhando, esclarecendo dúvidas, auxiliando nas reflexões e
análises das práticas, bem como na avaliação justa e real.
V. Fornecer as fontes de pesquisa e consultas necessárias às soluções de
possíveis dificuldades enfrentadas pelos estagiários.
VI. Procurar dar unidade a todo o processo do estágio, estabelecendo a
ligação da Unicesumar com as Instituições campo de estágio.
VII. Intervir, em caso de desentendimentos e/ou qualquer outro imprevisto
surgido entre a escola e o estagiário, no sentido de restabelecer o
espírito de colaboração e entendimento ético e profissional.

DAS ATRIBUIÇÕES DOS ESTAGIÁRIOS NA REALIZAÇÃO DO ESTÁGIO

O Estagiário:

É o acadêmico do Curso de Pedagogia da Unicesumar – Centro


Universitário Cesumar, futuro (a) profissional da Educação.

Compete ao acadêmico estagiário:

I. A busca do local do Estágio, juntamente com a Carta de


Apresentação e o Termo de compromisso, conforme as regras
estabelecidas.
II. Realizar a carga horária proposta para a realização do estágio
comprovando por meio da Ficha de Frequência.
III. Apresentação dos relatórios, fóruns e atividades nos prazos
previstos.
IV. Frequência e assiduidade no local de estágio, segundo o horário
fixado com a escola campo de estágio.
V. Desempenho das tarefas que lhe forem atribuídas pelo professor
mediador do Estágio.
VI. Respeitar as normas disciplinares e/ou regimentais em vigor da
escola em que realiza o Estágio.
VII. Valer-se dos princípios de ética profissional nas críticas e
considerações a respeito de situações e comportamentos detectados
na escola.
VIII. Comunicar a Instituição Escolar em que se realiza o estágio, com 72
horas (setenta e duas horas) de antecedência em caso de
impossibilidade de cumprimento do cronograma previsto.
IX. Comunicar o professor mediador dos problemas surgidos por ocasião
das práticas nas Instituições Escolares.
X. Manter em todas as situações um comportamento compatível com a
função docente (vocabulário, horário, atitudes).
XI. Refazer planos de aula e relatórios, sempre que solicitado pelo
professor responsável pelo estágio.
XII. Apresentar-se à direção da escola ou a quem seja responsável pelo
acompanhamento do estágio e solicitar permissão para acesso a
documentos como: Regimento Escolar, Plano Escolar, Projeto ou
Proposta Pedagógica, para conhecimento;
XIII. Trajar-se adequadamente e com roupas condizentes com o local de
trabalho educativo;
XIV. Saber ouvir atentamente, bem como aguardar momentos propícios
de intervir e/ou manifestar-se;
XV. Observar horários e regras estabelecidas, tanto em relação à
administração da escola, quanto ao estágio curricular
supervisionado;
XVI. Manter discrição e postura ética em relação às informações e às
ações referentes à participação em atividades da escola e de
realização do estágio.
XVII. Preencher corretamente a documentação do estágio e protocolar no
polo de apoio presencial dentro do prazo estabelecido em calendário,
bem como fazer o acompanhamento do deferimento/indeferimento
do mesmo.
TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

O Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) constitui-se em um trabalho


acadêmico de sistematização do conhecimento sobre um objeto de estudo
relacionado a temas afetos ao referido curso, que pode ser realizado durante
ou ao final do processo de formação acadêmica. É a expressão da perícia
conceitual absorvida durante cursos de graduação, formando profissionais que
além de conhecimento específico, possam apresentar autonomia, senso
investigativo, flexibilidade, dentre outras qualidades.
É necessário que o estudante empregue os saberes assimilados ao longo
do curso e aponte uma contribuição efetiva para o avanço científico e
tecnológico na área preterida. A seguir apresenta-se o regulamento do
Trabalho de conclusão de Curso do curso de licenciatura em Pedagogia.
REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

RESOLUÇÃO DO CONSELHO DE CURSO DE PEDAGOGIA – 001/2009

A Prof.ª. Me. Márcia Maria Previato de Souza,


Coordenadora do Curso de Pedagogia do
CESUMAR no uso de suas atribuições legais e
regimentais,

considerando a Resolução CNE/CP Nº. 1, de 15 de maio de 2006, do Ministério de


Educação;
considerando a necessidade premente de aprovação do regulamento neste ano letivo
para o Curso de Pedagogia;

RESOLVE:

Art. 1º. Fica aprovado o regulamento do trabalho de conclusão de curso como a


produção de um paper científico de estágio elaborado a partir do período que o aluno
inicia suas atividades nas escolas Campo de Estágio, conforme anexo, o qual passa a
fazer parte integrante desta Resolução.

Art. 2º. Esta Resolução entra em vigor nesta data, revogadas as disposições em
contrário.

DÊ-SE CIÊNCIA.
CUMPRA-SE

Maringá, 07 de março de 2009.


Atualizado em: 23 de julho de 2018.

