Você está na página 1de 14

CONCEPÇÕES

ALTERNATIVAS
CONCEPÇÕES ALTERNATIVAS

¡  Se os alunos não são “tabula rasa” então já possuem um


acervo de conhecimentos. Ideias próprias que devem ser
levadas em conta no aprendizado de novos conceitos.

¡  Concepções alternativas são as idéias que os alunos


apresentam e que não coincidem com os saberes
científicos.

¡  Podem ser intuitivas (prévias) ou promovidas durante o


próprio processo de aprendizado.

¡  Diversas pesquisas realizadas desde a década de 1980


têm conseguido descrever uma série de CA’s em diferentes
níveis de ensino e para uma série de conceitos
fundamentais ( Movimento das Concepções Alternativas).
DIFERENÇAS DE NÍVEL ENTRE CONCEPÇÕES
E ESTRUTURAS (REPRESENTAÇÕES)

Descrição
ESTRUTURAS
generalizada

CONCEPÇÕES
Acontecimentos
individuais

Perspectiva Visão coletiva


pessoal
CONCEPÇÕES ALTERNATIVAS
¡ A concepção alternativa é diferente de um
simples erro.

§ O s erros podem ser reconhecidos pelo próprio


estudante quando lhe é oferecida uma concepção
correta.

¡ A concepção alternativa é forte e persiste.

¡ Funciona como um importante obstáculo ao


aprendizado.
CARACTERÍSTICAS DAS CONCEPÇÕES
ALTERNATIVAS

¡ Persistentes: mantêm-se mesmo após muitos anos


de instrução;
¡ Generalizadas: compartilhadas por pessoas de
diversas culturas, idades e níveis educacionais;
¡ De caráter mais implícito do que explícito: os alunos
as utilizam, mas muitas vezes não são capazes de
verbalizá-las;
¡ Coerentes: os alunos as utiliza para enfrentar
situações diversas;
¡ Semelhança com concepções históricas: guardam
semelhanças com as concepções já superadas pela
história da ciência .
A ORIGEM DAS CONCEPÇÕES ALTERNATIVAS

¡ São manifestação do mesmo problema, a


desconexão entre o conhecimento que os alunos
geram para dar sentido ao mundo [...] e o
conhecimento científico (simbólico e abstrato).

¡ Todos nós temos um conhecimento informal sobre o


mundo cotidiano (científico, social, histórico,
psicológico, etc.). Temos idéias que nos permitem
prever e controlar os acontecimentos (valor
adaptativo).
A ORIGEM DAS CONCEPÇÕES ALTERNATIVAS

§ Conhecimento informal (pessoal/


social) que dá sentido ao mundo.
§  Pessoas e objetos.


¡ C onhecimento científico.
§  Símbolos, conceitos abstratos.
§  Mundo mais imaginário do que real
A ORIGEM SENSORIAL DAS CONCEPÇÕES
ALTERNATIVAS

¡ CONCEPÇÕES ESPONTÂNEAS
¡ Surgem de modo espontâneo na tentativa de dar
significado às atividades cotidianas.
¡ São baseadas em regras de inferência causal.
¡ Baseadas em dados colhidos por meio de
processos sensoriais e perceptivos.
¡ Quando vivenciamos um problema costumamos
recorrer a certas regras simplificadoras que
identificam as causas mais prováveis e frequentes.
Reduzem a complexidade do mundo sensorial a
poucos elementos (busca de um atalho cômodo).
A ORIGEM SENSORIAL DAS CONCEPÇÕES
ALTERNATIVAS

¡ Regras associativas que regem o nosso pensamento


causal cotidiano (quadro 4.4):
§ A semelhança entre causa e efeito ou entre a
realidade que observamos e o modelo explicativo.
§ A contiguidade espacial e, se for possível, o contato
físico entre causa e efeito.
§ A contiguidade temporal ente a causa e o efeito,
que devem suceder-se de modo próximo no tempo.
§ A covariação qualitativa entre causa e efeito. As
variáveis relevantes são aquelas que ocorrem
sempre quando se produz o efeito.
§ A covariação quantitativa entre causa e efeito, de
modo que um aumento na causa produza um
aumento proporcional ao efeito, e vice-versa.
A ORIGEM SENSORIAL DAS CONCEPÇÕES
ALTERNATIVAS

¡ C aracterísticas principais:


§ A presentam uma universalidade maior
através de culturas e idades;
§ G eralmente são conhecimentos mais
implícitos que explícitos (sabemos fazer, mas
não sabermos dizer – verbalizar);
§ B oa parte dos conhecimentos dos alunos não
são conhecimentos conceituais, mas “teorias
em ação”, regras de atuação, verdadeiros
procedimentos.
A ORIGEM CULTURAL DAS CONCEPÇÕES
ALTERNATIVAS

¡ REPRESENTAÇÕES SOCIAIS (Moskovici)


§ A cultura é um conjunto de crenças compartilhadas por
um grupo social.
¡ Transmissão oral, meios de comunicação, etc.
§ “química” faz mal a saúde, o que é natural faz bem
¡ Diferença de significados
(cotidiano X científico)
§ Polissemia das palavras (conceitos): energia,
química, orgânico, calor, temperatura...
¡ Ao se tornarem conhecimento social estes
conceitos adaptam-se aos esquemas e regras de
conhecimento simplificadores.
¡ Hoje à grande número de informações.
A ORIGEM ESCOLAR DAS CONCEPÇÕES
ALTERNATIVAS
¡ C ertos conceitos são exclusivamente escolares:
elemento químico, equilíbrio químico,
oxidorredução...
¡ U so incorreto de analogias.
¡ E rro didático da forma como são apresentados
os conhecimentos científicos
§ r egra do octeto,
§ p rincípio de Le Chatelier,
§ r eação de dupla troca...
¡ N ão se diferencia corretamente (na escola) o
conhecimento/discurso científico do cotidiano.