Marcia Maria Previato de Souza


Coordenador de Curso
NEaD - Unicesumar
REGULAMENTO DO TRABALHO DE
CONCLUSÃO DE CURSO – TCC

PEDAGOGIA – EAD UNICESUMAR

Coordenadora Pedagógica
Prof.ª Me. Márcia Maria Previato de Souza

O Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) é um trabalho acadêmico de


sistematização do conhecimento sobre um objeto de estudo relacionado ao
curso, que pode ser realizado durante ou ao final do processo de formação
acadêmica. É a expressão da perícia conceitual absorvida durante o curso de
graduação, formando profissionais que além de conhecimento específico,
possam apresentar autonomia, senso investigativo, flexibilidade, dentre outras
qualidades.
É necessário que o estudante empregue os saberes assimilados ao
longo do curso e práticas vivenciadas durante o estágio supervisionado nas
instituições educativas.
A elaboração do TCC constitui-se em atividade obrigatória do Curso de
Licenciatura em Pedagogia da Unicesumar e tal obrigatoriedade possibilita a
conclusão do curso. Seguem abaixo as normas e princípios do TCC do curso
de licenciatura em Pedagogia na modalidade EaD.

Elaboração do Trabalho de Conclusão de Curso

Na graduação do curso de Licenciatura de Pedagogia, o TCC (trabalho


de conclusão de curso) é condição para que o aluno receba seu diploma. Será
considerado graduado o estudante que, além de ter obtido médias 6.0 em
todas as disciplinas e realizado as atividades complementares conforme
previsto no PPC, tenha realizado o TCC, seguindo as orientações do
orientador.
O TCC do curso de Licenciatura em Pedagogia apresenta-se como um
paper da prática vivenciada no período de estágio supervisionado. Durante os
módulos em que o graduando realiza as atividades de estágio, passa a
estabelecer relação entre a teoria e a prática e ao final do curso (décimo quarto
módulo), sistematiza essa vivência em um paper que disserta sobre a prática
observada e concretizada a partir dos estágios de observação e regência, sem
apresentar relatos de caso, de forma que fique evidente a construção
sistematizada e científica dos conhecimentos adquiridos de forma teórico-
prática.
Todo trabalho é regulado pelas exigências de cientificidade, com
obrigatório cumprimento das normas técnicas atualizadas da ABNT. No
ambiente da disciplina fica disponível para os alunos todo processo de
construção do TCC, bem como a orientação constante do professor mediador
que o orientará sobre a organização e estrutura do trabalho.
Após o término do trabalho e o aval do orientador, o acadêmico postará
no ambiente a versão final para apreciação de uma banca interna que atribuirá
nota de 0 a 10, respeitando o critério estabelecido pela coordenação do curso e
aprovado pelos professores membros da banca e professores mediadores.
Organização do trabalho

O núcleo de orientação do TCC é composto por docentes do curso de


Pedagogia com formação na área e compreende as atividades de orientação e
avaliação do trabalho, viabilizando em ambiente específico a organização de
todo processo.

Atribuições professor mediador do Trabalho de Conclusão de Curso -


TCC:

I. Manter o ambiente virtual atualizado com as informações


necessárias para o desenvolvimento do trabalho.
II. Disponibilizar as normas técnicas atualizadas da ABNT e orientar
quanto a sua utilização em trabalhos acadêmicos.
III. Promover debates e trocas de experiências no fórum.
IV. Estabelecer e divulgar o calendário geral dos prazos de correção.
V. Disponibilizar material de apoio para o desenvolvimento de
pesquisas.
VI. Verificar o andamento do trabalho em todas as etapas.
VII. Corrigir, orientar e dar feedback para os alunos sobre o trabalho
desenvolvido por eles.
VIII. Enviar mensagens para os alunos que por algum motivo não estejam
com o trabalho devidamente postado em datas estabelecidas.
IX. Comunicar ao Coordenador do Curso a ocorrência de quaisquer
problemas, dificuldades ou dúvidas relativas ao processo de
orientação.
X. Acompanhar e orientar o aluno no processo de elaboração e redação
do relatório;
XI. Resolver quaisquer casos omissos.

Atribuições dos orientandos:


I. Cumprir e fazer cumprir as normas e regulamentações próprias do
Trabalho de Conclusão de Curso.
II. Manter contatos com o orientador por meio do ambiente da
disciplina.
III. Seguir o plano e cronograma de atividades estabelecidas pelo
orientador.
IV. Elaborar e apresentar todas as tarefas propostas em calendário
afixado no início do processo de elaboração.
V. Refazer, se necessário, após a avaliação do orientador o paper.
VI. Respeitar as exigências de cientificidade, fazendo uso obrigatório
das normas técnicas da ABNT.
VII. Desenvolver com compromisso e responsabilidade todas as etapas
do trabalho.

Avaliação do Trabalho de Conclusão de Curso

 O paper será avaliado pelo professor orientador do TCC, não


sendo realizadas apresentações públicas.
 O trabalho terá valor de zero a dez, de acordo com as etapas
especificadas no próprio ambiente do TCC, tendo como
parametrização a organização, caráter acadêmico, estrutura,
normas técnicas e conteúdo.
 Caracterizando qualquer caso de plágio ou fraude na elaboração
do TCC, o aluno estará automaticamente reprovado.
 Em caso de reprovação o aluno deverá refazer o trabalho no
módulo posterior em status de dependência.
 O aluno que não realizar o trabalho de conclusão de curso não
poderá receber seu diploma de Licenciatura em Pedagogia.
 Os casos omissos serão resolvidos pelo coordenador do curso,
coordenador de estágio e colegiado do curso.
Ciente de cada etapa do Estágio Supervisionado e da finalização com o
Trabalho de Conclusão de Curso, suas responsabilidades e seus direitos, dar-
se-á início as atividades.

Equipe do Estágio Supervisionado do Curso de Pedagogia.

Marcia Maria Previato de Souza


Coordenador de Curso
NEaD - Unicesumar